Você está na página 1de 10
Curso: Mestrado em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos Disciplina: Cinética e Cálculo de Reatores

Curso: Mestrado em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos

Disciplina: Cinética e Cálculo de Reatores (CRTP01)

Período: 2017/2

Professor: Rodrigo Brackmann

Aluno:

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

1º LISTA DE EXERCÍCIOS

(1) Use o balanço molar para deduzir uma equação para o leito fluidizado contendo

partículas de catalisador (Figura abaixo) em termos da massa de catalisador (W) e de

outros termos apropriados.

(2) A reação

partículas de catalisador fluidizadas

(2) A reação partículas de catalisador fluidizadas A → B deve acontecer isotermicamente em um reator
(2) A reação partículas de catalisador fluidizadas A → B deve acontecer isotermicamente em um reator

A → B

deve acontecer isotermicamente em um reator de escoamento contínuo. Calcule os

volumes dos reatores CSTR e PFR necessários para consumir 99% de A quando a vazão

molar na entrada for de 5 mol/h, considerando a velocidade de reação -r A como:

(a)

-r A = k, com k = 0,05 mol/h.dm 3

(b)

-r A = k.C A , com k = 0,0001 s -1

(c)

-r A = k.C A 2 , com k = 3 dm 3 /mol.h

Considere que a vazão volumétrica é constante e igual a 10 dm 3 /h.

(3) Um reator em batelada de 200 litros (volume constante) é pressurizado a 20 atm com

uma mistura de 75% de A e 25% de inerte. A reação em fase gasosa ocorre isotermicamente a 227 ºC.

A reação em fase gasosa ocorre isotermicamente a 227 ºC. (a) Assumindo que a lei dos

(a) Assumindo que a lei dos gases ideais é válida, quantos mols de A contém no reator

inicialmente? Qual é a concentração inicial de A?

(b)

Se a reação é de primeira ordem , calcule o tempo necessário para consumir 99% de

A.

 

-r A =k.C A

com k= 0,1 min -1

(c)

Se a reação for de segunda ordem, calcule o tempo necessário para consumir 80% de

A. Calcule também a pressão do reator para uma temperatura de 127 ºC neste mesmo

tempo do reator.

-r A =k.C A 2

com

k=0,7 L/mol.min

(4) Considere a seguinte reação irreversível e em fase gasosa:

A → 2B

A seguinte correlação foi determinada através de dados experimentais obtidos em laboratório (a concentração inicial de A é de 0,2 mol/L):

Para X A 0,5: (10 -8 /-r A ) = 3 m 3 .s/mol Para X A > 0,5: (10 -8 /-r A ) = 3 + 10.(X A - 0,5) m 3 .s/mol

A vazão volumétrica é de 5 m 3 /s

(a)

Sobre qual faixa de conversões os volumes do CSTR e do PFR serão idênticos?

(b)

Que conversão será alcançada com um CSTR de 90 L?

(c)

Qual é o volume do PFR necessário para que a reação alcance 70% de conversão?

(d)

Qual é o volume requerido de um CSTR se parte do efluente que sai do PFR na letra

(c) é alimentado para um CSTR com o objetivo de aumentar a conversão para 90%?

(e) Se a reação ocorre à pressão constante em um reator em batelada, onde o reagente A

puro é alimentado, qual extensão de tempo é necessária para alcançar 40% de

conversão?

(f) Construa um gráfico da taxa de reação e também da conversão como função do

volume do PFR.

(5) A reação exotérmica

A → B + C

foi conduzida adiabaticamente e o seguintes dados foram registrados:

X

0,0

0,2

0,4

0,45

0,5

0,6

0,8

0,9

-r A (mol/dm 3 .min)

1,0

1,67

5,0

5,0

5,0

5,0

1,25

0,91

A vazão molar de A na entrada foi de 300 mol/min.

(a) Quais são os volumes do PFR e do CSTR necessários para atingir uma conversão de

40%?

(b) Sobre que faixas de conversões, os volumes dos reatores CSTR e PFR serão

idênticos?

(d)

Que conversão pode ser atingida se um PFR de 72 dm 3 for colocado em série com

um CSTR de 24 dm 3 ?

(e) Que conversão pode ser atingida se um CSTR de 24 dm 3 for colocado em série com

um PFR de 72 dm 3 ?

(f) Faça um gráfico da conversão e da velocidade de reação em função do volume de um

reator PFR até um volume de 100 dm 3 .

