Gestão estratégica

Internacionalização: Caso Rádio Marconi

Adaptado de: “Segredos de gestão estratégica e inovação”, A. Dias, Gradiva, 2017

A capacidade de gerir estrategicamente as oportunidades e de bem gerir a inovação é
determinante para o sucesso das empresas e dos países. Murteira Nabo ajudou a fazer a
história de uma empresa de telecomunicações que consegue inovar, numa década de
grandes transformações tecnológicas e grande instabilidade politica em Portugal. Em 1968,
Murteira Nabo entrou como economista-estagiário para a Companhia Portuguesa Rádio
Marconi (Marconi), uma importante empresa de origem britânica — a Marconi’s Wireless
Telegraph Company — que detinha a concessão nacional para as telecomunicações
intercontinentais.

Embora o Estado tivesse sido desde a sua origem (1926) o seu acionista maioritário, na
década de 60 a Marconi’s Wireless Telegraph Company vendeu a sua posição acionista a
quatro dos principais bancos portugueses, entre os quais o Banco Nacional Ultramarino
(mais tarde integrado na Caixa Geral de Depósitos) e o Banco Espirito Santo e Comercial de
Lisboa, na época ainda um banco privado. Posteriormente, com a nacionalização da banca
em 1975, a Marconi passou a empresa publica e era por vezes designada como uma
«empresa imperial», porque, como concessionária e operadora em regime de monopólio
das telecomunicações intercontinentais, assegurava as comunicações com praticamente
todas as colónias portuguesas, num tráfego que nesses tempos era fundamentalmente
telegráfico, porque a maioria do tráfego telefónico — um serviço ainda muito jovem e em
forte crescimento — se fazia com a Europa e era assegurado pelos TLP (Telefones de Lisboa
e Porto) e pelos CTT (Correios e Telecomunicações de Portugal).

Após a «Revolução dos Cravos» de 25 de Abril de 1974, à semelhança do que aconteceu em
muitas outras grandes empresas do País, a quase totalidade dos membros do conselho de
administração e de direção da empresa foi suspensa e impedida de desempenhar as suas
funções por «deliberação» das assembleias de trabalhadores revolucionárias que,
entretanto, se formaram.

Posteriormente, com a nacionalização da banca em 1975, a Rádio Marconi passou a ser uma
empresa de capitais públicos. Nessa altura, a comutação de tráfego telefónico da Marconi
era assegurada por um comutador electromecânico, porque os telefonemas para e das ex-
colónias ainda era escasso e nem se estudava sequer na Marconi a possibilidade de passar à
comutação analógica, a tecnologia então já dominante no serviço telefónico. Cerca de dois
terços do volume de negócios da Marconi resultavam da telegrafia, cujo tráfego se fazia
maioritariamente de e para as ex-colónias portuguesas.


Contexto político de um país em transição

Murteira Nabo foi, em 1974, ao nível da direção, praticamente a única excepção no caso dos
saneamentos, por um lado, por ser muito novo nas suas funções e, por outro,

