Você está na página 1de 56

Mecânica dos Materiais

Capítulo 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Tensão e Deformação:

Cargas Axiais
Dep. Engª Mecânica
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Tensão e Deformação: Cargas Axiais - Sumário Cap. 2

Tensão e Deformação: Cargas Normais Lei de Hooke Generalizada


Preparado por: Filipe Samuel Silva

Deformação Normal Módulo de Compressibilidade


Ensaio Tensão-Deformação Distorção
Diagrama Tensão-Deformação: Materiais Relação entre E, ν, e G
Ducteis Materiais Compósitos
Diagrama Tensão-Deformação: Materiais Princípio de Saint-Venant
Frágeis Concentração de Tensões
Lei de Hooke: Módulo de Elasticidade Exercícios Resolvidos
Comportamento Elástico vs Plástico Exercícios Propostos
Deformação Devida a Carga Axial
Dep. Engª Mecânica

Problemas Estaticamente Indeterminados


Tensões Térmicas
Coeficiente de Poisson
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Tensão e Deformação: Cargas Axiais Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• A adequabilidade de uma estrutura ou máquina pode depender das


deformações da estrutura tal como das tensões. A análise estática, só por
si, não é suficiente.

• Considerar as estruturas como deformaveis permite a determinação de


forças e reacções em problemas estaticamente indeterminados.

• A determinação da distribuição das tensões numa secção requer a


consideração das suas deformações.
Dep. Engª Mecânica

• O Capítulo 2 preocupa-se com a deformação de membros estruturais


sujeitos a cargas axiais. Os próximos capítulos lidarão com torção e
flexão.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Deformação Normal Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva
Dep. Engª Mecânica

P
σ= = tensão 2P P P
A σ= = σ=
2A A A
δ δ 2δ δ
ε = = deformação normal ε= ε= =
L L 2L L
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Teste Tensão-Deformação Cap. 2
O co mporta mento Tensão-Deformação é obtido a partir de u m ensaio de tracção.
Preparado por: Filipe Samuel Silva
Dep. Engª Mecânica

Provete para ensaio de tracção uniaxial


Máquina de ensaios de tracção uniaxiais A informação obtida permite
U m teste envolve: determinar algu mas das
propriedades do material:
! Provete de dimensões conhecidas (standardizadas) !
! M áquina de ensaios de tracção ! Tensão de cedência
! Aplicação de carga axial ! M ódulo de Elasticidade
! M edição da variação de co mprimento e da carga correspondente. ! Tensão de rotura
! Uso da variação de co mprimento para cálculo da sua variação ! Extensão de Rotura
percentual. ! Ductilidade
! Uso da força aplicada e da área da secção recta do provete para cálculo ! Resiliência
da tensão. ! Tenacidade
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Gráfico Tensão-Deformação: Materiais Ducteis Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Rotura Rotura

Cedência Endurecimento Pescoço

M ateriais Aço de baixo teor em carbono Liga de Alumínio


Dúcteis
Os materiais dúcteis sofrem u ma grande deformação plástica antes de ro mpere m,
providenciando u m ‘aviso’ da rotura
Dep. Engª Mecânica

A deformação destes materiais deve-se inicialmente ao deslizam ento de bandas (cam adas) da
estrutura cristalina, ao longo de planos oblíquos à força e deve-se essencialmente a tensões de
corte.
Consoante a deform ação au menta, para materiais dúcteis, a tensão sobe até u m valor
m áximo, conhecido co mo Tensão de Rotura ou Tensão de Resistência à Tracção. A partir
deste ponto a tensão co meça a decrescer.
Esta inversão da progressão da tensão deve-se à formação de u m ‘pescoço’ no co m ponente.
A tensão continuará a decrescer até à rotura.
Quando u m material dúctil rompe, a rotura dá-se formando-se u ma superfície cónica co m u m
ângulo de aproximada mente de 45º co m a superfície original.
À quantidade que o m aterial consegue deformar antes de ro m per cha ma-se ductilidade.

Materiais Dúcteis são caracterizados por terem uma grande capacidade de resistir a grandes deformações plásticas antes de romperem.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Gráfico Tensão-Deformação: Materiais Frágeis Cap. 2

Rotura
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Tensão

Deformaçã
o
Diagrama tensão-Deformação para materiais frágeis
Dep. Engª Mecânica

M ateriais
Frágeis
Os materiais frágeis ro mpe m se m ‘aviso’.
O material cede igualm ente ao longo de todo o co mponente, e ro mpe abrupta mente
por u ma superfície perpendicular à força.
A rotura destes materiais deve-se essencialmente às tensões nor mais.

Materiais Frágeis são tipicamente caracterizados por uma incapacidade em resistir a grandes deformações plásticas
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Lei de Hooke: Módulo de Elasticidade Cap. 2

Aço de alta resistência (ligado • Abaixo da Tensão de cedência


Preparado por: Filipe Samuel Silva

e temperado)

σ = Eε
E = Módulo de Young ou
Aço ligado
Modulo de Elasticidade

• A resistência é afectada pelos


Aço ao Carbono
elementos de liga, processos de
Ferro puro manufactura, tratamentos térmicos,
etc, mas o módulo de elasticidade
não é.
Dep. Engª Mecânica

Diagramas tensão-Deformação para várias ligas de ferro

E (MPa) σc (MPa) σr (MPa)


CK45 2.07*105 490 730
34CrNiMo6 2.07*105 890 1020
Ti6Al4V 1.4*105 870 980
Al7175 0.7*105 470 630
AZ31B (liga Mg) 0.44*105 220 290
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Comportamento Elástico e Plástico Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• Se a deformação desaparecer
Rotura
quando a carga é retirada, então
o material comporta-se
elasticamente.
• À máxima tensão para a qual
ocorre o fenómeno anterior,
chama-se Limite Elástico ou
Tensão Limite de
Proporcionalidade
Dep. Engª Mecânica

• A partir do limite elástico o


material comporta-se
plasticamente.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Comportamento Elástico e Plástico Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Os materiais são form ados Conforme u m material é Se a carga for retirada antes
por áto mos, que se carregado, as ligações que o das ligações partirem, os
encontra m arranjados m antê m unido, co m eça m a áto mos regressa m à sua
nu m padrão regular deformar posição inicial, e o material
Este padrão designa-se Esta deformação resulta retorna à sua forma inicial.
nu m alonga mento do Isto corresponde à porção
por estrutura cristalina
elástica da curva tensão-
m aterial
defor mação do material.
Dep. Engª Mecânica

Se o material for carregado para alé m da


zona elástica, as ligações ató micas partem
/ desliza m. Isto corresponde à porção plástica
U m a vez que estas ligações tenham da curva tensão-defor mação do
partido/deslizado, quando a carga é m aterial.
retirada, o material já não retorna à sua
forma original
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Deformações Normais Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• Da lei de Hooke:
σ P
σ = Eε ε= =
E AE
• Da definição de extensão:
δ
ε=
L
• Resolvendo em ordem à deformação,
PL
δ =
AE
Dep. Engª Mecânica

• Se houver variação da secção, carga, ou


propriedades do material,
PL
δ =∑ i i
i Ai Ei
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Gráfico Tensão-Deformação Cap. 2
Tensão de rotura ou
Tensão de Resistência à Tracção
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Tensão
Tensão de cedência

Tensão Limite Elástica ou Tensão Extensão de rotura


Limite de Proporcionalidade

Módulo de Elasticidade

Deformação
Tensão
Tensão
Tensão
Tensão
Dep. Engª Mecânica

Tenacidade
Resiliência

Deformação
Deformação
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Gráfico Tensão-Deformação Cap. 2
Co mpressão vs Tracção Tensão Verdadeira
Preparado por: Filipe Samuel Silva

É determinada usando a área instantânea da secção


Materiais dúcteis recta do provete, em vez da área inicial.

M es ma tensão de cedência Deformação Verdadeira


Igual curva tensão-deformação para baixas
deformações É determinada usando o co mprimento instantâneo do
As curvas diverge m para grandes deformações provete
Na co mpressão não se forma o ‘pescoço’ Relação entre Tensão e Deformação Verdadeira, e
Materiais frágeis Tensão e Deformação de engenharia

Curvas diferentes
M es mo modulo elástico
Tensão de cedência superior (co mpressão)
Tensão de rotura muito superior (co mpressão)
Tensão
(Log) Tensão
verdadeira
verdadeira
Tensão Verdadeira e Deformação Verdadeira
Dep. Engª Mecânica

Até aqui temos visto a tensão e a deform ação de


engenharia, ou seja, baseados na curva tensão-
defor mação obtida nu m ensaio normal.
Todavia, quando o m aterial é traccionado, a área
da secção recta do provete varia (reduz) devido ao
au mento do co mprim ento. Nos gráficos anteriores,
o valor da área da secção recta é considerado Deformação (Log) Deformação
constante e igual à área inicial. verdadeira verdadeira
A tensão verdadeira e a deformação verdadeira são
obtidos co m base nas dimensões instantâneas do
provete.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Gráfico Tensão-Deformação Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Velocidade de
Temperatura Deformação

Módulo de
Elasticidade
Tensão Aumento da velocidade de
Deformação
Tensão de
Cedência

Tensão de
resistência à
tracção

Ductilidade

Tenacidade
Aumento da Temperatura
Dep. Engª Mecânica

Expoente de Deformação
endurecimento
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.1 Cap. 2
A=600 mm2 A=200 mm2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

SOLUÇÃO:
200 KN • Divide-se a barra nas três partes
500 KN 300 KN
representadas na figura.
40 cm
30 cm 30 cm
• Efectuam-se cortes em todas as
E = 200GPa partes, desenha-se o respectivo
diagrama de corpo livre, e faz-se o
equílibrio para cada uma das partes
Determine a deformação da
• Somam-se as deformações parciais.
Dep. Engª Mecânica

barra de aço quando submetida


às cargas indicadas.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.1 Cap. 2
SOLUÇÃO:
• Análise de esforços internos através da
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• Divisão da barra em três


análise de corpo livre em cada componente,
componentes:
A=600 mm2 A=200 mm2
P1 = 400 KN = 400 *103 N
P2 = −100 KN = −100 *103 N
200 KN
500 KN 300 KN P3 = 200 KN = 200 × 103 N
30 cm 30 cm 40 cm

200 KN
• Avaliação da deformação total,

PL 1  P1 L1 P2 L2 P3 L3 
200 KN δ = ∑ i i
=  + + 
Dep. Engª Mecânica

300 KN i A E
i i E A
 1 A2 A3 

1  ( 400 ×103 ) 0,3 ( −100 ×103 ) 0,3 ( 200 ×103 ) 0, 4 


=  + + 
200 ×109  600*10−6 600*10−6 200*10 −6 
 
200 KN −3
500 KN 300 KN = 2, 75 × 10 m= 2,75 mm

L1 = L2 = 30cm L3 = 40cm
A1 = A2 = 6cm 2 A3 = 2cm 2 δ = 2, 75mm.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Problema 2.1 Cap. 2

SOLUÇÃO:
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• Análise através do diagrama de


corpo livre da barra BDE para achar
as forças de ligação ao exterior, de
AB e DC.

• Avaliação da deformação das barras


A barra rígida BDE é suportada por duas
AB e DC ou dos deslocamentos de B
hastes AB e CD.
e D.
A haste AB é feita de alumínio (E = 70
• Análise geométrica para determinar
Dep. Engª Mecânica

GPa) com uma área de secção transversal


de 500 mm2. A haste CD é feita de aço (E o deslocamento do ponto E, tendo
= 200 GPa) e tem uma secção transversal os deslocamentos dos pontos B e D.
de (600 mm2).
Para uma força de 30-kN, determine os
deslocamentos a) do ponto B, b) do ponto
D, e c) do ponto E.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Problema 2.1 Cap. 2
SOLUÇÃO: Deslocamento de B:
Preparado por: Filipe Samuel Silva

PL
Diag. Corpo livre: Barra BDE δB =
AE
(− 60 ×103 N )(0.3 m )
=
(500 ×10-6 m2 )(70 ×109 Pa )
= −514 ×10− 6 m
δ B = 0.514 mm ↑
∑M B =0 Deslocamento de D:
0 = − (30 kN × 0.6 m ) + FCD × 0.2 m PL
δD =
FCD = +90 kN tracçao AE
Dep. Engª Mecânica

∑M D =0 (90 ×103 N )(0.4 m )


0 = − (30 kN × 0.4 m ) − FAB × 0.2 m
=
(600 ×10-6 m2 )(200 ×109 Pa )
FAB = −60 kN compressao
= 300 ×10− 6 m

δ D = 0.300 mm ↓
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Problema 2.1 Cap. 2

Deslocamento de D:
Preparado por: Filipe Samuel Silva

BB′ BH
=
DD′ HD
0.514 mm (200 mm ) − x
=
0.300 mm x
x = 73.7 mm

EE ′ HE
=
DD′ HD
δE (400 + 73.7 )mm
Dep. Engª Mecânica

=
0.300 mm 73.7 mm
δ E = 1.928 mm

δ E = 1.928 mm ↓
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Sistemas Estaticamente Indeterminados Cap. 2
• Estruturas para as quais as forças internas e as
Preparado por: Filipe Samuel Silva

reacções não podem ser determinadas, unicamente


com as expressões de equilibrio estático, são
consideradas estaticamente indeterminadas.

• A estrutura é estaticamente indeterminada


sempre que possui mais apoios do que os
necessários para manter o seu equilibrio.

• As reacções redundantes são substituídas por


cargas desconhecidas que, juntamente com as
outras forças, devem originar deformações.
Dep. Engª Mecânica

• As deformações devidas às cargas e às reacções


redundantes são determinadas separadamente e
depois são sobrepostas.
δ = δL +δR = 0
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.4 Cap. 2
Determine as reacções em A e B na barra de aço
submetida ao carregamento indicado. Admita
Preparado por: Filipe Samuel Silva

que a barra está encostada a ambos os apoios


antes da aplicação das cargas.

SOLUÇÃO:
• Considere a reacção B como redundante e
liberte-se a barra desse apoio. A reacção RB é
considerada agora como desconhecida e é
determinada tendo em conta que o alongamento
total, δ, da barra, deve ser igual a zero. A
Dep. Engª Mecânica

solução obtem-se considerando separadamente o


alongamento δL causado pelas cargas aplicadas
e o alongamento δR devido à reacção redundante
RB.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.4 Cap. 2
SOLUÇÃO:
• Considere o deslocamento em B devido às cargas,
Preparado por: Filipe Samuel Silva

tendo libertado a reacção em B,


P1 = 0 P2 = P3 = 600 ×103 N P4 = 900 ×103 N

A1 = A2 = 400 ×10− 6 m 2 A3 = A4 = 250 ×10− 6 m 2


L1 = L2 = L3 = L4 = 0.150 m

Pi Li 1.125 ×109
δL = ∑ =
A
i i iE E

• Considere o deslocamento em B devido à reacção


redundante RB.
Dep. Engª Mecânica

P1 = P2 = − RB

A1 = 400 ×10− 6 m 2 A2 = 250 ×10− 6 m 2


L1 = L2 = 0.300 m

δR = ∑
Pi Li
=−
( )
1.95 × 103 RB
A
i i iE E
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.4 Cap. 2