(6) Um CSTR de 400 L e um PFR de 100 L estão disponíveis para processar 1 L de

alimentação por segundo. A alimentação contém 41% de A, 41% de B e 18% de inerte.

A reação irreversível em fase gasosa ocorre a 10 atm e 227 ºC.

A + B → C

A taxa de reação é dada abaixo em função da conversão.

X

0,0

0,1

0,4

0,7

0,9

-r A (mol/L.min)

0,2

0,0167

0,00488

0,00286

0,00204

(a) Qual é a conversão máxima que pode ser alcançada pelos dois reatores conectados

em série?

(b) Qual seria a conversão total se dois CSTRs de 400 L fossem conectados em série

com as mesmas alimentações e condições de operação?

(c) Qual seria a conversão total se dois CSTRs de 400 L fossem conectados em paralelo

com a metade da alimentação entrando em cada reator?

(d) Qual é o volume de um reator tubular simples necessário para alcançar 60% de

conversão se a taxa molar de alimentação for de 2 mol A/min?

(e) Se a pressão total fosse reduzida por um fator de 10, a conversão deveria aumentar,

diminuir ou permanecer igual?

(f) Construa um gráfico da taxa de reação e também da conversão em função do volume

do PFR.

(7) Considere uma reação que se processa em fase líquida em dada temperatura. Abaixo está representado o inverso da taxa de reação do reagente A em função de sua conversão. Se 30 mol/s do reagente A são alimentados a uma concentração de 3 mol/L, em um CSTR, desejando-se atingir uma concentração de 0,9 mol/L de reagente na saída, qual deverá ser o volume do reator, em litros?

na saída, qual deverá ser o volume do reator, em litros? (8) O estudo experimental da

(8) O estudo experimental da reação entre o NaHSO 3 e o KIO 3 gerou os seguintes dados:

T

(ºC)

2

10

20

25

35

40

K

(s -1 )

0,0126

0,017

0,020

0,027

0,028

0,038

Determine a energia de ativação e o fator de frequência desta reação.

(9) A figura abaixo representa um experimento de cinética química com duas reações, X

e Y.

experimento de cinética química com duas reações, X e Y. Segundo a Lei de Arrhenius, tem-se

Segundo a Lei de Arrhenius, tem-se que a(s)

(A)

energia de ativação da reação Y é maior do que a energia de ativação da reação X.

(B)

energia de ativação da reação X é maior do que a energia de ativação da reação Y.

(C)

velocidade da reação Y é maior do que a velocidade da reação X.

(D)

velocidades das reações são iguais.

(E)

velocidades não dependem da energia de ativação.

(10) Um reator químico de mistura completa opera continuamente, em estado estacionário, com uma vazão de trabalho (F) igual a 60.000 L/h. O reator tem geometria cilíndrica com altura (h) e área da seção reta (A) iguais a 6 m e 20 m 2 , respectivamente. A alimentação do reator é isenta de produto e, no meio reacional, a concentração de produto (P) é igual a 360 g/L.

A velocidade espacial do meio reacional é

(A)

0,05 h 1

(B)

0,3 h 1

(C)

0,5 h 1

(D)

3 m/h

(E)

5 h 1

Nas condições operacionais do sistema, a velocidade da reação, em termos de formação de produto, é

(A)

12 kg/m 3 .min

(B)

18 kg/m 3 .h

(C)

30 kg/m 3 .h

(D)

60 kg/m 3 .min

(E)

180 kg/m 3 .h

(11) A reação em fase gasosa

1/2N 2 + 3/2H 2 → NH 3

é

conduzida de forma isotérmica. A alimentação é composta por 50% de H 2 e 50% de

N

2 em base molar, a uma pressão de 16,4 atm e 227 ºC.

(a)

Construa uma tabela estequiométrica completa dessa reação.

(b)

Quais os valores de C A0 , δ e ε? Calcule a concentração de amônia e de hidrogênio

quando a conversão de H 2 é de 60%.

(c) Suponha como hipótese que a reação é elementar com k N 2 = 40 L/mol.s. Escreva a

equação da velocidade de reação em função apenas da conversão (1) para um sistema com escoamento contínuo e (2) para um sistema em batelada a volume constante.

(12) Orto-nitroanilina (um intermediário importante em corantes chamados de corantes alaranjados) é obtida a partir da reação do orto-nitroclorobenzeno (ONCB) com solução aquosa de amônia.

