Você está na página 1de 16

CONCURSO PÚBLICO PARA

Escola de Administração
Fazendária AUDITOR DO TRIBUNAL DE CONTAS DO
ESTADO DO PARANÁ - 2002/2003

Prova 1 e Prova Discursiva Gabarito 1


INSTRUÇÕES
o
Nome: N Inscrição:

1 - Escreva seu nome e número de inscrição, de forma legível, nos locais indicados.
2 - Verifique se o NÚMERO do GABARITO, colocado na quadrícula acima, é o mesmo constante do seu CARTÃO DE RESPOSTAS e
da etiqueta colada na carteira escolar; esses NÚMEROS deverão ser idênticos, sob pena de prejuízo irreparável ao seu resultado
neste processo seletivo; qualquer divergência, exija do Fiscal de Sala um caderno de provas cujo número do gabarito seja igual ao
constante do seu CARTÃO DE RESPOSTAS.
3 - O CARTÃO DE RESPOSTAS não será substituído e deve ser assinado no seu verso.
4 - DURAÇÃO DAS PROVAS: 4h30min, incluído o tempo para preenchimento do CARTÃO DE RESPOSTAS.
5 - Neste caderno, as questões estão numeradas de 01 a 40, seguindo-se a cada uma 5 (cinco) opções (respostas), precedidas das letras
a, b, c, d e e.
6 - No CARTÃO DE RESPOSTAS, as questões estão representadas por seus respectivos números. Preencha, FORTEMENTE, com
caneta esferográfica (tinta azul ou preta), toda a área correspondente à opção de sua escolha, sem ultrapassar seus limites.
7 - Não amasse nem dobre o CARTÃO DE RESPOSTAS; evite usar borracha.
8 - Será anulada a questão cuja resposta contiver emenda ou rasura, ou para a qual for assinalada mais de uma opção.
9 - Ao receber a ordem do Fiscal de Sala, confira este CADERNO com muita atenção, pois qualquer reclamação sobre o total de ques-
tões e/ou falhas na impressão não será aceita depois de iniciadas as provas.
10 - Durante as provas, não será admitida qualquer espécie de consulta ou comunicação entre os candidatos, tampouco será permitido o
uso de qualquer tipo de equipamento (calculadora, tel. celular etc.).
11 - Por motivo de segurança, somente durante os trinta minutos que antecedem o término das provas, poderão ser copiados os seus
assinalamentos feitos no CARTÃO DE RESPOSTAS, conforme subitem 5.9 do edital.
12 - Entregue este CADERNO DE PROVAS, juntamente com o CARTÃO DE RESPOSTAS, ao Fiscal de Sala, quando de sua saída, que
não poderá ocorrer antes de decorrida uma hora do início das provas; a não-observância dessa exigência acarretará a sua exclusão
do concurso.

13 - A prova objetiva está assim constituída:

Disciplinas Questões Peso


Língua Portuguesa 01 a 10
Administração Pública 11 a 15
Economia 16 a 20
1
Contabilidade Geral e Pública 21 a 30
Legislação Específica 31 a 40

Quanto à Prova Discursiva:

1 - Identifique-se apenas na capa (página 16); sua prova discursiva não poderá ser assinada ou rubricada nem conter marcas ou
sinais que o identifiquem.
2 - Use as folhas pautadas do caderno desta prova para elaborar o parecer, a caneta.
3 - As folhas em branco, no final do caderno, poderão ser usadas para rascunho.
4 - Não escreva no espaço à direita "Reservado ao Examinador".
Boa Prova

