Você está na página 1de 2

3

CONTEÚDO

PROFº: JOANA VIEIRA


04 Níveis de Linguagem: Regência Verbal 2
A Certeza de Vencer KL 310308

Os verbos "esquecer" e "lembrar" Na apresentação dos aspectos normativos da língua, como


Uma letra da dupla Roberto e Erasmo Carlos, "Emoções", em qualquer apreciação de fatos lingüísticos, há que se observar o
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

traz uma estrutura que não seria admissível na linguagem escrita que é preferível, o que é tolerável, o que é admissível, o que é
padrão:... São tantas já vividas são momentos que eu não me aceitável, o que é grosseiro, o que é inadmissível, deixando de lado
esqueci... Ocorre que a sintaxe do verbo "esquecer" funciona da a dicotomia elementar, o primitivismo lingüístico que observa a
seguinte maneira: Se eu me esqueci, eu me esqueci de língua sob o prisma estreito de "certo" x "errado".
Quem se esquece esquece-se de algo
1 - Agradar (desagradar)
Quem esquece esquece algo
Sentido: Causar agrado; ser agradável.
Logo, conforme a regência culta desse verbo, o correto De acordo com o ensino tradicional:
seria dizer "são momentos de que não me esqueci". Pode-se, Verbo: Transitivo indireto
também, eliminar a preposição "de" e o pronome "me". Nesse caso, Preposição: a
a frase ficaria assim: "são momentos que eu não esqueci". Exemplo: O professor agradou aos alunos.
Em um jornal de grande circulação o texto de uma campanha De acordo com a realidade lingüística atual:
afirmava: "A gente nunca esquece do aniversário de um amigo". Verbo: Emprega-se também como transitivo direto.
A norma culta mandaria escrever: Exemplo: O filho agradou a mãe.
A gente nunca esquece o aniversário de um amigo. Observação:
A gente nunca se esquece do aniversário de um amigo. - Este uso já era encontrado entre os clássicos.
Vale o mesmo esquema para o verbo "lembrar": - Esta regência explica-se por analogia com "contentar", transitivo
Quem lembra lembra algo direto.
Quem se lembra lembra-se de algo
2 – Aspirar
Se você usar o pronome, isto é, se usar o verbo Sentido: Desejar; anelar.
pronominalmente, então não poderá deixar de lado a preposição: De acordo com o ensino tradicional:
Eu não lembro o seu nome. Verbo: Transitivo indireto
Não conseguia lembrar sua fisionomia. Preposição: a
Exemplo: Aspirar ao cargo.
Se você não usar o pronome, então também não usará a Observação: Esta é a sintaxe originária.
preposição: De acordo com a realidade lingüística atual:
Eu não me lembro do seu nome. Verbo: Emprega-se também como transitivo direto.
Não conseguia me lembrar de sua fisionomia. Exemplo: Aspiro o cargo.
Observação:
Evidentemente essa regência nem sempre é observada na - É uma inovação regencial sob a pressão semântica de "desejar",
linguagem mais informal, familiar. Vejamos o que ocorre na canção "querer", "pretender" - todos verbos transitivos diretos.
"Lembra de Mim", cantada por Ivan Lins. A letra é de Vítor Martins: - Em nível culto formal, Luft recomenda a sintaxe originária.
Lembra de mim
dos beijos que escrevi 3 – Assistir
nos muros a giz Sentido: Ajudar; auxiliar.
Os mais bonitos continuam por lá De acordo com o ensino tradicional
documentando que alguém foi feliz Verbo: Transitivo indireto
Lembra de mim Preposição: a
nós dois nas ruas Exemplo: O médico assiste ao doente.
provocando os casais... Observação: Esta é a regência primitiva.
De acordo com a realidade lingüística atual:
De acordo com a gramática normativa, o título da canção e Verbo: Emprega-se também como transitivo direto.
a letra estariam errados. Deveria ser "Lembra-se de mim..." No dia- Exemplo: O médico assiste o doente.
a-dia as pessoas não falam com esse rigor, com essa consciência do Observação: É uma evolução regencial sob a pressão de "ajudar",
sistema de regência. Dessa forma, podemos dizer "lembra de mim", "auxiliar" - verbos transitivos diretos.
sem problema, dependendo do registro usado. A língua falada
permite essas licenças, e a poesia musical também, já que não deixa 4 – Assistir
de ser um tipo de língua oral. Mas, na hora de escrever, é Sentido: Presenciar.
conveniente obedecermos àquilo que está nos livros de regência. No De acordo com o ensino tradicional:
texto formal, "lembra-se de mim" é a forma exigível, correta. Verbo: Transitivo indireto
Preposição: a
Casos de Regência Exemplo: Assisti ao filme.
São apresentados a seguir casos de regência em que se Observação: Esta é a regência primária, original.
verifica divergência entre o que preceitua o ensino tradicional e a De acordo com a realidade lingüística atual:
realidade lingüística atual. Verbo: Emprega-se também como transitivo direto.
A abordagem que se faz desses casos diverge Exemplo: Assisti o filme.
consideravelmente da realizada pela maioria dos manuais de cultura
VESTIBULAR – 2009

Observações:
idiomática, que privilegiam apenas as regências primárias, - É uma evolução regencial sob a pressão de semântica de "ver" -
originárias, não registrando, por isso, as fortes tendências evolutivas verbo transitivo direto.
nesta área. Dá-se atenção, nesta apresentação, às inovações - A forma passiva "o filme foi assistido" comprova a transitivação do
sintáticas observadas na realidade lingüística atual, tendo como base verbo.
as pesquisas de Luiz Carlos Lessa e Raimundo Barbadinho Neto, - De acordo com luft, o mais que se pode é aconselhar a sintaxe
amplamente aproveitadas por Celso Pedro Luft em seu "Dicionário original, tradicional.
Prático de Regência Verbal".

FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!


Fale conosco www.portalimpacto.com.br

5 - Chegar Exemplo: Entrega a domicílio.


Sentido: Atingir o término do movimento de ida ou vinda.
01. Freqüentemente, encontramos, em jornais e revistas de
De acordo com o ensino tradicional:
circulação nacional, textos que contêm erros de regência. Leia o
Verbo: Transitivo indireto
texto e faça o que se pede.
Preposição: a
A pauta
Exemplo: Chegou cedo à escola.
“Lúcia Flecha de Lima recebeu telefonema do Palácio de
De acordo com a realidade lingüística atual:
Buckingham semana passada.
Verbo: Transitivo indireto
Os assessores da rainha Elisabeth queriam saber os assuntos que
Preposição: em
Dona Ruth Cardoso gostava de falar — e os que preferia evitar.”
Exemplo: Chegou cedo na escola.
HUCK, Luciano. Circulando. Jornal da Tarde, 2 dez. 1997.
Observações: a) Transcreva o trecho que apresenta incorreção na regência verbal.
- A preposição "em" é exclusiva diante da palavra "casa". Exemplo:
Chegou em casa.
- No Brasil, usa-se muito a construção com a preposição "em". É,
portanto, um brasileirismo. Exemplo: Quando ele chegou na porta
da cozinha.
- "Já se tolera o "chegou em" na linguagem escrita". (Sílvio Elia).
- Luiz Carlos Lessa e R. Barbadinho Neto confirmam amplamente b) Redija-o corretamente, justificando sua resposta.
essa regência entre os modernistas.
- Mesmo assim, Luft entende que, em texto escrito culto formal,
melhor se ajusta o "Chegar a".
6 - Ir
Sentido: Deslocar-se de um lugar para outro.
De acordo com o ensino tradicional: 02. Leia o texto a seguir.
Verbo: Transitivo indireto “Num texto sobre as andanças do ex-diretor do teatro Guaíra,
Oswaldo Loureiro, um jornal publicou o seguinte:
Preposição: para, a
‘Enquanto Loureiro chega ao Rio, sua mulher Madalena vai para
Exemplos:
a Itália. Cláudia, a filha do casal e mulher do jogador de futebol
- Para: Quando há intenção de permanecer, de fixar residência. "Ir Alemão, que mora em Bérgamo, está prestes a dar a luz ao
para Porto Alegre". quarto neto de Loureiro e seu terceiro filho.’
- A: Quando há intenção de não se demorar, de não fixar [...] O verbo dar, muito usado ultimamente [...], às vezes é
residência. "Ir a Porto Alegre". maltratado. [...] No sentido de parir, dar é bitransitivo [...]. Em
De acordo com a realidade lingüística atual: geral, o objeto direto, que é a criança ou animal nascente, fica
Verbo: Transitivo indireto oculto.”
Preposição: em MACHADO, Josué. Manual da falta de estilo.
Exemplo: Ir no colégio.
A partir da explicação de Josué Machado sobre a
Observações: bitransitividade do verbo dar, é possível perceber que há um erro no
- A regência"ir em" é típica da fala brasileira, podendo até ser texto publicado pelo jornal. Explique esse erro e reescreva a frase de
sobrevivência da língua arcaica. forma adequada.
- "Os portugueses dizem ir à cidade. Os brasileiros, na cidade. Eu
sou brasileiro". (Mário de Andrade).
- Na fala brasileira, prevalece o emprego de "para", sobre o "a".
Apesar disso, Luft recomenda o "ir a" / "ir para" na linguagem culta
formal, sobretudo escrita.
03. O trecho a seguir apresenta uma inadequação quanto à
7 - Preferir
regência verbal. “João Manuel descobriu todas as verdades
Sentido: Dar primazia a.
escondidas sobre as quais seus pais estavam encobrindo.”
De acordo com o ensino tradicional:
Explique em que consiste a inadequação, corrigindo a frase.
Verbo: Transitivo direto e indireto
Preposição: a
Exemplo: Prefiro o azul ao vermelho.
Observação: Esta é a sintaxe primária.
De acordo com a realidade lingüística atual:
Verbo: Também ocorrem as construções "preferir antes ou mais
((do) que)". 04. (ITA-SP)
Exemplos: “O programa Mulheres está mudando. Novo cenário,
- Prefiro mais a música do que a pintura. novos apresentadores, muito charme, mais informação,
- Prefiro antes a música que a pintura. moda, comportamento e prestação de serviços. Assista
Observações: amanhã a revista eletrônica feminina que é a referência do
- Há abonações literárias dessa regência. gênero na TV”.
- Segunto Nascentes, "não há erro nenhum nas expressões "preferir O verbo “assistir”, empregado em linguagem coloquial, está em
antes ou preferir do que"". desacordo com a norma gramatical.
- De acordo com Luft, "Mesmo assim, em lingua culta formal, cabe a a) Reescreva o último período de acordo com a norma.
sintaxe primária".
8 - Entregar a domicílio/Em domicílio
De acordo com o ensino tradicional (regra purista):
VESTIBULAR – 2009

• A Domicílio: Com verbos que indicam movimento.


b) Justifique a correção.
- Exemplo: Ir a domicílio. Enviar encomendas a domicílio.
• Em Domicílio: Com verbos que não indicam movimento.
- Exemplo: Dar aulas em domicílio. Fazer as unhas em domicílio.
De acordo com a realidade lingüística atual:
- Usa-se "a domicílio" em ambos os casos.

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!