Você está na página 1de 34

COMO SE TORNAR UM MODELISTA DE CALÇADOS DE SUCESSO

Você sabe realmente o que precisa para se tornar um bom modelista e ter sucesso nos seus trabalhos?

Isto tem se tornado um grande objetivo para muitos profissionais da

indústria do calçado, talvez por ser um dos cargos mais importantes e bem pagos destas industrias.

Muitas empresas requisitam este profissional como se fosse achar uma pedra de ouro, porém há alguns requisitos que precisam ser cumpridos (vamos falar adiante).

O que as empresas querem é resultado, querem modelistas criativos, que sejam capazes de fazer as melhores coleções, e que executem seus trabalhos com técnicas que favoreçam a dinâmica de produção com o foco na qualidade. E a repercussão deve impactar em vendas para que a meta de produção estabelecida por cada indústria seja atingida.

Conseguiu visualizar o quão importante é um modelista dentro da indústria

do calçado? Nos últimos anos acompanhei muitos modelistas de calçados, e vivenciei a transição de suas carreiras, de pessoas que saíram do chão de fábrica e hoje são excelentes modelistas.

Percebi também alguns pontos onde diferencia aqueles que tiveram sucesso e os que não tiveram, isto é algo que quero conversar aqui com você nos

detalhes, para que você se torne um modelista de excelente nível.

Existe um ditado que diz que o caminho do fracassado é o mesmo do vitorioso, a diferença é que o vitorioso acredita na sua capacidade para vencer os obstáculos que estão neste caminho, e que para ele é mais uma experiência que fica para compor a sua história .

os obstáculos que estão neste caminho, e que para ele é mais uma experiência que fica
os obstáculos que estão neste caminho, e que para ele é mais uma experiência que fica

1

E para isso existem algumas ferramentas de auxílio que preparei para você nesse ebook. Se tornar um modelista de sucesso não é uma tarefa fácil, além de conhecimentos específicos será necessário trabalho em equipe, e a grande barreira a ser quebrada é a da falta de informação, pois qualquer pessoa que queira ser um modelista precisa saber.

Mas que informações são essas? Eu te respondo.

Aprender a filtrar as ideias que o mercado consumidor aprovou e fazer a modelagem em novas versões.

Desenvolver modelos que tenham um bom visual, um sistema produtivo dinâmico e que os custos estejam dentro da realidade do mercado da

empresa.

Buscar conhecer o melhor queira fazer.

Ser detalhista e observador em todas as etapas de desenvolvimento de um novo modelo, buscando sempre alcançar o potencial máximo para o produto.

processo de confecção do calçado que se

Um modelista para ter sucesso ou se manter nele precisa ter foco, ser organizado, dinâmico e ter zelo pelo que faz, e principalmente estar sempre se atualizando.

Conheci modelistas que já estiveram com suas carreiras no estágio do

sucesso, porém se descuidaram deixando de se atualizar perdendo o foco e

o dinamismo e consequentemente sendo esquecidos pelo mercado.

E conheci também pessoas que ingressaram na profissão de modelista, porém não deram importância a estes requisitos básicos que citei acima, sendo assim o mercado não os reconheceu, consequentemente desistiram da carreira com muitas frustrações, desacreditando nesta profissão simplesmente por não terem se dedicado da maneira correta.

com muitas frustrações, desacreditando nesta profissão simplesmente por não terem se dedicado da maneira correta. 2
com muitas frustrações, desacreditando nesta profissão simplesmente por não terem se dedicado da maneira correta. 2

2

Porque este mercado é carente de profissionais nessa área?

O mercado precisa de modelistas que estejam alinhados a executar trabalhos dentro de padrões qualificados em visual, qualidade e custo como já foi falado anteriormente. Simples assim.

Continua comigo que vou te mostrar passo a passo como você pode vencer

esses desafios.

Uma questão que tem incomodado muitos é: Porque algumas pessoas conseguem ter sucesso como modelista e outras não? Porque uns tem sucesso em suas carreiras como modelistas e outro simplesmente fracassam?

A reposta está nesses 3 problemas centrais que vou falar aqui no decorrer desse ebook:

Insegurança (pela falta de conhecimento no setor calçadista).

