Você está na página 1de 6

UM SUMÁRIO DE COMO MORTIFICAR O PECADO

Por Tim Conway

Romanos, capítulo 8. Eu estou certo de que se vocês estão familiarizados com suas Bíblias,
vocês já leram o versículo que eu vou analisar, estão familiarizados com ele, vocês o conhecem.
Versículo 13: “Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis”. Agora, bem ali, pense sobre o que
a carne é. Se você voltar para o versículo 7, você vai ver algumas coisas interessantes sobre a
carne. Sabe, Romanos capítulo 8 é basicamente essa comparação. O que você tem é uma
comparação entre a vida vivida na carne e a vida vivida... no quê? No Espírito.
Então você tem o cristianismo verdadeiro contra aquilo que não é o cristianismo. Essa é a
comparação, repetidamente. Quando você lê ao longo do capítulo você pode ver isso. Paulo
está contrastando, muito especificamente, aqueles na carne e aqueles no Espírito, aqueles com a
mente na carne e aqueles com a mente no Espírito. É assim repetidamente. Uma olhada rápida
no versículo 7 e você vê o que é muito peculiar àqueles na carne. Eles são inimigos - dependendo
da tradução que você tem - eles são hostis a Deus. E eles não só não guardam seus
mandamentos ou os cumprem, mas as Escrituras dizem ali que eles não podem.
Quando vamos para o versículo 13, nós temos que as pessoas na carne morrem. Então,
ouça. Se isso basicamente caracteriza sua vida: que você faz suas próprias coisas. Isso é que você
precisa ver sobre versículo 7, logo acima. É que viver na carne não é apenas freqüentar bares ou
estar envolvido em festas todo o tempo. Viver na carne é simplesmente isso: Você não aceitará
que Deus lhe diga o que fazer. É isso. É o que você vê no versículo 7. Isso é peculiar àqueles que
vivem na carne.
Versículo 13: “Se vocês viverem de acordo com a carne, vocês morrerão.” Aceite. Ele não
está abrindo o tema para debate. Isso é bem direto aqui, pessoal. Se você vive de acordo com a
carne, você morre. Basicamente, se sua vida é caracterizada por fazer o que você quer fazer,
sem de fato se preocupar com o que Deus quer que você faça... Tudo o que vocês precisam
fazer pra viver de acordo com a carne, pessoal, não é... Vocês podem ser morais. Você não
precisa ser descontrolado, não precisa estar fora de controle. Apenas digam: “eu vou fazer as
coisas do meu jeito", e você vai morrer. “mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo,
vivereis.”
Deixe-me dizer uma coisa a respeito da vida em Cristo. Esta é, provavelmente, a maior
característica externa do verdadeiro cristianismo em toda a Bíblia. Pense sobre isso. Vá para 1
João. O que você encontra? Você encontra: “Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os
seus mandamentos...” (1 Jo. 2.4) O que é verdade sobre você? Você é um mentiroso. A verdade
não está em você. O que você tem aqui é isso, pessoal: “Viva do jeito que você quer viver, e
você morre. Viva do jeito que Deus quer que você viva, e você vive.” Agora, já que estamos aqui,
eu creio que provavelmente seja importante irmos para o próximo versículo, para que não
tenhamos algum tipo de má compreensão.
Sabe, se nós tivéssemos apenas o versículo 13 por si só, ele quase pareceria dizer - o quê? Ele
quase tem essa idéia de que se vocês mortificarem os feitos do corpo - o que acontece? Você
consegue a vida eterna. Quase soa como se fosse trabalho seu, certo? Paulo percebe que ele
soa dessa maneira. Então ele vai para o versículo 14 e, imediatamente, ele esclarece o que ele
disse. Você vê que o versículo 14, em suas Bíblias, começa com “pois”. Se estiver em outra
tradução pode começar com “porque”. É porque ele vai explicar, ele não está mudando para
um novo assunto. Ele apenas vai, no verso 14, se aprofundar um pouco mais no que ele estava
dizendo. “Porque todos os que são guiados...” Todos os que são, dessa forma, guiados pelo
Espírito. Para fazer o quê? Mortificar os feitos do corpo. "Porque todos os que são guiados pelo
Espírito de Deus, esses são filhos de Deus." Agora, olhe, isso é o que ele está dizendo: Ele está
dizendo que se você mortificar o pecado você vai viver. Agora, você não vive porque você
mortifica os feitos do corpo. Você vive porque você é um filho de Deus. Você nasceu de novo.
