Você está na página 1de 8

Uma Crítica do DSM-IV

à Luz da Bíblia

Jo h n B a b l e r 1

O Manual Diagnóstico e Estatístico de e outros transtornos cognitivos; grupo de


Transtornos Mentais, em sua quarta edição, trabalho para transtornos alimentares; grupo
é o livro de referência decisivo para os diag- de trabalho para transtornos do humor; gru-
nósticos psiquiátricos. O DSM-IV, como po de trabalho para esquizofrenia e outros
é popularmente conhecido, apresenta-se transtornos psicóticos, e assim por diante. A
como uma obra médica científica e objetiva, pressuposição operante é que os problemas
pretendendo gerar categorias de diagnóstico de vida podem ser codificados por número e
válidas e procedimentos de avaliação para uma nomenclatura diagnóstica, à semelhan-
uma atribuição precisa das mesmas. A sua ça dos problemas médicos. Por exemplo, se
apresentação é a de um livro científico. Os você tem temores intensos de abandono, se
seus numerosos colaboradores, todos médi- os seus relacionamentos interpessoais são
cos ou profissionais graduados, dividem-se caracterizados pela alternância entre extre-
em grupos de trabalho específicos de acordo mos de idealização e desvalorização, se você
com suas supostas áreas de especialização tem acessos de raiva e age impulsivamente,
clínica: grupo de trabalho para transtor- então você é um indivíduo classificado em
nos da ansiedade; grupo de trabalho para 301.83, você “tem” um “transtorno da per-
delirium, demência, transtorno amnésico sonalidade borderline”, você “é um indivíduo
com personalidade borderline”. Aqueles que
conversam com você ou o medicam na ten-
Tradução e adaptação de A Biblical Critique of the
1
tativa de ajudá-lo podem ser remunerados
DSM-IV. pelo atendimento prestado.
Publicado em The Journal of Biblical Counseling. v. 18, Neste artigo, apresento um ponto de
n.1, Fall 1999, p. 25-29.
vista bíblico para refutar o DSM-IV. Meu
Dr. John Babler é professor de Evangelismo em
alvo não é fazer uma análise bíblica profunda
Contextos Ministeriais Diversos no Southwestern
Baptist Theological Seminary em Fort Worth, de cada problema citado nem oferecer uma
Texas. metodologia de aconselhamento completa.

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2 125


Este é um artigo de apologética, um desafio Escrituras diagnosticam como transtornos
a que pensemos biblicamente sobre aquilo espirituais. Inicialmente, dou uma breve
que nossa cultura está propondo. Os textos introdução ao DSM-IV, para em seguida
bíblicos citados não são necessariamente tratar de quatro categorias comuns de diag-
aqueles que costumo usar nos casos de acon- nóstico: transtornos de déficit de atenção/
selhamento nem vou apresentá-los na ordem hiperatividade, anorexia nervosa, transtorno
em que eu os usaria em um aconselhamento. desafiador de oposição e transtorno da per-
Meu propósito principal é mostrar que as sonalidade narcisista.
Escrituras aplicam-se diretamente aos trans-
tornos estabelecidos por uma nomenclatura A estrutura do DSM-IV
de classificação com aparência altamente O DSM-IV oferece um modelo de
científica. A Palavra de Deus dirige-se di- diagnóstico “multiaxial” para transtornos
retamente aos critérios comportamentais, mentais. Ele avalia os indivíduos em cinco
emocionais e mentais que constituem cada eixos ou dimensões: (1) prejuízos no fun-
“diagnóstico”. cionamento, (2) distorções estruturais da
A hipótese central do DSM-IV é que personalidade, (3) problemas clínicos que
há um todo maior que a soma das partes, um contribuem para problemas de vida, (4)
“diagnóstico” que explica os “sintomas”. Por fatores contribuintes do ambiente social, (5)
exemplo, se você apresenta seis ou mais com- nível global de funcionamento. Os primeiros
portamentos, emoções ou processos mentais dois eixos são os mais significativos.
característicos (as partes) por um período O Eixo I identifica os chamados
de seis meses, você se qualifica para receber “transtornos clínicos”, que descrevem pre-
uma classificação diagnóstica abrangente (o juízos funcionais do indivíduo em compor-
todo). A nomenclatura usada identifica o tamentos, humor, pensamentos, atitudes.
“transtorno” que você tem. Contrariamente, O DSM-IV lista 374 transtornos clínicos,
minha hipótese central é que a Bíblia trata de incluindo diagnósticos como ataque de
cada comportamento, emoção ou processo pânico, transtornos de déficit de atenção/
mental característico (as partes) sem atribuir hiperatividade, transtornos do humor (por
um termo da nomenclatura classificatória exemplo, depressão ou mania), abuso de
pseudo-científica a um suposto todo. As drogas e álcool, perversões sexuais, demência
Escrituras não mencionam o “transtorno e transtornos alimentares.
obsessivo compulsivo” como um diagnóstico O Eixo II descreve “transtornos da
abrangente, mas o Senhor aconselhou com personalidade” e retardo mental. A finalidade
relevância e sem rodeios alguém que apre- é identificar problemas mais profundos na
sentava os comportamentos que qualificam estrutura da personalidade do indivíduo,
um indivíduo para receber este diagnóstico. incluindo o transtorno da personalidade
Os transtornos mentais e de personalidade narcisista, transtorno da personalidade bor-
codificados no DSM-IV não são matéria derline, transtorno obsessivo-compulsivo e
de uma ciência médica objetiva. Cada um vários outros.2
dos problemas identificados tem a ver com
o relacionamento do indivíduo com Deus 2
Uma variação significativa são os “transtornos de
e outros seres humanos. O que o DSM-IV personalidade sem outra especificação”. A expressão
diagnostica como transtornos mentais, as “Sem outra especificação” ou SOE é importante para

