Você está na página 1de 5

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE VILA FLOR

AVALIAÇÃO EFECTUADA PELO COORDENADOR DE DEPARTAMENTO DE _______________ A _____________


DOCENTE COM FUNÇÕES DCE AVALIADOR
AVALIADOR: ____________________________________________________________________
AVALIADO: _____________________________________________________________________ GRUPO DE RECRUTAMENTO ____

Anexo III do Despacho n.º16872/2008


7 de Abril de 2008

2008/2009

A – Preparação e organização das actividades lectivas N


A.1 Correcção científico-pedagógica e didáctica da planificação das actividades lectiva
Procedeu com grande correcção científico-pedagógica e didáctica na planificação das actividades lectivas, de forma diferenciada e de acordo 10
com as dificuldades dos alunos
Procedeu com correcção científico-pedagógica e didáctica na planificação das actividades lectivas, de forma diferenciada e de acordo com as 8
dificuldades dos alunos
Procedeu com correcção científico-pedagógica e didáctica na planificação das actividades lectivas. 7
Procedeu com correcção científico-pedagógica e didáctica apenas em parte da planificação das actividades lectivas. 6
Não procedeu com correcção científico-pedagógica e didáctica na planificação das actividades lectivas. 3
A.2 Adequação das estratégias de ensino e aprendizagem aos conteúdos programáticos, ao nível etário e às aprendizagens anteriores dos alunos
Diversificou com grande facilidade as estratégias de ensino e aprendizagem, adequando-as aos conteúdos programáticos, ao nível etário e às 10
aprendizagens anteriores dos alunos.
Diversificou as estratégias de ensino e aprendizagem, adequando-as aos conteúdos programáticos, ao nível etário e às aprendizagens 8
anteriores dos alunos.
Adequou as estratégias de ensino e aprendizagem, aos conteúdos programáticos, ao nível etário e às aprendizagens anteriores dos alunos. 7
Adequou apenas algumas estratégias de ensino e aprendizagem, aos conteúdos programáticos, ao nível etário e às aprendizagens anteriores 6
dos alunos
Não adequou as estratégias de ensino e aprendizagem, aos conteúdos programáticos, ao nível etário e às aprendizagens anteriores dos 3
alunos.
A.3 Adaptação da planificação e das estratégias de ensino e aprendizagem ao desenvolvimento das actividades lectivas.
Adaptou muito bem a planificação e as estratégias de ensino e aprendizagem ao desenvolvimento das actividades lectivas de forma criativa e 10
inovadora.
Adaptou a planificação e as estratégias de ensino e aprendizagem ao desenvolvimento das actividades lectivas de forma criativa e inovadora. 8
Adaptou a planificação e as estratégias de ensino e aprendizagem ao desenvolvimento das actividades lectivas. 7
Adaptou apenas alguma planificação e/ou estratégias de ensino e aprendizagem ao desenvolvimento das actividades lectivas. 6
Não adaptou a planificação e as estratégias de ensino e aprendizagem ao desenvolvimento das actividades lectivas 3
A.4 Diversidade, adequação e correcção científico-pedagógica das metodologias e recursos utilizados
Adequou muito bem as metodologias e recursos diversificados, apresentando grande correcção científico-pedagógica e grande abertura à 10
inovação.
Utilizou metodologias e recursos muito diversificados, apresentando grande correcção científico-pedagógica e grande abertura à inovação. 8
Diversificou, adequou e apresentou correcção científico-pedagógica nas metodologias e recursos utilizados. 7
Utilizou metodologias e recursos pouco diversificados, pouco adequados ou que não revelaram correcção científico-pedagógica. 6
Não diversificou, não adequou nem apresentou correcção científico-pedagógica nas metodologias e recursos utilizados. 3
OBS:

2008/2009
B – Realização das actividades lectivas N
B.1 Cumprimento dos objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares leccionadas
Cumpriu integralmente e adequadamente os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares leccionadas. 10
Cumpriu plenamente todos os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares leccionadas. 8
Cumpriu os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares leccionadas 7
Cumpriu os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares leccionadas, mas não atingiu todos os objectivos 6
traçados.
Não cumpriu os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares leccionadas 3
B.2 Capacidade de comunicação e estímulo do interesse dos alunos pela aprendizagem
Revelou muita capacidade de comunicação e estímulo do interesse dos alunos pela aprendizagem com a intervenção activa dos alunos na 10
aula.
Revelou bastante capacidade de comunicação e estímulo do interesse dos alunos pela aprendizagem com a intervenção activa dos alunos na 8
aula.
Revelou capacidade de comunicação e estímulo do interesse dos alunos pela aprendizagem. 7
Revelou alguma capacidade de comunicação, mas não estimulou o interesse dos alunos pela aprendizagem. 6
Não revelou capacidade de comunicação, nem estimulou o interesse dos alunos pela aprendizagem. 3
B.3 Utilização de recursos inovadores incluindo as tecnologias de informação e comunicação
Utilizou frequentemente e com criatividade os vários recursos inovadores, incluindo as tecnologias de informação e comunicação, de modo 10
a promover a melhoria das aprendizagens dos alunos.
Utilizou vários recursos inovadores, incluindo as tecnologias de informação e comunicação, de modo a promover a melhoria das 8
aprendizagens dos alunos.
Utilizou recursos inovadores, incluindo as tecnologias de informação e comunicação. 7
Utilizou alguns recursos, mas não inovadores ou não incluindo as tecnologias de informação e comunicação. 6
Não utilizou recursos inovadores nem as tecnologias de informação e comunicação 3
B.4 Promoção do trabalho autónomo dos alunos e da aquisição de métodos de estudo
Implementou sistematicamente de forma inovadora o trabalho autónomo dos alunos e a aquisição de métodos de estudo, abrindo espaço ao 10
aluno para a construção da sua própria aprendizagem
Promoveu o trabalho autónomo dos alunos e a aquisição de métodos de estudo, abrindo espaço ao aluno para a construção da sua própria 8
aprendizagem.
Promoveu o trabalho autónomo dos alunos e a aquisição de métodos de estudo. 7
Promoveu a aquisição de métodos de estudo, mas não o trabalho autónomo dos alunos. 6
Não promoveu o trabalho autónomo dos alunos, nem a aquisição de métodos de estudo. 3
OBS:
2008/2009
C – Relação pedagógica com os alunos N
C.1 Promoção de um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos
Promoveu sempre um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos, 10
permitindo a inclusão de todos os alunos.
Promoveu um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos, permitindo a 8
inclusão de todos os alunos.
Promoveu um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos. 7
Promoveu com dificuldade um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos. 6
Não promoveu um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos. 3
C.2 Concessão de iguais oportunidades de participação, promoção da integração dos alunos e da adopção de regras de convivência, colaboração
e respeito
Concedeu de forma exigente e eficiente iguais oportunidades de participação, promovendo a integração dos alunos e a adopção de regras de 10
convivência, colaboração e respeito, levando à consciencialização das mesmas pelos alunos.
Concedeu iguais oportunidades de participação, promovendo a integração dos alunos e a adopção de regras de convivência, colaboração e 8
respeito, levando à consciencialização das mesmas pelos alunos.
Concedeu iguais oportunidades de participação, promovendo a integração dos alunos e a adopção de regras de convivência, colaboração e 7
respeito.
Concedeu, com dificuldade, iguais oportunidades de participação, promoção da integração dos alunos e a adopção de regras de convivência, 6
colaboração e respeito.
Não concedeu iguais oportunidades de participação, nem promoveu a integração dos alunos e a adopção de regras de convivência, 3
colaboração e respeito.
C.3 Disponibilidade para o atendimento e apoio aos alunos
Fomentou situações favoráveis para o atendimento e apoio aos alunos dentro e fora da sala de aula. 10
Mostrou disponibilidade, atendendo e apoiando os alunos dentro e fora da sala de aula. 8
Mostrou disponibilidade para o atendimento e apoio aos alunos. 7
Mostrou alguma disponibilidade para o atendimento e apoio aos alunos. 6
Não mostrou disponibilidade para o atendimento e apoio aos alunos. 3
C.4 Equilíbrio no exercício da autoridade e adequação das acções desenvolvidas para a manutenção da disciplina na sala de aula
Exerceu com grande equilíbrio a sua autoridade e adequou com eficácia as acções desenvolvidas para a manutenção da disciplina na sala de 10
aula.
Exerceu com equilíbrio a sua autoridade e adequou com eficácia as acções desenvolvidas para a manutenção da disciplina na sala de aula. 8
Exerceu a sua autoridade e desenvolveu acções adequadas para a manutenção da disciplina na sala de aula. 7
Nem sempre exerceu a sua autoridade ou desenvolveu acções adequadas para a manutenção da disciplina na sala de aula. 6
Não exerceu a sua autoridade, nem desenvolveu acções adequadas para a manutenção da disciplina na sala de aula. 3
OBS:

2008/2009
D– Avaliação das aprendizagens dos alunos N
D.1 Regularidade, adequação e rigor da avaliação diagnóstica, formativa e sumativa das aprendizagens, incluindo a sua apresentação em tempo
útil aos alunos

Procedeu sempre de forma diferenciada, regular, adequada e rigorosa à avaliação diagnostica, formativa e sumativa das aprendizagens, 10
incluindo a sua apresentação em tempo útil aos alunos.
Procedeu de forma diferenciada, regular, adequada e rigorosa à avaliação diagnostica, formativa e sumativa das aprendizagens, incluindo a 8
sua apresentação em tempo útil aos alunos.
Procedeu com regularidade, adequação e rigor à avaliação diagnostica, formativa e sumativa das aprendizagens. 7
Procedeu com alguma irregularidade, falta de adequação e de rigor à avaliação diagnoóstica, formativa e sumativa das aprendizagens 6
Não procedeu à avaliação diagnoóstica, formativa e sumativa das aprendizagens. 3
D.2 Utilização dos resultados da avaliação dos alunos na preparação, organização e realização das actividades lectivas.

