Você está na página 1de 27
Presidéncia da Republica Casa Civil Subchefia para Assuntos Juridicos LEIN° 13.467, DE 13 DE JULHO DE 204 Altera_a Consolidacéo das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei n2 5.452, de 12 de maio de 1943, e as Leis n® 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, ¢ 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislacdo as novas relagdes de trabalho. © PRESIDENTE DA REPUBLICA Faco saber que 0 Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 12. A Consolidacdo das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei n® 5.452, de 12 de malo de 1943, passa a vigorar com as seguintes alteragoes: “Art, 22 § 22 Sempre que uma ou mais empresas, tendo, embora, cada uma delas, personalidade juridica propria, estiverem sob a diregao, controle ou administragao de outra, ou ainda quando, mesmo guardando cada uma sua autonomia, integrem grupo econémico, serdo responsdveis solidariamente pelas obrigagées decorrentes da relago de emprego. § 32 Nao caracteriza grupo econémico a mera identidade de sécios, sendo necessétias, para a configuragéo do grupo, a demonstragao do interesse integrado, a efetiva ‘comunhao de interesses e a atuagao conjunta das empresas dele integrantes.” (NR) “Ant 42 § 12 Computar-se-Ao, na contagem de tempo de servigo, para efeito de indenizacao e estabilidade, os periodos em que o empregado estiver afastado do trabalho prestando servigo militar @ por motivo de acidente do trabalho. '§ 22 Por ndo se considerar tempo a disposigéo do empregador, nao ser computado ‘como periodo extraordinario o que exceder a jomada normal, ainda que ultrapasse o limite de cinco minutos previsto no § 12 do art, 58 desta Consolidagao, quando 0 empregado, por escolha prépria, buscar protegao pessoal, em caso de inseguranga nas vias publicas ou mas condigdes climaticas, bem como adentrar ou permanecer nas dependéncias da empresa para exercer atividades particulares, entre outras | = praticas religiosas; II- descanso; lil -lazer; IV - estudo; V-alimentagao; VI - atividades de relacionamento social; VII - higiene pessoal; VIII - troca de roupa ou uniforme, quando nao houver obrigatoriedade de realizar a troca na empresa.” (NR) “Art 82. § 12 ( direito comum serd fonte subsidiéria do direto do trabalho. § 22 Stimulas e outros enunciados de jurisprudéncia editados pelo Tribunal Superior do Trabalho e pelos Tribunais Regionais do Trabalho no poderdo restringir direitos legalmente previstos nem criar obrigages que nao estejam previstas em lel § 32 No exame de convencao coletiva ou acordo coletivo de trabalho, a Justica do Trabalho analisaré exclusivamente a conformidade dos elementos essenciais do negécio juridico, respeitado o disposto no art. 104 da Lei n® 10.406. de 10 de janeiro de 2002 (Cédigo Civil), ¢ balizard sua atuacao pelo principio da intervengao minima na autonomia da vontade coletiva.” (NR) “Art. 10-A. O sécio retirante responde subsidiariamente pelas obrigagées trabalhistas, da sociedade relativas ao periodo em que figurou como sécio, somente em agées ajuizadas até dois anos depois de averbada a modificacao do contrato, observada a seguinte ordem de preferéncia: | a empresa devedora; Il 08 sécios atuais; IIL - os sécios retirantes, Pardgrafo tinico. © sécio retirante respondera solidariamente com os demais quando ficar comprovada fraude na alteragao societaria decorrente da modificacao do contrato. “Art. 11. A pretenséio quanto a créditos resultantes das relagdes de trabalho prescreve ‘em cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois anos apés a extingdo do contrato de trabalho. | -(revogadoy; II (revogado). § 22 Tratando-se de pretensdo que envolva pedido de prestages sucessivas decorrente de alteragao ou descumprimento do pactuado, a prescrigao total, exceto quando © direito & parcela esteja também assegurado por praceito de lei § 32 A interrupcao da prescri¢ao somente ocorrerd pelo ajuizamento de reciamagao trabalhista, mesmo que em juizo incompetente, ainda que venha a ser extinta sem resolugao do mérito, produzindo efeitos apenas em relagdo aos pedidos idénticos.” (NR) “Art. 11-A. Ocorre a prescri¢&o intercorrente no processo do trabalho no prazo de dois anos. § 12 A Mluéncia do prazo prescricional intercorrente inicia-se quando 0 exequente deixa de cumprir determinagao judicial no curso da execuga. '§ 22 A declaracao da prescrigo intercorrente pode ser requerida ou declarada de oficio em qualquer grau de jurisdigéo.” “Art. 47. © empregador que mantiver empregado nao registrado nos termos do art. 41 desta Consolidacao ficard sujeito a multa no valor de RS 3.000,00 (trés mil reais) por ‘empregado nao registrado, acrescido de igual valor em cada reincidéncia, § 12 Especificamente quanto a infragdo a que se refere 0 caput deste artigo, o valor final da multa aplicada sera de R$ 800,00 (citocentos reais) por empregado nao registrado, quando se tratar de microempresa ou empresa de pequeno porte. § 22 A infragao de que trata o caput deste artigo constitui excegao ao crtério da dupla visita.” (NR) “Art. 47-A, Na hipétese de nao serem informados os dados a que se refere o pardgrafo nico do art. 41 desta Consolidacao, o empregadar ficard sujelto a multa de RS 600,00 (seiscentos reais) por empregado prejudicado.” “At. 58 § 2 0 tempo despendido pelo empregado desde a sua residéncia até a efetiva ‘ocupagao do posto de trabalho e para o seu retomo, caminhando ou por qualquer meio de transporte, inclusive 0 fornecido pelo empregador, nao seré computado na jomada de trabalho, por nao ser tempo a disposi¢ao do empregador. § 32 (Revogado)." (NR) “Art. 58-A. Considera-se trabalho em regime de tempo parcial aquele cuja duragao no exceda a trinta horas semanas, sem a possibilidade de horas suplementares semanais, ou, ainda, aquele cuja duragéo nao exceda a vinte e seis horas semanais, com a possibilidade de acréscimo de até seis horas suplementares semanais. § 32 As horas suplementares duragao do trabalho semanal normal serao pagas com © acréscimo de 50% (cinquenta por cento) sobre o salério-hora normal § 42. Na hipétese de o contrato de trabalho em regime de tempo parcial ser estabelecido em nimero inferior a vinte ¢ seis horas semanais, as horas suplementares a ‘este quantitative serdo consideradas horas extras para fins do pagamento estipulado no § 32, estando também limitadas a seis horas suplementares semanais. § 52 As horas suplementares da jomada de trabalho normal poderdo ser compensadas diretamente até a semana imediatamente posterior a da sua execucao, devendo ser feita a sua quitagéo na folha de pagamento do més subsequente, caso no ssejam compensadas. § 62 E facultado ao empregado contratado sob regime de tempo parcial converter um tergo do periodo de férias a que tiver direito em abono pecuniario. § 72 As férias do regime de tempo parcial so regidas pelo disposto no art, 130 desta Consolidagéo.” (NR) “Art. 59. A duragao didria do trabalho poderd ser acrescida de horas extras, em numero nao excedente de duas, por acordo individual, convengdo coletiva ou acordo coletivo de trabalho. § 12 A remuneracéo da hora extra serd, pelo menos, 50% (cinquenta por cento) superior & da hora normal § 32 Na hipétese de resciséio do contrato de trabalho sem que tenha havido a ‘compensagao integral da jomada extraordinaria, na forma dos §§ 22 e 5° deste artigo, o trabalhador tera direito ao pagamento das horas extras ndo compensadas, calculadas sobre ‘valor da remuneragao na data da rescisao. § 42 (Revogado). § 52. © banco de horas de que trata o § 22 deste artigo podera ser pactuado por acordo individual escrito, desde