Você está na página 1de 87
BoasBoasBoasBoas PráticasPráticasPráticasPráticas dededede GestãoGestãoGestãoGestão emememem
BoasBoasBoasBoas PráticasPráticasPráticasPráticas dededede GestãoGestãoGestãoGestão emememem EmpreendimentosEmpreendimentosEmpreendimentosEmpreendimentos dededede
ConstruçãoConstruçãoConstruçãoConstrução CivilCivilCivilCivil

Engenheiro Giulliano Polito Diretor de Obras / Lorenge S/A.

CivilCivilCivilCivil Engenheiro Giulliano Polito Diretor de Obras / Lorenge S/A.
CivilCivilCivilCivil Engenheiro Giulliano Polito Diretor de Obras / Lorenge S/A.
CivilCivilCivilCivil Engenheiro Giulliano Polito Diretor de Obras / Lorenge S/A.

Gerenciamento de obras, Arte ou processo?

Gerenciamento de obras, Arte ou processo? Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Gerenciamento de obras, Arte ou processo? Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Gerenciamento de obras, Arte ou processo? Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Gerenciamento de obras, Arte ou processo? Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Introdução

• O aumento da competitividade no setor e o aumento da complexidade dos projetos em construção civil vêm exigindo das construtoras a adoção de melhores práticas de gestão.

das construtoras a adoção de melhores práticas de gestão . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
das construtoras a adoção de melhores práticas de gestão . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
das construtoras a adoção de melhores práticas de gestão . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

das construtoras a adoção de melhores práticas de gestão . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Introdução

desafios, peculiaridades e

especificidades dos projetos de construção civil predial tornam os frameworks atuais insuficientes para garantir o atingimentos dos objetivos propostos.

Os

para garantir o atingimentos dos objetivos propostos. Os Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
para garantir o atingimentos dos objetivos propostos. Os Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
para garantir o atingimentos dos objetivos propostos. Os Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

para garantir o atingimentos dos objetivos propostos. Os Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Introdução

• Principais desafios da construção Civil:

• Custo, prazo e qualidade são sempre restrições;

• Custo, prazo e qualidade são sempre restrições; • Stakeholders cada vez mais poderosos; Seminário

• Stakeholders cada vez mais poderosos;

são sempre restrições; • Stakeholders cada vez mais poderosos; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
são sempre restrições; • Stakeholders cada vez mais poderosos; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

são sempre restrições; • Stakeholders cada vez mais poderosos; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Introdução

• Principais desafios da construção Civil:

• Grande número de interdependências entre atividades;

• Necessidade

de

grande

velocidade de resposta;

atividades; • Necessidade de grande velocidade de resposta ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
atividades; • Necessidade de grande velocidade de resposta ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
atividades; • Necessidade de grande velocidade de resposta ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

atividades; • Necessidade de grande velocidade de resposta ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Introdução

• Principais desafios da construção Civil:

• Interfaces entre várias especialidades;

Civil: • Interfaces entre várias especialidades ; • Grande número de intervenientes . • Escassez de

• Grande

número

de

intervenientes.

• Escassez de quantidade e qualidade de MO.

de intervenientes . • Escassez de quantidade e qualidade de MO. Seminário Gerenciamento de Obras 26
de intervenientes . • Escassez de quantidade e qualidade de MO. Seminário Gerenciamento de Obras 26

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

de intervenientes . • Escassez de quantidade e qualidade de MO. Seminário Gerenciamento de Obras 26

• Principais desafios da construção Civil:

• Dificuldade na definição e controle do escopo;

Civil: • Dificuldade na definição e controle do escopo ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
Civil: • Dificuldade na definição e controle do escopo ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Civil: • Dificuldade na definição e controle do escopo ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Ciclo de vida