www.pciconcursos.com.br
LÍNGUA PORTUGUESA Considere o texto para responder às questões 02
e 03.
Monteiro Lobato, ao afirmar que "um
O Tribunal de Contas do Estado do Pa-
país se faz com homens e livros", por certo
raná tem uma história a contar. São mais de
indicou o caminho das pedras àqueles que,
50 anos de fiscalização perene da coisa pú-
descuidadamente, promovem a história sem
blica, cujos princípios foram pinçados da
5 a preocupação de seu registro e que, por
5 própria história das Cortes de Contas de todo
conseqüência, legam ao pó do esquecimento
o mundo. Das contribuições gregas e roma-
tudo o que foi feito – certo ou errado – ou
nas ao modelo canadense de auditoria mo-
deixado de fazer. Os homens fazem a histó-
derna, do Tribunal Imperial do Brasil de 1824
ria. Os livros registram a história. Sem estes,
ao Tribunal de Contas de 1890, do insigne
10 os exemplos do passado, os conhecimentos
10 paranaense Manoel Francisco Correia, filho
técnicos e científicos armazenados, o teste-
de Paranaguá e primeiro Presidente do Tri-
munho e as provas colhidas não seriam re-
bunal de Contas da União, aos ilustres pares
passados às gerações futuras, o que com-
que hoje conduzem essa casa, tudo contri-
prometeria a chamada evolução.
buiu para o desenvolvimento de um órgão de
www.tcparaná.gov.br 15 fiscalização eficiente e dinâmico – dado o
constante aperfeiçoamento das ações –, e
01- Em relação ao texto, assinale a opção incorreta. para a solidificação institucional de um cole-
giado independente e atuante, como o Tribu-
a) A expressão “o que comprometeria” (".13 e nal de Contas paranaense. E dentro de sua
14) pode ser substituída por os quais com- 20 competência, o Tribunal de Contas tem bus-
prometeriam, sem prejuízo das relações cado na informação, por intermédio dos mais
sintáticas e semânticas originais. diferenciados meios de comunicação, a for-
mação de sua história, na luta incessante e
b) Se os travessões (".7) forem substituídos por implacável contra a corrupção e o mau uso
vírgulas, o período permanece gramatical- do dinheiro público.
mente correto.
www.tcparaná.gov.br
c) É uma opção correta unir o segundo e o ter-
ceiro períodos, substituindo-se o sinal de 02- Em relação ao texto, assinale a opção correta.
ponto final por vírgula após “história”(".8 e 9)
e inserindo-se a expressão ao passo que
a) Preservam-se as relações semânticas origi-
antes de “Os livros”(".9), com mudança da
inicial maiúscula para minúscula. nais do texto se o termo “a contar”(".2) for
substituído por qualquer das opções a seguir:
d) O fato de a forma verbal “repassados”(".12 e a ser contada, para contar, de quem contar.
13) estar no masculino comprova o fato de
b) O emprego do pronome relativo “cujos”(".4)
que predomina o masculino genérico quando
o antecedente é constituído de elementos dos indica que “princípios” refere-se a “coisa pú-
dois gêneros. blica”.
e) O emprego do sinal indicativo de crase em c) Como o elemento de composição (in) tem o
traço semântico de negação, a palavra “insig-
“àqueles”(".3) é exigido pela regência do
verbo “indicou”. ne”(".9) está sendo empregada com o sentido
de ignorado.
d) O emprego da palavra “pares”(".12) indica
que os atuais dirigentes têm o mesmo nível
de qualificação e a mesma titulação formal
que o primeiro presidente.
e) O uso da palavra “tudo”(".13) é recurso coe-
sivo que retoma de forma sintética as infor-
mações anteriores, exigindo a concordância
do verbo “contribuir” no singular.

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 2 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
03- Em relação ao emprego dos sinais de pontuação 04- Assinale a opção gramaticalmente correta.
no texto, e considerando as conseqüentes mu-
danças de maiúsculas e minúsculas, assinale a a) A maior cooperação dos órgãos de controle é
opção incorreta. medida indispensável para aumentar a eficá-
cia da fiscalização de obras públicas. A difi-
a) O texto permanece gramaticalmente correto culdade de fiscalizar obras aumenta cons-
se o ponto final após “contar” (".2) for substi- tantemente devido à sofisticação cada vez
tuído por dois-pontos. maior dos mecanismos de desvio de recur-
b) Seria uma opção correta de pontuação subs- sos, porquanto das próprias peculiaridades do
processo de planejamento, contratação e
tituir as vírgulas após “moderna”(".7 e 8) e
execução de obras públicas.
“1890”(".9) pelo ponto-e-vírgula.
b) A cooperação, sobretudo entre o Tribunal de
c) Por não ser de emprego obrigatório, a vírgula Contas da União e os Tribunais de Contas
colocada após o fechamento do travessão dos estados, na troca de experiências e in-
duplo (".16) pode ser suprimida, sem causar formações, de modo a ampliar uma base de
prejuízo à compreensão do período. conhecimentos comuns e criarem uma rede
d) Preserva-se a correção gramatical com eli- de controle que permita detecção mais rápida
minação da vírgula após “União”(".12). de irregularidades, é a melhor alternativa para
e) Os travessões das linhas 15 e 16 podem ser enfrentar as adversidades, uma vez que a
substituídos por parênteses, sem que haja maioria das grandes obras públicas é patroci-
prejuízo para a correção gramatical do perío- nada com recursos federais e estaduais.
do. c) Hoje há maior sintonia do TCU com o Con-
gresso Nacional na fiscalização de obras
públicas, e os contratos ou convênios relati-
vos a obras em que o tribunal tenha apontado
indícios de irregularidades graves fica com os
recursos orçamentários bloqueados.
d) É importante estimular o controle social, pois
as limitações de recursos dos órgãos de fis-
calização tornam praticamente impossível o
monitoramento contínuo de todos os empre-
endimentos. O TCU colocou em sua página
na Internet, para consulta pública, dados
relativos a obras com indícios de irregularida-
des graves. Desse modo, qualquer um pode
acompanhar os problemas existentes nas
obras realizadas em sua comunidade e co-
brar dos responsáveis as providências corre-
tivas.
e) Os recursos somente são liberados após o
TCU constatar de que a adoção de providên-
cias corretivas pelo gestor da obra e após a
edição de um decreto legislativo específico. O
TCU tem encontrado anualmente irregulari-
dades graves em cerca de um terço das
obras fiscalizadas.
Itens adaptados de www.tcu.gov.br Notas da imprensa,
25-11-2002 .

