Você está na página 1de 4

Do P.L. nº 46/13 – Autógrafo nº 36/13 – Proc. nº 1011/13-CMV

LEI Nº 4.868, DE 12 DE JUNHO DE 2013

Dispõe sobre normas de segurança e de manutenção dos equipamentos de diversão instalados por “buffets” infantis, parques de diversões e similares, no âmbito do Município de Valinhos/SP e dá outras providências.

CLAYTON ROBERTO MACHADO, Prefeito do Município de Valinhos, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 80, inciso III, da Lei Orgânica do Município,

FAZ SABER que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona e promulga a seguinte Lei:

Art. 1°. Os estabelecimentos que exerçam as atividades de “buffet” infantil, parques de diversões ou similares e que possuam equipamentos de diversão definidos por Norma Técnica da Associação Brasileira de Normas Técnica – ABNT, ficarão sujeitos à apresentação de laudo técnico dos equipamentos existentes e de responsável técnico por sua manutenção, por ocasião do pedido de Auto de Licença de Funcionamento, de Alvará de Funcionamento ou do Alvará de Autorização, bem como a apresentação do Auto de Vistoria emitido pelo Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Parágrafo único. Aplicam-se as disposições desta Lei aos equipamentos de diversão, permanentes ou transitórios, instalados em áreas internas ou externas à edificação.

Do P.L. nº 46/13 – Autógrafo nº 36/13 – Proc. nº 1011/13-CMV – Lei n°4.868/13 –

fl.02

Art. 2º. O Laudo Técnico dos equipamentos de diversão, relativo às condições de operacionalidade e de qualidade técnica de montagem e instalação, deverá ser emitido por profissional habilitado, registrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA/SP, acompanhado de uma via da Anotação de Responsabilidade Técnica – ART. Parágrafo único. O Laudo Técnico e a respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica – ART deverão ser renovados semestralmente, nos termos previstos na Decisão Normativa nº 52, de 25 de agosto de 1994, exarada pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia – CONFEA.

Art. 3º. O Laudo Técnico dos equipamentos de diversão poderá ser elaborado separadamente para cada equipamento ou conjuntamente para todos.

Art. 4º. Os estabelecimentos deverão manter no local o Laudo Técnico dos equipamentos juntamente com cópia da Anotação de Responsabilidade Técnica. Parágrafo único. Fica instituído o Livro de Ocorrências, sendo que o seu preenchimento deverá obedecer ao disposto na Decisão Normativa nº 52, de 25 de agosto de 1994, disciplinada pelo Ato Normativo nº 02, de 14 de dezembro de 2001, do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA/SP.

Art. 5º. Os estabelecimentos mencionados no art. 1°

manterão

informativas com letras bem visíveis para o público, exibindo dados referentes:

afixados

na

entrada

de

cada

brinquedo

ou

atração

placas

I. a sua manutenção e vistoria técnica;

II. aos eventuais erros inerentes a sua utilização;

Do P.L. nº 46/13 – Autógrafo nº 36/13 – Proc. nº 1011/13-CMV – Lei n°4.868/13 –

fl.03

§ 1º. Para efeito do disposto no inciso I, entendem-

se como dados referentes à manutenção e vistoria técnica de um brinquedo ou atração:

I. a data da última manutenção;

II. a previsão de data da próxima manutenção.

§ 2º. Para efeito do disposto no inciso II, entendem- se como informações relativas aos eventuais riscos inerentes à utilização de um brinquedo ou atração aquelas que indiquem riscos para as pessoas portadoras de doenças, como se observa no seguinte caso: “Esse brinquedo não deve ser utilizado por pessoas hipertensas ou cardíacas”.

Art. 6º. Os operadores dos equipamentos e dos brinquedos deverão obrigatoriamente ter curso de segurança básico, sem prejuízo das demais funções.

Art. 7º. O descumprimento de qualquer obrigação imposta pela presente Lei, acarretará aos estabelecimentos infratores, multa no valor de 50 (cinqüenta) Unidades Fiscais do Município de Valinhos – UFMV, que será dobrada na reincidência.

Art. 8º. Os estabelecimentos mencionados no artigo primeiro devem observar ainda a Norma 15.926:2011 da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

Art. 9º. Fica estabelecido o prazo de 90 (noventa dias), contados da publicação desta Lei, a fim de que os estabelecimentos referidos no artigo primeiro adaptem-se aos parâmetros legais.

Do P.L. nº 46/13 – Autógrafo nº 36/13 – Proc. nº 1011/13-CMV – Lei n°4.868/13 –

fl.04

Art. 10. Esta Lei entrará em vigor na data de sua

publicação.

Prefeitura do Município de Valinhos,

aos 12 de junho de 2013.

CLAYTON ROBERTO MACHADO Prefeito Municipal

CLAUDIO ROBERTO NAVA Secretário de Assuntos Jurídicos e Institucionais

PAULO ALCIDIO BANDINA Secretário de Planejamento e Meio Ambiente

Conferida, numerada e datada neste Departamento, na forma regulamentar. Projeto de Lei de iniciativa do Vereador José Henrique Conti.

Marcus Bovo de Albuquerque Cabral Diretor do Departamento Técnico-Legislativo Secretaria de Assuntos Jurídicos e Institucionais