Você está na página 1de 3

10 DICAS DE DIREITO AMBIENTAL

1 - Fundamentos da Política Nacional de Recursos Hídricos: (a) a água é um bem de domínio


público; (b) a água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico; (c) em situações
de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de
animais; (d) a gestão dos recursos hídricos deve sempre proporcionar o uso múltiplo das águas;
(e) a bacia hidrográfica é a unidade territorial para implementação da Política Nacional de
Recursos Hídricos e atuação do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos; (f) a
gestão dos recursos hídricos deve ser descentralizada e contar com a participação do Poder
Público, dos usuários e das comunidades.

2 - O regime de outorga de direitos de uso de recursos hídricos tem como objetivos assegurar o
controle quantitativo e qualitativo dos usos da água e o efetivo exercício dos direitos de acesso à
água. Toda outorga de direitos de uso de recursos hídricos far-se-á por prazo não excedente a 35
anos, renovável; e não implica a alienação parcial das águas, que são inalienáveis, mas o simples
direito de seu uso.

3 - A renovação de licenças ambientais deve ser requerida com antecedência mínima de 120 dias
da expiração de seu prazo de validade, fixado na respectiva licença, ficando este
automaticamente prorrogado até a manifestação definitiva do órgão ambiental competente.

4 - Os empreendimentos e atividades são licenciados ou autorizados, ambientalmente, por um


ÚNICO ENTE FEDERATIVO, em conformidade com as atribuições estabelecidas nos termos da LC
140/11. Os demais entes federativos interessados podem manifestar-se ao órgão responsável
pela licença ou autorização, de maneira NÃO VINCULANTE, respeitados os prazos e
procedimentos do licenciamento ambiental.
5 - Lei Complementar 140/2011. Atuação SUPLETIVA: ação do ente da Federação que se
SUBSTITUI ao ente federativo originariamente detentor das atribuições. Atuação SUBSIDIÁRIA:
ação do ente da Federação que visa a AUXILIAR no desempenho das atribuições decorrentes das
competências comuns, quando solicitado pelo ente federativo originariamente detentor das
atribuições definidas na LC 140/11.

6 - Reincidência nas infrações administrativas ambientais. O cometimento de nova infração


ambiental pelo mesmo infrator, no período de 05 anos, contados da lavratura de auto de
infração anterior devidamente confirmado em julgamento previsto no Decreto 6.514/2008,
implica: (a) aplicação da multa em triplo, no caso de cometimento da mesma infração; ou (b)
aplicação da multa em dobro, no caso de cometimento de infração distinta.

7 - Poluidor, a pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável, direta ou


indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental.

8 - Logística reversa: instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um


conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos
resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos
produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada. Sugestão importante: leitura
completa do art. 33 da Lei 12.305/2010 (que trata dos obrigados e dos produtos sujeitos à
logística reversa).

9 - Na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos (Lei 12.305/2010), deve ser observada a


seguinte ordem de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos
resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.

10 - O Código Florestal criou o Cadastro Ambiental Rural (CAR), no âmbito do Sistema Nacional
de Informação sobre Meio Ambiente (SINIMA), registro público eletrônico de âmbito nacional,
obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar as informações ambientais
das propriedades e posses rurais, compondo base de dados para controle, monitoramento,
planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento.