Você está na página 1de 2

2

CONTEÚDO

PROFº: ÉRICA
08 Figuras de Linguagem – Identificação 2
A Certeza de Vencer KL 010408
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

EUFEMISMO HIPÉRBATO

Hipérbato, também conhecido como inversão, é uma


Eufemismo é o emprego de termos mais agradáveis figura de linguagem que consiste na troca da ordem
para suavizar uma expressão. direta dos termos da oração (sujeito, verbo,
Exemplos: complementos, adjuntos) ou de nomes e seus
Você faltou com a verdade. (Em lugar de mentiu) determinantes:
Ele entregou a alma a Deus. (Em lugar de: Ele
morreu) Ontem aconteceram vários acidentes.

ANÁFORA
PROSOPOPÉIA

Consiste em dar característica de seres animados a seres Em retórica, anáfora é a repetição da mesma palavra
inanimados (as pedras andam... por exemplo), ou ainda, de ou grupo de palavras no princípio de frases ou versos
dar características humanas a animais ou objetos: consecutivos. É uma figura de linguagem comuníssima
nos quadrinhos populares, música e literatura em
"O Sol amanheceu triste e escondido." geral, especialmente na poesia:

Neste desenho, é Será que ela vem me ver?


atribuida ao personagem Será que ela me deixa viver?
Garfield uma função
exclusivamente humana: usar Será que posso esquecê-la?
talheres.

SILEPSE
HIPÉRBOLE
Ocorre quando a concordância é feita pelo sentido e
Em retórica, ocorre hipérbole quando há exagero não pela forma gramatical. Podemos ter silepse de número,
numa idéia expressa, de modo a acentuar de forma de gênero e de pessoa.
dramática aquilo que se quer dizer, transmitindo uma Exemplos:
imagem inesquecível: “A gente não sabemos escolher presidente”. (Ultraje a
Já repeti isso mais de mil vezes. rigor).
SILEPSE DE PESSOA

A criançada surgiram correndo não sei de onde


SILEPSE DE NÚMERO

Vossa senhoria está belo hoje.


SILEPSE DE GÊNERO.

ALITERAÇÃO

Consiste na repetição de fonemas consonantais com a


intenção de ênfase ou realce.

"(...) Vozes veladas, veludosas vozes, / Volúpias dos


violões, vozes veladas / Vagam nos velhos vórtices velozes /
Observe que neste Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas.“
VESTIBULAR – 2009

anúncio as botas ficam maiores que as partes de um (fragmento de Violões que choram. Cruz e Souza)
trator, indicando a segurança do calçado.

FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!


Fale conosco www.portalimpacto.com.br

IRONIA

Recurso muito utilizado na linguagem que se encarrega


de fazer críticas consiste em dizer algo com a real intenção
de falar o seu oposto. Observe:
Você está tão magro! Deve estar pesando uns 120 quilos!

APÓSTROFE

Apóstrofe é uma figura de estilo caracterizada pela


invocação de determinadas entidades, consoante o
objetivo do discurso, que pode ser poético, sagrado ou
profano. Caracteriza-se pelo chamamento do receptor,
imaginário ou não, da mensagem. Nas orações
religiosas é muito frequente ("Pai Nosso, que estais no
céu", "Avé Maria" ou mesmo "Ó meu querido Santo
António" são exemplos de apóstrofes).

ANTONOMÁSIA

Antonomásia - Figura de linguagem, mais particularmente


figura de palavra, que consiste na substituição de um nome
por outro ou por uma expressão que facilmente o identifica.
Ocorre antonomásia quando designamos uma pessoa por
qualidade, característica ou fato que com ela se relaciona de
alguma forma. Exemplos: O Mártir do Gólgota, O Rabi da
Galiléia, O Filho de Deus (Jesus, o Cristo); O poeta dos
escravos (Castro Alves), O Patrono do Exército (Duque de
Caxias), O Centauro dos Pampas (General Osório), O Pai da
Aviação (Santos Dumont), A Águia de Haia (Rui Barbosa), O
Herói de Palmares (Zumbi), A Marrom (cantora Alcione), O Rei
da Voz (cantor Francisco Alves), A Cidade-Luz (Paris), Cidade
Maravilhosa (Rio de Janeiro), etc.

A partir da leitura dos textos, analise as seguintes


PERÍFRASE X ANTONOMÁSIA afirmativas.

I. Nos três textos, as palavras “encenações”, “encenam” e


“encenação” pertencem ao mesmo campo semântico, por
A Cidade Maravilhosa recebe muitos turistas durante o apresentarem significado idêntico.
carnaval.
O Rei das Selvas está bravo. II. Na charge, a adjetivação através do termo “pura”
A Dama do Suspense escreveu livros ótimos. reforça o sentido negativo da palavra “encenação”.
O Mestre do Suspense dirigiu grandes clássicos do
cinema. III. Na charge, a fala da personagem aponta para uma
outra leitura de “encenação”, em relação ao texto 1. O
Nos exemplos acima notamos que usamos expressões novo sentido da palavra traz a idéia de uma dada
especiais para falar de alguém ou de algum lugar. manifestação que não corresponde à verdade, tendo o
objetivo de iludir impressionar alguém.
Cidade Maravilhosa: Rio de Janeiro
Rei das Selvas: Leão IV. Os termos “encenações”, no texto 1, e “encenação'”,
A Dama do Suspense: Agatha Christie no texto 3, estão empregados em sentido figurado.
O Mestre do Suspense: Alfred Hitchcock
Estão corretas somente as afirmativas:
Quando usamos esse recurso estamos empregando a a) l e IV.
VESTIBULAR – 2009

perífrase ou antonomásia. b) l e II.


Perífrase, quando se tratar de lugares ou animais. c) III e IV.
Antonomásia, quando forem pessoas. d) I e III.

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!