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 3 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
05- Assinale a opção gramaticalmente incorreta. 06- Assinale a opção correta.

a) As Entidades Fiscalizadoras Superiores têm- O problema da corrupção e do uso indevido do


se destacado em diversos países como ór- dinheiro do povo na administração pública cons-
gãos fundamentais para a consolidação de titue(1) um mal que, em maior ou menor escala,
Estados democráticos e para a busca de atinge todas as sociedades. No Brasil, a atuação
implantação de bons governos. do TCU é de grande importância no combate ao
desvio do dinheiro público. Neste ano e até agora,
b) A atuação das Entidades Fiscalizadoras tem
os julgamentos do Tribunal implicaram em conde-
contribuído decisivamente para aumentar a
nações de maus gestores que atingiram acerca
transparência no setor público, para garantir a
de(2) quatrocentos milhões de reais, recursos es-
transparência das ações governamentais e
ses que serão revertidos aos(3) cofres da Nação.
para melhorar a gestão pública de forma
Na área de fiscalização de obras públicas, em
geral. As instituições de controle são essenci-
sintonia com o Congresso Nacional, poderá ser
ais para garantir que mudanças no setor pú-
bloqueado,(4) no Orçamento da União para 2003,
blico e reformas administrativas visem sem-
recursos federais para mais de 160 obras audita-
pre ao benefício da sociedade.
das pelo TCU, nas quais(5) apresentaram irregu-
c) São os auditores governamentais que podem laridades graves, compreendendo recursos da or-
avaliar se agências públicas estão atuando dem de bilhões de reais.
com eficiência, se a qualidade dos serviços
www.tcu.gov.br Notas da imprensa, 25-11-2002, com adapta-
públicos está sendo melhorada, se as tarefas ções.
estão sendo racionalmente divididas entre os
funcionários e se os programas estão atingin-
do seus objetivos. a) 1
d) O controle do desempenho governamental foi b) 2
desenvolvido como complemento à auditoria c) 4
tradicional, assim como a nova gestão pública
d) 3
adicionou eficácia e efetividade administrativa
aos valores burocráticos tradicionais de pru- e) 5
dência e precisão processual.
07- Assinale a opção incorreta para preencher as la-
e) Em relação às duas principais vertentes atu-
cunas do texto abaixo.
ais do controle, à avaliação de desempenho e
o controle de conformidade, não é viável que
O Tribunal ________1__________intensificar a
a primeira venha a substituir integralmente a
cooperação e o intercâmbio de informações com
segunda.
órgãos e entidades nacionais, em especial os de
Itens adaptados de www.tcu.gov.br Notas da imprensa,
21-11-2002.
controle de despesas públicas, _____2_____
aprimorar técnicas e procedimentos de fiscaliza-
ção, _______3_______, no caso dos Tribunais de
Contas dos Estados e dos Municípios, com o in-
tuito de desenvolver ações conjuntas de auditoria.
www.tcu.gov.br - Relatório de atividades do tcu /97

1 2 3
a) tem procurado a fim de como tam-
bém
b) vem procurando afim de mas tam-
bém
c) está procurando com o obje- e também
tivo de
d) procura com o fim mas tam-
de bém
e) busca para bem como

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 4 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
08- Assinale a opção que corresponde a erro grama- 09- Os trechos abaixo constituem um texto, mas es-
tical. tão desordenados. Ordene-os de forma a compo-
rem um texto coeso e coerente e assinale a opção
A estrutura administrativa da Federação teve sua
correta.
completude inspirada pela genialidade de Rui
Barbosa, há mais(1) de um século, que propôs a
criação do Tribunal de Contas da União; primeiro, ( ) Cada um desses casos analisados tem suas
por decreto, depois, pela Constituição de 1891. peculiaridades próprias dentro de um Brasil
As demais(2) Constituições sempre consideraram que se configura como um continente, com
os Tribunais de Contas a melhor forma de con- realidades bastante distintas entre si.
trole interno e externo das contas públicas fede- ( ) Anteviu o grande jurista o importante papel a
rais, estaduais e municipais, quer pelo acompa- ser reservado a esses tribunais, aliadas que
nhamento de execução orçamentária, ou(3) pelo estariam a seus integrantes, a competência
julgamento da aplicação dos recursos públicos, técnica, a imparcialidade profissional e a
com(4) a competência para punir e inibir irregula- sensibilidade social, no trabalho de cunho
ridades na defesa da moralidade pública e do pa- educativo, orientado em seminários.
trimônio do povo, em relação aos quais(5) não ( ) Surgiram as Cortes de Contas do Brasil pela
podemos transigir. inspiração de Rui Barbosa, cujo sesquicente-
Antônio Câmara - XX Congresso dos Tribunais de Contas do nário comemorou-se em 1999.
Brasil, Sessão Solene de Abertura, 12/10/1999 – ( ) O exame exaustivo de processos, que con-
www.tcu.gov.br some horas de leitura, análise e reflexão
sobre o caso, é tantas vezes incomodado
a) 1 pela celeridade com que se cobra o seu pro-
b) 2 nunciamento – uma exigência que muitas
c) 4 vezes não se justifica, já que os pareceres
emitidos pelas Cortes de Contas não se
d) 3 amoldam a modelos estereótipos que obede-
e) 5 çam ao resultado do sempre-igual de equa-
ções matemáticas.
( ) Atuam eles de maneira construtiva, sem se
eximirem, quando pertinente, de indicar as
irregularidades que encontram no exercício
de sua atividade de fiscalização.
(Itens adaptados de Ubiratan Aguiar, XX Congresso dos
Tribunais de Contas do Brasil, Sessão Solene de Abertu-
ra, 12/10/1999 – www.tcu.gov.br)

a) 4º - 5º - 3º - 2º - 1º
b) 5º - 2º - 1º - 4º- 3º
c) 3º - 1º- 2º - 5º - 4º
d) 3º - 4º- 5º - 1º - 2º
e) 1º - 4º - 5º - 3º- 2º

