Você está na página 1de 19

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

RESERVATÓRIO DE PRESSÃO

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

ADEM - Departamento de Engenharia Mecânica

ISEL Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Rua Conselheiro Emídio Navarro 1 1959-007 Lisboa

Palavras chave: Dimensionamento, Reservatório.

RESUMO

O objectivo do seguinte projecto é proceder-se ao

dimensionamento e projecto de um reservatório horizontal para o armazenamento de Árgon, Nitrogénio ou Metano, em estado gasoso. O projecto englobará os cálculos analíticos para o dimensionamento do reservatório, assim como as simulações

realizadas em software computacional para a verificação dos resultados. Em apêndice serão fornecidos documentação sobre

os materiais utilizados no reservatório. O reservatório foi

projectado seguindo o código de construção ASME sec.VIII e todas as formulas presentes no presente trabalho estão de acordo com o mesmo.

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

1.INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem como objectivo o projecto de um

reservatório de pressão para acondicionar Árgon, Nitrogénio ou CH4 em estado gasoso. O reservatório a dimensionar é horizontal, suportado por dois suportes de sela, de corpo cilíndrico e com duas tampas torosféricas, que serão aparafusadas ao corpo cilíndrico.

O presente relatório engloba as características de projecto para

os quais o reservatório foi dimensionado, assim como simulações computacionais realizadas recorrendo ao software computacional SOLIDWORKS SIMULATION.

Os cálculos analíticos para o dimensionamento do reservatório de pressão seguem o código ASME SEC VIII.

2.CARACTERISTICAS DO PROJECTO

O vaso de pressão a ser projectado no presente relatório tem de

cumprir os seguintes requisitos de pojecto.

Pressão de serviço; 15 bar

Temperatura de funcionamento entre -10e 70

Temperatura mínima exterior a que o material pode ficar sujeito

-10

Velocidade máxima do vento a que pode estar sujeito 110 mph

3.CARACTERISTICAS DO MATERIAL

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

O material escolhido para o reservatório depressão projectado neste documento é o 316 Ti, com um módulo de elasticidade de 193 GPa de e uma tensão de cedência 240 Mpa.

Os parafusos, porcas e anilhas responsáveis pela união das partes do reservatório serão em Inconel 718, com um módulo de elasticidade de 208 GPa e uma tensão de cedência de 255,1 Mpa.

4.CÁLCULO DA ESPESSURA DAS PARADES DO RESERVATÓRIO

O reservatório a cálcular tem a seguinte forma.

PARADES DO RESERVATÓRIO O reservatório a cálcular tem a seguinte forma. Figura 1- Imagem do reservatório

Figura 1- Imagem do reservatório a projectar

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

O reservatório tem um diâmetro interior de 1,360 m e

consequentemente um raio interior de 0.68 m

A pressão de projecto é obtida através da equação

= 1,1

Onde,

Pressão de projecto

Pressão máxima de serviço

A pressão de projecto toma o valor de 1,64 × 10 6 Pascal

A espessura mínima do resevatório é obtida através da equação

=

×

× − 0,6 ×

onde

é o raio interior da virola cilíndrica

é a tensão de cedência do material do reservatório

é o módulo de elasticidade do material

Com os dados anteriormente fornecidos obtém-se uma espessura minima das paredes do reservatório como valor de 4,7mm. Devido ás várias picagens ao longo do reservatório e ás concentrações de tensões por elas provocadas optou-se por aumentar a espessura do resevatório para um coeficiente de segurança com um valor próximo de 3, o que equivale a uma espessura das paredes do reservatório de 12mm. Com este valor de espessura, a tensão na virola cilíndrica do reservatório é obtida pela equação

= × ( +

2

)

A tensão obtida no corpo cilíndrico para este valor de espessura

é de 94,3 Mpa

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

Obtida a espessura é necessário calcular se o reservatório suporta

a pressão exterior a que se encontra sujeito, para tal, recorreu-se

a ASME sec VIII division 1,UG- 28 onde este valor é obtido através da equação

=

4 ×

3 × ( 2 × )

é um coeficiente de cálculo que é obtido em ASME sec II subpart 3,chart HÁ-2

cálculo que é obtido em ASME sec II subpart 3,chart HÁ-2 Figura 2 - Carta pa

Figura 2 - Carta pa determinar o valor do coeficiente A.

