Informativo da Faculdade de Direito de Vitória | Junho 2009

edição nº 64

Empregadores utilizam as redes sociais para selecionar candidatos Guia prático para utilizar as redes sociais sem atrapalhar sua carreira profissional

EspEcial REdEs socias:

saiba como usar o orkut, Twitter, linkedin e Facebook a seu favor
Cerca de 86% de internautas brasileiros acessaram redes sociais em abril deste ano, segundo dados da Ibope Nielsen Online. Isso significa dizer que os internautas brasileiros são os que mais visitam sites de relacionamento em todo o mundo. Em segundo lugar fica a Itália, com 78%, e em seguida a Espanha, com 77%. Além disso, a pesquisa revela ainda que 22% de todo o tempo gasto com internet no mundo é destinado às redes sociais. Os números do relatório comprovam a força global dessas novas mídias. Por causa desse avanço da participação, principalmente de jovens, nessas redes, é que a FDV vai mostrar para você, nesta edição especial do jornal, como utilizar o Orkut, Twitter, Linkedin e Facebook a seu favor, tanto na vida pessoal como na profissional. Para começar, confira abaixo o que oferecem as redes mais populares do momento: FACEBOOK O Facebook é a rede social mais popular do mundo. Segundo dados da própria empresa, são mais de 400 milhões de usuários ativos. É a rede mais flexível e tem boa variedade de ferramentas. ORKUT Segundo dados do Google, o Orkut já tem 80 milhões de usuários. No Brasil, é o site de relacionamento mais popular, alcançando 73% dos internautas. Com receio de perder usuários para outras redes, reformulou o site recentemente e inseriu nova interface, mais opções de personalização, suporte a aplicativos e a jogos e a inclusão de feeds com atualizações dos perfis dos amigos. TWITTER É a segunda rede mais popular do Brasil, com 9,9 milhões de membros. É o site de relacionamento mais simples de todos, no qual o usuário apenas deve responder à pergunta:“o que está acontecendo?”.Tem sido amplamente utilizado por empresas e personalidades do meio artístico, político e jurídico por permitir a exposição de opiniões e o fácil contato com seguidores. Mesmo que (até hoje) algumas pessoas ainda associem esse microblog à divulgação de dados particulares de seus membros, a própria rede já mostrou que o Twitter é, ao contrário, um poderoso instrumento de ativismo político e ação social. LINKEDIN Como o objetivo dessa rede é fazer contatos profissionais, o perfil é mais formal e se parece com um currículo. Há possibilidade de descobrir oportunidades na carreira por meio da lista de contatos dos amigos. Atualmente, são 65 milhões de membros trocando informações sobre empregos, novidades nas áreas de trabalho, etc.

página 3

página 2

pesquisa revela: um em cada cinco empregadores investiga a vida de candidatos na web
Um em cada cinco executivos da área de contratação diz usar redes sociais para pesquisar sobre candidatos a empregos. Um terço deles descartam candidatos com base naquilo que descobrem via internet. Esses são os dados principais de uma pesquisa feita em 2008 pelo site de empregos CareerBuilder.com, com 3.169 executivos da área de Recursos Humanos (RH). A investigação constatou que 22% deles usam perfis em sites de redes sociais para pesquisar sobre candidatos a emprego.A pesquisa descobriu ainda que 34% desses executivos que pesquisam sobre candidatos na internet descobrem materiais que os fazem excluir candidatos de suas listas de possíveis funcionários. A principal área de preocupação, mencionada por 41% deles como fator de rejeição, é a divulgação de informações sobre o uso de drogas ou bebidas alcoólicas. A segunda área de preocupação, mencionada por 40% dos entrevistados, envolvia candidatos que exibiam fotografias ou informações inapropriadas em seus perfis. Outros fatores de preocupação que esses sites suscitam se relacionam à baixa capacidade de comunicação, mentir sobre qualificações, declarações discriminatórias em termos de raça, religião ou sexo e uso de apelidos pouco profissionais. Apesar de representar um risco, as visitas dos executivos de RH às redes sociais não são sempre negativas: 24% deles responderam ter encontrado conteúdo que os ajudou a solidificar sua decisão na hora de contratar alguém. Os principais fatores que influenciam decisões de contratação incluem históricos pessoais que confirmem as qualificações mencionadas no pedido de emprego, demonstração de uma boa capacidade de comunicação e manter um site que transmita uma imagem de profissionalismo e uma ampla variedade de interesses. De acordo com a especialista em recrutamento e seleção, Letícia Reis, é indispensável que os candidatos mantenham uma boa imagem na internet. “Fazer-se visível ao mercado, manter bons relacionamentos locais, nacionais ou internacionais, é de suma importância à qualquer cargo hoje.As indicações a empregos continuam ocorrendo e, nestes casos, as buscas em sites de relacionamento sobre o perfil, caráter e relações acontecem. Em recrutamentos externos, os sites de perfil profissional são os mais buscados e o que conta aí não é somente a experiência, mas como ela é colocada; e não somente quão ampla é sua rede de relacionamento, mas de quem ela é formada”, explica. Escritórios de advocacia também tem adotado a análise de perfis na internet como uma das fases de seleção. É o que acontece no escritório do advogado Felipe Rizk. Lá, foi constatado que a análise de currículo, bem como a entrevista, não são instrumentos suficientes para se traçar o perfil de um candidato a determinada vaga. Com isso, ele complementou o processo por meio de verificações de perfil em mídias sociais. “Ao contrário de que muitos pensam, a análise em mídias sociais não é necessariamente negativa, pelo contrário, a verificação pode demonstrar outras qualidades relevantes, que não foram expostas no currículo e tampouco ditas na entrevista. Entretanto, comunidades como “sempre chego atrasado”, “odeio trabalhar” e outras tantas podem vir a prejudicar o candidato interessado em uma vaga. Em nosso escritório, já pesou contra a contratação de um estagiário seu perfil em uma determinada mídia social, uma vez que ele estava relacionado a inúmeras comunidades que indicavam uma aparente falta de compromisso”, destaca Rizk.

