Você está na página 1de 2

1

CONTEÚDO

PROFº: ILDEMAR
08 ESTRUTURA DO PERÍODO COMPOSTO:
SUBORDINAÇÃO
A Certeza de Vencer EG030408

A ESTRUTURA DO PERÍODO COMPOSTO: SUBORDINAÇÃO


Quando um enunciado é formado por apenas uma oração, temos um período simples, isso você já sabe e também que ele é
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

composto, quando é formado por mais de uma oração, Essas orações podem se relacionar por meio de dois processos sintáticos
diferentes: a coordenação e a subordinação. Na subordinação, um termo atua como determinante [exerce uma função sintática] de um
outro termo.
Leia o texto abaixo:

Há nele três orações marcadas pelos verbos ‘descobrir’, ‘embargar’ e


‘vieram pedir’. O primeiro período apresenta uma única oração, chamada de
absoluta, já o segundo período, é formado por duas orações em que uma depende
da outra. Essa dependência é que chamamos de subordinação.

Agora observe a manchete:


César Cielo leva ouro e bate recorde nos EUA.
Esse período é formado por duas
orações, mas uma não depende da outra,
elas são independentes, podem ser
separadas sem causar nenhum prejuízo ao
significado de cada oração. César Cielo
leva o ouro. César Cielo bate recorde nos
EUA.
Períodos compostos por
subordinação são períodos que, sendo
constituídos de duas ou mais orações, possuem uma oração principal e pelo menos
uma oração subordinada a ela. A oração subordinada está sintaticamente vinculada
à oração principal, podendo funcionar como termo essencial, integrante ou acessório da oração principal.

Observe o texto abaixo:

Surge um método revolucionário para acabar com o choro e prolongar o sono dos bebês. Segundo o doutor Harvey
Karp, a criança precisa ser embrulhada e colocada de lado. Depois, os pais devem fazer barulho. A técnica conquistou a
confiança de Madonna, do ex-007 Pierce Brosnan e até do governo americano, que a adotou em creches públicas.

Quanto às formas, elas podem ser desenvolvidas (apresentam verbos numa das formas finitas [tempos do indicativo,
subjuntivo, imperativo], apresentam normalmente conjunção e/ou pronome relativo) e reduzidas (apresentam verbos numa das
formas nominais [infinitivo, gerúndio, particípio] e não apresentam conjunções nem pronomes relativos, podem apresentar
preposição):

Eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto.______________________________________________________________________


Eu sinto existir em meu gesto o teu gesto _________________________________________________________________________
Quando assares o pato, sirva o jantar. ____________________________________________________________________________
Assado o pato, sirva o jantar.. ___________________________________________________________________________________
“Eu vi um menino correndo” ____________________________________________________________________________________
Eu vi um menino que corria. ____________________________________________________________________________________

Há três tipos de orações subordinadas:


Substantivas = na maioria das vezes, as orações subordinadas substantivas são introduzidas por conjunção subordinada integrante,
sendo as principais a partícula QUE e a SE. Tais orações são assim denominadas porque exercem função sintática própria de
substantivo.
VESTIBULAR – 2009

FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!


Fale conosco www.portalimpacto.com.br

Adjetivas: são introduzidas por pronomes relativos, sendo o mais comum o relativo QUE quando substituível por O QUAL, A QUAL,
OS QUAIS, AS QUAIS, sem alterar o sentido do período. Tais orações exercem a função de adjuntos adnominais, que é própria de
adjetivo.

Adverbiais: estas exercem a função de adjuntos adverbiais. Excetuando-se as conjunções subordinativas integrantes QUE e SE e os
pronomes relativo, as demais conjunções subordinativas introduzem as orações subordinadas adverbiais no período, as quais se
classificam de acordo com a classificação da própria conjunção subordinativa.

Observe o texto abaixo:


Texto I:

Texto II

VESTIBULAR – 2009

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!