Você está na página 1de 2

1

CONTEÚDO

PROFº: ANISIO
04 ROMANTISMO – Aspectos Gerais
A Certeza de Vencer GE070308 – AC(mtn)/ CN(t)/ PE(mt)/ AB(n)/ SF(mtn)

EIXO TEMÁTICO 2 O INDIVIDUALISMO, O NACIONALISMO E O SENTIMENTO DE LIBERDADE


CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS HABILIDADES
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

2.1 Romantismo 1) Apontar, na novela Amor de Perdição, 1. Investigar aspectos políticos da história luso-brasileira, no
- Leitura da novela Amor de traços de prosa romântica, tais como: enredo, século XIX.
Perdição linguagem, personagens, foco narrativo, 2. Elencar as características gerais do Romantismo.
- Leitura de poemas de Gonçalves temática, tempo e espaço. 3. Explicar a relevância da novela Amor de Perdição para a
Dias 2) Apontar, nos poemas dos escritores prosa do Romantismo.
- Leitura de poemas de Álvares de Luso-brasileiros, elementos 4. Explicar a relevância do romance Cinco Minutos para a
Azevedo constitutivos do estilo romântico, tais como: prosa do Romantismo brasileiro.
- Leitura de poemas de Castro Alves semântico, sintático, lexical e sonoro. 5. Relacionar as produções literárias do período romântico
- Leitura de Cinco Minutos 3) Apontar, no romance Cinco Minutos, traços com fatos históricos.
- Leitura de O Juiz de paz da roça de prosa romântica, tais como: enredo, 6. Identificar a presença do estilo romântico, nos textos dos
linguagem, personagens, foco narrativo, poetas luso-brasileiros.
temática, tempo e espaço. 7. Explicar a relevância de Martins Pena para o teatro
4) Apontar, na peça O Juiz de Paz da Roça, romântico brasileiro.
traços específicos do teatro romântico
brasileiro.

ROMANTISMO: A ARTE DA BURGUESIA


Caro estudante, penso agora como ajudá-lo a cumprir a segunda habilidade pedida pelo programa de Literatura
da UFPA pertinente ao PSS 2, se antes de elencar características é preciso que você compreenda o estilo Romântico.
Sim, compreende-lo porque defini-lo é habilidade de poucos. Segundo BOSI1"(...) seria necessário ter perdido todo
espírito de rigor para querer definir o Romantismo".
O primeiro passo para se compreender o Romantismo é dado a partir do momento em que o aluno investiga os
aspectos políticos da história luso-brasileira no século XIX.
Você já deve saber que a Literatura é uma parte do processo cultural de um povo e portanto é fruto do contexto
histórico no qual este povo se enquadra. Nada podemos aprender de Literatura se não soubermos pelo menos o básico
de História. Agora se pergunte: "O que aconteceu historicamente no final do século XVIII e no início do século XIX para
que os homens produzissem nas Artes o Romantismo?"
Na segunda metade do século XVIII, o ocidente presencia uma expressiva transformação na sua vida cultural
com O surgimento da burguesia moderna e, com ela, do INDIVIDUALISMO e da valorização da ORIGINALIDADE.
Rompendo com os anseios aristocráticos de contenção sentimental, essa classe tem no Romantismo a legítima
expressão do sentimento burguês da vida e um meio de lutar contra a mentalidade normativa e classicista
conservadoras.
Três Revoluções se destacam nesse contexto: A Revolução Industrial, a Revolução Francesa e a Independência
dos EUS. São estes alguns dos processos históricos que influenciaram o Romantismo. Vamos começar pela Revolução
Industrial, o processo de industrialização modificou as antigas relações econômicas, estabelecendo na Europa uma nova
política e social com ascensão da burguesia. Aliás a burguesia capitalista industrial é agora classe dominante seu
pensamento sobre a cultura da época. É assim que NICOLA2 diz do Romantismo: "foi uma escola da burguesia e para a
burguesia, de onde vem seu caráter profundamente ideológico em favor da classe dominante”.
SODRÉ3 Cita: "Burguesia e Romantismo, pois, são como sinônimos, o segundo é a expressão literária da plena
dominação da primeira. (...). O advento do Romantismo, pois, só tem uma explicação clara e profunda, a explicação
objetiva quando subordinada ao quadro histórico em que se processou".
Isso quer dizer que historicamente o Romantismo vigorou num tempo em que a Burguesia era a classe
dominante e por isso refletirá o pensamento burguês. Agora vem o segundo passo: o que pensava a Burguesia?
Resumidamente podemos dizer que a Burguesia pensava que já tinha o poder econômico e deveria, portanto ter
também o poder político para adentrar de vez na sociedade do período. Para isso tal classe deveria modificar a
mentalidade das pessoas e isso aconteceria por meio da retificação da cultura da época.
A Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos tiveram papel fundamental na consolidação
do Romantismo como estilo de época, porque explicitaram os ideais liberais. A classe burguesa, agente desses fatos
históricos, é a partir de então, fortemente influente e passa a manifestar um padrão artístico próprio, através do qual
opõe a emoção ao sentimento racional, a liberdade do gênio criador à obediência às regras clássicas, o
Individualismo à opressão de uma sociedade injusta e desigual. Esse desejo de expressar nas artes concepções
presentes no plano dos sentidos, da imaginação e da fantasia, e ainda a exacerbação das paixões, os quais dominaram
a Europa ao longo do século XIX, recebe a denominação genérica de Romantismo.
VESTIBULAR – 2009