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 5 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
10- Em relação ao texto, assinale a opção incorreta. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

A gênese da Corte de Contas bem exemplifi- Nas questões 11 a 13 marque com C as afirmati-
ca a motivação que lhe norteou a criação, vas corretas e com E as erradas. A seguir, seleci-
após inúmeras tentativas no mesmo sentido, one a opção que representa a seqüência encon-
algumas datadas ainda de 1680. As discus- trada.
5 sões em torno da criação de um Tribunal de
Contas durariam quase um século, polariza- 11- Sobre as teorias da Administração e suas abor-
das pelos que defendiam a sua necessidade, dagens:
para quem as contas públicas deviam ser
examinadas por um órgão independente, e ( ) A Administração Científica tinha por princípios
10 aqueles que o combatiam, por entenderem a melhoria da eficácia por meio do estudo de
que as contas públicas podiam continuar sob tempos de movimentos e um sistema de pa-
controle dos órgãos que as realizavam. Com gamento por produção.
a queda do Império e a realização das refor-
mas político-administrativas da jovem Repú- ( ) A Burocracia tem por significado um sistema
15 blica, o então Ministro da Fazenda, Rui Bar- racionalmente organizado, por meio de nor-
bosa, por meio do Decreto nº 966, de 7 de mas legais expressas, visando à igualdade de
novembro de 1890, criou o Tribunal de Con- tratamento de pessoal e clientes.
tas da União, norteado pelos princípios da ( ) A Abordagem Matemática da Administração
autonomia, fiscalização, julgamento, vigilância enfatiza a aplicação da análise qualitativa aos
20 e energia. A Constituição de 1891, a primeira problemas organizacionais e ao processo
republicana, ainda sob influência de Rui Bar- decisorial administrativo.
bosa, institucionalizou definitivamente o Tri- ( ) A Abordagem Sistêmica, baseada na teoria
bunal de Contas da União no seu artigo 89. A dos sistemas, introduziu o estudo do ambi-
instalação do Tribunal, no entanto, só ocorreu ente externo e sua influência nas organiza-
25 em 17 de janeiro de 1893, graças ao empe- ções.
nho do Ministro da Fazenda do governo de ( ) A Teoria da Contingência surgiu como o re-
Floriano Peixoto, Serzedelo Correia. sultado de pesquisas que concluíram que o
Adaptado de Ubiratan Aguiar, XX Congresso dos Tribu- ajuste da organização à demanda do ambi-
nais de Contas do Brasil, Sessão Solene de Abertura, ente amplia o seu desempenho.
12/10/1999 – www.tcu.gov.br

a) E-C-E-C-E
a) A palavra “gênese”(".1) aplica-se ao contexto
com a acepção de conjunto de fatos ou ele- b) C-E-C-C-C
mentos que contribuíram para produzir um c) C-C-C-E-E
determinado fato, fenômeno ou estado de d) E-E-C-E-E
coisas. e) E-C-E-C-C
b) A expressão “polarizadas”(".6 e 7) está sendo
utilizada para indicar divisão de idéias em
duas posições opostas.
c) Das informações do texto, pode-se inferir que
não havia controle de contas públicas antes
de 1890, data em que foi criado o Tribunal de
Contas da União.
d) Conforme os sentidos do texto, criação, insti-
tucionalização e instalação são diferentes
etapas do processo de consolidação do Tri-
bunal de Contas da União.
e) O emprego da expressão “no entanto”(".24)
deixa pressuposta a idéia de que seria espe-
rado e desejável que a instalação ocorresse
imediatamente subseqüente, ou simultanea-
mente, à institucionalização.

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 6 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
12- Sobre o paradigma do cliente na gestão pública: 13- Considerando-se a reforma do aparelho do Esta-
do adotada no Brasil a partir de 1995, Bresser
( ) A orientação para o cliente significa atender (2002), afirma que “a reforma gerencial de 1995
às suas necessidades e respeitá-lo, sem adotou uma abordagem gerencial da gestão pú-
usurpar seu direito de participar das tomadas blica e uma abordagem social-democrática e so-
de decisão de políticas públicas. cial-liberal do papel do Estado”.
( ) A administração pública voltada para o cida-
As afirmativas abaixo explicam o pensamento
dão pode ser definida como um modelo ge-
apresentado por Bresser sobre a reforma de
rencial cujo objetivo é oferecer serviços públi-
1995.
cos de maior qualidade, atendendo melhor às
demandas dos seus usuários.
( ) “...o ideal para a sociedade civil avançar é um
( ) Uma das motivações do paradigma do cliente
serviço público weberiano, que significa ter
é o forte conflito de interesses entre os cida-
contratos de trabalho mais flexíveis e diri-
dãos que forçam o melhoramento da quali-
gentes públicos profissionais e competentes,
dade dos serviços públicos e administradores
porém com redução sensível de autonomia
das empresas de serviços públicos que ten-
para que haja a ampliação do processo de
tam reduzir os esforços destinados a alcançar
responsabilização”.
tal objetivo.
( ) “...extrai a inspiração da gestão de empresas
( ) O paradigma do cliente-cidadão explica uma
privadas, e porque adota a promoção de
busca pela qualidade que traduz a procura
autonomia e responsabilização das agências
incessante pela excelência, baseada em um
públicas como estratégia básica para atingir
conceito de qualidade específico, que inclui a
mais eficiência e qualidade”.
auto-referência do servidor.
( ) “... afirma o papel do cidadão de requerer do
( ) O paradigma do cliente na gestão pública
Estado a proteção eficaz dos seus direitos
baseia-se na compreensão dos princípios do
individuais e patrimoniais”.
interesse público, do poder e da legitimidade
sem se afastar, contudo, dos princípios em- ( ) “... pressupõe a governança democrática, faz
presariais do mercado e do lucro. do controle social pela sociedade civil uma
forma principal de responsabilização política,
e requer transparência das agências públi-
a) C-C-E-C-C cas”.
b) C-E-C-C-C ( ) “... acredita no mercado como um excelente,
c) E-C-E-C-C mas imperfeito, agente de alocação de recur-
d) C-C-C-E-E sos, e vê a terceirização de serviços e a com-
petição controlada como excelentes ferra-
e) E-E-C-E-E
mentas de responsabilização”.

