Você está na página 1de 11

Registro da EPA

•Em anexo está uma carta da EPA confirmando o registro das MPG-CAPS;

•O número de registro é 201 220 001;

•Observe que a EPA não endossa, certifica ou aprova nenhum produto. Isto
resultaria que a EPA estaria indicando o produto, o que não é verdade;

•Distribuidores da FFI só poderão afirmar que nós somos “registrados pela EPA”;

•Em anexo está a pesquisa que foi submetida na EPA para que fosse aprovado o
registro da FFI na EPA.

1
2
Tecnologias avançadas de Combustível
Resultado do Teste de Campo #710A (Teste de campo número 710 A)
A nova tecnologia de controle de recuo de válvula em gasolina e diesel combina:

Aprovação ambiental;
Aumento de octano;
Controle de depósitos de carbono com a característica
de parada de um recuo de válvula já existente.

3
Sumário Executivo

A Fuel Freedom International tem o prazer de introduzir uma nova tecnologia para gasolina baseado
no catalisador AFT. Esse laudo fornece uma documentação técnica para este produto que o
apresenta como uma substituição do chumbo na gasolina em motores suscetíveis a recuo da sede
de válvula. A agência de Proteção Ambiental dos EUA tem solicitado a remoção de chumbo da
gasolina desde 1973. Este programa tem reduzido eficientemente a poluição do ambiente, mas está
causando discussão em relação à durabilidade e desempenho para consumidores que têm carros
anteriores a 1973 e veículos off-road tal como tratores e barcos. Os atuais produtos que evitam
desgastes de válvulas fornecem eficácia limitada e podem causar carbonização. O AFT da Fuel
Freedom International mostrou em laboratório e em análises nas estradas que:
•Aumenta o octano;
•Previne recuo de válvula;
•Para com o recuo de válvula se já tiver começado;
•Reduz a carbonização;
•Reduz a poluição do ar.

Todos esses benefícios são alcançados através do uso de apenas 15 ppm de AFT em gasolina, um
nível que mostrou contribuir em um aumento insignificante de emissões de ferro nos veículos
testados. A AFT é a resposta para consumidores que deverão migrar da gasolina com chumbo
devido à escassez desse combustível e devido aos danos ambientais.

Introdução

Como a gasolina com chumbo está sendo retirada do comércio, uma grande discussão sobre a
durabilidade dos motores está sendo levantada pelos fazendeiros, operadores de barco e
colecionadores de automóveis, que são proprietários de automóveis fabricados até 1972. Essa
discussão foi recentemente verificada como fato quando o Departamento de Agricultura dos EUA /
EPA enviou ao Presidente e ao congresso (Outubro de 1988) a seguinte afirmação: “...motores de
média e alta velocidade com sedes de válvula curtas e alguns outros caminhões experimentaram
excessivo desgaste dessa peça quando operados com gasolina sem chumbo. Pesquisas industriais
estimam que a demanda por gasolina com chumbo é de 3.4 bilhões de galões por ano. Como o
mercado da gasolina com chumbo teve uma queda de 9.7 bilhões em 1989 para 5.5 bilhões
estimados em 1990, e de 3.5 bilhões de 1991 para 1994, a maioria das refinarias continuará a retirar
esse suprimento do mercado. Isso força as pessoas da rede de distribuição comercializar aditivos de
gasolina para o uso em motores com esse tipo de válvula.

O Tetraetil de Chumbo (TEL) é um veneno de Classe B e inaceitável por razões de saúde. A Fuel
Freedom International acredita ter desenvolvido uma tecnologia alternativa para os distribuidores de
petróleo e distribuidores de autopeças que querem fornecer um produto que protege os
investimentos em transporte dos consumidores e ao mesmo tempo evita problemas tóxicos e
ambientais com o chumbo. O produto é um catalisador AFT e este documento apresenta sua
eficácia para fornecer uma substituição dos benefícios funcionais e de durabilidade do TEL.
Especificamente, o AFT fornece:

