Você está na página 1de 13
c lo para nao confundi EMPRESTIMO ComPULSORIO _Instituido por Lei Complementar oun IMPosTo EXTRAORDINARIO Aqui pode ser instituido por Lei Ordinaria ou por 4, BEGUcRRK Medida Proviséria CALAMIDADE, EMPRESTIMO COMPULSORIO PUBLICA Instituido por Lei Complementar lao existe Imposto Extraordinario para Calamidade Publica. ANTERIORIDADE & NOVENTENA) Decorre de um principio ainda maior \cipio da Seguranga Juridica Tem como objetivo evitar que um repentino aumento de carga tributaria atinja imediatamente (ou, pior, retroativamente) 0 contribuinte. PRINCIPIO DA IRRETROATIVIDADE (CF, art. - Nao se pode cobrar tributos em relacao a fatos 150, Ill, a) geradores ocorridos antes do inicio da yigéncia da lei que os houver instituido ou aumentado. 150, tll, b) financeiro em que haja sido publicada a lei que os instituiu VS ou aumentou. No Brasil, 0 exercicio financeiro corresponde ao ano civil (1° da janeiro a 31 de dezembro) PRINCIPIO DA NOVENTENA (CF, art. 150, III, > Nao se pode cobrar tributos antes de decorridos b) noventa dias da data em que haja sido publicada a (20) .ias lei que os instituiu ou aumentou. IRRETROATIVIDADE > E regra de vigéncia. ANTERIORIDADE > Nao é regra de vigéncia. E regra de eficacia, dé producao de efeitos. A lei pode entrar em vigor de imediato, desde que a produgdo de efeitos financeiros (cobranga) somente ocorra no exercicio seguinte. ANTERIORIDADE E NOVENTENA > Somente so aplicdveis nas mudangas que impliquem ‘aumento de carga tributaria. DF E U Legislacao Suplementar egislacdo Concorrente A legislacdo concorrente, segundo o art. 30, II, CF/88, s6 engloba a Unido, Estados e o Distrito Federal, nao compreendendo os Municipios. A estes cabe legislar de forma suplementar a legislacado federal e estadual no que lhes couber. os Tributo (art. 3°) (i) prestacao pecunidria compulséria (carater obrigatério); (ii) em i | imir; (iii) [pao] constitua sancdo de ato ilicito; (iv) instituida em lei; (v) cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada. Principio que profbe privilégios@diose3)—> tratamento tributirioiscriminatério. E vedado o tratamento tributério desigual dqueles em que se encontra em situagéo de equivaléncia 0 tribute alcangam-se qualquer pessoa que tenharealizado o fate gerador. ART 126,CTN 5 A ‘Tributiria passive é PLENA e @) Da capacidade civil das pessoas _, ex.0 recéin nascido eo menor possuem capacidade tributéria. b) Nao ter habilitacdo profissional —» ex mio é médieoele realizouo FG deveria sim pagar mesmonao sendomédico éclico que clinica, m ©) De estar a pessoa juridica regularmente constituida — ex. empresa pedebaixa no fsco sais continua relizindo FG. Importantell art.145, 81, CF 0 ‘tendo cardter pessoal e serdo graduados segundo a capacidade econdmica de cada um. < ftttennbcando oui CH/88 ‘De acordo com as possibilidades teenicasde cada menciona IMFOSTO ¢ nao TRIBUTO. imposto, nao significa FACULTATIVIDADE na aplicagac. Karol Baldo 1) PROGRESSIVIDADE —» — Técnicasde incidéncia de aliquotas variaver existem @) impostos progressives na CF are 1s32.cr _< ll ‘OR serd formado por 3 critétio joey 2) Progressividade Art. 156,8 1, Le ILCF Art. 152,64, LCF 2) Generalidade —» IR “geral 1) Progressividade extrafiscal 1) Progressividade extrafiscal Jecilessobm-todasas pessoas. (fungéo secial de Serve para desestimuler @ 3) Universalidade —> [R “universal ioroptiodeds) eo sia incide cobre todas ac rondas. eee leva em conta aliquote do imdvel, alem de apresentar aliquotas diferentes de acordo com a localizacdo € 0 uso do imével rural improdutiva. 2) PROPORCIONALIDADE —> Técnica de incidéncia de aliquotas fixas. (esta implicitano texto constitucional.). Alcanca os impostos nao progressivos, destacando-se nos impostos indiretos, Esses ‘impostos recaem sobre o consumidor. 