Você está na página 1de 2

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

FUNDAMENTAL - 2008

EG210108 Frente: 01 Aula: 01 A formação do Mundo Ocidental PROFº: Vinicius /Sidney A Certeza
EG210108
Frente: 01
Aula: 01
A formação do Mundo Ocidental
PROFº: Vinicius /Sidney
A Certeza de Vencer
As Transformações no Mundo Clássico AOS TEMPOS DA HISTÓRIA e urbana,
As Transformações no Mundo Clássico
AOS
TEMPOS
DA
HISTÓRIA
e
urbana,

O mundo romano caracterizaria na grande trajetória a que chegaria a civilização ocidental clássica, descrevendo acerca da expansão mundial sobre o controle latino de Roma: os legados culturais, modelos urbanizadores, sistemas de escrita, numéricos, documentação, assim como outros elementos de culturicidade e religiosidade nas sociedades que viveriam nas fronteiras deste vigoroso Império.

O período do Baixo Império (séculos III ao V) – o glorioso império dos Césares passaria por desdobramentos políticos a partir do século III da era

cristã. Este palco de acontecimentos seria resultado de um complicado modelo burocrático do estado, que proporcionaria entre outras situações, a corrupção e as intrigas palacianas, no interior da corte imperial, etc. Estas situações caracterizariam em um período de crises e de decadência para Roma, entre o retorno da anarquia política e da guerra civil, no vigoroso império. Por este período, voltaria a anarquia militar: com a ascensão das legiões (os exércitos), os imperadores escolhidos pelos exércitos, seriam ao serem tão logo coroados, obrigados a enfrentar os generais que não haviam aderido a nova formação imperial. A Guerra Civil entre Legiões – neste mesmo cenário de acontecimento, a negligência do governo imperial, associado ao novo período de guerra civil entre as forças militares romanas, o sistema escravista entrou em crise, por conta da paralização das conquista militares. Como resultado, começaria a faltar escravos, onde seu preço aumentou

INTRODUÇÃO

OCIDENTAL.

Em nossas últimas análises de estudo você analisou ao período de formação dos estudos históricos, assim como, observou às etapas de formação e evolução das primeiras sociedades. Seu ponto final de análises se concentrou sobre o período de formação ocidental, nos chamados povos da antiguidade ocidental (gregos e romanos). A história social não pararia apenas por aquele contexto, e assim sendo, vamos observar sobre seus últimos cenários do estado Clássico.

observar sobre seus últimos cenários do estado Clássico. os grandes proprietários, passaram a utilizar colonos em

os grandes

proprietários, passaram a utilizar colonos em suas terras (colonato).

O Colapso interno – com o processo de crise, ocorreria uma ampla destruição nas fronteiras e em áreas destacadas do império, onde se caracterizaria uma primeira destruição

onde o saque das

cidades por forças rebeldes, ou mesmo pelos povos considerados

bárbaros, forçaria um retorno às regiões do campo, formando uma

espécie de êxodo urbano.

A inflação de custos sobre o estado romano tornou-se em franco colapso, e ainda havia a penetração dos povos bárbaros no Império.

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

FUNDAMENTAL - 2008

Alguns

imperadores

como

Diocleciano,

Constantino e Teodósio tentaram conter as crises.

Constantino e Teodósio tentaram conter as crises. Em 395, o Imperador Teodósio havia dividido o Império
Constantino e Teodósio tentaram conter as crises. Em 395, o Imperador Teodósio havia dividido o Império

Em 395, o Imperador Teodósio havia dividido o Império Romano em Ocidente e Oriente. Enquanto a capital do Império Romano do Ocidente ficou sendo Milão, Constantinopla foi escolhida como capital do Oriente. O Império Romano do Ocidente desapareceu em 476, conquistado pelos bárbaros. O do Oriente sobreviveu por quase mil anos, tendo sido conquistado pelos turcos em 1453.

A Tetrarquia Diocleciano criou a tetrarquia (284), quando dividiu o Império em quatro áreas administrativas e Roma passou a contar com quatro imperadores. A tetrarquia não durou muito tempo. Após a morte de Diocleciano, Roma voltou a ser governada por apenas um imperador. Constantino assinou o Edito de Milão (313), concedendo liberdade religiosa aos cristãos e fundou a cidade de Constantinopla, hoje Istambul. Teodósio tornou o cristianismo a religião oficial do Império e em 395 dividiu-o em duas partes : Império Romano do Ocidente com capital em Milão e Império Romano do Oriente, com capital) em Constantinopla. Em 476, o Império Romano do Ocidente foi conquistado pelos bárbaros que, há anos, vinham penetrando nas ternas romanas, A queda do Ocidente marcou o fim da Antiguidade e o início da Idade Média para alguns historiadores. Divisão do Império Romano A conquista do Império Romano do Ocidente (476) marcou o fim da Antiguidade e o inicio da Idade Média. Esta, por sua vez, se estendeu de 476 a 1453, quando os turcos tomaram Constantinopla e pode ser dividida em Alta (do século V ao XI) e Baixa (do século XI ao XV).

Bizâncio / Constantinopla Além de ter concedido liberdade de culto aos cristãos (Edito de Milão), o Imperador Constantino mandou reconstruir uma cidade grega chamada Bizâncio, Esta, ficava no extremo-leste da Europa, às margens do Mar Negro, junto ao Estreito de Bósforo.

às margens do Mar Negro, junto ao Estreito de Bósforo. Bizâncio ganhou numerosas obras públicas, as
às margens do Mar Negro, junto ao Estreito de Bósforo. Bizâncio ganhou numerosas obras públicas, as

Bizâncio ganhou numerosas obras públicas, as ruas foram alargadas, casas luxuosas e inúmeros templos construidos e, ao terminar as obras, a cidade teve seu nome mudado, passando a se chamar Constantinopla (cidade de Constantino). Quando Teodósio dividiu o Império Romano em Oriente e Ocidente, Constantinopla ficou sendo a capital do Império Romano do Oriente e este tornou-se conhecido como Império Bizantino.