Você está na página 1de 8

ÃO

I VUL G

F OTOS: D

A1 FOLH FOL SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 H DE DEZEMBRO AEXTRA AEXTRA DE
A1
FOLH
FOL
SÁBADO
E
DOMINGO,
02
E
03
H
DE
DEZEMBRO
AEXTRA
AEXTRA
DE
2017
-
ED.1858
9
5,
7
M h
z
9
5,
7
M h
z
W
E N C E S L
A U
B
R
A Z
W
E N C E S L
A U
B
R
A Z
SÁBADO E DOMINGO , 02 E 03 DE DEZEMBRO
O JORNAL DO NORTE PIONEIRO E CAMPOS GERAIS
Versão na internet folhaextra.com
DE 2017 - ANO 14 - Nº 1858 - R$ 1,00
DIRETOR ALCEU OLIVEIRA DE ALMEIDA
O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ!
O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ!
ME FALTARÁ! O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ! MZ STUD I O
ME FALTARÁ! O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ! MZ STUD I O
ME FALTARÁ! O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ! MZ STUD I O
MZ STUD I O
MZ
STUD
I O

PR-092

Motorista morre em acidente evolvendo duas carretas e um carro

Um grave acidente de trânsito foi regis- trado no início da manhã desta sexta-feira (01) no Km 201 da PR-092 no trecho entre a ua iaí a apoti p imo a mp a Arauco. A colisão aconteceu por volta das 8h e envolveu duas carretas. Um veículo leve também esteve envolvido no aciden- te. As duas carretas têm placas do Esta- do de Santa Catarina, sendo uma Scania T113 de Joinville e uma Iveco Stralis de o a lo o autom l um lta têm placas de Jaguariaíva. Página A5

AUXÍLIO

Secretaria da Assistência Social de Tomazina distribui kits maternidade

Cidades Página A4

INVESTIMENTOS

Deputado Romanelli destina recursos para São José da Boa Vista

D

I VULG

AÇÃO

recursos para São José da Boa Vista D I VULG AÇÃO O deputado estadual Luiz Claudio

O deputado estadual Luiz Claudio Ro- manelli (PSB), líder do governo na As- sembleia Legislativa, recebeu, no início desta semana, o prefeito Sergio Kroneis (PSDB), de São José da Boa Vista, em seu gabinete para a assinatura de impor- tantes convênios para o município. Aqui- sição de carros, tubos para contenção de enchentes e doação de trecho rodoviário estão entre as conquistas.Página A8

D I VULG AÇÃO 29 DE ABRIL Procuradoria Geral da República arquiva investigação contra Richa
D
I VULG
AÇÃO
29 DE ABRIL
Procuradoria Geral
da República arquiva
investigação contra
Richa e Francischini
Na avaliação de Dodge, o confronto teria
sido motivado pelo avanço dos manifestan-
t ob o policiai on tatou u o
início do enfrentamento decorreu do avanço
dos manifestantes sobre os gradis de isola-
m nto ap um caminh o d om anuncia
o início da votação do projeto de lei”, apon-
tou. Página A3

Três municípios do Norte Pioneiro estão em alerta para surto de dengue

Noventa e dois por

cento dos municípios do a an am o Levantamento Rápido

de Índice de Infestação

por Aedes aegypti (LI- RAa), mosquito trans- missor da dengue, zika

e

chikungunya, para

os

meses de outubro

e

novembro de 2017.

O

objetivo é apresentar

o

risco de transmissão

destas doenças devido

à presença do vetor.

Página A4

Licitação prevê construção de 27 novas casas populares em Santana do Itararé

D

I VULG

AÇÃO

novas casas populares em Santana do Itararé D I VULG AÇÃO Um projeto para a construção

Um projeto para a construção de 27 novas moradias em Santana do Itararé deve ser licitado em breve. A contratação do em- preendimento, orçado em R$ 2 milhões, foi tema de um encontro entre o prefei- to, Joás Michetti (PDT), e o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion. Atualmente, a equipe técnica da companhia trabalha na finali a o do p o to con t uti o p a conclusão desta etapa, ele será encami- nhado para a contratação da construtora responsável pela execução das obras”, informa Lupion. Página A3

encami- nhado para a contratação da construtora responsável pela execução das obras”, informa Lupion. Página A3
encami- nhado para a contratação da construtora responsável pela execução das obras”, informa Lupion. Página A3
encami- nhado para a contratação da construtora responsável pela execução das obras”, informa Lupion. Página A3

A2

OPINIÃO

A 2 OPINIÃO SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEMBRO DE 2017 - ED.1858 “

SÁBADO

E

DOMINGO,

02

E

03

DE

DEZEMBRO

DE

2017

-

ED.1858

SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEMBRO DE 2017 - ED.1858 “ Contamos com o
“ Contamos com o auxílio do “ É nosso dever prestar auxílio Olha o aos
“ Contamos com o auxílio do
“ É nosso dever prestar auxílio
Olha o
aos futuros tomazinenses, para que
que foi
governo estadual para reduzir o
déficit habitacional do município
cresçam com dignidade e tornem
nosso município ainda melhor
dito!
Joás Michetti –
prefeito de Santana do Itararé
José Rocha -
vice-prefeito de Tomazina

Editorial

Os segredos das estradas mortais

Diversas estradas em diferentes regiões do país acabam receben-

do o amedrontador, e por outro lado triste, título de estradas ou rodovias da morte. Mas, fora o óbvio motivo de serem trechos com grande número de aciden-

tes fatais, o que faz com que es-

tas rodovias concentrem essas ocorrências e tantas pessoas per- cam suas vidas nelas?

A resposta para esta pergunta

pode apontar vários motivos. Viajando pelas estradas brasi- leiras, pode-se notar que muitas tem seu trajeto antigo, isto é, foram construídas em épocas onde a tecnologia e maquiná- rio empregado nas obras eram

escassos, fazendo com que haja diversos desvios de áreas de pe- dreiras, rios e etc. Isso se dava por causa das difi- culdades em se lidar com essas adversidades na época. Isso faz com que, em alguns lugares, haja curvas perigosas, pistas à beira de ribanceiras entre ou- tros aspectos. Apesar de fazer parte do conjunto da obra, está

não é uma das principais justifi- cativas para o problema. Outro ponto que pode ser desta- cado é a má condição das estra- das brasileiras. Este não é um caso isolado ou uma novidade, pois o brasileiro está acostu- mado com rodovias onde a cir-

culação é complicada, existem vários buracos, faltam acosta- mentos, sinalização adequada entre outras precariedades. Mas, ainda assim não chega-se a uma resposta satisfatória para essa pergunta cruel. Em muitas rodovias da morte a conserva- ção é boa, o traçado da pista não é tão complicado e, mesmo assim, pessoas continuam mor- rendo. Nesse momento, chega-se ao fator humano. A imprudência ainda é uma das principais causas de acidentes fatais nas estradas brasileiras, seja nas rodovias da morte ou não. Motoristas em alta veloci- dade, alcoolizados e impuden-

tes, são os que colaboram para o aumento das tragédias. Tem ain- da o fator cansaço que, geral- mente, afeta os caminhoneiros e demais viajantes. Além disso, realizar a manutenção preven- tiva não é um hábito nacional. Ou seja, a pergunta pode parecer simples, mas os motivos são vá- rios. Automóveis são máquinas e, acima de tudo, são controla- do por seres humanos. Ser pru- dente no trânsito e com o estado de conservação do veículo já um primeiro passo para mudar essa realidade.

do veículo já um primeiro passo para mudar essa realidade. COMENTE O ASSUNTO. ACESSE FOLHAEXTRA.COM CHARGE

