Você está na página 1de 11

Roteiro de Configurações de Impostos Indiretos

Esta apostila contempla apenas o roteiro seguido em aula para apresentar como são feitas as
configurações necessárias para determinação de impostos indiretos para compras. Os
conceitos passados em aula, por não ser o foco principal do curso, não estão aqui
documentados.

1 – Regiões Fiscais

1.1 – Determinar quantidade de caracteres do domicílio fiscal por esquema de cálculo: para o
esquema de cálculo TAXBRJ, o código do domicílio fiscal é composto de dois caracteres. Ex.:
RJ – Rio de Janeiro, PA – Pará, ZF – Zona Franca de Manaus etc..

Determinar estrutura p/código de domicílio fiscal
Nesta etapa de trabalho, o usuário deve determinar a estrutura do código de domicílio fiscal (Tax
Jurisdiction Code). O código é utilizado para calcular impostos que estão definidos a nível federal
(p.ex., impostos nos EUA ou impostos impostos canadianos). O código do domicílio fiscal pode ser
subdividido em um máximo de quatro níveis (p.ex., estado/condado/cidade/bairro). Dessa forma, a
taxa de imposto pode ser definida e o valor fiscal pode ser calculado, ambos individualmente para
cada nível.

Se uma entrada estiver disponível para um esquema de cálculo, o processo de tributação para este
esquema de cálculo passa automaticamente para o método de domicílio fiscal.

Nesta etapa de trabalho, o usuário pode também definir se os impostos devem ser calculados por
linha ou de forma acumulada ao nível do "código de imposto/código de domicílio fiscal".

Atividades

1. Indicar o nome de um esquema de cálculo para o qual seja necessário um código de
domicílio fiscal.
O usuário pode chamar os nomes de todos os esquemas disponíveis, premindo a tecla F4.
No sistema standard SAP, está definido um esquema de cálculo para cada país.
2. Determinar, nos campos definidos para o efeito, a estrutura e o comprimento dos
elementos estruturais do código de domicílio fiscal.
3. Caso os impostos devam ser calculados por linha, o usuário deve marcar o código
Impostos por linha.

SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade
Financeira > IVA > Configurações Globais > Determinar estrutura para domicílio fiscal

.

3 – Determinar domicílios fiscais do Brasil. . Gravar códigos fiscais de província para outros países Nesta atividade IMG. Atividades Definir o código fiscal regional para os países e regiões pretendidos.2 – Determinar os códigos dos domicílios fiscais. são definidos os códigos fiscais regionais. para o caso de.1. Condições Foram previamente definidas regiões. numa determinada região. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Configurações Globais > Código fiscal da província > Gravar código fiscal da província para outros países 1. ser utilizado apenas um código fiscal regional.

o sistema utiliza esta atribuição para determinar automaticamente as regiões fiscais durante a atualização dos registros mestre para clientes. É possível atribuir várias regiões geográficas a uma região fiscal. Neste caso. com base na qual a região adequada tem que ser selecionada manualmente. com base nas configurações IMG Definir regiões fiscais para clientes/fornecedores estrangeiros. No entanto. são atualizadas as regiões fiscais para o Brasil. baseado em condições. tiver sido ativado ( ver atividade) e o código Área isenta de impostos tiver sido definido. fornecedores ou centros brasileiros. . que pode ser utilizado pelo esquema de cálculo de imposto para um tratamento especial de regiões isentas de imposto SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Configurações Globais > Brasil > Definir Regiões Fiscais 2 – Atualizar Valores para Impostos.Definir regiões fiscais do Brasil e atribuir regiões geográf Utilização Nesta atividade IMG. os usuários obtêm uma lista das regiões fiscais possíveis. Outras observações A região fiscal não está gravada nos dados mestre para clientes ou fornecedores estrangeiros. quando os registros mestre forem atualizados. Se o cálculo do imposto. recomenda-se definir regiões fiscais para clientes e fornecedores estrangeiros (nesta atividade) sem atribuir uma região geográfica. Uma região geográfica é atribuída a cada região fiscal. Para permitir diferentes regiões fiscais para clientes ou fornecedores de diferentes países. o sistema atribui a região fiscal de forma dinâmica. o sistema gera em background um registro de condições com uma taxa de 100%.

caso este não consiga determinar nenhuma alíquota nas tabelas normais ou nas tabelas de exceção. Neste passo devem ser determinadas as alíquotas padrão de impostos. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > Valores propostos 3 – ICMS. que serão carregadas pelo sistema. 3.1 – Tabela normal: nesta tabela devem ser informadas as alíquotas de ICMS para operações internas e interestaduais. Atualizar valores ICMS .

.Utilização Nesta atividade IMG são definidas as taxas de imposto ICMS com base na região fiscal do emissor e do receptor utilizada no processo de compra.2 – Tabela de exceções: nesta tabela devem ser informadas as alíquotas de ICMS para operações com exceção fiscal por material. ICMS: atualizar exceções dependentes do material Utilização Nesta atividade IMG são definidas as taxas de imposto ICMS com base nas regiões de receptor e no material utilizados no processo de compra ou de venda. Atividades Para cada combinação de emissor/receptor. indicar o seguinte:  Taxa de imposto (como porcentagem)  ICMS do frete (como porcentagem) para conhecimento Outras observações Caso o sistema não encontre entradas para uma determinada combinação emissor/receptor. será utilizada a taxa proposta gravada para o ICMS SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > ICMS (normal) 3.

Exceções dinâmicas 3. Valores normais 4. e aceita o primeiro registro que encontrar: 1. que são definidas por região fiscal de emissor/receptor. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > ICMS (exceção) . nas seguintes tabelas e na seqüência indicada. IPI e ISS) Dado que as exceções dinâmicas cobrem Grupos de impostos com até três campos chave.Atividades Ao contrário das taxas de ICMS standard. o sistema procura a taxa de imposto correta. caso o material deva se submeter ao Convênio 100 Outras observações Durante o cálculo do imposto. Exceções dependentes do material 2. aqui também é possível definir as taxas conforme o material. base completa = 100%)  Código Outra base. Entrar as seguintes informações:  Taxa de imposto (como porcentagem)  Base do imposto (como porcentagem. Valores standard (apenas para ICMS. é aconselhada a definição de todas as exceções de taxas de imposto com ajuda de exceções dinâmicas. caso não se pretenda calcular o ICMS  Texto da lei de imposto que deve ser impresso na nota fiscal  Código Convênio 100.

SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > IPI (normal) . 4. Esta associação é feita em: SPRO > IMG Referência SAP > Componentes válidos para várias aplicações > Funções gerais de aplicação > Nota Fiscal > Code NCM (ou NBM) > Atibuir a grupo de materiais 5 – IPI.5 – Tabela de exceções da substituição tributária: nesta tabela são atualizadas as exceções de substituição tributária por material. na visão “Compras: comércio exterior importação”.3.4 – Tabela de alíquotas da substituição tributária: nesta tabela são atualizadas as alíquotas de substituição tributária em operações internas e interestaduais. ou através do customizing de nota fiscal. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > ICMS (exceção) 3. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > Substituição Tributária (exceções) 4 – NCM (Nomenclatura Comum do MERCOSUL). 5. por material. É importante ressaltar que quando há exceções para o DIFAL.1 – Determinar códigos de NCM. onde pode ser associado ao grupo de mercadorias. as alíquotas não são modificadas.3 – Tabela de exceções do DIFAL (diferencial de alíquota): nesta tabela devem ser informadas as exceções fiscais para o DIFAL.1 – Tabela normal. SPRO > IMG Referência SAP > Componentes válidos para várias aplicações > Funções gerais de aplicação > Nota Fiscal > Code NCM (ou NBM) > Criar O código de NCM pode ser associado ao material através do registro mestre do material. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > Substituição Tributária 3. O que é modificado é o percentual da base de cálculo do DIFAL a ser considerado.

