Você está na página 1de 3

Pequeno manual de dicas de produção, captura e edição de vídeo

Richardson Pontone*

Para fazermos um vídeo, temos basicamente quatro etapas que serão rapidamente
explicadas aqui, são essas etapas as seguintes:

Gravação do material;
Transferência do material para o computador;
(captura) Edição não linear;
Saída do material;
Gravação.

Equipamentos de Gravação:

Câmera, bateria, carregador de bateria, microfone (opcional), tripé (opcional), cabo firewire
(p/ computador), cabo RCA (p/ TV) fitas.

Cuidados básicos com o equipamento:

Nunca deixar equipamento e fitas expostos a chuva e sol;


Nunca deixar a câmera sozinha;
Todo cuidado ao limpar as lentes, de preferência com líquido e papel específico de limpeza.
Ao usar microfone certifique-se que o mesmo está funcionando (um fone de ouvido já
resolve);
Ao colocar ou remover a fita deve-se ficar atento para não forçar o processo de abrir ou
fechar o compartimento, cada câmera tem uma forma de funcionamento, porém nenhuma
exige o uso de força, caso não funcione com um leve toque leia o manual para ter certeza do
correto manuseio;
Atenção: As baterias da câmera devem ser totalmente descarregadas antes de iniciar a
recarga, sob risco de danificá-las permanentemente.

Menus básicos da câmera:

Rec - inicia e para a gravação;


Foco automático - a câmera ajusta automaticamente o foco;
Foco manual - o operador de câmera ajusta manualmente o foco, podendo escolher a área
que irá ter destaque no quadro Dica: quando os objetos estiverem distantes e você estiver
fazendo uso do foco manual, de um zoom até a imagem principal do quadro, ajuste o foco e
depois retorne para quadro original;
Exposure automático - a câmera fará a exposição automaticamente, pela luz da maior área
do quadro. Manual - o operador de câmera ajusta manualmente a exposição, é
recomendável sempre usar manual, ajustando a luz pela cor da pele das pessoas;
White balance - os diferentes tipos de lâmpadas, iluminam diferentemente os objetos,
causando distorções de cores, uma lâmpada fluorescente, por exemplo, é azulada, deixando
tudo na imagem azulada, para se corrigir isso, temos a função chamada white balance ou
balanço do branco, para isso usa-se um papel branco, na frente da câmera, e estipula-se que
aquilo é branco, assim temos uma mesma referência nas diferentes condições de luz.
automático - algumas câmeras tem somente opções automáticas onde não se pode regular o
white balance, e outras contam com ajustes pré automáticos, com opções de luz exterior/
interior/ luz fluorescente manual - não são todas as câmeras que contam com essa opção,
para "bater o branco" (termo para ajuste manual do branco), devemos posicionar uma folha
branca de papel em no local e com as condições de luz onde será realizada a filmagem
apertando o botão de white balance, toda vez que mudar de situação (luz ou ambiente)
deve-se repetir essa operação garantindo assim uma constância de cor nas imagens, mesmo
em diferentes ambientes;
Shutter speed - controla o tempo de exposição de um frame, criando aquele efeito de
maior ou menor congelamento da imagem, quanto mais lento estiver o shutter, teremos
maior tempo de exposição de imagem e conseqüentemente maior o efeito de congelamento
do objeto.
Enquadramentos:

Plano Geral: Pega amplamente todo o ambiente onde está o objeto da filmagem;
Plano Aberto: Pega todo o objeto da filmagem;
Plano Americano: Mostra dois terços do objeto (muito usado em filme faroeste, cortavam o
quadro no joelho para poder mostrar a arma);
Plano Médio: mostra meio objeto;
Plano Próximo: Mostra 1/3 do objeto;
Close: Mostra parte significativa do objeto (rosto de uma pessoa em tela cheia);
Super Close: Mostra detalhe de parte significativa do objeto (ex. só o nariz).

Movimentos de Câmera

Panorâmica (Pan): movimento horizontal de câmera;


Tilt: movimento vertical de câmera;
Travelling: Movimento onde a câmera anda sobre um carrinho. Pode ser horizontal, vertical.
(ex. câmera sobre um skate);
Zoom: Movimento de lente que aproxima ou distância o objeto, alterando também a
profundidade de campo (distância aparente entre o fundo e o objeto). Pode ser In ou Out
(aproximando ou afastando).

Alguns termos utilizados:

Firewire - também chamado de IEEE- 1394 - protocolo padrão para transmissão digital de
áudio e vídeo, esse tipo de cabo permite que o computador se comunique com as câmeras
digitais;
RCA - tipo de conector utilizado normalmente em cabos que transmitem sinal de vídeo
composto é também utilizado para poder visualizar as imagens da câmera diretamente na
TV. Composto por três plugues sendo que o vermelho e branco são para áudio e o amarelo
é para vídeo.