• Considerando o alongamento total da barra nulo e


Preparado por: Filipe Samuel Silva

resolvendo em ordem a RB,


δ = δL +δR = 0

δ = −
(
1.125 ×109 1.95 ×103 RB)=0
E E
RB = 577 ×103 N = 577 kN

• A reacção RA obtem-se do diagrama de corpo livre da barra


∑ Fy = 0 = R A − 300 kN − 600 kN + 577 kN
Dep. Engª Mecânica

R A = 323 kN

R A = 323 kN
RB = 577 kN
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Tensões de Origem Térmica Cap. 2
• Uma mudança de temperatura origina uma
deformação de origem térmica. Não existe tensão
Preparado por: Filipe Samuel Silva

associada a esta deformação, a menos que haja


restrições à deformação.
• Nos casos em que existe restrição à deformação
deve tratar-se a reacção como redundante e aplicar o
princípio da sobreposição.
PL
δ T = α ( ∆T ) L δ P =
AE
α = coeficiente de expansao termica
• A deformação térmica e a deformação originada
Dep. Engª Mecânica

pela reacção redundante devem ser compatíveis.


δ = δT + δ P = 0 δ = δT + δ P = 0
P = − AEα (∆T )
PL
α (∆T )L + =0 P
AE σ = = − Eα (∆T )
A
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Coeficiente de Poisson Cap. 2

• Numa barra homogénea e carregada axialmente,


Preparado por: Filipe Samuel Silva

σ
εx = x σ y =σz = 0
E

• A deformação na direcção do eixo dos x é


acompanhada por uma contracção nas outras
direcções. Assumindo que o material é
isotrópico,
εy = εz ≠ 0
Dep. Engª Mecânica

• O coeficiente de Poisson é dado por

deformaçao transversal εy ε
ν= =− =− z
deformaçao axial εx εx
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Lei de Hooke Generalizada Cap. 2

• Num elemento sujeito a um estado multiaxial de


Preparado por: Filipe Samuel Silva

cargas, as componentes das deformações


resultantes do estado de tensão são determinados
usando o princípio da sobreposição. Isto requer:
1) cada deformação é relacionada linearmente
com a tensão
2) as deformações são pequenas

• Atendendo a estas restrições:


σ x νσ y νσ z
εx = + − −
Dep. Engª Mecânica

E E E
νσ x σ y νσ z
εy = − + −
E E E
νσ x νσ y σ z
εz = − − +
E E E
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Dilatação: Módulo de Compressibilidade Cap. 2

• Em relação ao estado sem tensões a variação do volume é


Preparado por: Filipe Samuel Silva

e = 1 − (1 + ε x ) (1 + ε y ) (1 + ε z ) = 1 − 1 + ε x + ε y + ε z 


= εx + εy + εz
1 − 2ν
=
E
(σ x + σ y + σ z )
= dilataçao (variaçao do volume em percentagem)

• Para um elemento sujeito a uma pressão hidrostática uniforme,


3 (1 − 2ν ) p
e = −p =−
E k
Dep. Engª Mecânica

E
k= = modulo de compressibilidade
3 (1 − 2ν )
• Quando sujeito a pressão uniforme, a dilatação tem
que ser negativa, logo
0 < ν < 12
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Distorções Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• Um elemento cúbico sujeito a tensões de corte


deforma-se num paralelipípedo oblíquo. As
deformações correspondentes (distorções) são
quantificadas em relação ao ângulo de distorção,
τ xy = f (γ xy )

• A relação entre tensões de corte e distorções é


similar à relação entre tensões normais e
deformações. Para pequenas distorções,
Dep. Engª Mecânica

τ xy = G γ xy τ yz = G γ yz τ zx = G γ zx

Em que G é o módulo de distorção do material.


Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.10 Cap. 2
50 mm 160 mm SOLUÇÃO:
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• Determina-se a distorção média do


40 mm bloco.

• Aplica-se a lei de Hooke para tensões


e deformações de corte para se
determinar as tensões de corte.
Um bloco rectangular de um material,
com módulo de distorção G = 600 Mpa é • Usa-se a relação de tensão de corte
colado a duas placas horizontais rígidas. com a força para achar a força P.
A placa inferior está fixa enquanto a
Dep. Engª Mecânica

placa superior é submetida a uma força


horizontal P. Sabendo que a placa
superior se desloca 0,8 mm sob a acção
da força, determine a) a distorção média
no material, e b) a força P exercida na
placa superior.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.10 Cap. 2
• Determinação da distorção média do bloco.
0,8 mm
Preparado por: Filipe Samuel Silva

0.8 mm
γ xy ≈ tan γ xy = ; γ xy = 0.020 rad
40 mm 40 mm

• Apicação da lei de Hooke para tensões e


deformações de corte.

τ xy = Gγ xy = ( 600MPa )( 0.020 rad ) = 12 MPa

• Uso da relação entre tensão de corte e


Dep. Engª Mecânica

força, para achar P.


P = τ xy A = (12*106 Pa ) ( 0,160 m )( 0, 050 m ) = 96 × 103 N

P = 96.0 kN
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Relação entre E, υ e G Cap. 2

• Uma barra homogenea submetida a uma


Preparado por: Filipe Samuel Silva

carga axial alonga na direcção axial e


contrai nas direcções transversais.
• Um elemento cúbico orientado como na
figura a) deforma-se num paralelipipedo
rectangular. A carga axial produz uma
deformação axial.
• Se o elemento cúbico estiver orientado
como na fig. B) vai deformar-se
originando um losango. A carga axial
Dep. Engª Mecânica

resulta numa distorção.


• As componentes normal e de distorção
relacionam-se através da expressão,
E
= (1 + ν )
2G
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Problema 2.5 Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Uma círcunferência de diâmetro d=200 mm está


desenhada numa placa de alumínio, livre de
350 mm tensões, e de espessura t=18 mm. A actuação
350 mm posterior de forças na placa origina as tensões
normais σx = 85 MPa e σz = 150 MPa.
Admitindo E = 70 Gpa e ν = 1/3, determine:
a) O comprimento do diâmetro AB,
b) O comprimento do diâmetro CD,
Dep. Engª Mecânica

c) A espessura da placa, e
d) O volume da placa.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Problema 2.5 Cap. 2
SOLUÇÃO: • Determinam-se as deformações.
Preparado por: Filipe Samuel Silva

• Aplica-se a lei de Hooke generalizada δ B A = ε x d = ( +0.500 × 10−3 ) ( 200mm )


para achar as três componentes de
extensão normal. δ B A = +100 µ m

νσ y δ C D = ε z d = ( +1.738 ×10−3 ) ( 200mm )


σx νσ
εx = + − − z
E E E
δ C D = +348µ m
1  1 
= (85 MPa ) − 0 − (150 MPa )
70 GPa  3  δ t = ε y t = ( −1.119 ×10−3 ) (18mm )
= +0.500 ×10−3
δ t = −20,1µ m
νσ σ y νσ z
εy = − x + −
Dep. Engª Mecânica

E E E
= −1.119 ×10−3 • Determina-se a mudança de volume
νσ x νσ y σ z
εz = − − + e = ε x + ε y + ε z = (0.500 − 1,119 + 1, 738) *10−3 = 1,119*10-3
E E E
∆V = eV = 1.119 × 10−3 (350 × 350 ×18 ) = +2470 mm3
= +1.738*10−3
∆V = +2470 mm3
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Materiais Compósitos Cap. 2
carga • Os materiais compósitos reforçados com fibras são
Preparado por: Filipe Samuel Silva

formados por lâminas de fibras embebidas em


matrizes de materiais poliméricos.
Camada
de
carga • As tensões e deformações normais são relacionadas
material pela Lei de Hooke mas com módulos de elasticidade
fibras
dependentes da direcção,
σx σy σ
Ex = Ey = Ez = z
εx εy εz

• As contracções transversais são relacionadas por


valores de coeficiente de Poisson dependentes da
Dep. Engª Mecânica

direcção, εy εz
ν xy = − ν xz = −
εx εx

• Os materiais com propriedades mecânicas dependentes


da direcção são considerados anisotrópicos.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Princípio de Saint Venant Cap. 2
• As cargas transmitidas em corpos
Preparado por: Filipe Samuel Silva

rígidos resultam numa distribuição


uniforme das tensões e deformações.

• Cargas concentradas dão origem a


tensões mais elevadas na vizinhança do
ponto de aplicação da carga.

• A distribuição das tensões e


deformações torna-se uniforme a
uma distância relativamente pequena
do ponto de aplicação das cargas.
Dep. Engª Mecânica

• Principio de Saint-Venant:
A distribuição de tensões pode assumir-
se como independente da forma de
aplicação da carga, com excepção da
vizinhança de aplicação da carga.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Concentração de Tensões: Furo Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva
Dep. Engª Mecânica

σ max
Descontinuidades da secção recta podem resultar , K=
localmente, numa elevada concentração de tensões. σ
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Concentração de Tensões: Raio de Curvatura Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva
Dep. Engª Mecânica
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.12 Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

SOLUÇÃO:
• Determine as relações geométricas e
encontre o factor de concentração de
tensões, na Fig. 2.64b.
Determine o valor máximo da carga
axial P que pode ser suportado, em • Determine a tensão admissível levando
segurança, por uma barra plana e em consideração a concentração de
aço com dois troços, ambos com 10 tensões e a tensão admissível do
mm de espessura e 40 e 60 mm de material.
largura, respectivamente, ligados • Determine o valor máximo da carga,
Dep. Engª Mecânica

por uma concordância circular de usando a relação entre tensão e carga.


raio r = 8 mm. Considere uma
tensão admissível de 165 MPa.
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exemplo 2.12 Cap. 2
• Determine as relações geométricas e
Preparado por: Filipe Samuel Silva

encontre o factor de concentração de


tensões, na Fig. 2.64b.
D 60 mm r 8 mm
= = 1.50 = = 0.20
d 40 mm d 40 mm
K = 1.82
• Determine a tensão admissível
levando em consideração a
concentração de tensões e a tensão
admissível do material.
σ max 165 MPa
σ= = = 90.7 MPa
Dep. Engª Mecânica

K 1.82
• Determine o valor máximo da carga,
usando a relação entre tensão e carga.

P = Aσ = ( 40 mm )(10 mm )(90.7 MPa )


= 36.3 × 103 N
P = 36.3 kN
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2

Forças de compressão, de 30 KN, estão aplicadas nos


Preparado por: Filipe Samuel Silva

250 mm
25 mm extremos da montagem da figura. Sabendo que
Eaço=2,07x105 MPa e Ealumínio=0,70x105 MPa, determine:
a) as tensões normais na alma de aço e na casca de alumínio
Casca de Alma de b) a deformação do conjunto
alumínio aço
60 mm

Paço L Paço * 250


δaço = = = Paço *6,15*10−7
Aaço = π * r = π * 25 = 1963mm
(π * 25 ) * 2, 07 *10
2 2 2
Aaço Eaço 2 5

AAl = π ( R 2 − r 2 ) = π (602 − 252 ) = 9346mm 2 Pal L Pal * 250


δal = = = Pal *3,82*10−7
Aal Eal ( 2 2
)
π * (60 − 25 ) *0, 70*10 5

Como
Dep. Engª Mecânica

δ aço = δ al ⇒ Paço *6,15*10−7 = Pal *3,82*10 −7


⇒ Paço = 0, 62* Pal a)
b)
Como Paço 11480
σ aço = = = 5,84 MPa como
Paço + Pal = 30 KN Aaço π ( 25 )
2

Paço * L
Pal 18520 δ = δ aço = δ al ⇒ = 7,54*10−7 mm
Paço = 11, 48 KN σ al = = = 1,98MPa Aaço Eaço
Aal π (602 − 252 )
Pal = 18,52 KN
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Dois varões cilíndricos, um de aço e outro de latão,
Preparado por: Filipe Samuel Silva

estão ligados em C e restringidos em A e em E. Para


as cargas mostradas, e sabendo que Eaço=2,00*105
MPa e Elatão=1,05*105 MPa, determine:
Aço Latão
a) as reacções em A e em E
b) o movimento do ponto C

RA RE ∑F X = 0 ⇔ 60000 + 40000 − R A − RE = 0
⇔ RA + RE = 100000 N (1)
RA P1 P1 = RA
( A1 = π * 202 )
Dep. Engª Mecânica

RA P2 P2 = RA − 60000
( A2 = π * 202 )
RA P3 P3 = RA − 60000
( A3 = π *152 )
RA P4 P4 = RA − 60000 − 40000
( A4 = π *152 )
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Dois varões cilíndricos, um de aço e outro de latão,
Preparado por: Filipe Samuel Silva

estão ligados em C e restringidos em A e em E. Para


as cargas mostradas, e sabendo que Eaço=2,00*105
MPa e Elatão=1,05*105 MPa, determine:
Aço Latão
a) as reacções em A e em E
b) o movimento do ponto C

a)
RA RE PL
δ=∑ i i
=0⇔
Ai Ei

δ=
RA *180
+
( RA − 60000 ) *120 +
RA P1 (π * 202 ) * 2, 00*105 (π * 202 ) * 2, 00*105
( RA − 60000 ) *100 + ( RA − 60000 − 40000 ) *100 = 0
(π *15 ) *1, 05*10 (π *15 ) *1, 05*10
Dep. Engª Mecânica

2 5 2 5
RA P2
⇒ RA = 62,8 KN
de(1) ⇒ RE = 37, 2 KN
RA P3 b)

δc =
P1 L1 P2 L2
+ =
62800*180
+
(62800 − 60000 ) *120 = 46,3µ m
A1 E1 A2 E2 (π * 202 ) * 2, 00*105 (π * 202 ) * 2, 00*105
RA P4
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Dois varões cilindricos estão acoplados em B. O


0,5 m 0,07 m
varão AB é feito de aço (E=2,07x105 MPa), e o varão
BC de latão (E=1,05x105 MPa). Determine:

a) a deformação total do conjunto ABC.


20 KN 20 KN
0,6 m
0,05 m b) a deformação do ponto B

a)
PL
δA = ∑
60 KN i i

Ai Ei
60000*600 (60000 − 40000 ) *500 = 0,1132mm
Dep. Engª Mecânica

δA = +
(π * 252 ) * 2, 07 *105 (π *352 ) *1, 05*105
b)

δB =
(60000 − 40000 ) *500 = 0, 0247mm
(π *35 ) *1, 05*10
2 5
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Dimensões em mm O provete da figura foi cortado de uma placa de
Preparado por: Filipe Samuel Silva

vinyl com 5 mm de espessura (E=0,031*105


MPa) e está sujeito a uma carga normal de 1.5
kN. Determine:

a) a deformação total do provete.


b) a deformação da zona central BC

a)
PL
δAD = ∑ i i
=
Ai Ei
 40 40 
Dep. Engª Mecânica

1500 50
= +  + +  = 0, 794mm
0, 031*109  (5* 25 ) (5*10 ) (5* 25 ) 
b)
1500*50
δ BC = = 0, 484mm
50*0, 031*109
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
F
Para a treliça de aço (E=2,07x105 MPa) e cargas
mostradas, determine a deformação dos membros BD
Preparado por: Filipe Samuel Silva

200 mm
F
e DE, sabendo que as respectivas secções rectas são
50 mm2 e 75 mm2, respectivamente.
200 mm
F
F= 60 KN

