Você está na página 1de 20

A Computac¸ao˜

em Nuvem como ferramenta de reduc¸ao˜

de

custos na Secretaria Municipal da Fazenda de Feira de Santana

Gustavo Falcao˜

Paim da Silva 1 , Joao˜

Paulo Just Peixoto 1

1 Universidade Salvador - Campus Feira de Santana Rua Rio Tinto, 152 44050-250, Feira de Santana, BA, Brasil

gustavo fps@yahoo.com.br,

joao.peixoto@pro.unifacs.br

Abstract. Cloud Computing is distinguished by the need of technology profes- sionals for constantly raising processing power and storage capacity, also, joi- ning new computing resources and tools to aid the development of their activities in a quick and safe manner with less cost. Cloud Computing may be conside- red as on of the major improvements on computing history and by that reason, is constantly addressing not only academic society, but also specific companies and industries. That way, corporations are seeking more computing efficiency and cost minimizations provided by this technology. This paper presents the main concepts about this new computing paradigm, its characteristics, techno- logies and existing services on market, besides presenting an analysis of its use as a low cost mechanism at Feira de Santana Treasury Office.

Resumo. A Computac¸ao˜ em Nuvem se destaca atraves´ das necessidades encon- tradas pelos profissionais de tecnologia da informac¸ao˜ em aumentar de forma constante a sua capacidade de processamento e ou armazenamento, alem´ de

agregar novos recursos computacionais e ferramentas que auxiliem no desen- volvimento de suas atividades de maneira rapida, ´ segura e com o menor inves- timento poss´ıvel. A Computac¸ao˜ em Nuvem pode ser considerada como um dos maiores avanc¸os na historia ´ da informatica ´ e por esse motivo vem chamando

a atenc¸ao˜ nao˜ somente da comunidade academica, ˆ

mas tambem´ dos setores

comerciais em especial. Dessa forma, as organizac¸oes ˜ estao˜ buscando o apro- veitamento computacional e a minimizac¸ao˜ de custos fornecidas pela tecnolo- gia. O presente artigo descreve os principais conceitos deste novo paradigma computacional, suas caracter´ısticas, tecnologias e servic¸os existentes no mer- cado, alem´ de apresentar uma analise ´ da sua utilizac¸ao˜ como um mecanismo de reduc¸ao˜ de custos na Secretaria Municipal da Fazenda de Feira de Santana.

1. Introduc¸ao˜

Atualmente, com a expansao˜ da tecnologia da informac¸ao˜ e comunicac¸ao˜ alem´ da popularizac¸ao˜ da Internet e as necessidades de inovac¸ao, ˜ cada vez mais surgem novidades no segmento da computac¸ao˜ que tem por objetivo a disponibilizac¸ao˜ e compartilhamento

de servic¸os e recursos entre seus usuarios. ´

Utilizando-se da presente infraestrutura de

tecnologia, tornou-se poss´ıvel fornecer uma serie ´ de servic¸os a qualquer momento e para

qualquer lugar. Surge entao˜

um novo contexto da informatica ´

chamado de Cloud Compu-

ting ou Computac¸ao˜

em Nuvem.

A Computac¸ao˜ em Nuvem tem a finalidade de prover uma serie ´ de recursos que

vao˜ desde o usuario ´ final, que mantem seus diversos documentos pessoais na Internet, ate´

empresas que terceirizam toda infraestrutura de TI para outras organizac¸oes ˜ atraves´ de

mecanismos de cobranc¸as baseados no pagamento por uso.

[Marston et al. 2011] define que a Cloud Computing representa uma convergencia ˆ

de duas grandes tendencias ˆ em tecnologia da informac¸ao, ˜ a eficiencia ˆ da TI e a agilidade

dos negocios, ´ permitindo com que o poder dos computadores modernos possam ser utili-

zados de forma mais eficiente, por meio de sistemas de softwares e hardwares altamente

escalonaveis, ´ tornando-se um diferencial competitivo para as organizac¸oes ˜ devido a sua

rapida ´ implementac¸ao, ˜ processamento em lote paralelo, uso de analise ´ de negocios ´ de

computac¸ao˜ intensiva e a utilizac¸ao˜ de aplicac¸oes ˜ interativas moveis ´ que respondem em

tempo real as` necessidades de seus usuarios. ´

A Computac¸ao˜

em Nuvem propoe˜ o aproveitamento de recursos computacionais

´

por meio da Internet. E um novo paradigma de infraestrutura computacional que permite

o acesso transparente de recursos em um sistema de uso por demanda, sendo fornecida por

terceiros ou disponibilizado internamente. Em poucas palavras, a Computac¸ao˜ em Nuvem

em um meio pelo qual o poder computacional, armazenamento de dados, infraestrutura,

processos de negocio ´ e aplicac¸oes ˜ podem ser entregues como um conjunto de servic¸os

que atendam as` demandas do contratante [Hill et al. 2013].

A utilizac¸ao˜ da Computac¸ao˜ em Nuvem pode trazer benef´ıcios para varios ´ seg-

mentos no mercado no que diz respeito a` reduc¸ao˜ de gastos em investimentos de recursos

materiais e tecnologicos ´

bem como prover mecanismos de seguranc¸a, recuperac¸ao, ˜ gestao˜

e manutenc¸ao˜ de dados. Segundo [Buyya et al. 2009], a utilizac¸ao˜ de recursos presentes

na nuvem surge como um atrativo para diversos consumidores, principalmente empresa-

riais, devido a` oportunidade de reduc¸ao˜ e ou eliminac¸ao˜ de custos associados ao emprego

de recursos tecnologicos ´ e servic¸os mantidos pelas organizac¸oes. ˜

Motivando os estudos

envolvidos para a sua aplicabilidade no contexto da Secretaria Municipal da Fazenda de

Feira de Santana.

Manter uma estrutura de tecnologia da informac¸ao˜ e´ dispendioso. Qualquer soft-

ware que venha a ser utilizado, seja por obrigac¸oes ˜ legais ou para a otimizac¸ao˜ de seu

negocio, ´ investimentos em hardware, infraestrutura de redes, contratac¸ao˜ de profissionais

sao˜ extremamente necessarios ´ para suportar o seu funcionamento.

O objetivo do presente trabalho e´ apresentar um estudo referente a adoc¸ao˜ das

tecnologias e recursos presentes na Computac¸ao˜ em Nuvem de modo a prover servic¸os e

funcionalidades semelhantes as` encontradas na Secretaria Municipal da Fazenda de Feira

de Santana, tendo em vista a reduc¸ao˜ de custos com implantac¸ao, ˜ aquisic¸ao˜ e manutenc¸ao˜

destes servic¸os.

No in´ıcio deste documento, Sec¸ao˜ 2, serao˜ apresentados trabalhos relacionados a

adoc¸ao˜ de tecnologias que tem por objetivo a reduc¸ao˜ de custos nas organizacoes. ˜ Em se-

guida, Sec¸ao˜ 3, serao˜ descritos os conceitos de Computac¸ao˜ em Nuvem e suas aplicac¸oes, ˜

caracter´ısticas essenciais, principais modelos de entrega de servic¸os alem´ dos modelos de

implantac¸ao˜ de uma arquitetura de Cloud Computing.A Sec¸ao˜ 4 tratara´ da metodologia

aplicada no desenvolvimento deste artigo, abordando o universo de estudo no qual ira´

se desenvolver o trabalho e os metodos ´ de documentac¸ao˜ adotados na confecc¸ao˜ deste.

Na Sec¸ao˜ 5, e´ apresentada a maneira na qual foram implantados os servic¸os de software

na Secretaria Municipal da Fazenda de Feira de Santana. Ao final, na Sec¸ao˜ 6, serao˜

demonstrados e analisados os resultados obtidos com a aplicac¸ao˜ deste estudo. Por fim,

Sec¸ao˜ 7, serao˜ apresentadas as conclusoes ˜ obtidas atraves´ da realizac¸ao˜ desta pesquisa

alem´ de sugestoes ˜ para trabalhos futuros envolvendo a Computac¸ao˜ em Nuvem.

2. Trabalhos Relacionados

De fato, os investimentos no setor de tecnologia da informac¸ao˜ e comunicac¸ao˜ sao˜ bas-

tante importantes, pois estes proporcionam as` organizac¸oes ˜ ferramentas que auxiliam em

seu crescimento e se tornam um diferencial competitivo frente ao mercado devido os

benef´ıcios proporcionados pela informatizac¸ao˜ dos processos. Entretanto, os custos en-

volvidos na aquisic¸ao˜ e manutenc¸ao˜ destas soluc¸oes ˜ acabam se tornando uma barreira

proibitiva, fazendo com que muitos continuem a utilizar infraestruturas computacionais

e produtos de softwares obsoletos, ou entao, ˜ realizar os seus procedimentos internos de

forma manual.