Para determinar o factor B, é necessário obter o factor A, que é retirado da figura 2 através da relação entre ocomprimento e o diâmetro do reservatório, . Com base nessa relação obtém-se

um valor de A igual a 0.001.

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

Eduardo Jorge Trindade Pêgo Figura 3- Carta para retirar o valor do coeficiente B. Obtido agora

Figura 3- Carta para retirar o valor do coeficiente B.

Obtido agora o valor de A, retira-se o valor B da FIG. HÁ-2, que neste caso toma o valor de 86,2 × 10 6 . Utilizando a equação … obtém-se um valor para = 1,01 × 10 6 Pascal. Como > , o reservatório cumpre os requisitos pretendidos neste projecto.

5.CÁLCULO

RESERVATÓRIO

DA

ESPESSURA

DAS

TAMPAS

DO

AS tampas do reservatório tem uma forma torosférica, segundo o código ASME sec VIII, espessura mínima da parede da tampa do reservatório é obtida através da equação

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

Onde

=

× ×

2 × × − 0,2 ×

= 4 × (3 + √ )

1

Factor de cálculo tendo neste caso valor igual a 1.

é o Raio de coroa da tampa e temo valor igual a 1,360 m,

é a pressão de projecto.

é o raio de canto e tem valor igual a 0.1 × .

é a espessura mínima da tampa calculada.

é a espessura escolhida para a tampa.

é a tensão de cedência do material da tampa, anteriormente mencionada no presente relatório.

Com base nas equações anteriormente mencionadas, obtém-se um valor mínimo para a espessura da tampa de 7,16 mm. Devido às concentrações de tensão devido ao raio de canto e aos furos das tubuladuras das tampas, optou-se por um factor de segurança adicional com valor igual a 2, o que equivale a uma espessura das paredes da tampa de 14 mm.

6.CÁLCULO DAS FORÇAS NOS PARAFUSOS, NAS FLANGES E BINÁRIO DE APERTO.

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

As tampas são unidas ao reservatório através de uma união aparafusada. Para os parafusos que ligam os componentes não

se encontrem sujeitos a tensões de corte estes tem de sofrer um pré aperto, com um determinado valor. Para o cálculo desse binário de aperto recorreu-se ao código de construção ASME sec VIII division 1, appendix Y.

de construção ASME sec VIII division 1, appendix Y. Figura 4- Esforços nas Flanges A figura

Figura 4- Esforços nas Flanges

A figura 4 ilustra os esforços a calcular para o projecto das

flanges. As tensões por eles gerados não podem ultrapassar a tensão de cedência do material escolhido para o reservatório. O diâmetro interior da flange é igual ao diâmetro interior do corpo cilindro, pelo que tem o valor de 1,36 m.

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

A notação utilizada nos cálculos seguintes encontra-se de

acordo com a apresentada na figura 4.

6.1. Cálculo do número máximo de parafusos

O número máximo de parafusos necessários para a união das

flanges é obtido através da expressão

=

×

2 ×

Onde

é o diâmetro do circulo central dos parafusos, com o valor de 1,43 m.

é o diâmetro do parafuso. Os parafusos escolhidos para a união das flanges são M16×1,5, pelo que toma o valor de

16mm.

Pela equação anterior o número máximo de parafusos a utilizar na união das flanges é de 140, optou-se por 132 parafusos.

Finalizado este passo calcula-se a distancia entre parafusos, através da equação

=

×

Obteve-se uma distancia entre parafusos com o valor igual a 34

mm.

O diâmetro de cada furo na flange toma o valor de 18 mm.

6.2. Cálculo do Momento suportado pela flange

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

O momento final que a flange tem de suportar, utilizando a notação da figura 4, é obtida pela equação

= ×

Onde

é obtido pela equação

+ × ℎ + × ℎ

= 0,785 × 2 ×

é o diametro interior da flange, que é igual a 1,36 m.