126 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2


Eixo III reúne condições médicas que pacional ou escolar. Uma pontuação baixa é
afetam o pensamento, o humor e o com- atribuída quando há um perigo persistente
portamento. Várias doenças infecciosas ou de ferir gravemente a si mesmo ou a outros
degenerativas, parasitas, problemas do apare- (por exemplo, violência recorrente) ou ina-
lho digestivo, ferimentos e outras condições bilidade persistente para manter uma higiene
físicas podem afetar um indivíduo. Com pessoal mínima.
frequência, na avaliação de um psicólogo ou O DSM-IV fornece, de fato, um sis-
assistente social não constam diagnósticos tema de classificação científico e objetivo
neste eixo porque somente um psiquiatra, ou como reivindica fazer? As “síndromes” e os
um médico de outra especialidade, podem “transtornos” que ele descreve representam
determiná-los. entidades reais de diagnóstico à semelhan-
O Eixo IV reúne variáveis circunstan- ça de uma fratura múltipla do fêmur, um
ciais que complicam a vida do indivíduo, carcinoma da córnea ou uma infecção por
tais como problemas na vida familiar ou no estreptococos? Ou o DSM-IV simplesmente
ambiente social, educação, ocupação, habi- lança mão de uma nomenclatura exótica,
tação e finanças. Embora estes fatores sejam com aparência médica, para classificar uma
de grande importância para um ministério amostra da grande variedade de problemas
bíblico (a matéria que leciono, Evangelismo humanos de que a Bíblia trata abertamente?
em Contextos Ministeriais Diversos, ensina A seguir, consideramos quatro exemplos, três
a atingir pessoas com carência nestas áreas), do Eixo I e um do Eixo II.
o DSM-IV atribui importância secundária
aos problemas do Eixo IV. 1. “Transtorno de déficit de
Por último, o Eixo V fornece a Escala atenção/ hiperatividade”
de Avaliação Global do Funcionamento Crianças que tendem a ser distraídas,
(AGF), uma escala de 0 a 100 que representa dispersivas e irrequietas têm recebido, com
um continuum hipotético de saúde-doença frequência cada vez maior, o diagnóstico de
mental. Uma pontuação alta representa um transtorno de déficit de atenção/ hiperati-
funcionamento superior em uma ampla vidade. O DSM-IV fornece uma lista de
faixa de atividades. Uma pontuação média sintomas de falta de atenção ou hiperativi-
pode representar sintomas sérios como, por dade-impulsividade, e diz que seis ou mais
exemplo, ideação suicida, rituais obsessivos deles devem persistir por durante no mínimo
graves, furtos habituais em lojas ou qualquer seis meses em grau mal-adaptativo e incon-
prejuízo sério no funcionamento social, ocu- sistente com o nível de desenvolvimento
para que a transtorno de déficit de atenção/
hiperatividade seja diagnosticado. Entre estes
ilustrar como o DSM é usado, de fato, na prática.
Pessoas que reúnem apenas quatro ou cinco dos seis
sintomas estão:
sintomas pedidos não preenchem os critérios para ŠŠdeixar de prestar atenção a detalhes ou
um determinado diagnóstico. Mas um psiquiatra ou cometer erros por descuido em ativida-
conselheiro pode finalizar o diagnóstico adicionando des escolares, de trabalho ou outras;
o multiuso SOE. Com frequência, o SOE é essencial ŠŠter dificuldade para manter a atenção
para finalizar um diagnóstico, pois sem um diagnóstico
uma seguradora não pagaria os honorários. O uso de em tarefas ou atividades lúdicas;
SOE permite uma subjetividade que revela claramente ŠŠparecer não escutar quando lhe dirigem
a ausência de objetividade científica. a palavra;