que a compensagao ocorra no periode maximo de seis meses. § 62 E licito 0 regime de compensagio de jorada estabelecido por acordo individual, tacito ou escrito, para a compensagao no mesmo més.” (NR) “Art. 59-A. Em excegao ao disposto no art. 59 desta Consolidagao, é facultado as partes, mediante acordo individual escrito, convengao coletiva ou acordo coletivo de trabalho, estabelecer hordrio de trabalho de doze horas seguidas por trinta e seis horas ininterruptas de descanso, observados ou indenizados os intervalos para repouso e alimentagao. Pardgrafo Unico. A remuneragéo mensal pactuada pelo hordrio previsto no caput deste artigo abrange os pagamentos devidos pelo descanso semanal remunerado e pelo descanso em feriados, e sero considerados compensados os feriados e as prorrogagées de trabalho noturno, quando houver, de que tratam o art. 70 © o § §° do art. 73 desta Consolidacao.” “Ait. 59-3. O nao atendimento das exigéncias legals para compensagéo de jornada, inclusive quando estabelecida mediante acordo tacito, nao implica a repetigao do pagamento das horas excedentes a jornada normal didria se ndo ultrapassada a duragdo maxima semanal, sendo devido apenas o respectivo adicional Pardgrafo Unico. A prestagao de horas extras habiluals ndo descaracteriza 0 acordo de compensago de jornada e 0 banco de horas.” “art. 60. Pardgrafo nico. Excetuam-se da exigéncia de licenca prévia as jomadas de doze horas de trabalho por trinta e seis horas ininterruptas de descanso.” (NR) § 12 0 excesso, nos casos deste artigo, pode ser exigido independentemente de convengao coletiva ou acordo coletivo de trabalho. * (NR) IIL -os empregados em regime de teletrabalho. (NR) “an. 71 §.42 A nao concessao ou a concessao parcial do intervalo intrajomada minimo, para repouso @ alimentagao, a empregados urbanos e rurais, implica o pagamento, de natureza indenizatéria, apenas do periodo suprimido, com acréscimo de 50% (cinquenta por cento) sobre o valor da remuneragao da hora normal de trabalho. (NR) ITULO CAPITULO I-A, DO TELETRABALHO- ‘At. 75-A. A prostagao de servicos pelo empregado em regime de teletrabalho observara o disposto neste Capitulo. ‘Art. 75-B. Considera-se teletrabalho a prestagdo de servigos preponderantemente fora das dependéncias do empregador, com a utiizagao de tecnologias de informagao e de ‘comunicago que, por sua natureza, no se constituam como trabalho externo. Pardgrafo (nico, © comparecimento as dependéncias do empregador para a realizago de atividades especificas que exijam a presenga do empregado no estabelecimento nao descaracteriza o regime de teletrabalho, ‘Art. 75-C. A prestagao de servicos na modalidade de teletrabalho deverd constar ‘expressamente do contrato individual de trabalho, que especificara as atividades que sero realizadas pelo empregado. § 12 Poderd ser realizada a alteragao entre regime presencial e de teletrabalho desde ‘que haja matuo acordo entre as partes, registrado em aditivo contratual § 22 Poderd ser realizada a alterago do regime de teletrabalho para o presencial por determinagao do empregador, garantido prazo de transigao minimo de quinze dias, com correspondente registro em aditvo contratual’ ‘Art. 75-D. As disposigées relativas a responsabilidade pela aquisigao, manutengao ou forecimento dos equipamentos tecnolégicos da infraestrutura necessdria e adequada & prestagao do trabalho remoto, bem como ao reombolso de despesas arcadas polo ‘empregado, serao previstas em contrato escrito. Paragrafo Gnico, As utilidades mencionadas no caput deste artigo nao integram a remuneragao do empregado." ‘Art. 75-E. © empregador deverd instruir 0s empregados, de maneira expressa ostensiva, quanto as precaugdes a tomar a fim de evitar doencas e acidentes de trabalho. Pardgrafo tnico, © empregado deveré assinar termo de responsabilidade comprometendo-se a seguir as instrugdes forecidas pelo empregador. “Art. 134. § 12 Desde que haja concordancia do empregado, as férias poderao ser usuftuldas ‘em até trés periodos, sendo que um deles ndo podera ser inferior a quatorze dias corridos (08 demais nao poderdo ser inferiores a cinco dias corridos, cada um, § 22 (Revogado). § 32 E vedado o inicio das férias no periodo de dois dias que antecede feriado ou dia de repouso semanal remunerado.” (NR) “TITULO DO DANO EXTRAPATRIMONIAL ‘Ar. 223-A. Aplicam-se @ reparagéo de danos de natureza extrapatrimonial decorrentes da relagdo de trabalho apenas os dispositivos deste Titulo.” ‘Art. 223-B. Causa dano de natureza extrapatrimonial a agao ou omissao que ofenda a esfera moral ou existencial da pessoa fisica ou Juridica, as quais so as titulares exclusivas do direito a reparagao. ‘Art. 223-C. A honra, a imagem, a intimidade, a liberdade de ago, a autoestima, a sexualidade, a satide, o lazer e a integridade fisica so os bens juridicamente tutelados inerentes 4 pessoa fisica.’ ‘Art, 223-0. A imagem, a marca, 0 nome, 0 segredo empresarial @ 0 sigilo da correspondéncia so bens juridicamente tutelados inerentes & pessoa juridica.’ ‘Art, 223-E. Sao responsaveis pelo dano extrapatrimonial todos os que tenham colaborado para a ofensa ao bem juridico tutelado, na proporgao da agao ou da omissao.” ‘Art, 223-F, A reparagao por danos extrapatrimoniais pode ser pedida cumulativamente ‘com a indenizagao por danos materiais decorrentes do mesmo ato lesivo. § 12 Se houver cumulagao de pedidos, 0 juizo, ao proferir a decisao, discriminard os valores das indenizacées a titulo de danos patrimoniais e das reparagdes por danos de natureza extrapatrimonial § 22 A composigao das perdas e danos, assim compreendicos os Iueros cessantes & os danos emergentes, no interfere na avaliagdo dos danos extrapatrimoniais.” ‘Art, 223-G. Ao apreciar 0 pedido, o juizo considerara: | - a natureza do bem juridico tutelado; II- a Intensidade do sofrimento ou da humithagao; Ill -a possibilidade de superagao fisica ou psicolégica; IV - 0s reflexos pessoais e sociais da ago ou da omissao; \V-a extensdo a duragao dos efeitos da ofensa; \VI- as condigées em que ocorreu a ofensa ou o prejuizo moral, VII- 0 grau de dolo ou culpa; VIII- a ocorréncia de retratagao espontanea; IX - 0 esforgo efetivo para minimizar a ofensa; X-0 perdao, tacito ou expresso; XI - a situagao social e econémica das partes envolvidas; XII- 0 grau de publicidade da ofensa. § 12 Se julgar procedente 0 pedido, 0 juizo fixard a indenizagao a ser paga, a cada um dos ofendidos, em um dos seguintes parametros, vedada a acumulagao: | - ofensa de natureza leve, até trés vezes o iiltimo salério contratual do ofendido; Il ofensa de natureza média, até cinco vezes o tiltimo salério contratual do ofendido; IIL - ofensa de natureza grave, até vinte vezes o iltimo salério contratual do ofendido; IV - ofensa de natureza gravissima, até cinquenta vezes 0 Ultimo salério contratual do ofendido. § 22 Se 0 ofendido for pessoa juridica, a indenizagao sera fixada com observancia dos mesmos parémetros estabelecidos no § 12 deste artigo, mas em relagao ao salério contratual do ofensor. § 32 Na reincidéncia entre partes idénticas, o juizo podera elevar ao dobro o valor da indenizagao.” “Art. 394-A, Sem prejuizo de sua remuneragao, nesta incluido o valor do adicional de insalubridade, a empregada deverd ser afastada de: | -atividades consideradas insalubres em grau maximo, enquanto durar a gestagao; II - atividades consideradas insalubres em grau médio ou minimo, quando apresentar atestado de satide, emitido por médico de confianga da mulher, que recomende o afastamento durante a gestagao; lil -atividades consideradas insalubres em qualquer grau, quando apresentar atestado de satide, emitido por médico de confianga da mulher, que recomende o afastamento durante a lactagao. ge § 22 Cabe a empresa pagar 0 adicional de insalubridade a gestante ou a lactante, efetivando-se a compensagao, observado 0 disposto no art. 248 da Constituigao Federal, por ocasiao do recolhimento das contribuiges incidentes sobre a folha de salérios © demais rendimentos pagos ou creditados, a qualquer titulo, a pessoa fisica que Ihe preste servico. §32 Quando nao for possivel que a gestante ou a lactante afastada nos termos do caput deste artigo exerca suas atividades em local salubre na empresa, a hipétese serd considerada como gravidez de risco e ensejara a percepcao de salério-matemidade, nos termos da Lei n? 8.213, de 24 de julho de 1991, durante todo o periodo de afastamento.” (NR) “Art. 396. se § 22 Os hordrios dos descansos previstos no caput deste artigo deverdo ser definidos ‘em acordo individual entre a mulher e 0 empregador.” (NR) “Art. 442-B. A contratagéo do auténomo, cumpridas por este todas as formalidades legais, com ou sem exclusividade, de forma’ continua ou nao, afasta a qualidade de cempregado prevista no art. 3° desta Consolidacao. “Art. 443. © contrato individual de trabalho poder ser acordado tacita ou expressamente, verbalmente ou por escrito, por prazo determinado ou indeterminado, ou para prestagao de trabalho intermitente, § 32 Considera-se como intermitente 0 contrato de trabalho no qual a prestagio de servigos, com subordinagao, nao ¢ continua, ocorrendo com altemancia de periodos de prestagdo de servigos e de inalividade, determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador, exceto para os aeronautas, regidos por legislagdo propria.” (NR) “Art, 444, Pardgrafo Unico. A livre estipulacdo a que se refere o caput deste artigo aplica-se as ipéteses previstas no art. 611-A desta Consolidagao, com a mesma eficécia legal © preponderancia sobre os instrumentos coletivos, no caso de empregado portador de diploma de nivel superior © que perceba salério mensal igual ou superior a duas vezes o limite maximo dos beneficios do Regime Geral de Previdéncia Social.” (NR) “Art. 448-8. Caracterizada a sucessdo empresarial ou de empregadores prevista nos arts. 10 © 448 desta Consolidagao, as obrigagées trabalhistas, inclusive as contraidas & poca em que os empregados trabalhavam para a empresa sucedida, sao de responsabilidade do sucessor. Pardgrafo Gnico. A empresa sucedida responderé solidariamente com a sucessora ‘quando ficar comprovada fraude na transferéncia.” “Art. 452-A. O contrato de trabalho intermitente deve ser celebrado por escrito © deve conter especificamente o valor da hora de trabalho, que nao pode ser inferior ao valor horario do salirio minimo ou Aquele devido aos demals empregados do estabelecimento que ‘exergam a mesma funcao em contrato intermitente ou nao. § 12 0 empregador convocara, por qualquer meio de comunicagao eficaz, para a prestagao de servigos, informando qual seré a jomada, com, pelo menos, trés dias corridos de antecedéncia § 22 Recebida a convocagio, 0 empregado tera o prazo de um dia itil para responder a0 chamado, presumindo-se, no siléncio, a recusa, § 22 A recusa da oferta no descaracteriza a subordinagao para fins do contrato de trabalho intermitente. § 42 Aceita a oferta para o comparecimento ao trabalho, a parte que descumprir, sem justo motivo, pagara a outra parte, no prazo de trinta dias, mutta de 50% (cinquenta por cento) da remuneragéo que seria devida, permitida a compensagao em igual prazo. § 52 0 periodo de inatividade nao ser considerado tempo a disposicéo do ‘empregador, podendo o trabalhador prestar servicos a outros contratantes. § 62 Ao final de cada periodo de prestagdo de servigo, 0 empregado receberé 0 pagamento imediato das seguintes parcelas: | + remuneragao; II -férias proporcionais com acréscimo de um tergo; IIL - décimo terceiro salério proporcional; IV - repouso semanal remunerado; e \V-adicionais legais, § 72 0 recibo de pagamento devera conter a discriminagao dos valores pagos rolativos a cada uma das parcelas referidas no § 62 deste artigo, '§ 82 0 empregador efetuara 0 recolhimento da contribuigao previdencidria e 0 depésito do Fundo de Garantia do Tempo de Servico, na forma da lei, com base nos valores agos no periodo mensal e fornecera ao empregado comprovante do cumprimento dessas obrigacées. § 92 A cada doze meses, o empregado adquire direito a usufruir, nos doze meses subsequentes, um mas de férias, perfodo no qual néo podera ser convocado para prestar servigos pelo mesmo empregador.” “Art. 456-A. Cabe ao empregador definir 0 padréo de vestimenta no meio ambiente laboral, sendo licita a incluso no uniforme de logomarcas da prépria empresa ou de empresas parceiras e de outros itens de identiicagao relacionados a atividade desempenhada Paragrafo nico. A higienizagao do uniforme 6 de responsabilidade do trabalhador, salvo nas hipdteses em que forem necessarios procedimentos ou produtos diferentes dos ulilizados para a higienizagao das vestimentas de uso comum.” “Art. 457. § 12 Integram o salério a importancia fixa estipulada, as gratificagbes legais © as comissées pagas pelo empregador. § 22 As importancias, ainda que habituais, pagas a titulo de ajuda de custo, auxilio- alimentacao, vedado seu pagamento em dinheiro, didrias para viagem, prémios © abonos no integram a remuneragéo do empregado, néo se incorporam ao contralo de trabalho © no constituem base de incidéncia de qualquer encargo trabalhista e previdenciario. § 42. Consideram-se prémios as liberalidades concedidas pelo empregador em forma de bens, servigos ou valor em dinheiro a empregado ou a grupo de empregados, em razéo de desempenho superior ao ordinariamente esperado no exercicio de suas alividades.” (NR) “Art. 458, § 52 0 valor relative & assisténcia prestada por servic médico ou odontol6gico, préprio ou nao, inclusive 0 reembolso de despesas com medicamentos, Sculos, aparclhos ortopédicos, préteses, drteses, despesas médico-hospitalares ¢ outras’ similares, mesmo quando concedido em diferentes modalidades de planas e coberturas, nao integram o salério do empregado para qualquer efeito nem o salério de contribuigao, para efeitos do previsto na linea q do § 9° do art. 28 da Lei n® 8.212, de 24 de julho de 1991."(NR) “Art. 461. Sendo idéntica a fungao, a todo trabalho de igual valor, prestado ao mesmo ‘empregador, no mesmo estabelecimento empresatial, corresponderd igual salério, sem distingao de sexo, etnia, nacionalidade ou idade. § 12 Trabalho de igual valor, para os fins deste Capitulo, serd o que for feito com igual produtividade e com a mesma perfeigdo técnica, entre pessoas cuja diferenga de tempo de servigo para 0 mesmo empregador nao seja superior a quatro anos e a diferenga de tempo na fungao néo seja superior a dois anos. § 22 Os dispositivos deste artigo nao prevalecerao quando o empregador tiver pessoal ‘organizado em quadro de carreira ou adotar, por meio de norma interna da empresa ou de negociagdo coletiva, plano de cargos e salérios, dispensada qualquer forma de homologagéo ‘u registro em érgao pubblico. § 32 No caso do § 22 deste artigo, as promogées poderdo ser feitas por merecimento por antiguidade, ou por apenas um destes critérios, dentro de cada categoria profissional § 52 A equiparacao salarial s6 sera possivel entre empregados contemporaneos no cargo ou na funcao, ficando vedada a indicagdo de paradigmas remotos, ainda que o paradigma contemporaneo tenha obtido a vantagem em agao judicial propria § 62 No caso de comprovada discriminagao por motivo de sexo ou etnia, 0 juizo