Em seu trabalho, [Campanha et al. 2012] propoe˜ um estudo para a adoc¸ao˜ de

softwares livres, em especial editores de texto e planilhas eletronicas, ˆ nas organizac¸oes ˜

publicas ´ no Brasil, tendo como universo de analise ´ o Tribunal Regional do Trabalho da 4 a

regiao˜ e no Serpro. [Campanha et al. 2012] explora os impactos economicos ˆ na adoc¸ao˜

destas ferramentas, considerando a reduc¸ao˜ nos custos envolvidos na aquisic¸ao˜ de softwa-

res proprietarios ´

como o principal atrativo para que empresas e org ´ aos ˜

governamentais

adotem e adaptem uma nova forma de gerenciar informac¸oes. ˜

Atraves´ da analise dos impactos ocasionados na adoc¸ao˜ da Computac¸ao˜ em Nu-

vem em escritorios ´ contabeis, ´

[Prado et al. 2012] conclui que o uso desta tecnologia e´

bastante satisfatoria, ´ pois e´ poss´ıvel observar uma reduc¸ao˜ dos chamados tecnicos ´ para

as soluc¸oes ˜ de problemas relacionados a` infraestrutura de TI, tendo em vista que, em

uma arquitetura de Cloud Computing, todas as soluc¸oes ˜ e aplicac¸oes ˜ em funcionamento

sao˜

mantidas por um provedor de servic¸os, removendo qualquer onus ˆ sobre a empresa

contratante.

[Prado et al. 2012] destaca que, a partir da adoc¸ao˜

da Computac¸ao˜

em Nuvem,

os escritorios ´ contabeis ´ observados ganharam agilidade na execuc¸ao˜ de seus processos.

O tempo decorrido para a soluc¸ao˜ dos problemas existentes no antigo modelo teve uma

enorme reduc¸ao. ˜

[Gomes et al. 2014] aborda a adoc¸ao˜ de um sistema de gestao˜ on-line, base-

ado no modelo Software as a Service, para pequenas empresas do ramo calc¸adista.

[Gomes et al. 2014] conclui que os principais benef´ıcios encontrados atraves´ deste es-

tudo foram a reduc¸ao˜ de custos no investimento em infraestrutura de TI e contratac¸ao˜ de

mao-de-obra ˜ especializada, observando tambem´ os aspectos envolvidos com a seguranc¸a

no armazenamento de informac¸oes, ˜ possibilitando a empresa manter o foco na sua ati-

vidade principal, pois direciona os cuidados e administrac¸ao˜ de sistemas de informac¸ao˜

para instituic¸oes ˜ especializadas.

[Nascimento de Souza and Costa 2015] apresentam a adoc¸ao˜ de Cloud Compu-

ting como uma estrategia ´

corporativa em uma empresa de minerac¸ao. ˜

Em seu es-

tudo, [Nascimento de Souza and Costa 2015] verificam a reduc¸ao˜ do Total Coast Ow-

nership (custos relacionados com o ciclo de vida da tecnologia, incluindo a investigac¸ao, ˜

aquisic¸ao, ˜ implantac¸ao, ˜ manutenc¸ao˜ e suporte). Essa verificac¸ao˜ e´ feita atraves´ da adoc¸ao˜

de uma soluc¸ao˜ de correio eletronico ˆ baseada no modelo SaaS, mantida sobre uma plata-

forma na nuvem. Eles concluem que a migrac¸ao˜ para este novo paradigma computacional

proporcionou diversos benef´ıcios, nos quais e´ poss´ıvel citar a economia de recursos e a

possibilidade de expansao˜ elastica ´ da capacidade de armazenamento do servic¸o contra-

tado, possibilitando aos usuarios ´ acessarem suas caixas de e-mail de qualquer lugar e

em qualquer momento. Tudo isso permitiu que a instituic¸ao˜ mantivesse o foco em seus

negocios. ´

Atraves´ do estudo sobre a Computac¸ao˜ em Nuvem e de suas caracter´ısticas bem

como a analise ´ de casos de sucesso com a implantac¸ao˜ desta tecnologia em organizac¸oes ˜

publicas ´ e privadas, e´ poss´ıvel observar a sua aplicabilidade dentro de um contexto exis-

tente na Secretaria Municipal da Fazenda de Feira de Santana. Observou-se os impactos

proporcionados pela adoc¸ao˜ deste novo arquetipo ´ computacional, seja na aceitac¸ao˜ das

soluc¸oes ˜ propostas por parte dos usuarios ´ no que diz respeito a` produtividade, facilidade

de utilizac¸ao˜ e aprendizado das ferramentas, seja nas questoes ˜ financeiras envolvidas no

processo de migrac¸ao˜ para esta nova abordagem tecnologica. ´

3. A Computac¸ao˜

em Nuvem

A Computac¸ao˜ em Nuvem e´ um novo paradigma de infraestrutura computacional que se

baseia na utilizac¸ao˜ de recursos sob demanda, sejam eles de hardware ou de software,

por meio da Internet, com pagamento baseado no uso. A base para o que e´ conhecido

atualmente como Computac¸ao˜ em Nuvem advem´ da tecnologia de sistemas distribu´ıdos,

caracterizados como um conjunto de unidades de processamento independentes, que por

meio do gerenciamento de sincronizac¸ao˜ e troca de informac¸oes, ˜ realizam o processa-

mento de uma aplicac¸ao˜ em diferentes localidades com uma caracter´ıstica importante de

ser transparente para o usuario. ´

Segundo [Vecchiola et al. 2009], a nuvem pode ser considerada uma metafora ´

para a Internet, e se baseia em abstrac¸oes ˜ que ocultam toda a complexidade de infra-

estruturas, onde cada parte e´ disponibilizada como servic¸o e sao˜ acomodadas em centros

de dados que utilizam uma estrutura de hardware compartilhado para a computac¸ao˜ e

armazenamento.

Para [Taurion 2009], a Computac¸ao˜ em Nuvem e´ um termo que descreve um am-

biente de computac¸ao˜ baseado em uma imensa rede de servidores, sejam estes virtuais

ou f´ısicos, que possuem um conjunto de recursos como capacidade de processamento,

armazenamento, conectividade, plataformas, aplicac¸oes ˜ e servic¸os disponibilizados na

Internet, sendo um estagio ´ mais evolu´ıdo do conceito de virtualizac¸ao. ˜

[Chaves et al. 2010] define a Computac¸ao˜ em Nuvem como uma combinac¸ao˜ de

tecnologias e paradigmas (virtualizac¸ao, ˜ computac¸ao˜ utilitaria, ´ computac¸ao˜ em grade, ar-

quitetura orientada a servic¸os, entre outros) arquitetadas e utilizadas de uma forma na qual

se abstrai os detalhes do usuario, ´ permitindo a este, sem ter o conhecimento necessario, ´

manter toda essa infraestrutura.

O acesso aos servic¸os disponibilizados atraves´ da nuvem nao˜ requer configurac¸oes ˜

robustas de hardware. Os recursos fornecidos pela tecnologia se encontram dispon´ıveis

na Internet. Dessa forma, a Computac¸ao˜ em Nuvem proporciona aos seus usuarios ´ a

reduc¸ao˜ de custos seja na aquisic¸ao˜ de maquinas, ´ na montagem e manutenc¸ao/atualizac ˜ ¸ao˜

de uma infraestrutura que acomode aplicac¸oes ˜ ou na compra de determinadas soluc¸oes ˜ de

software. [Sousa et al. 2009] afirma que o modelo de Computac¸ao˜ em Nuvem foi desen-

volvido com o objetivo de fornecer servic¸os de facil ´ acesso e de baixo custo garantindo

caracter´ısticas como disponibilidade e escalabilidade.

[Sousa et al. 2009] define ainda que a Computac¸ao˜

em Nuvem visa fornecer ba-

sicamente tresˆ benef´ıcios que sao˜ reduc¸ao˜ de custos na aquisic¸ao˜ e composic¸ao˜ de toda

uma infraestrutura requerida para atender as necessidades das empresas, flexibilidade na

adic¸ao˜ e substiuic¸ao˜ de recursos computacionais e prover uma abstrac¸ao˜ e facilidade de

acesso aos usuarios ´ destes servic¸os.

Alem´ de ser um atrativo economico ˆ para os seus consumidores, tendo em vista

as reduc¸oes ˜ de custos oferecidas pela tecnologia, a Computac¸ao˜ em Nuvem proveˆ alta

disponibilidade e e´ composta por cinco caracter´ısticas essenciais, tresˆ modelos de servic¸os

e quatro modelos de implantac¸ao, ˜

adeptos.

que possibilitaram a esta obter um crescente numero ´ de

3.1. Caracter´ısticas Essenciais

De acordo com [Sousa et al. 2009], as caracter´ısticas essenciais sao˜ vantagens que as

soluc¸oes ˜ de Computac¸ao˜ em Nuvem oferecem. Algumas destas caracter´ısticas em con-

junto definem exclusivamente a tecnologia e faz a distinc¸ao˜

com outros paradigmas.

