Você está na página 1de 9

A CASA DE ISRAEL

Getulio Walter Jagher e Silva - 2009

Para entendermos a Casa de Israel, precisamos começar pela pré-existência.


Nesta esfera pré-mortal, o Senhor escolheu aqueles que foram valentes para
certas missões específicas na terra. No verbete Preordenação do GEE lemos:
“Designação pré-mortal feita por Deus a seus filhos espirituais que foram valentes,
para que cumprissem missões específicas durante a vida terrena.”
Lemos em Deuteronômio 32: 8:
“Quando o altíssimo distribuía as heranças às nações... Fixou os limites dos povos
segundo o número dos filhos de Israel.”
E ainda em Atos 17: 26
“De um só fez todas as nações dos homens, para habitarem sobre toda a face da
terra, determinando-lhes os tempos já dantes ordenados e os limites de sua
habitação.”
Durante às épocas de nossa morada no estado pré-mortal, não somente
desenvolvemos nossas diversas características, mostrando nossa habilidade e
merecimento, ou a respectiva ausência dessas qualidades, mas estávamos em um
local onde tal progresso podia ser observado. É razoável acreditar que houve uma
organização da Igreja lá. Os seres preexistentes viviam numa sociedade
perfeitamente arranjada. Em tais condições, era natural que nosso Pai escolhesse
e distinguisse os mais dignos, avaliando os talentos da cada indivíduo. Ele sabia
não somente o que cada um de nós seria capaz de fazer, mas também o que cada
um de nós faria, quando posto à prova, recebendo responsabilidades. Assim, ao
chegar o tempo de habitarmos o mundo mortal, todas as coisas encontravam-se
preparadas, e os servidores do Senhor escolhidos e ordenado para suas
respectivas missões. (Manual Aluno Instituto – Vida e Ensinamentos de Jesus Cristo
e Seus Apóstolos Pg. 384)
“Os espíritos dos homens não eram iguais. Podem tê-lo sido no princípio; mas o
direito do livre-arbítrio que lhes foi concedido permitiu que uns ultrapassassem os
outros, e assim, através das eras da existência imortal, se tornassem mais
inteligentes, mais fiéis, pois tinham liberdade de agir por si, de raciocinar sozinhos,
de aceitar a verdade ou rebelar-se contra ela.” (Manual Aluno Inst. Ens. Jesus
Cristo e Seus Apóstolos Pg. 368)
Aqueles que mais se destacaram lá por sua obediência e propensão em seguir o
Espírito de Deus foram designados para vir a terra através da casa de Israel.
Aonde poderia receber bênçãos especiais reservadas àqueles que foram melhores
no estado Pré-mortal.
“E assim vemos que todos vieram para cá, cada um trazendo um programa de
designações divinas gravadas em sua alma imortal, designações que os fazem agir e
reagir durante a jornada e curto período que passarão neste mundo, onde temos lampejos
de amizades a muito esquecidas, de associações, relacionamentos e comunhões que
mesmo a própria morte jamais apagará.É isso o que significa ser membro da casa de
Israel – um eterno privilégio que começou nas moradas pré-mortais, que continua
agora, e que sempre existirá, se você for eternamente fiel. “ (Manual Aluno Inst.
Ens. Jesus Cristo e Seus Apóstolos Pg. 363)
“Israel é um povo eterno. Os membros desta raça escolhida primeiramente
adquiriram o direito a essa herança quando viviam com os espíritos fiéis ma vida
pré-mortal.Israel era um povo peculiar na preexistência. Muitos dos espíritos mais
nobres e valentes que existiam naquele primeiro estado foram escolhidos, eleitos
e preordenados a nascer na família de Jacó, para serem herdeiros naturais de
todas as bênçãos do evangelho. Era ao estado preexistente daquele povo, que
Moisés se referui quando, ao falar a Israel mortal declarou: ‘Lembra-te dos dias da
antigüidade, atenta para os anos, geração por geração; pergunta a teu pai, e ele
te informará, aos teus anciãos, e eles to dirão.
Quando o Altíssimo dava às nações a sua herança, quando separava os filhos dos
homens, estabeleceu os termos dos povos conforme o número dos filhos de Israel.
Porque a porção do Senhor é o seu povo; Jacó é a parte da sua herança.’ Os
membros da Israel mortal que viverem retamente neste segundo estado,
receberão uma herança eterna com Israel no mundo futuro.” (McConkie, Doctrinal
New Testament Commentary, Vol 2 p. 284)
“A casa de Israel era um povo distinto na preexistência; isto é, devido a sua
obediência e devoção, certo número de filhos espirituais do Pai ganhou o direito de
nascer na linhagem de Abraão, de Isaque e Jacó, e de serem herdeiros naturais
das bênçãos do evangelho. Porém alguns deles, após um nascimento tão
favorecido, depois de terem sido contados entre os da semente escolhida,
apartaram-se do caminho da retidão e se tornaram filhos da carne;isto é, seguiram
os caminhos do mundo e rejeitaram as bênçãos espirituais reservadas para
Israel,e foram assim deserdados; não continuarão a fazer parte da família dos
profetas,quando a raça escolhida continuar a existir como um povo distinto nos
mundos eternos. È assim que eles são descendentes dos profetas nesta vida,mas
não partilham da mesma herança dos filhos de Deus na vida futura.” (McConkie
DNTC, Vol 2 pp 276-277)