4
Aprovação ambiental e tóxica;
Redução de batidas no motor;
Eliminação do recuo da válvula;
Redução da carbonização.

Considerações Tóxicas e Ambientais

A nona edição da lista Merck de doses letais (testadas em ratos), a LD50, a quantidade para o
tetraetil de chumbo foi de LD50 = 12,3 mg/kg, incomparavelmente maior que a LD50 de 1,89 mg/kg
do AFT. Esta comparação sugere que o AFT tem uma tolerância 150 vezes maior. Além disso, a
referência acima do TEL afirma: “Cuidado: um envenenamento crônico poderá ocorrer se inalado ou
absorvido através da pele” (página 1186).
O uso do AFT em combustível resulta em resíduos inorgânicos, especificamente de óxidos de metal,
em emissões de partículas pelo motor do veículo com um valor insignificante (SAE 900154, página
7). Além disso, o ferro já é a maior concentração metálica nas emissões de poluentes de um veículo
(veja Figura I). Isto ocorre devido ao desgaste metálico e a tubulação de exaustão aumentando essa
concentração nas emissões.
Conseqüentemente, a incorporação do AFT em veículos a gasolina contribui para evitar novos
aumentos de exposição a poluentes metálicos. Finalizando, sabendo-se que a EPA somente fornece
registro de aditivos para gasolina provenientes de grandes tubulações ou reservatórios, o AFT está
aprovado para o registro completo da EPA.

Octano

O catalisador AFT é um aditivo para gasolina que potencializa o octano e que apresenta a mesma
eficiência que o chumbo em pequenas concentrações. Uma concentração de 15 ppm é
recomendada para uso contínuo, tendo assim o benefício para o meio ambiente e um substituto
funcionalmente equivalente ao TEL. O benefício do octano é mostrado na Figura ll. Esta figura ilustra
que o AFT fornecerá, em média, um aumento de octano de 0.5R & M/2 para cada 15 ppm em
gasolina.

Proteção contra recuo de válvula

Um dos primeiros requisitos funcionais para a substituição do chumbo é o de proteger o motor


contra o recuo de válvula. O AFT foi avaliado para verificar essa propriedade em um teste com
dinamômetro, padronizando uma dosagem de 15 ppm. A Figura III apresenta os resultados dessa
avaliação. O motor foi repetidamente chaveado entre combustível sem chumbo e o mesmo
combustível tratado pelas MPG-CAPS – AFT. Os dados apresentam claramente que o AFT, na dose
de 15 ppm, tanto protege contra recuo de válvula como para ou retarda um recuo já existente que
ocorre devido a operação desse combustível. É um atributo único dessa tecnologia. A Figura IV

5
apresenta dois testes de campo em carros chaveados de gasolina com chumbo para gasolina sem
chumbo, confirmando a característica do AFT de reduzir dramaticamente ou parar o recuo. A Figura
V mostra o teste de campo, confirmando o estudo do dinamômetro realizado na Figura III – O AFT
tanto protege contra o recuo de válvula quanto para um recuo que já tenha começado.

Carbonização na Câmara de Combustão

O octano misturado aos co-aditivos de chumbo e bromina foi especificamente desenvolvido para
manter níveis mínimos de carbonização nas câmaras de combustão. A camada de chumbo foi muito
efetiva na eliminação da carbonização na câmara de combustão e válvulas de exaustão. Com a
retirada do chumbo, houve um aumento de carbonização nas câmaras de combustão. Constatou-se
que os dois recentemente desenvolvidos aditivos de proteção contra recuo de válvula estudados
pela USDA/EPA “resultam em carbonização do motor com implicações não explicáveis. A tecnologia
da FFI tem a característica de reduzir esses depósitos de carbono (carbonização). Testes com
dinamômetros idênticos a um motor com gasolina sem chumbo, com ou sem os 15 ppm do AFT
para o equivalente a 50.000 milhas (800 horas no total) = 25.000 milhas com AFT – documentou
redução de 29% na redução de carbonização do pistão com o tratamento do AFT e uma redução no
resultado de exigência da quantidade de octano. Semelhantemente, dois motores de 1.8 litros foram
usados durante 50.000 milhas cada em uma auto-estrada. Depois das 50.000 milhas, o combustível
sem chumbo, sem o AFT, apresentou 2.4 vezes mais combustão que o motor que estava usando o
mesmo combustível com o AFT. Além disso, o motor que usou o AFT apresentou uma redução
significativa da necessidade de um nível alto de octano.