  • 3.1.1. Self-Service sob Demanda

Como o proprio ´ nome ja´ diz, “sirva-se”. Possibilita ao consumidor um controle e gestao˜

dos recursos de acordo com a sua necessidade. O usuario ´ pode adquirir unilateralmente

recurso computacional, como tempo de processamento no servidor ou armazenamento

na rede na medida em que necessite e sem precisar de interac¸ao˜ humana com os prove-

dores de cada servic¸o [Sousa et al. 2009]. Atraves´ dessa flexibilidade, se torna poss´ıvel

reconfigurar a infraestrutura da nuvem automaticamente, entregando as modificac¸oes ˜ de

forma transparente para o usuario ´ ou empresa. A Computac¸ao˜ em Nuvem deve incor-

porar autonomia e agilidade suficientes para que as solicitac¸oes ˜ de recursos sejam exe-

cutadas de forma automatica ´ e provisionadas dinamicamente sem a intervenc¸ao˜ humana

[Hill et al. 2013].

  • 3.1.2. Amplo Acesso a` Rede

Todo e qualquer recurso disponibilizado pela tecnologia deve atender aos padroes ˜

e me-

canismos existentes para comunicac¸ao, ˜

possibilitando a interoperabilidade entre as plata-

formas utilizadas.

Segundo [Sousa et al. 2009], a interface de acesso a nuvem nao˜ obriga os usuarios ´

a mudar suas condic¸oes ˜

e ambientes de trabalho, como por exemplo, linguagens de

programac¸ao˜ e sistema operacional. Ja´ os softwares clientes instalados localmente para o

acesso a` nuvem sao˜ leves, como um navegador de Internet.

3.1.3.

Pooling de Recursos

Os recursos disponibilizados sao˜ organizados e mantidos em um pool para servir aos

multiplos ´ usuarios, ´ possibilitando ser ajustados dinamicamente de acordo com a demanda

solicitada. Utilizando os conceitos de Multitenancy (particionamento de uma estrutura

f´ısica entre diversos clientes), e´ poss´ıvel aprimorar a utilizac¸ao˜ dos recursos. Uma adoc¸ao˜

deste conceito esta´ presente na tecnologia de virtualizac¸ao˜ onde varios ´ “inquilinos” com-

partilham a mesma infraestrutura. Essa caracter´ıstica reune ´ aspectos da computac¸ao˜

em

grade (modelo computacional capaz de alcanc¸ar uma alta taxa de processamento divi-

dindo as tarefas entre diversas maquinas ´ de uma forma coordenada) e virtualizac¸ao˜ de

hardware.

Segundo [Hill et al. 2013], a camada virtualizada permite que os servic¸os de um

provedor de Computac¸ao˜ em Nuvem possam ser reunidos em um enorme recurso virtual,

possibilitando um gerenciamento dinamico ˆ e eficiente em grande escala de hardware e

funcionalidades virtualizadas. Resultando no aparecimento de recursos homogeneos ˆ para

o consumidor, sem indicar a localizac¸ao˜ f´ısica e o detalhamento destes.

´

  • 3.1.4. Elasticidade Rapida

Elasticidade rapida ´ permite que recursos sejam adicionados automaticamente caso o con-

sumidor tenha a necessidade e apos´ a execuc¸ao˜ de suas rotinas, retorne ao seu estado

normal de forma transparente. [Veras and Tozer 2012], definem que as funcionalidades

computacionais devem ser rapidas ´ e elasticamente providas, assim como rapidamente li-

beradas. O usuario ´ dos servic¸os deve ter a impressao˜ de que possui recursos ilimitados,

podendo ser adquiridos em qualquer quantidade e a qualquer momento.

  • 3.1.5. Servic¸o Medido

Sistemas em nuvem automaticamente controlam e aperfeic¸oam o uso de recursos por meio

de uma capacidade de medic¸ao. ˜

A automac¸ao˜ e´ realizada em algum n´ıvel de abstrac¸ao˜

apropriado para o tipo de servic¸o, tais como armazenamento, processamento, largura de

banda e contas de usuario ´ ativas [Sousa et al. 2009]. Alem´ disso, e´ poss´ıvel estabele-

cer criterios ´ que garantam o QoS (Quality of Service) atraves´ de um acordo de n´ıvel de

servic¸o (SLA – Services Level Agreement), onde se torna praticavel ´ a definic¸ao˜ de n´ıveis

aceitaveis ´ para a utilizac¸ao˜ de cada recurso disposto na nuvem (disponibilidade, desem-

penho, funcionalidade, dentre outros) como tambem´ as penalidades em caso de violac¸ao˜

destes n´ıveis.

3.2. Modelos de Servic¸os

Na Computac¸ao˜ em Nuvem e´ poss´ıvel destacar tresˆ principais modelos de entrega de

servic¸os que descrevem um padrao˜ de arquitetura para as suas soluc¸oes. ˜

Dessa forma, e´

poss´ıvel dividir esta tecnologia em tresˆ camadas de acordo aos seus servic¸os providos:

software como servic¸o (SaaS), plataforma como servic¸o (PaaS) e infraestrutura como

servic¸o (IaaS). Estes modelos estao˜ dispostos da seguinte forma, conforme ilustrac¸ao˜ da

Figura 1. As tresˆ principais camadas de Computac¸ao˜ em Nuvem: SaaS, PaaS e IaaS - Fonte

Figura 1. As tresˆ

principais camadas de Computac¸ao˜

em Nuvem: SaaS, PaaS e

IaaS - Fonte [Ruschel et al. 2010]. Adaptado pelo autor.

3.2.1. Infraestrutura como Servic¸o (IaaS)

Segundo [Sousa et al. 2009], o termo IaaS se refere a uma infraestrutura computacional

baseada em tecnicas ´ de virtualizac¸ao˜ de recursos de computac¸ao. ˜ Esta infraestrutura pode

escalar dinamicamente, aumentando ou diminuindo os recursos de acordo com as neces-

sidades das aplicac¸oes. ˜

Do ponto de vista de economia e aproveitamento do legado, ao

inves´ de comprar novos servidores e equipamentos de rede para a ampliac¸ao˜ de servic¸os,

pode-se aproveitar os recursos ociosos dispon´ıveis e adicionar novos servidores virtuais a`

infraestrutura existente de forma dinamica. ˆ

O principal objetivo do IaaS e´ tornar mais facil ´ e acess´ıvel o fornecimento de

recursos, tais como servidores, rede, armazenamento e outros recursos de computac¸ao˜

fundamentais para construir um ambiente de aplicac¸ao˜ sob demanda, que podem incluir

sistemas operacionais e aplicativos [Sousa et al. 2009].

O National Institute of Standards and Technology - NIST (em portugues: ˆ Instituto

Nacional de Padroes ˜ e Tecnologia), define que a Infraestrutura como servic¸o e´ a capaci-

dade de processamento, armazenamento, rede e outros recursos computacionais funda-

mentais fornecidos ao consumidor, permitindo a este, executar e ou implantar softwares

arbitrariamente que podem incluir aplicac¸oes ˜ e ate´ sistemas operacionais. O consumi-

dor nao˜ tem o controle da infraestrutura de nuvem subjacente, mas possui o controle das

aplicac¸oes ˜ implementadas. Segundo [Ruschel et al. 2010], o IaaS tambem´ e´ responsavel ´

por prover a infraestrutura necessaria ´ para o PaaS e o SaaS, pois traz consigo algumas

caracter´ısticas, como interface unica ´ para administrac¸ao˜ da infraestrutura, interac¸ao˜ com

hosts, switches, roteadores e demais suportes. O que torna poss´ıvel adicionar novos equi-

pamentos de forma simples e transparente. Ainda segundo o autor, o IaaS e´ economico, ˆ

levando em considerac¸ao˜ a nao-necessidade ˜ de aquisic¸ao˜ de novos servidores e equipa-

mentos de rede para a ampliac¸ao˜ de servic¸os.

3.2.2.

Plataforma como Servic¸o (PaaS)

[Mell and Grance 2011] definem que a plataforma como servic¸o (PaaS) e´ a capaci-

dade oferecida ao consumidor para que este possa implantar em uma infraestrutura de

Computac¸ao˜ em Nuvem, suas aplicac¸oes ˜ criadas e ou adquiridas usando linguagem de

programac¸ao, ˜ bibliotecas, servic¸os e ferramentas suportadas pelo provedor. O consumi-

dor nao˜ tem o controle da infraestrutura de nuvem subjacente, que inclui rede, servidores,

sistemas operacionais ou de armazenamento, mas possui o controle das aplicac¸oes ˜ imple-

mentadas e determinadas definic¸oes ˜ de configurac¸oes ˜ de hospedagem de aplicativos.