Falta de informação das definições de mercado (trabalhos desconectados com o mercado consumidor).

Visão limitada dos processos de desenvolvimento de um calçado .

Quando iniciei minha carreira profissional como modelista tinha um grande problema para resolver: insegurança. A cada coleção que vinha por demanda eu tinha uma preocupação com a qualidade do meu trabalho, de como ficaria o seu resultado, se ficaria bom ou não.

Isso me torturava a cada projeto e me roubava energia e criatividade, e isso era meu grande desafio a ser vencido naquele momento. Talvez esse também seja o seu desafio e que está tirando de você as condições de ser mais atuante e seguro nos seus propósitos.

seja o seu desafio e que está tirando de você as condições de ser mais atuante
seja o seu desafio e que está tirando de você as condições de ser mais atuante

3

Um profissional sem energia e criatividade não consegue atuar dentro de um potencial que traga bons resultados para a indústria e para o seu currículo profissional.

E a consequência disso muitas vezes é o fracasso nos projetos e na carreira, porque o mercado nos dia de hoje está cada vez mais dinâmico e exigente.

Não tem espaço para profissionais despreparados e muitas vezes

descomprometidos com os objetivos da indústria.

E na falta de uma metodologia focada em desenvolver um trabalho dinâmico, técnico e criativo, está sujeito a trazer sérios transtornos ao projeto de uma coleção. Por que isso? Uma coleção depois de aprovada e comercializada, na sequência chegam os pedidos para a linha de produção e

para chegar nesse estágio o modelista precisa estar certificado que tudo foi

criteriosamente analisado e preparado para não haver surpresas no processo a ponto de causar desgastes e prejuízos financeiros.

Com a experiência adquirida ao longo dos anos procuro sempre estar atento

a esses detalhes, evitando ao máximo a perca de tempo e os prejuízos. Eu vou lhe orientar como fazer isso.

atento a esses detalhes, evitando ao máximo a perca de tempo e os prejuízos. Eu vou
atento a esses detalhes, evitando ao máximo a perca de tempo e os prejuízos. Eu vou

4

Como posso ser um bom modelista e ainda ser reconhecido?

Tenho comigo que para desenvolver um bom trabalho é necessário trilhar dentro de um disciplina, ou seja uma metodologia onde os resultados trazem reconhecimento, uma agenda lotada de clientes e onde é admirado

e confiável.

Essa disciplina e metodologia inclui o comprometimento, a busca de estar sempre atualizado com informações e técnicas novas. O trabalho em equipe também tem um papel muito importante no desenvolvimento do profissional.

O processo de desenvolvimento de um modelo, repercute em vários setores

de uma indústria, desde o setor de compras da matéria prima até o setor de vendas. O modelista é o responsável por dar o seu “OK” para um modelo ser liberado para a produção, e isso para a indústria inclui um considerável investimento em tempo e dinheiro. Por isso é necessário ter muita atenção nas seguintes etapas básicas:

Definir bem a forma que será utilizada na nova coleção, analisar o seu

aspecto visual, verificando se a mesma tem um bom calce para que se obtenha um produto final com ótimo visual e conforto para o calce.

Ao destacar um modelo, encontrar o melhor encaixe para as peças, para que se tenha o máximo de aproveitamento possível da matéria prima para o setor de corte.

No setor de costura a exigência é que o modelo tenha um processo dinâmico no preparar e costurar.

de corte. • No setor de costura a exigência é que o modelo tenha um processo
de corte. • No setor de costura a exigência é que o modelo tenha um processo

5

Para a montagem é indispensável fazer um teste de escala, sendo 1 par de cada número, inclusive com teste de colagem da sola. Isso é para que você fique assegurado de que tudo está perfeito para entrar na linha de produção. Pode ter certeza que seguindo esses passos você estará evitando muitos problemas.

Falei muita coisa importante para você examinar, creio que pode lhe auxiliar

a tomar a sua decisão de se tornar um modelista, ou se você já é um auxiliar de modelagem, também pode aproveitar as dicas que estou dando nesse ebook. Quem me dera ter tido acesso a essas informações no início da minha carreira, com certeza me pouparia um bom tempo, em busca de encontrar maneiras de desenvolver um trabalho cada vez melhor. No

entanto todo esse esforço me trouxe muitos benefícios e também a

capacidade de criar minha própria metodologia de trabalho e é isso que quero passar para você.

A missão de um modelista não é somente a de saber modelar um calçado, mas sim ter sempre em mente o foco de fazer modelos que tenham o máximo de potencial para as vendas, e que seus trabalhos estejam

adaptados a realidade do sistema operacional da empresa que irá produzi-

lo. Isto faz de você um modelista mais completo e consciente da sua posição.

Nesse cenário é preciso estar seguro de boas técnicas, com as informações corretas e comprometimento com o que faz. Dessa forma terá boas chances de ser um modelista reconhecido e de sucesso.

Talvez muita informação ao mesmo tempo possa te preocupar um pouco, e você pode estar se perguntando: Por onde devo começar?

informação ao mesmo tempo possa te preocupar um pouco, e você pode estar se perguntando: Por
informação ao mesmo tempo possa te preocupar um pouco, e você pode estar se perguntando: Por

6

Eu tenho valiosas dicas pra lhe dar.

Dica I Você precisa aprender as técnicas de modelar um calçado com quem realmente sabe e tem experiência, porque isso te dará mais conhecimento para você utilizar nos seus futuros trabalhos.

Dica II Procurar sempre estar com informações atualizadas sobre o

mercado de calçados. Na indústria procurar conhecer ao máximo os processos de confecção do calçado, normalmente se tem acesso aos outros setores como corte, costura e montagem, e isso tem uma grande influência para exercer na prática os conhecimentos.

Na área comercial buscar informações relacionadas ao consumo de calçados

no país e fora, fazendo pesquisas em sites confiáveis e com certa

autoridade, ler revistas e também marcar presença nas feiras do setor e ali

você pode conseguir muitos contatos que podem mudar o rumo da sua carreira como modelista, ou seja sua conexão com o mercado é mais constante.

Dica III Muitas empresas calçadistas são carentes de modelistas que além

de técnicos, sejam focados, comprometidos e saibam trabalhar em equipe e

que sempre estejam abertos a uma visão ampla do processo de desenvolvimento do calçado.

Espero que essas informações tenham contribuído para você refletir um pouco, da importância desta profissão.

E agora que eu já expliquei como se deve proceder um modelista de calçados, decidi te dar um auxílio na construção do seu primeiro modelo.

A seguir vou exemplificar o passo a passo para um modelo do início até a fase da confecção do corpo de forma.

E ai, preparado? BOA SORTE!

o passo a passo para um modelo do início até a fase da confecção do corpo
o passo a passo para um modelo do início até a fase da confecção do corpo

7

MATERIAIS E FERRAMENTAS

UTILIZADOS NO PROCESSO BÁSICO DA

MODELAGEM

E FERRAMENTAS UTILIZADOS NO PROCESSO BÁSICO DA MODELAGEM • Fita Crepe • Estilete • Lápis

Fita Crepe

Estilete

Lápis

Borracha

Compasso

Régua de metal

Fita métrica

Cartolina

Lápis • Borracha • Compasso • Régua de metal • Fita métrica • Cartolina 8
Lápis • Borracha • Compasso • Régua de metal • Fita métrica • Cartolina 8

8

A FORMA

A FORMA BICO PLANTA ENFRANQUE CALCANHAR 9

BICO

PLANTA

ENFRANQUE

CALCANHAR

A FORMA BICO PLANTA ENFRANQUE CALCANHAR 9
A FORMA BICO PLANTA ENFRANQUE CALCANHAR 9
A FORMA BICO PLANTA ENFRANQUE CALCANHAR 9

9

A PALMILHA

A PALMILHA 1. Riscar com um lápis em toda a quina inferior 3. Continuar a sequência

1.

Riscar com um lápis em toda a quina inferior

A PALMILHA 1. Riscar com um lápis em toda a quina inferior 3. Continuar a sequência

3.

Continuar a sequência até completar

a quina inferior 3. Continuar a sequência até completar 2. Colar fita como a ilustração 4.

2.

Colar fita como a ilustração

4.

até completar 2. Colar fita como a ilustração 4. Ao extrair, a fita sairá riscada 5.