é o braço da força e é obtido através da equação

= + 1

2

= ( − )

− 1

2

é o valor do diâmetro da junta e obtém-se através da equação

= 2 × ( + 0,65 × 10 2 )

é obtido pela expressão

= −

é a força de pressão na tampa e obtém-se através da equação

= 0,786 × 2 ×

é o braço da força , e obtém-se através da expressão

= ( + 1 + ℎ )

2

é igual à força que a junta exerce na flange. Para calcular esta força é necessário calcular a força na junta. Para selar o reservatório utilizou-se uma junta helicoflex HN200. Segundo o

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

fabricante da mesma, a força na junta é obtida através da expressão

= × × 2

é o diâmetro da junta e toma o valor de

2 é o valor da força para o qual o fabricante garante que não existem fugas de gás do reservatório. Para a junta seleccionada tem o valor de 220 × 10 3 N.

é a distancia do eixo de simetria ao diâmetro médio da junta e é obtido através da equação

= ( − )

2

Tendo em consideração todos estes valores, o momento final na flange tem o valor de 82348,4 Nm.

6.3.Cálculo da tensão nos parafusos

Segundo o appendix Y, sec VIII da norma ASME, para o cálculo da tensão nos parafusos é obtida pela expressão

= 1

é a area dos parafusos e é dada por

2

= × × 3

4

3 é o diâmetro do núcleo do parafuso e obtém-se através de

3 = − 2 × ℎ 3

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

3 retira-se da tabela de roscas métricas ISO 724 e toma o valor de 1,083 mm.

1 é a carga nos parafusos devido à operação

1 = + +

Onde

é a força de pressão na tampa

é igual à força que a junta exerce na flange

é a força de contacto entre flanges, que se obtém através da equação

= +

é o momento na flange devido à interacção entre flanges. Obtém-se através da equação

= − × × 3 + ×

As flanges utilizadas são identicas e integrais, pelo que as equações a utilizar no cálculo são a5a, 7,14ª e 16 do Appendix Y-5. Assim sendo

=

1 1 × ( 2 × ℎ

+ ) + ×

=

1 × (

1

+ ) + ×

= 0 2 × (ℎ 0 + × )

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

Onde

= × (

1

=

2 + 1

=

2 − 1

1 = + 1

4

2 × tan 1 ( √ 1 +

1 ) − − 2 × )

√1 −

= × ×

= ( − )

2

+

=

= (

2

2 ×

+

1

1 )

× 1

1 = + 1

é o diâmetro externo da flange como valor de 1,48 m.

0 = × 0

e são factores retirados das figuras 2-7.2 e 7.3 do apendix 2 da ASME sec VIII. Como no caso em estudo 1 0 = 1, toma o

valor de 0,90892 e 0,550103

é a espessura da flange, que tem 42 mm.

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

Com base nos valores anteriormente calculados a tensão nos parafusos corresponde a 312,2 Mpa.

6.4. Cálculo da pré tensão de Projecto

A Pré tensão de projecto nos parafusos obtém-se a partir da

equação

1,159 × ℎ × ( + )

=

× 3 × × 1

Onde

é o raio de elasticidade e obtém-se a partir da expressão

=

A pré tensão de projecto situa-se no valor de 306,7 Mpa

6.5 Binário de pré aperto minimo

O binário de aperto mínimo necessário para que os parafusos que

ligam as flanges das tampas ao corpo cilíndrico do reservatório é obtido através da equação

= 0,2 × ×

Onde

= × 0,785 ×

2

O valor do binário minimo necessário nos parafusos é de 200,8

Nm.

Verificação da tensão nas flanges

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

Finalmente é necessária a verificação das tensões na flange, de modo a verificar se cumprem os requisitos de projecto.