Utilizou sistematicamente os resultados da avaliação dos alunos na preparação, organização e realização das actividades lectivas, 10
reajustando o processo ensino/aprendizagem, reformulando e readaptando a planificação anterior.
Utilizou os resultados da avaliação dos alunos na preparação, organização e realização das actividades lectivas, reajustando o processo 8
ensino/aprendizagem, reformulando e readaptando a planificação anterior.
Utilizou os resultados da avaliação dos alunos na preparação, organização e realização das actividades lectivas. 7
Utilizou, com pouca frequência, os resultados da avaliação dos alunos na preparação, organização e realização das actividades lectivas. 6
Não utilizou os resultados da avaliação dos alunos na preparação, organização e realização das actividades lectivas. 3
D.3 Observância na avaliação dos alunos dos critérios indicados pela administração educativa ou aprovados pelos órgãos competentes do
Agrupamento/Escola

Observou e promoveu com grande rigor, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração educativa ou aprovados pelos 10
órgãos competentes do Agrupamento/Escola.
Observou com grande rigor, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração educativa ou aprovados pelos órgãos 8
competentes do Agrupamento/Escola.
Observou, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração educativa ou aprovados pelos órgãos competentes do 7
Agrupamento/Escola
Observou, na avaliação dos alunos, apenas alguns dos critérios indicados pela administração educativa ou aprovados pelos órgãos 6
competentes do Agrupamento/Escola
Não observou, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração educativa ou aprovados pelos órgãos competentes do 3
Agrupamento/Escola
D.4 Promoção da autoavaliação dos alunos

Promoveu eficazmente e de forma diversificada a auto-avaliação dos alunos, fornecendo todos os elementos e levando à reflexão do seu 10
envolvimento no processo ensino/aprendizagem
Promoveu e controlou a auto-avaliação dos alunos, fornecendo todos os elementos e levando à reflexão do seu envolvimento no processo 8
ensino/aprendizagem
Promoveu a auto-avaliação dos alunos. 7
Promoveu, mas não teve em consideração a auto-avaliação dos alunos. 6
Não promoveu a auto-avaliação dos alunos. 3
OBS:

2008/2009
E – Avaliação do desempenho dos docentes N
E.1 Planeamento e organização do trabalho de avaliação do desempenho dos docentes
Planificou com rigor e organizou o trabalho de avaliação do desempenho dos docentes atempadamente e de forma adequada 10
Planificou e organizou o trabalho de avaliação do desempenho dos docentes atempadamente e de forma adequada 8
Planificou e organizou o trabalho de avaliação do desempenho dos docentes. 7
Planificou de forma desorganizada o trabalho de avaliação do desempenho dos docentes. 6
Não planificou nem organizou o trabalho de avaliação do desempenho dos docentes. 3
E.2 Rigor e equidade no processo de avaliação do desempenho dos docentes
Usou muito rigor e equidade em todo o processo de avaliação do desempenho dos docentes 10
Usou bastante rigor e equidade em todo o processo de avaliação do desempenho dos docentes 8
Usou rigor e equidade em todo o processo de avaliação do desempenho dos docentes 7
Usou pouco rigor e equidade na totalidade do processo de avaliação do desempenho dos docentes 6
Não usou rigor e equidade no processo de avaliação do desempenho dos docentes 3
E.3 Diferenciação na valorização do desempenho dos docentes avaliados
Usou de grande diferenciação na valorização do desempenho dos docentes avaliados fundamentando-a junto do docente avaliado. 10
Usou de diferenciação na valorização do desempenho dos docentes avaliados fundamentando-a junto do docente avaliado. 8
Usou de diferenciação na valorização do desempenho dos docentes avaliados. 7
Usou de pouca diferenciação na valorização do desempenho dos docentes avaliados. 6
Não usou de diferenciação na valorização do desempenho dos docentes avaliados 3
E.4 Organização de dispositivos de supervisão/acompanhamento das actividades lectivas dos docentes avaliados
Organizou sempre de forma criteriosa, dispositivos de supervisão/acompanhamento das actividades lectivas dos docentes avaliados. 10
Organizou, de forma bastante criteriosa, dispositivos de supervisão/acompanhamento das actividades lectivas dos docentes avaliados. 8
Organizou dispositivos de supervisão/acompanhamento das actividades lectivas dos docentes avaliados. 7
Organizou, de forma deficiente, dispositivos de supervisão/acompanhamento das actividades lectivas dos docentes avaliados. 6
Não organizou dispositivos de supervisão/acompanhamento das actividades lectivas dos docentes avaliados. 3