a) C-C-E-C-C
b) C-C-C-E-E
c) E-C-E-C-C
d) C-E-C-C-C
e) E-E-C-E-E

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 7 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
14- Relacione as colunas e selecione a opção que 15- A excelência no serviço público atende a exigên-
representa a seqüência encontrada. cias de desempenho de servidores e gestores.
Entre as opções abaixo, indique aquela que não
I. Introdução da lógica da ( ) Modelo Pós-burocráti- representa uma ação de excelência.
eficiência e produtivida- co
de, característica do
setor privado, de forma a a) É essencial estabelecer as normas e os pro-
contentar os contribuin- cedimentos que garantam automaticamente
tes. a dinâmica institucional que regulem sua
II. Redefinição do público- ( ) Governança atividade e uma série de limites e controles
alvo, que passa do con- para prevenir abusos e faltas.
tribuinte para o clien-
b) Os Gestores devem manter o foco na satisfa-
te/consumidor.
( ) Modelo Burocrático ção dos usuários, na qualidade dos serviços e
III. Focalização no consu-
midor e a introdução da na promoção da consulta ao público e da
abordagem qualitativa transparência.
na gestão pública: recu- c) Da condição de meros administradores dos
peração do conceito de organismos públicos os gestores passam a
público. desempenhar um papel semelhante ao de
IV. Organiza-se no sentido ( ) Modelo Gerencia-
gerentes, conduzindo as instituições como
de imprimir à administra- lista
ção pública um caráter unidades produtivas ou prestadoras de servi-
profissional e limitador ços.
ao clientelismo e ao d) Deve-se mudar o papel e o perfil dos diri-
patrimonialismo. gentes públicos, privilegiando neles suas
V. Um ramo executivo de ( ) Modelo de Empreen- capacidades gerenciais e de liderança.
governo responsável por dedorismo público
suas ações e uma soci- e) Estimular iniciativas que valorizam a função
edade civil forte e parti- pública e medidas de reorganização do tra-
cipante dos assuntos balho que garantam maior participação, auto-
públicos, todos eles nomia e oportunidades de desenvolvimento
agindo sob o primado da profissional aos servidores.
lei.
ECONOMIA
a) II - III - I - V - IV
b) II - V - IV - I - III 16- Considere dois bens A e B relacionados à de-
c) I - II - IV - V - III manda. Suponha que, em virtude de uma altera-
ção nas condições de oferta, o preço do bem B
d) I - II - IV - III - V tenha sofrido uma elevação. Em decorrência dis-
e) III - I - V - IV - II so:

a) Caso A e B sejam complementares, as ven-


das do bem A deverão aumentar, sendo que
seu preço cairá ou permanecerá estável, caso
sua oferta seja perfeitamente elástica.
b) Em resposta à elevação nos preços do bem
B, os consumidores passarão a demandar
uma menor quantidade do mesmo, o que
forçará o preço desse bem a retomar o seu
patamar inicial.
c) Caso A e B sejam complementares, as ven-
das do bem A deverão diminuir, sendo que
seu preço cairá ou, caso sua oferta seja per-
feitamente elástica, permanecerá estável.
d) Caso A e B sejam substitutos, as vendas do
bem A deverão diminuir, sendo que seu preço
cairá ou, caso sua oferta seja perfeitamente
elástica, permanecerá estável.

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 8 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
e) Caso A e B sejam substitutos, as vendas do 19- Segundo o Banco Central do Brasil, em setembro
bem A deverão aumentar, sendo que seu de 2002, foram observados os seguintes valores:
preço cairá ou, caso sua oferta seja perfeita-
mente elástica, permanecerá estável. PMPP DV CX
0,37 ; 0, 63 ; 0,10 ;
M1 M1 DV
17- Um aeroporto encontra-se localizado em uma
área que, com a expansão da cidade, passou a RB
0,37 . As siglas estão explicadas abaixo:
ser residencial. O ruído dos aviões incomoda os DV
moradores dessa área que pedem uma realoca-
ção do aeroporto. Pode-se afirmar que: PMPP - Papel-moeda em poder do público;
M1 - Meios de pagamento;
a) Não é possível dizer se a transferência gerará DV - Depósitos a vista;
um ganho de eficiência ou não a partir de CX - Encaixe de moeda corrente;
critérios puramente econômicos, uma vez que RB - Reservas bancárias.
o problema envolve aspectos morais.
b) A remoção do aeroporto é uma medida efici- Com base nessas informações, o valor do multi-
ente, pois os moradores têm direito a um plicador da base monetária deve ser igual a,
ambiente adequado. aproximadamente:
c) A remoção do aeroporto não é eficiente, uma
vez que os moradores passaram a habitar a a) 2,2
vizinhança após a construção do aeroporto. b) 1,5
d) Uma situação como essa não poderia ocorrer, c) 1,7
uma vez que os agentes são racionais.
d) 3,0
e) Mesmo que se estabeleça claramente que o
aeroporto tem o direito legal de emitir os e) 0,9
ruídos ou que os moradores têm direito legal
ao silêncio, a solução do conflito por meio de
negociação poderia não ocorrer por ser a
ausência de ruído um bem público.

