Você está na página 1de 5

PROJETOS DE FILTROS MONOFÁSICO

Lucas Luan Fonseca Stanqueviski 1

1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco PR, Brasil e-mail: lucas--fonseca@outlook.com

Resumo O objetivo deste artigo é apresentar três circuitos de filtros monofásicos contendo um filtro LC através de suas formas de ondas e fazendo uma correlação entre a análise descritiva e a validação dos resultados através de simulações.

Palavras-Chave Filtro monofásico, Filtro LC, formas de onda.

SINGLE-PHASE FILTERS PROJECTS

Abstract The objective of this paper is to present three single-phase filter circuits containing an LC filter through its waveforms and making a correlation between the descriptive analysis and the validation of the results through simulations.

Keywords Single-phase filter, LC Filter, Waveforms.

NOMENCLATURA

CA Corrente Alternada.

CC Corrente Continua.

C Capacitor.

L Indutor.

LTK Leis de Tensão de Kirchoff.

V g

Rc Resistência de Carga.

D Razão cíclica.

V L

PWM Pulse Width Modulation.

Tensão de entrada.

Tensão no indutor.

I. INTRODUÇÃO

Esse artigo está focado em inversores com a estrutura em ponte completa, como mostra a Figura 1.

SS11 S3 Vg S2 S4
SS11
S3
Vg
S2
S4

Figura 1 - Inversor com estrutura em ponte completa. Fonte: Autoria Própria.

Esta estrutura foi escolhida por ser a mais utilizada e adequada para elevados valores de potência e por possuir

características interessantes em relação a esforços de corrente

e tensão. Por se tratar de um inversor de tensão senoidal, a saída deve fornecer uma tensão senoidal. Como a operação dos interruptores em alta frequência produzem harmônicos na saída do inversor, usualmente é projetado um filtro do tipo LC na saída do inversor para que as harmônicas sejam filtradas e somente a frequência fundamental esteja disponível na saída. Para este trabalho foram estudadas três lógicas para a modulação PWM do inversor, que seriam a modulação de três níveis e a modulação de três níveis com a senoide retificada.

A. Filtro LC

O indutor e o capacitor são elementos passivos capazes de armazenar e fornecer energia em quantidades finitas, ou seja, que não são como uma fonte ideal, logo esses elementos são capazes de manter o fornecimento contínuo de potência média ao circuito.

O indutor exerce uma oposição a variação de corrente

elétrica, logo a tensão nos terminais do indutor é proporcional

à frequência da corrente alternada.

O capacitor exerce uma oposição a variação de tensão

entre seus terminais, que diminui à medida que a frequência de corrente alternada aumenta, logo, a tensão nos terminais é

inversamente proporcional à frequência da corrente alternada. Logo, os filtros passivos são formados pela combinação de indutores, capacitores e resistores, facilitando ou dificultado a passagem da corrente elétrica. Para esse trabalho foi implementado um filtro passa baixas do tipo LC como mostra Figura 2.

L

entrada C Rc
entrada
C
Rc

Figura 2 - Filtro LC. Fonte: Autoria Própria.

II. DESENVOLVIMENTO

saída

Neste item é apresentado o equacionamento do filtro LC ilustrado pela Figura 2, também será descrito os procedimentos adotados para análise do inversor de onda completa.

A. Filtro LC

Através da análise do circuito da Figura 2 foi obtido a função de transferência do filtro LC, que é descrita na equação (1).

Vo Vg = Gf(s) =

1

LC

s 2 + s

1

1

CRc + LC

(1)

Sendo a equação característica do filtro LC descrita na equação (2):

() =

²

2 + 2 + ²

(2)

Na qual é a frequência de corte do filtro LC, normalmente ela é escolhida como sendo uma década abaixo da frequência de comutação, é o coeficiente de amortecimento, normalmente o seu valor é maior do que 0,707 para que não haja pico de ressonância na frequência de corte. Comparando as equações (1) e (2), obtém as equações para terminar o valor do capacitor e do indutor, que estão descritos pelas equações (3) e (4) respectivamente.

=

1

2εω c Rc

L =

1

2 C

ω c

(3)

(4)

B. Inversor com referência senoidal Para esse filtro foi simulado o circuito da Figura 1, incluído o Filtro LC mostrado na Figura 2. O circuito simulado está apresentado na Figura 3.