como estavam a surgir novas tecnologias. proibido de estudar na universidade durante um ano. a telefonia. onde a situação se revestia de maior complexidade. em termos quer de capacidade. . porque durante a crise universitária de 1964/65 tinha sido vice-presidente da Associação Académica do ISCEF e. já em tecnologia analógica. Manuel Ferreira Lima. que se desenvolvia a grande velocidade. Porque recorde-se que Portugal.provavelmente. toda a turbulência relacionada com a transformação ocorrida no País e. As colónias passaram a ser países! Quando o tráfego telefónico. estava impedido de participar em reuniões e cimeiras internacionais de natureza diversa. enfim. Entretanto. No caso da Rádio Marconi. o Eng. disseminando-se um pouco por todo o lado no território nacional. à semelhança. em resultado dessa abertura. como o telex (um serviço com vida curta) e. A equipa em funções — constituída pelo Eng. uma tecnologia que até então era suficiente para o tipo e o volume do tráfego existente. e optando-se. Na qualidade de adjunto do director ficou. na maioria dos casos. tais como greves frequentes. particularmente Angola. um quadro de direção com já longa experiência na Rádio Marconi — teve de assumir desafios e riscos de elevada responsabilidade. todo esse cenário se modificou e o País começou a ter uma aceitação internacional que até então não existia. A partir de 25 de Abril de 1974. nessa qualidade. que era ministro dos Transportes e Comunicações. reuniões quase diárias com a comissão de trabalhadores e os sindicatos. explodiu rapidamente. quase sozinho na liderança da empresa e teve de enfrentar uma situação muito complexa motivada pelas circunstâncias emergentes da revolução. Moçambique e Timor Leste. não só o País se abriu mais ao mundo em resultado do processo de descolonização em curso. Saraiva Mendes (um engenheiro militar que tinha passado pela administração da RTP) e pelo Eng. de resto. mas a tecnologia já dominante em muitos países era o sistema analógico. Em 1976. a Rádio Marconi começou a ser fortemente pressionada para possuir tecnologias de comunicação na área da telefonia muito mais modernas e capazes de responder às crescentes necessidades do mercado. ainda. por causa da política colonial que até 1974 tinha prosseguido — à semelhança do que acontecia com a África do Sul por causa da política do apartheid —. Tinha chegado o tempo de a empresa responder às exigências de novos mercados e novas tecnologias que o novo ambiente político abria e de estabelecer acordos internacionais mais amplos e mais exigentes. dependendo da conjuntura política existente. em particular. em termos práticos. se viam obrigados a passar muito tempo em África a negociar em várias frentes. A Marconi possuía apenas um comutador telefónico electromecânico. que utilizava tecnologia muito mais moderna. do que aconteceu nesse ano com todos os dirigentes das associações académicas de todas as universidades do País. com o processo de autonomização das empresas da Rádio Marconi em África e a posterior negociação com os novos Governos acerca do respectivo estatuto e da operacionalização das telecomunicações dos novos países em formação. nomeou Francisco Murteira Nabo presidente da Rádio Marconi. Vasco Queiroz. e em especial Murteira Nabo. os graus de dificuldade negocial foram diferentes em cada um dos novos países. Era um cenário em que os administradores. quer de qualidade.

de onde se encontrava há muito excluído. quer de Angola.por parcerias. mais tarde. nos respectivos locais. em Fajã de Cima — ilha de São Miguel. e em Boane — Moçambique. mas também porque as telecomunicações ligadas ao telex e especialmente ao telefone eram o futuro. nestes dois casos. A engenharia da Rádio Marconi concluiu rapidamente que seria necessário mudar de comutador telefónico porque o equipamento de tecnologia electromecânica existente já não respondia às necessidades do mercado.” O core business e o mercado alteraram-se radicalmente. criando-se empresas públicas ou mistas que vieram a estabilizar as telecomunicações com alguma rapidez e sem perturbações operacionais significativas. com tecnologia da empresa norte-americana ITT. numa grande vantagem competitiva no processo de internacionalização da Rádio Marconi. nos Açores. mais especificamente em Almargem do Bispo — Sintra. desde as avaliações e entrega dos activos até à elaboração de adequados planos de formação. em resultado da complexidade de problemas como o de Cahora Bassa. ainda. em vários locais do então território nacional e ultramarino. Nalguns casos. um serviço que entrou progressiva e rapidamente em perda. As telecomunicações das ex-colónias e dos países africanos Foi necessário negociar com os novos governos a criação de empresas maioritariamente públicas em parceria com a Rádio Marconi. e em especial no primeiro. As entradas em funcionamento destas estações acabaram por ter de ser antecipadas por razões ligadas à mudança política que exigiam comunicações mais eficazes e com maior capacidade de escoamento de tráfego. no Funchal — ilha da Madeira. Deu-se uma quebra abrupta da telegrafia. mas já não tinha capacidade de resposta! Falava-se então de uma mudança rápida para o já consagrado sistema analógico. . O modelo adoptado consistiu na realização de acordos de capital e de gestão que terminariam quando as novas empresas tivessem os seus quadros habilitados para uma gestão autónoma e estivessem em condições de gerirem sozinhos os seus activos e recursos. dando-lhes a maior parte do capital e ficando a Rádio Marconi com uma participação minoritária. para uma enorme melhoria da qualidade da rede de comunicações e foi. as estações abriram ao tráfego pouco antes da independência e as comunicações nesse dia não podiam falhar! “A rápida e imprevista entrada em funcionamento das estações de satélites em Angola e Moçambique contribuiu muito para uma descolonização sem incidentes. Angola. um enorme contributo para a preparação da empresa para a internacionalização. quer de Moçambique. pois. em Cacuaco — Luanda. O comutador que a Marconi possuía era bom. as relações entre as partes negociadoras eram mais difíceis. não só porque o País começou a ser convidado para participar nas reuniões internacionais. Era preciso abrir rapidamente as comunicações. Da estratégia colonial para a estratégia de internacionalização A Marconi tinha acabado de instalar quase em simultâneo várias estações de telecomunicações via satélite. Por esta razão. O processo de descolonização fez-se de forma pacífica. fora do sector das telecomunicações. Murteira Nabo passou os dias da independência. demonstrando uma inegável capacidade de adaptação à mudança que se traduziria. especialmente em Moçambique. Estas estações- satélite do sistema INTEL- SAT eram das mais modernas do mundo.