Captura e Edição

Captura

Com as novas tecnologias, já é possível editar material utilizando somente um bom


computador, esse tipo de edição chamamos de não-linear (ou seja, as imagens podem ser
vistas e usadas de forma aleatória e não como uma fita que é linear, pois tem que seguir
uma seqüência para ver um determinado ponto), para iniciar uma edição precisamos
primeiramente colocar as imagens da fita para o computador, assim que as imagens
estiverem no HD do seu computador podemos editá-la através de um software.
Para capturarmos a imagem de uma câmera, no computador precisamos de uma
placa de captura (que vai fazer a transferência dos dados de áudio e vídeo), porém existem
dois tipos de sinais, os analógicos (vhs, svhs, 8mm, hi8, betacam standard) e os digitais
(minidv, dv, dvcam, digital8), existem placas de captura tanto analógicas (convertem o sinal
para digital) quanto digitais. Em placas de capturas analógicas podemos utilizar o RCA para
ligar a câmera à placa, ou o s-vídeo com RCA de áudio (no caso da SVHS e Hi8) ao invés de
conectar o plug amarelo de vídeo do RCA se utiliza o cabo s-vídeo, mantendo conectado o
RCA de áudio. Em placas de captura digital, a câmera se liga ao computador através do
Firewire, este é um cabo de duas vias, ou seja, os sinais trafegam tanto num sentido quanto
no outro.

EDIÇÃO

Os comandos da edição variam de software para software, existem no mercado uma


infinidade de programas disponíveis, mas a grande maioria trabalha construindo a edição no
timeline, ou seja, uma linha que marca o tempo do vídeo, onde a pessoa vai construindo
dentro do tempo desejado, adicionando transições, efeitos e áudio ao vídeo.
Alguns programas permitem que você vá assistindo ao vídeo no momento que você
está editando, isso chama-se preview, porém alguns necessitam que você renderize
(processar a imagem) os efeitos e transições antes de poder assisti-los. A edição pode ser
interrompida quando quiser, para isso deve-se salvar o projeto, (que não é o vídeo ainda),
quando se termina o processo de edição, deve-se exportar o filme composto no timeline. E
uma vez pronto e exportado, o arquivo de vídeo criado não poderá mais ser modificado, para
isso você deve retornar ao software, abrir seu projeto, fazer a mudança necessária para
então exportar novamente o novo vídeo.
Para dar saída do vídeo existem diversas opções, pode-se passar o material para fita
mini dv, VHS, para Internet ou DVD, para passar para fita deve-se usar a mesma placa de
captura, porém na placa analógica deve-se mudar os cabos para os plugues de saída, já na
firewire não necessita essa mudança, pois ela é de duas vias. Para Internet e DVD o vídeo
depois de pronto deve ser comprimido. Os sinais de vídeo são comprimidos para ocuparem
menos espaço ao serem armazenados ou disponibilizados, nesse processo se descarta parte
das informações de imagem, quanto maior a compressão (arquivo menor), maior a
probabilidade de surgirem defeitos na imagem falhas nas cores ou resolução em
determinados pontos do vídeo, vale ressaltar que no processo de descompressão a qualidade
da imagem não é reconstituída, ou seja, essas falhas são permanentes.

Alguns softwares para edição e finalização de vídeo

Windows – Avid / Adobe Premiére / Vegas


Mac - Final cut / I movie
Linux – Cinelerra

ALGUNS RECURSOS E DENOMINAÇÕES UTILIZADOS EM EDIÇÃO

Corte seco - quando não se utiliza nenhum recurso ao cortar de uma cena para outra;
Transição - todo recurso utilizado entre a passagem de uma cena para outra com uso de
efeito;
Efeito - recurso que os softwares usam para mudar as características visuais de uma
imagem;
Fade-in - transição gradual de um quadro preto para uma imagem;
Fade-out - transição gradual de uma imagem para um quadro preto;
Gerador de caracteres (GC) - usado para inserir textos nas imagens;
Timecode (TC) - é o tempo do vídeo, marcado por horas, minutos, segundos e frames, no
sistema NTSC trabalhamos com 30 (29,97) quadros por segundo;

Links de Curtas para assistir na Internet

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/static/video.shtml
http://my5minutes.com/ http://www.curtagora.com/
http://www.curtaocurta.com.br/

Links de Manual
http://www.fazendovideo.com.br/index.htm
http://www.roteirodecinema.com.br/

Links diversos
http://www.post-videoart.com/ http://www.headbangers.tv/
http://www.snackonart.org/ http://www.usemedia.com/
http://www.ime.usp.br/~arlindo/articles/tvlivre.htm

Richardson Pontone, publicitário, especialista em mídia eletrônica, técnico do


laboratório de TV da Universidade FUMEC e professor de Produção
Publicitária em Vídeo do Instituto J.Andrade.
rpontone@yahoo.com.br
www.videolog.tv/trintaporsegundo
frame.wikispaces.org