200 mm

350 mm

F ∑M E = 0 ⇔ −60000* 400 − 60000* 200 + FBD *350 = 0


⇔ FBD = 102,86 KN
200 mm
Dep. Engª Mecânica

FBD 102860
F
σ BD = = = 205, 7 MPa
ABD 500
FBE
200 mm FBD PL 102860* 200
F FCE δ BD = = = 0,1987 mm
AE 500* 2, 07 *105
200 mm

350 mm
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
F
Para a treliça de aço (E=2,07x105 MPa) e cargas
mostradas, determine a deformação dos membros BD
Preparado por: Filipe Samuel Silva

200 mm
F
e DE, sabendo que as respectivas secções rectas são
50 mm2 e 75 mm2, respectivamente.
200 mm
F
F= 60 KN

200 mm

350 mm

∑F
F
x = 0 ⇔ F + F − FDE = 0
200 mm ⇔ 60000 + 60000 = FDE
Dep. Engª Mecânica

F
⇔ DE = 120000 N
F 120000
200 mm
F FBD σ DE = DE = = 160, 0 MPa
ADE 750
FDE PL 120000*350
200 mm
FEG
δ DE = = = 0, 2705mm
AE 750* 2, 07 *105

350 mm
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Cada uma das quarto ligações que ligam as duas barras
horizontais são feitas de alumínio (E=0,70*105 MPa) e
Preparado por: Filipe Samuel Silva

tem uma secção recta rectangular e uniforme de 10 x 40


mm. Para as cargas mostradas determine a deformação
de:
a) ponto E.
b) ponto G.
Do equílibrio estático da barra EFG, RF=-7500 N
a)
PL −7500*300
δE = = = 0, 080mm
AE (10* 40 ) *0, 7 *105
b)
PL 19500*300
Dep. Engª Mecânica

δF = = = 0, 209mm
AE (10* 40 ) *0, 7 *105
δE
δF δG
pontoG ( geometricamente)
δF +δE δ +δE
t gα = = G
400 400 + 250
⇒ δG =
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Um tubo de aço (E=2,07*105 MPa) com um diâmetro exterior
Preparado por: Filipe Samuel Silva

de 32 mm e 4 mm de espessura está colocado num torno sem


que exista todavia pressão nos topos. São aplicadas então as
duas forças mostradas. Depois destas forças serem aplicadas,
aperta-se o torno em 0.2 mm. Determine:
a) as forças exercidas pelo torno no tubo, em A e em D.
b)a variação de comprimento da porção BC do tubo.
RA RD ∑ Fx = 0; RA − 42000 + 3000 − RD = 0
P1 = RD ; P2 + 30000 = RD ; P3 − 42000 + 30000 = RD
a)
P1 RD PL
δAD = ∑ i i
= −0, 2mm
Ai Ei
RD RD *80 ( RD − 30000 ) *80
Dep. Engª Mecânica

P2 = +
π (162 − 122 ) 2, 07 *105 π (162 − 122 ) 2, 07 *105

P3 RD +
( RD + 42000 − 30000 ) *80 = −0, 2mm
π (162 − 122 ) 2, 07 *105
⇒ RD =
b)

δ BC =
PBC LBC
=
( RD − 30000 ) *80 = ...mm
ABC EBC π (162 − 122 ) * 2, 07 *105
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
O poste de betão está reforçado com seis barras de aço, cada uma com 22
mm de diâmetro. Determine as tensões normais induzidas no aço e no
Preparado por: Filipe Samuel Silva

cimento devidas a uma subida de temperatura de 35ºC.


Ecim = 0, 25*105 MPa;α cim = 9,9*10−6 /º C δTaço
Eaço = 2, 00*105 MPa;α aço = 11, 7 *10−6 /º C
δ aço = δ cim
δ T aço + δ F aço = δ T cim + δ F cim δFaço
δTcim
 PL   PL 
 α *!T * L +  =  α *!T * L + 
 AE aço  AE cim
Paço *1800
δ aço = 11, 7 *10−6 *35*1800 + ; δFcim
 π 2 5
 6* 4 * 22  * 2, 00*10
 
Pcim *1800
δ cim = 9,9*10−6 *35*1800 + ;
Dep. Engª Mecânica

  π 2 
( 240* 240 ) −  6* 4 * 22   *0, 25*10
5

  
* Como não há forças exteriores as forças internas opõem-se, i.e. Paço=Pcim, logo,
Paço −21667 Paço = Pcim = 21667 N
σ aço = = = −9,5MPa
Aaço π 2
6* * 22
4
Pcim 21667
σ cim = = = 0,392MPa
Acim  π 
( 240* 240 ) −  6* * 222 
 4 
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Casca de alumínio Eal = 0, 70*10 MPa;α al = 23, 6*10 /º C
5 −6
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Alma de aço Eaço = 2, 00*105 MPa;α aço = 11, 7 *10−6 /º C