COMENTE O ASSUNTO. ACESSE FOLHAEXTRA.COM

CHARGE
CHARGE

Artigo

Artigo

A crônica do não responda

Por JÚLIA RATHIER

Não foram suas elipses e nem os eufemismos que não me dis- seram o que eu precisava ouvir, mas sim o acordo tácito entre mim e o meu engano de não di-

zer o que queria. A gente cala as coisas com a mesma responsa- bilidade que as fala. Essa talvez, seja a lição mais dura- não tanto quanto necessária- da comunica- ção humana. Certa vez, Amélia,

a menina não-tão-menina nem

adulta, recomendou a si mesma depois de encarar o luto de um fim de amor, que encontrasse a

medida certa no próximo amor. Saber se deveria falar de mais ou de menos, o quê falar e o que não falar. Mal sabia ela, que a gente diz coisas sem dizer, e que não diz pro outro por que quem tem que escutar somos nós. Entre essas coisas não ditas que se sente, estão verdades afogadas

e agruras que amiúde nos ensi-

nam importantes experiências de habilidade social. A emoção que está para o luto à mesma medida em que o amor está para a saudade, é prova. Amélia nunca se reconheceu como uma pessoa emocionalmente sábia, mas se reconhecia menos ainda como a boa observadora que era. Quanto tempo a gente pre- cisa enxergar pra que comece

a ver? Leu ela de Ana Suy, uma

importante figura de identifica-

ção na área intelectual de sua

vida. O interessante, é que nes-

sa riqueza de fundos do mundo

intelectual também havia um conhecimento pouco acessado por ela na vida, que merecia com louvor ser lembrado. Esse era o de que a gente fica tão

acossado para encontrar o nos-

so lugar no desejo do outro, que esquecemos do nosso. Neste caminho de pensamentos cheio de percalços, Amélia só poderia se indagar ainda mais enquanto bebericava um café quente. Amava Leminski como nenhum outro poeta, observava

a sua sensibilidade de movê-la a

entender sobre as coisas mun-

danas. Em mais um gole que por obséquio o último daquele terceiro café, economizou no suspiro que ia dar por causa do desamor e não economizou no

pedido de outro café. Satisfeita que já estava, pôs-se a pensar so- bre aquilo que não se preenchia por mais lotado que estivesse- e dispensava o argumento chulo de justificar biologicamente a saciação de sua sede. Esse pedi- do incessante por outro, afinal,

é falta de quê(m)? A quem ela

estava recitando tanto o “Re- para bem no que não digo” de Leminski? Amélia, talvez quem precisava ir já tenha ido. Pedir que a pessoa só ouça e não res- ponda mais, não irá mudar o que você já ouviu dela e o quan- to doeu. Talvez, você precise do que tanto costumamos negar a nós mesmos: autocompreensão e

um tempo. Ninguém vive e nem

morre de amor, por mais que o

suponha. Vai lá, Amélia. Se po- nha no próprio rumo. Se escu- ta. Você tem muito a dizer pra

si mesma.

É preciso se PERDER para voltar a se ENCONTRAR

Por ERICK MORAIS

É impossível compreender a

vezes acreditando estar no cami-

tes instantes que a vida também

 

vida em sua totalidade. Isso é completamente apavorante. Nos assusta. Nos deixa acuados. Nos deixa impotentes, indecisos, bo- quiabertos, paralisados. Paralisa- dos com o susto da liberdade. De um mundo em que temos, como

tude compreender. Por mais que busquemos, há

sempre algo que nos escapa na imensidão da vida. O tempo con- trola as suas próprias coorde- nadas, de modo que não temos como compreender todos os seus caminhos, as suas escolhas

nho certo, não nos damos conta de que tomamos a estrada errada e, então, temos que recalcular a nossa rota a partir da nossa bús- sola interna? É o momento das travessias das tormentas, em que é necessário deixar tudo que não

proporciona viradas e possibilita encontros, chegadas, sossegos, construções. Bem como, a re- produção de vagalumes, que se espalham como luzes harmonio- sas para celebrar as nossas con- tradições. Celebrar a fusão do

der a não-linearidade do tempo como algo que nos é próprio e,

portanto, cognoscível. Porque a nossa vida é como um quebra- -cabeça temporal, que vai se formando aos poucos, de tal maneira que muitas das peças que em determinado momento

diria Sartre, que nos equilibrar o

e

o que ele quer de nós. É como

for essencial de lado, juntar o

homem com o mundo. Do finito

parecem inúteis, em outros são

tempo inteiro entre escolhas e consequências. Um mundo que

se tivéssemos tanto para fazer, tanta potência de vida dentro de

que realmente importa em uma mochila e tornar a se meter a an-

com o infinito. Do transitório com o duradouro. Do instante

chaves para elucidar grandes problemas.

as

ao mesmo tempo que nos puxa

nós, mas não soubéssemos bem

dar pelas ruas solitárias da vida.

com o eterno. Do profano com

Assim, passamos a nos lambuzar

para baixo e pesa o nosso cora-

o

é

que, de fato, fazer, como fazer,

como se ele escorresse pelas

É o momento do desencontro,

em que a escuridão do universo

o

divino.

no jubilo da perdição, porque

ção com o nada, engrandece-nos

por onde andar. E, diante dessa

da perda, do desassossego, da

E

a partir da compreensão das

às

vezes é preciso que nos per-

e permiti-nos dançar entre as nuvens com os seus recantos de

incognoscibilidade do tempo,

ruína, da entrega. É o momento

nossas contradições, passamos a melhor entender as contradições

camos para que possamos nos encontrar e, então, transformar

poesia. Essa é a vida, com suas contradições e ambivalências, a qual buscamos com a nossa fini-

nossas mãos, deixando-nos cada vez mais assustados. Como se não bastasse, quantas

parece maior e nós ainda mais fugazes e pueris. Entretanto, são exatamente nes-

do universo, as quais invariavel- mente estamos submetidos. É como se passássemos a enten-

– como escreveu Galeano – me- dos em coragens, dúvidas em certezas, sonhos em realidades,

delírios em razão, perdas em achados. Transformar o fio da navalha, por onde a vida sinuo- samente caminha, em espaço lú- dico de nossas astúcias, porque

é preciso se queimar para se tor-

nar fogo, já que o renascimento só acontece por meio das cinzas.

para se tor- nar fogo, já que o renascimento só acontece por meio das cinzas. COMENTE

COMENTE O ASSUNTO. ACESSE FOLHAEXTRA.COM

SÁBADO

E

DOMINGO,

02

E

03

SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEMBRO DE 2017 - ED.1858 POLÍTICA A 3 Licitação

DE

DEZEMBRO

DE

2017

-

ED.1858

POLÍTICA

A3

Licitação prevê construção de 27 novas casas populares em Santana do Itararé

Obra está orçada em R$ 2 milhões, recursos para a construção do novo residencial são oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)

oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) DAS AGÊN CIAS reportagem @ fol

DAS AGÊN CIAS reportagem @ fol h aext ra.co m

Um projeto para a construção de 27 novas moradias em Santana do Itararé deve ser licitado em breve. A contratação do empre- endimento, orçado em R$ 2 mi- lhões, foi tema de um encontro entre o prefeito, Joás Michetti (PDT), e o presidente da Coha- par, Abelardo Lupion. Atualmente, a equipe técnica da companhia trabalha na finali a- ção do projeto construtivo. “Após

a conclusão desta etapa, ele será encaminhado para a contratação da construtora responsável pela execução das obras”, informa Lupion. Os recursos para a construção do novo residencial são oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de er i o T , financiados pela Caixa Econômica Federal. O banco é responsável por dar o

a al final antes da assinatura dos

contratos com as fam lias benefi-

ciadas. Segundo o prefeito, a viabiliza- ção dos investimentos é uma prioridade da administração mu- nicipal pela grande demanda de

D

I VULG

AÇÃO

mu- nicipal pela grande demanda de D I VULG AÇÃO Tema do encontro entre as autoridades

Tema do encontro entre as autoridades foi a contratação de um empreendimento orçado em R$ 2 milhões

moradias na cidade. “Temos um levantamento com centenas de famílias que pagam

aluguel e aguardam a oportuni- dade de adquirir uma casa pró- pria em Santana do Itararé”, re- lata. “Por isso, contamos com o auxílio do governo estadual para redu ir o d ficit habitacional do município”, conclui Michetti.

