Você está na página 1de 10

PLANO DE EMERGÊNCIA 2010

APRESENTAÇÃO;

O proposto plano visa esclarecer e orientar sobre os procedimentos que deverão ser
tomado em caso de emergência pela organização abaixo. Tendo como base normas
e legislação vigente para á aplicação dos procedimentos em caso emergência de
Principio Incêndio, Sinistro Ameaças externas.

IDENTIFICAÇÃO

RazãoSocial: Sansuy S/A Indústria de Plásticos


CNPJ: 14807945000124
Inscrição Estadual: 02.082.206 NO

Logradouro: Rua dos Plásticos - 761


Complemento: Área Industrial Leste
Bairro: Copec
Município: Camaçari
Estado: BA
CEP: 42810-240
Telefone: 71 3493-9900 / 3493-9927
Fax: 71 3634-6244 / 3493-9929
Email: carlosbahia@sansuy.com.br

Atividade Econômica:

Fabricação de artefatos plásticos em geral, tecidos especiais e seus artefatos


CNAE: C22218
Descrição CNAE: Fabricação de laminados planos e tubulares de material plástico
Grau de risco 3
INTRODUÇÂO

O nosso trabalho tem como objetivo, o planejamento e prevenção em emergências


em acidente em instalações ou atividades perigosas. Devem contemplar medidas,
tanto para prevenir a ocorrência de acidentes maiores, o que requer a atuação sobre
as freqüências de ocorrências de falhas que possam acarretar acidente, bem como
venham a ocorrer, minimizar assim os impactos causados as pessoas e ao meio
ambiente.

O plano de Emergência e parte integrante de um programa de Gerenciamento de


Risco (PGR), de modo que danos causados por acidentes possam ser reduzido ao
Maximo. Um pré-requisito para a elaboração de um plano de emergência adequado,
para fazer frente aos possíveis danos causados por acidentes numa instalação
industrial, é um detalhado estudo de análise de risco, de modo que as tipologias
acidentas, os recursos e as ações necessárias para diminuir os impactos possam
ser adequadamente dimensionados.

Assim, o estudo de análise de risco deve ser considerado como um pressuposto


básico para a elaboração de um plano de emergência. A limitação dos danos
causados por um acidente maior è proporcional ao nível de planejamento; logo, um
plano de emergência adequadamente elaborado e implantado, certamente tem
maior chance de evitar que um acidente se transforme num desastre.

OBJETI VO

O principal objetivo do Plano é a criação de uma rota de fuga, e a realização de uma


evacuação frente a um eventual acontecimento de um acidente como: Vazamentos
químicos, explosões, incêndios, liberação de vapores, falhas na energia,
emergências médicas, atos de violências, distúrbios civis (tumultos) ou uma
catástrofe natural como quedas raios, terremotos, tufões, maremotos, ciclones,
enchentes e outros, na Indústria de Plásticos Sansuy S/A.
LEGISLAÇÃO

Estes regulamentos de direitos e deveres qu estão contidas na Legislação em vigor


– Lei nº 99 de agosto de 94 (código do trabalho) no artigo 273, nº 2, alínea I, e
Decreto – Lei nº 441/91 de 14 de novembro, artigo 8º, alínea I.

A Legislação vigente assegura que os empregadores adotem medidas e administre


instruções, e permitam que os trabalhadores, em casos de perigos eminentes que
não possa ser evitado, cessarem as suas atividades, ou afastar-se imediatamente
do local de trabalho, sem que possam retornar as suas atividades enquanto persistir
o perigo.

CENÁRIO

http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.quattor.com.br/quattorweb/

Pólo Petroquímico de Camaçari é o maior pólo industrial do estado da Bahia. Fica


localizado no município de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. Abriga
diversas indústrias químicas e petroquímicas, além de duas fábricas de marcas
internacionais importantes: a Ford, fabricante americana de automóveis e a
Continental AG, empresa alemã que produz pneus.
O Pólo iniciou suas operações em 1978. É o primeiro complexo petroquímico
planejado do País e está localizado no município de Camaçari, a 50 quilômetros de
Salvador.

Maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul, o Pólo tem mais de 90


empresas químicas, petroquímicas e de outros ramos de atividade como indústria
automotiva, de celulose, metalurgia do cobre, têxtil, bebidas e serviços.

Com a atração de novos empreendimentos para a Bahia, o Pólo Industrial de


Camaçari experimenta novo ciclo de expansão.

Em sua vizinhança estão algumas das Cidades mais importante do estado da


Bahia;
Candeias com Sua população recenseada pelo IBGE em 2009 era de 78.655
habitantes. Possui uma área de 265,555 km², Com o sexto maior PIB do estado da
Bahia, suas maiores atividades econômicas giram em torno de um consolidado
parque industrial, um dos mais importantes portos do Brasil, o Porto de Aratu, além
de fazer parte do Centro Industrial de Aratu, e estar próxima a segunda maior
refinaria do país, a Refinaria Landulfo Alves - Mataripe (RLAM).

Candeias (fotografias adquiridas do satélite).

Dias D'Ávila é um município brasileiro do estado da Bahia. Atualmente, sua


população estimada é de mais de 55 mil habitantes. Lugar onde se fica as melhores
fontes de água da Bahia.

O município tem, além da extensão da Zona Urbana, vários distritos na Zona


Rural, dentre os quais podemos destacar: Emboacica, Biribeira, Barragem de Santa
Helena, Jardim Futurama e Leandrinho.
Dias D’Ávila – BA (fotografia adquirida do satélite).

Camaçari Com área territorial de 762,745 km², dista cerca de 41 km da capital


Salvador, sendo parte da RMS (Região Metropolitana de Salvador) limitando-se ao
norte com Mata de São João, ao sul com Lauro de Freitas, ao sudoeste com Simões
Filho, a oeste com Dias d'Ávila e leste com o Oceano Atlântico.

Sua população em 2008 foi 234.558 habitantes, Camaçari é um dos mais ricos
municípios nordestinos. O município abriga o Polo Petroquímico de Camaçari, um
Pólo Automobilístico, construído a partir da implantação da Ford em 2000 se
constituindo um importantíssimo empreendimento industrial, cujo os impactos
ambientais ainda precisam serem avaliados.

Centro de Camaçari-BA (fotografia adquirida do satélite).


PROCEDIMENTO A SER ADOTADOS

Uma das condições essenciais para garantir a eficácia de um Plano de Emergência


é a sua Correta e perfeita atualização.
Qualquer alteração realizada no ambiente industrial como; mudança de estrutura da
fabrica, implantação ou fechamento de acesso externo da industria, vias de acesso,
numero de funcionário, aquisição de novos equipamentos e maquinas ,sinalizações
internas e externas,vias de evacuação, entre outras, todas sem exceção deve que
ser comunicado previamente aos responsáveis pelo Plano de Emergência
(Diretoria, SESMT, Chefe de Brigada e componentes da CIPA) quaisquer alterações
ao nível das condições físicas da edificação ou da organização dos meios humano.
Na ocorrência de alterações o Chefe da Brigada deverá proceder à atualização do
Plano de Emergência, fazendo as mudanças necessárias.
Todas as alterações efetuadas ao Plano de Emergência deverão ser comunicadas
aos detentores de exemplares do mesmo, repassadas para a população interna das
mudanças ocorridas.

BRIGADA DE EMERGENCIA

Requerem que as empresas contenham com uma organização interna e que


permita prever e caso necessário atender qualquer contingência derivada de
emergência, sinistro ou desastre.
A integração das Brigadas de Emergência permitirá contar com pessoas
responsáveis e capacitadas, que tomarão medidas e ações para prevenir sinistros e
em alguns casos mitigar os efeitos de uma calamidade.
A brigada pode apresentar-se como;
Brigada de Evacuação
Brigada de Primeiro Socorros
Brigada de Prevenção e Combate de Incêndio
Brigada de Comunicação
De acordo com as necessidades do centro de trabalho, as Brigadas podem ser
multifuncionais, os brigadistas poderão atuar em duas ou mais especialidades.
As instruções a seguir dirigem-se especialmente aos brigadistas do estabelecimento,
considerando-se, que todos os procedimentos aplicados corretamente colaborarão
para o conhecimento e esclarecimento de dúvidas conforme sua aplicação. Em
termos gerais são as seguintes:
· Soar o alarme ao perceber o sinistro;
· Socorrer as pessoas que se encontrem em perigo imediato;
· Dar o alarme à Direção do estabelecimento e aos outros servidores;
· Dar ou confirmar o alerta ao corpo de bombeiros;
· Iniciar o combate ao foco de incêndio com os meios de intervenção existentes;
· Evacuar o local, encaminhando os seus ocupantes para o exterior ( ponto de
encontro);
· Verificar a desocupação efetiva dos locais, fechando atrás de si todas as portas;
· Auxiliar os bombeiros nas operações de combate e rescaldo, procedendo à
eventual desobstrução dos acessos e pontos de penetração e indicando a
localização e extensão exata do sinistro.
E de extrema importância a elaboração de um cronograma de simulação de
evacuação de emergência, especificando seus pontos de encontro.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Distância da guarnição do Corpo de Bombeiros mais próximo fica aproximadamente