PRIMOGÊNITO.
No tempo dos antigos patriarcas o filho primogênito recebia a primogenitura (Gên.
43: 33) e assim herdava o direito de ser o chefe da família quando o pai falecia.
Para assumir tal responsabilidade o primogênito tinha que ser digno (I Crôn. 5:1–
2); e podia perdê-la por causa de iniqüidade. Sob a lei mosaica, o filho primogênito
era considerado como pertencente a Deus. O primogênito recebia uma porção
dupla na partilha das posses de seu pai (Deuteronômio. 21: 17). Morrendo o pai,
era ele o responsável pelo cuidado da mãe e irmãs. O primogênito simbolizava
Jesus Cristo e seu ministério terreno, lembrando ao povo que o grande Messias
haveria de vir (Moisés 5:4–8; 6:63). Jesus foi o primogênito dos filhos espirituais de
nosso Pai Celestial, o unigênito do Pai na carne e o primeiro a surgir dos mortos na
ressurreição (Col. 1: 13–18).
PRIMOGENITURA.
O direito de herança que pertence ao filho primogênito. Em sentido mais amplo, a
primogenitura inclui todo ou qualquer direito de herança transmitido a uma pessoa
ao nascer em certa família ou cultura.

A Origem da Casa de Israel


ABRÃO – SARA

ISAQUE – REBECA

JACÓ – LÉIA E RAQUEL

ZILPA LÉIA RAQUEL BILA


12 FILHOS DE ISRAEL
GADE (7) RÚBEN (1) * JOSÉ (11) * DÃ (5)
ASER (8) SIMEÃO (2) BENJAMIN (12) NAFTALI (6)
LEVI (3)
JUDÁ (4)
ISSACAR (9)
ZEBULOM (10)

Ruben sendo o primeiro filho da primeira esposa (Léia) era o primogênito de Israel.
E por ter cometido um pecado grave perdeu seu direito a primogenitura: ”Quando
Israel habitava naquela terra, foi Rúben e deitou-se com Bila, concubina de seu
pai; e Israel o soube.” (Genesis 35:22)
Considerando que Raquel era a segunda esposa, o primogênito dela teria então
direito a herdar a bênção que o outro perdera. José ficou, assim sendo o segundo
herdeiro na linha legal, muito embora fosse o décimo primeiro filho na ordem de
nascimento. “Quanto aos filhos de Rúben, o primogênito de Israel (pois ele era o
primogênito; mas, porquanto profanara a cama de seu pai, deu-se a sua
primogenitura aos filhos de José, filho de Israel, de sorte que a sua genealogia não
é contada segundo o direito da primogenitura; pois Judá prevaleceu sobre seus
irmãos, e dele proveio o príncipe; porém a primogenitura foi de José);” (1º
Crônicas 5:1-2)
Os primogênitos das servas Bila e Zilpa eram considerados herdeiros daquelas
bênçãos, pois pertenciam as suas senhoras, e os filhos delas eram tecnicamente
considerados propriedade de suas respectivas donas, Raquel e Léia.
Conhecemos a história de José, que foi vendido por seus irmãos, como escravo e
foi parar no Egito e depois de ser preso tornou-se o segundo em governo no Egito.
Jacó seu pai não sabia que ele ainda estava vivo e quando o reencontrou temos o
seguinte relato sobre este fato:

