Você está na página 1de 2

Página |1

A ORAÇÃO DE JESUS
Mateus 6.9-15

"Ensina-me a orar"! Eis um pedido antigo, mas sempre atual. Nós oramos pouco e
nem sempre como convém. É lógico que não se deve criticar a oração dos outros.

Cada pessoa tem a sua forma própria de falar com Deus. E não são os métodos que
vão determinar o cultivo de vida de oração das pessoas. Contudo, à semelhança dos
discípulos de Jesus, devemos pedir: "Senhor, ensina-nos a orar".

Deus fala conosco pela sua palavra. Mas, Ele não deseja se relacionar conosco em
forma de monólogo, quando apenas um fala e o outro só escuta. Ele nos deu a bênção
da oração, através da qual falamos e conversamos com Ele.

A oração de Jesus, conhecida como a oração do Pai Nosso, se constitui na oração-


modelo para os seus discípulos. Comumente se diz que esta é a oração de todos os
cristãos. E através dela podemos aprender a orar e a melhor servir ao Senhor. A
oração de Jesus nos ensina sobre:

1 - GLORIFICAÇÃO A DEUS
"Santificado seja o teu nome"

Na vida de oração devemos aprender a glorificar o nome do Senhor: "santificado seja


o teu nome". Muita gente ora buscando a glória para si. Uma vez, certa pessoa, após
fazer a sua oração, perguntou à sua vizinha: "Você acha que eu orei bem?"

Ao buscarmos a Deus, devemos fazê-lo "em louvor de sua glória", como ensina o
apóstolo (Ef 1.12, 14) e não com a finalidade de sermos admirados ou elogiados pelos
outros. Aliás, tudo que somos, temos ou fazemos só tem sentido quando realizado
para a glorificação do Senhor.

Na instrução aos seus discípulos Jesus recomendou: "E tudo quando pedirdes em
meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho" (Jo 14.13).

2 - SUBMISSÃO A DEUS
"Venha o teu reino... seja feita a tua vontade"

Se vivemos para o louvor da glória de Deus temos plena consciência de que Ele é o
único Senhor e nós simplesmente seus servos. Quando oramos "seja feita a tua
vontade" declaramos a nossa total sujeição e obediência ao Senhor. Muitas vezes,
oramos e agimos como se fôssemos donos do nosso nariz.

Então, há muita gente que se sente no direito de exigir as coisas de Deus. Ouve-se
por aí expressões tais como: "Eu ordeno", "eu determino", "eu quero" etc., como se
fosse possível dar ordens a Deus. Para muita gente, Deus é tal como o gênio da
lâmpada de Aladim: basta fazer o pedido e ele em um passe de mágica atenderá.

Ao orar o Pai Nosso é importante lembrar que sempre estamos sujeitos à soberania de
Deus. Sejamos honestos ao falar com Deus e dizer: "faça-se a tua vontade". Veja Mt
26.42.

www.semeandovida.org
Página |2

3 - PETIÇÃO A DEUS
"O pão nosso de cada dia dá-nos hoje"

Oração não é sinônimo de petição. Mas, também inclui a petição, conforme Jesus
ensinou: "O pão nosso de cada dia dá-nos hoje"... "Pedi, e dar-se-vos-á. Pois todo o
que pede recebe; o que busca, encontra"... (Veja Mt 7.7- 12).

As nossas necessidades e problemas devem ser levadas ao Senhor, que cuida de


todos nós: "lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de
vós" (I Pe 5.7).

Ao invés de ficar (pre)ocupado com o seu dia-a-dia, o cristão fiel deve manter a
confiança no Senhor, buscando sempre a orientação bíblica que diz: "Não andeis
ansiosos de cousa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as
vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça" (Fp 4.6).

4 - CONFISSÃO A DEUS
"Perdoa as nossas dívidas"

Deus é santo e espera a santidade dos seus filhos. Porém, todos pecam; não há justo
nem um sequer. Deus ama o pecador, mas odeia o pecado. Ao cometermos algum
pecado, devemos nos voltar para o único que pode defender a nossa causa; Jesus, o
nosso advogado (I Jo 2.1).
Ele intercede por nós junto ao Pai. Só o Senhor tem poder para perdoar pecados. O
rei Davi ao tomar consciência de seu pecado compôs a magnífica oração de
confissão, registrada no SI 51 e que é um referencial para a prática da confissão.

A confissão sincera e arrependida move o coração do Deus misericordioso que é rico


em perdoar. Então, lembre-se que: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiei e
justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (I Jo 1.9).

5 - ADORAÇÃO A DEUS
"Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre"

Orar é também adorar a Deus, como é o fim principal do homem. Muitas orações se
transformam em lamúrias, queixas, reclamações, em que muito se pede e pouco se
agradece. As expressões finais do Pai Nosso nos ensinam que do Senhor "é o reino, o
poder e a glória para sempre".

Tudo pertence a Deus. Ele deve ser adorado por nós. E em nossas orações devemos
cultivar as ações de graças e o louvor ao único que merece toda a honra, toda a glória
e todo o louvor.

Essas expressões litúrgicas foram e deverão ser preservadas nas orações do povo de
Deus. O livro dos Salmos repete inúmeras vezes que devemos sempre adorar ao
Senhor. Que a nossa vida seja uma vida de oração e consagração ao Senhor!

O Pai Nosso não é uma poesia que deve ser recitada; é uma oração-modelo ensinada
por Jesus. Oremos o Pai Nosso sempre, com sinceridade e com consciência. Afinal, o
Pai Nosso é a oração de Jesus!

AUTOR: REV. WILSON EMERICK DE SOUSA

www.semeandovida.org