Você está na página 1de 5

ROTEIRO DE LEITURA

EVANS-PRITCHARD, E. E. 1978. Os Nuer. São Paulo, Perspectiva. Introdução, Cap. 3 “Tempo e Espaço”, Cap. 4 “O sistema político” (pp. 5 a 21, pp.107 a 200)

1. Qual é o tema principal do livro e a que ele está relacionado?

O sistema político amplo e complexo dos nuer é o foco principal ao longo desta

obra, onde para entender este sistema requer, sobretudo, compreender as

relações que os nuer têm com "(

)" (

o meio ambiente e os meios de subsistência

)

(p.8), onde a ecologia está indissoluvelmente ligada à organização política.

2. O que o autor entende por estrutura política? E estrutura social?

Não há um sistema de dominação formal e de uma organização central, portanto

a estrutura política dos Nuer somente pode ser compreendida quando é

colocada em relação a de seus vizinhos, com quem formam um único sistema político. Tribos nuer e dinka contíguas são segmentos dentro de uma estrutura

comum, tanto quanto o são os segmentos de uma mesma tribo nuer. Seu relacionamento social é de hostilidade, que encontra sua expressão na guerra.

3. De que maneira o sistema político Nuer apresenta relação com sua ecologia?

As limitações ecológicas e outras influenciam suas relações sociais, mas o valor atribuído às relações ecológicas é igualmente significativo para a compreensão do sistema social, que é um sistema dentro do sistema ecológico, parcialmente dependente desde e parcialmente existindo por direito próprio.

4. Qual a definição de tempo ecológico e tempo estrutural apresentada pelo autor?

Tempo ecológico: reflexos de suas relações com o meio ambiente. Pritchard o identifica como um tempo cíclico. As estações fariam parte dele e, mais do que mudanças climáticas, estariam relacionadas com atividades do grupo em determinados momentos. Compreenderia: as estações do ano; a divisão dos meses e a do dia. A contagem de tempo ecológico é totalmente determinada pelo movimento dos corpos celestes, mas apenas algumas de suas unidades e notações baseiam-se diretamente nesses movimentos e presta-se atenção e selecionam-se tais pontos somente porque são significativos para as atividades sociais. Tempo estrutural: reflexo das relações que os indivíduos ou grupos estabelecem entre si. É o que fundamenta as alianças políticas e os vínculos entre os diversos grupos. Seria tudo aquilo que se usa para assinalar algo no tempo, como: os indivíduos de acordo com a sua idade; as denominações dos locais de acampamento e os eventos passados. Os períodos maiores de tempo são quase que inteiramente estruturais, porque os acontecimentos que relacionam são mudanças no relacionamento de grupos sociais. Além disso, o cálculo do tempo baseado nas mudanças da natureza e na resposta do homem a elas limita-se a um

ciclo anual e, portanto, não pode ser empregado para diferenciar períodos mais longos do que estações do ano.

(

o sistema nuer de contagem de tempo dentro do ciclo anual e das partes do

ciclo consiste numa série de concepções das mudanças naturais e que a seleção

de pontos de referência é determinada pela significação que essas mudanças

)

naturais têm para as atividades humanas(p.116).

5. E distância estrutural e distância ecológica?

A distância estrutural refere-se às relações estabelecidas entre os indivíduos e

as tribos. Queremos dizer a distância entre grupos de pessoas dentro de um

sistema social, expressa em termos de valores. A natureza da região determina a distribuição das aldeias e, por conseguinte, a distância entre elas, porém os valores limitam e definem a distribuição em termos estruturais e fornecem um conjunto diferente de distância. O espaço estrutural seria: a posição das localidades, e a organização do espaço no território nativo. A distância ecológica tem a ver com limitações físicas impostas por vegetação ou presença de águas nas proximidades. É uma relação entre comunidades definida em termos de densidade e distribuição, e com referência a água, vegetação, vida animal e insetos e assim por diante. O espaço ecológico seria: os aspectos físicos e geográficos das regiões em que se estabelecem os Nuer.