1
BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo: Cultrix, 2003. p. 91
2
NICOLA, José de. Língua, Literatura e Redação. Vol 2. 4a ed. São Paulo/SP: Scipione, 1993. pg. 10
3
SODRÉ, Nelson Werneck. Apud NICOLA p. 11

FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!


Fale conosco www.portalimpacto.com.br

Observe o trecho da Declaração de Independência dos Estados Unidos4:


"Temos como evidentes, por si próprias, as verdades seguintes: todos os homens foram criados iguais; são
dotados pelo Criador, de certos direitos inalienáveis; entre estes direitos figuram a vida, a liberdade e a busca da
felicidade. Os homens estabelecem os governos para garantir estes direitos e o seu justo poder emana do
consentimento dos governados. Sempre que uma forma de governo começa destruindo este objetivo, o povo tem o
direito de modificá-la ou de aboli-la e de estabelecer novo governo".
A partir da citação podemos então dar o terceiro passo na compreensão do Romantismo quanto estilo de
época, reconhecendo que a figura do Criador é retomada, isto é, o Romantismo porta-se sob uma visão Teocêntrica de
mundo e, portanto revalorizadora da Idade Média (medievalismo). Destarte, tal estilo busca sua inspiração fora da
Antiguidade Clássica (Greco-Latina). CÂNDIDO5 diz que "é possível ir mais longe e reconhecer no Barroco literário o
princípio da ruptura dos clássicos (...). O Romantismo retoma e amplia essa atitude".
Quais então as características mais gerais e dominantes do Romantismo? CÂNDIDO diz: "a ruptura do
equilíbrio da vida interior, com e da fantasia, as quais alimentam o contraste entre as aspirações e a realidade. (...). O
romantismo exprime a insatisfação do mundo contemporâneo: inquietude, tristeza, aspiração vaga ou imprecisa, anseio
de algo melhor do que a realidade, inconformismo social, ideais políticos e de liberdade, entusiasmo nacionalista. Dá
grande ênfase à vida sentimental, tornando-se intimista e egocêntrico, enquanto o coração é a medida mais exata da
sua existência. (...). Também alimenta o sentimento religioso".
No Brasil, o estilo Romântico apresentar-se-á sob três gerações:
Em resumo:

ROMANTISMO
Período: 1836 a 1881 - Século XIX (2a metade)
Momento Histórico: Revolução Francesa e Independência dos EUA
No Brasil: Independência
CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ROMANTISMO
1. Reação ao clássico: busca de uma identidade própria alheia às regras e convenções clássicas.
2. Liberdade criadora: o artista deve deixar a inspiração fluir para criar textos originais. A originalidade é fundamental
para a criação romântica.
3. Nacionalismo: o romantismo serviu, em certos países, para expressar a valorização de aspectos particulares de
cada nação. Valorizou, sobremaneira, a "cor local": tudo que é caracterizador de uma nação: fauna, flora etc.
4. Remotismo espacial e temporal
4.1- Evasão/Escapismo:
4.2 - Êscapismo: .
5. Medievalismo: identificação com o ideal de vida medieval, em especial com o molde de 'cavaleiro medieval', o herói
perfeito.
6. Sentimentalismo
7. Natureza Personificada / Animismo:
8. Religiosidade / Panteísmo:
9. Ilogismo:
10. Maniqueísmo:
11. Subjetivismo:
Interpenetração dos gêneros literários

1ª GERAÇÃO 2a GERAÇÃO 3a GERAÇÃO


GERAÇÃO INDIANISTA GERAÇÃO BYRONIANA GÓTICA MAL DO CONDOREIRA LIBERTADORA
NACIONALISTA SÉCULO SPLEEN ADOLESCENTE
MORCEGO SATÂNICA
ULTRAROMANTISMO

4
MOUSNIER & LABROUSSE. História geral das civilizações. São Paulo, Difusão Européia do Livro, 1969. V, 5.
VESTIBULAR – 2009

5
CÂNDIDO, Antônio; CASTELLO, José Aderaldo.Presença da Literatura Brasileira: das origens ao Realismo -
História e antologia. 11a ed.
São Paulo: Bertrand Brasil, 2003 p. 157.

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!