3) SELETIVIDADE—> ‘Técnicade variagao de alfquotas na razao inversa da essencialicdade do bem (ato ‘mais essencial foro bem menor tributacao. Note que temos exemplos de bens supérflucs (cosméticos ¢ outros) ¢ nocivos (cigarro, bebidas) receberao maiores tributado. is . _= — aiasssace Art, 1558 2.¢F 1) Seetidede Obrigatério 1) Seletividade Facultativa (deveré ser seletivo) (podera ser selativo) Karol Baldo Art. 150. Sem prejuizo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, ¢ Vedado Unido, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municipios: UM TRIBUTO NAO PODE SER EXIGIDQ NEM MAJORADO SEM LEI QUE ESTABELECA. fs Regra sem exceciio. CriacSo ou extingdo de tributo CRIAR TRIBUTO > sempre depende de lei ou de ato com forga de lei é eu ENELA (medida proviséria) Regra tem excecdes. II, IE, IOF e IPI podem ter suas aliquotas alteradas pelo Poder Executivo, nos limites MAJORAR previstos em Lei), a CIDE-combustiveis pode ter suas TRIBUTO + aliquotas reduzidas ou restabelecidas pelo Poder REDUZIR) Executivo e o ICMS-monofasico sobre combustiveis, pode ter as aliquotas fixadas (e alteradas) por convénio entre Estados e o DF + U, E, DF e M so podem criar e aumentar tributo por meio de LEI! Em regra Lei Ordinaria Ha tributos q_dependem de LC (4 Trib. Federais) - Impostos sobre Grandes Fortunas (IGF) sos eS Limitagdes - Empréstimos Compulsérios sn - Impostos Residuais idmntrofes - Contribuigées Residuais + Tributes) que podem (é facultative) ter as ALIQUOTAS Sy, Atenuacdo ou Mitigacéo na alteradas por ato do Poder Executivo. Legalidade (Exce¢&o!) u ie PI Tributos Extrafiscais loF CIDE - combustivel icMs - ae Imposto ‘Tnb. Estadual O Poder Exec. Estadual tem a liberdade de alterar e fixar as aliquotas desse gravame, (art. 185, § 4°, IV, ¢, CF) Contribuigao Tib. Federal 0 Poder Exec. pode reduzir e restabelecer as aliquotas desse gravame, (att. 177, § 4.1.0, CF) © AMP é um instrumento idéneo para criar e aumental (art. 62, § 2°, CF) no Brasil? ERRADO! ributs Obs: - A literalidade do art. supracitado nfo nos remete a tributo e sim - Para o STF a MP pode alcancar outras espécies tributarias: MP 164/2001 - PIS-importagéo - COFINS-importagao Possui a utilidade de permitirindexadores nto possui como maneica de instituir outea forma de pagamentos,até msmo pq 0 CTN prevé que 86 extingue o crédito nas hipéteses nele prevista. ‘Nilo permite 0 “aio querer pagar” fediante atividade [LEL, criae extingue triburo | Y [MP sjotr ou reduzicuibuto Acobrancaé feita de maneira Vineulada, sem concessio de qualquermargem de Essa é grande diferenca entre TRIBUTO © MULTA discricionariedade a0 Niko possi finlidade sancionatsria, ~ ‘\ | | Administrador visoarrecadar e a intervie em situacoee sancto por ato iit, o deal é que mio econdenieas, artecade, pois visa cobit ato iieto, Karol Baldo nos s termos do CIN coperamtagla fieaonia TRIPARTIDA, TRICOTOMICA ou TRIPARTITE "OA Es do STF r io conrb r “ EMPRESTIMOS COMPULSORIOS 0 PENTAPARTIDA ou QUINQUIPARTIDA Excesées 8 Anterioridade | Excecbesa@Noventena | a ee Empréstimos Compulsérios | Empréstimos Compulsdrios (Guerra e Calamidade) {Guerra e Calamidade) 1PTU Cont. Seg. Social ease rasicoleutck CIDE Combustivel* TPVA (Base de Caleulo) *Somente no caso de redugdo e restabelecimento Excegdes a Anterioridade Excegdes 4 Noventena IPI i IE 1OF EC (Guerra e Calamidade) IEG CIDE Combustivel* IcmMs Combustivel* IPTU Base de Céleulo IPVA Base de Cileulo Cont. Seg. Social *Somente no caso de reduco e restabelecimento Sapo da Vez sapodavez@hotmail.com II IE Aliquotas alteradas IPI pelo Poder Executive 4 TOF (decreto) CIDE - Combustivel ICMS - Combustivel ImposTo SOBRE GRANDES ForTUNAS (CF, arr. 153, VIl) Euprestimos CoMPULSORIOS (CF, ART. 148) Impostos RESIDUAIS. CONTRIBUICOES RESIDUAIS ATENGAO! ak Onde a LC versar a Medida Proviséria nao ira apitar!!