A reunião foi acompanhada pelo diretor de Obras da Cohapar, Ro- berto Erzinger, e por Luiz Otávio Messias, assessor do deputado estadual Pedro Lupion.

HISTÓRICO

Além dos novos projetos plane- jados, a população de Santana

do tarar foi beneficiada com a entrega de 40 casas populares no fim de . a rea rural do município, 21 famílias de peque- nos produtores receberam novas moradias entre 2015 e 2017. As ações somam investimentos de quase R$ 2 milhões em recursos públicos para localidade no pe- ríodo.

29 DE ABRIL

Procuradoria Geral da República arquiva investigação contra Richa e Francischini

Averiguação era sobre os confrontos entre policiais e manifestantes no Centro Cívico, em Curitiba, durante a votação sobre fundo de previdência dos servidores públicos estaduais

DAS AGÊN CIAS reportagem @ fol h aext ra.co m

A procuradora-geral da Repúbli- ca, Raquel Dodge, determinou

o arquivamento do pedido de

abertura de investigação con- tra o governador Beto Richa (PSDB) e o ex-secretário de Se- gurança Pública, deputado fede- ral Fernando Francischini (SD),

pelos confrontos entre policiais

e manifestantes no Centro Cívi-

co, em Curitiba, em 29 de abril de 2015, durante a votação pela Assembleia Legislativa de mu- danças no fundo de previdência

dos servidores públicos estadu- ais, que acabou com mais de 200 feridos.

O pedido havia sido apresenta-

do pelo Ministério Público (MP) do Paraná, que apontou supos- tos indícios de abuso de autori- dade e cerceamento do direito de reunião, além de excessos da PM na ação. Como Richa e Francischini tem direito a foro privilegiado, o caso foi analisa- do pela PGR. Dodge afirmou não er ind - cios de ilegalidade na ação, da juíza Patrícia de Almeida Go- mes Bergonse, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, que em agosto rejeitou ação civil pública do MP por impro- bidade administrativa contra o governador e o ex-secretário, além do ex-comandante da PM, esar ogut e outros oficiais da PM. Ela também citou relatório do Inquérito Policial Militar da própria corporação que apon- tou que a ação foi lega.

“Os elementos colhidos nessa in estiga ão não são suficientes para indicar conduta contra o

F OTOS: D

I VUL G

ÃO

Pedido de abertura contra Beto Richa foi arquivado pela PGR
Pedido de abertura
contra Beto Richa foi
arquivado pela PGR

direito de reunião pelas autori- dades policiais e pelos detento- res de foro funcional, ou de in- tenção deliberada de provocar lesões corporais nos manifes- tantes , afirma ela no despacho. “No detalhado relatório policial do IPM consignou-se que, no início da manifestação, o clima entre manifestantes e policiais era amistoso, não se erificando cerceamento ao direito de reu- nião”, alegou a procuradora. Na avaliação de Dodge, o con- fronto teria sido motivado pelo avanço dos manifestantes so- bre os policiais. “Constatou-se que o início do enfrentamento decorreu do avanço dos mani- festantes sobre os gradis de iso- lamento após um caminhão de som anunciar o início da vota- ção do projeto de lei”, apontou. “Constatou-se, inclusive, que a ação policial promovia a disper- são momentânea da multidão,

havendo recuo da tropa, e, em seguida, ocorria novo avanço dos manifestantes, levando a tropa a promover nova disper- são. Esse ciclo durou cerca de duas horas, demonstrando que a força policial foi usada na me- dida da necessidade, no estrito

cumprimento do dever legal”, disse a procuradora. “Assim não há embasamento mínimo para de agrar medidas in estigati- vas, nem justa causa para ins- taurar inquérito em decorrência dos fatos narrados”, concluiu Dodge.

Assim como o governador, Fernando Francischini tem direito a foro privilegiado
Assim como o governador,
Fernando Francischini tem
direito a foro privilegiado

Dois Tempos

Francischini tem direito a foro privilegiado Dois Tempos Esposa de Sérgio de Moro desativa página de

Esposa de Sérgio de Moro desativa

página de apoio ao juiz no Facebook

de Moro desativa página de apoio ao juiz no Facebook A esposa do juiz federal da

A esposa do juiz federal da 13ª Vara Federal do

Paraná, Sérgio Moro, anunciou na quinta-feira (30) a desativação da página “Eu MORO com Ele”, criada por ela no Facebook. A advogada Rosângela Wol Moro disse apenas que a pá- gina já tinha cumprido o pape e agradeceu

o apoio recebido pelo marido, que conduz os

processos da Operação Lava Jato no Estado. A página durou 1 ano e 8 meses e tem 844 mil seguidores.

Governador dá posse aos novos conselheiros estaduais de Cultura

O governador Beto Richa (PSDB) deu posse

aos novos membros do Conselho Estadual de Cultura (Consec). A solenidade foi no Palácio Iguaçu, em Curitiba. Richa ressaltou o papel da cultura no fortalecimento e desenvolvi- mento da sociedade e ressaltou o papel dos conselheiros na área. “O Conselho foi criado pelo nosso governo, demonstrando a importância da participa- ção de artistas e de todas as pessoas que mi- litam na área cultural para ajudar o governo na elaboração de políticas culturais”, a rmou ele. “Eles também devem scalizar a execu- ção das ações e dos investimentos feitos pelo poder público. É valiosa a participação destes conselheiros, que foram escolhidos de forma democrática e transparente”, ressaltou.

Pedágio está na pauta dos candidatos ao Governo do Paraná

Passados quase vinte anos da implantação do pedágio no Paraná, as concessões de rodo- vias voltam a ser tema de discussão política em véspera de ano eleitoral. O novo reajuste das tarifas que entrou em vigor motivou ma- nifestações de dois pré-candidatos ao gover- no: o ex-senador Osmar Dias (PDT) e o depu- tado estadual Ratinho Júnior (PSD). Para o pedetista, o próximo governo deve esperar o m dos atuais contratos para reali-

zar nova licitação, com tarifas mais baixas. Já Ratinho Junior divulgou nota a rmando que

o pedágio não pode continuar sendo motivo de exploração política.

PSB espera Osmar, mas não está parado

O

PSB ainda está esperando o pré-candidato

ao

governo Osmar Dias. O partido fez o convi-

te

a Osmar, que deu uma cozinhada básica, e

ainda não foi de nitivo. Mas, para não perder

o trem, o PSB também está conversando com

a vice-governadora Cida Borghetti e o depu-

tado Ratinho Jr. Ambos buscando espaço na corrida ao Palácio Iguaçu. E como no Brasil os partidos são assim ecléticos, os socialistas também mantém um pré-acordo com o PSDB

e o DEM para as eleições de 2018.