de 22,5 km, levaria cerca de 5 minutos.
Meios de ajuda externa: brigada de combate de outras empresas como; TIGRE,
FORD.
Construção Área: Área total – 176.000m² com frente para três ruas, uma de frente
para a fábrica da Ford-Camaçari.
Área ocupada – 50.000m², sendo 13.400m² de áreas pavimentadas com drenagem
pluvial, esgoto sanitário e industrial interligados à Central de Tratamento de
Efluentes do Pólo (Cetrel), 8.600m² com prédios, área verde entre os prédios com
gramados e árvores frutíferas e ornamentais - 28.000m².
Área disponível para novos projetos – 126.000m², toda plana com vegetação
natural, sendo que 50% já com drenagem pluvial, toda cercada com muro de
alvenaria de 2,5m de altura, na entrada da unidade há um estacionamento com
40vagas
População: 401 funcionários
Fixa: 401
 Flutuante: 70
Característica de funcionamento: a empresa trabalha e 3 turno, distribuídos a
quantidades de trabalhadores por setores.
Manhã; 200 funcionário dividido em 7 setores
Tarde; 150 funcionários 7setores
Noite; 51 funcionário 3 setores

Pessoas portadoras de deficiências: 17


Riscos específicos inerentes à atividade foram analisados os seguintes, físico,
químico, ergonômico e de acidentes.
 Brigado de incêndio: 24 Pessoas
Recursos materiais: (Verificar a situação de cada local)
Por exemplo:
 Extintores de incêndio portáteis ( AP – Água Pressurizadas. CO2 - Gás
Carbônico. PQS – Pó
Químico Seco) validade no prazo e verificação do manômetro.
 Sistema de hidrantes;rede presorizada de acordo a estabelecida
 Reservatório de água para Combate a Incêndio com capacidade de Litros 20mt³
 Alarme de incêndio com sensores de calor distribuídas em vários pontos na
industria
 Iluminação de emergência;

PROCEDIMENTOS BÁSICOS DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO


– Alerta: Ao ser detectado um princípio de incêndio, o alarme de incêndio manual
será
acionado através da botoeira, bastando retirar a chave de segurança, localizada na
- Análise da situação: O chefe da brigada se posicionará no ponto de encontro da
brigada e analisará rapidamente o sinistro. Após identificação do local sinistrado o
alarme
deverá ser desligado, e o chefe da brigada comandará as ações de combate de
incêndio.
– Apoio externo: Um brigadista e/ou ajudante (a) deve acionar o Corpo de
Bombeiros 190
dando as seguintes informações:
Nome e número do telefone utilizado;
 Endereço do Órgão ou Entidade;
Pontos de referência;
C
 aracterística do incêndio;
Quantidade e estado das eventuais vítimas;
D
 everá um brigadista orientar o Corpo de Bombeiros em sua chegada (recalque).
Primeiros socorros: Os primeiros socorros serão prestados às eventuais vítimas
conforme treinamento específico dado aos brigadistas.
Eliminar riscos: Se houver necessidade deve ser providenciado o corte da energia
elétrica, que será executado pelo pessoal da manutenção, que deve estar à
disposição do
Chefe da Brigada.
Abandono de área :
Caso seja necessário abandonar a edificação, deve ser acionado novamente o
alarme
de incêndio para que se inicie o abandono da área.
 Os brigadistas se reunirão no ponto de encontro do pessoal .Neste momento o
Chefe
da Brigada já avaliou a situação e determinará o abandono geral ou não.
 Antes do abandono definitivo do Órgão ou Entidade os brigadistas devem verificar
se
não ficaram ocupantes retardatários e providenciar o fechamento de portas e janelas
se possível.
 Cada pessoa portadora de deficiência, deve ser acompanhada por dois
brigadistas ou
voluntários, previamente designados pelo Chefe da Brigada.
Isolamento da área: A área sinistrada deve ser isolada fisicamente, de modo a
garantir
os trabalhos de emergência e evitar que pessoas não autorizadas adentrem ao local.
Confinamento do incêndio: O incêndio deve ser confinado de modo a evitar sua
propagação e conseqüências.
Combate ao incêndio: O combate será feito pelos Brigadistas do Órgão ou Entidade
que
são treinados para este tipo de emergência. A Brigada deverá auxiliar o Corpo de
Bombeiros quando estes chegarem no local.
Investigação : Após o controle total da emergência e a volta à normalidade, o Chefe
da Brigada deve iniciar o processo de investigação e elaborar um relatório, por
escrito,sobre o sinistro e as ações de controle, para as devidas providências

TELEFONE UTEIS
BOMBEIRO 190
SAMU 192
POLICIA 190

ROTA DE FUGA

Interesses relacionados