2 – Tabela de exceções. Por exemplo: C0 – Consumo sem impostos . mencionadas nos passos 2.1 – Tabela normal: na tabela normal do ISS. Cada imposto tem a sua tabela de exceções dinâmicas. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Definir exceções dinâmicas para grupo de imposto. 8 – Código de imposto (IVA). 6 e 7. O grupo de imposto (ou agrupamento de imposto) determina quais são os campos relevantes para exceção dinâmica. de forma semelhante às tabelas de exceção dos demais impostos que vimos até agora. podem ser executadas também através da transação J1BTAX. ICMS substituição tributária. cada imposto tem sua tabela. 6. IPI e ISS. a alíquota é informada para um material. As exceções dinâmicas podem ser cadastradas para o ICMS.5.1 – Determinar dados relevantes por grupo de imposto. O código de imposto define quais os impostos incidem sobre a operação de compra. e para quais impostos estas configurações podem ser válidas. ICMS substituição tributária. 7. IPI e ISS) Obs. a configuração do grupo de imposto é comum a todos eles. 5. Após definidas as taxas dos impostos. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > Atualizar valores ISS 7 – Exceções Dinâmicas. 3. As atualizações de taxas de impostos. No entanto. 7. é necessário definir os códigos de imposto e como eles são calculados. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > IPI (exceção) 6 – ISS.: conforme mencionamos anteriormente.2 – Determinar as exceções dinâmicas por imposto: as tabelas de exceções dinâmicas encontram-se no mesmo caminho das demais SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Taxas > Atualizar exceções dinâmicas (ICMS.

No esquema de cálculo. quais valores devem integrar as bases de cálculo e em quais contas contábeis os valores calculados devem ser lançados. clicar no botão “Criar”.2 – Definir tipos de condições: neste passo são criados os tipos de condições dos impostos. 8. a linha pertinente ao lançamento do DIFAL (para prever os lançamentos .1. O esquema de cálculo de impostos da versão 4.1 – Associar o esquema de cálculo ao país: SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Configurações globais > Atribuir país a esquema de cálculo 8. Por exemplo. b) Na tela “Data Browser” da tabela. é necessário atualizá-lo na tabela J_1BAJ. Esta associação determina em que conta do razão o valor calculado do imposto deverá ser lançado.  Descrição: inserir a descrição da condição.: ao se criar um tipo de condição. devem ser ativadas: a linha pertinente ao lançamento na conta estoque ou conta de despesa (trata-se da mesma linha). c) Na tela “Tabela: J_1BAJ inserir”. 8. conforme explicado nos passos a seguir: a) Acessar a tabela J_1BAJ através da transação SE16. preencher os campos abaixo:  Tipo de condição: preencher a nova condição criada. interestadual ou internacional).1. para o código de imposto C1 – Consumo ICMS + DIFAL.3 – Atualizar esquema de cálculo de impostos: SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Configurações globais > Verificar esquema de cálculo > Definir esquema 8. devem ser ativadas as linhas referentes aos lançamentos que deverão feitos na contabilidade financeira.  Grupo de imposto: preencher o grupo de imposto da condição original. é necessário seguir os passos abaixo: 8. C1 – Consumo ICMS + DIFAL I3 – Industrialização ICMS + IPI Os impostos são calculados e lançados de acordo com a utilização do material (Industrialização/Revenda ou Consumo/Imobilizado) e com a origem e destino do movimento (interno. SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Configurações globais > Verificar esquema de cálculo > Definir tipos de condição Obs. Para verificar o esquema de cálculo TAXBRJ.2 – Definir código de imposto (IVA): na definição de um código de imposto.1 – Esquema de cálculo: o esquema de cálculo define como as condições de impostos devem ser calculadas.1.6C mais utilizado no Brasil é o TAXBRJ. os tipos de condição são associados às chaves de lançamento de conta do razão.

Para definir um código de imposto. .2. para que os valores calculados para um imposto sejam lançados em uma conta distinta: SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Configurações globais > Verificar e modificar opções para processo de tributação 8.2.1 – Definir conta de imposto: neste passo. Um código de imposto sempre deve ser criado com cópia de outro. deve ser informada a conta do razão associada à chave de lançamento (ou chave de conta) referente à condição do imposto. ou seja. é necessário definir sua utilização (consumo ou industrialização) e seus direitos fiscais: SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Opções para cálculo de imposto no Brasil > Definir código de imposto FI/MM Obs. deve ser informada em que conta do razão o valor calculado do imposto será lançado: SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Lançamento > Definir conta de imposto 8.2.2 – Definir chaves de conta: neste passo.3 – Definir utilização e direitos fiscais: após criar o código de imposto.quando a operação for interestadual) e sua contrapartida (já que o DIFAL não é pago diretamente ao fornecedor). o usuário pode criar uma nova chave de conta.: veremos o conceito de direito fiscal quando tratarmos do assunto Nota Fiscal. acessar: SPRO > IMG Referência SAP > Contabilidade Financeira > Configuração Contabilidade Financeira > IVA > Cálculo > Definir código de imposto (ou Definir código IVA) 8.