A montagem consiste numa casca de alumínio
ligada a uma alma de aço e está sem tensões, a uma
Casca de alumínio Alma de
aço
temperatura de 20ºC. Considerando apenas
deformações axiais, determine a tensão na casca de
alumínio quando a temperatura atingir 180ºC.
δ aço = δ al δTal
δ T aço + δ F aço = δ T al + δ F al
 PL   PL  δFal
 α *!T * L +  =  α *!T * L + 
 AE aço  AE al
δTaço
Paço * 200
δ aço = 11, 7 *10−6 *160* 200 + ;
Dep. Engª Mecânica

π 2 5
 4 * 20  * 2, 00*10
  δFaço
Pal
δ al = 23, 6*10−6 *160* 200 +
Pal * 200
; σ al = =
 π 2   Aal
 4 * (50 − 20 )   *0, 7 *10
2 5

 
* Como não há forças exteriores as forças internas opõem-se, i.e. Paço=Pal, logo,
Paço = Pal = ..N
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Dimensões em mm
Preparado por: Filipe Samuel Silva

A temperatura da barra composta é elevada em 80ºC.


Sabendo as características dos materiais e que não há
forças aplicadas em B ou em D, determine:
(Eaço=2,00*105 MPa e Elatão=1,05*105 Mpa;
αaço=11,7*10-6/ºC; αlatão= 20,9*10-6/ºC)
a) as tensões normais em AC e em CE
b) a deformação da porção AC
Dep. Engª Mecânica
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
450 KN
Um tubo de aço de 1,5 m de comprimento, 300 mm de diâmetro
Preparado por: Filipe Samuel Silva

exterior, e 12 mm de espessura é usado como coluna para suportar


450 KN. Usando a informação disponível, determine:
(E=2,07*105 MPa; G=0,8*105MPa)
a) a mudança de comprimento do tubo.
1,5 m

b)a mudança do diâmetro exterior do tubo.


c)a mudança da espessura da parede do tubo.
Dep. Engª Mecânica
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
Um pedaço quadrado, 20*20 mm, de aço foi retirado de um
Preparado por: Filipe Samuel Silva

recipiente sob pressão de grandes dimensões. Quando sob pressão,


a condição de tensões biaxiais é a que mostra a figura. Usando os
dados disponíveis do aço, determine o variação de tamanho de:
a) lado AB
b) lado BC
c) diagonal AC
E=2,00*105 MPa
G=0,77*105 MPa
Dep. Engª Mecânica
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Resolvidos Cap. 2
O provete de alumínio está sujeito às forças indicadas, de magnitude P.
Preparado por: Filipe Samuel Silva

Sabendo que E=0,70*105 MPa, e σadm=200MPa,


a) Determine a máxima força P, e o correspondente alongamento do provete
b) Resolva a alínea a, assumindo que o provete foi substituído por uma barra
de alumínio, do mesmo comprimento, e secção recta rectangular uniforme
de 60x15 mm.
Dep. Engª Mecânica
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Propostos Cap. 2
Os membros deste sistema têm 2-cm-de diametro e são A barra AB é de alumínio (E = 70 GPa) e a barra CD é de aço
de aço (E = 200 GPa). A carga é aplicada em, x = 1.5 m e (E = 200 GPa). Ambas têm uma secção recta de 1 cm x 3 cm.
Preparado por: Filipe Samuel Silva

y = 0.5 m. Qual é a deformação do membro AC quando a As dimensões da figura são x = 2 m, y = 2 m, e z = 3 m. Qual é


carga de 10 kN é aplicada? a deformação da barra AB quando é aplicada a força de 40 kN?

O membro CE, de Aluminio (E = 70 Gpa) está montado como mostra a figura. Esta peça tem 2-cm de altura e uma secção recta
de 0.5 cm x 1 cm. Um parafuso, de aço, (E = 200 Gpa), e com 4-cm de comprimento e 1-cm de diâmetro, é ajustado para
exercer pressão na peça. Assumindo que o membro ABC é rigido, e sabendo que x = 4 cm, determine a máxima tensão que
ocorre no parafuso quando o componente ABC estiver sujeito a 200 MPa?
Dep. Engª Mecânica
Mecânica dos Materiais - Beer-Johnston-DeWolf (adaptado)
Exercícios Propostos Cap. 2
O membro rígido ABCD é usado para suportar um peso A placa da figura tem 0.5-cm de espessura e 2-cm de
de 2 KN. Este membro tem 6-m de comprimento. As largura. Um furo de 0.5-cm de diametro está localizado no
Preparado por: Filipe Samuel Silva

barras BE e CF são de aço (E = 200 GPa) e têm um centro da placa. Qual a máxima tensão existente na placa
diâmetro de 0.5 cm e um comprimento de 2 m. Qual a quando uma força de 2 KN é aplicada?
deformação do ponto D quando a carga é aplicada?

A paçe BE é de aluminio (E = 70 GPa, α = 23.0 E-6 1/oC) e está suportada pelo membro rígido DEF. A peça BE tem 50 cm
de comprimento e um diâmetro de 5 cm. Os membros AD e CF são de aço (E = 200 GPa, α = 11.7 E-6 1/oC) e têm 60 cm
Dep. Engª Mecânica

de comprimento e 0,5 cm de diâmetro. Inicialmente nenhuma carga está aplicada no conjunto. Determine as tensões que
se desenvolvem nos membros AD e CF quando a temperatura subir 100ºC.