A4

CIDADES

A 4 CIDADES SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEMBRO DE 2017 - ED.1858 Secretaria

SÁBADO

E

DOMINGO,

02

E

03

DE

DEZEMBRO

DE

2017

-

ED.1858

Secretaria da Assistência Social de Tomazina distribui kits maternidade

Kit é composto por uma banheira ergonômica,

fraudas

d ca t i

sabonetes, meias, condicionador, shampoo, dois conjuntos, pomada para assadura, lenço umedecido, dois pares de roupas e uma manta

DAS AGÊN CIAS reportagem @ fol h aext ra.co m reportagem @ fol h aext ra.co m

refeitura de Toma ina, atra- vés da Secretaria Municipal da Assistência Social, tem prestado auxílio para diversas mães toma- inenses. esta quarta-feira , foram distribu dos its materni-

D

I VULG

AÇÃO

, foram distribu dos its materni- D I VULG AÇÃO Luana França; diretor da assistência social

Luana França; diretor da assistência social Amarildo Lopes; mãe contemplada com o kit e o vice-prefeito, Rochinha

dade nos bairros da Pedreira Ga- biroval, Arvoredo e Jardim Santo Antônio II. it acompanha banheira ergo- nômica, fraudas descartáveis, sa- bonetes, meias, condicionador, shampoo, dois conjuntos, poma- da para assadura, lenço umede- cido, dois pares de roupas e uma manta.

A ação contou com a presença dos membros da assistência so- cial, o ex-vereador Amarildo Lo- pes, que também exerce o cargo de diretor da secretaria, Luana França, assistente social e o vice- -prefeito do município José Ro- cha, o ochinha D . De acordo com José é um or- gulho fa er parte de uma ges-

tão que tem orgulho em ajudar quem precisa. “É nosso dever

prestar auxílio aos futuros toma-

inenses, para que cres am com

dignidade e tornem nosso muni-

c pio ainda melhor , conclui.

Segundo a equipe da prefeitura, os demais bairros também serão atendidos ao longo da gestão e conforme a demanda.

Três municípios do Norte Pioneiro estão em alerta para surto de dengue

São eles Andirá, Santo Antônio da Platina e Jacarezinho, além de Arapoti nos ampo ai aboti api a ib i o la o n o fi am o l antam nto do a

DAS AGÊN CIAS reportagem @ fol h aext ra.co m reportagem @ fol h aext ra.co m

Noventa e dois por cento dos munic pios do aran eram o Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), mosquito transmissor

da dengue, i a e chi ungun a, para os meses de outubro e no- vembro de 2017. O objetivo é apresentar o risco de transmis- são destas doenças devido à pre- sença do vetor.

O índice é resultado da compa-

ração entre o número de imóveis

visitados pelos agentes de saúde

e a quantidade de focos com

larvas do mosquito encontrados nas visitas. Dos munic pios que reali a- ram o LIRAa, 58% apresentaram

índices menores que 1 (231 mu- nic pios , ficaram entre

e 3,99 (117 municípios), e 5%

tiveram resultados acima 4 (20 municípios).

O resultado abaixo de 1 é con-

siderado fora de perigo (menos de uma casa infestada para cada 100 pesquisadas), de 1 a 3,9% é estado de alerta (de uma a três casas infestadas para cada 100 pesquisadas , e acima de h risco de surto e demanda ações emergenciais (quatro ou mais casas infestadas para cada 100 pesquisadas).

D

I VULG

AÇÃO

casas infestadas para cada 100 pesquisadas). D I VULG AÇÃO Paraná registrou 191 casos de dengue,

Paraná registrou 191 casos de dengue, 186 deles autóctones e cinco importados

NORTE PIONEIRO

ntre os munic pios que fi eram o le antamento tr s são do orte ioneiro e correm risco de sur-

to de doen a, são eles, ndir , anto nt nio da latina e acare inho, al m de rapoti, nos ampos Gerais, o índice entre eles varia de 1 a 3,9% e 4%. aboti, apira e ibeirão laro não apresentaram o a.

CUIDADO

recomenda ão não dei ar focos de gua parada e organi ar uma rotina de limpe a semanal das resid ncias e locais de trabalho. De agosto de at de no embro, o aran registrou casos de dengue, deles autóctones e cinco importados. ou e dois registros de chi ungun a e não foi registrado nenhum caso de i a no per odo.

Em Resumo

Universidades estaduais estão

entre as 50 melhores do Brasil

As universidades estaduais de Londrina, Marin- gá, de Ponta Grossa, do Centro-Oeste e do Oeste do Paraná possuem quatro cursos entre os me- lhores do Brasil. São os cursos de Agronomia, Medicina, Odontologia e Zootecnia. A avaliação foi feita pelo Instituto Nacional de Estudos e Pes- quisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ligado ao Ministério da Educação (MEC). Foram avalia- dos bacharelados nas áreas de saúde, ciências agrárias e áreas a ns. O trabalho envolveu 18 áreas e 4.300 cursos no triênio 2014, 2015 e 2016. Na graduação em Agronomia, as universidades estaduais caram posicionadas entre as 50 me- lhores do país, levando em conta instituições públicas e privadas. A Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), que alcançou nota 5 (conceito máximo) no Conceito Preliminar de Curso (CPC), ocupa a terceira colocação de me- lhor instituição, seguida pela Universidade de Ponta Grossa (UEPG) em 12ª, e a de Londrina (UEL) em 18ª e a de Maringá (UEM) em 43ª. No cenário estadual, a Unicentro também cou em terceiro lugar, seguida pela UEPG entre as

quatro melhores, UEL em 7ª e UEM fechando a lista das 10 universidades mais bem posiciona-

das.

Municípios do Estado assinam convênio para receber botão do pânico

A secretária estadual da Família e Desenvolvi- mento Social, Fernanda Richa, assinou na quinta-

-feira (30), no Palácio da Justiça, em Curitiba, o documento que formaliza a implantação do Dis-

positivo de Segurança Preventiva, o botão do pânico, em 13 municípios. O Paraná é o primeiro Estado a implantar essa tecnologia para aumen- tar a proteção de mulheres em situação de risco. Com a assinatura do convênio, o Tribunal de Jus- tiça se compromete a controlar a entrega do dis- positivo, informar à mulher vítima de violência as regras de funcionamento do botão do pâni- co e coordenar o projeto. O município deve ter espaço físico para a Central de Monitoramento

e manter a Guarda Municipal sempre disponível

para eventuais chamados, entre outras obriga- ções.

Paraná diagnostica 31 casos de câncer de pele a cada dia

Seguindo na onda colorida de conscientização sobre questões de saúde, o mês que se iniciou na sexta-feira (01) marca o início da campanha Dezembro Laranja. Com o tema “Se exponha mas não se queime”, busca informar a população so- bre as formas de prevenção do câncer de pele. No Paraná, foram 11.330 novos casos da neo- plasia em 2016, segundo estimativa do Insti-

tuto Nacional de Câncer (Inca), o equivalente a 31 diagnósticos por dia ou ainda um novo caso

a cada 46 minutos. As ocorrências de câncer de

pele representam 25% do total de diagnósticos de câncer no Estado, estando dividido em dois tipos: melanoma e não melanoma. Enquanto o primeiro tem origem geralmente nas células ba- sais ou escamosas, o outro se origina nos mela- nócitos, as células produtoras de melanina.

geralmente nas células ba- sais ou escamosas, o outro se origina nos mela- nócitos, as células

SÁBADO

E

DOMINGO,

02

E

03

SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEMBRO DE 2017 - ED.1858 RADAR A 5 PR-092

DE

DEZEMBRO

DE

2017

-

ED.1858

RADAR

A5

PR-092

Motorista morre em acidente evolvendo duas carretas e um carro

Devido à gravidade do acidente, o condutor de um dos veículos não resistiu e morreu na hora; duas pessoas foram encaminhadas para o hospital Carolina Lupion em Jaguariaíva

encaminhadas para o hospital Carolina Lupion em Jaguariaíva DA reportagem REDAÇÃO @ fol h aext ra.co

DA

reportagem

REDAÇÃO

@

fol h aext

ra.co

m

Um grave acidente de trânsito foi registrado no início da ma- nhã desta sexta-feira (01) no Km 201 da PR-092 no trecho entre Jaguariaíva e Arapoti próximo a empresa Arauco. A colisão acon- teceu por volta das 8h e envol- veu duas carretas. Um veículo leve também esteve envolvido no acidente. As duas carretas têm placas do Estado de Santa Catarina, sendo uma Scania T113 de Joinville e

uma Iveco Stralis de São Carlos. Já o automóvel, um GM/Celta, têm placas de Jaguariaíva. Com o impacto, uma das car- retas ficou com parte da cabi- ne completamente destruída, fazendo com que o motorista acabasse morrendo na hora. Já

o condutor e o passageiro do

Celta foram encaminhados para

o Hospital Carolina Lupion em

D

I VULG

AÇÃO

para o Hospital Carolina Lupion em D I VULG AÇÃO Motorista de uma das carretas veio

Motorista de uma das carretas veio a óbito ainda no local

Jaguariaíva. A pista foi interdita- da para que fosse feito o resga- te do corpo da vítima, além da remoção da carga de shampoo de uma das carretas que ficou espalhada pela pista.

O IML (Instituto Médico Legal)

de Ponta Grossa esteve no local

para fazer a remoção do corpo

da vítima fatal. Equipes do Cor- po de Bombeiros, SIATE e da Polícia Rodoviária de Arapoti também estiveram no local para prestar atendimento e orientar o trânsito. O tráfego foi liberado

em meia pista por volta das 9h. Há suspeitas de que uma das carretas tenha invadido a pista

contrária, provavelmente para realizar uma ultrapassagem ou para não colidir com o GM/Cel- ta que também poderia estar fa- zendo uma ultrapassagem e aca- bou se envolvendo no acidente.

A Polícia Civil de Jaguariaíva in-

vestiga o caso e a real causa do acidente.

Polícia prende duas pessoas por envolvimento com o tráfico de drogas

Suspeitos foram abordados em Wenceslau Braz durante esta quinta-feira em dois locais diferentes; ambos já tem antecedentes criminais

dois locais diferentes; ambos já tem antecedentes criminais DA reportagem REDAÇÃO @ fol h aext ra.co

DA

reportagem

REDAÇÃO

@

fol h aext

ra.co

m

A equipe da Polícia Militar de

Wenceslau Braz, com apoio do Delegado Miguel Chibani, rea- lizaram, nesta quinta-feira (30), duas abordagens que resulta- ram na prisão de duas pessoas

en ol idas com o tr fico de dro- gas.

A primeira prisão foi feita na

Travessa Matadouro, Vila Ma- tadouro, por volta das 12h. A equipe da Polícia Militar estava em patrulhamento em com- panhia do delegado de polícia quando avistaram uma pessoa

que é conhecida no meio poli- cial pelo envolvimento com o tr fico de drogas. No momento em que o indiví- duo avistou a viatura, o mes-

D

I VULG

AÇÃO

que o indiví- duo avistou a viatura, o mes- D I VULG AÇÃO mo demonstrou nervosismo.

mo demonstrou nervosismo.

A equipe abordou o homem e

realizou a revista pessoal, sen- do encontrada uma bucha de maconha. Ele foi encaminhado juntamente com a droga para 36º Delegacia de Polícia. Já a segunda abordagem ocor-

reu no perímetro urbano da PR-

092. A equipe da Polícia Militar juntamente com o delegado de polícia estavam realizando um patrulhamento quando avista- ram uma pessoa conhecida pe- los policias por ter vários ante- cedentes criminais.

Ao realizar a revista pessoal, foi encontrado com o homem uma bucha de maconha pesando aproximadamente 4 gramas. Ele

e a droga foram encaminhados

a 36º Delegacia de Polícia para

que fossem tomadas as medicas cabíveis ao caso.

Operação policial encontra quase 15 Kg de maconha em Salto do Itararé

encontra quase 15 Kg de maconha em Salto do Itararé DA reportagem REDAÇÃO @ fol h

DA

reportagem

REDAÇÃO

@

fol h aext

ra.co

m

Através de investigações realiza- das pelo serviço de inteligência da 2ª Companhia da Polícia Mi- litar, com apoio da Rotam da 2ª Companhia e equipe Canil do 2º Batalhão de Jacarezinho, em operação conjunta com investi- gadores da Delegacia da Polícia Civil de Siqueira campos, nesta se ta-feira foi de agrada uma operação que resultou na prisão de traficantes e apreen- são de entorpecentes no muni- cípio de Salto do Itararé. Na ação, os policiais cumpriram três mandados de prisão em desfavor dos suspeitos investi- gados, munições de uso restri- to, dois pés de maconha, quatro

D

I VULG

AÇÃO

uso restri- to, dois pés de maconha, quatro D I VULG AÇÃO Entre os objetos encontrados

Entre os objetos encontrados pelos policiais está 14,5 quilos de maconha

aparelhos celulares, objetos uti- lizados para recarga de arma de fogo, um automóvel e a quantia de R$ 3,4 mil. Com o apoio de um farejador, a cadela Lana, os

policiais ainda conseguiram rea- lizar a apreensão de uma grande quantidade de maconha, sendo 14,5 quilos da droga em table- tes. Os presos juntamente com

os objetos, a droga e o auto- móvel, foram conduzidos para Delegacia da Polícia Civil de Si- queira Campos para confecção do agrante.

Esportes

Emprestados: veja os jogadores que podem retornar ao Atlético-PR em 2018

A temporada 2017 está chegando ao m e é

hora de o Atlético-PR começar a analisar a si- tuação de jogadores que pertencem ao clube rubro-negro e retornam de empréstimo. No

caso do Furacão, a lista não é tão grande, mas vale car atento. Enquanto busca reforços no mercado, o clube também passa a de nir

o destino dos atletas que estavam cedidos a

outros clubes. Sem espaço no grupo principal, o Rubro-Ne- gro emprestou jogadores durante a tempora- da para que eles ganhassem bagagem e ritmo de jogo. Entre eles estão alguns destaques da Série B do Campeonato Brasileiro, como Ro- dolfo (Oeste), João Pedro (Paraná), Ra nha (Brasil de Pelotas) e Yago (Juventude).

Matheus Costa recusa proposta do Paraná para voltar a ser auxiliar-técnico

Comandante do Paraná no acesso à Série A, Matheus Costa recusou a proposta feita pela direção do Tricolor para voltar a trabalhar

como auxiliar-técnico no clube. De acordo com a assessoria do treinador, ele rejeitou a oferta, informou que quer continuar traba- lhando como técnico e agora aguarda uma nova posição da diretoria do time paranista.

O diretor de futebol do Paraná, Rodrigo Pas-

tana, con rmou que Matheus Costa revelou o interesse em seguir a carreira como treinador,

mas ambos deram um prazo até segunda-fei-

ra para de nir a situação.

“Nós conversamos, ele (Matheus Costa) nos

comunicou que está pensando em ser treina- dor. Eu disse para ele que não tenho um nome de treinador ainda e falei sobre ele pensar mais um pouco, até segunda-feira, para ter- mos uma de nição”, comentou Pastana.

Em jogo amarrado, Campo Mourão vence a Liga Sorocabana fora de casa pelo NBB

Vontade das duas equipes não faltou. Foram muitas faltas, arremessos desperdiçados, di-

vididas, roubadas, tocos, viradas e um placar apertado no m. Foi desta forma que o Cam- po Mourão venceu a Liga Sorocabana, por 68

a 63, em duelo disputado nesta quinta-feira

(30), no ginásio Gualberto Moreira, pela quar-

ta semana do NBB 10. Brown, do time parana-

ense, foi o cestinha da partida com 17 pontos. Com 13, Cook, da LSB, foi o melhor da equipe

sorocabana nos pontos.

Temporada 2017: veja os jogadores que podem retornar ao Coritiba em 2018

A

temporada 2017 está chegando ao m e

o

Coritiba terá que analisar a situação de jo-

gadores que pertencem ao clube alviverde e retornam de empréstimo. No caso do Coxa, o clube vai passar por eleição no próximo dia 9 de dezembro, que será determinante para o destino desses atletas. Além disso, a nova di- retoria também terá que avaliar a situação de outros 21 atletas do atual elenco cujos contra- tos terminam até o dia 31 de dezembro (veja aqui a lista completa). Durante o ano, o Coritiba emprestou ao longo da temporada para que eles ganhassem ba- gagem e ritmo de jogo. O principal destaque foi o meia Ruy, que estava no América-MG, campeão da Série B do Campeonato Brasilei- ro. Outros não tiveram brilho, como no caso do atacante Rafhael Lucas (Paraná Clube), e do trio formado por Kady, Thiago Lopes e Íca- ro, que estavam no Londrina.

A6

GERAL

A 6 GERAL SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEM B R O DE 2017

SÁBADO

E

DOMINGO,

02

E

03

DE

DEZEM B R O

DE

2017

-

ED.1858

QUALIDADE DE VIDA

Família Paranaense melhora condições de moradia e reduz trabalho infantil

Desde que foi implantando, em 2012, 34,7% das famílias participantes do programa saíram de moradias improvisadas para casas m lho t utu ada o u t diretamente na qualidade de vida

ada o u t diretamente na qualidade de vida AEN reportagem @ fol h aext ra.co

AEN

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

As ações promovidas pelo Fa- mília Paranaense, programa do Governo do Estado, melhoraram significati amente as condi es de ida das fam lias acompanha- das. Os resultados foram apre- sentados durante o III Seminário Estadual da Família Paranaense nesta quinta-feira (30), em Curi- tiba. encontro reuniu t cnicos e gestores da assist ncia social dos munic pios paranaen- ses, na quarta (29) e quinta-feira. Os números mostraram melho- rias, principalmente na rea de habita ão e no ndice de ulne- rabilidade das famílias (IVF). “A melhoria do - nos munic - pios prioritários aumentou o do- bro do que no grupo de adesão espont nea , constatou o coor- denador da ssessoria T cnica de Planejamento e Gestão da In- formação, Thiago de Angelis, da ecretaria de stado da am lia e Desen ol imento ocial. s munic pios priorit rios foram inclu dos no programa por apre- sentarem bai o ndice de desen- volvimento humano (IDH). Os de adesão espontânea optaram por fa er parte da principal es- trat gia do o erno do stado

para erradica ão da pobre a e

promo er a emancipa ão das fa- mílias. São 156 prioritários e 207

de adesão espontânea.

ÍNDICES

Desde que foi implantando, em , , das fam lias partici- pantes do programa saíram de moradias impro isadas para ca- sas melhor estruturadas, o que re ete diretamente na qualidade de ida. m saneamento b sico, tamb m hou e melhorias. n - mero de fam lias com banheiro sanit rio no domic lio aumentou

26,8%.

Outro grande avanço foi o au- mento de 22% no número de crian as e adolescentes na esco- la, das fam lias acompanhadas pelo programa. Com relação ao trabalho infan- til, houve redução de 34,7%, considerando as fam lias acom- panhadas tanto nos munic pios priorit rios como nos de adesão espontânea. De acordo com ngelis, dar i- sibilidade aos dados uma das estrat gias para direcionar as novas ações do programa. “O Es- tado, ao fazer investimento nos munic pios, automaticamente melhora as condi es de ida e de renda dessa população mais

TRABALHO DE PREVENÇÃO

D

I VULG

dessa população mais TRABALHO DE PREVENÇÃO D I VULG AÇÃO III Seminário Estadual da Família Paranaense

AÇÃO

III Seminário Estadual da Família Paranaense aconteceu na quinta-feira

ulner el , destaca.

MONITORAMENTO

O programa tem quatro avalia- es principais de impacto, psi- cossocial, intermedi ria e do . A assessora de monitoramento e avaliação do Família Paranaense, osiane ogueira, e plica que cada a alia ão tem uma periodi-

cidade. a alia ão de impacto essa que ocorreu agora. Para ela, a avaliação está mais ligada aprecia ão do processo que propriamente a dar valor a itens. a alia ão importante para aprender e melhorar os processos. programa am lia aranaense grande e comple- o , di osiane. recisamos ver esses resultados, durante

o decorrer do programa, para

aperfeiçoá-lo. Isso resulta na melhoria da qualidade de vida dessas famílias”. A avaliação in- termedi ria j come ou a ser feita pelo consultor rancesco Di

illarosa. le destaca que a a a-

lia ão ferramenta fundamental

para analisar se investimentos es- tão produzindo resultados. rancesco ir entre istar os comi-

t s regionais, municipais, locais

e t cnicos que trabalham com

as fam lias e fa er grupos focais diretamente com os benefici - rios. m programa como o a- mília Paranaense tem um arranjo muito sofisticado e comple o de gestão. or isso, importante entender bem o funcionamento desse arranjo. Esse vai ser um dos focos do meu

Curitiba é a primeira cidade do Brasil a eliminar a transmissão vertical do HIV

Linha de cuidado faz o acompanhamento da gestante, impedindo que o vírus seja passado durante a gestação, parto ou aleitamento

seja passado durante a gestação, parto ou aleitamento AGÊN reportagem CIAS @ fol h aext ra.co

AGÊN

reportagem

CIAS

@

fol h aext

ra.co

m

uritiba a primeira cidade bra- sileira a eliminar a transmissão do de mãe para filho. t - tulo foi oficiali ado nesta se ta- -feira (1). Dia Mundial de Luta Contra o HIV/Aids, quando o ministro da a de, icardo ar- ros, entrega o ertificado de li- mina ão da Transmissão ertical ao prefeito afael reca e secret ria municipal da a de, rcia u ula , em solenidade no alão de tos do arque ari-

gui, às 15h30. Com o trabalho de prevenção reali ado com as gestantes na capital paranaense, nos ltimos dez anos, mais de 400 bebês de mães HIV positivo deixaram de ser contaminados. transmissão do de mãe para filho, nos ca-

sos em que não há intervenção alguma, chega a dos casos. Entre 2007 e 2016, Curitiba re- gistrou casos de gestantes HIV positivo.

O resultado deste trabalho em

uritiba um conjunto de a es

de longo prazo integradas de

dois programas da ecretaria unicipal da a de o ede ãe Curitibana Vale a Vida, lançado em 1999, e o programa de HIV/ ids, com um omit de re en- ção à mortalidade infantil e fetal e um Comitê de Transmissão Ver- tical e filis. linha de cuidado fa o acom- panhamento da gestante, impe- dindo que o vírus seja passado durante a gestação, parto ou aleitamento.

DIA MUNDIAL

a olenidade, tamb m foram apresentados, pelo inist rio da Saúde, novos dados sobre a Aids no rasil e ser feito o lan amen- to da campanha para a pre en-

ão do e outras infec es se- xualmente transmissíveis (IST), seguido de coleti a de imprensa.