Isso é o que ele está dizendo aqui. O ponto aqui é: Isso é uma evidência. Não uma causa. Isso é
uma evidência daqueles que têm vida eterna.

1
Então, veja, nós podemos dizer isso a respeito de qualquer pessoa. Qualquer um que é
venha a essa igreja, qualquer um que seja membro dessa igreja. Qualquer pessoa com quem nós
lidamos diariamente nessa comunidade aqui. Nós sabemos disso: se nos encontrarmos com elas, e
elas disserem que são cristãs, é bom que isso caracterize a vida delas, porque Paulo diz: “vocês
viverão”. João diz: "Vocês são filhos de Deus.” Se você demonstra essa evidência característica,
de que isso é comum em sua vida, de que isso é a característica geral, de que essa é jornada
geral na sua vida, de que você mortifica o pecado.
Ouça, você não pode dizer - quantas vezes vocês já ouviram isso? Nós entendemos isso em
nossa igreja. Vocês devem ter ouvido aqui. "Bem, sabe como é, eu era um adolescente. Eu
professei a Cristo com tinha 14 anos, mas eu saí por aí cometendo todo tipo de pecado. Mas eu
sei que eu era um cristão.” Agora, espere um segundo. Como você sabe que era um cristão?
"Bem, eu simplesmente sei, eu tive essa experiência, eu fiz isso...” O que as Escrituras dizem?
Agora, ouçam. Isso não é um chamado para a "perfeição cristã" por qualquer alcance da
imaginação. Isso não tem nada a ver com viver dia após dia sem qualquer pecado em sua vida.
Mas o que isto tem a ver é que é característico. Isso é definitivamente um padrão, pessoal. E eu
posso olhar para qualquer pessoa e eu posso fazer uma avaliação geral sobre a vida dela
baseando-me nesse texto. Quer dizer, Paulo estabelece isso aqui. Há uma conexão vital entre
“mortificar o pecado” e “vida”. Eu estou lhe dizendo, cada pessoa no céu viveu essa vida de
mortificação dos feitos do corpo.
Agora, é interessante. Obviamente isso não significa todo feito do corpo. Ele não quer dizer
usar sua mão para ajudar uma viúva. Obviamente ele não quer dizer isso. Quero dizer, é claro que
o que temos falado aqui é usar o corpo. Usar expressões faciais, usar tons de voz, usar órgãos
sexuais, usar as mãos, usar os pés, usar o corpo em geral para realizar feitos de perversidade. Nós
devemos viver uma vida de fazer o bem. Vocês já leram isso, pessoal? Quer dizer, você vai pra 3
João. Você sabe o que você tem? João pode dizer isso: “Olha, nós conhecemos os filhos de
Deus.” “Nós conhecemos aqueles que são salvos.” E você sabe o que ele diz lá? “Eles praticam o
bem”(3 Jo 11).
3 João, leia alguma vez. Ele basicamente diz lá que nós podemos diferenciar o salvo do
perdido. O salvo pratica o bem e esse outro não pratica o bem. Essa idéia de que o cristão faz o
bem é uma idéia muito bíblica. Sabe, ser salvo é simplesmente sobre ser salvo do pecado, na sua
prática bem aqui, tanto quanto ser salvo da sua culpa, tanto quanto ser salvo da ira de Deus. Nós
somos salvos do poder do pecado. Tudo o que nós temos a fazer é voltar para capítulo 6, você lê
no versículo 14: “...o pecado não terá domínio sobre vós”. Pessoal, esta é a conseqüência daquilo.
O pecado não vai dominar a sua vida se você é um cristão. É isso que diz lá. Versículo 13 do
capítulo 8, você não pode fazê-lo dizer qualquer outra coisa. Pureza de vida. Você, como um
cristão, tem sido guiado por Cristo, através de Seu Espírito, para batalhar contra o pecado. Se isso
não é característico na sua vida, então sua vida não tem a característica da vida cristã.