6. Descreva o conceito Nuer de Espaço

Um grande acampamento recebe um nome de acordo com a linhagem que predomina nele e segundo a comunidade da aldeia que o ocupa, e pequenos acampamentos algumas vezes recebem o nome de um ancião de importância que ali tenha costruído seu abrigo contra o vento. Não só as pessoas de um acampamento vivem num grupo mais compacto do que as pessoas de uma aldeia, mas também que na vida do acampamento há contatos mais frequentes entre seus membros e maior coordenação de suas atividades.

O tamanho dos trechos de terreno mais elevado e as distâncias entre eles

permitem, em algumas partes da terra Nuer, uma concentração maior e mais compacta do qu em outras. Uma aldeia compreende uma comunidade, vinculada pela residência comum e por uma rede de parentesco e laços de afinidades, cujos membros formam um acampamento comum, cooperam em muitas atividades. Uma aldeia é o menor grupo Nuer que não é especificamente de ordem de parentesco e é a unidade política da terra dos Nuer.

Cada tribo possui um nome que tanto se refere a seus membros, quanto à região que a ocupa. Cada uma tem seu território particular e possui e defende seus próprios locais de construção, seus pastos, reservas de água e reservatórios de peixes. Os membros de uma tribo tem um sentimento comum para com sua região e, portanto, para com os demais membros. Esse sentimento evidencia-se no orgulho com que falam de sua tribo enquanto objeto de sua lealdade, na depreciação jocosa de outras tribos e na indicação de variações culturais em sua própria tribo como símbolos de sua singularidade.

7.

O que Evans-Pritchard que dizer com anarquia organizada ao se referir à organização política Nuer?

uma

anarquia

ordenada,

onde

a

figura

do

chefe,

embora

sem

posse

de

autoritarismo

político

mas

sim

religioso,

assume

papel

proeminente

na

organização política.

Os Nuer - resenha crítica

Os Nuer são um povo que vive na África, perto do Egito. O antropólogo Evans

Pritchard chegou à terra dos Nuer em princípios de 1930. Ele faz uma breve comparação dos Nuer com os Azande, onde relata que os Azande não permitiram viver como um deles. Já os Nuer não permitiram viver de outro modo que não o deles. Entre

os Azande foi forçado a viver fora da comunidade, já com os Nuer foi forçado a fazer parte dela. Os Azande trataram-no como ser superior, e os Nuer como um igual.

O "chefe" é uma pessoa sagrada sem autoridade política. Na verdade os Nuer não tem

governo e seu estado pode ser descrito como uma anarquia ordenada. Houve o surgimento de profetas, pessoas que abrigam os espíritos dos deuses do Céu, e sugerimos que, nelas, podemos perceber os primórdios do desenvolvimento político.

A maior parte de seu comportamento social se relaciona diretamente com seu gado. Seu

idioma social é um idioma bovino. O leite e o sorgo são os principais alimentos dos Nuer. Eles não criam gado para corte, mas sacrifica-se carneiros e bois nas cerimônias. Muitos utensílios dométicos é fornecido pelo gado. Usam o esterco como combustível.

As meninas possuem suas tarefas nos estábulos e kraals, os meninos pastoreiam os bezerros no pasto. As mulheres são leiteiras e os homens boiadeiros. Como a maioria dos povos pastoris, os Nuer são poéticos. O relógio diário é o gado. A contagem do

tempo

estrutura social.

é

uma

concepção

da

As variações nas reservas de água e na vegetação forçam os Nuer a se mudarem e determinam a direção de tais mudanças. Eles não comem répteis, só crocodilos e

tartarugas. Já as aves são vistas com desprezo e é vergonhoso comê-las. Quem come são

os pobres, as crianças, e às escondidas no mato. Eles não comem ovos. Eles comem mel

de abelhas em determinada época do ano. A pesca, caça e colheitas são ocupações da

estação da seca, para complementar a dieta de leite insuficiente. Quanto maior o

rebanho,

menor

a

horta.

O comércio possui pouca importância entre os Nuer. Quanto mais simples for uma

cultura material, mais numerosos são os relacionamentos que se expressam através dela. Uma pessoa não adquire mais objetos do que pode usar. Ele só disporia se fosse para

dar

de

presente.