Figura 2. O circuito simulado está apresentado na Figura 3. Figura 3 – Inversor de onda

Figura 3 Inversor de onda completa. Fonte: Autoria Própria.

Os terminais VA e VB mostrados na Figura 3 são provenientes dos terminais do filtro LC, mostrado na Figura

4.

dos terminais do filtro LC, mostrado na Figura 4. Figura 4 – Filtro LC Fonte: Autoria

Figura 4 Filtro LC Fonte: Autoria Própria.

Como as chaves S1 e S4 devem ser acionadas ao mesmo tempo, assim como as chaves S2 e S3, foi desenvolvido um circuito de acionamento para essas chaves, com um sinal PWM, como mostrado na Figura 5.

essas chaves, com um sinal PWM, como mostrado na Figura 5. Figura 5 - Circuito de

Figura 5 - Circuito de acionamento das chaves S1, S2, S3, S4. Fonte: Autoria Própria.

Para a geração do sinal PWM, foi comparado uma tensão

senoidal de referência com uma onda triangular, essa onda triangular pode ser do tipo dente de serra, porém não é muito utilizada por apresentar resultados menos precisos.

Nota-se que o sinal de comando enviado as chaves 2,3 são iguais e são sinais complementares aos sinais de comando

das chaves 1,4, que também são iguais.

C. Inversor de três níveis com duas referências senoidais Para esta simulação foram utilizados os circuitos mostrados nas Figuras 3 e 4. No circuito de acionamento das chaves do retificador, também foi utilizado a modulação PWM, porém agora utilizando dois PWMs como mostrado na Figura 6.

porém agora utilizando dois PWMs como mostrado na Figura 6. Figura 6 - Circuito de acionamento

Figura 6 - Circuito de acionamento das chaves S1, S2, S3, S4. Fonte: Autoria Própria.

Para esse circuito de acionamento, a onda de referência senoidal Vref2 é um sinal invertido em comparação a onda de referência senoidal Vref1.

D. Inversor de três níveis com referências senoidal retificada Para esta simulação foram utilizados os circuitos

mostrados nas Figuras 3 e 4. No circuito de acionamento das chaves do retificador, também foi utilizado a modulação PWM, porém agora utilizando apenas um sinal de PWM e uma senoide retificada em forma de onda completa como referência. O circuito de acionamento é mostrado na Figura

7.

O circuito de acionamento é mostrado na Figura 7. Figura 7 - Circuito de acionamento das

Figura 7 - Circuito de acionamento das chaves S1, S2, S3, S4. Fonte: Autoria Própria

Para a lógica de acionamento do circuito da Figura 7 foi partido do pressuposto que a chave 1 permaneceria ligada no segundo semiciclo e desligado no primeiro semiciclo, já a chave teria o seu funcionamento como sendo o contrário da chave 1. A chave 3 permaneceria ligada no primeiro semiciclo e desligada no segundo semiciclo e a chave 4, teria o seu funcionamento como sendo o contrário do funcionamento da chave 3.

III. RESULTADOS

Neste tópico, serão apresentados os resultados do equacionamento e da simulação dos modelos descritos no tópico II deste artigo. Foi utilizado os softwares PSIM® e Mathcad® para obtenção dos valores utilizados para as simulações. Para realizar as simulações, foram utilizados os valores mencionados abaixo:

V g = 250 V, Vo = 200V, Rc = 16.33 Ω, fs = 20 Khz

Sabendo que a frequência de corte é uma década abaixo da frequência de chaveamento e que o valor de ε é de 0,707, logo, utilizando-se das equações (3) e (4) é possível determinar o valor do indutor e do capacitor como sendo respectivamente 0.012 H e 21,6538 F.

A. Inversor com referência senoidal

Simulando o circuito de acionamento mostrado na Figura 5 no software PSIM®, em que a frequência da onda de referência senoidal é de 200 Hz e a frequência da onda triangular é a própria frequência de chaveamento, obtém o resultado mostrado na Figura 8.

de chaveamento, obtém o resultado mostrado na Figura 8. Figura 8 – Formas de ondas para

Figura 8 Formas de ondas para geração do PWM.

Simulando a tensão de entrada VAB do filtro LC e a tensão de saída Vo do circuito, obtém o resultado mostrado na Figura 9.

Vo do circuito, obtém o resultado mostrado na Figura 9. Figura 9 – Tensão VAB e

Figura 9 Tensão VAB e tensão de saída Vo.