JOSÉ E SEUS FILHOS


Lemos em Genesis 48:5-11
Agora, pois, os teus dois filhos, que nasceram na terra do Egito antes que eu
viesse a ti no Egito, são meus: Efraim e Manassés serão meus, como Rúben e
Simeão; mas a prole que tiveres depois deles será tua; segundo o nome de seus
irmãos serão eles chamados na sua herança. Quando Israel viu os filhos de José,
perguntou: Quem são estes? Respondeu José a seu pai: Eles são meus filhos, que
Deus me tem dado aqui. Continuou Israel: Traze-mos aqui, e eu os abençoarei. Os
olhos de Israel, porém, se tinham escurecido por causa da velhice, de modo que
não podia ver. José, pois, fez chegar a ele; e ele os beijou e os abraçou. E Israel
disse a José: Eu não cuidara ver o teu rosto; e eis que Deus me fez ver também a
tua descendência. Então José os tirou dos joelhos de seu pai; e inclinou-se à terra
diante da sua face. E José tomou os dois, a Efraim com a sua mão direita, à
esquerda de Israel, e a Manassés com a sua mão esquerda, à direita de Israel, e
assim os fez chegar a ele. Mas Israel, estendendo a mão direita, colocou-a sobre a
cabeça de Efraim, que era o menor, e a esquerda sobre a cabeça de Manassés,
dirigindo as mãos assim propositadamente, sendo embora este o primogênito. E
abençoou a José, dizendo: O Deus em cuja presença andaram os meus pais Abraão
e Isaque, o Deus que tem sido o meu pastor durante toda a minha vida até este
dia, o anjo que me tem livrado de todo o mal, abençoe estes mancebos, e seja
chamado neles o meu nome, e o nome de meus pois Abraão e Isaque; e
multipliquem-se abundantemente no meio da terra.
Vendo José que seu pai colocava a mão direita sobre a cabeça de Efraim, foi-lhe
isso desagradável; levantou, pois, a mão de seu pai, para a transpor da cabeça de
Efraim para a cabeça de Manassés.
E José disse a seu pai: Não assim, meu pai, porque este é o primogênito; põe a
mão direita sobre a sua cabeça. Mas seu pai, recusando, disse: Eu o sei, meu filho,
eu o sei; ele também se tornará um povo, ele também será grande; contudo o seu
irmão menor será maior do que ele, e a sua descendência se tornará uma
multidão de nações. Assim os abençoou naquele dia, dizendo: Por ti Israel
abençoará e dirá: Deus te faça como Efraim e como Manassés. E pôs a Efraim
diante de Manassés. Depois disse Israel a José: Eis que eu morro; mas Deus será
convosco, e vos fará tornar para a terra de vossos pais. E eu te dou um pedaço de
terra a mais do que a teus irmãos, o qual tomei com a minha espada e com o meu
arco da mão dos amorreus.
Note que Jacó adotou os dois filhos de José como seus e eles então receberam
herança e são contados entre as tribos de Israel. E apesar de Manassés ser o mais
velho, Jacó concedeu a primogenitura a Efraim. Na versão inspirada fica claro de
que Efraim e Manassés seriam os líderes da coligação de Israel nos últimos dias:
“Pois tu prevaleceste e a casa de teu pai inclinou-se diante de ti, assim como te
fora mostrado antes de seres vendido ao Egito pelas mãos de teus irmãos;
portanto teus irmãos inclinar-se-ão diante de ti, de geração em geração,
ao fruto de teus lombos para sempre; Pois eis que serás uma luz para o
meu povo, para libertá-los da escravidão nos dias de seu cativeiro; e para
trazer-lhes salvação quando estiverem completamente curvados sob o
pecado.” TJS Genesis 48:10-11
“Ruben, o primeiro filho de Jacó perdeu a primogenitura por transgressão, sendo
então conferida a José, o mais digno de todos os filhos de Jacó. Ao abençoar José,
Jacó deu-lhe porção dobrada, ou seja, uma herança entre seus irmãos na palestina
e também a benção da terra de Sião – ‘ até as extremidades dos outeiros eternos’.
Abençoou-o ainda com as bênçãos dos céus de cima, do abismo que está em baixo
e de posteridade. Jacó abençoou também os dois filhos de José comas bênçãos de
seu pai, as quais herdaram; e colocou Efraim, o mais novo, adiante de manasses, o
mais velho, e por inspiração do Senhor conferiu a Efraim o direito de
primogenitura em Israel.” Joseph Fielding Smith, Doutrinas de Salvação, Vol. III
p.254)

