Você está na página 1de 1

A. L o seguinte texto.

Joo Pateta

Um rapaz chamado Joo vivia com a me num baldio . Eram muito pobres. A
me ganhava algum dinheiro a costurar e a remendar, mas Joo limitava-se a
sentar-se junto lareira no Inverno e passava o tempo sem nada fazer, ao sol,
durante o Vero.
Um dia a me disse-lhe:
- Quem no trabuca, no manduca!
E assim o rapaz foi trabalhar para um lavrador que lhe deu uma moeda pelo
trabalho do dia. Porm, ao regressar a casa, deixou cair o dinheiro quando
atravessava um ribeiro e ficou sem ele.
- s um tonto! disse-lhe a me muito zangada quando ele lhe contou o que
acontecera. Devias t-la guardado no bolso!
- Assim farei da prxima vez! prometeu Joo.
No dia seguinte foi trabalhar para outro lavrador para tomar conta das vacas. O
lavrador deu-lhe, em pagamento, um jarro de leite e Joo meteu o jarro no bolso,
conforme a me o aconselhara. Mas com o andamento o jarro balanava no bolso
e o leite foi-se derramando pelo caminho.
- s um pateta! repreendeu a me. Devias t-lo carregado cabea.
- Assim farei da prxima vez respondeu Joo.
No dia a seguir foi trabalhar para outro lavrador que lhe deu um queijo
amanteigado para pagar o seu dia de trabalho. Joo ps o queijo cabea como a
me lhe dissera. Quando chegou a casa o queijo desfizera-se e escorria-lhe pela
cabea abaixo.
- Meu cabea-de-vento! disse a me. Devias t-lo trazido na mo.
- Assim farei da prxima vez prometeu Joo.
No dia seguinte Joo contratado por um padeiro que lhe paga com um gato.
Joo segurou-o, com todo o cuidado, nas mos, mas a meio do caminho de casa,
o gato j o tinha arranhado tanto que o largou.
- Meu basbaque! chamou-lhe a me. Devias t-lo atado com um fio e
arrastado atrs de ti.
- Assim farei da prxima vez disse Joo.
[...]
in Livro Ilustrado de Contos de Fadas, recontados por Neil Philip, Livraria Civilizao Editora

B. Como vai o Joo resolver a sua vida?

1.1 Redige uma situao final para histria do Joo Pateta, num texto de 15 a 20
linhas.
Ateno pontuao, diviso dos pargrafos e acentuao das palavras.

Baldio terreno inculto, sem dono ou pertencente autarquia.