18- Em uma economia fechada com a curva de oferta


agregada completamente inelástica, um aumento
dos gastos públicos deve:

a) Reduzir a participação do setor privado na


economia.
b) Gerar um aumento no produto agregado.
c) Gerar um aumento generalizado nos preços,
desde que seja financiado por emissão de
títulos públicos.
d) Gerar um aumento no produto de equilíbrio,
desde que seja financiado por emissão mo-
netária.
e) Gerar uma redução no produto agregado.

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 9 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
20- No que diz respeito aos indicadores para a sele- CONTABILIDADE:
ção de projetos, pode-se afirmar que GERAL

a) os indicadores relação custo-benefício, taxa 21- Determinada companhia aberta apresenta, a se-
interna de retorno e valor presente são for- guir, todas as suas contas patrimoniais, exceto as
mas diferentes de medir a mesma coisa e, pertencentes ao patrimônio líquido, com seus res-
por essa razão, na escolha entre dois proje- pectivos saldos em 31 de dezembro de 2001:
tos, não podem induzir respostas conflitantes.
Contas valores em R$
b) o melhor indicador para a seleção de projetos
é a relação custo-benefício. Disponibilidades 120.000,00
Contas a pagar 385.000,00
c) a taxa interna de retorno é a taxa à qual o
capital adiantado para um investimento é Contas a receber 525.000,00
recuperado por meio das vendas dos serviços Estoques 265.200,00
desse investimento ao mercado doméstico. Tributos a pagar 125.300,00
d) para um projeto, cujos fluxos de caixa são Provisões para contingências 75.600,00
inicialmente negativos e apresentam um úni- Despesas do período seguinte 2.500,00
co momento de reversão de sinal, a partir do Receitas de exercícios futuros 3.750,00
qual passam a ser positivos até o final do Dividendos a pagar 12.500,00
projeto, o período de payback descontado é Empréstimos e financiamentos a
sempre maior ou igual ao período de payback pagar 125.300,00
simples. Aplicações financeiras 35.600,00
e) o valor presente de um projeto é um indicador Investimentos 13.750,00
pobre de sua viabilidade, pois não considera Imobilizado 375.250,00
o valor do dinheiro no tempo. Depreciação acumulada 126.750,00
Diferido 12.678,00
Amortização acumulada 3.790,00
Pessoal e encargos a pagar 36.890,00

Com base nesses valores, conclui-se que o patri-


mônio líquido

a) é menor que R$ 300.000,00


b) está situado entre R$ 300.000,00 e
R$ 400.000,00
c) está situado entre R$ 400.000,01 e
R$ 450.000,00
d) é maior que R$ 500.000,00
e) está situado entre R$ 450.000,01 e
R$ 500.000,00

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 10 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
22- Todas as contas de resultado da Companhia Co- 23- A Companhia Acumuladora apresenta abaixo
mercial Profissional, em 31 de dezembro de 2001, alguns elementos da demonstração de lucros ou
estão apresentadas a seguir. prejuízos acumulados, referentes ao exercício en-
cerrado em 31 de dezembro de 2001:
Contas valores em R$
Contas de resultado devedores credores Lucros acumulados em 31/12/2000 156.250,00
Receita bruta de vendas 1.875.000,00 Ajustes de exercícios anteriores 25.230,00
Tributos sobre as vendas 393.750,00 Reversão da reserva de lucros a
Custo das mercadorias vendi- realizar 75.200,00
das 750.000,00 Lucro líquido do exercício 125.300,00
Despesas comerciais 178.000,00 Reserva legal (6.265,00)
Despesas gerais e administrati- Reserva de contingências (25.000,00)
vas 175.000,00 Reservas estatutárias (35.000,00)
Outras receitas e despesas
operacionais 12.500,00
Considerando os elementos acima, que a reserva
Receitas e despesas financeiras 112.000,00
de lucros a realizar foi constituída antes da Lei nº
Resultado não operacional 12.500,00
10.303/2001 e que deve seguir o critério de for-
Provisão para Imposto de Ren-
mação do lucro líquido ajustado da legislação vi-
da e Contribuição sobre o Lucro
Líquido 90.525,00 gente à época da sua constituição, pode-se afir-
mar que o lucro líquido ajustado, base de cálculo
Com base nesses valores, conclui-se que o lucro do dividendo mínimo obrigatório, em conformida-
líquido do período se situa de com a Lei das Sociedades Anônimas, é de

a) abaixo de R$ 100.000,00 a) R$ 169.235,00


b) entre R$ 100.000,00 e R$ 150.000,00 b) R$ 104.235,00
c) entre R$ 200.000,01 e R$ 250.000,00 c) R$ 124.235,00
d) entre R$ 150.000,01 e R$ 200.000,00 d) R$ 134.235,00
e) acima de R$ 250.000,00 e) R$ 94.235,00