Agora veja, o negócio é o seguinte. Ok, temos de fazer isso. Temos que mortificar o pecado.
Sabe? Quando eu realmente pensei sobre isso, eu percebi isso: Os feitos do corpo vêm de algum
lugar. Então, definitivamente é de grande ajuda compreender de onde eles vêm, porque se você
vai atacar essa coisa, se você vai fazer batalha, você precisa ir à raiz do problema. E, se você
voltar para o capítulo 6, versículo 12, você verá exatamente a raiz. Exatamente de onde esses
feitos vêm. Romanos 6, versículo 12: “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal...”
Veja. Ali você tem o “corpo mortal”. Lembre o que nós precisamos mortificar. Nós precisamos
mortificar os “feitos do corpo”. Bem aqui você tem o corpo mortal. O pecado está procurando
reinar no corpo mortal para fazer você obedecer a suas - do corpo - paixões.
Agora, isso é interessante. Isso é o que você tem. "Pecado" não é plural aqui, ele é singular.
O que significa que ele não está falando de pecados como pecados individuais. Ele está falando
sobre o pecado como um poder. O pecado como uma força. O pecado como uma força
maligna procura dominar, governar, reinar no seu corpo. Como? Fazendo você obedecer as
paixões do seu corpo. Você vê isso? Isso é claro, ou eu apenas inventei isso? Isso está lá, certo?
Vocês vêem isso. Qual é a questão-chave sobre isso? O negócio é o seguinte, se eu sou salvo, e o
Espírito de Deus me guia... Ouça, nós fazemos isso “pelo Espírito”. Mas nós fazemos! Essa idéia de
mortificar os feitos do corpo... “se vós pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis” Isso
não é um tipo de hipercalvinismo. Sabe, você senta de braços cruzados e o Espírito de Deus vai
me purificar. Você se lembra, as Escrituras nos dizem para “desenvolvermos a nossa salvação com

2
temor e tremor” (Fp. 2.12). Há uma batalha aqui, pessoal. E nós lutamos. Nós fazemos. Sim, nós
fazemos no poder do Espírito. Você não consegue fazer isso fora do Espírito. Você não pode fazer
isso fora de Cristo. Mas em Cristo, isso que é impossível, por natureza, quando você está na carne,
é muito possível, de fato é tão possível que se você tem vida, você vai mortificar essas coisas. E o
que você mortifica é isso: O pecado buscando governar o seu corpo, buscando dominar,
fazendo você obedecer às paixões desse corpo.
Agora, ouça, quando eu comecei a pensar sobre isso, eu pensei: “É! Isso é exatamente o
que acontece!” Quer dizer, pense sobre quando você peca. Pense a respeito de toda química
aqui, pense sobre todo... Se você começar a dissecar essa coisa, se você começar a separar em
pedaços parte por parte, o que acontece? Eu peco, eu uso minha boca, eu uso meus olhos, eu
uso minhas mãos de um modo que eu não deveria usá-los. E eu peco... Quando eu faço o quê?
Quando eu tento satisfazer algum desejo. Isso é o que nos leva a pecar. Mas como?
Sabe, quando eu comecei a contemplar ambas essas coisas. E eu peguei todas essas coisas
na minha cabeça... Eu estou pensando: “Ok, vamos analisar os desejos.” Eu examinei todo o Novo
Testamento todas as formas como essa palavra aparece. Eu estava tentando me focar nisso, eu
estava tentando descobrir o caráter desses desejos. E então também o “pecado”. Não
“pecados” no plural, mas “pecado” como um poder. "Vamos analisar isso e percorrer o Novo
Testamento e examinar isso, e mesmo em alguns lugares no Velho Testamento.” E muito
interessante foi isso: Vá, em sua Bíblia, para Efésios 4.22. “...despojeis do velho homem..." Eu estou
lendo na ESV. Para que vocês possam se situar aqui, Efésios 4.22, se vocês têm uma tradução
diferente. "Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas
concupiscências do engano" Você vê isso aqui? A palavra “desejos” aqui é exatamente a mesma
palavra de Romanos 6, versículo 12. Note como ele os chama: “enganosos”.
Sabe, uma coisa muito interessante sobre esses desejos que o pecado quer que
obedeçamos é que eles são desejos enganosos. Mas, sabe, então você começa a estudar, você
começa a pensar sobre a realidade do pecado. Vá para Hebreus 3.13. Quer dizer, basicamente
isso é aquilo com que nós somos confrontados quando pecamos. Nós temos o pecado como um
poder, o qual é um inimigo aqui. Buscando nos fazer obedecer a desejos corruptos, os quais são
os inimigos. Basicamente nós temos dois inimigos aqui, no que se refere ao meu pecado, como
cristão. Eu tenho pecado como um poder, buscando reinar ao me fazer obedecer às paixões
pecaminosas. Então, eu tenho “o pecado” e eu tenho “as paixões”. Se eu puder lidar com esses
dois cães, eu posso atingir essa coisa. Agora, em Efésios 4:22 eu quis mostrar que esses desejos são
chamados de “enganosos”.
Agora, o que eu quero que você veja aqui em Hebreus... “Antes, exortai-vos uns aos outros
todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo
engano do pecado.” Ouça! O poder do pecado para ter influência em sua vida vai apenas tão
longe quanto o fato de que ele tem habilidade de enganá-lo. O que eu quero que vocês
entendam é que se eu estou mortificando os feitos do corpo, e eles vêm do pecado tentando
reinar em meu corpo, e o pecado é enganoso, os desejos são enganosos, adivinha o que isso me
diz? Isso me diz que eu peco quando eu faço o quê? Quando eu acredito em uma mentira.
Você sabe como você mortifica o pecado? Quando você pára de acreditar na mentira em
que você acredita toda vez que você comete o pecado. Eu lhe garanto! Aqueles de vocês aqui
que pecam mais são os mais inclinados a acreditar em uma mentira. Você está fazendo isso.
Porque, eu lhe digo, o pecado é estúpido! É ridículo! Toda vez ele é destrutivo, não lhe ajuda. Ele
apenas separa, apenas danifica. É apenas destrutivo. E por que você peca? Porque você aceita
alguma mentira. Nós vemos isso nos nossos filhos. Nós vemos isso no perdido.
Nós temos um jovem, era um membro da nossa igreja, e, simplesmente, trocou Cristo por
uma mulher. Por quê? Aquilo foi prudente? Aquilo foi para o seu proveito eterno? Aquilo vai ser de
grande ajuda pra ele? Aquilo vai fazê-lo feliz mais à frente? Você sabe que não vai. Não é como
se ele fosse algum alienígena e isso fosse estranho a nós. Nós andamos nesse caminho, pessoal.
Nós escolhemos o pecado, e mesmo agora, como um cristão, quando você escolhe o pecado,
você o faz porque assim como aquele jovem você acredita em uma mentira. Toda vez. Você
peca somente quando você acredita em uma mentira. Seu orgulho é uma mentira, sua raiva
injusta é uma mentira. Seu materialismo, obsessão por conforto. Sua avareza, idolatria, cobiça,
luxúria, inveja. Tudo mentira. Sempre que você cede ao pecado, pode anotar, você aceitou uma
mentira. E se você realmente enfrenta isso, isso vai lhe ajudar.

3
Meu irmão, minha irmã. Pense em que mentira você acredita quando você está
preocupado. Qual é a mentira que você aceitou totalmente quando você olha com desejo para
uma mulher? Que mentira você aceitou quando você perturba os outros, ou se sente superior, ou
fica irritado, ou fofoca, ou se sente invejoso, ou luta - luta! - por conforto nessa vida ou precisa ter
seu novo brinquedo? Tenha certeza que há uma mentira por trás de cada uma dessas coisas. Sua
luta contra o pecado é uma luta contra mentiras. Eu lhe garanto isso. Aqueles de vocês que
pecam mais nesse lugar, pode anotar, são os mais inclinados a acreditar no que não é verdade.
Você é o mais ingênuo, você é o mais ignorante e você é o mais enganado.
Agora, ouça. Eu quero deixá-los, amigos, com este pensamento. Porque às vezes, o que
acontece é que nós temos certa dificuldade em compreender o que é isso. Você pode dizer:
“Ok”. “Irmão, eu acredito nisso. Você nos mostrou." “Pecado e desejos são enganosos. Quando eu
os aceito eu estou sendo enganado”. Veja, às vezes o que é difícil, é compreender qual é a
mentira em que eu acredito. Sabe de uma coisa que eu tenho visto? Sabe uma coisa que eu
tenho visto em círculos calvinistas, círculos reformados? Uma mentira que é tão predominante. E
eu garanto que Satanás faz você acreditar nisso toda vez. É a mentira de que eu não posso ter
vitória. Eu estou simplesmente condenado ao fracasso perpétuo.
Ouça, pessoal. Você pode chegar à essa conclusão por algum hipercalvinismo distorcido,
mas você não vai chegar a essa conclusão pela Palavra de Deus. De fato, o versículo que nós
lemos, em Romanos 8:13, me diz exatamente o contrário. Ele me diz que se o poder de Deus está
realmente em sua vida, se você está verdadeiramente em Jesus Cristo, você tem o Seu Espírito. E
se você tem o Seu Espírito, por esse Espírito, você vai mortificar essas coisas. E uma das maiores
mentiras que eu tenho visto cristãos, tantas vezes, caírem, é essa idéia: “Eu sou simplesmente
miserável, simplesmente derrotado, eu simplesmente não posso ter vitória nisso”
Vou lhe dizer uma coisa, você lê Romanos errado se o lê dessa forma. Você olha para
Romanos 6, e olha para o versículo 14: “o pecado não terá domínio sobre vós.” Você olha pra o
versículo 17, ele diz que Deus fez homens e mulheres obedientes de coração. O pecado, se você
é um cristão, nos é dito: “Vocês estão mortos para o pecado”. Agora, eu lhe digo, essas são
expressões fortes... Mas elas não têm apenas a ver com a nossa justificação diante de Deus. Tem a
ver com o poder do pecado em uma forma prática e demonstrável nas nossas vidas. Pessoal, se
vocês não estão mortificando, então vocês vão morrer.
Agora, ouça. Essa é uma das maiores mentiras que é crida. Mas há outra. Eu posso me
lembrar de quando eu era um jovem cristão. Eu posso me lembrar de quando eu estava lendo
meu Velho Testamento. Sabe, eu fui educado em um lar católico, eu não era exposto às verdades
da Palavra. Então, quando eu era novo convertido, eu não tinha uma igreja, apenas ouvia John
MacArthur na rádio. Eu não tinha ninguém me ensinando, eu não estava seguro em algum lugar.
Quer dizer, quando eu estava lendo minha Bíblia pela primeira vez: “Essa coisa é nova”. Eu li sobre
Davi contando o povo e Deus veio e trouxe uma praga. (2 Sm 24) Eu li sobre um camarada
estendendo a mão e tocando na Arca e Deus o fulminando. (2 Sm. 6) E eu estava com medo, eu
comecei a pensar: “Esse Deus não é como eu pensei que fosse”. Eu estava achando Deus bem
assustador.
Deixe-me dizer uma coisa. Houve um dia, isso me impressionou também como um novo
cristão. Houve um dia quando um profeta - vocês sabem disso, Isaías capítulo 6 - muito famoso.
Talvez o mais famoso de todos, excetuando Jesus Cristo. Pelo menos, profeta do Velho
Testamento. Isaías. Este homem, provavelmente um dos homens mais devotos no meio da nação
dos hebreus daquela época. Ele chega ao templo e ele contempla o Senhor, alto e sublime. E eu
estou lhe dizendo, este cara, ele viu aquilo, e você pode estar certo, ele caiu de joelhos,
provavelmente se cobrindo. A glória do Senhor, as abas de suas vestes enchiam o templo, e as
bases do limiar se moviam... E você tem serafins e eles estão clamando pra lá e pra cá: “Santo,
santo, santo!” E o lugar estava cheio de fumaça e balançando, e ele dizendo: “Ai de mim!”
Quer saber? Você sabe o que ele não estava fazendo naquele exato momento? Ele não
estava pensando na mocinha por quem ele passou a caminho do templo. Ele não a estava
cobiçando! Ele não estava pensando em ir pra casa e brigar com sua esposa. Sabe por quê?
Porque quando você é confrontado pela glória do Senhor... Eu lhe digo isso: uma das mentiras
que você aceita quando peca... Você aceita a mentira de que Deus não é exatamente como
Ele é. Você se esquece de quem Deus é, você aceita a mentira de que Ele é um tanto

4
derrotado... subordinado, precário, sub-bíblico em comparação com aquilo que Ele é nas
Escrituras.
Você sabe por quê? Ele vê isso e o pensamento na sua mente nesse momento não é ir
fofocar ou apunhalar alguém pelas costas, ou ser amargo com alguém. Porque quando você vê
Deus como quem Ele é... Isso tem uma capacidade de queimar toda falsidade. Veja, um dos
problemas, pessoal, nós aceitamos um Deus pequeno. Essa é uma mentira que nós aceitamos
quando pecamos. Eu lhe digo uma coisa. Se a glória do Cristo vivo pairar no canto da sua cozinha
do jeito que aconteceu no templo naquele dia. Quando você for pra casa hoje. É provável que
você não diga as coisas que, de outra forma, diria. É provável que você não faça as coisas que,
de outra forma, faria. E eu lhe digo uma coisa. Quando Isaías se viu... Bem, quando ele viu Deus
ele se viu também. E, veja, esse é um dos problemas no nosso pecado também. Nós pensamos de
uma maneira muito elevada de nós mesmos. Muito elevada. Nós pensamos que o nosso jeito, nós
pensamos que o que nós queremos vence tudo.
Isso é verdade: Toda vez que você peca, você elimina e abandona totalmente o senhorio
de Jesus Cristo. Você o despreza, você o considera uma coisa pequena e você decerto está se
exaltando. Você sabe que o orgulho está por trás de cada pecado, você está se exaltando. Sabe
uma mentira em que você acredita toda vez que peca? Você se acha muito grande. Você
acredita que seus caminhos, seus compromissos, suas necessidades vencem as ordens de Cristo.
Ouça, deve haver muitas outras mentiras em que você acredita. Sabe, isso ajuda mesmo, se você
vai mesmo...ouça. Algumas pessoas aparecem, cristãos aparecem. e dizem: “Eu tentei lutar
contra esse pecado.” E eu sei que eles tentaram, o cara não está mentindo pra mim. O cara não
está tentando me enganar, eu sei que aquele pecado entristece aquele irmão. Eu sei que o
entristece, eu posso ver a tristeza no seu rosto. Eu sei que ele orou por esse pecado, eu sei que ele
lutou contra esse pecado. Eu sei que ele se arrependeu desse pecado e que ele foi sincero. Mas
ele diz: “Por que eu continuo voltando a pecar?”
Quer saber? É porque, ainda que ele possa não gostar daquele pecado, e, ainda que ele
esteja tentando lutar contra isso, ele nunca chegou à raiz da questão. Ele não está realmente
correndo atrás da mentira em que ele acredita toda vez que ele comete aquele pecado. Isso vai
mesmo ajudá-lo. Vai me ajudar. Vai nos ajudar. Se nós começarmos a lidar com o que... quer
dizer, eu identifico o pecado. E então penso: no que eu estou acreditando toda vez que eu caio.
Porque há um processo de pensamento, nós não pecamos no vácuo. Há pensamento, nós
decidimos as coisas, nós fazemos as coisas. Há uma percepção. Nós formamos opiniões sobre as
coisas. Nós olhamos pras coisas de um ponto que é desejável.
Lembrem-se, desejos estão envolvidos aqui, pessoal. Nós temos que descobrir: como é que
esses desejos, como é que o pecado está me enganando. Qual mentira eu estou aceitando. E eu
vou lhe dizer uma coisa. Uma vez que você identifica a mentira... Como você batalha contra o
pecado? Como você batalha contra desejos corruptos? Eu vou lhe dizer. Se são ambos
enganosos... Sua arma para matá-los é a verdade. Se mentiras e decepções estão na raiz... A
verdade. Você precisa conseguir compreender o que é verdadeiro. Pense comigo. Nadabe e
Abiú estendidos lá, mortos (Lv 10). Eles foram incinerados. Arão não estava de repente inclinado a
ficar irritado com Deus. As Escrituras dizem que ele se calou, é bom que você acredite que ele se
calou. Não ocorreu a ele, de repente, ficar preguiçoso com a adoração. Não ocorreu a ele, de
repente, ser negligente, como um cristão, não ocorreu, de repente, a ele... Por quê? Por que a
presença de Deus era tão real no meio disso tudo. E eu lhe digo, por que eu continuo trazendo
isso de volta? Porque isso tem tudo a ver com a verdade, pessoal.
Quando você começa a ver Deus mais claramente, você começa a ver a forma como as
coisas são verdadeiramente. Veja, um dos problemas que nós temos, pessoal... Uma das razões
por que o pecado é tão extremo muitas vezes nas nossas vidas, nas nossas igrejas. É porque a
presença de Deus é tão pouco sentida e experimentada. Quando a glória de Senhor desce sobre
nossas igrejas e o temor do Deus desce sobre nosso povo e há uma presença lá, e as pessoas
começam a se achegar mais pelo menos alguma manifestação similar àquela experimentada
por Isaías, por Jó, por Arão... Ouça! O pecado começa a sair fora da igreja.
Quando as pessoas começam a ver Deus como quem Ele é e começam a ter essa visão de
Deus nas suas vidas mortificar os feitos do corpo se torna algo mais próximo da realidade. Vocês
vêem essa conexão com a verdade nisso tudo? Eu espero que vocês vejam, espero que vejam.
Primeiro, eu vou terminar com isso, apenas para resumir. Há uma conexão: você mortifica os feitos

5
do corpo, isso é a evidência de que você vai viver. Isso é vida e morte, pessoal. Mortificar os feitos
do corpo, você tem o pecado, ele é enganoso - Hebreus 3.13 diz isso. Efésios 4.22 diz que esses
desejos são enganosos. Você tem essas coisas, o pecado fazendo você obedecer a esses desejos
corruptos. Esse aqui é enganoso, esses aqui são enganosos. Vocês querem batalhar contra isso,
pessoal? A verdade é sua arma. Você precisa focalizar a verdade. Você começa a localizar as
mentiras em que você acredita quando peca e você começa a atacá-la com a verdade. Você
começa a memorizar aqueles textos bíblicos que caem em direta contradição com aquela
mentira em que você acredita. Essa verdade, que está direta oposição àquela mentira que você
caiu.
Você começa a se permear com a realidade da presença de Deus e começa a vê-lo
como Ele é. Você começa a aproximar, dia após dia, sua vida cristã dessa perspectiva: “Eu posso
ter vitória”. Não apenas “eu posso ter”, mas “eu preciso ter”. “Eu vou ter!” E se eu não tiver, eu vou
morrer. Não que eu ganhe vida através dessa batalha. Mas eu provo que eu tenho vida através
dessa batalha. Eu ganho essa vida para batalhar me tornando um filho de Deus. Nascendo de
novo. É assim que essa poder é posto em ação pelo Espírito. E ouça, o Espírito não faz isso. Você
precisa fazer isso, pelo poder do Espírito. Ele o faz através de você. Não à parte de você, não sem
você. Ele o faz enquanto você faz. Ele nos chama para uma vida impossível, mas nos foi dado a 3ª
Pessoa da Trindade para nos fazer realizar isso. Ouça, isso não é um problema pequeno, isso é um
caso de vida ou morte. E não apenas um caso de vida ou morte, esse é um caso muito sério da
Igreja. Santidade.

Por Tim Conway. © Grace Community Church. Website: gccsatx.com


Tradução: youtube.com/QorpoSanto1986 Revisão: voltemosaoevangelho.com
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este
material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas,
não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Você também pode gostar