Você está na página 1de 1

SEMINÁRIO DO I-MAGO: Educação e Arte e Política e Resistência e ...

23 de Novembro de 2016 - UNESP - Rio Claro

AS INFLUÊNCIAS LIBERAIS NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO


PEDAGÓGICO DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS
Marcelo Pedroni da Silva 1
Pamela Christina Gonçalves de Morais 2

A ideologia neoliberal como hoje conhecemos teve sua concepção na Suíça a partir de
estudos econômicos de Popper, Lippman, Hayek e Milton Friedman no início da segunda
metade do século XX (década de 1950). Esta teoria econômica segundo Chauí (1999)
retratava as tendências econômicas da época que giravam em torno do chamado Estado de
Bem-Estar; entretanto este modo de governo influenciava demasiadamente nas
regulamentações mercadológicas, impedindo, portanto, a livre concorrência entre empresas
dos mesmos setores. Isso gerou a criação de um Estado forte a ponto de combater os
sindicatos e movimentos operários; cortando gastos sociais afim de manter a estabilidade
econômica; propondo incentivos fiscais para empresas privadas, reduzindo impostos sobre
o capital e sobre as grandes acumulações monetárias; reduzindo a participação reguladora
do Estado na economia, incentivando a livre concorrência mercadológica. Tendo em mente
este novo modelo político e econômico, o presente trabalho visa contribuir para a discussão
sobre as influências neoliberais na educação no contexto universitário tendo como foco
principal os docentes em suas atividades pedagógicas e as formas de organização das
mesmas. Os autores Cunha (2006), Chauí (1999), Sousa Santos (1995) apontam para esta
lógica neoliberal que passou a doutrinar internamente a estrutura administrativa e
organizacional da Universidade. Cunha (2006) e Sousa Santos (1995) chamam a atenção
para um parâmetro principal que alimenta a crise universitária que vivenciamos hoje, a
crise institucional, responsável por criar a contradição da busca pela autonomia
universitária, ao mesmo tempo em que submete-a a avaliações externas e “critérios de
eficácia e produtividade de natureza empresarial ou de responsabilidade social.” (CUNHA,
p. 74, 2006). É necessário entendermos que a base estrutural da Universidade (ensino,
pesquisa, extensão e gestão) é induzida a seguir o modelo empresarial, idealizado pelo
neoliberalismo, o que acaba por distorcer o caráter crítico-humanista da instituição, além de
alterar totalmente os valores necessários para o desenvolvimento e organização da mesma.
Assim, professores se veem forçados a organizar seu trabalho pedagógico de acordo com o
que lhes é majoritariamente cobrado, induzindo seu trabalho à uma perspectiva que não
proporciona a melhor formação aos alunos, mas atende uma lógica mercantil, fornece
serviços de pesquisa para investidores privados, acarretando no afastamento cada vez maior
na dinâmica pesquisar para ensinar, transformando-a em um conceito de formação próprio
do neoliberalismo: ensinar para pesquisar.

Palavras-chave: Neoliberalismo. Trabalho Pedagógico. Influências Neoliberais. Pedagogia


Universitária.

1
Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho. marcelopedronidasilva@gmail.com
2
Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho. demoraispamela@gmail.com