24- A Companhia Aberta possui 50% do total das ações


da sua controlada Companhia Fechada e tinha esse
investimento avaliado por R$ 250.000,00 em 30 de
novembro de 2001, com base no método de equi-
valência patrimonial. Em 31 de dezembro de 2001, a
Companhia Fechada encerrou as suas demonstra-
ções contábeis com um patrimônio líquido de
R$ 530.000,00, em conseqüência do lucro líquido,
antes da declaração de dividendos, de
R$ 10.000,00 e de emissão de novas ações pelo
valor total de R$ 20.000,00. A controladora abriu
mão do direito de preferência, fazendo com que a
sua participação se diluísse, chegando a 48% do
total das ações em 31 de dezembro de 2001. Com
base nisso, pode-se dizer que a controladora apurou
resultado operacional positivo de equivalência pa-
trimonial, em dezembro de 2001, de

a) R$ 4.400,00
b) R$ 5.000,00
c) R$ 4.800,00
d) R$ 10.400,00
e) R$ 14.400,00

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 11 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
Rascunho 25- São os seguintes os elementos de uma demons-
tração das origens e aplicações de recursos da
Companhia Líquida, no exercício social encerrado
em 31 de dezembro de 2001:

DOAR
Valores em
Rubricas R$
Lucro líquido do exercício 253.120,00
Despesa de depreciação 125.360,00
Desp. var. cambial de passivo exig. longo
prazo 36.700,00
Aumento do passivo exigível a longo
prazo 253.120,00
Aumento do ativo realizável a longo pra-
zo 12.500,00
Emissão de novas ações com ágio 52.500,00
Dividendos declarados 80.000,00
Aquisição de ações permanentes (inves-
timento) 12.600,00
Aquisição de ativo imobilizado 416.780,00
Compra de ações próprias para tesoura- 20.000,00
ria

Diante dessas rubricas e valores, pode-se afirmar


que a variação do capital circulante líquido no pe-
ríodo foi de

a) R$ 218.920,00
b) R$ 178.920,00
c) R$ 203.920,00
d) R$ 541.880,00
e) R$ 720.800,00

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 12 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
PÚBLICA 29- Na Demonstração das Variações Patrimoniais, o
resultado (..1..) é apurado pela diferença entre
26- Segundo os preceitos da contabilidade pública, a (..2..).
aquisição de um bem, a vista, com recursos or-
çamentários, (..1..) (..2..)
a) financeiro as variações ativas e passivas
a) gera uma interferência ativa como forma de
b) patrimonial as variações ativas e passivas
possibilitar o controle da execução orçamen-
tária. c) patrimonial as receitas previstas e as
despesas fixadas
b) gera uma mutação passiva que será levada
ao resultado do exercício. d) financeiro as receitas previstas e as
despesas fixadas
c) gera uma interferência passiva destinada a
controlar o desembolso de recursos financei- e) patrimonial mutação ativas e passivas
ros.
30- Acerca da conta ”Disponibilidade por Fontes de
d) não gera lançamentos em contas de muta-
Recursos”, que, no Plano de Contas do Estado do
ções e interferências, por se tratar de um fato
Paraná, caracteriza-se pelo grupo 81910000, é
permutativo.
correto afirmar que:
e) gera uma mutação ativa que objetiva com-
pensar o lançamento da despesa.
a) tem seu saldo reduzido pela emissão de em-
penho.
27- Com base nos dispositivos da Lei nº 4.320/64,
assinale a opção incorreta. b) por ser conta de compensação, tem seu saldo
“zerado” após o encerramento do exercício.
a) O Balanço Orçamentário demonstra as re- c) se seu saldo, ao final do exercício, for negati-
ceitas arrecadadas em confronto com as vo, deverá ocorrer, no exercício subseqüente,
despesas realizadas. o recebimento de recursos financeiros desti-
nados ao pagamento de Restos a Pagar.
b) O Ativo Financeiro compreende os créditos e
valores realizáveis, independentemente de d) mantém sempre igualdade com o saldo ban-
autorização orçamentária e dos valores nu- cário, sendo, porém, discriminada de forma
merários. analítica.
c) A Demonstração das Variações Patrimoniais e) tem seu saldo alterado por ocasião do paga-
evidencia as alterações verificadas no patri- mento de Restos a Pagar.
mônio, resultantes ou independentes da exe-
cução orçamentária, e indica o resultado
patrimonial do exercício.
d) Nas contas de compensação são registrados
os bens, valores, obrigações e situações não-
compreendidas nos ativos e passivos finan-
ceiro e permanente e que, mediata ou indire-
tamente, possam vir a afetar o patrimônio.
e) Por ocasião dos Balanços poderão ser feitas
reavaliações dos bens móveis e imóveis.

28- A despesa de amortização de empréstimos obti-


dos de terceiros tem como conseqüência a se-
guinte alteração patrimonial:

a) insubsistência ativa orçamentária.


b) superveniência passiva orçamentária.
c) variação passiva extra-orçamentária.
d) mutação ativa orçamentária.
e) variação ativa extra-orçamentária.