A Rádio Marconi decidiu confirmar a decisão. deixou de haver grandes dúvidas em relação à conclusão de que. Na época já estava em desenvolvimento — ainda em fase experimental — a instalação de redes com tecnologia digital. antecipando uma questão que iria gerar muita polémica no sector. em particular dos fornecedores japoneses. era a japonesa. nos Estados Unidos da América. procurou evitar que a decisão fosse tomada exercendo fortes pressões. por ser a melhor para a empresa em todos os aspectos. ao saber que a Rádio Marconi queria o fabricante japonês (mesmo não se tratando da digitalização da rede nacional mas apenas de um comutador telefónico para tráfego intercontinental). obviamente. para a Rádio Marconi. acabou por se desenvolver. a Standard da ITT e a Ericsson. O ministro foi claro e respondeu a Murteira Nabo que essa decisão o exporia (e nada positivamente) porque iria abrir uma guerra com a indústria europeia. o serviço de telex teve uma morte prematura. pagando assim o preço da decisão pela inovação. Num esforço para compreender melhor o que se estava a passar ao nível internacional. a Alcatel. Murteira Nabo saiu da Rádio Marconi em 1981. Murteira Nabo explicou ao Eng. naquele momento. naquele momento. que já tinham instalado alguns comutadores para tráfego intercontinental nalguns países. Veio impressionado com o avanço do sistema digital. António Viana Baptista. a melhor solução. a solução era o comutador digital! E era opinião maioritária a de que. Após as pesquisas que foram feitas. Este caso também reflecte uma decisão estratégica relacionada com a internacionalização. Murteira Nabo avançou com a decisão e enviou uma carta ao accionista Estado informando-o dela. A empresa entrou em Bolsa com um IPO (initial public offering) de sucesso e passou a ser uma referência de qualidade e uma blue chip da Bolsa: o core business mudou e. pois as capacidades de resposta da empresa eram insuficientes e as reclamações diárias. através de parcerias com as ex-colónias e da concretização da ambição de vir a ser um operador global? Na realidade. então ministro dos Transportes e Comunicações. Murteira Nabo assistiria a uma conferência em Los Angeles. veio convencido. a indústria europeia. que a decisão da Rádio Marconi consistia na aquisição da solução japonesa. como a Siemens. Os grandes fabricantes europeus. Mas. renovado) o comutador NEAX 61 passou a ser a base da riqueza da Rádio Marconi. dada a urgência por exigências de tráfego. para se informar sobre as tecnologias do futuro. as decisões então tomadas na Rádio Marconi acabaram por ser o fermento da ambiciosa estratégia que. 15 anos mais tarde. Apesar das dificuldades e consequências (o mandato de Murteira Nabo como presidente da Rádio Marconi não foi. Ainda que consciente do risco iminente da inovação necessária. Não seria a descolonização uma oportunidade de internacionalizar a Rádio Marconi. O digital avançava muito mais rapidamente do que se dizia e pensava. definitivamente. Em 1979 foi preciso tomar uma decisão urgente. e a solução para a comutação telefónica intercontinental para a Rádio Marconi era o digital. quando a PT (Portugal Telecom) foi criada e arriscou uma estratégia agressiva de internacionalização no Brasil e em África. esforçavam-se por convencer os operadores europeus a introduzir redes digitais. como se previa. . Passados alguns dias. em regime experimental. revelando-se um equipamento de grande qualidade. Tinha chegado o momento de inovar.

à luz do modelo CAGE. Questões: Q1: Comente. Q3: Qual o modo de entrada da Rádio Marconi nos países africanos após a descolonização? Q4: O caso sugere que a descolonização poderia ser uma oportunidade de internacionalizar a Rádio Marconi e de a transformar numa das grandes empresas multinacionais. Que tipo de estratégia de internacionalização seria mais adequada nesse caso? . Q2: Identifique no texto exemplos que demonstrem a relevância da análise PESTEL no contexto da internacionalização de uma empresa. a entrada da Rádio Marconi nos países africanos após a descolonização.