ão do e outras infec es se - xualmente transmissíveis (IST), seguido de coleti a de

D

I VULG

ão do e outras infec es se - xualmente transmissíveis (IST), seguido de coleti a de

AÇÃO

SÁBADO

E

DOMINGO,

02

E

03

SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEM B R O DE 2017 - ED.1858 EDITAIS

DE

DEZEM B R O

DE

2017

-

ED.1858

EDITAIS

A7

CRÍTICA - CINEMA NACIONAL

D

I VULG

AÇÃO

EDITAIS A 7 CRÍTICA - CINEMA NACIONAL D I VULG AÇÃO Quando o Galo Cantar Pela

Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe

Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe DAS AGÊN CIAS edi tori al

DAS AGÊN CIAS edi tori al @ fol h aext ra.n et

Inácio é um homem esquizofrê- nico que trabalha como porteiro de um prédio na zona sul do Rio de Janeiro. Ele divide um apartamento pequeno no mes- mo condomínio com o pai do- ente, que também trabalha no

edifício, como zelador; e a mãe, Zaira, problemática, impacien- te, cruel. O trio vive uma vida precária. Claustrofóbica — pelo espaço, por doenças, pelas es- colhas. E pelo cotidiano: tudo se repete todo dia. As mesmas brigas, a mesma janta. A vida só muda quando o patriarca morre

e passa a faltar carne na sopa. E

a perda do apartamento se torna

iminente. Aaron Salles Torres realiza uma ótima estreia em longas-metra- gens. Sua primeira boa decisão no filme uando o alo antar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe é fugir de um clichê do ci- nema nacional autoral, indepen- dente, que tende a filiar tais situ-

ações dramáticas à crítica social

— o que não é exatamente um

problema. Porém, ao associar a premissa descrita acima ao ci- nema de gênero, ao suspense,

o jovem diretor e roteirista pro-

põe algo diferente. A realização

cinematogr fica em si o outro ponto positivo. concep ão narrati a de uan- do o alo antar ela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe é tão peculiar quanto o seu título. Na primeira cena, a câmera surge rente ao chão, sobre um saco de lixo. Em seguida, um plano de- talhe de Zaira chupando manga antecipa as ações repulsivas da personagem (aspecto que surge

questionável no âmbito da con-

cepção da mãe até redimi-la, já

no fim . foco na tela multidi- vidida das câmeras de vigilância,

e o espelho que subdivide a tela,

e o desfoque pontual, subli- nham a confusão da mente de Inácio. Também na escolha de ngulos radicais e na fotografia anti-natural de tom esverdeado (transmutando para o vermelho

e outras cores sempre com ade-

qua ão , toda a composi ão isu-

al do longa-metragem discursa a

estranheza de sua trama. Essa mise-en-scène austera é

ainda potencializada por uma dramaturgia poderosa. Tanto por mérito de Salles Torres, que — muito curiosamente — se ba-

seou em diálogos estritos, e ten- sos, de seus vizinhos reais para construir o roteiro; como pelas boas atuações de Fernando Alves Pinto e Catarina Abdalla.

A atriz reproduz falas comuns de

um tipo e uma classe social com espirituosidade, sendo sutilmen- te engraçada, ao mesmo tempo em que constrói uma mulher ferida que é odiosa nos dois sen- tidos: manifesta seu ódio e evoca

ódio no espectador. O ator já se aproveita de sua dicção distinta

como nunca, e tem o mérito de

caracterizar bem a condição de Inácio e torná-lo alguém com quem o público se importe, em- bora tão aversivo quanto a mãe. or esse moti o, o filme tem um grande momento, concretizando

sua atmosfera latente em ten- são pulsante na sequência em

que o protagonista espia Antô- nio ucas al acini , o i inho por quem obcecado. uando o alo antar ela Terceira e Renegarás Tua Mãe é uma frase de Clarice Lispector, presente no conto “Feliz Aniversário”, sobre

a convenção social que ata la-

ços familiares puídos de afeto. Sua inspiração é a Bíblia; mais especificamente, a história em que Pedro trai Jesus. Aaron Sal-

les Torres trata esses temas sem moderação, o que torna a trama pre is el. as isso não confi-

gura um grande problema, haja vista os métodos do cineasta, a forma do filme, sua capacidade de envolver o espectador rumo ao desfecho esperado. Outro elemento que atenua a surpre-

sa pela resolução do enredo é o

modo como a psicose de Inácio e sua relação doentia com a mãe ecoa — veja só — o clássico Psi- cose, de Alfred Hitchcock. O que não é falha alguma, e, sim, uma bela referência.

A Estrela de Belém, sob o olhar dos animais

referência. A Estrela de Belém, sob o olhar dos animais DAS AGÊN CIAS edi tori al

DAS AGÊN CIAS edi tori al @ fol h aext ra.n et

Dos grandes estúdios de Hollywood, a Sony é quem mais tem in estido no crescente filão dos filmes cristãos. pós bons resultados comerciais com os questionáveis O Céu é de Ver- dade e Milagres do Paraíso, chegou a vez de mirar o alvo nas animações. Assim surge A Estrela de Belém, que replica a clássica história do nascimento de Jesus Cristo com um viés um tanto quanto inusitado: a partir da perspectiva dos animais que os cercam. Diante deste cenário, Maria e José não apenas são co- adjuvantes - assim como todos os demais humanos retratados - como ganharam contornos com- portamentais mais atuais, de forma a provocar uma fácil iden-

tifica ão aos menores. os , por exemplo, possui um certo mal humor que serve à narrativa, sem deturpar sua imagem con- sagrada. sta, no fim das contas,

é uma preocupação constante:

por mais que seja uma variação,

é preciso manter os valores mo-

rais e simbólicos em torno do retratado. Desta forma, a amiza- de e o perdão são exaltados, a partir da dinâmica em torno do jo em asno o e seu fiel amigo pássaro, Davi. Entretanto, por mais que haja tal preocupação, é importante ressaltar que A Estrela de Belém

foge bastante do tom solene e did tico t pico de filmes re- ligiosos - até mesmo os feitos em animação, como O Príncipe do Egito. Por mais que haja ób- vias citações, elas surgem mais no sentido de contextualizar o feito do que propriamente para converter espectadores incautos - o que é um ponto bastante positivo. Com isso, o diretor Timothy Reckart está mais interessado em construir uma dinâmica calcada em tra- palhadas e confusões, mais pró- xima ao público-alvo, estrelada por personagens carismáticos e um tanto quanto simplórios. O

modo com tal proposta é apre- sentada, no fim das contas, o maior problema do filme. or mais que haja um contexto clara-

mente infantilizado, o roteiro de

A Estrela de Belém falha (bastan-

te na constru ão da din mica envolvendo humanos e animais, especialmente em sequências onde os humanos são deixados de lado para que conversas entre os animais possam acontecer. Há também excessos no didatismo, com personagens repetindo algo mostrado visualmente segundos antes - o típico roteiro mastigado para não deixar qualquer dúvi- da, tão comum em Hollywood,

que por vezes subestima a inte-

ligência do espectador. Fora um punhado de situações esque- máticas, pontuadas por músicas cristãs, que ampliam um certo

cansaço impregnado por uma história tão conhecida. Bem intencionado, A Estrela de Belém tem como mérito maior

a busca por uma certa originali-

dade em um cenário tão conhe- cido. São os cacoetes típicos de filmes infantis, mal empregados, que acabam prejudicando seu ritmo, por mais que surjam aqui

e ali algumas boas sacadas - a

menção à data, logo no início do filme, a melhor delas.

