Você está na página 1de 1

PIO, Leopoldo Guilherme. Musealizao e cultura contempornea. Musas.

Revista
Brasileira de Museus e Museologia, n. 2, 2006. Rio de Janeiro: IPHAN/DEMU, 2004.
p. 48-57.

51
Se o discurso da modernidade privilegiava a noo de progresso, a sociedade
contempornea tende a desenvolver a hipervalorizao do passado e uma reviso das
fronteiras entre passado e presente.

[...] o medo do poder homogeneizador da globalizao (vista, muitas vezes, como uma
americanizao) acaba produzindo formas de resistncia, representadas pelo reforo
das identidades locais ou regionais.

No se deve, portanto, subestimar o papel dos meios tecnolgicos na reconfigurao do


passado: a revoluo tecnolgica possibilita o aumento da capacidade de armazenar,
preservar e manipular informaes do passado, por meio dos sistemas de comunicao e
de memrias artificiais.
Essa nova dinmica provoca mudanas na experincia com o passado, pois a
multiplicao dos meios de comunicao produz uma aproximao entre histria e
cotidiano. Torna-se possvel a explorao aleatria dos dados do passado, com diversas
finalidades da mera pilhagem irresponsvel at a recuperao crtica de experincias
histricas. Assim, por meio da mdia, as tradies culturais e os relatos histricos so
continuamente recriados e reincorporados em novos contextos. Nesse sentido, os meios
de comunicao e informao criam novos caminhos para a definio de fronteiras
culturais.