Emissões de Poluentes

Um recente arquivamento na Seção 211f do Ato do Ar Limpo para um aditivo de manganês indicou
que o uso deste aditivo causa um rápido aumento de emissões de hidrocarbonetos (nas primeiras
5.000 milhas de operação). Acha-se que isso ocorre devido ao acúmulo de manganês na câmara de
combustão. A seção anterior apresenta que o AFT reduz esses acúmulos na câmara de combustão.
Um estudo recentemente publicado (SAE 900254) de um termo do uso de AFT como tratamento da
gasolina com 15 ppm, apresenta redução na emissão de hidrocarbonetos, monóxido de carbono e
NOx. Os testes foram efetuados com dois conjuntos de carros equipados com três tipos de
catalisadores.
Sabendo que o recuo de válvula não é um problema dos novos veículos, a redução de poluição com
a adição de AFT de 15 ppm é mais pertinente. Três veículos europeus com mais de 30.000 milhas
foram avaliados para medição de emissões de poluentes com e sem tratamento avançado de
combustível. Os resultados foram muito variados, mas a redução sugerida foi de aproximadamente
15% nos hidrocarbonetos e monóxidos de carbono e não houve efeito no NOx. Esses resultados
sugerem um benefício adicional de que a redução de poluição pode ser alcançada com o uso do
AFT, sendo este um substituto do chumbo na gasolina.

6
Conclusão

O catalisador AFT demonstrou que fornece um substancial aumento de desempenho de três áreas
críticas de motores a gasolina, sendo este produto um substituto da gasolina com chumbo, devido à
redução desse suprimento e a viabilidade deste tipo de gasolina.

Eis os benefícios da substituição do chumbo pelo catalisador AFT em veículos off-road a gasolina:

Área de Atuação Benefícios do AFT


Recuo de Válvula
a) Substituição imediata para chumbo Mantém a sede de válvula íntegra tal
como se usasse chumbo
b) Substituição depois da operação Reduz um recuo já existente dentro de
sem chumbo causa começo de recuo 5.000 milhas
Desempenho do Motor Reduz a carbonização contribuindo
para o aumento de octano e problemas
de desempenho.

Esses benefícios são alcançados através do uso de um novo aditivo da gasolina, o qual passou em
todos os requisitos da EPA para substituir a gasolina com chumbo em veículos antigos, off-roads e
meios de transporte marítimos.
Essa nova tecnologia evita os problemas de carbonização causados pelos produtos usados para
evitar recuo de válvula, além de aumentar diretamente o nível de octano.
Conseqüentemente, o AFT fornece a duplicação das vantagens de desempenho da gasolina com
chumbo, enquanto satisfaz as exigências ambientais havendo um bom argumento para a eliminação
do chumbo da composição da gasolina.

Estudos de Fumaça do Denver Brown


Novembro, 1988

Combustível Controle de Emissões Análise Elemental - %


C S Zn P Pb Fe
Sem Chumbo Loop Fechado 60 1 0.2 0.5 0.2 0.3
Sem Chumbo Oxidação 80 0.4 0.2 0.2 0.1 0.2
Com Chumbo N.A. 70 0.05 0.02 0.2 6 0.4
Com Chumbo N.A. 75 1.5 0.2 0.2 0.1 0.5

Conclusão: O ferro tem uma presença significante nas emissões dos atuais veículos devido ao
combustível, óleo lubrificante e desgaste.

7
Efeitos do AFT-RC como um aditivo da gasolina em emissões e consumo de
combustível de carros equipados com catalisadores

Concentração do AFT (ppm)

8
9
1
1