determinard, além do pagamento das diferengas salariais devidas, multa, em favor do ‘empregado discriminado, no valor de 50% (cinquenta por cento) do limite maximo dos beneficios do Regime Geral de Previdéncia Social.” (NR) § 22 A alteragdo de que trata o § 12 deste artigo, com ou sem justo motivo, néo assegura a0 empregado o direito manutencdo do pagamento da gratificacao correspondente, que nao sera incorporada, independentemente do tempo de exercicio da respectiva fungao.” (NR) “Art. 477. Na extingao do contrato de trabalho, 0 empregador deverd proceder & anotago na Carteira de Trabalho e Previdéncia Social, comunicar a dispensa aos érgaos competentes e realizar o pagamento das verbas rescisérias no prazo e na forma estabelecidos neste artigo, § 12 (Revogado), '§ 32 (Revogado), § 42 0 pagamento a que fizer jus © emprogado sera efetuado: | +em dinheiro, depésito bancério ou cheque visado, conforme acordem as partes; ou | - em dinheiro ou depésito bancario quando o empregado for analfabeto, § 62 A entrega ao empregado de documentos que comprovem a comunicagdo da extingdo contratual aos érgdios competentes bem como 0 pagamento dos valores constantes do instrumento de rescisdo ou recibo de quitagao deverao ser efetuados até dez dias contados a partir do término do contrato. a) (revogada); b) (revogada). § 72 (Revogado). § 10. A anotagao da extingo do contrato na Carteira de Trabalho e Previdéncia Social 6 documento habil para requerer 0 beneficio do seguro-desemprego @ a movimentacao da ‘conta vinculada no Fundo de Garantia do Tempo de Servigo, nas hipoteses legais, desde que a comunicagdo prevista no caput deste artigo tenha sido realizada." (NR) “Art. 477-A. As dispensas imotivadas individuais, plirimas ou coletivas equiparam-se para todos os fins, ndo havendo necessidade de autorizacdo prévia de entidade sindical ou de celebragao de convengao coletiva ou acordo coletivo de trabalho para sua efetivacao. “Att. 477-B. Plano de Demiss’o Voluntéria ou Incentivada, para dispensa individual, plirima ou coletiva, previsto em convengao coletiva ou acordo coletivo de trabalho, enseja quitagdo plena e ‘ievogaével dos direitos decorrentes da relagdo empregaticia, salvo disposigéo em contrario estipulada entre as partes.” “Art. 482 m) perda da habilitagdo ou dos requisitos estabelecidos em lei para o exercicio da profissao, em decorréncia de conduta dolosa do empregado. (NR) “Art. 484-A. © contrato de trabalho poder ser extinto por acordo entre empregado @ ‘empregador, caso em que serdo devidas as seguintes verbas trabalhistas: | = por metade: 1a) 0 aviso prévio, se indenizado; e b) a indenizagao sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Servico, prevista no § 12 do art, 18 da Lei n® 8.036, de 11 de maio de 1990; II na integralidade, as demais verbas trabalhistas. § 12 A extingao do contrato prevista no caput deste artigo permite a movimentacao da conta vinculada do trabalhador no Fundo de Garantia do Tempo de Servigo na forma do inciso LA do art. 20 da Lei n@ 8.036, de 11 de maio de 1990, limitada até 80% (oitenta por ccento) do valor dos depésitos. § 22 A extingdo do contrato por acordo prevista no eaput deste artigo nao autoriza o ingresso no Programa de Seguro-Desemprego.” “Art. 507-A. Nos contratos individuais de trabalho cuja remuneragao seja superior a duas vezes 0 limite maximo estabelecido para os beneficios do Regime Geral de Previdéncia Social, poderé ser pactuada cldusula compromisséria de arbitragem, desde que por iniciativa do empregado ou mediante a sua concordancia expressa, nos termos previstos na_Lei n& 9.307, de 23 de setembro de 1996.” “Art. 507-8. & facultado a empregados © empregadores, na vigéncia ou néo do contrato de emprego, fimar o termo de quitacao anual de obrigacdes trabalhistas, perante 0 sindicato dos empregados da categoria. Paragrafo tinico. O termo discriminaré as obrigagdes de dar e fazer cumpridas mensalmente e dele constaré a quitagdo anual dada pelo empregado, com eficacia liberatéria das parcelas nele especificadas.” ITULO IV-A DA REPRESENTACAO DOS EMPREGADOS ‘Art. 510-A. Nas empresas com mais de duzentos empregados, 6 assegurada a eleigéo de uma comissao para representé-los, com a finalidade de promover-hes 0 entendimento direto com os empregadores. § 12 A comissao sera composta: | - nas empresas com mais de duzentos e até trés mil empregados, por trés membros; Il nas empresas com mais de trés mill © até cinco mil empregados, por cinco membros; Ill -nas empresas com mais de cinco mil empregados, por sete membros. § 22 No caso de a empresa possuir empregados em varios Estados da Federagao & no Distrito Federal, ser assegurada a eleicdo de uma comissdo de representantes dos ‘empregados por Estado ou no Distrito Federal, na mesma forma estabelecida no § 12 deste artigo.” ‘Ar. 510-8. A comisséo de representantes dos empregados tera as seguintes atribuigdes: | -representar os empregados perante a administragao da empresa; II - aprimorar 0 relacionamento entre a empresa @ seus empregadas com base nos principios da boa-fé e do respeito miituo; Ill = promover 0 didlogo @ o entendimento no ambiente de trabalho com o fim de Prevenir contltos; IV - buscar solugées para os conflitos decorrentes da relagdo de trabalho, de forma rapida e eficaz, visando a efetiva aplicacao das normas legais e contratuais; \V - assegurar tratamento justo e imparcial aos empregados, impedindo qualquer forma de discriminagao por motivo de sexo, idade, religiao, opiniao politica ou atuagao sindical; VI + encaminhar reivindicagdes especificas dos empregados de seu ambito de representacao; VII = acompanhar o cumprimento das leis trabalhistas, previdencidrias @ das convengées coletivas @ acordos coletivos de trabalho. § 12 As decisées da comissio de representantes dos empregados sero sempre colegiadas, observada a maioria simples. § 22 A comissao organizard sua atuagao de forma independent’ ‘Art, 510-C. A eleigao sera convocada, com antecedéncia minima de trinta dias, contados do término do mandato anterior, por meio de edital que devera ser fixado na ‘empresa, com ampla publicidade, para inscrigo de candidatura. § 12 Seré formada comissao eleitoral, integrada por cinco empregados, nao candidatos, para a organizagéo e 0 acompanhamento do processo eleitoral, vedada a interferéncia da empresa e do sindicato da categoria, § 22 Os empregados da empresa poderdo candidatar-se, exceto aqueles com contrato de trabalho por prazo determinado, com contrato suspenso ou que estejam em periodo de aviso prévio, ainda que indenizado. § 32 Serdo eleitos membros da comisstio de representantes dos empregados os candidatos mais votados, em votagao secreta, vedado o voto por representagao. § 42 A comissio tomaré posse no primeiro dia till seguinte & eleig&o ou ao término do mandato anterior. § 82 Se ndo houver candidatos suficientes, a comissao de representantes dos ‘empregados podera ser formada com niimero de membros inferior ao prvisto no art. 510-A desta Consolidagao. § 62 Se ndo houver registro de candidatura, sera lavrada ata @ convocada nova ‘eleigdo no prazo de um ano.’ ‘Ar. 510-D. © mandato dos membros da comisstio de representantes dos ‘empregados sera de um ano. § 12 0 membro que houver exercido a fungao de representante dos empregados na ccomissao nao poderd ser candidato nos dois perfodos subsequentes. § 22 O mandato de membro de comisséo de representantes dos empregados nao implica suspensdo ou interrupgao do contrato de trabalho, devendo o empregado permanecer no exercicio de suas funcoes. § 32 Desde o registro da candidatura até um ano apés o fim do mandato, o membro da comissao de representantes dos empregados nao podera soffer despedida arbitraria, ‘entendendo-se como tal a que nao se fundar em motivo disciplinar, técnico, econémico ou financeiro, § 42 Os documentos referentes ao processo eleitoral devem ser emitidos em duas vias, as quais permanecerao sob a guarda dos empregados @ da empresa pelo prazo de cinco anos, a disposig4o para consulta de qualquer trabalhador interessado, do Ministério Piiblico do Trabalho e do Ministério do Trabalho. “Art. 545. Os empregadores ficam obrigados a descontar da folha de pagamento dos seus empregados, desde que por eles devidamente autorizados, as contribuigées devidas a0 sindicato, quando por este notificados. “ (NR) “Art. 878. As contribuigdes devidas aos sindicatos pelos participantes das categorias econémicas ou profissionais ou das profissées liberais representadas pelas referidas entidades serdo, sob a denominagao de contribuicao sindical, pagas, recolhidas e aplicadas na forma estabelecida neste Capitulo, desde que prévia e expressamente autorizadas.” (NR) “Art. 579. O desconto da contribuigo sindical esta condicionado a autorizago prévia @ expressa dos que participarem de uma determinada categoria econdmica ou profissional, ‘ou de uma profissao liberal, em favor do sindicato representative da mesma categoria ou profiss4o ou, inexistindo este, na conformidade do disposto no art. 591 desta Consolidagdio.” (NR) “Art. 582. Os empregadores so obrigados a descontar da folha de pagamento de seus empregados relativa ao més de margo de cada ano a contribuicao sindical dos ‘empregados que aulorizaram prévia e expressamente 0 seu recolhimento aos respectivos sindicatos. (NR) “Art. 583. © recolhimento da contribuigéo sindical referente aos empregados e trabalhadores avulsos sera efetuado no més de abril de cada ano, e 0 relativo aos agentes ou trabalhadores auténomos e profissionais liberais realizar-se-4 no més de fevereiro, observada a exigéncia de autorizagéo prévia e expressa prevista no art. 579 desta Consolidagao. 2 (NR) “Art. 587. Os empregadores que optarem pelo recolhimento da contribuigao sindical deverdo fazé-lo no més de janeiro de cada ano, ou, para os que venham a se estabelecer apés 0 referido més, na ocasido em que requererem as repartigdes o registro ou a licenca para 0 exercicio da respectiva atividade.” (NR) “Art. 602. Os empregados que no estiverem trabalhando no més destinado ao desconto da contribuigao sindical e que venham a autorizar prévia e expressamente 0 recolhimento serao descontados no primeiro ms subsequente ao do reinicio do trabalho. (NR) “Art. 611-A. A convengéo coletiva @ 0 acordo coletivo de trabalho tém prevaléncia sobre a lei quando, entre outros, dispuserem sobre: | = pacto quanto a jomada de trabalho, observados os I baneo de horas anual; IIL - intervalo intrajomada, respeitado 0 limite minimo de trinta minutos para jomadas superiores a seis horas; IV - adesao ao Programa Seguro-Emprego (PSE), de que trata a Lei n® 13,189, de 19 de novembro de 2018; V - plano de cargos, salérios © fungdes compativeis com a condigiio pessoal do ‘empregado, bem como identificagéo dos cargos que se enquadram como fungdes de confianga; VI- regulamento empresarial; VII - representante dos trabalhadores no local de trabalho; VIII- teletrabatho, regime de sobreaviso, e trabalho intermitente; IX remuneragao por produtividade, incluldas as gorjetas percebidas pelo empregado, ¢ remuneragdo por desempenho individual; X-modalidade de registro de jornada de trabalho; XI-- troca do dia de feriado; XII - enquadramento do grau de insalubridade; XIII - prorrogagao de jornada em ambientes insalubres, sem licenga prévia das autoridades competentes do Ministério do Trabalho XIV - prémios de incentive em bens ou servigos, eventualmente concedidos em programas de incentivo; XV - participacao nos lucros ou resultados da empresa. § 12. No exame da convengao coletiva ou do acordo coletivo de trabalho, a Justica do Trabalho observard o disposto no § 32 do art. 82 desta Consolidacao. § 22 A inexisténcia de expressa indicagao de contrapartidas reciprocas em convengao coletiva ou acordo colelivo de trabalho nao ensejaré sua nulidade por ndo caracterizar um vicio do negécio juridico. § 32 Se for pactuada cléusula que reduza o salério ou a jomada, a convengao coletiva ou 0 acordo coletivo de trabalho deverdo prever a protegao dos empregados contra dispensa imotivada durante 0 prazo de vigéncia do instrumento coletivo. § 42. Na hipétese de procedéncia de agéo anulatéria de cléusula de convengao coletiva ou de acordo coletivo de trabalho, quando houver a cldusula compensatéria, esta deverd ser igualmente anulada, sem repetico do indébito. § 52 Os sindicatos subscritores de convengao coletiva ou de acordo coletivo de trabalho deverdo participar, como litisconsortes necessérios, em aco individual ou coletiva, que tenha como objeto a anulagdo de cléusulas desses instrumentos.” “Art. 611-B, Constituem objeto ilicito de convengao coletiva ou de acordo coletive de trabalho, exclusivamente, a supressao ou a redupao dos seguintes direitos: | - normas de identificagdo profissional, inclusive as anotagdes na Carteira de Trabalho @ Previdéncia Social; II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntario, IIL - valor dos depésitos mensais e da indenizago resciséria do Fundo de Garantia do ‘Tempo de Servigo (FGTS); IV - salario minimo; \V-- valor nominal do décimo terceiro salério; VI- remuneragao do trabalho noturno superior & do diurno; VII- protegao do saldrio na forma da lei, constituindo crime sua retengao dolosa; VII salério-familia; 1X - repouso semanal remunerado; X.- remuneragao do servigo extraordinario superior, no minimo, em 50% (cinquenta por cento) a do normal; XI- niimero de dias de férias devidas ao empregado; XII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um tergo a mais do que o salério normal; Xill-icenga-maternidade com a duragéo minima de cento e vinte dias; XIV - licenga-patemidade nos termos fixados em lef; XV « protegao do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos especificos, nos termos da lei; XVI - aviso prévio proporcional ao tempo de servigo, sendo no minimo de trinta dias, nos termos da lei; XVII - normas de satide, higiene e seguranca do trabalho previstas em lei ou em normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho; XVIII - adicional de remuneragao para as atividades penosas, insalubres ou perigosas; XIX aposentadoria; XX - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, XX - ago, quanto aos créditos resultantes das relagdes de trabalho, com prazo prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurals, até o limite de dois anos apés a extin¢ao do contrato de trabalho; XXII - proibigéo de qualquer discriminagao no tocante a salério e critérios de admissao do trabalhador com deficiéncia; XXIII - proibigao de trabalho notumo, perigoso ou insalubre a menores de dezoito anos de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condigéo de aprendiz, a parlir de quatorze ano: XXIV - medidas de protegao legal de criangas e adolescentes; XXV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vinculo empregaticio permanente 0 trabalhador avulso; XXVI - liberdade de associacao profissional ou sindical do trabalhador, inclusive 0 Jireito de ndo sofrer, sem sua expressa e prévia anuéncia, qualquer cobranca ou desconto salarial estabelecidos em convengao coletiva ou acordo coletivo de trabalho; XXVII- direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercé-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender, XXVIII - definigao legal sobre os servigos ou atividades essenciais e disposigées legais, sobre o atendimento das necessidades inadiéveis da comunidade em caso de greve; XXIX - tributos e outros créditos de terceiros; XXX - as disposigées previstas nos arts. 373-A, 390, 392, 392-A, 394, 394-A, 395, 396 ¢ 400 desta Consolidagao, Pardgrafo Unico. Regras sobre durago do trabalho e intervalos nao so consideradas ‘como normas de satide, higiene e seguranga do trabalho para os fins do disposto neste artigo.” “Art. 614. § 32. Nao serd permitido estipular duragao de convengao coletiva ou acordo coletivo de trabalho superior a dois anos, sendo vedada a ultratividade.” (NR) “Art_ 620. As condigdes estabelecidas em acordo coletivo de trabalho sempre prevalecerdo sobre as estipuladas em convengdo coletiva de trabalho.” (NR) “Art. 634, ge § 22 Os valores das multas administrativas expressos em moeda corrente serao reajustados anualmente pela Taxa Referencial (TR), divulgada pelo Banco Central do Brasil, ou pelo indice que vier a substituiso.” (NR) “Art. 652. Compete as Varas do Trabalho: 4) decidir quanto & homologago de acordo extrajudicial em matéria de competéncia da Justiga do Trabalho. * (NR) “art, 702 £) estabelecer ou alterar simulas e outros enunciados de jurisprudéncia uniforme, pelo voto de pelo menos dois tergos de seus membros, caso a mesma matéria ja tenha sido decidida de forma idéntica por unanimidade em, no minimo, dois tergos das turmas em pelo menos dez sessées diferentes em cada uma delas, podendo, ainda, por maioria de dois, tergos de seus membros, restringir os efeitos daquela declaragdo ou decidir que ela sé tenha ceficacia a partir de sua publicagao no Diario Oficial; § 32 As sessdes de julgamento sobre estabelecimento ou alteragéo de simulas e outros enunciados de jurisprudéncia deverdo ser publicas, divulgadas com, no minimo, trinta dias de antecedéncia, © deverao possibilitar a sustentagao oral pelo Procurador-Geral do Trabalho, pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, pelo Advogado-Geral da Unido e por confederagées sindicals ou entidades de classe de Ambito nacional § 42 0 cstabelecimento ou a alteragdo de stimulas © outros enunciados de jurisprudéncia pelos Tribunais Regionais do Trabalho deverdo observar o disposto na alinea f do inciso | @ no § 32 deste artigo, com rol equivalente de legitimados para sustentacao oral, observada a abrangéncia de sua circunscrigao judicdria.” (NR) “Art. 775. Os prazos estabelecidos neste Titulo sero contados em dias iteis, com ‘exclusao do dia do comego @ inclusdo do dia do vencimento. § 12 Os prazos podem ser prorrogados, pelo tempo estritamente necessétio, nas seguintes hipéteses: | - quando 0 julzo entender necessério; Il -em virtude de forga maior, devidamente comprovada. § 22 Ao julzo incumbe dilatar os prazos processuais ¢ allerar a ordem de produgao dos meios de prova, adequando-os as necessidades do conflto de modo a conferir maior efetividade a tutela do direito.” (NR) “Art. 789. Nos dissidios individuais e nos dissidios coletivos do trabalho, nas ages @ procedimentos de competéncia da Justiga do Trabalho, bem como nas demandas propostas perante a Justica Estadual, no exercicio da jurisdig&o trabalhista, as custas relativas 20 processo de conhecimento incidirao base de 2% (dois por cento), observado o minimo de R$ 10,64 (dez reais © sessenta e quatro centavos) e 0 maximo de quatro vezes o limite maximo dos beneficios do Regime Geral de Previdéncia Social, e serdo calculadas: NR) “Art. 790. § 82 € facultado aos juizes, érga0s julgadores e presidentes dos tribunais do trabalho de qualquer insténcia conceder, a requerimento ou de oficio, o beneficio da justiga gratuita, inclusive quanto a traslados @ instrumentos, Aqueles que perceberem saléro igual ou inferior 40% (quarenta por cento) de limite maximo dos beneficios do Regime Geral de Previdéncia Social. § 42 O beneficio da justica gratuita sera concedido a parte que comprovar insuficiéncia de recursos para o pagamento das custas do processo.” (NR) “Art. 790-8. A responsabilidade pelo pagamento dos honorarios periciais é da parte sucumbente na pretensao objeto da pericla, ainda que beneficidria da justica gratuita. § 12 Ao fixar 0 valor dos honorarios periciais, juizo devera respeitar o limite maximo estabelecido pelo Conselho Superior da Justiga do Trabalho. § 22 0 juizo podera deferir parcelamento dos honorérios periciais. § 32 O juizo néo poderé exigir adiantamento de valores para realizagao de pericias. '§ 42 Somente no caso em que o beneficidrio da justica gratuita no tenha obtido em julzo créditos capazes de suportar a despesa referida no caput, ainda que em outro processo, a Unido respondera pelo encargo.” (NR) “Art. 791-A. Ao advogado, ainda que atue em causa propria, sero devides honorédrios de sucumbéncia, fixados entre 0 minimo de 5% (cinco por cento) e o maximo de 15% (quinze por cento) sobre 0 valor que resultar da liquidagao da sentenga, do proveito econdmico obtido ou, ndo sendo possivel mensuré-lo, sobre o valor atualizado da causa. § 12. Os honordrios sdo devidos também nas agées contra a Fazenda Publica e nas ages em que a parte estiver assistida ou substituida pelo sindicato de sua categoria. § 22 Ao fixar 0 honorarios, 0 juizo observara: | -0 grau de zelo do profissional, II- 0 lugar de prestagao do servigo; Ill -@ natureza e a importancia da causa; IV - 0 trabalho realizado pelo advogado e o tempo exigido para 0 seu servigo, § 32 Na hipdtese de procedéncia parcial, o julzo arbitraré honorérios de sucumbéncia reciproca, vedada a compensagao entre os honorérios. § 42 Vencido 0 beneficiatio da justiga gratuita, desde que néo tenha obtido em juizo, ainda que em outro processo, créditos capazes de suportar a despesa, as obrigagdes decorrentes de sua sucumbéncia ficarao sob condigao suspensiva de exigibilidade e somente poderéo ser executadas se, nos dois anos subsequentes ao transito em julgado da deciso que as certificou, 0 credor demonstrar que deixou de existir a situagao de insuficiéncia de recursos que juslificou a concessdo de gratuidade, extinguindo-se, passado esse prazo, tais obrigagdes do beneficidrio. {§ 52 So devidos honordrios de sucumbéncia na reconvenc&o. “TiTULO x CAPITULO II Seco IV-A Da Responsabilidade por Dano Processual ‘Art. 793-A. Responde por perdas e danos aquele que Iiligar de m&{é como reclamante, reclamado ou interveniente, “Art, 798-8, Considera-se Itigante de mé-fé aquele que: | deduzir pretensao ou detesa contra texto expresso de el ou fato incontroverso; I1- allerar a verdade dos fatos; lil-usar do processo para conseguir objetivo llega IV - opuser resisténcia inustificada ao andamento do processo; \V- proceder de modo temerério em qualquer incidente ou ato do processo; VI- provocar incidente manifestamente infundado; Vil - interpuser recurso com intuito manifestamente protelatério. ‘Art. 793-C. De oficio ou a requerimento, o juizo condenard o ltigante de mé-fé a pagar multa, que deverd ser superior a 1% (um por cento) e inferior a 10% (dez por cento) do valor corrigido da causa, a indenizar a parte contraria pelos prejuizos que esta sofreu © a arcar com os honorarios advocaticios e com todas as despesas que efetuou, § 12 Quando forem dois ou mais os litigantes de mé-f6, o juizo condenaré cada um na proporgao de seu respectivo interesse na causa ou solidariamente aqueles que se coligaram para lesar a parte contraria § 22 Quando o valor da causa for irrisério ou inestimavel, a multa podera ser fixada ‘em até duas vezes o limite maximo dos beneficios do Regime Geral de Previdéncia Social. § 32 © valor da