Divulgação de vagas
As empresas também estão utilizando sites de relacionamento para divulgar vagas de emprego. Foi o que aconteceu com a tecnóloga Krishna Daher, de 24 anos. Ela estava desempregada e buscando emprego em sites de recrutamento e seleção. Sem conseguir encontrar o que queria, decidiu se tornar membro da comunidade “Saneamento Ambiental” no Orkut, para ter informações sobre sua área de trabalho. Lá, havia um tópico que mencionava sobre uma vaga de emprego para tecnólogo em uma empresa de Vitória. Ela entrou em contato, fez entrevista e foi contratada. “Eu só consegui o emprego porque um funcionário da própria empresa deixou disponível um recado na comunidade “Saneamento Ambiental”. Os grupos voltados para questões profissionais podem ser ótimas fontes de informação sobre empregos, congressos, cursos, entre outros.As pessoas que souberem aproveitar esse meio de comunicação podem trocar boas informações a respeito de sua área de atuação”, destaca Krishna.

2

saiba como utilizar as redes sociais sem que elas atrapalhem sua vida profissional
O Jornal da FDV elaborou, junto com o consultor Bruno Costa Teixeira, um guia de utilização das principais mídias sociais, para que você se dê bem tanto na vida pessoal quanto na profissional:
espécie de conduta. Quem vai contratar alguém que tem o hábito de mal-falar a própria empresa?

• Que fique claro: o Twitter é um ambiente público. Antes
de tuitar, você deve discernir o que falaria em público e o que comentaria apenas em ambientes privados. Além de a mensagem ficar registrada, a grande visibilidade do microblog amplifica a repercussão do que é escrito. Quer ter uma ideia de como suas mensagens estão ao alcance de um clique de qualquer curioso? Tente digitar seu login no campo de pesquisa de: http://www.search.twitter.com.

• Se o seu objetivo é usar a rede para explorar o mercado de
trabalho, esqueça as comunidades-piada que ficaram famosas no Orkut, como “Odeio acordar cedo”, “Odeio meu chefe”, etc. Aproveite a listagem de comunidades para escolher aquelas que agregam valor ao seu perfil;

• Aproveite o mecanismo de seguir do Twitter para criar links
com perfis de profissionais de sua área de atuação. Essa, sem dúvida, é a melhor maneira de manter-se atualizado e ter acesso ao que há de mais interessante na sua área.

• Faça parte de fóruns de debate nos quais você tenha a oportunidade de expressar seus conhecimentos profissionais;

• Coloque no seu perfil interesses e conhecimentos que possam
valorizá-lo dentro da sua área de atuação;

• Forme redes de contato (networking). Isso pode servir como
uma futura indicação de emprego.

• No Linkedin há uma rede de contatos e recomendações.Assim,
peça sempre que possível, indicações do seu perfil para colegas de trabalho e profissionais da sua rede de contatos;

• Uma vez que a busca de perfis ocorre por palavras-chave, • O Twitter torna-se relevante quando as pessoas dizem coisas
interessantes. Você acaba seguindo pessoas interessantes e deixando de seguir quem só fala bobagem; escolha tais palavras com atenção: este é o caminho mais fácil para você ser encontrado por headhunters;

• O Linkedin é uma rede de profissionais e oportunidades
de trabalho. Logo, quando utilizar a rede esqueça todas as abreviaturas do “internetês” que você aprendeu. Escreva corretamente e só publique textos interessantes;

• Nunca é tarde para avisar: não use o Twitter para passar
informações confidenciais e números de telefone. Por ser um local público, pessoas mal-intencionadas podem acessar essas informações;

• Coloque, no perfil, uma foto relacionada ao seu âmbito de
trabalho. Fotos na praia ou na balada são totalmente incabíveis na rede;

• Escreva certo, sempre. Muitas empresas pesquisam o comportamento de funcionários e candidatos nas redes sociais e o Twitter certamente é uma fonte de informação sobre a pessoa.