Gênesis 49: 22-26. Qual É o Significado da Bênção Recebida por José?


"Há diversos conceitos desta profecia que devemos entender. Primeiro, o de que
de José procederia uma multidão de nações. Compreendemos plenamente o que
isto significa. Em segundo, seus ramos se estenderiam sobre o muro. O que esta
frase dá a entender? Nos tempos antigos o Senhor tinha um significado para tudo.
Isto quer dizer que os descendentes desta tribo se tornariam tão numerosos, que
ocupariam mais que a pequena herança que Ihes foi dada em Canaã; que seus
descendentes frutificariam e seguiriam para uma terra situada a grande
distância ...
"A bênção peculiar dada a José, foi a de que ele desfrutaria de possessões muito
maiores que as concedidas aos progenitores de Jacó, até à extremidade dos
outeiros eternos. Isto parece indicar que ocupariam uma terra localizada muito
longe da Palestina." (Orson Pratt, em Journal of Discourses, vol. 14, p. 9.)
A semente de José chegou às terras da América na ocasião em que Leí e sua
família ali aportaram, vindos do mundo Mediterrâneo. A terra da América foi
especificamente designada pelo Senhor como um lugar reservado para "um
remanescente da casa de José" (3 Néfi 15:12).
Gênesis 49: 26. A América É a Terra dos "Montes Eternos" "Creio que Jacó teve o
privilégio de ver esta terra, como aconteceu a Moisés, e se refere a ela como uma
terra distante. A frase 'à extremidade dos outeiros eternos', deve significar uma
região deveras longínqua. Jacó afirmou que 'as bênçãos de teu pai excederão as
bênçãos de meus pais', e que ele as transferia a José ... Essas bênçãos divinas
seriam dadas a José nesta terra. Abençoada pelo Senhor seja sua terra pelas
coisas que tem recebido' do alto, muito mais valiosas que a plenitude da terra,
mais preciosas que os mais diversos produtos produzidos em todos os climas
deste planeta, de valor superior a todos os cereais, ouro e prata extraídos deste
solo. As coisas preciosas dos céus, reveladas ao povo de José na extraordinária
terra que lhe foi dada, até a extremidade dos outeiros eternos." (Orson Pratt, em
Journal of Discourses, Vol. 18. pp. 167-68.)

JOSÉ – ASENATE

MANASSÉS - EFRAIM

Quando adotados então por Jacó como filhos e com direito a herança em Israel. As
tribos de Israel ficaram assim:

12 TRIBOS DE ISRAEL
EFRAIM (PRIMOGÊNITO) RÚBEN JUDÁ SIMEÃO
MANASSÉS DÃ BENJAMIM NAFTALI
ASSER GADE ISSACAR
ZEBULOM

A TRIBO DE LEVI
A onde fica a tribo de Levi? Que não está na relação das 12 tribos. Vale lembrar
aqui de que a tribo de Levi era responsável por portar o Sacerdócio e não tinha
herança como as outras tribos. Vejamos Deuteronômio 10:8-9, “Por esse tempo
o Senhor separou a tribo de Levi, para levar a arca do pacto do Senhor, para estar
diante do Senhor, servindo-o, e para abençoar em seu nome até o dia de hoje.
Pelo que Levi não tem parte nem herança com seus irmãos; o Senhor é a sua
herança, como o Senhor teu Deus lhe disse.)” Deuteronômio 18:1 “1 Os levitas
sacerdotes, e toda a tribo de [Levi], não terão parte nem herança com Israel.
Comerão das ofertas queimadas do Senhor e da herança dele.” A tribo de Levi
possuía dentro de cada tribo cidades onde eles poderiam morar e exercer o ofício
do Sacerdócio em Israel. Eles viviam do dízimo e das ofertas das outras tribos.

REINOS DE JUDÁ E EFRAIM


Após a morte de Salomão, Roboão se tornou o Rei de Israel. Como ele quis
aumentar muito os impostos as tribos do norte se revoltaram e Jeroboão foi
proclamado rei das tribos do norte. Eles então passaram a se chamar Reino do
Norte ou de Israel ou ainda de Efraim, pois Jeroboão era de Efraim. E o Reino do sul
foi conhecido como Reino de Judá. A tribo de Benjamim, que estava localizada na
fronteira entre Judá e as tribos do norte ficou dividida entre os dois reinos, mas a
grande maioria ficou no reino do norte. (Veja mapa no final)
Somos capazes agora de ver o alinhamento político de todas as tribos em dois
novos reinos com exceção da tribo de Levi. Quando Aijá tinha profetizado que o
reino do norte teria 10 tribos e o reino do sul uma tribo. Ele obviamente deixou
Levi sem designação de reino porque esta tribo não tinha uma herança geográfica.
Os Levitas eram os administradores do sacerdócio e necessitava estar espalhada
entre todas as tribos. Entretanto, essa situação não permaneceu por muito
tempo . Os levitas foram perseguidos pelas tribos do norte e foram compelidos a
fugirem para Judá. Isto aconteceu com praticamente todos, incluindo os
sacerdotes de Aarão, Mais tarde houve certa mistura novamente mas não em
grande escala. As tribos do norte eram Efraim, Manassés, Rúben, Simeão, Dã,
Naftali, Gade, Asser, Issacar, Zebulon e Benjamin. O reino do Sul consistia
de Judá e Levi.
Devemos lembrar de que eles viveram, pois muitos séculos juntos e é claro houve
muitos casamentos entre pessoas de tribos diferentes. Então havia pessoas de
todas as tribos entre as outras tribos. Lembre de que Leí era de Manassés, mas
habitava em Jerusalém que pertencia ao reino de Judá. Assim como Labão, que era
de Efraim.

DISPERSÃO DE ISRAEL – TRIBOS DO NORTE


Por volta do ano 722 AC as tribos do norte foram levadas cativas pela Assíria. O
Senhor permitiu isso por motivo de idolatria e do afastamento do Senhor destas
tribos.
Eles então desapareceram misteriosamente e não se sabe a onde estão. É dito por
muitos estudiosos de que eles perderam a identidade ao se misturar com outros
povos. Entretanto, O Senhor assegura-nos nas revelações modernas que
eventualmente sua localização e identidade serão reveladas e na sua maioria
foram mantidas integras como um povo distinto. Concernente ao retorno deles o
Senhor disse: “aqueles que estiverem nos países do norte serão lembrados pelo
Senhor; e seus profetas ouvirão sua voz e não mais se conterão; e ferirão as
pedras e o gelo se derreterá diante deles. E erguer-se-á uma estrada no meio do
grande abismo. Seus inimigos tornar-se-ão uma presa para eles; E nos desertos
estéreis surgirão poços de água viva; e o solo ressequido já não será uma terra
sedenta. E trarão seus ricos tesouros para os filhos de Efraim, meus servos. E as
extremidades dos outeiros eternos estremecerão em sua presença. E lá cairão e
serão coroados de glória, sim, em Sião, pelas mãos dos servos do Senhor, os filhos
de Efraim. E encher-se-ão de cânticos de alegria eterna. Eis que essa é a bênção
do Deus Eterno sobre as tribos de Israel e a mais rica bênção sobre a cabeça de
Efraim e seus companheiros. E também os da tribo de Judá, após sua dor, serão
santificados em santidade perante o Senhor, para habitar em sua presença dia e
noite, para todo o sempre”. (D&C 133:26 - 35)