indenizagao sera fixado pelo juizo ou, caso nao seja possivel mensuré-lo, iquidado por arbitramento ou pelo procedimento comum, nos préprios autos.” ‘Art. 793-D. Aplica-se a multa prevista no art. 793-C desta Consolidagao a testemunha que intencionalmente alterar a verdade dos fatos ou omitir fatos essenciais ao julgamento da Paragrafo Unico. A execugéo da multa prevista neste artigo dar-se-4 nos mesmos autos. “Art. 800. Apresentada excegao de incompeténcia territorial no prazo de cinco dias a contar da notificagao, antes da audiéncia e em peca que sinalize a existéncia desta excecao, Seguir-se-d o procedimento estabelecido neste artigo, '§ 12 Protocolada a petigéio, serd suspenso o proceso e néo se realizard a audiéncia ‘aque se refere o art. 843 desta Consolidagao até que se decida a excegao. § 22 Os autos serdo imediatamente conclusos ao juiz, que intimard o reclamante e, se ‘xistontes, os ltisconsortes, para manifestagao no prazo comum de cinco dias. § 22 Se entender necesséria a produgao de prova oral, 0 julzo designaré audiéneta, garantindo 0 dircito de 0 oxcipiente © do suas testemunhas serom ouvidos, por carta precatéria, no juizo que este houver indicado como competente. § 42 Decidida a excegao de incompeténcia territorial, o processo retomara seu curso, com a designacao de audiéncia, a apresentagao de defesa e a instrugdo processual perante © juizo competente.” (NR) “Art. 818, O énus da prova incumbe: | +20 reclamante, quanto ao fato constitutive de seu direito; II - a0 reclamado, quanto existéncia de fato impeditivo, modificativo ou extintivo do direito do reclamante. § 12 Nos casos previstos em lei ou diante de peculiaridades da causa relacionadas & impossibilidade ou a excessiva dificuldade de cumprir 0 encargo nos termos deste artigo ou a maior facilidade de obtengao da prova do fato contrario, podera o juizo atribuir o onus da prova de modo diverso, desde que o faga por deciséo fundamentada, caso em que devera dar parte a oportunidade de se desincumbir do 6nus que Ihe foi atribuido. § 22 A decisao referida no § 12 deste artigo deverd ser proferida antes da abertura da instrugao e, a requerimento da parte, implicaré o adiamento da audiéncia possibilitara Provar os fatos por qualquer meio em direito admitido, § 32. A decisdo referida no § 12 deste artigo ndo pode gerar situagéo em que a desincumbéncia do encargo pela parte seja impossivel ou excessivamente dic” (NR) “Art. 840, § 12 Sendo escrita, a reclamacao devera conter a designacao do julzo, a qualificagao das partes, a breve exposicao dos fatos de que resulte o dissidio, o pedido, que devera ser certo, determinado e com indicagao de seu valor, a data e a assinatura do reclamante ou de seu representante. § 22 Se verbal, a reclamagdo seré reduzida a termo, em duas vias datadas & assinadas pelo escrivao ou secretério, observado, no que couber, 0 disposto no § 12 deste artigo § 32 Os pedidos que no atendam ao disposto no § 12 deste artigo serdo julgados cextintos sem resolugao do mérito,” (NR) “art. 841 § 32 Oferecida a contestagao, ainda que eletronicamente, o reclamante nao poderd, ‘sem o consentimento do reclamado, desistir da ago.” (NR) “Art. 843. § 32. 0 preposto a que se refere 0 § 12 deste artigo nao precisa ser empregado da parte reclamada,” (NR) “Art. 844. § 12 Ocorrendo motivo relevante, podera o juiz suspender o julgamento, designando nova audiéncia, § 22 Na hipétese de auséncia do rectamante, este seré condenado ao pagamento das custas calculadas na forma do art. 789 desta Consolidago, ainda que beneficidrio da justica gratuita, salvo se comprovar, no prazo de quinze dias, que a auséncia ocorreu por motivo legalmente justificavel. § 32 O pagamento das custas a que se refere o § 22 6 condigao para a propositura de nova demanda. § 42 A revelia nao produz o efeito mencionado no caput deste artigo se: | -havendo pluralidade de reclamados, algum deles contestar a aco; II 0 litigio versar sobre direitos indisponiveis; Ill - a petigéo inictal ndo estiver acompanhada de instrumento que a lei considere indispensavel a prova do ato; IV = as alegagées de fato formuladas pelo reclamante forem inverossimeis ou estiverem em contradigao com prova constante dos autos, § 82 Ainda que ausente o reclamado, presente 0 advogado na audiéncia, seréo aceltos a contestagao e os documentos eventualmente apresentados.”(NR) “Art. 847. Paragrafo tnico. A parte podera apresentar defesa escrita pelo sistema de proceso judicial eletrénico até a audiéncia.” (NR) ‘TITULO x CAPITULO I Socdolv Do Incidente de Desconsideragéo da Personalidade Juridica ‘Ant. 855-A. Aplica-se ao processo do trabalho o incidente de desconsideragéo da personalidade juridica previsto nos arts. 133 a 137 da Lei n® 13.1 im: 201! = Cédigo de Proceso Civil '§ 12 Da decistio interlocutéria que acolher ou rejeitar o incidente: | = na fase de cognigao, nao cabe recurso de imediato, na forma do § 12 do art. 893, desta Consolidagao; I= na fase de execugao, cabe agravo de petigao, independentemente de garantia do julzo; Ill = cabe agravo interno se proferida pelo relator em incidente instaurado originariamente no tribunal '§ 22 A instauragao do incidente suspenderé 0 processo, sem prejuizo de concessao da tutela de urgéncia de natureza cautelar de que trata o art, 301 da Lei n® 13.105, de 16 de marco de 2015 (Cédigo de Processo Civil.” CAPITULO IIA, DO PROCESSO DE JURISDIGAO VOLUNTARIA PARA HOMOLOGAGAO DE ACORDO EXTRAJUDICIAL ‘Art. B55-B. O proceso de homologagao de acordo extrajudicial teré inicio por petigaio conjunta, sendo obrigatéria a representaco das partes por advogado. '§ 12 As partes nao poderdo ser representadas por advogado comum, § 22 Facullase ao trabalhador ser assistido pelo advogado do sindicato de sua categoria! ‘Art 855-C. O disposto neste Capitulo no prejudica o prazo estabelecido no § 62 do art. 477 desta Consolidacao ¢ nao afasta a aplicagao da multa prevista no § 8° art. 477 desta Consolidagao. ‘Art. 855-D. No prazo de quinze dias a contar da distribulcéo da peticao, o julz analisara 0 acordo, designaré audiéncia se entender necessario e proferira sentenga, ‘At. 855-E, A poticdo de homologagéo de acordo extrajudicial suspende o prazo prescricional da agao quanto aos direitos nela especificados. Paragrafo Unico. O prazo prescricional voltard a fluir no dia util seguinte ao do transite ‘em julgado da decisao que negar a homologagao do acordo.” “art. 876. Paragrafo nico. A Justiga do Trabalho executard, de oficio, as contribuigSes sociais previstas na alinea a do inciso |e no inciso Il do caput do art. 195 da Constitui¢ao Federal, e seus acréscimos legais, relativas ao objeto da condenagao constante das sentengas que proferir e dos acordos que homologar.” (NR) “Art. 878. A execugdo sera promovida pelas partes, permitida a execugao de officio pelo juiz ou pelo Presidente do Tribunal apenas nos casos em que as partes nao estiverem representadas por advogado. Paragrafo Unico. (Revogado).” (NR) “Art. 879. § 22 Elaborada a conta ¢ tomada liquida, o juizo devera abrir as partes prazo comum de olto dias para impugnagao fundamentada com a indicagao dos itens e valores objeto da discordancia, sob pena de preclusao. § 72 A atualizagao dos créditos decorrentes de condenagao judicial sera feta pela ‘Taxa Referencial (TR), divulgada pelo Banco Central do Brasil, conforme a Lein® 8,177, de 412 de marco de 1991.” (NR) “Art. 882. © executado que nao pagar a importancia reclamada poder garantir a execugdo mediante depésito da quantia correspondente, atualizada e acrescida das despesas processuais, apresentagao de seguro-garantia judicial ou nomeagao