O sentimento de comunidade para os Nuer é mais profundo do que o reconhecimento da

identidade cultural. Quanto menor o grupo, mais forte é o sentimento que une seus membros. As brigas e as disputas ocorrem entre as aldeias e seções tribais terciárias.

Há menos solidariedade, quanto mais amplo tornamos o círculo, de uma aldeia para as tribos adjacentes. As causas para um Nuer lutar: desentendimentos em relação a uma vaca; uma vaca ou cabra comer o sorgo de uma pessoa e esta bater naquela; um homem bater no filho pequeno de outro; adultério; direito sobre a água na estação da seca; direito sobre a água na estação da seca; direito sobre o pasto, entre outras.

Os meninos brigam com braceletes pontiagudos. Homens da mesma aldeia ou acampamento brigam com clavas, pois é convencional que as lanças não sejam empregadas entre vizinhos próximos, ou um deles poderia ser morto e a comunidade ficar dividida por uma vendeta. É também convencional que nenhum terceiro tome parte

na briga. Uma vez começada a briga, nenhuma das partes pode desistir e são obrigadas a continuar até que uma delas fique seriamente ferida. Se uma pessoa for morta nessas

lutas,

vendeta.

começa-se

uma

Quando alguém mata alguém, essa pessoa corre para a casa do chefe da pele de leopardo, para limpar-se do sangue e ter refúgio contra a retaliação. Os parentes do morto tentam a todo custo vingar a morte do ente. Pelo refúgio o assassino presenteia o chefe com um novilho. O chefe é presenteado com cerveja quando vai na casa do queixoso. Esse chefe tem poder de purificar pessoas envolvidas em incesto, e possuem

um

chuva.

ligeiro

poder

de

provocar

Quando um homem fere outro com uma lança, as pessoas da aldeia enviam a lança para

os parentes do ferido, para que eles a tratem com a mágica e evitem que a ferida seja fatal. Enviam um carneiro para sacrifício também. Um homem não deve lutar com outro

velho.

homem

de

um

conjunto

mais

Os Nuer não tem lei. Não há qualquer autoridade com poder para pronunciar sentenças ou para fazer cumprir vereditos. Não há lider, nem conselho da aldeia. É muito raro que um homem obtenha ressarcimento a não ser pela força ou pela ameaça de empregar a força. Roubar gado de tribos vizinhas não é considerado algo errado. A clava e a lança são as sanções dos direitos. Na guerra, o regimento segue o mais atrevido dos companheiros. Ninguém reconhece um superior. Um homem com muito gado é invejado, mas não tratado melhor que o que possui menos gado. A mais leve suspeita de uma ordem irrita a pessoa e ela, ou não a executa, ou a executa de um modo casual e

demorado que

insultante que uma recusa.

é

mais

Quando há adultério e os homens são consanguineos, o adúltero oferece um boi em sacrificio. Ele só paga indenização se for pego no ato. A fornicação é vista de forma branda, e o pagamento de um novilho geralmente não é feito. Se os parentes homens da moça sabem que ela está mantendo relações sexuais com um homem que possui gado e tem possibilidade de casar-se com ela, eles feham os olhos.

Mulheres e crianças tem sempre posição inferior à dos homens. A iniciação do homem quando passa da adolescência para a idade adulta ocorre da seguinte forma: sua testa é

cortada até o osso com uma pequena faca (seis compridos cortes de orelha a orelha. As cicatrizes permanecem para vida toda e até depois da morte podem ser percebidas em seus crânios. O homem recebe de seu pai ou tio uma lança e torna-se guerreiro, ganha um boi, assume um "nome-de-gado" e torna-se um homem do rebanho. Daí para a frente, até ser marido e pai, seus interesses principais estão na dança e no amor.

Com os Nuer podemos perceber a possibilidade da sociedade humana adotar outros valores. Eles se tratam como seres iguais, vivem uma anarquia organizada, são unidos como comunidade. Vivem seus sentimentos livremente, com a preocupação mínima de uma ordem social. O desapego material também chama a atenção do estudande dos Nuer. Enfim, é importante estudarmos esse povo e pensarmos nossa sociedade ocidental capitalista de forma crítica e buscarmos solução para a mesma.