• No Linkedin há fóruns de debate e é nestes ambientes que
você deve manter a ética e o profissionalismo. Lembre-se que opiniões coerentes mostram que você está atualizado e impressionam os recrutadores.

• Não fale mal do seu emprego, estágio ou do seu chefe de
trabalho. Via Twitter, levará alguns segundos para chegar ao ouvido dele. Sem falar que os recrutadores abominam essa

3

a FdV tem sua própria rede social. conheça o observatório Jurídico
Com seis meses de funcionamento, o Observatório Jurídico da FDV (www.fdv.br/ observatorio) já conta com 600 membros, 26 grupos de debate, 122 vídeos inseridos e quase quatro mil inserções de conteúdo registradas. Isso significa uma média de 54 inserções diárias. Para quem não conhece, o Observatório Jurídico é a rede social da FDV. Ela foi criada para reunir alunos e professores da faculdade, formando uma rede de colaboração em torno de temas jurídicos. Qualquer aluno ou professor da FDV pode fazer seu cadastro no site www.fdv.br/ observatorio. A partir daí, o integrante pode participar de grupos de discussão já criados ou criar novos grupos. Além disso, pode comentar dispositivos legais e compartilhar vídeos, imagens e notícias com conteúdo jurídico. Para ter uma ideia de como o debate funciona no Observatório, acompanhe, por exemplo,

o que está sendo discutido no grupo: Observatório das Práticas de Consumo, coordenado pelo Professor Igor Britto.

Novidade
O Observatório Jurídico está com novidades. Agora os usuários poderão encontrar oportunidades acadêmicas como: chamadas de artigos, eventos acadêmicos, bolsas de estudo e pesquisa e prêmios acadêmicos.Tais oportunidades são captadas automaticamente por

um motor de busca e publicadas no Observatório. Os resultados aparecem com o título da oportunidade, prazo final para envio do trabalho e a instituição que está ofertando, o que facilita a busca de acordo com o interesse de quem pesquisa. Esse novo recurso surge para tentar resolver um antigo problema: há inúmeras oportunidades acadêmicas espalhadas em diversos sites de instituições de ensino e órgãos de fomento de pesquisa. Por outro lado, com

tantas informações dispersas, a FDV necessitava de uma ferramenta capaz de captar todas essas oportunidades e publicálas em um único ambiente. Daí a escolha pelo Observatório. Lá, os membros registrados têm acesso a uma seleção dos principais prêmios, eventos, bolsas de pesquisa e chamadas de artigos jurídicos. Em breve, a faculdade irá possibilitar a inserção de novas oportunidades acadêmicas por parte dos alunos também.

siga a FdV no Twitter!
Há quatro meses a FDV criou um Twitter corporativo com o objetivo de facilitar a comunicação com seu público interno e externo. O espaço tem sido utilizado para a divulgação de informações acadêmicas, jurídicas e oportunidades. Mais de 200 seguidores do Brasil e do mundo já estão acessando todos os conteúdos produzidos por nós. Participe também dessa rede e siga: www.twitter.com/direitofdv

Informativo da Faculdade de Direito de Vitória

Curso de Direito
Ricardo Goretti

COORDENADORES

Mestrado
Daury Cesar Fabriz

Projeto gráfico
Nave Comunicação

expediente

R. João Carlos de Souza, 779, Santa Luíza - Vitória-ES. Tel.: (27) 3041-3628 marketing@fdv.br | www.fdv.br

Pesquisa
Elda Bussinguer

Núcleo de Prática Jurídica
Marcela Câmara

Editoração eletrônica
Bios (27) 3222-0645

Diretor-geral

Antonio José Ferreira Abikair

Especialização
Marcos Encarnação

Jornalista responsável
Camila Uliana Mtb 1929/ES

Impressão
NewGraf (27) 3204-2345

Diretora Acadêmica
Paula Castello Miguel

Marketing
Isabela Castello Miguel

Colaboração
Bruno Costa Teixeira

Tiragem
2.000 exemplares

Integral

4

Ivana Bonesi

Fotografia
Camila Uliana e Arquivo FDV

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful