Você está na página 1de 71

SISTEMA TEGUME TAR

SEELEY, et al, “Anatomia e Fisiologia”, 3ª edição, 2001, pág 153-174

Conteúdos curriculares

Estrutura e funções do sistema tegumentar Hipoderme Derme, Epiderme Estruturas anexas da pele

SISTEMA TEGUME TAR

Constituído por ... Pele Estruturas anexas

Pêlos Unhas Glândulas

Funções do sistema tegumentar

Protecção: microrganismos, abrasão, Radiação UV Regulação da temperatura corporal: sudação, vasos sanguíneos, cabelo Produção de Vit. D: Radiação UV Órgão sensitivo: receptores (dor, pressão, temperatura) Excreção: água, sais, ureia, ácido úrico, amónia

Epiderme: 0.1-1,4mm

Derme: 0.6-3mm

Hipoderme: entre 0 e 3cm

Epiderme: 0.1-1,4mm Derme: 0.6-3mm Hipoderme: entre 0 e 3cm
Pele e hipoderme

Pele e hipoderme

H i p o d e r m e

ão faz parte da pele

Funciona como “alicerce” desta

Também chamada tecido

tecido celular

celular subcutâneo

subcutâneo

“Liga” a pele aos ossos e músculos subjacentes

Fornece vasos e nervos

H i p o d e r m e

Formada por tecido conjuntivo laxo, com fibras de

colagénio e elastina

Principais tipos

tipos dede células

células: fibroblastos células

,

adiposas e macrófagos

Armazena cerca de 1/2 da gordura existente no corpo

Gordura - amortecimento e termo-isolamento;

diferenças no corpo do homem e da mulher

Pele
Pele

Composta por duas

duas camadas

camadas:

Derme: camada de tecido conjuntivo que se

encontra junto à hipoderme

Epiderme: camada de tecido epitelial que

assenta na derme

Derme

Camada de tecido conjuntivo denso

fibroblastos

l

a gumas c

él

l

di

u as a

posas

macrófagos

Colagénio - principal fibra do tecido conjuntivo

Existem também fibras de elastina e reticulina

Derme

Responsável pela maior parte da força

força estrutural

estrutural

da pele.

Escassos vasos sanguíneos e células adiposas,

comparando com a hipoderme

Contém terminações nervosas, folículos pilosos,

músculo liso, glândulas e vasos linfáticos

Derme

2 camadas

Reticular

Papilar

Limites pouco definidos

Derme

Derme reticular

mais profunda e fibrosa

apresenta disposição

das fibras segundo linhas

de tensão

distensão excessiva:

estrias

Derme Derme reticular • mais profunda e fibrosa • apresenta disposição das fibras segundo linhas de

Derme

Derme papilar

Prolongamentos ou papilas que se estendem em

direcção à epiderme

Mais células e menos fibras que a derme reticular

Grande nº de vasos que irrigam a epiderme

Epiderme

Constituída por epitélio de descamação, estratificado

Separado da derme por uma membrana basal

ãoão contém vasos sanguíneos

contém vasos sanguíneos

Alimentada por difusão a partir da camada papilar

Epiderme

Queratinócito

célula mais abundante (90%)

p

roduz

ueratina

q

Outras células

Melanócitos (3%)

células de Langerhans (2-8%)

Epiderme

As

células

profundas

são

produzidas

nas

camadas

mais

Em urradas até à su erfície onde descamam

p

p

,

Durante esta migração as células vão acumulando

queratina - queratinização - e acabam por morrer

Formação camada externa resistente

Epiderme

As células formam estratos

estratos ou camadas

camadas

Da mais profunda para a mais superficial basal,

espinhosa, granulosa, translúcida e córnea

O nº de células por camada e o nº de camadas

varia em função da região anatómica

1. Camada basal

Camada mais profunda da epiderme

Constituída por uma única camada de células cúbicas ou cilíndricas, contendo fibras de queratina, que se fixam à membrana basal por hemidesmossomas

Desmossomas mantém junto os queratinócitos

Sofrem divisões (originando duas células) a cada 19 dias e demoram 40 a 50 dias a atingir a superfície, onde descamam

2. Camada espinhosa

8 a 10 camadas de células poligonais ou multifacetadas (quanto mais próximas da superfície, mais achatadas)

Dentro das células formam-se novas fibras de queratina e membranas cheias de lípidos (corpos lamelares)

Quantidade limitada de divisões celulares (por vezes as camadas basal e espinhosa são referidas em conjunto como camada germinativa)

3. Camada granulosa

2 a 5 camadas de células achatadas ou

losangulares, com o grande eixo paralelo à superfície

Grânulos de querato-hialina no citoplasma

Nas camadas mais superficiais o núcleo e outros

organelos degeneram e a célula morre (os grânulos

de querato-hialina e as fibras de queratina não

degeneram)

4. Camada translúcida

Camada fina e transparente sobre a granulosa

Encontra-se apenas em algumas partes do corpo

Várias camadas de células mortas com fronteiras

pouco distintas

Mantém

as

fibras

de

queratina,

apresentando

dispersão das fibras de querato-hialina

5. Camada córnea

A mais superficial das camadas da epiderme

25 ou mais camadas de células mortas e unidas por desmossomas, que acabam por se cindir, permitindo a descamação

A descamação é contínua, mediante abrasões como as provocadas pela fricção da roupa ou lavagem

Espessura da pele

Estrutura da epiderme determina se é espessa ou fina

Pele espessa

possui as 5 camadas epiteliais

camada córnea apresenta muitas camadas de células

erncontra-se em áreas sujeitas a pressão ou fricção

(palmas das mãos, plantas dos pés, etc)

Espessura da pele

Pela fina

Mais flexível que a pele espessa

Os pêlos só se encontram na pele fina

Cada camada contém um menor nº de células

Camada granulosa só tem 1 ou 2 camadas de células

Camada translúcida está com frequência ausente

Espessura da pele

A pele (incluindo epiderme e derme) varia entre 0,5

mm (pálpebras) e 5 mm (espáduas) de espessura

Os termos fino e espesso dizem dizem apenas apenas respeito respeito àà

epiderme e nada têm a ver com a espessura global da

epiderme

pele

A pele sujeita a fricção ou pressão desenvolve uma

área espessa designada calosidade ou (sobre

proeminências ósseas) estruturas designadas calos, por

aumento da camada córnea

Cor da pele

Determinada por:

(1)

pigmentos presentes

(2)

sangue que circula através da pele

(3)

espessura da camada córnea

Melanina:

pigmento castanho escuro

responsável pela maior parte da cor da pele

Cor da pele

Melanina

produzida pelos melanócitos, células com prolongamentos celulares que se estendem entre as camadas basal e espinhosa

contida em vesículas designadas por melanossomas

libertada por exocitose

Os

queratinócitos

adjacentes

adquirem

a

melanina

por

fagocitose e formam os seus próprios melanossomas

Cor da pele

Produção de melanina é determinada por factores genéticos,

hormonas e exposição à luz

As variações raciais resultam ...

variações raciais

quantidade de melanina produzida pelos melanócitos

tamanho, nº e distribuição dos melanossomas

Não são determinadas pelo número de melanócitos, já que

este é praticamente constante entre as diferentes raças

Estruturas anexas

Pêlos

Glândulas

Unhas

Estruturas anexas Pêlos Glândulas Unhas

Pêlos

Característicos dos mamíferos

Ausentes em certas regiões (como palmas das mãos,

plantas dos pés, lábios)

A partir do 5º ou 6º mês, o feto é coberto de um

pelo delicado e não pigmentado, o lanugo

Perto do nascimento surgem no couro cabeludo,

pálpebras e sobrancelhas os pêlos definitivos, longos,

grossos e pigmentados

Pêlos

O lanugo do resto do corpo é substituído por

penugem (pelos curtos, finos e normalmente sem

pigmento)

Na puberdade, muita da penugem é substituída por

pêlos definitivos (especialmente na região púbica e

axilar)

A cor do pêlo depende da quantidade de melanina

existente

Estrutura do pêlo

Divide-se em haste e raiz

Raíz encontra-se sob a superfície e a sua base dilata-

se para formar o bulbo piloso

A raíz e a haste são formadas por células

queratinizadas mortas dispostas em camadas

concêntricas: cutícula, córtex e medula

Estrutura do pêlo

Medula: eixo do pêlo, consiste em duas ou três

camadas de células contendo queratina mole

Córtex: forma o corpo do pêlo e é composto por

células contendo queratina dura

Cutícula: uma camada de células que forma a

superfície do pêlo

Folículo piloso (contém raiz do pêlo)

Formado pela baínha radicular dérmica e pela

baínha radicular epitelial (envolvida pela anterior,

que é uma porção da derme).

A baínha radicular epitelial divide-se em parte

externa (que possui os mesmos estratos encontrados

na pele fina) e parte interna

Folículo piloso
Folículo piloso

Bulbo piloso

Protuberância encontrada na base da raiz do pelo

No seu interior encontra-se uma massa de células

epiteliais indiferenciadas, a matriz, a partir das quais

se produz o pelo e a bainha radicular epitelial interna

Matriz - nutrida por vasos sanguíneos provenientes

da derme

Músculo erector do pêlo

Associados

a

cada pêlo

existem células do tecido

muscular liso, que formam o músculo erector do pêlo

O músculo erector do pêlo puxa-o, tornando-o mais

perpendicular à superfície da pele (“pele de galinha”)

Contracção

muscular

produz-se

em

resposta a

estímulos como o frio ou o medo

Crescimento do pêlo

Ciclos que envolvem fases de crescimento e fases

de repouso, variáveis com o tipo de pêlo

D

ra

u

ç

ão das fases de

p

ende do ti

p

o de

êlo

p

Velocidade média de crescimento do pêlo - 0,3

mm / dia

Cortar,

Cortar, barbear

barbear ouou escovar

escovar não

não altera

altera aa velocidade

velocidade

dede crescimento

crescimento dodo pêlo

pêlo

Glândulas da pele

As principais glândulas da pele são as glândulas

sebáceas e as glâdulas sudoríparas

As glândulas sebáceas produzem uma substância

oleosa chamada sebo

A maior parte das glândulas sebáceas drenam para

os folículos pilosos, mas algumas drenam

directamente na pele

Glândulas da pele

Glâdulas sudoríparas são de 2 tipos:

merócrinas

apócrinas

As merócrinas são o tipo mais comum

drenam directamente na pele e dividem-se em

porção glomerular (profunda) e canal

produzem o

suor

e

são

mais numerosas nas

palmas das mãos e plantas dos pés

Merócrinas
Merócrinas

Glândulas da pele

Glâdulas sudoríparas apócrinas

compostas por estruturas glomerulares tubulares

que se encontram nas axilas, órgãos genitais e em

torno do ânus

produzem uma substância orgânica inodora que é

metabolizada por bactérias da pele e é responsável

pelo odor corporal

abrem nos folículos pilosos

Glândulas da pele

Glâdulas

ceruminosas

do

meato

auditivo

externo, que produzem a cerúmen

Glândulas mamárias

Unhas

Segmentos distais dos dedos dos primatas (a

maior parte dos outros mamíferos possui garras)

Raiz da unha (coberta pela pele)

Corpo da unha (parte visível da unha)

Constitui um estrato córneo que contém

queratina dura

Unhas

A raiz da unha e o corpo da unha ligam-se ao

leito ungueal, cuja porção proximal é a matriz

ungueal

A matriz é composta apenas pela camada

germinativa que produz a queratina dura

Extremidade lateral coberta por pele – prega

ungueal

Unhas

A cor rosada da unha deve-se aos vasos

sanguíneos da derme

Na base da corpo da unha

na matriz ungueal

,

,

existe uma porção esbranquiçada, a lúnula

Lúnula - Deve a sua cor ao facto dos vasos

sanguíneos não serem visíveis através da matriz

ungueal (que é mais espessa)

Funções do sistema tegumentar

Protecção: microrganismos, abrasão, Radiação UV

Regulação da temperatura corporal: sudação, vasos

sanguíneos, cabelo

Produção de Vit. D: Radiação UV

Órgão sensitivo: receptores (dor, pressão, temperatura)

Excreção: água, sais, ureia, ácido úrico, amónia