De acordo com [Sousa et al. 2009], a PaaS oferece uma infraestrutura de alto n´ıvel

de integrac¸ao˜ para implementar e testar aplicac¸oes ˜ na nuvem. Fornecendo um sistema

operacional, linguagens de programac¸ao˜ e ambientes de desenvolvimento de modo a au-

xiliar na implementac¸ao˜ de soluc¸oes ˜ de software, haja vista que esta contem´ ferramentas

de desenvolvimento e colaborac¸ao. ˜

  • 3.2.3. Software como Servic¸o (SaaS)

O modelo de SaaS proporciona softwares com propositos ´ espec´ıficos que sao˜ dispon´ıveis

para os usuarios ´ atraves´ da Internet. Os softwares sao˜ acess´ıveis a partir de varios ´ dis-

positivos do usuario ´ por meio de uma interface thin-client como um navegador web. No

SaaS, o usuario ´ nao˜ administra ou controla a infraestrutura subjacente, incluindo rede,

servidores, sistemas operacionais, armazenamento, ou mesmo as caracter´ısticas indivi-

duais da aplicac¸ao, ˜ exceto configurac¸oes ˜ espec´ıficas de utilizac¸ao˜ dos aplicativos. Com

isso, os desenvolvedores se concentram em inovac¸ao˜ e nao˜ na infraestrutura, levando ao

desenvolvimento rapido ´ de softwares [Sousa et al. 2009].

O SaaS e´ compreendido como a camada mais externa dentre os modelos apre-

sentados, sendo composta por aplicativos executaveis ´ no ambiente de Computac¸ao˜ em

Nuvem. Muitas das soluc¸oes ˜ existentes deste modelo no mercado nao˜ necessitam da

aquisic¸ao˜ de licenc¸as de utilizac¸ao, ˜ alem´ de possibilitar um ambiente colaborativo entre

os seus usuarios. ´

Dessa forma, o SaaS possibilita a reduc¸ao˜ de custos atraves´ da sua

aplicac¸ao˜ tanto em ambientes coorporativos como domesticos. ´

3.3. Modelos de Implantac¸ao˜

  • 3.3.1. Nuvem Publica ´

Segundo [Hill et al. 2013], uma nuvem publica, ´ como o proprio ´ nome indica, esta´ dis-

pon´ıvel para o publico ´ em geral e e´ gerido por uma organizac¸ao. ˜

A organizac¸ao˜

pode

ser um negocio, ´ a exemplo do Google, academica, ˆ um departamento governamental ou

ou alguma combinac¸ao˜ entre elas. O fornecedor de Cloud Computing detem´ e gere a

infraestrutura de nuvem.

De acordo com [Mell and Grance 2011], a infraestrutura de nuvem publica ´

e´ dis-

ponibilizada para uso aberto ao publico ´

em geral.

3.3.2.

Nuvem privada

Segundo [Veras and Tozer 2012], uma nuvem privada compreende em uma infraestrutura

de Computac¸ao˜ em Nuvem operada e quase sempre gerenciada pela organizac¸ao˜ cliente.

Todos os servic¸os disponibilizados nesse modelo de implantac¸ao˜ sao˜ oferecidos para se-

rem utilizados pela propria ´ organizac¸ao˜ e nao˜ se encontram dispon´ıveis para o publico ´

em geral. De acordo com o [Mell and Grance 2011], a infraestrutura de nuvem privada

oferece servic¸os e recursos para uso exclusivo de uma unica ´ organizac¸ao, ˜ compreendendo

varios ´ consumidores (por exemplo, unidades de negocio). ´ Podendo ser de propriedade de

uma organizac¸ao, ˜ um terceiro, ou alguma combinac¸ao˜ entre eles, sendo gerida e operada

por estes Esta infraestrutura se encontra presente ou nao˜ dentro da organizac¸ao. ˜

´

  • 3.3.3. Nuvem Comunitaria

A infraestrutura de nuvem comunitaria ´ define um modelo de tecnologia na nuvem que per-

mite grupos com interesses em comum compartilhar de seus servic¸os e recursos. Nuvens

comunitarias ´ sao˜ modelos de Computac¸ao˜ em Nuvem que fornecem recursos para um

determinado numero ´ de pessoas que possuem interesses ou que compartilham uma causa

em comum. Este modelo se assemelha muito as` redes de colaborac¸ao˜ entre organizac¸oes ˜

academicas ˆ e de investigac¸ao˜ com a finalidade de criar e ou realizar experimentos ci-

ent´ıficos em grande escala. Este modelo e´ mantido e gerido por um ou mais colaboradores

na comunidade [Hill et al. 2013].

  • 3.3.4. Nuvem H´ıbrida

O modelo de implantac¸ao˜ h´ıbrido se baseia na junc¸ao˜ entre nuvens publicas ´ e privadas.

Possuem comportamentos inerentes as suas respectivas propostas porem´ podem oferecer

os benef´ıcios existentes em ambos os modelos. [Hill et al. 2013] afirma que as nuvens

h´ıbridas sao˜ formadas quando mais de um tipo de infraestrutura de Computac¸ao˜ em Nu-

vem e´ utilizada para uma situac¸ao˜ particular. Por exemplo, a organizac¸ao˜ pode utilizar a

nuvem publica para alguns aspectos de seus negocios, ´ alem´ de possuir uma nuvem privada

sob seu dom´ınio para o armazenamento de dados importantes. Para [Zhang et al. 2010],

as nuvens h´ıbridas oferecem uma maior flexibilidade pois utilizam os conceitos existen-

tes em dois modelos de implantac¸ao˜ distintos. Especificamente, elas provemˆ um controle

mais r´ıgido nos aspectos de seguranc¸a sobre os dados de aplicativos em comparac¸ao˜ as

nuvens publicas ´ alem´ de facilitar contratac¸ao˜ e expansao˜ dos servic¸os sob-demanda. En-

tretando, projetar uma nuvem h´ıbrida requer estudos e cuidados para determinar a melhor

separac¸ao˜ entre os componentes de nuvens publicas ´ e privadas.

4. Metodologia

O desenvolvimento deste artigo requer um estudo sobre as caracter´ısticas da tecnologia

de Computac¸ao˜ em Nuvem bem como a sua aplicac¸ao˜ em uma estrutura organizacional,

visando a reduc¸ao˜ dos custos envolvidos na implantac¸ao˜ e manutenc¸ao˜ em relac¸ao˜ as`

soluc¸oes ˜ existentes no cenario ´ avaliado.

O universo de estudo no qual ira´ se desenvolver o trabalho sera´ a Secretaria

Municipal da Fazenda de Feira de Santana - Bahia, em especial o Departamento de

Administrac¸ao˜ Tributaria ´ (DAT).

A Secretaria Municipal da Fazenda de Feira de Santana e´ responsavel ´ pelos

servic¸os referentes a` arrecadac¸ao, ˜ fiscalizac¸ao˜ e orientac¸ao˜ tributaria ´ alem´ de realizar a

execuc¸ao˜ orc¸amentaria ´ e financeira do munic´ıpio de Feira de Santana. As atribuic¸oes ˜ do

DAT referem-se ao cadastramento e lanc¸amento de imoveis ´ e fiscalizac¸ao˜ da d´ıvida ativa.

Para a realizac¸ao˜ deste trabalho sera´ utilizado o metodo ´ de documentac¸ao˜ indireta,

na qual o levantamento dos dados baseia-se em documentac¸oes ˜ preexistentes como, por

exemplo, bibliografias, revistas, livros dentre outros.

[Lakatos and Andrade Marconi Marconi 2010] afirmam que a coleta de dados ba-

seada em documentac¸ao˜ indireta e´ a fase da pesquisa realizada com o intuito de recolher

informac¸oes ˜ previas ´ sobre o campo de interesse. Alem´ da utilizac¸ao˜ de documentac¸ao˜

indireta, sera´ utilizado tambem´ o metodo ´ de documentac¸ao˜ direta. Com o aux´ılio de

entrevistas como tecnica ´ de analise, ´ adotando um roteiro previamente estabelecido com

perguntas predeterminadas, aplicadas aos profissionais que estiverem em contato com a

tecnologia implementada, de modo a avaliar o grau de satisfac¸ao˜ e usabilidade do produto

em questao. ˜

Ainda de acordo com [Lakatos and Andrade Marconi Marconi 2010], a pesquisa

bibliografica, ´ ou de fontes secundarias, ´ abrange toda bibliografia ja´ tornada publica ´ em

relac¸ao˜ ao tema de estudo, desde publicac¸oes ˜ avulsas, boletins, jornais, revistas, livros,

pesquisas, monografias, teses, material cartografico ´ etc., ate´ meios de comunicac¸ao˜ orais:

radio, ´

gravac¸oes ˜ em fita magnetica ´

e audiovisuais: filmes e televisao. ˜

Sua finalidade

e´ colocar o pesquisador em contato direto com tudo o que foi escrito, dito ou filmado

sobre determinado assunto, inclusive conferencias ˆ seguidas de debates que tenham sido

transcritos por alguma forma, quer publicadas, quer gravadas.

Para a analise ´ da aplicabilidade da tecnologia, sera´ realizado um experimento da

utilizac¸ao˜ desta com os funcionarios ´ lotados no Departamento de Administrac¸ao˜ Tri-

butaria ´ com o intuito de, apos´ a averiguac¸ao˜ dos resultados obtidos, realizar uma pos-

terior adoc¸ao˜

das soluc¸oes ˜

estudadas em todos os departamentos presentes neste org ´ ao˜

municipal.

Para a conclusao˜

deste trabalho, serao˜

apresentados os conceitos abordados para

a tematica ´ do estudo, implantac¸ao, ˜ bem como a avaliac¸ao˜ dos resultados obtidos com a

utilizac¸ao˜ das ferramentas adotadas, atraves´ de um questionario ´ aplicado aos usuarios. ´

4.1. Populac¸ao/Amostra ˜

Segundo [Lakatos and Andrade Marconi Marconi 2010], universo ou populac¸ao˜ e´ o con-

junto de seres que apresentam pelo menos uma caracter´ıstica comum e sua delimitac¸ao˜

consiste em explicitar que pessoas, coisas ou fenomenos ˆ serao˜ pesquisados, enumerando

suas caracter´ısticas comuns.

A populac¸ao˜ objeto deste estudo corresponde a dez funcionarios ´ lotados no De-

partamento de Administrac¸ao˜ Tributaria ´ da Secretaria Municipal da Fazenda de Feira de

Santana, de faixa etaria ´ entre 21 e 55 anos, que possuem conhecimentos basicos ´ acerca

de operac¸ao˜ de microcomputadores e utilizac¸ao˜ de ferramentas de desenho auxiliado por

computador.

4.2. Questionario ´ Aplicado

O questionario ´

aplicado na pesquisa de avaliac¸ao˜ da usabilidade atribui pontuac¸oes ˜

de 1 a 5 para cada item avaliado conforme a escala de Likert, que de acordo

com [Seward and Doane 2014], e´ um tipo de escala intervalar utilizada com bastante

frequencia ˆ em pesquisas investigativas. Esta escala requer que os entrevistados indiquem

seu grau de concordancia ˆ ou discordancia ˆ com as declarac¸oes ˜ relativas a` atitude que esta´

sendo medida.

5 Concordo Plenamente;

4 Concordo;

3 Neutro;

2 Discordo;

1 Discordo Plenamente.

Segundo [Kothari 2004], esta tecnica ´ atribui um valor de escala para cada uma das

cinco respostas produzindo uma pontuac¸ao˜ total de cada entrevistado, o que resultaria na

medida mais favoravel ´ do entrevistado em direc¸ao˜ ao ponto de vista dado. Por exemplo,

caso o aparelho de questionamento seja composto de 30 declarac¸oes, ˜ os seguintes valores

de pontuac¸ao˜

seriam observados:

30 x 5 = 150. Resposta mais favoravel ´

poss´ıvel;

30 x 3 = 90. Uma atitude neutra;

30 x 1 = 30. Atitude mais desfavoravel. ´

[Kothari 2004] reitera que, se o resultado da observac¸ao˜

do questionario ´

passa a

ser acima de 90, demonstra parecer favoravel ´ do ponto de vista dado, uma pontuac¸ao˜

abaixo de 90 significaria parecer desfavoravel ´ e uma pontuac¸ao˜ de exatamente 90 seria

considerada uma atitude neutra referente ao objeto de estudo.

[Schffer 2004] afirma que, atraves´ das respostas obtidas a esta escala, o individuo

expressa nao˜

somente a sua atitude favoravel ´

ou contra o objeto de analise, ´

mas tambem, ´

ate´ que ponto discorda ou concorda dentro da sequencia ˆ

de intensidade da resposta.

No que se refere a interpretac¸ao˜

dos dados, [Schffer 2004] define que alto escore

na escala Likert indica alta aceitac¸ao˜

dos padroes ˜

comportamentais que expressam a ati-

tude relevada nas afirmac¸oes ˜

da escala; os baixos escores indicam o oposto.

5. Implantac¸ao˜

De modo a avaliar o experimento proposto neste projeto, foram utilizadas duas ferra-

mentas de software voltadas as` atividades pertinentes ao Departamento de Administrac¸ao˜

Tributaria. ´

Dentre estas ferramentas estao˜ um conjunto de aplicativos para escritorio ´

que contem´ programas como processador de texto, planilha de calculo ´ e apresentado-

res graficos, ´ alem´ de uma soluc¸ao˜ CAD (Computer Aided Desing - Desenho Auxiliado

por Computador), que segundo [Kayatt 2013], define um processo de projeto de desenho,

que utilizam recursos graficos ´ computacionais, atraves´ de um software de apoio, de modo

a auxiliar na resoluc¸ao˜ de problemas referentes ao projeto em questao. ˜

Possuindo suas estruturas baseadas no paradigma da nuvem, estes softwares per-

mitem que seus usuarios ´ os manipulem a qualquer momento entre qualquer plataforma

computacional, seja ela movel ´ ou desktop, bastando apenas acessar o enderec¸o do seu

web-site correspondente.

Anterior ao processo de implantac¸ao˜

das aplicac¸oes, ˜

foram observados os requisi-

tos de sistemas definidos pelos desenvolvedores destes softwares e os recursos computaci-

onais presentes no Departamento de Administrac¸ao˜ Tributaria, ´ com o objetivo de permitir

que as ferramentas utilizadas possam ser executadas com o maximo ´ de eficiencia. ˆ

Por se tratar de uma ferramenta presente em uma arquitetura computacional na

nuvem, a sua utilizac¸ao˜ nao˜ requer uma estrutura de hardware robusta para a execuc¸ao˜ de

suas aplicac¸oes, ˜ pois todo o processamento e´ realizado atraves´ da infraestrutura disponi-

bilizada pelo provedor deste servic¸o. Tendo em vista esta particularidade proporcionada

pela tecnologia, os requisitos de sistema para o AutoCad 360 e Google Docs sao˜ apresen-

tados nas Tabelas 1 e 2 respectivamente.

Tabela 1. Requisitos de sistema - Software Google Docs - Fonte [Google 2015]

 

Windows XP ou superior;

Sistema Operacional

Mac OS Lion 10.7 ou superior;

Linux.

 

Google Chrome;

Navegadores

Mozilla Firefox;

Apple Safari (Nao˜

suportado em plataformas da Microsoft);

 

Microsoft Internet Explorer

Conexao˜

com Internet

Banda larga (512 Kbps recomendada)

Tabela

2.

Requisitos

de

sistema

-

Software

AutoCAD

2015

-

Fonte

[AutoDesk 2015]

 
     

Windows XP ou superior;

   

Sistema Operacional

Mac OS Maverick ou superior;

Linux

   

Google Chrome 29 ou posterior;

 

Navegadores

Mozilla Firefox 19 ou superior;

Apple Safari 5.1 ou superior.

Conexao˜

com Internet

 

Banda Larga (512 Kbps recomendada)

 

De modo a utilizar todas as funcionalidades dispon´ıveis em ambas as aplicac¸oes, ˜

faz-se necessaria ´ a realizac¸ao˜ do registro de conta de usuario ´ nestes sistemas. Para isto,

foi utilizado um perfil de credencial conhecido por todos aqueles presentes no setor de

trabalho.

Apos´ a realizac¸ao˜ do cadastro e posterior acesso aos sistemas, foram apresentados

os seus recursos dispon´ıveis. As aplicac¸oes ˜

avaliadas exibem, em sua tela inicial, opc¸oes ˜

referentes a` criac¸ao, ˜ edic¸ao, ˜ exclusao˜ de arquivos e pastas, realizac¸ao˜ do carregamento

de arquivos. Alem´ desses recursos, e´ poss´ıvel a utilizac¸ao˜ em forma colaborativa de

documentos e projetos, bastando apenas inserir as informac¸oes ˜ da pessoa na qual se deseje

compartilhar determinado recurso.

Os recursos espec´ıficos presentes em cada um dos softwares tambem´ tiveram uma

abordagem explicativa, a exemplo do AutoCad 360, onde foram demonstrados como e´

realizado o calculo ´ do comprimento, metragem quadrada e per´ımetro dos projetos ana-

lisados. Todas as funcionalidades existentes nas soluc¸oes ˜ de softwares utilizadas foram

apresentadas aos funcionarios ´ atraves´ de um breve treinamento, destacando os recursos

que serao˜ utilizados com maior frequencia ˆ nas atividades desenvolvidas no departamento.

6. Resultados Obtidos

O estudo baseia-se na adoc¸ao˜ de soluc¸oes ˜ de softwares, vantajosa economicamente no

cenario ´ estudado, pertencentes ao paradigma computacional de Computac¸ao˜ em Nuvem

que atendam aos requisitos dos funcionarios ´

do DAT, frente as` opc¸oes ˜ existentes no mer-

cado que utilizam uma plataforma proprietaria, ´ necessitando de disponibilizac¸ao˜ de capi-

tal financeiro para a sua aquisic¸ao. ˜

Dentre os softwares escolhidos para a analise, ´ estao˜ aqueles que pertencem ao

novo arquetipo ´ computacional de infraestrutura em nuvem, o AutoCad 360 e o Google

Docs. Desenvolvido pela empresa AutoDesk, o AutoCAD 360 e´ um software livre CAD

que permite visualizar, editar e compartilhar desenhos entre smartphones, tablets ou com-

putadores convencionais. Ja´ o Google Docs, pacote de aplicativos desenvolvidos pela Go-

ogle, e´ composto atualmente de um processador de texto, um editor de apresentac¸oes, ˜ um

editor de planilhas e um editor de formularios. ´

Possui compatibilidade com o Microsoft

Office, OpenOffice.org/BrOffice.org e KOffice. Ambas as soluc¸oes ˜ apresentadas possuem

seu funcionamento totalmente on-line atraves´ de um browser.

Para os softwares pertencentes as` plataformas proprietarias, ´ foi realizada uma pes-

quisa de mercado com o objetivo de conhecer os custos envolvidos na aquisic¸ao˜ das se-

guintes soluc¸oes: ˜

AutoCad 2015, um software do tipo CAD, utilizado principalmente para a

elaborac¸ao˜ de pec¸as de desenho tecnico ´ em duas dimensoes ˜ (2D) e para criac¸ao˜

de modelos tridimensionais (3D). Amplamente utilizado em arquitetura, design de

interiores e nas engenharias (civil, mecanica, ˆ eletrica, ´ geografica) ´ e tambem´ em

varios ´ outros ramos industriais;

ZwCAD+ 2015 Professional, soluc¸ao˜

alternativa para usuarios ´

CAD totalmente

compat´ıvel com formatos de arquivos e padroes ˜

existentes no mercado;

Su´ıte de aplicativos da Microsoft pertencentes ao pacote Office 2013, contendo

processadores de textos, planilhas de calculos, ´ apresentac¸oes ˜ graficas, ´ gerencia-

dores de e-mail e contato dentre outras.

 

De modo a averiguar a aceitac¸ao˜

e o grau de satisfac¸ao˜

por parte dos usuarios ´

em

relac¸ao˜

as` ferramentas de softwares utilizadas, foi aplicado um questionario ´

com o obje-

tivo de avaliar o n´ıvel de usabilidade destas ferramentas no contexto de trabalho existente

no Departamento de Administrac¸ao˜

Tributaria. ´

 
 

A analise ´

da usabilidade visa conhecer as expectativas que os usuarios ´

possuem a

respeito de suas experiencias ˆ

na utilizac¸ao˜

de sistemas de softwares. Um produto possui

uma boa usabilidade quando, em sua utilizac¸ao, ˜

proporciona aos seus usuarios ´

atingirem

 

seus objetivos com eficiencia ˆ

e satisfac¸ao. ˜

Segundo [Nielsen 1994], a usabilidade se resume basicamente em saber se o sis-

tema e´ bom o suficiente para satisfazer todas as necessidades e requisitos dos usuarios. ´

Ainda de acordo com [Nielsen 1994], a usabilidade nao˜ e´ tratada como unica ´ propriedade

na verificac¸ao˜ da aceitac¸ao˜ de um sistema por parte de seus utilizadores, ela esta´ associada

a alguns atributos que compoem˜

o conceito de usabilidade, que sao: ˜

Facilidade de aprendizagem: O sistema precisa ser facil ´ de aprender de forma

que o usuario ´ possa rapidamente comec¸ar a interagir. [Nielsen 1994] define como

o mais importante atributo de usabilidade, pois esta´ relacionado a` primeira ex-

periencia ˆ que qualquer usuario ´ tem com um sistema;

Eficiencia ˆ : O sistema precisa ser eficiente no uso, de forma que, uma vez apren-

dido, o usuario ´ tenha um n´ıvel elevado de produtividade;

Facilidade de relembrar: A forma de utilizac¸ao˜ do sistema precisa ser facil ´ de

relembrar. Assim, quando o usuario ´ retornar depois de certo tempo, sabera´ como

usa-lo ´ sem ter que aprender novamente como utiliza-lo; ´

Erros: Erro e´ definido como uma ac¸ao˜ que nao˜ leva ao resultado esperado. O

sistema precisa ter uma pequena taxa de erros, ou seja, o usuario ´ nao˜ pode cometer

muitos erros durante o seu uso;

Satisfac¸ao˜ subjetiva: Os usuarios ´ devem gostar do sistema e devem ficar satisfei-

tos ao usa-lo. ´

Dessa forma, para compor o questionario ´

aplicado aqueles `

que mantiveram con-

tato com as aplicac¸oes ˜

propostas neste trabalho, foram utilizadas perguntas que avaliam

os conceitos de usabilidade de um produto de software. Como por exemplo:

“Este software me ajuda a ser mais produtivo”;

“Ele requer o menor numero ´ de etapas poss´ıveis para realizar uma tarefa es-

 

pec´ıfica”;

“Eu lembro facilmente como usa-lo”; ´

 

“Eu aprendi a usa-lo ´ rapidamente”;

“Eu nao˜

detecto quaisquer incoerencias ˆ

em como usa-lo”; ´

´

“ E facil ´

usar este software”.

A Figura 2 apresenta os resultados obtidos no questionario ´ de usabilidade apli-

cado aos usuarios ´ do Departamento de Administrac¸ao˜ Tributaria ´ no que diz respeito a`

utilizac¸ao˜ da ferramenta AutoCad 360. A partir da analise ´ dos resultados e´ poss´ıvel perce-

ber uma boa aceitac¸ao˜ do software proposto, tendo em vista que 67% das perguntas acerca

do produto avaliado receberam um conceito de concordancia ˆ positivo, caracterizando um

parecer favoravel ´ a` utilizac¸ao˜ desta ferramenta no contexto de trabalho da repartic¸ao˜ de

acordo com as experiencias ˆ vivenciadas pelos usuarios. ´ Menos da metade, 31%, conside-

raram a mudanc¸a neutra e apenas 2%, percentual bastante ´ınfimo das respostas, obtiveram

um conceito de discordancia ˆ com relac¸ao˜ ao novo metodo ´ de trabalho.

Os resultados referentes a` utilizac¸ao˜

do software Google Docs sao˜ exibidos na

´

Figura 3. E poss´ıvel perceber um equil´ıbrio entre uma atitude neutra e uma aceitac¸ao˜

po-

sitiva referente ao objeto de estudo, levando ao entendimento de que a ferramenta nao˜ pro-

porcionou recursos vantajosos perante a existente, mas tambem´ nao˜ desagradou aqueles `

que a utilizaram. O somatorio ´ referente a uma avaliac¸ao˜ positiva da usabilidade do soft-

ware corresponde a 48% as` premissas abordadas no questionario. ´

A avaliac¸ao˜ neutra

Figura 2. Resultado da pesquisa interna de satisfac¸ao˜ Fonte: Propria. ´ - Software AutoCad 360 -

Figura 2. Resultado da pesquisa interna de satisfac¸ao˜

Fonte: Propria. ´

- Software AutoCad 360 -

Figura 2. Resultado da pesquisa interna de satisfac¸ao˜ Fonte: Propria. ´ - Software AutoCad 360 -

Figura 3. Resultado da pesquisa interna de satisfac¸ao˜

Fonte: Propria. ´

- Software Google Docs -

´

E importante ressaltar que alguns dos usuarios ´

entrevistados tiveram problemas

referentes a` falta de conectividade com a rede e por consequencia, ˆ a` Internet, o que im-

possibilitou a utilizac¸ao˜ momentanea ˆ da aplicac¸ao˜ AutoCad 360. Entretanto, o Google

Docs possui um recurso de edic¸ao˜ de arquivos off-line capaz de contornar este impedi-

mento ate´ o restabelecimento dos servic¸os de rede. A conectividade com a Internet se

torna um recurso indispensavel ´ para a utilizac¸ao˜ de soluc¸oes ˜ de Computac¸ao˜ em Nuvem,

porem´ muitas destas promovem artif´ıcios de modo a solucionar este problema, nao˜ im-

pactando em atrasos das atividades realizadas.

Por se tratar de eventos nao˜

corriqueiros na repartic¸ao, ˜

nao˜

e´ poss´ıvel determinar

que a falta de conectividade seja um impeditivo para a nao˜

utilizac¸ao˜

da tecnologia.

Nao˜

obstante os benef´ıcios relacionados a` adoc¸ao˜

da Cloud Computing ja´ rela-

tados, o fator economico ˆ deve ser ressaltado, uma vez que este se trata de um aspecto

definidor a` adoc¸ao˜ de uma tecnologia na maioria dos casos.

Com o objetivo de calcular a economia gerada atraves´ da migrac¸ao˜ de uma pla-

taforma de software proprietaria ´ para uma plataforma disponibilizada de maneira gra-

tuita na nuvem, foram realizadas estimativas de gastos atraves´ de orc¸amentos tanto para a

obtenc¸ao˜ das licenc¸as de utilizac¸ao˜ dos produtos quanto para a compra de maquinario ´ de

hardware que suporte a execuc¸ao˜ das aplicac¸oes ˜ desejadas.

Na Tabela 3, sao˜ exibidos os custos referentes a` aquisic¸ao˜ da soluc¸ao˜ de CAD

desenvolvida pela empresa Autodesk, o AutoCad 2015 New SLM ELD WIN:

Tabela 3. Custos de licenciamento - Software AutoCad 2015 New SLM ELD WIN -

Fonte: Propria. ´

Descric¸ao˜

do Produto

Quantidade

´

Valor Unitario

Valor Total

AutoDesk AutoCad 2015 New

     

SLM ELD WIN

  • 3 R$ 17.797,50

R$ 53.392,50

AutoDesk AutoCad Maintenance

     

Subscription

  • 3 R$ 8.319,87

R$ 24.959,61

(36 meses)

Na Tabela 4, e´ exibido a despesa envolvendo a aquisic¸ao˜

da segunda opc¸ao˜

de soft-

ware para desenho assistido por computador fabricado pela empresa ZwSoft, o ZwCAD+

  • 2015 Professional:

Tabela 4. Custo de licenciamento - Software ZwCad+ 2015 Professional - Fonte:

Propria. ´

Descric¸ao˜

do Produto

Quantidade

´

Valor Unitario

Valor Total

ZwSoft ZwCAD+ 2015 Professional

3

R$ 3.371,00

R$ 10.113,00

´

E importante salientar que, no processo de aquisic¸ao˜

de um software, os requisitos

de sistema devem ser observados atentamente, pois e´ atraves´ dessas exigencias ˆ que os

fabricantes de sistemas de software podem garantir o correto funcionamento e a completa

utilizac¸ao˜ dos recursos presentes em seus produtos. As Tabelas 5 e 6 apresentam os

requisitos de sistema para os softwares AutoCad 2015 New SLM ELD WIN e ZwCAD+

  • 2015 Professional respectivamente.

Tabela 5. Requisitos de Sistema - Software AutoCad 2015 New SLM ELD WIN -

Fonte: [AutoDesk 2015]

 

Requisitos de Sistema para o AutoDesk AutoCad 2015

 

New SLM ELD WIN

Sistema Operacional

Microsoft R Windows R 7 Home Premium ou superior

 

Para 32-bits: Intel R Pentium R 4 ou AMD Athlon TM

Processador

Dual Core, 3.0 GHz ou superior com tecnologia SSE2,

Para 64-bits: Intel R Xeon/Pentium R 4 com suporte a

 

EM64T ou AMD Athlon TM 64/Opteron com tecnologia SSE2

Memoria ´

  • 2 GB. (8 GB recomendado).

Placa de V´ıdeo

Placa de v´ıdeo compat´ıvel com DirectX R 9

(DirectX 11 com 1 GB de memoria ´

recomendado).

Espac¸o em Disco

  • 6 GB

Resoluc¸ao˜

de V´ıdeo

1024 x 768 (recomendado 1600x1050) com True Color

Tendo em vista os requisitos de sistema solicitados para a execuc¸ao˜ das aplicac¸oes ˜

supracitadas, se faz necessario ´ a obtenc¸ao˜ de microcomputadores de configurac¸oes ˜ mais

espec´ıficas. Para atender os requisitos, foi orc¸ado um computador com processador

Intel R Core TM i5, sistema operacional Windows 8.1 64-bits, 8 GB de memoria ´ RAM

Tabela 6. Requisitos de Sistema - Software ZwCad+ 2015 Professional - Fonte:

[ZwSoft 2015]

 

Requisitos de Sistema para o ZwSoft ZwCAD+ 2015

 

Professional

Sistema Operacional

Microsoft R Windows R 7 Home Premium ou superior

Processador

Intel R Core TM 2 Duo ou AMD R Athlon TM X2 CPU

ou superior

Memoria ´

  • 2 GB ou superior.

Placa de V´ıdeo

  • 1 GB ou superior.

Espac¸o em Disco

  • 6 GB

 

1440x900 auxiliada atraves´ de uma GPU nVidia 8 series ou

Resoluc¸ao˜

de V´ıdeo

Radeon HD series ou superior.

SDRAM DDR3 a 1600 MHz, disco r´ıgido de 1 TB SATA (7200 RPM) e placa de v´ıdeo

nVidia GeForce GT 720 1GB DDR3. O custo do equipamento e´ de R$ 2.899,00, sendo

necessaria ´

a aquisic¸ao˜

de tresˆ unidades, totalizando R$ 8.697,00.

Para o caso da su´ıte de aplicativos Microsoft Office Professional 2013, temos no-

vos custos a considerar. A Tabela 7 apresenta estes valores.

Tabela 7. Custo de licenciamento - Software Microsoft Office Professional 2013 -

Fonte: Propria. ´

Descric¸ao˜

do Produto

Quantidade

´

Valor Unitario

Valor Total

Microsoft Office Professional 2013

10

R$ 1.499,00

R$ 14.990,00

Em valores absolutos, a economia real, levando em considerac¸ao˜ as aquisic¸oes ˜

da su´ıte de aplicativos da Microsoft, da soluc¸ao˜ de software da Autodesk, do pacote de

recursos, do suporte extra por 36 meses e do hardware computacional compat´ıvel com os

requisitos dos sistemas, sao˜ apresentados na Tabela 8.

Tabela 8. Economia real de acordo com os custos envolvidos na aquisic¸ao˜ do

Microsoft Office 2013/ Licenciamento do software AutoCad 2015/ Aquisic¸ao˜ de

computadores - Fonte: Propria. ´

 

Descric¸ao˜

do Produto

Valor

Custo do licenciamento do pacote Microsoft Office Professional 2013

R$ 14.990,00

Custo do licenciamento do software AutoDesk AutoCad

 
 

2015 New SLM ELD WIN

R$ 53.392,50

Custo do AutoDesk AutoCad Maintenance Subscription

R$ 24.959,61

 

(36 meses)

Custo com aquisic¸ao˜

de computadores com requisitos de hardwares

R$ 8.697,00

 

espec´ıficos

 

Total

R$ 102.039,11

Utilizando a segunda opc¸ao˜

de software CAD avaliado, o ZwCAD+ 2015 Profes-

Tabela 9. Economia real de acordo com os custos envolvidos na aquisic¸ao˜ do

Microsoft Office 2013/ Licenciamento do software ZwCAD+ 2015/ Aquisic¸ao˜ de

computadores - Fonte: Propria. ´

 

Descric¸ao˜

do Produto

Valor

Custo do licenciamento do pacote Microsoft Office Professional 2013

R$ 14.990,00

Custo do licenciamento do software ZwSoft ZwCAD+

 
 

2015 Professional

R$ 10.113,00

Custo com aquisic¸ao˜

de computadores com requisitos de hardwares

R$ 8.697,00

 

espec´ıficos

 

Total

R$ 33.800,00

Dessa forma, foram observados os resultados positivos obtidos atraves´ do ques-

tionario ´ aplicado a` analise ´ de usabilidade das soluc¸oes ˜ alternativas de softwares presentes

em uma infraestrutura de nuvem bem com os custos envolvidos na aquisic¸ao˜ de ferramen-

tas provenientes de plataformas proprietarias. ´

´

E poss´ıvel afirmar que estas soluc¸oes ˜

alternativas de softwares sao˜ capazes de

suprimir as necessidades presentes no Departamento de Administrac¸ao˜ Tributaria ´ no que

se refere aos seus procedimentos internos, nao˜ prejudicando o andamento das atividades

executadas pela repartic¸ao. ˜

As soluc¸oes ˜ de softwares avaliadas, AutoCad 360 e o Google Docs, demonstraram

ser um grande atrativo economico ˆ para a Secretaria Municipal da Fazenda de Feira de

Santana, considerando-se que nao˜ existem custos envolvidos na obtenc¸ao˜ de licenc¸as de

utilizac¸ao, ˜ estando dispon´ıveis gratuitamente a qualquer momento atraves´ da Internet.