Viabilidade Desenvolvimento
Viabilidade
Desenvolvimento
Implantação Operação
Implantação
Operação
Estudo de Projet Projeto Assistênc Pré- Pré- Projeto Viabilidad o EP Executi Construção Entrega ia
Estudo de
Projet
Projeto
Assistênc
Pré-
Pré-
Projeto
Viabilidad
o
EP
Executi
Construção
Entrega
ia
orçamento
Executivo
LO
e Legal
vo
Técnica
Compra do
Bussiness
terreno
Case
Planejamento
Gerenciamento
do Produto
Gerenciamento
do Trabalho
Cria Valor
Adiciona Valor
Entrega Valor
Mantém Valor
Trabalho Cria Valor Adiciona Valor Entrega Valor Mantém Valor Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
Trabalho Cria Valor Adiciona Valor Entrega Valor Mantém Valor Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Trabalho Cria Valor Adiciona Valor Entrega Valor Mantém Valor Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
Referencial Teórico Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Referencial Teórico
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014
PDCA Tentativa e erro A D C P Fazendo a coisa certa.
PDCA
Tentativa e
erro
A
D C
P
Fazendo a
coisa certa.
PDCA Tentativa e erro A D C P Fazendo a coisa certa. Seminário Gerenciamento de Obras
PDCA Tentativa e erro A D C P Fazendo a coisa certa. Seminário Gerenciamento de Obras

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

PDCA Tentativa e erro A D C P Fazendo a coisa certa. Seminário Gerenciamento de Obras

PMBOK

GruposGrupos dede ProcessosProcessos
GruposGrupos dede ProcessosProcessos

Áreas de Conhecimento

Monitora Planejam Encerram Iniciação Execução mento e ento ento Controle
Monitora
Planejam
Encerram
Iniciação
Execução
mento e
ento
ento
Controle
Integração Escopo Tempo Custo Qualidade RH Comunicações Riscos Aquisições Segurança Meio Ambiente Claim
Integração
Escopo
Tempo
Custo
Qualidade
RH
Comunicações
Riscos
Aquisições
Segurança
Meio Ambiente
Claim
Financeiro
Define e
autoriza o
projeto
Define e refina
os objetivos e
planeja a ação
necessária
para alcançar
os objetivos
Integra
pessoas e
outros
recursos para
realizar o
plano de
gerenciamento
Mede e
monitora
regularmente
o progresso
para
identificar
variações em
relação ao
plano do
empreendimen
to, de forma
que sejam
tomadas
ações
corretivas
Formaliza a
aceitação do
produto e
conduz o
projeto a um
final ordenado
aceitação do produto e conduz o projeto a um final ordenado Seminário Gerenciamento de Obras 26
aceitação do produto e conduz o projeto a um final ordenado Seminário Gerenciamento de Obras 26

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

aceitação do produto e conduz o projeto a um final ordenado Seminário Gerenciamento de Obras 26
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Lean Construction

• O modelo Lean Construction entende a produção como um fluxo de materiais constituído por atividades de transporte, espera, processamento e inspeção, sendo que as atividades de transporte, espera e inspeção não agregam valor ao produto final.

espera e inspeção não agregam valor ao produto final. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
espera e inspeção não agregam valor ao produto final. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

espera e inspeção não agregam valor ao produto final. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Visão de processo

Procedimentos

Contexto

Responsável

Movimentação Espera Processo Inspeção
Movimentação
Espera
Processo
Inspeção

EntradaResponsável Movimentação Espera Processo Inspeção Fornecedor Pessoas Equipamentos Materiais Informações

Fornecedor

Pessoas

Equipamentos

Materiais

Informações

Requisitos
Requisitos

Partes

Interessadas

Cliente

Colaboradores

Sociedade

Legislação

Acionistas

Fornecedores

Saída
Saída

PRODUTO

Sociedade Legislação Acionistas Fornecedores Saída PRODUTO Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Sociedade Legislação Acionistas Fornecedores Saída PRODUTO Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Sociedade Legislação Acionistas Fornecedores Saída PRODUTO Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Princípios do conceito Lean Construction

1.

Redução das parcelas que não agregam valor;

2.

Aumento do valor do produto através de uma consideração sistemática dos requisitos do cliente;

3.