Pode ser notado que o filtro LC filtrou os componentes harmônicas provenientes da comutação das chaves, porém a tensão de saída é de 280 V, que é maior do que a tensão de 200 V que seria esperado como resultado. Na Figura 10 é apresentado as harmônicas provenientes da entrada do filtro LC e a saída de tensão Vo, nota-se que a tesão de saída tem apenas uma harmônica de 280 V na frequência de 1 Hz.

tem apenas uma harmônica de 280 V na frequência de 1 Hz. Figura 10 – Harmônicas

Figura 10 Harmônicas da tensão de entrada VAB e da tensão de saída Vo.

B. Inversor de três níveis com duas referências senoidais Simulando o circuito de acionamento mostrado na Figura 6 utilizando os mesmos parâmetros do inversor com referência senoidal, obtém o resultado mostrado na Figura

11.

Figura 11 – Formas de onda para geração do PWM. Simulando a tensão de entrada

Figura 11 Formas de onda para geração do PWM.

Simulando a tensão de entrada do filtro VAB e a tensão de saída Vo do circuito, obtém o resultado mostrado na Figura 12.

Vo do circuito, obtém o resultado mostrado na Figura 12. Figura 12 - Tensão VAB e

Figura 12 - Tensão VAB e tensão de saída Vo.

Analisando os resultados nota-se que a tensão VAB apresenta pulsos positivos no semiciclo positivo da tensão de referência e pulsos negativos quando a tensão de referência está no semiciclo negativo. Já o filtro LC, filtrou as harmônicas na tensão de saída, que teve o seu valor de pico como sendo de 200 V, que seria o valor esperado para esse filtro. Além disso, a senoide de saída apresentou uma defasagem angular devido ao projeto do filtro LC ter sido simplificado alguns fatores durante o seu equacionamento. Na Figura 13 é apresentado os resultados das harmônicas referente a esse inversor, nota-se que na frequência de 1 Hz a tensão de saída apresenta uma harmônica no valor de 180 V,

de saída apresenta uma harmônica no valor de 180 V, Figura 13 - Harmônicas da tensão

Figura 13 - Harmônicas da tensão de entrada VAB e da tensão de saída Vo.

.

C. Inversor de três níveis com referências senoidal retificada

Simulando o circuito de acionamento mostrado na Figura 7 utilizando os mesmos parâmetros do inversor com referência senoidal, obtém o resultado mostrado na Figura

14.

senoidal, obtém o resultado mostrado na Figura 14. Figura 14 – Formas de onda para geração

Figura 14 Formas de onda para geração do sinal de PWM.

Simulando a tensão de entrada do filtro VAB e a tensão de saída Vo do circuito, obtém o resultado mostrado na Figura 15.

Vo do circuito, obtém o resultado mostrado na Figura 15. Figura 15 – Tensão VAB e

Figura 15 Tensão VAB e tensão de saída Vo.

Analisando os resultados da Figura 15 nota-se que o filtro LC filtrou as harmonias da tensão de saída provenientes da comutação das chaves, além disso a tensão de saída teve seu valor como sendo de 250 V, um pouco acima dos 200 V esperado. A Figura 16 apresenta os harmônicos provenientes da entrada do filtro LC e da saída do circuito. Nota-se que na frequência de 1 Hz a tensão de saída apresentou um valor de

180V.

de 1 Hz a tensão de saída apresentou um valor de 180V. Figura 16 - Harmônicas

Figura 16 - Harmônicas da tensão de entrada VAB e da tensão de saída Vo.

V. CONCLUSÕES

Primeiramente quando os circuitos propostos foram simulados sem a presença de um filtro LC passa baixas, foram apresentados muitos harmônicos na forma de onda da tensão de saída. Esse problema foi sanado com a adição do filtro LC, transformando a forma de onda da saída em quase uma senoide perfeita. A primeira e terceira simulações apresentaram resultados um pouco diferentes dos esperados, e na segunda simulação, o resultado da tensão de saída foi o esperado, porém houve

uma defasagem na senoide da tensão de saída, isso ocorreu porque o filtro LC não foi projetado levando em consideração que a saída CA do inversor teria uma defasagem angular.

REFERÊNCIAS

[1]

I. Barbi, D.C. Martins. "Introdução ao Estudo dos

[2]

Conversores CC-CA". Edição dos autores, Florianópolis 2005. F. Gerent, "Metodologia de Projetos de Inversores Monofásicos de tensão para Cargas não lineares". Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, 2005.