D

I VULG

AÇÃO

no início do filme, a melhor delas. D I VULG AÇÃO PINHALÃO PREFEITURA DE PINHALÃO ESTADO

PINHALÃO

PREFEITURA DE PINHALÃO ESTADO DO PARANÁ

H O M O L O G A Ç Ã O

= = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

O Prefeito Municipal de Pin- halão, Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista a desistência da empresa M. A. C. BENETTI TRANSPORTES E LOCACOES – EIRELI de prestar o serviço de escavadeira:

R E S O L V E:

Homologar o resultado da Licitação na modalidade de Edital de Pregão Presencial nº. 36/2017 de 31/05/2017 a FAVOR do segundo colocado:

CARVALHO TERRAPLANAGEM EIRELI - ME, CNPJ Nº 13.424.679/0001-98, pelo valor total de R$ 72.500,00 (Setenta e dois mil e quinhentos reais).

Gabinete do Prefeito Municipal de Pinhalão

Em 30

de novembro de 2017.

SERGIO INÁCIO RODRIGUES

Prefeito Municipal

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHALÃO

ESTADO DO PARANÁ ERRATA H O M O L O G A Ç Ã O = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

O Prefeito Municipal, no uso de suas atribuições le-

gais e tendo em vista o Parecer Jurídico sobre a Inexigibilidade de Licitação n°. 16/2017 de 19/10/2017. RESOLVE:

Adjudicar o resultado da Inexigibilidade n°. 16/2017, de 19/10/2017, em favor dos seguintes proponentes:

ADILSON BATISTA DA SILVA, CPF: 023.240.069-52, da cidade de PINHALÃO/PR, vencendo nos itens 02, 03, 05, 07, 08, 13, 17, 18, 19, 24, 25 e 27 perfazendo o valor total de R$ 1.627,59 ( Mil e seiscentos e vinte sete reais e cinquenta e nove centavos). JOSÉ CLAUDINEI DA SILVEIRA, CPF: 004.567.319-54, da cidade de PINHALÃO/PR, vencendo nos itens 02, 06, 13, 14, 15, 16, 26e 28 perfazendo o valor total de R$ 2.453,65

(Dois mil quatrocentos e cinquenta e três reais e sessenta e cinco centavos). COOPERATIVA DOS PRODUTORES DE FRUTAS, OLERICOLAS E FLORES DO NORTE PIONEIRO, CNPJ: 05.860.40./0001-24, da cidade de PINHALÃO/PR, vencendo nos itens 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27 e 28 perfa- zendo o valor total de R$ 8.864,83 (Oito mil e oitocentos e sessenta e quatro reais e oitenta e três centavos ). MARIA LETICIA DE OLIVEIRA BIANCHINI, CPF:

082.634.529-88, da cidade de PINHALÃO/PR, vencendo nos itens 01, 02, 04, 05, 06, 08, 09, 10, 11, 13, 14, 15, 16, 18 e 27 perfazendo o valor total de R$ 1.406,02 (Mil quatrocentos e seis reais e dois centavos ) LUPIANA DA CUNHA ALMEIDA, CPF: 090.543.159-62, da cidade de PINHALÃO/PR, vencendo nos itens 06, 14, 15, 16, 24, 27 e 29 perfazendo o valor total de R$ 2.637,60 (Dois mil e seiscentos e trinta e sete reais e sessenta centavos ).

Pinhalão, 21 de novembro de 2017.

SERGIO INACIO RODRIGUES

Prefeito Municipal

JUNDIAÍ DO SUL

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ DO SUL

PORTARIA Nº 189/2017 O Prefeito do Município de Jundiaí do Sul, Estado do Paraná, usando das atribuições que lhe são conferidas por Lei, considerando o § Único do Artigo 101, Seção V, da Lei Municipal nº 90/97, de 20/03/1997 (ESMJS), RESOLVE Conceder Licença Especial Remunerada de 03 meses a servidora municipal, Fernanda Aline de Andrade, ocupante do cargo de Aux- iliar Administrativo, do dia 01 de dezembro de 2017 a 01 de março

de 2018, referente ao período trabalhado de 01 de março de 2004 a 01 de março de 2009. Revogam-se as disposições em contrário, e com posterior publica- ção. PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE Gabinete do Prefeito do Município de Jundiaí do Sul – PR, 01 de dezembro de 2017. Eclair Rauen Prefeito Municipal

Gabinete do Prefeito do Município de Jundiaí do Sul – PR, 01 de dezembro de 2017.

A8

CIDADES

A 8 CIDADES SÁBADO E DOMINGO, 02 E 03 DE DEZEM B R O DE 2017

SÁBADO

E

DOMINGO,

02

E

03

DE

DEZEM B R O

DE

2017

-

ED.1858

Deputado Romanelli destina recursos para São José da Boa Vista

Aquisição de carros, tubos para contenção de enchentes e doação de trecho rodoviário estão entre as conquistas

e doação de trecho rodoviário estão entre as conquistas DAS AGÊN CIAS reportagem @ fol h

DAS AGÊN CIAS reportagem @ fol h aext ra.co m

O deputado estadual Luiz Clau- dio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia Legisla- tiva, recebeu, no início desta se- mana, o prefeito Sergio Kronéis (PSDB), de São José da Boa Vista, em seu gabinete para a assina- tura de importantes convênios

para o município. Aquisição de carros, tubos para contenção de enchentes e doação de trecho rodoviário estão entre as con- quistas. De acordo com Romanelli, 900 metros de um trecho da PR-151 foram doados pelo Estado ao município. “São José da Boa Vista é uma cidade que está em constante crescimento territo-

rial. Portanto, a doação é neces- sária para urbanizar os trechos que estão sendo apropriados. Essa parte não será mais uma PR, mas sim uma avenida”, explicou. O repasse para aquisição de tu- bos de contenção também foi assinado. “É essencial, para uma cidade que está crescendo, am- pliar serviços voltados à capta- ção e controle de águas pluviais,

para prevenção dos efeitos nega- tivos do excesso de chuvas tais como alagamentos e enchentes”, disse Romanelli.

TRANSPORTE

Um total de R$ 330 mil será des- tinado para a compra de uma ambulância para a saúde e um micro-ônibus para a comunida- de escolar. prefeito ergio afir- mou sentir-se realizado, após um ano difícil. “Vemos que ser pre- feito do Romanelli, abre portas. Tê-lo como deputado, para nós, é um orgulho muito grande, pois tem servido São José da Boa Vis- ta com muita humildade. E para

D

I VULG

AÇÃO

da Boa Vis- ta com muita humildade. E para D I VULG AÇÃO nós é uma

nós é uma imensa satisfação”, disse. Kronéis também disse que os transportes são dever da gestão pública. “Acima de tudo, estamos dando dignidade com estes no-

vos transportes. Nada melhor que um ônibus novo e uma ambulância nova para melhor atender nossa população. Traz mais segurança a todos nós”, concluiu.

O AJUSTE FISCAL CUIDA DAS FINANÇAS DO ESTADO E DA SAÚDE DOS PARANAENSES. 7.500 ATENDIMENTOS
O AJUSTE FISCAL
CUIDA DAS FINANÇAS
DO ESTADO E DA SAÚDE
DOS PARANAENSES.
7.500
ATENDIMENTOS
12
pelo serviço
aeromédico
NOVOS CENTROS
DE ESPECIALIDADES
com consultas, atendimentos
especializados e cirurgias
263
HOSPITAIS
públicos e filantrópicos
apoiados pelo Estado
716
NOVAS AMBULÂNCIAS
e mais 487 veículos
para a rede de saúde
O Governo do Paraná cortou gastos, ajustou as contas e reduziu a dívida do Estado de 90% para
29% da receita líquida. Assim, foi possível ampliar os investimentos para um sistema de saúde mais
moderno e humanizado. Com responsabilidade e eficiência, não há crise que não possa ser superada.
Governo do Paraná. Sempre a favor dos paranaenses.