Redução da variabilidade;

4.

Redução do tempo de ciclo;

5.

Simplificação pela minimização do número de passos e partes;

6.

Aumento da flexibilidade de saída;

7.

Aumento da transparência;

8.

Foco no controle de todo o processo;

9.

Estabelecimento de melhoria contínua ao processo;

10.

Balanceamento da melhoria dos fluxos com a melhoria das conversões;

11.

Benchmarking.

fluxos com a melhoria das conversões; 11. Benchmarking . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
fluxos com a melhoria das conversões; 11. Benchmarking . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

fluxos com a melhoria das conversões; 11. Benchmarking . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

GPD – Gerenciamento pelas diretrizes

• Sistema de gestão que tem por objetivo o desdobramento das diretrizes em metas e ações , a serem tomadas nos diversos níveis hierárquicos.

• Busca assegurar a consistência e suficiência do desdobramento de metas, assegurando a coerência entre os indicadores utilizados na avaliação.

a coerência entre os indicadores utilizados na avaliação. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
a coerência entre os indicadores utilizados na avaliação. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

a coerência entre os indicadores utilizados na avaliação. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
Gerenciamento de obras Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Gerenciamento de obras
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014

Modelo Adotado

O

modelo

adotado

busca

integrar

o

gerenciamento

do

produto,

o

gerenciamento do

projeto

e

o

gerenciamento da produção.

do projeto e o gerenciamento da produção . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
do projeto e o gerenciamento da produção . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
do projeto e o gerenciamento da produção . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

do projeto e o gerenciamento da produção . Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Modelo Adotado

Cubo de Gestão

Gerenciamento do Produto

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento da Produção
Gerenciamento de
Projetos
Gerenciamento da
Produção
do Produto Gerenciamento de Projetos Gerenciamento da Produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
do Produto Gerenciamento de Projetos Gerenciamento da Produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

do Produto Gerenciamento de Projetos Gerenciamento da Produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Cubo de Gestão

Desenvolvimento Implantação Operação
Desenvolvimento
Implantação
Operação
Engenharia Start-up PE EX LO Construção detalhada Operação
Engenharia
Start-up
PE
EX
LO
Construção
detalhada
Operação
Start-up PE EX LO Construção detalhada Operação Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Start-up PE EX LO Construção detalhada Operação Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Níveis de gerenciamento

Níveis de gerenciamento Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Níveis de gerenciamento Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Níveis de gerenciamento Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Níveis de gerenciamento Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Níveis de gerenciamento Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Níveis de gerenciamento

• O modelo foi concebido com:

– Ondas sucessivas; – Diferentes níveis de tomada de decisão; – Diferenciados entre si por critérios como horizonte de planejamento, tipo de produto e natureza da decisão;

maior

detalhamento dos planos à medida que as informações disponíveis aumentam;

O

modelo

possibilita

o

as informações disponíveis aumentam; O modelo possibilita o Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
as informações disponíveis aumentam; O modelo possibilita o Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

as informações disponíveis aumentam; O modelo possibilita o Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Níveis de gerenciamento

• Os

horizontes

são

associados

à

natureza das decisões, ou seja:

• Longo prazo – estratégica;

• Médio prazo – táticas;

• Curto prazo – operacional;

• Médio prazo – táticas ; • Curto prazo – operacional ; Seminário Gerenciamento de Obras
• Médio prazo – táticas ; • Curto prazo – operacional ; Seminário Gerenciamento de Obras
• Médio prazo – táticas ; • Curto prazo – operacional ; Seminário Gerenciamento de Obras

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

• Médio prazo – táticas ; • Curto prazo – operacional ; Seminário Gerenciamento de Obras

Níveis de gerenciamento

Ondas sucessivas

É

fundamental

a

sinergia

entre

os

níveis hierárquicos da gestão;

fundamental a sinergia entre os níveis hierárquicos da gestão; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
fundamental a sinergia entre os níveis hierárquicos da gestão; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
fundamental a sinergia entre os níveis hierárquicos da gestão; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

fundamental a sinergia entre os níveis hierárquicos da gestão; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Níveis de gerenciamento