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 13 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA 34- As autarquias estaduais do Paraná, conforme
prevê a Constituição desse Estado,
31- Compete à Assembléia Legislativa do Estado do
Paraná, privativamente, processar e julgar, nos a) sujeitam-se ao mesmo regime jurídico comum
crimes de responsabilidade, as empresas privadas, quanto a direitos e
obrigações.
a) os Deputados Estaduais. b) subordinam-se ao princípio da legalidade,
b) os Juízes dos Tribunais de Alçada do Estado. mas não quanto à exigência de licitação, para
c) os Prefeitos Municipais. a contratação de compras, obras e serviços.
d) o Vice-Governador do Estado. c) têm seus servidores, necessariamente, regi-
dos pelo regime jurídico da CLT.
e) os membros do Ministério Público do Estado.
d) subordinam-se ao princípio da legalidade,
32- O sistema financeiro estadual, estruturado de mas não quanto à exigência de concurso
forma a promover o desenvolvimento equilibrado público, para admissão de pessoal efetivo dos
do Estado e a servir aos interesses da coletivida- seus quadros.
de, conforme previsão constitucional expressa, e) só podem ser criadas por lei específica.
será regulado nessa Unidade Federada, observa-
das as normas gerais pertinentes da legislação 35- De acordo com expressa previsão em norma con-
federal, em tida na Constituição do Estado do Paraná, aos
servidores ocupantes de cargos públicos efetivos
a) Lei Ordinária estaduais não se aplica a regra constitucional,
que assegura aos trabalhadores urbanos em geral
b) Lei Complementar o direito a
c) Decreto Regulamentar do Governo
d) Ato do Tribunal de Contas a) décimo terceiro salário, com base na remune-
e) Decreto Legislativo ração integral.
b) duração do trabalho normal limitado a oito
33- A função de examinar e emitir parecer sobre os horas.
planos e programas estaduais, regionais e setori- c) repouso semanal remunerado.
ais, previstos na Constituição do Estado do Para-
ná, cabe d) aviso prévio proporcional ao tempo de servi-
ço.
a) à Assembléia Legislativa. e) remuneração do serviço extraordinário supe-
rior no mínimo em 50% à do normal.
b) ao Tribunal de Contas.
c) à Comissão Técnica da Assembléia Legislati- 36- As decisões fazendárias de última instância, con-
va. trárias ao erário, serão apreciadas em grande re-
d) ao Sistema de Controle Interno. curso, conforme previsão constitucional,
e) à Secretaria de Estado da Fazenda.
a) pelo Sistema do Controle Interno.
b) pelo Tribunal de Contas do Estado.
c) pelo Secretário de Estado da Fazenda.
d) pelas Turmas do Juizado Especial.
e) por Juízo Arbitral.

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 14 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
37- Segundo prevê a Constituição do Estado do Pa- 40- A Advocacia do Estado do Paraná, como função
raná, os atos de concessão de aposentadoria dos institucionalizada, será executada pela sua Procu-
servidores estaduais efetivos, sujeitos à aprecia- radoria Geral, que exercerá, entre outras funções,
ção do Tribunal de Contas, somente produzirão a representação judicial
efeito após o seu registro por esse órgão de con-
trole externo, que deverá apreciá-los no prazo a) e extrajudicial do Estado bem como a coor-
máximo de denação dos órgãos de assessoramento
jurídico do Poder Executivo.
a) 30 dias b) do Estado, bem como a coordenação do
b) 120 dias assessoramento jurídico dos órgãos dos Po-
c) 60 dias deres Legislativo, Executivo e Judiciário.
d) 180 dias c) do Estado, bem como a consultoria jurídica
dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciá-
e) 1 ano
rio.
38- A fiscalização financeira dos Municípios do Esta- d) do Estado, bem como a consultoria jurídica
do do Paraná será exercida, mediante controle dos 3 Poderes e a coordenação dos seus
externo, pela Câmara Municipal respectiva, com o órgãos de assessoramento jurídico.
auxílio do Tribunal de Contas estadual, ao qual e) do Estado e das suas autarquias, bem como
compete o assessoramento jurídico dos Poderes Exe-
cutivo, Legislativo e Judiciário.
a) julgar as contas anuais dos Prefeitos.
b) dar parecer prévio sobre as contas anuais
dos Prefeitos, a serem julgadas pela Assem-
bléia Legislativa.
c) dar parecer à Câmara de Vereadores sobre
as contas dos recursos repassados pelo Es-
tado.
d) apreciar a legalidade das aposentadorias dos
servidores municipais regidos pelo regime da
CLT.
e) fiscalizar a aplicação dos recursos repassa-
dos pelo Estado aos Municípios, mediante
convênios.

39- Aos membros do Ministério Público, junto do Tri-


bunal de Contas, aplicam-se as disposições cons-
titucionais relativas ao Ministério Público do Esta-
do, no que se refere a

a) formas de investidura, direitos e vedações.


b) funções, autonomia e prerrogativas.
c) prerrogativas, autonomia e vedações.
d) autonomia, vedações e formas de investidura.
e) direitos, vedações e funções.

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 15 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br
ESAF

Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná 16 Prova 1 e Prova Discursiva - Gabarito 1

www.pciconcursos.com.br