de bens a penhora, observada a ordem preferencial estabelecida no ari. 835 da Lei n® 13.105. de 16 de marco de 2015 - Cédigo de Processo Civi.” (NR) “Art. 883-A. A decisdo judicial transitada em julgado somente podera ser levada a protesto, gerar inscrigo do nome do executado em érgaos de protecdo ao crédito ou no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas (BNDT), nos termos da lei, depois de transcorrido (© prazo de quarenta e cinco dias a contar da citagao do executado, se nao houver garantia do julzo” “Art. 884, § 62 A exigéncia da garantia ou penhora nao se aplica as entidades filantrépicas e/ou queles que compéem ou compuseram a diretoria dessas instituigées.” (NR) “Art. 896. IV - transerever na pega recursal, no caso de suscitar preliminar de nulidade de julgado por negativa de prestagao jurisdicional, o trecho dos embargos deciaratérios em que foi Pedido o pronunciamento do tribunal sobre questao veiculada no recurso ordinario e o trecho da deciséo regional que rejeitou os embargos quanto ao pedido, para cotejo e verificagio, de plano, da ocorréncia da omissao. § 32 (Revogado). § 42 (Revogad). §§ 52 (Revogado), {§ 62 (Revogado), § 14. 0 relator do recurso de revista poder denegar-Ihe seguimento, em decisdo monocratica, nas hipéteses de intempestividade, desercdo, irregularidade de representagao ou de auséncia de qualquer outro pressuposto extrinseco ou intrinseco de admissibilidade.” (NR) “Art. 896-A. § 12 Sao indicadores de transcendéncia, entre outros: | econémica, 0 elevado valor da causa; II politica, 0 desrespeito da insténcia recorrida a jurisprudéncia sumulada do Tribunal ‘Superior do Trabalho ou do Supremo Tribunal Federal; Il = social, a postulagdo, por reclamante-recorrente, de direito social constitucionalmente assegurado; IV - juridica, a existéncia de questéo nova em tomo da interpretagao da legislagdo trabalhista, § 22 Poderd o relator, monocraticamente, denegar seguimento ao recurso de revista {que nao demonstrar transcendéncia, cabendo agravo desta decisdo para o colegiado, § 32 Em relagdo ao recurso que o relator considerou nao ter transcendéncia, o recorrente podera realizar sustentacao oral sobre a questo da transcendéncia, durante cinco minutos em sessao. § 42 Mantido 0 voto do relator quanto a nao transcendéncia do recurso, seré lavrado acérdao com fundamentagao sucinta, que constituiré decisao irrecorrivel no ambito do tribunal § 52 E irrecorrivel a decisao monocratica do relator que, em agravo de instrumento em recurso de revista, considerar ausente a transcendéncia da materia, § 62_O juizo de admissibilidade do recurso de revista exercido pela Presidéncia dos Tribunais Regionais do Trabalho limita-se A andlise dos pressupostos intrinsecos e extrinsecos do apelo, néo abrangendo 0 critério da transcendéncia das questées nele veiculadas.” (NR) “Art. 899. § 42 0 depésito recursal sera feito em conta vinculada ao juizo e corrigido com os mesmos indices da poupanga § 52 (Revogado). § 92 0 valor do depésito recursal seré reduzido pela metade para entidades sem fins lucrativos, empregadores domésticos, microempreendedores individuais, microempresas € Art 22 ‘empresas de pequeno porte, § 10. Sao isentos do depésito recursal os beneficlérios da justica gratuita, as entidades filantrépicas e as empresas em recuperagao judicial § 11. © depésito recursal poder ser substituldo por flanga bancéria ou seguro garantia judicial." (NR) Alsi 6.019, de 3 de janeiro de 1974, passa a vigorar com as seguintes alleraces: “Art. 42-A, Considera-se prestagao de servigos a terceiros a transferéncia feita pela contratante da execugdo de qualsquer de suas atividades, inclusive sua atividade principal, & pessoa juridica de direito privado prestadora de servigos que possua capacidade econdémica ‘compativel com a sua execucao. (NR) “art, 42.6, Sao asseguradas aos empregados da empresa prestadora de servigos a que se refere o art. 4A desta Lei, quando ¢ enquanto os servigos, que podem ser de qualquer uma das atividades da contratante, forem executados nas dependéncias da tomadora, as mesmas condigdes | +relativas a: 4) alimentagao garantida aos empregados da contratante, quando oferecida em refeitérios; b) direito de utiizar os servigos de transporte; ¢) atendimento médico ou ambulatorial existente nas dependéncias da contratante ou local por ela designado; 4d) treinamento adequado, fornecido pela contratada, quando a atividade o exigir. Il = sanitérias, de medidas de protecdo 4 sade © de seguranga no trabalho e de instalagdes adequadas a prestagao do servico. § 12 Contratante e contratada poderio estabelecer, se assim entenderem, que os ‘empregados da contratada fardo jus a salério equivalente ao pago aos empregados da contratante, além de outros direitos nao previstos neste artigo § 22. Nos contratos que impliquem mobilizago de empregados da contratada em numero igual ou superior a 20% (vinte por cento) dos empregados da contratante, esta poderé disponibilzar aos empregados da contratada os servigos de alimentagéo atendimento ambulatorial em outros locais apropriados e com igual padrao de atendimento, com vistas a manter o pleno funcionamento dos servigos existentes.” “Art. 52.A. Contratante 6 a pessoa fisica ou juridica que celebra contrato com empresa de prestagdo de servigos relacionados a quaisquer de suas alividades, inclusive sua atividade principal " (NR) “Art. SZC. Nao pode figurar como contratada, nos termos do art. 42-A desta Lei, a pessoa juridica cujos titulares ou sécios tenham, nos iltimos dezoito meses, prestado servicos & contratante na qualidade de empregado ou trabalhador sem vinculo empregaticio, ‘exceto se 0s referidos titulares ou sécios forem aposentados, “Art. 52D. 0 empregado que for demilido nao poderé prestar servicos para esta mesma empresa na qualidade de empregado de empresa prestadora de servicos antes do decurso de prazo de dezoito meses, contados a partir da demissao do empregado.” Art, 32 O art. 20 da Loin® 8,036, de 11 de maio de 1990, passa a vigorar acrescido do seguinte inciso |-A: “Art 20. I-A - extingao do contrato de trabalho prevista no art. 484-A da Consolidacao das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto- Lei n® 5.452, de 12 de maio de 1943; J" (NR) ‘Art 42 O art 28 da Lel n® 8.212, de 24 de julho de 1991, passa a vigorar com as sequintes alteragées: § 82 (Revogado). a) (revogada); gee h) as diarias para viagens; 4) © valor relative @ asistencia prestada por servigo médico ou adontolégico, proprio. da empresa ou por ela conveniado, inclusive o reembolso de despesas com medicamentos, culos, aparelhos ortopédicos, préteses, drteses, despesas médico-hospitalares @ outras similares; 2) 08 prémios e os abonos. (NR) ‘Art. 52 Revogam-se: | = 08 seguintes dispositivos da Consolidago das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei n® 5.452, de 12 de maio de 1943: a) § 3° do art, 58; b) § 42 do art. 59; ¢) art, 84; 4d) art 86; e) art. 130-A; f) §.22do art, 134: 9) § 3° do art. 143; h) pardgrafo tnico do art. 372; i) art. 384; 1) $8 1°, 3° 72 do art, 477; k) art. 601; 1) art 604; im) art, 792; 1) paréarafo dinico do art. 878; 0) $§ 3°, 42, 5°. 6° do art. 896; p) § 2 do art, 899; | -aalinea ado § 82 do art. 28 da Lei n® 8.212, de 24 de julho de 1991; Ill -o art, 2° da Medida Provis6ria n® 2.226, de 4 de setembro de 2001 ‘Art. 62 Esta Lei entra om vigor apés decorridos conto e vinte dias de sua publicagao oficial Brasilia, 13 de julho de 2017; 1962 da Independéncia e 129° da Repablica MICHEL TEMER Torquato Jardim Ronaldo Nogueira de Oliveira Este texto no substitui o publicado no DOU de 14.7.2017