• O objetivo é:

• Agilidade na percepção de desvios;

• Redução dos riscos;

• Rapidez na tomada e implementação de ações,

• Redução dos impactos nos objetivos do projeto (custo, prazo, qualidade).

dos impactos nos objetivos do projeto (custo, prazo, qualidade). Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
dos impactos nos objetivos do projeto (custo, prazo, qualidade). Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

dos impactos nos objetivos do projeto (custo, prazo, qualidade). Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Níveis de gerenciamento

• O bom planejamento deve ser factível e flexível de forma a continuar refletindo a realidade da obra ao do longo do ciclo de vida do projeto;

realidade da obra ao do longo do ciclo de vida do projeto; • O importante é

• O importante é planejar e ser ágil para replanejar.

projeto; • O importante é planejar e ser ágil para replanejar. Seminário Gerenciamento de Obras 26
projeto; • O importante é planejar e ser ágil para replanejar. Seminário Gerenciamento de Obras 26

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

projeto; • O importante é planejar e ser ágil para replanejar. Seminário Gerenciamento de Obras 26

Planejamento de Longo Prazo

Planejamento de Longo Prazo Nível Estratégico Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Nível Estratégico

Planejamento de Longo Prazo Nível Estratégico Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Planejamento de Longo Prazo Nível Estratégico Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Planejamento de Longo Prazo Nível Estratégico Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Planejamento de Longo Prazo

• Conceitos

–É

caracterizado

pelo

alto

risco,

grande incerteza, longa duração e pouco detalhamento;

, grande incerteza , longa duração e pouco detalhamento ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
, grande incerteza , longa duração e pouco detalhamento ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
, grande incerteza , longa duração e pouco detalhamento ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

, grande incerteza , longa duração e pouco detalhamento ; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Planejamento de Longo Prazo

• Busca estabelecer os objetivos do empreendimento, bem como as estratégias de alto nível para atingi- los;

• Tem horizonte de planejamento todo o empreendimento.

los; • Tem horizonte de planejamento todo o empreendimento. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
los; • Tem horizonte de planejamento todo o empreendimento. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
los; • Tem horizonte de planejamento todo o empreendimento. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

los; • Tem horizonte de planejamento todo o empreendimento. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Estratégia da produção

• Elaborar um plano de ataque consistente; • Define o melhor sequenciamento de atividades, sua interdependência, ciclos de produção (ritmo), de forma a eliminar possíveis interferências, entre outros;

• Definir os Escopo/exclusões (pacotes de trabalho - EAP);

Racionalizar a execução;

(pacotes de trabalho - EAP); • Racionalizar a execução; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
(pacotes de trabalho - EAP); • Racionalizar a execução; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
(pacotes de trabalho - EAP); • Racionalizar a execução; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

(pacotes de trabalho - EAP); • Racionalizar a execução; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
Linha de balanço Sequência executiva Montagem elevador • Período chuvoso; Conflitos • Impactos de
Linha de balanço
Sequência executiva
Montagem elevador
Período chuvoso;
Conflitos
Impactos de suprimentos;
Tendência de prazo;
Entre outros.
Ciclos
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014
Pavimentos

Planejamento de Médio Prazo

MÉDIO PRAZO
MÉDIO PRAZO

Nível Tático

Planejamento de Médio Prazo MÉDIO PRAZO Nível Tático Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de
Planejamento de Médio Prazo MÉDIO PRAZO Nível Tático Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Planejamento de Médio Prazo MÉDIO PRAZO Nível Tático Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de

Médio Prazo

• Conceitos

–O principal foco do plano de médio prazo é a retirada de restrições; –Horizonte de 90 dias

prazo é a retirada de restrições ; –Horizonte de 90 dias Seminário Gerenciamento de Obras 26
prazo é a retirada de restrições ; –Horizonte de 90 dias Seminário Gerenciamento de Obras 26
prazo é a retirada de restrições ; –Horizonte de 90 dias Seminário Gerenciamento de Obras 26