Ao extrair, a fita sairá riscada

como a ilustração 4. Ao extrair, a fita sairá riscada 5. Com a fita riscada cole-a

5.

Com a fita riscada cole-a na

cartolina

Ao extrair, a fita sairá riscada 5. Com a fita riscada cole-a na cartolina 6. E

6.

E por final cortá-la em

cima do risco

Ao extrair, a fita sairá riscada 5. Com a fita riscada cole-a na cartolina 6. E
Ao extrair, a fita sairá riscada 5. Com a fita riscada cole-a na cartolina 6. E

10

OS DOIS EIXOS ENCONTRADOS NA PALMILHA

EIXO DA PALMILHA EIXO DO SALTO
EIXO DA PALMILHA
EIXO DO SALTO
OS DOIS EIXOS ENCONTRADOS NA PALMILHA EIXO DA PALMILHA EIXO DO SALTO 11
OS DOIS EIXOS ENCONTRADOS NA PALMILHA EIXO DA PALMILHA EIXO DO SALTO 11

11

COMO ENCAPAR A FORMA

1.

3.

5.

7.

COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12
COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12
COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12
COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12

2.

4.

6.

COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12
COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12
COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12

8.

COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12
COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12
COMO ENCAPAR A FORMA 1. 3. 5. 7. 2. 4. 6. 8. 12

12

PONTOS E LINHAS BÁSICAS

Ponto Meio da chave frontal Ponto do meio do bico, baseado no eixo da palmilha
Ponto Meio da
chave frontal
Ponto do meio do
bico, baseado no eixo
da palmilha

Linha do meio da gáspea

bico, baseado no eixo da palmilha Linha do meio da gáspea Para se ter esta linha,

Para se ter esta linha, liga-se o ponto do meio da chave ao ponto do meio do

bico.

Ponto Meio da chave Ponto do meio do calcanhar
Ponto Meio da
chave
Ponto do
meio do
calcanhar

Linha do meio do

calcanhar

Liga-se os dois pontos para se obter a linha.

Meio da chave Ponto do meio do calcanhar Linha do meio do calcanhar Liga-se os dois
Meio da chave Ponto do meio do calcanhar Linha do meio do calcanhar Liga-se os dois

13

PONTO 30

Para acharmos o valor do ponto 30, usamos seguinte cálculo.

Ex: forma 35 5 = 30mm

forma 39 5mm = 34mm

Ex: forma 35 – 5 = 30mm forma 39 – 5mm = 34mm Este valor encontrado

Este valor encontrado de 34mm é referenciado marcando um ponto na linha do calcanhar, partindo da quina inferior da forma.

valor encontrado de 34mm é referenciado marcando um ponto na linha do calcanhar, partindo da quina
valor encontrado de 34mm é referenciado marcando um ponto na linha do calcanhar, partindo da quina

14

PONTO DE ELEVAÇÃO = PONTO A

Marcando em 2/3 da medida encontrada entre o ponto 30 e o ponto R, encontraremos o ponto X.

R x Ponto 30
R
x
Ponto 30

E para achar o ponto A devemos posicionar a fita em ângulo de 90 graus da linha do meio da gáspea coincidindo ao ponto X.

A X
A
X
o ponto A devemos posicionar a fita em ângulo de 90 graus da linha do meio
o ponto A devemos posicionar a fita em ângulo de 90 graus da linha do meio

15

PONTO DO ALTO DO DORSO = PONTO B

Para encontrar o ponto B marcamos á partir do ponto A em direção da

região da chave. E para isso utilizamos o valor do número da forma para

procedermos da seguinte maneira.

Para o número 35 o valor é de 60mm. Nos números acima de 35, aumentam-se 2mm para cada número. Nos números abaixo diminui-se 2mm para cada número.

B A
B
A
Nos números abaixo diminui- se 2mm para cada número. B A 35 36 37 38 39

35 36 37 38 39 40 41 42 43 44

60 62 64 66 68 70 72 74 76 78

26 27 28 29 30 31 32 33 34 35

42 44 46 48 50 52 54 56 58 60

35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 60 62 64 66 68 70
35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 60 62 64 66 68 70

16

PONTO DE COSTADO = PONTO C

Marca-se o ponto C na parte externa e de maior largura da planta da forma, colocando a forma numa superfície plana em ângulo de 45 graus.

O ponto C é marcado onde a forma deixa de encostar no plano, no sentido do calcanhar para o bico.

O ponto externo é

espelhado para o

lado interno pelo eixo da palmilha.

PONTO C EXTERNO EIXO DA PALMILHA PONTO C INTERNO
PONTO C EXTERNO
EIXO DA PALMILHA
PONTO C INTERNO
externo é espelhado para o lado interno pelo eixo da palmilha . PONTO C EXTERNO EIXO
externo é espelhado para o lado interno pelo eixo da palmilha . PONTO C EXTERNO EIXO

17

ENCONTRANDO OS PONTOS D-E

Ponto da boca da Gáspea = ponto D

Traçando uma linha entre A e C, dividimos esta distância em 2 e encontramos o ponto D.

B A D C
B
A
D
C

Ponto auxiliar = ponto E

Traçamos uma linha paralela a linha A e C na direção bico calcanhar, com o mesmo valor de A e B.

B A D C E MESMA DISTANCIA ENTRE OS PONTOS A e B
B
A
D
C
E
MESMA DISTANCIA ENTRE OS PONTOS A e B
e C na direção bico calcanhar, com o mesmo valor de A e B . B
e C na direção bico calcanhar, com o mesmo valor de A e B . B

18

ENCONTRANDO OS PONTOS F G H I J -L

Ponto da altura do calcanhar = ponto F

O seu valor é encontrado com o seguinte cálculo. Calçados feminino:

número da forma + 18mm. Ex: 35 + 18 = 53mm Para calçado masculino: número da forma + 20mm. Ex: 39 + 20 = 59mm

PONTO F PONTO 30
PONTO F
PONTO 30

Ponto G é o ponto do comprimento do salto. Ponto H é o ponto do topo do forma.

Ponto I é o ponto do meio do bico, marcado na quina da forma.

Ponto J é o ponto da altura lateral. O tornozelo fica entre 5mm a 10mm para cima. Ponto L é o ponto do meio do calcanhar.

H B F A J I D L G E C
H
B
F
A
J
I
D
L
G
E
C
O tornozelo fica entre 5mm a 10mm para cima. Ponto L é o ponto do meio
O tornozelo fica entre 5mm a 10mm para cima. Ponto L é o ponto do meio

19

DESENHAR NA FORMA

Começaremos o desenho pela gáspea, observe a imagem e siga a mesma trajetória que estou utilizando para riscar. Use lápis ou lapiseira 0,7. Eu usei a caneta afim de que se pudesse ter uma melhor visualização.

afim de que se pudesse ter uma melhor visualização. Nesta segunda imagem continue acompanhando a trajetória

Nesta segunda imagem continue acompanhando a trajetória que utilizei, verifique também as distâncias desta linha em relação as linhas de referência da forma, para que você se oriente melhor.

também as distâncias desta linha em relação as linhas de referência da forma, para que você
também as distâncias desta linha em relação as linhas de referência da forma, para que você
também as distâncias desta linha em relação as linhas de referência da forma, para que você

20

DESENHAR NA FORMA

Agora eu estou riscando a linha da peça lateral do sapato, começando da gáspea para a traseira.

lateral do sapato, começando da gáspea para a traseira. Verifique na altura traseira eu subi aproximadamente

Verifique na altura traseira eu subi aproximadamente 8mm em relação ao ponto F. E na lateral em linha curva de 12mm afastado da linha B e L.

eu subi aproximadamente 8mm em relação ao ponto F . E na lateral em linha curva
eu subi aproximadamente 8mm em relação ao ponto F . E na lateral em linha curva
eu subi aproximadamente 8mm em relação ao ponto F . E na lateral em linha curva

21

DESENHAR NA FORMA

Já com a gáspea e linha da lateral riscada, passamos a desenhar o detalhe traseiro. Verifique que coloquei medidas para que você se oriente melhor.

APROXIM. 45mm PARTINDO DA LINHA DO CALCAMHAR
APROXIM. 45mm
PARTINDO DA
LINHA DO
CALCAMHAR

Aqui também você encontrará medidas que irão lhe auxiliar a acompanhar o mesmo padrão de desenho.