Outro ponto que merece destaque e´ a nao˜

obtenc¸ao˜

de maquinario ´

computacional

de grande porte, haja vista que todo o processamento requerido das aplicac¸oes ˜

observadas

e´ realizado na estrutura interna de seus provedores, proporcionando ao usuario ´

final utili-

zar um hardware com baixo poder de processamento para a execuc¸ao˜

das funcionalidades

presentes no sistema.

7. Conclusao˜

Este trabalho de pesquisa objetivou a adoc¸ao˜ de ferramentas e soluc¸oes ˜ presentes em uma

arquitetura de Computac¸ao˜ em Nuvem de modo a prover reduc¸oes ˜ de custos referentes

a aquisic¸ao˜ de softwares e licenc¸as de utilizac¸ao˜ por parte da Secretaria Municipal da

Fazenda de Feira de Santana.

Atraves´ da realizac¸ao˜

de um estudo de caso exploratorio ´

realizado neste org ´ ao˜

mu-

nicipal e uma analise ´ qualitativa a partir de entrevistas com alguns de seus funcionarios, ´

em especial os que se encontram lotados no Departamento de Administrac¸ao˜ Tributaria, ´

foi poss´ıvel concluir que a adoc¸ao˜ de ferramentas CAD, processadores de textos e plani-

lhas eletronicas ˆ providas em um ambiente computacional na nuvem, para a execuc¸ao˜ de

tarefas pertinentes ao setor, podem ser utilizados de maneira satisfatoria ´ sem o compro-

metimento da produc¸ao˜ no departamento. O conceito abordado pela tecnologia apresenta

uma camada que tem por finalidade abstrair toda uma plataforma computacional, tor-

nando transparentes aos seus usuarios ´ os servic¸os por ela fornecidos.

Foi observada tambem´ a magnitude dos resultados economicos ˆ proporcionados

pela adoc¸ao˜

desta modalidade de software como servic¸o em relac¸ao˜

ao modelo tradicional

proprietario, ´

proporcionando um diferencial competitivo para as organizac¸oes. ˜

De um modo geral, o modelo de Computac¸ao˜ em Nuvem traz uma serie ´ de be-

nef´ıcios para as empresas no que se diz respeito a reduc¸ao˜ de custos envolvidos na

implantac¸ao˜ e manutenc¸ao˜ de uma infraestrutura de tecnologia da informac¸ao, ˜ eliminando

a necessidade de compra de hardwares robustos e aquisic¸ao˜ de licenc¸as de software. O

que a torna uma ferramenta escalonavel, ´ de alta performance, dispon´ıvel a qualquer mo-

mento e com um custo acess´ıvel, alem´ de possibilitar um aumento na produtividade e

rentabilidade das organizac¸oes ˜ permitindo com que estas mantenham o foco no desenvol-

vimento de novas soluc¸oes ˜ tecnologicas. ´

Como trabalhos futuros pretende-se realizar estudos sobre a adoc¸ao˜ de ferramen-

tas dispon´ıveis atraves´ dos provedores de servic¸os na nuvem para a realizac¸ao˜ de ro-

tinas referentes a backup e recuperac¸ao˜ de dados, analisando seus custos e vantagens

sobre o atual modelo presente na organizac¸ao˜ (o backup e´ realizado atualmente atraves´

de fitas DDS-4 e unidades de discos r´ıgidos externos), tendo em vista aspectos nao˜ so-

mente economicos, ˆ mas tambem´ relacionados a` seguranc¸a, disponibilidade, integridade e

consistencia ˆ das informac¸oes, ˜ alem´ dos aspectos legais envolvidos na contratac¸ao˜ destes

servic¸os.

Referencias ˆ

AutoDesk

(2015).

System

requirements

for

autocad

2015.

http://knowledge.autodesk.com/support/autocad/

troubleshooting/caas/sfdcarticles/sfdcarticles/

System-requirements-for-AutoCAD-2015.html.

Buyya, R., Yeo, C. S., Venugopal, S., Broberg, J., and Brandic, I. (2009). Cloud compu-

ting and emerging it platforms: Vision, hype, and reality for delivering computing as

the 5th utility. Future Generation computer systems, 25(6):599–616.

Campanha, G. R., Oliveira, C. R. d., and Machado, I. L. (2012). Softwares livres nas

organizac¸oes ˜ publicas ´ no brasil: a implantac¸ao˜ do br office no tribunal regional do

trabalho da 4 a regiao˜ e no serpro. In Anais do Congresso Nacional Universidade, EAD

e Software Livre, volume 2.

Chaves, S. A. d., Uriarte, R. B., and Westphall, C. B. (2010). Implantando e monitorando

uma nuvem privada. In VIII Workshop em Clouds, Grids e Aplicac¸oes ˜

.

Gomes, A. L., Reis, G., Sorrentino, P., Roland, C. E., and de Oliveira, S. (2014). Sistema

de gestao˜ on-line-saas para pequenas empresas do ramo calc¸adista de franca/sp. Revista

Eletronica ˆ

de Sistemas de Informac¸ao˜

e de Gestao˜

Tecnologica ´

, 4(1).

Google (2015). Requirements for drive docs editors. https://support.google.

com/docs/answer/2375082?hl=en.

Hill, R., Hirsch, L., Lake, P., and Moshiri, S. (2013). Enterprise cloud computing. In

Guide to Cloud Computing, Computer Communications and Networks, pages 209–

222. Springer London.

Kayatt, F. (2013). Aplicac¸ao˜

Sciences Brazil.

dos Sistemas CAD/CAM na Odontologia. Elsevier Health

Kothari, C. (2004). Research Methodology: Methods and Techniques.

Lakatos, E. and Andrade Marconi Marconi, M. (2010). Fundamentos de metodologia

cient´ıfica. Atlas.

Marston, S., Li, Z., Bandyopadhyay, S., Zhang, J., and Ghalsasi, A. (2011). Cloud com-

puting—the business perspective. Decision Support Systems, 51(1):176–189.

Mell, P. and Grance, T. (2011). The nist definition of cloud computing.

Nascimento de Souza, T. d. and Costa, R. M. d. R. (2015). Adocao de cloud computing

como estrategia corporativa: Processo de migracao do servico de e-mail. Caderno de

Estudos em Sistemas de Informac¸ao˜ , 1(2).

Nielsen, J. (1994). Usability Engineering. Interactive Technologies. Elsevier Science.

Prado, E. P. V., Brito, B. A. S., and Cristianini, G. (2012). Adoc¸ao˜ da computac¸ao˜ em

nuvem em micro e pequenas empresas: Um estudo sobre escritorios ´ contabeis. ´

In

CONTECSI-International Conference on Information Systems and Technology Mana-

gement, volume 9, pages 4508–4522.

Ruschel, H., Zanotto, M. S., and MOTA, W. C. (2010). Computac¸ao˜

em nuvem. Pontif´ıcia

Universidade Catolica ´

do Parana, ´ Curitiba, Brazil.

Schffer, C. (2004). Tecnologia computacional e desenvolvimento cognitivo: estudo de

caso na formac¸ao˜

de psicologos ´

. Selo universidade: Psicologia. Annablume.

Seward, L. and Doane, D. (2014). Estat´ıstica Aplicada a` Administrac¸ao˜

4.ed.:.

e Economia -

Sousa, F. R., Moreira, L. O., and Machado, J. C. (2009). Computac¸ao˜

em nuvem: Con-

ceitos, tecnologias, aplicac¸oes ˜

e desafios. II Escola Regional de Computac¸ao˜

Ceara, ´

Maranhao˜ e Piau´ı (ERCEMAPI), pages 150–175.

Taurion, C. (2009). Cloud Computing-Computac¸ao˜ em Nuvem. Brasport.

Vecchiola, C., Chu, X., and Buyya, R. (2009). Aneka: a software platform for .net-based

cloud computing. High Speed and Large Scale Scientific Computing, pages 267–295.

Veras, M. and Tozer, R. (2012). Cloud Computing: nova arquitetura da TI. Brasport.

Zhang, Q., Cheng, L., and Boutaba, R. (2010). Cloud computing: state-of-the-art and

research challenges. Journal of internet services and applications, 1(1):7–18.

ZwSoft (2015). System requirements zwcad+, zwcad mechanical and zwcad arquitecture.

http://www.zwsoft.com/br/zwcad/ZWCAD_Overview/.