Você está na página 1de 6

16/01/2013

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
FACULDADE DE TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL

Granulometria dos Solos

Prof. Gregório Luís Silva Araújo, D.Sc.

Brasília, DF

Granulometria dos Solos

Granulometria

O tamanho dos grãos influenciam numa série de propriedades do solo. A determinação


das dimensões das partículas do solo e das proporções relativas em que elas se
encontram é representada graficamente pela curva granulométrica.

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

1
16/01/2013

Granulometria dos Solos

Granulometria

As peneiras são colocadas em ordem crescente debaixo para cima. Na base, há um fundo
fechado para coleta do material mais fino. No topo, há uma tampa para evitar perda do
material mais fino.

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

Granulometria dos Solos

Granulometria

Fração Limites da tamanho (ABNT) Limites da tamanho (ASSHTO)

Matacão 25 cm a 1 m

Pedra 76 mm a 25 cm

Pedregulho 4,8 mm a 76 mm 4,8 mm a 60 mm

Areia Grossa 2,0 mm a 4,8 mm 2,0 mm a 4,8 mm

Areia Média 0,42 mm a 2,0 mm 0,42 mm a 2,0 mm

Areia Fina 0,05 mm a 0,42 mm 0,075 mm a 0,42 mm

Silte 0,005 mm a 0,05 mm 0,005 mm a 0,075 mm

Argila Inferior a 0,005 mm 0,001mm a 0,005 mm

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

2
16/01/2013

Granulometria dos Solos

Massa Total SECA = 1923,8 g Massa Parcial SECA = 96,19 g


Granulometria
Massa Massa Retida Massa que passa Porcentagem
Peneira (mm) Retida(g) Acumulada(g) Acumulada(g) Passa
50,8 0,0 0,0 1923,8 100,0 %
38,1 0,0 0,0 1923,8 100,0 %
120,9 120,9 1802,9 93,7 %
25,4
125,6 246,5 1677,3 87,2 %
19,1
9,5 143,6 390,1 1533,7 79,7 %
4,8 96,2 486,3 1437,5 74,7 %
2,0 165,3 651,6 1272,2 66,1 %

0,84 12,82 12,82 83,37 57,3 %


0,42 13,44 26,26 69,93 42,5 %
0,25 7,10 33,36 62,83 32,0 %
0,15 9,60 42,96 53,23 24,4 %
0,075 4,39 47,35 48,84 18,9 %

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

Granulometria dos Solos

Granulometria
No eixo das abscissas são marcados os logaritmos das dimensões das partículas e
sobre o eixo das ordenadas as porcentagens, em peso, do material que passa na peneira.

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

3
16/01/2013

Granulometria dos Solos

Granulometria dos finos: Sedimentação


Os solos que passam na peneira N0. 200 (0,075 mm) não são possíveis de serem
peneirados, pois seria necessário uma tela muito fina, de difícil execução.

 Preparação a amostra

 Colocação do densímetro na proveta e execução


das leituras a 0,5, 1, 2, 4, 8, 15. 30 minutos e 1, 2, 4, 8
e 24 horas

 Após cada leitura fazer a medição de temperatura.

 Realizada a última leitura, verter o material da


proveta na peneira 0,075mm.

 Efetuar os cálculos
Densímetro Proveta

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

Granulometria dos Solos

Sedimentação: Cálculos
δ V δ c ( L − Ld )
Qs = N x x
a) Porcentagem dos materiais em suspensão: (δ − δ d ) Ph
x100
(100 + h )
Qs = % do solo em suspensão no instante da leitura
N = % do material que passa na #2,0mm
δ = Massa específica dos grãos do solo, em g/cm³
δd = Massa específica do meio dispersor, em g/cm³ = 1g/cm³
δc = Massa específica da água, à temperatura de calibração do densímetro (20ºC) em g/cm³
= 1 g/cm³
V = Volume da suspensão, em cm³ = 1 000 cm³
L = Leitura do densímetro na suspensão
Ld = Leitura do densímetro no meio dispersor (Função da Temperatura)
Ph = Massa do material úmido submetido à sedimentação, em g
h = Umidade higroscópica da amostra

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

4
16/01/2013

Granulometria dos Solos

Sedimentação: Cálculos
1800η a
b) Diâmetros das partículas do solo em suspensão: d= x
(δ − δ d ) t

d = Diâmetro efetivo das partículas, em mm


η = Coeficiente de viscosidade do meio dispersor, à temperatura do ensaio, q x s/cm²
(tabela)
a = Altura de queda das partículas, em resolução de 0,1 cm, correspondente leitura do
densímetro, em cm
t = Tempo de sedimentação, em s
δ = Massa específica dos grãos do solo, em g/cm³
δd = Massa específica do meio dispersor, em g/cm³ = 1g/cm³

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

Granulometria dos Solos

Conceitos importantes da curva granulométrica:

Diâmetro Efetivo (def): é o diâmetro correspondente a 10% em peso total, de todas as


partículas menores que ele.

Coeficiente de Uniformidade: É a razão entre os diâmetros correspondentes a 60% e


10%, tomados na curva granulométrica. Indica a falta de uniformidade, pois seu valor
diminui a medida que o material é mais uniforme. Quanto maior o Cu, mais bem graduada
é a areia.
d 60
Cu =
d10

Coeficiente de Curvatura:
(d 30 ) 2
Cc =
d 60 x d10

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

5
16/01/2013

Granulometria dos Solos

Conceitos importantes da curva granulométrica:

Uniformidade Valores de Cu
Muito Uniforme Cu < 5
Uniformidade Média 5 < Cu < 15
Desuniforme Cu > 15

Característica da Curva Valores de Cc

Descontínua Cc < 1

Suave 1 < Cc < 3

Muito uniforme na parte central Cc > 15

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

Granulometria dos Solos

Exercício 01: Determinar as frações de Pedregulho, Areia, Silte e Argila e os valores de Cc e


Cu para as curvas granulométricas abaixo.

Geotecnia 01 – Prof. Gregório Luís S. Araújo

Você também pode gostar