Você está na página 1de 1
Boletim Operário 469 Caxias do Sul, 25 de novembro de 2017. A Época Rio de

Boletim Operário 469

Caxias do Sul, 25 de novembro de 2017.

Operário 469 Caxias do Sul, 25 de novembro de 2017. A Época Rio de Janeiro 23
Operário 469 Caxias do Sul, 25 de novembro de 2017. A Época Rio de Janeiro 23
A Época Rio de Janeiro 23 de agosto de 1912. Edição n° 0024 Página 2
A Época
Rio de Janeiro
23 de agosto de 1912.
Edição n° 0024
Página 2
Juiz de Fora, 22 – É impossível
averiguar-se o numero exato de feridos.
O ferido Joaquim Baptista Bretas foi
apanhado caído na Rua banhado de
sangue. Os outros feridos recolheram-
se as suas residências. O atropelo
causou também grande numero de
feridos.
O enterro de Juvenal realisa-se hoje às 5
horas da tarde, devendo ter um grande
acompanhamento.
Os soldados de policia de armas
embaladas provocadores enchem as
Ruas e os bondes.
FACEBOOK
FACEBOOK
TWITTER
TWITTER
PLUS
PLUS
EMAIL
EMAIL

A Época Rio de Janeiro 23 de agosto de 1912. Edição n° 0024 Página 2

A Noite publicou este telegrama do seu

correspondente:

Juiz de Fora, 22 Não se descrevem os atos de barbaria desenrolados ontem na Rua Halfeld. Sem que nada se esperasse, a policia repentinamente rompeu um viva fuzilaria contra o povo e os operário. Caiu logo morto Juvenal Guimarães, moço muito estimado, que vinha saindo do cinema, carregando uma criança. A bala assassina varou-lhe o crânio. Cairam outros feridos, entre os quais o operário João Baptista Bretas. A cidade esta entregue a sanha dos belenguins da

policia. O povo indignado esta disposto a reagir. Para hoje esta anunciado um meeting, no Parque Halfed de protesto contra as selvagerias e para pedir providências ao governo. A própria imprensa situacionista ataca a polícia

sobressaindo o Jornal do Commercio e O Pharol, do Deputado Francisco Valladares.

A razão da excessiva indignação popular

reside na atitude pacifica dos grevistas. Justamente no momento em que as famílias saiam do cinema é que a policia entendeu de fazer fogo. As paredes das casa póximas ao local onde partiu a fuzilaria, estão crivadas de balas,

principalmente as da redação do Jornal do Commercio. O Pharol afirma que quem deu a voz de fogo foi um alferes. Logo que rebentou a fuzilaria as correrias começaram. Muitas senhoras que fugiam espavoridas, foram no atropelo atiradas

ao chão ficando muito pisadas.

O Deputado Irineu Macho recebeu o seguinte telegrama: Juiz de Fora, 21 – Estudantes covardemente
O Deputado Irineu Macho recebeu o
seguinte telegrama:
Juiz de Fora, 21 – Estudantes
covardemente atacados pela policia que
bombardeia a cidade ao mando do
Alferes Pereira Castro. Pedimos vossa
intervenção junto ao Congresso.
Familiares em pânico refugiam-se nos
jornais. Três operários foram mortos e
muitos feridos – Rodolpho Barcellos,
Ernesto Soares Windsor, Joito Scarpin
Guirino, Jorge Lopes de Alcantara Bilhar,
Julio de Almeida e Souza e José Vidal
Ferreira.
Da Agência Americana:
Belo Horizonte, 22 – Noticias de Juiz de
Fora dizem que a greve dos operários ali
continua, tendo havido grandes conflitos
e havendo mortos e feridos. Hoje
conferenciaram com o Presidente do
Estado, sobre esse assunto, o Chefe de
Policia e o Secretário do Interior.
Belo Horizonte, 22 – Seguiram hoje para
Juiz de Fora, pelo noturno, o Doutor
Chefe de Policia e seu ajudante de
ordens.
o Doutor Chefe de Policia e seu ajudante de ordens. Workers’ Bulletin – Centenary of 1917