Você está na página 1de 4

SUMÁRIO DA COMPANHIA

Visão Geral

Somos uma empresa integrada de energia e atuamos na distribuição, geração


e comercialização de energia elétrica no mercado brasileiro. Possuímos a
maior área de concessão de distribuição do Brasil, cobrindo cerca de 2.787.107
km2, que são equivalentes a aproximadamente 34% do território nacional, e
abrigam uma população total de mais de 16,0 milhões de habitantes.
Distribuímos energia elétrica para aproximadamente 4,2 milhões de
consumidores em 578 municípios em sete Estados.

Com faturamento anual de R$ 6,1 bilhões, a Rede Energia distribui quase 16


mil gigawatts/hora por ano. O grupo, com 106 anos no setor elétrico, tem hoje
mais de 317 mil quilômetros em seu sistema de distribuição e 454 subestações.
A empresa fez investimentos da ordem de R$ 1,5 bilhão, em 2008, e conta com
13,2 mil pessoas no seu quadro de colaboradores.

Uma das características da Rede Energia é o pioneirismo. O primeiro passo


neste sentido foi dado em 1903 com a fundação da Empresa Elétrica
Bragantina S.A., que atende 15 (quinze) municípios sendo 5 (cinco) no estado
de São Paulo e 10 (dez) no estado de Minas Gerais. Depois foram adquiridas
três concessionárias a Empresa de Distribuição de Energia Vale
Paranapanema S.A., em 1980, atendendo a 27 municípios, a Companhia
Nacional de Energia Elétrica, em 1984, atendendo a 15 municípios e a Caiuá
Distribuição de Energia S.A., em 1985. que atende a 24 municípios. E, em
1995, a Companhia de Força e Luz do Oeste, que atende o município de
Guarapuava no estado do Paraná.

O pioneirismo da Rede Energia não parou por ai. A empresa aceitou o desafio
lançado pelo governo do então recém-criado estado do Tocantins ao participar
do leilão de privatização da Companhia de Energia Elétrica do Estado do
Tocantins – CELTINS, em 1989. O vencedor seria aquele que apresentasse o
maior plano de investimentos no estado para os 10 anos seguintes. O grupo
investiu R$ 106 milhões na região no período estipulado.

Era o primeiro passo para participar ativamente do processo de privatização


desencadeado na década de 90. Em 1997, ganhou o leilão de privatização da
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. – CEMAT e, em 1998, o da Centrais
Elétricas do Pará S.A. – CELPA. Em 2001, o grupo realizou o maior
empreendimento da iniciativa privada de geração de energia elétrica: a Usina
Hidrelétrica Luis Eduardo Magalhães (Lajeado), no Tocantins. Um dos mais
arrojados projetos realizados no Brasil, tornou-se um março para o setor
elétrico.

Em 2008, a Rede Energia trocou sua participação na Usina Hidrelétrica de


Lajeado por 100% das ações da ENERSUL, no Mato Grosso do Sul. A
ENERSUL está presente em 73 dos 78 municípios sul-mato-grossenses e
atende mais de dois milhões de pessoas. A empresa distribui 2.928 GWh para
740 mil clientes. Sua área de concessão corresponde a 92% do território sul-
mato-grossense, inclusive o Pantanal, patrimônio da humanidade e maior área
alagada do planeta.

Nossa principal atividade é a distribuição de energia elétrica, que realizamos


por meio de nossas controladas CELPA, CEMAT, CELTINS, ENERSUL e
REDE SUL/SUDESTE, possuímos um Sistema de Distribuição com
aproximadamente 317.389 Km de redes. Nossas atividades de geração de
energia elétrica incluem participações na, UHE Guaporé e na PCH Juruena,
que representam uma capacidade total instalada de [50,72] MW.
Adicionalmente, através de nossa subsidiária Rede Comercializadora de
Energia S.A. – REDECOM, comercializamos energia elétrica em todo Brasil.
Abaixo se encontram as nossas principais informações financeiras e
operacionais consolidadas para os períodos indicados:

Re de Ene rgia S.A. Exe rcícios findos e m 31 de de ze m bro de Pe ríodo de trê s m e s e s findos e m
2008 2007 Var. % 31/3/2009 31/3/2008 V ar. %

Receita Bruta 6.075.141 5.179.668 17,29 1.722.474 1.320.635 30,43


Deduções da receita (2.079.385) (1.879.477) 10,64 (571.740) (454.008) 25,93
Re ce ita líquida 3.995.756 3.300.191 21,08 1.150.734 866.627 32,78
Custo de bens e serviços vendidos (2.835.918) (2.172.977) 30,51 (863.205) (631.236) 36,75
De s pe s as ope racionais (90.875) (101.052) (10,07) (36.453) (16.519) 120,67
(-) Despesas com vendas (144.210) (162.606) (11,31) (47.780) (34.288) 39,35
(-) Desp. gerais administrativas (269.674) (237.131) 13,72 (78.964) (61.078) 29,28
(-) Outras despesas operacionais (18.226) (25.158) (27,55) (5.807) (6.371) (8,85)
Depreciação e amortização 341.235 323.843 5,37 96.098 85.218 12,77

Re de Cons olidado 1.068.963 1.026.162 4,17 251.076 218.872 14,71

O EBITDA da REDE ENERGIA CONSOLIDADO, que representa o resultado


operacional calculado a partir do resultado do serviço das demonstrações do
resultado, acrescido da depreciação e amortização das demonstrações dos
fluxos de caixa, foi de R$ 1.069,0 milhões em 2008 e R$ 1.026,2 milhões em
2007, representando um crescimento de 4,2% (R$ 42,8 milhões), influenciado
pelo aumento de 21,1% (R$ 695,6 milhões) na receita operacional líquida,
compensado negativamente pelo aumento de 30,5% nos custos dos bens e
serviços vendidos (composto por energia comprada para revenda, encargos de
uso do sistema e PMSO). Esse aumento foi principalmente devido ao
incremento de 35,6% no custo com energia comprada e encargos de uso do
sistema, em razão do aumento da demanda e também pelo risco de escassez
nos primeiros meses de 2008.

R$ mil
Rede Sul / Se
REDE SUL/SE: o EBITDA da REDE SUL/SE passou de R$ 148,6 milhões em
2007 para R$ 94,7 milhões em 2008, representando um decréscimo de 36,3%.
Essa redução foi influenciada pelo aumento das despesas operacionais em
18,7% (R$ 84,1 milhões), maior portanto, que o aumento da receita operacional
líquida que foi 4,8% (R$ 28,5 milhões). O maior impacto sobre as despesas foi
o aumento do custo com energia comprada para revenda, não gerenciável pela
companhia, e, portanto passível de recuperação via tarifa de fornecimento.

CELTINS: o EBITDA da CELTINS apresentou um aumento de 11,1%,


passando de R$ 94,7 milhões em 2007 para R$ 105,1 milhões em 2008,
principalmente devido ao aumento da receita líquida em 9,1%.

CEMAT: O EBITDA da CEMAT aumentou de R$ 311,7 milhões em 2007 para


R$ 351,1 milhões em 2008, representando um incremento de 12,7%. Esse
aumento foi principalmente em razão do crescimento de 10,0% no mercado
consumidor, com conseqüente reflexo na receita operacional líquida que
cresceu 10,7%, e redução de 6,8% nas despesas operacionais.

CELPA: O EBITDA da CELPA passou de R$ 287,2 milhões em 2007 para R$


289,5 milhões em 2008, representando um crescimento de 0,8%. Esse
percentual foi menor do que o crescimento de 11,9% da receita operacional
líquida, principalmente devido ao aumento de 18,4% no custo do serviço de
energia elétrica; e aumento de 22,3% no custo da operação.

ENERSUL: O EBITDA da ENERSUL aumentou de R$ 10,0 milhões em 2007


para R$ 229,1 milhões em 2008, representando um incremento de 2291,1%,
principalmente devido à provisão de R$ 183 milhões em 2007. Retirando-se,
portanto, esse efeito sobre o ano de 2007, o EBITDA, ainda assim,
apresentaria um expressivo aumento de 12,9%.

PRO FORMA – EBITDA:


Considerando-se a consolidação integral da ENERSUL (12 meses) no
resultado consolidado da REDE ENERGIA, e excluindo-se a geração vendida,
o EBITDA apresentaria um crescimento de 5,4%, passando de R$ 1.026,2
milhões em 2007 para R$ 1.081,2 milhões em 2008.

R$ mil
Receita bruta
Lucro Líquido

R$ mil
Rede Sul / Se
O lucro líquido do exercício da REDE ENERGIA CONSOLIDADO passou de
R$ 28,7 milhões em 2007 para R$ 205,3 milhões em 2008. O resultado

Celtins
financeiro apresentou uma expressiva melhora, passando de uma despesa de
R$ 376,3 milhões em 2007 para uma despesa de R$ 186,0 milhões em 2008, o
que representa uma redução de 50,6%, principalmente devido ao: 1. Resultado
positivo oriundo da marcação a mercado, de acordo com a Lei nº 11.638/07,
que gerou uma receita financeira de R$ 772,4 milhões. Essa receita oriunda da

Cemat
marcação a mercado compensou positivamente as despesas de R$ 602,4
milhões decorrentes da variação do dólar; 2. Aumento dos juros ativos,
referentes aos pagamentos de contas de energia elétrica em atraso, que
passaram de R$ 92,8 milhões em 2007 para R$ 150,8 milhões em 2008,

Celpa
representando um aumento de 62,6% (R$ 58,0 milhões); e 3. Redução das
despesas com juros e multas que passaram de R$ 183,2 milhões em 2007
para R$ 157,4 milhões em 2008, representando uma redução de 14,1% (R$
25,8 milhões).

Enersul
PRO FORMA – Lucro Líquido:
Considerando-se a consolidação integral da ENERSUL (12 meses) no
resultado consolidado da REDE ENERGIA, e excluindo-se a geração vendida,
o lucro líquido seria de R$ 199,4 milhões em 2008 e R$ 28,7 milhões em 2007.

RedeCom / Rede
Geração L
R$ mil
Rede Consolidad
Rede Sul / Se