EFRAIM DISPERSO ENTRE TODAS AS NAÇÕES


Base escriturística:
Efraim com os povos se mistura; É um bolo que não foi virado. Oséias 7:8
Efraim foi ferido... O meu Deus os rejeitará, porque não o ouvem; vagabundos
andarão entre as nações. Oséias 9: 16-17
Mesmo no exílio e na dispersão que se seguiu, Efraim tem sido abençoado. Somos
levados a acreditar pelo que tem sido revelado, de que Efraim mais do que
qualquer outra tribo, misturou-se com as nações. Ele foi disperso para perto e para
longe e por muitas gerações perdeu sua identidade. Esta dispersão foi uma
punição, e mesmo com a punição mais tarde ela se tornou uma bênção para as
nações, dando a elas o direito de pertencer a Israel. Brigham Young citou: “A Israel
foi dispersa entre todas as nações da terra; o sangue de Efraim foi misturado com
o sangue de toda a terra. A semente de Abraão misturou-se com a semente
rebelde através de todo o gênero humano.” (Discursos P.669)
Na dispersão de Efraim o Senhor tinha dois propósitos em mente: 1º. .A dispersão
foi uma punição para o povo rebelde; 2º. Era o propósito abençoar o povo de
outras nações com o sangue de Israel entre os quais Efraim ‘misturou-se”. A
dispersão de outros Israelitas teve o mesmo propósito.

EFRAIM NOS ÚLTIMOS DIAS


A missão de Efraim é principalmente para os últimos dias. Ele era proeminente
antigamente, mas era um tipo rebelde então. Nos últimos dias, no entanto, tendo
sido disperso por todas das nações e castigado, ele agora ocupa o seu verdadeiro
papel.
Efraim tem uma missão maravilhosa a realizar nestes dias. È próprio que fique no
seu lugar a testa, exercendo a primogenitura em Israel. O evangelho está sendo
pregado por Efraim ‘as nações. É essencial, portanto, que Efraim seja o primeiro a
ser coligado, pois é ele que preparará o caminho para as outras tribos de Israel.
Acreditamos através dos ensinamentos do Profeta Joseph Smith, que a vasta
maioria daqueles que recebem o evangelho é de Efraim. É uma exceção encontrar
alguns de outras tribos. Ainda que tenhamos representantes de outras tribos.
É Efraim hoje, que porta o sacerdócio. É com Efraim que o Senhor fez convênios e
revelou a plenitude do evangelho eterno. É Efraim que está construindo templos e
realizando as ordenanças neles tanto para os vivos como para os mortos. Quando
as tribos perdidas retornarem – e será a mais maravilhosa visão e uma coisa
grandiosa a sua vinda para Sião, em cumprimento com as promessas feitas
através de Isaias e Jeremias, eles terão de receber as bênçãos coroadoras de seu
irmão Efraim o primogênito de Israel.
“Temos muito boas razões para acreditar, porém, que era a tribo de Efraim,
rebelde, orgulhosa e teimosa, que foi dispersa mais do que qualquer outra entre os
povos de outras nações. O principal motivo é de que Efraim está agora sendo
coligado de entre as nações. “Nestes últimos dias, o Senhor disse que Efraim não
deve ser rebelde como era antigamente, e que, agora, os rebeldes não eram de
Efraim e devem serão extirpados.” (D & C 64: 35-36).

SUA PARTE NA COLIGAÇÃO DE ISRAEL


Muitas promessas foram feitas a Efraim em relação a sua parte no drama destes
dias atuais. Uma das passagens mais marcantes das escrituras encontra-se em
Jeremias: “Pois haverá um dia em que gritarão os vigias sobre o monte de Efraim:
Levantai-vos, e subamos a Sião, ao Senhor nosso Deus. Pois assim diz o Senhor:
Cantai sobre Jacó com alegria, e exultai por causa da principal das nações;
proclamai, cantai louvores, e dizei: Salva, Senhor, o teu povo, o resto de Israel. Eis
que os trarei da terra do norte e os congregarei das extremidades da terra; e com
eles os cegos e aleijados, as mulheres grávidas e as de parto juntamente; em
grande companhia voltarão para cá. Virão com choro, e com súplicas os levarei;
guiá-los-ei aos ribeiros de águas, por caminho direito em que não tropeçarão;
porque sou um pai para Israel, e Efraim é o meu primogênito.” (Jeremias 31:6-9)
Uma revelação Moderna nos dá mais luz sobre os propósitos do Senhor em relação
à coligação das tribos de Israel e o papel que cabe a Efraim nesta coligação.
Lemos: “Portanto preparai-vos para a vinda do Esposo; saí, saí para encontrá-lo.
Pois eis que ele estará de pé sobre o Monte das Oliveiras e sobre o grandioso
oceano, sim, o grande abismo, e sobre as ilhas do mar e sobre a terra de Sião. E
sua voz sairá de Sião e ele falará de Jerusalém; e ouvir-se-á sua voz entre todo o
povo; E será uma voz como a voz de muitas águas e como a voz de um grande
trovão, que abaterá as montanhas; e não se acharão os vales. Ele ordenará ao
grande abismo e este será empurrado para os países do norte e as ilhas se
tornarão uma só terra; E a terra de Jerusalém e a terra de Sião voltarão para seu
próprio lugar; e a Terra será como era antes de sua divisão. E o Senhor, sim, o
Salvador, permanecerá no meio de seu povo e reinará sobre toda a carne. E
aqueles que estiverem nos países do norte serão lembrados pelo Senhor; e seus
profetas ouvirão sua voz e não mais se conterão; e ferirão as pedras e o gelo se
derreterá diante deles. E erguer-se-á uma estrada no meio do grande abismo.
Seus inimigos tornar-se-ão uma presa para eles; E nos desertos estéreis surgirão
poços de água viva; e o solo ressequido já não será uma terra sedenta. E trarão
seus ricos tesouros para os filhos de Efraim, meus servos. E as extremidades dos
outeiros eternos estremecerão em sua presença. E lá cairão e serão coroados de
glória, sim, em Sião, pelas mãos dos servos do Senhor, os filhos de Efraim. E
encher-se-ão de cânticos de alegria eterna”. (D. C. 133:19-33.)

AS “BENÇÃOS COROADORAS” DE EFRAIM


Os líderes do nosso povo, desde o início, ansiado em ver este grande dia em que
Efraim seria reunido e iria ficar no seu lugar para coroar as tribos de Israel. Em
uma carta da Primeira Presidência, em outubro de 1882, aparece o seguinte:
O convite é para todos, de cada nação, tribo e língua que acreditar, se arrepender,
for batizado, e receber o dom do Espírito Santo pela imposição de mãos, vinde pra
casa, venham à terra de José, aos vales de Efraim.Presidente Brigham Young disse
também:
Estamos reunindo os filhos de Abraão que vêm através dos lombos de José e seus
filhos, sobretudo através de Efraim, cujos filhos estão misturados entre todas as
nações da terra. Os filhos de Efraim são selvagens e incultos, indisciplinados,
ingovernáveis. O espírito deles é turbulento e resoluto, eles são da raça anglo-
saxônica, e eles estão sobre a face de toda a terra, tendo o espírito re reinado e
inspiração, para ir avante de conquista em conquista. Eles pesquisavam a ampla
criação e vasculhavam todo recanto e canto desta terra, para descobrir o que
havia sobre ela dentro dela. Eu vejo uma congregação deles diante de mim hoje.
Não será difícil dissuadir estes homens, pois eles irão penetrar no mais profundo
selvagem e superarão quase insuperáveis dificuldades para desenvolver os
tesouros da terra, de promover o seu espírito indomável de aventura. (Discourses
p. 670.
O Profeta Joseph Smith ansiou pelo grande dia em que Israel seria reunida. “Ele
afirmou, numa conferência da Igreja realizada em junho de 1831“, que João, o
Revelador estava, então, entre as dez tribos de Israel que tinham sido levadas
para longe por Salmanasar, rei da Assíria, para prepará-los para o seu de sua
longa dispersão. "Presidente Young freqüentemente tinha pensamentos
semelhantes na mente e expressou-os. Outra de suas observações inclui o
seguinte: "Efraim é o rapaz em quem o pai Jacó colocou suas mãos, que vai salvar
a Casa de Israel. O Livro de Mórmon veio a Efraim, pois Joseph Smith era um
Efraimita puro".

As tribos foram lavadas cativas


pelos Assírios e de lá foram para
o Norte.

Mas não sabemos onde estão.