Você está na página 1de 2

1

CONTEÚDO

PROFº: JOANA
01 Linguagem Verbal e Não - Verbal
A Certeza de Vencer KL 120308

levante questionamentos sobre o que é de fato real e o que é


fantasia e, indo mais além, sobre a própria ordenação do real.
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

O crítico de arte Giulio Argan comenta: “Magritte pinta um


cachimbo e escreve embaixo: ‘isso não é um cachimbo’. De fato,
não é um cachimbo; e a própria palavra cachimbo, que designa
o cachimbo, não é um cachimbo. Eis o contraste entre coisas e
signos na vida cotidiana”. (ARGAN, Giulio Carlo. Arte Moderna - do
iluminismo aos movimentos contemporâneos. São Paulo:
Escrever e falar bem, atualmente tem sido uma das Companhia das Letras, 1996).
maiores preocupações do brasileiro. Segundo a edição 1.725 de De fato, o desenho ou a foto de
Veja, essa preocupação tem se dado, em grande medida, pela um cachimbo - ou a palavra
necessidade da fluência no português padrão nas interações cachimbo - não é o objeto cachimbo
sociais, sobretudo nos estudos, na profissão e nos negócios. (uma pessoa não pode fumar o
Escrever é colocar idéias no papel de forma organizada. desenho, a foto ou a palavra). O
Ora, as idéias não surgem do nada; elas são frutos dos objeto é a coisa; o desenho, a foto, a
processos de comunicação dos quais participamos e das palavra são representações.
informações a que temos acesso vivenciando experiências, René Magritte. A traição das imagens (isso não é um
cachimbo). Óleo sobre tela. 62,2 x 81 cm. Los Angeles County
conversando (“trocando idéias”, como se diz popularmente) e
Museum of Art, Los Angeles, usa, 1928-29.
lendo, lendo, lendo.
Mas uma leitura sem compreensão não é leitura. Ler sem
O SIGNO LINGUÍSTICO
compreender é parar na etapa da decodificação do sinal gráfico.
Ao pensarmos na linguagem verbal, tendo a língua como
Para que uma leitura seja eficiente, é preciso que haja interação
código, os signos lingüísticos são os responsáveis pela
entre leitor e texto lido; um atuando sobre o outro, porque ler é
representação das idéias. Esses signos são as próprias
atribuir significado; é construir um significado para o texto
palavras, que, por meio da produção oral ou escrita, associamos
lido. Ao fazermos isso, estamos nos construindo, ampliando
com determinadas idéias. Dai afirmar que os signos lingüísticos
nossa leitura de mundo.
apresentam dois componentes: uma parte material, concreta (o
som ou as letras), que denominamos significante; outra
LER, ESCREVER, PENSAR.
abstrata, conceitual (a idéia), que denominamos significado.
Saber escrever pressupõe, antes de mais nada, saber ler e
“(...) signos são entidades em que sons ou seqüências de
pensar. O pensamento é expresso por palavras, que são
sons — ou as suas correspondências gráficas — estão ligados
registradas na escrita, que por sua vez é interpretada pela
com significados ou conteúdos. (...) Os signos são assim
leitura. Como essas atividades estão intimamente relacionadas,
instrumentos de comunicação e representação, na medida em
podemos concluir que quem pensa (ou pensa mal) não escreve
que, com eles, configuramos lingüisticamente a realidade e
(ou escreve mal) e quem não lê (ou lê mal) não escreve (ou
distinguimos os objetos entre si”.
escreve mal). VILELA, M. & KOCH, l. V Gramática da língua portuguesa. Coimbra:
Ler, portanto, é fundamental para escrever. Mas, como já Almedina. 2001.
dissemos, não basta ler; é preciso entender o que se lê. É
necessário compreender o sentido da organização das frases
num determinado texto para que se cumpra uma das finalidades
da leitura: a compreensão das idéias, que se dará a partir do
entendimento dos recursos utilizados pelo autor na elaboração
do texto. É bom lembrar que não podemos separar a
compreensão da idéia da compreensão dos recursos, porque
estes (os recursos) são os suportes daquela (a idéia): somente
compreendemos uma idéia porque ela foi expressa de uma
determinada maneira e não de outra.

LINGUAGEM VERBAL E LINGUAGEM NÃO-VERBAL


“(...) texto, em sentido lato, designa toda e qualquer
manifestação da capacidade textual do ser humano (quer se
trate de um poema, quer de uma música, uma pintura, um filme,
uma escultura, etc.), isto é, qualquer tipo de comunicação
realizada através de um sistema de signos”.
FÂVERO, L. E & KOCH, I. V Lingüística textual: introdução. 5. ed. SIGNO LINGUÍSTICO
São Pauto: Cortez, 2000.
SIGNIFICANTE + SIGNIFICADO
Quando pensamos em linguagem como sistema
organizado de sinais, associamos essa palavra à noção de Significante: seqüência sonora: /papagaio/
linguagem verbal, ou seja, de língua. Mas linguagem; como já (ou representação gráfica: papagaio).
vimos, tem um conceito mais amplo: é todo sistema que permite Significado (conceito): ave da espécie dos
VESTIBULAR – 2009

a expressão ou a representação de idéias, e se concretiza em psitaciformes ou psitacídeos, geralmente de


um texto. penas verdes, que imita bem a voz humana.
Na Linguagem visual, o signo é a imagem. Assim como
Por exemplo, a palavra “papagaio” nos traz a
acontece com a linguagem verbal, há inúmeros modos de
idéia de “ave da espécie dos psitaciformes ou
organização dos signos visuais, decorrentes da relação que o
psitacídeos, geralmente de penas verdes, que
homem estabelece entre a realidade e sua representação. Os
imita bem a voz humana”. Entretanto, tal
artistas se valem intencionalmente desse recurso procurando
ligação entre representação (significante) e
fazer com que o apreciador reaja diante dessa representação e
FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

