Você está na página 1de 1

(2001), alguns de seus aspectos podem ser aperfeiçoados seguindo os padrões da Web Semântica, isto é, fazendo uso de ontologias que descrevam seu conteúdo semântico, tornando os ambientes mais interativos.As ontologias, aliadas aos sistemas agentes têm a finalidade de complementar aplicações computacionais para os AVA´s, ampliando seu grau de interatividade entre sistema e usuários. Esta pesquisa tem como objetivo a construção da ontologia do Ambiente Moodle, visando contribuir com a modelagem de um sistema agente capaz de potencializar a interação entre os usuários dos cursos à distância. Este estudo busca na semântica uma abordagem para representar a descrição e conceituação do Moodle, partindo do pressuposto de que é necessário modelar os relacionamentos entre conceitos possibilitando a ampliação das redes de relações. Partimos da classificação entre relações paradigmáticas e sintagmáticas (SAEED, 2003; CALZOLARI et.al., 2010) para fundamentar a escolha teórica pela Semântica Lexical (CRUSE, 1986, 2000) aliada à Semântica de Frames (FILLMORE, 1982). No concernente às relações paradigmáticas, a ontologia proposta avalia as relações de hiponímia, sinonímia e meronímia para o estabelecimento da taxonomia (hierarquia de classe). Para as relações sintagmáticas, adotamos a Semântica de Frames que possibilitou a descrição mais detalhada das cenas envolvidas, potencializando as relações associativas entre os elementos da ontologia. A metodologia adotada seguiu duas etapas distintas: linguística e computacional. A etapa linguística abarcou a compilação e o estudo do corpus com base nas teorias elencadas para a descrição paradigmática e sintagmática dos conceitos envolvidos. O corpus compilado para este estudo compreende três manuais do Ambiente Moodle (usuário, aluno e professor). Nesta etapa do trabalho, realizamos a extração semiautomática dos termos usando o sistema e-Termos 2 e analisamos os diferentes relacionamentos buscando estabelecer a taxonomia e os frames relacionados. A etapa computacional corresponde à inserção da descrição linguística realizada na etapa anterior no editor de ontologias Protégé 3 . O estudo nos levou a proposição de frames específicos ao domínio da Educação a distância permitindo uma melhor descrição dos relacionamentos entre os conceitos do Ambiente Moodle. Concluímos nossa análise, apresentando uma forma de relacionar os frames à taxonomia através dos verbos evocadores de frame, demonstrando que é possível incluir este tipo de estrutura em ontologias.

Palavras-chave: Ontologia, Semântica Lexical, Semântica de Frames

Inscrição: 3539913 LITERATURA “ALWAYS ON”: UMA ANÁLISE DE MINI CONTOS NA PLATAFORMA TWITTER Autor(es): Ânderson Martins Pereira Coautor(es):

Orientador(es): Fabiane Lazzaris Instituição: Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) Grande área de conhecimento: Linguística, Letras e Artes

As Redes Sociais de Internet (RSI) 3.0 apresentam uma característica marcante para o momento histórico que estamos vivendo. A relevância da informação em rede, bem como o seu acesso, dá-se pela simultaneidade, ou seja, através do fluxo contínuo de

interação entre os

tempo real, uma hora pode compor um espaço onde o conteúdo não mais será visto ou não terá importância para os usuários. O Twitter popularizou-se por atender a demanda da “geração always on” (SANTAELLA, 2010, p.69), provendo um espaço onde o individuo pudesse se informar sobre os acontecimentos e notícias em tempo real, e atualizar seu status de forma flexível, porém breve. Nessa plataforma a visibilidade das postagens se dá por linhas descendentes de informação que vão relegando o conteúdo

a um nível cada vez mais improvável leitura. Para que um conteúdo se fixe por mais tempo nesse efêmero sistema é necessário a interação dos usuários. No Twitter a produção autoral tem se tornado cada vez maior e é nesse ambiente, onde ideias são

compartilhadas, “favoritadas” ou simplesmente esquecidas, que emerge uma forma particular de literatura. “A tarefa do poeta não

é diferente da obra da história, que também descobre, e não inventa: A historia, como os poetas descobre, em sempre novas

citações, possibilidades humanas antes ocultas”. (BAUMAN, 2001, p.231). No entanto, a simultaneidade não é vista em produções literárias no Twitter, que, mesmo adaptadas ao espaço de cento e quarenta caracteres, utilizam o tempo verbal no passado - conforme análise previa do corpus - pervertendo, assim, a lei do presente contínuo promovida pela pergunta “What's happening?”(o que está acontececendo?). No presente relato traçar-se-á um paralelo entre textos não literários e textos agrupados como literários, investigando quais são as marcas do texto literário na plataforma Twitter O corpus de análise de textos literários produzidos no Twitter se delimita em torno do gênero mini conto, que também é referido na plataforma como curta-conto ou micro conto. A seleção do corpus será feita através de hashtags, ferramenta da plataforma de agrupamento de conteúdos. Como exemplos para textos não literários, buscar-se-á postagens livres de hashtags que sejam relatos cotidianos ou conteúdos que respondem a pergunta inicial da plataforma “what's happening”. Acredita-se que os tempos verbais que remetem ao passado sejam um traço importante para determinar uma postagem como caráter literário.

Para os usuários de Redes Sociais de Internet (RSI) 3.0 o relevante é a informação que ocorre em

Palavras-chave: Literatura-digital; Twitter; Mini conto.

Referências BAUMAN, Zygmunt, 1925- Modernidade liquida/ Zigmunt Bauman; tradução, Plínio Dentzien. -Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,

2001

SANTAELLA, Lucia. Linguagens líquidas na era da mobilidade/ Lucia Santaella. -São Paulo: Paulus, 2007.

SANTAELLA, Lucia. Redes sociais digitais: a cognição conectiva do Twitter/ Lucia Santaella, Renata Lemos. -São Paulo: Paulus,

2010.

Inscrição: 3698829 SENSO COMUM, INTERSUBJETIVIDADE E MORALIDADE: UMA INTRODUÇÃO AO ENTENDIMENTO MÚTUO E SUAS IMPLICAÇÕES MORAIS NA FALA-EM-INTERAÇÃO Autor(es): Geisson Alves Homrich Coautor(es): Caroline Inês Egewarth Orientador(es): Ana Cristina Ostermann Instituição: Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) Grande área de conhecimento: Linguística, Letras e Artes