Você está na página 1de 4

Classificação dos negocios juridicos

1. nj unilaterias e plurilaterais:

autor, titular, agente , parte

Autor e agente podem se confundir na mesma pessoa, posso ter um autor e dois
agentes...eu posso ter 2 autores e 1 agente, por ex em uma ação de alimentos, que a mãe
entra e quem será o agente será a mãe e os autores serão os filhos.

Parte é o núcleo de interesse, e o pólo da relação jurídica. Por ex, se eu tenho em uma
relação jurídica o comprador e o vendedor, está relacionada a questão de interesses.....
Uma mesma parte possui os mesmos interesses.

O negocio jurídico unilateral é o que possui apenas uma parte, ao contrario dos
plurilaterais...
No unilateral existe apenas uma única declaração de vontades...
Ex: art. 854 do CC – um ex de negocio jurídico unilateral é a promessa de
recompensa...ela é unilateral pq a pessoa ao tornar essa proposta publica ela já se
compromete, sem necessariamente ter que ser aceita por alguém.
Art 1857 do CC – testamento – se perfaz com uma uunica declaração de vontade, o
herdeiro não precisa aceitar, ele automaticamente recebera a herança...
Art 62 do CC – fundação – para formar uma fundação basta um instituidor manifestar
sua vontade de criar uma fundação...

Os NJ bilaterais precisam necessariamente de uma proposta e uma aceitação:


Ex de bilaterais são os contratos.

Os q possuem mais de duas partes são os plurilaterais.


Ex: Associações, nas associação existem varias pólos de interesses que se unem a partir
de um NJ plurilateral.

Os contratos são negócios jurídicos bilaterais....

Ex: pessoa jurídica com dois adminstradores que assinam uma proposta de recompensa:
um autor, 2 agentes, uma parte.

Dentro dos NJ unilaterais existem os: a)Receptícios e b)não-Receptícios.


a)necessita-se que o outro tome conhecimento da declaração.
b) não precisa que o outo tome conhecimento da declaração.

Art. 653 – O mandato é um negocio jurídico bilateral quanto a formação pq eu tenho de


uma lado o mandante e o mandatário, que age em nome e por conta do mandante, e o
mandante sofre o efeitos dos atos do mandatário...é uma relação de confiança, se a
confiança se quebra, o mandante pode revogar os poderes dados ao mandatários.
Art 682 - A revogação pode ser feita sem a anuência, porem o mandante deve fazer
chegar ao conhecimento do mandatário que ele teve seus poderes revogados..porem o
mandatário não precisa concordar com isso...por isso é unilateral receptício.

A herança é unilateral não-receptício, o herdeiro já é dono da herança mesmo antes de


tomar conhecimento da existência dela...

2. Negócios jurídicos: Consensuais e Formais.

Consensuais – são os que possuem a forma livre, basta o acordo entre as partes para
que se formem, basta o acordo de vontades.

Formais- A forma possui duas acepções, a primeira é a maneira de manisfestação do


NJ(verbal, escrita, silenciosa, etc). A segunda são as formas que a lei prescreve para
que o NJ possa ter validade. O Nj que não possua a forma exigida é nula! Ex:
casamento, fiança, compra\venda de imóveis.

Fiança – art. 818 e 819: na fiança existem o credor e o devedor, entre eles existe o
fiador, que tem a responsabilidade mas não tem o debito. A fiança deve ser feita por
escrito, não pode ser verbal ou de outra maneira, ou seja, existe uma forma prescrita
para a fiança que deve ser a entendida para que possa ter validade.

Casamento – art. 1533 a 1535 do CC. O casamento é extremamente formal, senão, o


mais formal dos NJs. Não só prevê que deve ser por escrito ou em local publico,
como inclusive as falas que deverão ser ditas.

Dentro dos NJ Consensuais existem o NJ:

De forma “ad probationem”: mesmo possuindo forma livre, é aconselhável que ele
seja feita de certa forma que favoreça a comprovação do NJ.
Ex: art 401 do CPC. O Código sugere que seja feito por escrito.

Eu posso fazer o contrato da forma que eu quiser, Art 585 CPC, mas se fizer em um
documento por escrito ass pelo devedor com duas testemunhas ele pode servir como
titulo executivo extra judicial. Pode-se com isso executar o devedor sem precisar
pasar por varias etapas judicias.

Inter Vivos X Causa Mortis

O exemplo de causa mortis são os que possuem efeitos após a morte. Ex: testamento.

Paratestamentarias – depois de 2min de parada cardíaca deixa muitas seqüelas(comum


nos states) a pessoa pode pedir para não ser reavivada após 2min de parada cardíaca...
Pessoais X Patrimonias

Nos pessoais não há valor monetário, ex: casamento

E os patrimonias em oposição são os que possuem um dado valor monetario. Ex:


pacto anti-nupcial, compra\venda, doação, etc...

Existem os NJ mistos que são ao mesmo tempo pessoais epatrimonias, ex:


testamento pode ter essa dupla face, quando além de designar um herdeiro,
disposição de caráter patrimonial, tb reconhece um filho, disposição de caráter
pessoal.

Obrigacionais X Reais

Os NJ obrigacionais são aqueles em que resulta para a parte a necessidade de


realizar um determinado comportamento. A parte se obriga a um determinado
comportamento. Ex: Compra\Venda
na compra e venda as partes se obrigam a dar a coisa, e a outra a dar o dinheiro.

Os NJ Reais se materializam, se constitui, com a entrega da coisa. Ex: comodato. Só


se pode falar em comodato, quando há o empréstimo gratuito de coisas não
fungíveis. O comodato só se realiza com a entrega da casa.

Obs: em portugal a compra e venda é real.

De Administração X de Disposição

Os NJ de administração são os que não afetam a substancia do bem relacionado,


visa a conservação ou a proliferação, frutificação, do bem.

O de disposição afeta a natureza do bem...a utilidade, a funcionabilidade. Ex:


compra\venda. Acarretam diminuição patrimonial. Ex: vender metade da casa.

O tutor não pode realizar atos de disposição, apenas de administração, justamente


para noa prejudicar o tutelado.
Gratuitos X Onerosos

No gratuito não há uma contra prestação...ex: doação


No oneroso existe uma prestação e uma contra prestação. Existe esse equilibro.

Não é uma classificação rígida. Na verdade existem negócios mais ou menos


onerosos.

Onerosos: Comutativos X Aleatórios

O aleatório envolve risco, quando uma das parte cumpre sua obrigação sem ter certeza
de que a outra parte fará a contra prestação, podendo esta nem chegar a ocorrer. Ex:
seguradora.
Porem não se pode pedir o ressarcimento pq as partes assumem esse risco no momento
da efetivação do NJ.

Nos comutativos há a equivalência de prestação.