(ONCB) com solução aquosa de amônia. 2NH 3 → NH 4 Cl A reação ocorre em

2NH 3

(ONCB) com solução aquosa de amônia. 2NH 3 → NH 4 Cl A reação ocorre em

NH 4 Cl

A reação ocorre em fase líquida e é de primeira ordem em relação ao ONCB em relação

à amônia com k = 0,0017 m 3 /kmol.min a 188 ºC e E = 11273 cal/mol. As concentrações de alimentação de ONCB e de amônia são, respectivamente, iguais a 1,8 kmol/m 3 e 6,6 kmol/m 3 .

(a) Escreva a equação da velocidade da reação de consumo do ONCB em termos de

concentração.

(b) Construa uma tabela estequiométrica dessa reação para um sistema com escoamento

contínuo.

(c) Explique como se modificariam os itens (a) e (b) se a reação fosse conduzida em um

reator em batelada.

(d)

Escreva -r A em função apenas da conversão.

(e)

Qual é a velocidade inicial de reação (X = 0) a 188ºC, a 25 ºC e a 288 ºC?

(f)

Qual é a velocidade da reação quando X = 0,9 a 188ºC, a 25 ºC e a 288 ºC?

(g) Qual seria o volume correspondente de um reator CSTR para se obter uma conversão de 90% a 25 ºC e a 288 ºC para uma vazão de 2 L/min?

(13) Calcule a conversão de equilíbrio e as concentrações para cada uma das reações seguintes.

(a) A reação em fase líquida

A + B C

com C A0 = C B0 = 2 mol/L e Kc = 10 L/mol.

(b) A reação em fase gasosa

A 3C

conduzida em um reator com escoamento contínuo sem perda de carga. O reagente A puro entra no reator a 400 K e 10 atm. Nessa temperatura, Kc = 0,25 (mol/L) 2 .

(c) A reação em fase gasosa do item (b) é conduzida em um reator em batelada a

volume constante.

(d) A reação em fase gasosa do item (b) é conduzida em um reator à pressão constante.

(14) Construa uma tabela estequiométrica para cada uma das reações seguintes e expresse a concentração de cada uma das espécies em função da conversão, calculando

Em seguida, considere a reação como

todas as constantes envolvidas (ε, θ, δ,

elementar e expresse a velocidade de reação em função apenas da conversão, isto é, -r A

= f(X).

).

(a) Para a reação em condições isotérmica e isobárica, da pirólise em fase gasosa

C 2 H 6 → C 2 H 4 + H 2

etano puro alimenta o reator com escoamento contínuo a 6 atm e 1100 K. Como as suas expressões da concentração e da velocidade de reação mudariam se a reação fosse conduzida em um reator em batelada a volume constante?

(b) Para a reação catalítica da oxidação em fase gasosa, ocorrendo isotérmica e

isobaricamente

C 2 H 4

+ 1/2O 2

isotérmica e isobaricamente C 2 H 4 + 1/2O 2 → a alimentação, composta de uma

a alimentação, composta de uma mistura apenas de oxigênio e etileno em proporções estequiométricas, entra em um PBR a 6 atm e 260 ºC.

(c) Para a reação catalítica em fase gasosa, em condições isotérmica e isobárica,

conduzida em um leito fluidizado de mistura perfeita

conduzida em um leito fluidizado de mistura perfeita + 2H 2 → a alimentação em proporções

+ 2H 2

em um leito fluidizado de mistura perfeita + 2H 2 → a alimentação em proporções estequiométricas

a alimentação em proporções estequiométricas dos reagentes entra a 6 atm e 170 ºC e é uma mistura. Qual a massa de catalisador necessária para que seja atingida uma conversão de 80% no leito fluidizado de mistura perfeita a 170 ºC e a 270 ºC? A constante de velocidade é definida em relação ao benzeno e v 0 = 50 L/min.

k B = 53 mol/(kg cat .min.atm 3 ) a 300 K com E = 80 kJ/mol

(15) A reação

H 2 + Cl 2 2 HCl

é realizada em fase gasosa a 5 atm em um reator de paredes móveis com concentrações

iniciais dos gases hidrogênio e cloro iguais a 3 mol/L e 4 mol/L respectivamente.

Determine:

(a)

O reagente limitante

(b)

A pressão parcial de HCl após 70% de conversão

(c)

Se 73 g/L de HCl estiverem presentes no início da reação, qual será a conversão

quando a sua concentração atingir 146 g/L?

(16) Considere a reação

A 2B

isotérmica em fase gasosa com N A0 = 20 mol. Construa duas curvas de C A versus X A :

uma para a reação em um reator de paredes rígidas e outra para um reator de parede móvel, ambos com volume inicial de 10 L.