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

prazo é a retirada de restrições ; –Horizonte de 90 dias Seminário Gerenciamento de Obras 26

PERT

• Uso de análise de rede PERT fortalece a etapa de planejamento uma vez que os cronogramas são frágeis em relação à precedência.

vez que os cronogramas são frágeis em relação à precedência. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
vez que os cronogramas são frágeis em relação à precedência. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
vez que os cronogramas são frágeis em relação à precedência. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

vez que os cronogramas são frágeis em relação à precedência. Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014

Perspectivas de análise

Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014 Perspectivas de análise
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014 Perspectivas de análise

Comitê de Gestão

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Cronograma de Suprimentos

Cronograma de Suprimentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Cronograma de Suprimentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Cronograma de Suprimentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Cronograma de Suprimentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Cronograma Projetos

Cronograma Projetos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Cronograma Projetos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Cronograma Projetos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Cronograma Projetos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Cronograma de Marcos

Cronograma de Marcos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Cronograma de Marcos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Cronograma de Marcos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Comitê de Gestão

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Comitê de Gestão

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Comitê de Gestão

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Comitê de Gestão

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Comitê de Gestão

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comitê de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Plano de Ação Centralizado

Plano de Ação Centralizado Reuniões com GGO Programa de excelência em obras Auditorias de Qualidade, PDTO

Reuniões com GGO

Programa de excelência em obras Auditorias de
Programa de
excelência em obras
Auditorias de

Qualidade, PDTO

de excelência em obras Auditorias de Qualidade, PDTO Inspeções de segurança Reuniões de planejamento semanal

Inspeções de

segurança

Auditorias de Qualidade, PDTO Inspeções de segurança Reuniões de planejamento semanal Reuniões de Comitê de
Auditorias de Qualidade, PDTO Inspeções de segurança Reuniões de planejamento semanal Reuniões de Comitê de

Reuniões de

planejamento semanal

Inspeções de segurança Reuniões de planejamento semanal Reuniões de Comitê de Gestão Plano de Ação Última

Reuniões de Comitê de Gestão

Plano de Ação Última Atualização e-office Solução do Id Data Assunto Origem Ação Responsável Email
Plano de Ação
Última
Atualização
e-office
Solução do
Id
Data
Assunto
Origem
Ação
Responsável
Email
Prazo
Status
Observação
Problema
Reuniões de
Olívia
1
04/08/11
Planejamento
Identificação dos stakeholders
osilva@even.com.br
11/08/2011
Atrasada
planejamento
Medeiros
Olívia
4
04/08/11
Planejamento
Chamar Jahu para apresentar projeto e solução
osilva@even.com.br
11/08/2011
Atrasada
Medeiros
Contato com Orgão de trânsito de Nova Lima / Fazer esquema do fluxo de
Leandro
6
04/08/11
Planejamento
lcampos@even.com.br
11/08/2011
Atrasada
Transito.
Campos
Henrique
04/08/11
Planejamento
Ler todos os documentos do projeto e identificar premissas,restrições, etc
hleite@even.com.br
11/08/2011
No Prazo
Leite
Leandro
04/08/11
Planejamento
Realizar planilha de perigos e riscos, aspectos e impactos
lcampos@even.com.br
30/08/2011
Atrasada
Campos
Henrique
11/08/11
Planejamento
Elaborar dicionário da EAP
hleite@even.com.br
30/08/2011
Atrasada
Leite
Henrique
18/08/11
Planejamento
Chamar Flimaq para reunião
hleite@even.com.br
22/08/2011
Concluída
Leite
Contratar topografia para Levantamento planialtimétrico, locação escavação,
Roberta
18/08/11
Engenharia
rbarros@even.com.br
22/08/2011
Concluída
demarcação do terreno e demarcação do canteiro.
Barros
Contratar a execução de projetos e aprovação de instalações provisórias de
Henrique
18/08/11
Construção
hleite@even.com.br
30/08/2011
Concluída
obra
Leite
Leandro
34
18/08/11
Construção
Elaborar PCMAT prelimar
lcampos@even.com.br
25/09/2011
No Prazo
Campos
Leandro
36
18/08/11
Construção
Denifir acessos, proteções coletivas, escadas, sinalização do canteiro
lcampos@even.com.br
18/09/2011
Atrasada
Campos
Giulliano
37
18/08/11
Construção
Definição lay out do canteiro
gpolito@even.com.br
18/09/2011
Atrasada
Polito
Adriana
39
18/08/11
Construção
Elaborar QC de grama para contenção de taludes
aresende@even.com.br
18/09/2011
Concluída
Resende
Adriana
40
18/08/11
Construção
Elaborar template de cronograma de obra
aresende@even.com.br
18/09/2011
Atrasada
Resende
Consultar Sérgio Paraíso sobre a possibilidade de trocar tubulão com base
Giulliano
41
08/09/11
Construção
gpolito@even.com.br
18/09/2011
Atrasada
por trado mecanizado sem base
Polito
Amanda
42
08/09/11
Construção
Orçamento de tenda para época de chuva
acosta@even.com.br
18/09/2011
Atrasada
Costa
8 11 13 26 27 29
8
11
13
26
27
29
18/09/2011 Atrasada Costa 8 11 13 26 27 29 Deliberações do Engenheiro da obra Reuniões de
18/09/2011 Atrasada Costa 8 11 13 26 27 29 Deliberações do Engenheiro da obra Reuniões de
18/09/2011 Atrasada Costa 8 11 13 26 27 29 Deliberações do Engenheiro da obra Reuniões de
18/09/2011 Atrasada Costa 8 11 13 26 27 29 Deliberações do Engenheiro da obra Reuniões de
18/09/2011 Atrasada Costa 8 11 13 26 27 29 Deliberações do Engenheiro da obra Reuniões de

Deliberações do Engenheiro da obra

Reuniões de Apresentação do book

Visitas Técnicas de GGO, Diretores

de Apresentação do book Visitas Técnicas de GGO, Diretores Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março
de Apresentação do book Visitas Técnicas de GGO, Diretores Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

de Apresentação do book Visitas Técnicas de GGO, Diretores Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março

Planejamento de Curto Prazo

CURTO PRAZO
CURTO PRAZO

Operacional

Planejamento de Curto Prazo CURTO PRAZO Operacional Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Planejamento de Curto Prazo CURTO PRAZO Operacional Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Planejamento de Curto Prazo CURTO PRAZO Operacional Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Curto Prazo • Objetivo – Reduzir a variabilidade na produção; – Orientar diretamente a execução

Curto Prazo

• Objetivo

– Reduzir a variabilidade na produção;

Orientar diretamente a execução da obra;

Alocar recursos disponíveis;

– Garantir fluxo contínuo;

• Horizonte de 15 dias;

– Garantir fluxo contínuo ; • Horizonte de 15 dias; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de
– Garantir fluxo contínuo ; • Horizonte de 15 dias; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

– Garantir fluxo contínuo ; • Horizonte de 15 dias; Seminário Gerenciamento de Obras 26 de

Curto Prazo

• A maioria das causas de variabilidade no fluxo de produção é causada por gargalos logísticos, ou seja, falta de material, mão de obra, frente de serviço, projetos;

de material , mão de obra , frente de serviço , projetos ; Seminário Gerenciamento de
de material , mão de obra , frente de serviço , projetos ; Seminário Gerenciamento de
de material , mão de obra , frente de serviço , projetos ; Seminário Gerenciamento de

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

de material , mão de obra , frente de serviço , projetos ; Seminário Gerenciamento de

Last planner

Data impostas pelo planejamento Capacidade de execução das equipes Atividades Estágio atual do empreendimento
Data impostas
pelo
planejamento
Capacidade de
execução das
equipes
Atividades
Estágio atual do
empreendimento
complementares
necessárias
Programação
semanal
complementares necessárias Programação semanal Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

complementares necessárias Programação semanal Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Programação Semanal de serviço

Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Programação Semanal de serviço

Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Programação Semanal de serviço Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Gerenciamento pelas Diretrizes

Gerenciamento pelas Diretrizes Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Gerenciamento pelas Diretrizes Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Gerenciamento pelas Diretrizes Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Gerenciamento pelas Diretrizes Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Desdobramento e monitoramento de metas

Desdobramento e monitoramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Desdobramento e monitoramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Desdobramento e monitoramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Desdobramento e monitoramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Desdobramento de metas

Desdobramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Desdobramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Desdobramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Desdobramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Ranking

Ranking Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Ranking Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Ranking Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Ranking Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Desdobramento de metas

Desdobramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Desdobramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Desdobramento de metas Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Bônus associado à desempenho

Bônus associado à desempenho Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Bônus associado à desempenho Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Bônus associado à desempenho Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Bônus associado à desempenho Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Gestão à Vista

Gestão à Vista Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Gestão à Vista Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Gestão à Vista Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Gestão à Vista Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Avaliação das equipes de produção

Avaliação das equipes de produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Avaliação das equipes de produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Avaliação das equipes de produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Avaliação das equipes de produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Show de Gestão
Show de Gestão
Show de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Show de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Segurança do Trabalho

Princípios

Segurança do Trabalho Princípios Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Segurança do Trabalho Princípios Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Segurança do Trabalho Princípios Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Segurança do Trabalho Princípios Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Planejamento da Segurança

Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Planejamento da Segurança

Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Planejamento da Segurança Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Planejamento da Segurança

DIVULGAÇÃO Declaro que recebi treinamento, compreendi e me encontro ciente dos riscos e recomendações inerentes
DIVULGAÇÃO
Declaro que recebi treinamento, compreendi e me encontro ciente dos riscos e recomendações inerentes às tarefas que irei executar, conforme Análise de preliminar de
Risco especificada acima.
ID
Nome
Função
Empresa
Data
Matricula
Assinatura
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014

Inspeção de equipamentos

Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Inspeção de equipamentos

Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Inspeção de equipamentos

Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Inspeção de equipamentos Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Sistema de Gestão

Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Sistema de Gestão

Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Sistema de Gestão Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Envolvimento da equipe

Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014

Envolvimento da equipe

Envolvimento da equipe Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Envolvimento da equipe Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Envolvimento da equipe Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Envolvimento da equipe Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Padrões associados à produção

Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Padrões associados à produção

Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Padrões associados à produção Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Soluções de engenharia

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Soluções de engenharia

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Soluções de engenharia

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Soluções de engenharia

Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014

Soluções de engenharia

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Soluções de engenharia

Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Soluções de engenharia Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comunicação

Comunicação Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comunicação Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Comunicação Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

Comunicação Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Considerações Finais Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
Considerações Finais
Seminário Gerenciamento de Obras
26 de março de 2014

Considerações Finais

Não “

é a espécie mais forte que sobrevive, nem a mais

inteligente, é aquela que melhor se adapta à ”

Charles Darwin

mudança

é aquela que melhor se adapta à ” Charles Darwin mudança Seminário Gerenciamento de Obras 26
é aquela que melhor se adapta à ” Charles Darwin mudança Seminário Gerenciamento de Obras 26
é aquela que melhor se adapta à ” Charles Darwin mudança Seminário Gerenciamento de Obras 26

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

é aquela que melhor se adapta à ” Charles Darwin mudança Seminário Gerenciamento de Obras 26
polito@polito.eng.br www.polito.eng.br Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

polito@polito.eng.br

www.polito.eng.br

polito@polito.eng.br www.polito.eng.br Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014
polito@polito.eng.br www.polito.eng.br Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014

Seminário Gerenciamento de Obras

26 de março de 2014

polito@polito.eng.br www.polito.eng.br Seminário Gerenciamento de Obras 26 de março de 2014