6.6.Cálculo das tensões na flange

A tensão radial no diâmetro interior da flange obtém-se pela

equação

= − (

2 × ×

) × (

0 + ×

× 1

2 )

×

A tensão tangencial no diametro interior é dada por

Onde

= × × 1

+ ( 2 × × × ℎ 0 + ×

× (

× 1

2 )

×

− 1,8)

5,46

= × × 3 × ( × + × )

Finalmente a tensão longitudinal é dada por

=

0 × × ×

0,91 × (

0 ) 2 × 1 ×

1

Os valores obtidos para estas tensões são de 10,5 Mpa, 3,42 Mpa

e 15, 2 Mpa respectivamente, pelo que o material que compõe a flange cumpre os requisitos de segurança do projecto

7. VERIFICAÇÃO COMPUTACIONAL

Finalmente, pegou-se em toda a informação anteriormente descrita no presente relatório e recorrendo ao software

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

computacional SolidWorks Simulation, realizou-se um estudo estático do reservatório anteriormente calculado.

O Modelo utilizado pode ser visualizado na figura 5

O Modelo utilizado pode ser visualizado na figura 5 Figura Solidworkssimulation 6 – Modelo Computacional

Figura

Solidworkssimulation

6

Modelo

Computacional

utilizado

no

software

O Modelo encontra-se aparafusado ao chão nos pontos assinalados a verde. Tem duas ligações fixas e cada suporte permite um certo deslocamento numa das suas ligações, para combater fenómenos sísmicos. A azul encontram-se representados os parafusos, que tem adicionado o binário de aperto anteriormente calculado neste documento. Na parte interior do reservatório encontra-se sujeito à pressão de projecto. Os suportes de sela encontram-se soldados ao corpo do

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

reservatório. Utilizou-se uma malha para curvatura, refinada junto a furos, rasgos e uniões de peças.

7.1 Resultados da Análise Estática

O estudo estático devolveu os seguintes resultados, que podem

ser observados na figura 7

seguintes resultados, que podem ser observados na figura 7 Figura 7 – Resultados do estudo estático

Figura 7 Resultados do estudo estático

Analisando os resultados verifica-se que o reservatório cumpre

os requisitos para o qual foi projectado. A tensão máxima situa-

se em 158,575 Mpa, aina bastante abaixo da tensão de cedência que se situa nos 240 Mpa. A localização das tensões máximas encontra-se no rasgo efectuado na flange da tampa do reservatório, que serve para colocar a junta de vedação. Esta

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

localização não é possível de verificar na figura 7. Observam-se ainda concentrações de tensões junto das picagens nas tampas.

Finalmente, a figura 8,mostra a distribuição do factor de segurança ao longo do reservatório.

do factor de segurança ao longo do reservatório. Figura 8 - Distribuição do factor de segurança

Figura 8 - Distribuição do factor de segurança ao longo do reservatório

8. CONCLUSÃO

Finalizadas ambas as analises, o projecto cumpre os requisitos pretendidos. O código de construção ASME possibitou a realização dos cálculos de projecto e os dados necessários para a sua comprovação em software computacional. O software foi utilizado de forma a possibilitar uma análise mais detalhada do fenómeno de concentração de tensões, que não foi realizado em cálculo analítico. Veio ainda comprovar os cálculos efectuados. Pode ainda concluir-se, em ambas as análises, que o reservatório se encontra sobredimensionado, pelo quepode ser alvo de um futuro estudo de forma a optimizar o processo.

Eduardo Jorge Trindade Pêgo

9. REFERENCIAS BIBIOGRÁFICAS

[1] ASME - ASME sec VIII, Pressure Vessel ,division 1, Rules for Construction of Pressure Vessels,2010.

[2] ASME - ASME sec VIII, Pressure Vessel ,division 2, Alternative Rules for Construction of Pressure Vessels,2010.

[3] Moss, Dennis Pressure Vessel design Manual, Gulf Professional Publishing, third Edition. [4] Shuman, Derek. Carcel, Sara. Martinéz,A. NEXT 100 Pressure vessel- Users design Specification, April 2012.

[5] Ball, Bruce E. Ph,D. Carter, Eng Will J. CASTI Guidebook to ASME Section VIII Div.1 Pressure Vessels, CASTI, Third Edition, March 2002.

[6]Helicoflex, Garlock Helicoflex, 2013.