idéia (significado) é totalmente arbitrária, ou seja, não há nada O esqueleto está montado, porém já sabemos que o ato
que indique que deve haver uma relação entre elas. Mas é uma comunicativo é um ato social e, como tal, concretiza as diversas
convenção, senão não saberíamos a que a palavra papagaio manifestações cotidianas e culturais por meio da interação, ou
faz referência; isso quer dizer que a significação tem de ser seja, sempre estamos nos relacionando com o(s) outro(s) por
obrigatoriamente comum à comunidade que faz uso de um meio da linguagem. De que maneira se dá essa interação pela
mesmo código ou língua, para que a mensagem produzida linguagem?
possa ser entendida. De um lado, temos um falante que, ao emitir sua
Um outro detalhe importante: a palavra papagaio não é o mensagem e posicionar-se por meio dela, escolherá um
papagaio (a palavra papagaio não tem condições de imitar a assunto, um código e suas possíveis combinações, o meio pelo
sua voz, por exemplo), mas quando a dizemos (ou lemos), qual ela chegará ao outro. Isso tudo para que sua mensagem
imediatamente nos vem à idéia da ave conhecida como tenha efeito sobre o outro, aja sobre ele; afinal, por trás de cada
papagaio. O objeto mencionado pode não estar diante de nós, mensagem sempre há uma intenção.
mas o simples fato de evocá-lo, dizendo à palavra que o De outro, temos o destinatário, ou melhor, o interlocutor,
nomeia, é suficiente para que sua imagem nos venha à mente. aquele que, no final, construirá sentido para ela. Para tanto, ele
O signo lingüístico, isoladamente, não tem outra finalidade terá de não só decifrar o código, mas atribuir significados a partir
a não ser representar alguma coisa e, por isso, dizemos que a de sua competência de leitura e da relação com seus
palavra isolada é neutra. No entanto, por diversas associações, conhecimentos prévios, sua ideologia, cultura, contextualização,
um mesmo signo lingüístico pode assumir diferentes etc.
significados. É o arranjo dessa palavra, sua articulação e
combinação num enunciado textual (falado ou escrito) que A LINGUAGEM TEM DIFERENTES FUNÇÕES
concretiza e exterioriza uma idéia e faz com que ela assuma Ao realizar um ato de comunicação verbal, o produtor da
este ou aquele sentido. mensagem escolhe, seleciona as palavras, para depois
organizá-las, combiná-las, conforme a sua vontade. E todo esse
LINGUAGEM, LÍNGUA E FALA. trabalho de seleção e combinação não é aleatório, não é
Como você já viu, o homem utiliza inúmeros tipos de realizado por acaso (afinal, seleção significa “escolha
linguagem para expressar suas impressões – para representar fundamentada”), mas está diretamente ligado à intenção do
coisas, seres, idéias –, dentre elas a linguagem verbal. A língua emissor.
é um sistema de representação constituído por palavras e por Ao elaborarmos uma mensagem, dependendo da nossa
regras que as combinam, permitindo que expressemos uma intenção, do sentido que quisermos dar a ela, podemos enfatizar
idéia, uma emoção, uma ordem, um apelo, enfim, um enunciado um desses fatores, definindo seu caráter. Daí resulta as
de sentido completo que estabelece comunicação. É importante funções da linguagem. Tomando por base o esquema acima, o
salientar que essas palavras e essas regras são comuns a todos lingüista russo Roman Jakobson montou um esquema das
os membros de uma determinada sociedade. Isso significa que funções da linguagem, que corresponde ao dos elementos
a língua pertence a toda uma comunidade, como é o caso da necessários à comunicação.
língua que você fala - a língua portuguesa. Em uma mesma mensagem verbal podemos reconhecer
Quando um membro da comunidade, isto é, um falante faz quase sempre mais de uma função, embora uma delas
uso da língua, ele realiza um ato de fala. A fala é um ato prevaleça. Como afirma Jakobson:
individual e depende de várias circunstâncias: do que vai ser
falado e de que forma, da intencionalidade, do contexto, de Embora distingamos seis aspectos básicos da linguagem,
quem fala e para quem se está falando. No entanto, o falante dificilmente lograríamos encontrar mensagens verbais que
vale-se de um código já convencionado e instituído antes de ele preenchessem uma única função. A diversidade reside não no
nascer, ou seja, a criatividade de seu uso individual está limitada monopólio de alguma dessas diversas funções, mas numa
à estrutura da língua e às possibilidades que ela oferece. diferente ordem hierárquica de funções. A estrutura verbal de
uma mensagem depende basicamente da função predominante
JAKOBSON, Roman. Lingüística e comunicação. São Paulo: Cultrix,
s/d.
referencial
poética
emotiva conativa
fática
metalingüística
OS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO POR MEIO DAS
Para obter uma visão geral e completa dos fatores
LINGUAGENS
fundamentais da comunicação e de suas relações com as
Na construção de um texto, considerado como qualquer
funções da linguagem, podemos fazer uma superposição dos
material organizado que esteja veiculando sentidos (portanto,
dois esquemas:
verbal ou não-verbal), há diversos elementos que vão
determinar sua significação. Basicamente, temos um emissor referencial
que constrói um texto, o texto (mensagem) e um destinatário, a função referencial
quem o texto é destinado. Até aqui parece um ato simples e
mensagem
passivo demais para ser chamado de um ato comunicativo que
envolve veiculação de sentidos e interação. função poética
remetente destinatário
Devemos observar, também, que para construir o texto o função
emissor precisa saber sobre o que vai se manifestar (referente), função emotiva
canal conativa
que sistema de sinais vai utilizar (código) e por que meio vai
fazer chegar à mensagem (canal). Esquematizando, podemos função fática
VESTIBULAR – 2009

montar o seguinte quadro: código


metalingüística
REFERENTE
EMISSOR MENSAGEM DESTINATÁRIO O esquema acima reúne os elementos da comunicação e
CÓDIGO as respectivas funções da linguagem. Estas indicam o elemento
CANAL da comunicação que predomina em cada mensagem.

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!