25 mm 85 mm PARTINDO DA LINHA DO MEIO DO CALCANHAR
25 mm
85 mm
PARTINDO DA LINHA DO
MEIO DO CALCANHAR
que irão lhe auxiliar a acompanhar o mesmo padrão de desenho. 25 mm 85 mm PARTINDO
que irão lhe auxiliar a acompanhar o mesmo padrão de desenho. 25 mm 85 mm PARTINDO

22

DESENHAR NA FORMA

Aqui marcando a posição onde irão os ilhoses, faça o primeiro o último depois o do meio e na sequência os outros 2. A distância é de 12mm da borda para dentro.

os outros 2. A distância é de 12mm da borda para dentro. Aqui estamos riscando a

Aqui estamos riscando a linha da costura do detalhe lateral, observe que há uma distância de 17 mm em relação a borda.

estamos riscando a linha da costura do detalhe lateral, observe que há uma distância de 17
estamos riscando a linha da costura do detalhe lateral, observe que há uma distância de 17
estamos riscando a linha da costura do detalhe lateral, observe que há uma distância de 17

23

DESENHAR NA FORMA

Nesta sequência da costura detalhe, a distância da borda é de 26mm.

da costura detalhe, a distância da borda é de 26mm. Desenhar a língua conforme a figura,

Desenhar a língua conforme a figura, 35mm distante da linha do meio da gáspea e de 8mm a 10mm acima do ponto B.

Desenhar a língua conforme a figura, 35mm distante da linha do meio da gáspea e de
Desenhar a língua conforme a figura, 35mm distante da linha do meio da gáspea e de
Desenhar a língua conforme a figura, 35mm distante da linha do meio da gáspea e de

24

DESENHO PRONTO PARA A PRÓXIMA FASE

DESENHO PRONTO PARA A PRÓXIMA FASE 25
DESENHO PRONTO PARA A PRÓXIMA FASE 25
DESENHO PRONTO PARA A PRÓXIMA FASE 25

25

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 1

1.

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 1 1. Cortar com a faca em cima da linha meio

Cortar com a faca em cima da linha meio da gáspea.

2.

1 1. Cortar com a faca em cima da linha meio da gáspea. 2. Cortar com

Cortar com a faca em cima da linha do meio do calcanhar.

1 1. Cortar com a faca em cima da linha meio da gáspea. 2. Cortar com
1 1. Cortar com a faca em cima da linha meio da gáspea. 2. Cortar com

26

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 1

3.

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 1 3. Extrair a fita a partir do bico, lado externo

Extrair a fita a partir do bico, lado externo e interno da forma.

4.

1 3. Extrair a fita a partir do bico, lado externo e interno da forma. 4.

E dar sequência até a total extração.

1 3. Extrair a fita a partir do bico, lado externo e interno da forma. 4.
1 3. Extrair a fita a partir do bico, lado externo e interno da forma. 4.

27

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 2

1.

2.

3.

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 2 1. 2. 3. Fazer 5 talhos na região do bico
CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 2 1. 2. 3. Fazer 5 talhos na região do bico
CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 2 1. 2. 3. Fazer 5 talhos na região do bico

Fazer 5 talhos na região do bico igual na figura.

Fazer 3 talhos na região calcanhar parte inferior.

Colar o corpo externo e

depois o interno em um pedaço de cartolina, e deslizar os dedos do centro para as extremidades fixando a fita na cartolina.

o interno em um pedaço de cartolina, e deslizar os dedos do centro para as extremidades
o interno em um pedaço de cartolina, e deslizar os dedos do centro para as extremidades

28

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 2

4.

5.

6.

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 2 4. 5. 6. CORPO EXTERNO CORPO EXTERNO CORPO INTERNO Passar
CORPO EXTERNO
CORPO EXTERNO
CORPO EXTERNO CORPO INTERNO
CORPO EXTERNO
CORPO INTERNO

Passar os dedos afim de planificar bem a fita.

Cortar com a faca por toda a sua borda, até ter o corpo externo por completo.

Repete-se todo o processo

para se ter o corpo interno.

por toda a sua borda, até ter o corpo externo por completo. Repete-se todo o processo
por toda a sua borda, até ter o corpo externo por completo. Repete-se todo o processo

29

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 3

1.

2.

3.

CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 3 1. 2. 3 . Fazer talhos com a faca de
CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 3 1. 2. 3 . Fazer talhos com a faca de
CONFECÇÃO DO CORPO FORMA PARTE 3 1. 2. 3 . Fazer talhos com a faca de

Fazer talhos com a faca de maneira que não obstrua as peças

Passar com um punção sobre as linhas talhadas.

Verifique como deve ficar a corpo de forma após os talhos e a abertura com o punção.

Obs: isto é necessário para que

se possa riscar com a lapiseira no

passo seguinte.

e a abertura com o punção. Obs: isto é necessário para que se possa riscar com
e a abertura com o punção. Obs: isto é necessário para que se possa riscar com

30

CONFECÇÃO DO CORPO MÉDIO

1.

2.

3.

CONFECÇÃO DO CORPO MÉDIO 1. 2. 3. Riscar o corpo de forma externo sobre a cartolina.
CONFECÇÃO DO CORPO MÉDIO 1. 2. 3. Riscar o corpo de forma externo sobre a cartolina.
CONFECÇÃO DO CORPO MÉDIO 1. 2. 3. Riscar o corpo de forma externo sobre a cartolina.

Riscar o corpo de forma externo sobre a cartolina.

Riscá-lo por inteiro de maneira a ficar igual a figura.

Posicionar o corpo de forma interno sobre os riscos do externo fazendo coincidir o

topo do bico com a região

superior do calcanhar.

corpo de forma interno sobre os riscos do externo fazendo coincidir o topo do bico com
corpo de forma interno sobre os riscos do externo fazendo coincidir o topo do bico com

31

CONFECÇÃO DO CORPO MÉDIO

4.

CONFECÇÃO DO CORPO MÉDIO 4. Riscar uma linha intermediária entre o corpo externo e o corpo

Riscar uma linha intermediária entre o corpo externo e o corpo interno.

5.

MÉDIO 4. Riscar uma linha intermediária entre o corpo externo e o corpo interno. 5. Cortar

Cortar e extrair o corpo médio.

MÉDIO 4. Riscar uma linha intermediária entre o corpo externo e o corpo interno. 5. Cortar
MÉDIO 4. Riscar uma linha intermediária entre o corpo externo e o corpo interno. 5. Cortar

32

CURSO ONLINE DE MODELAGEM DE CALÇADOS

Olá aqui é Moisés El Far e eu quero parabenizá-lo por sua dedicação e disposição de ter chegado até aqui. Isso demonstra que você já sabe o que

quer em relação a esta profissão. Você já deu o seu primeiro e importante

passo rumo à sua qualificação profissional e agora deve dar o próximo passo nesta caminhada, já que a jornada de aperfeiçoamento é constituída de diversos passos, não é mesmo?

E quero lhe afirmar que os seus passos serão gigantes com o auxílio da

minha experiência, que o ajudarão a economizar tempo e dinheiro. Por isso

convido você a avançar no seu aprendizado, onde vamos estudar mais

detalhadamente as formas, como usar as medidas do ponto francês, como fazer o destaque das peças de um calçado e os procedimentos até a confecção do produto.

Para isso eu lhe indico a clicar no link abaixo para você ter acesso a uma excelente proposta em condições especiais que preparei para você:

proposta em condições especiais que preparei para você: Curso Online de Modelagem de Calçados Moisés El
preparei para você: Curso Online de Modelagem de Calçados Moisés El Far Modelista Profissional de Calçados,
preparei para você: Curso Online de Modelagem de Calçados Moisés El Far Modelista Profissional de Calçados,

Moisés El Far

Modelista Profissional de Calçados, com mais de 30 anos de experiência no setor calçadista. Ensinando agora pessoas como você a se tornar um modelista de calçados.

anos de experiência no setor calçadista. Ensinando agora pessoas como você a se tornar um modelista
anos de experiência no setor calçadista. Ensinando agora pessoas como você a se tornar um modelista
anos de experiência no setor calçadista. Ensinando agora pessoas como você a se tornar um modelista

33