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2 127


ŠŠnão seguir instruções; Certo dia, um amigo meu recebeu
ŠŠnão terminar seus deveres escolares, um telefonema do professor do seu filho
tarefas domésticas ou deveres profis- que cursava a segunda série. O professor
sionais; disse que a criança necessitava passar por
ŠŠter dificuldade para organizar tarefas uma avaliação de transtorno de déficit de
e atividades; atenção/ hiperatividade e passou a enumerar
ŠŠevitar, antipatizar ou relutar em envol- os comportamentos do menino. Meu amigo
ver-se em tarefas que exijam esforço respondeu: “Trata-se apenas de uma criança.
mental constante; Eu não estou desculpando o comportamento
ŠŠperder coisas necessárias para tarefas do meu filho; ele precisa ser disciplinado.
ou atividades; Mas ele não precisa de remédios”. Este amigo
ŠŠser facilmente distraído por estímulos foi capaz de lidar com o problema do filho,
alheios à tarefa; como um bom pai amoroso. Ainda assim,
ŠŠestar frequentemente “a mil” ou muitas o DSM-IV encoraja as pessoas a fazerem
vezes agir como se estivesse “a todo diagnósticos baseados em sintomas ou com-
vapor”; portamentos, sem fundamento sólido para,
ŠŠfalar em demasia ou dar respostas pre- então, prescreverem medicamentos com base
cipitadas antes de as perguntas terem no fato de que estes funcionam para acalmar
sido completadas; as pessoas e favorecer a concentração. O fato
ŠŠter dificuldade para aguardar a sua de uma droga produzir determinado efeito
vez. não significa que ela é apropriada - ou acei-
O DSM-IV diz que alguns dos sinto- tável biblicamente.
mas devem ter-se manifestado antes dos sete De acordo com o DSM-IV, o trans-
anos para se suspeitar de que têm origem torno de déficit de atenção/ hiperatividade
fisiológica. O DSM-IV também dá aber- é diagnosticado quando seis ou mais dos
tura para uma categoria de transtorno com sintomas citados acima persistiram por pelo
sintomas de desatenção, hiperatividade ou menos seis meses “em grau mal-adaptativo
impulsividade que não preenche plenamente e inconsistente com o nível de desenvol-
os critérios para o transtorno de déficit de vimento”. Mas que critérios estão sendo
atenção/ hiperatividade. É o chamado “trans- usados para falar em níveis de desenvol-
torno de déficit de atenção/ hiperatividade vimento? Alguém que segue o modelo de
sem outra especificação”. Será que isso soa desenvolvimento de Piaget não terá uma
como objetividade científica?! perspectiva diferente acerca dos níveis de
Quando eu ouço falar nestes “sinto- desenvolvimento de alguém que segue um
mas”, logo penso em garotos - até mesmo em outro modelo? Posso encaminhar meu filho
quando eu era garoto! Eu me distraía com para dois profissionais diferentes e cada um
muita facilidade quando a grama da minha deles terá uma perspectiva diferente, baseada
casa precisava ser cortada! Quase todos es- em uma teoria psicológica supostamente
tes “critérios de diagnóstico” caracterizam legítima. Aquilo que eles entendem por
simplesmente seres humanos caídos, que “mal-adaptativo e inconsistente com o nível
necessitam da graça de Deus para serem mais de desenvolvimento” varia de um para outro.
atenciosos, cuidadosos, diligentes, amorosos Que resposta a ciência objetiva oferece a isso?
e fiéis. Concordo que as ciências do comportamen-

128 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2


to e a medicação podem oferecer certo grau você não apenas conheça estes critérios, mas
de alívio ou alteração dos sintomas. Mas seja capaz de pensar e responder biblicamen-
mudança e cura verdadeiras para o coração te a eles desde o contato inicial.
vêm apenas por meio de Deus e da Sua Pa- Por exemplo, considere as palavras de
lavra. Com apenas um pouco de trabalho, o Jesus em Lucas 9.23: “Se alguém quer vir
conselheiro pode facilmente encontrar textos após mim, a si mesmo se negue, dia a dia
bíblicos que tratam de cada um dos com- tome a sua cruz e siga me”. Embora possa
portamentos mencionados no transtorno de parecer que a aconselhada anoréxica esteja
déficit de atenção/ hiperatividade, e ele pode negando a si mesma por deixar de comer,
ser um instrumento divino de cura, em lugar na verdade ela não está negando a si mesma,
de prover alívio temporário. mas sendo indulgente consigo mesma: o
verdadeiro desejo que a domina é o de ser
2. “Anorexia nervosa” magra. Ela fará qualquer coisa para conseguir
Muitos jovens adultos, especialmente o que quer: privação de alimentos auto-
moças, perdem o apetite por razões “ner- imposta, vômito autoinduzido, exercícios
vosas”. O DSM-IV não fala na perda do físicos durante três horas ao dia.
apetite (“anorexia”) que é comum em muitas Um outro versículo das Escrituras que
doenças orgânicas como, por exemplo, o fala a uma aconselhada anoréxica é Filipenses
câncer. Mas se uma pessoa deixa de comer, 2.13: “porque Deus é quem efetua em vós
faz exercícios intensos e excessivos, e desen- tanto o querer como o realizar, segundo a
volve uma repulsa pela comida porque pode sua boa vontade”. Já ouvi aconselhadas ano-
deixá-la “gorda” ou “disforme”, o DSM-IV réxicas dizerem: “Eu não consigo fazer isso”.
a classifica como portadora de anorexia Mas você pode encorajá-las a orar pedindo
nervosa. Que entendimento a Bíblia nos dá que Deus as ajude, dando-lhes o desejo e a
acerca deste estilo de vida? capacidade de obedecê-1O. Filipenses 2.15
Primeiro, o DSM-IV descreve a ano- prossegue: “para que vos torneis irrepreensí-
rexia nervosa como uma “recusa a manter o veis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no
peso corporal em um nível igual ou acima meio de uma geração pervertida e corrupta,
do mínimo normal adequado à idade e à na qual resplandeceis como luzeiros no
altura”. “Recusa”, de um ponto de vista bí- mundo”. Moças anoréxicas sabem que esta
blico, equivale a rebeldia ou controle, com geração prefere mulheres com um “corpo
o centro da atenção voltado para a própria ideal”, e acreditam que elas, também, pre-
pessoa. As adolescentes com quem trabalhei cisam disso. O Senhor desafia e convida a
não se importavam com a maneira de pensar jovem com comportamento anoréxico a não
dos seus pais, do médico ou de Deus. Elas seguir a ênfase falsa e depravada que esta
se preocupavam somente consigo mesmas e geração atribui à forma corporal.
os colegas. Se você for procurado por uma Você poderia citar 1Coríntios 6.19,
moça acompanhada de seus pais, sendo que 20: “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é
eles já tentaram a abordagem “psicológica” santuário do Espírito Santo, que está em vós,
e ela não funcionou, você pode estar certo o qual tendes da parte de Deus, e que não
de que eles conhecem todos os critérios de sois de vós mesmos? Porque fostes compra-
diagnóstico do DSM-IV para a anorexia. dos por preço. Agora, pois, glorificai a Deus
Consequentemente, faz-se necessário que no vosso corpo”. Quando uma adolescente

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2 129


induz o vômito ou faz um uso inadequado de diagnóstico - embora não seja divertido
de enemas e laxantes, ela resiste abertamente viver desta maneira ou lidar com pessoas
à verdade de Deus em que ela deve crer, que vivem assim! E um dos “diagnósticos”
confiar e andar. que revelam com maior clareza a verdade a
Considere também Filipenses 2.3: respeito do DSM-IV.
“Nada façais por partidarismo ou vangló- Um seminarista, meu aluno, foi
ria, mas por humildade, considerando cada diagnosticado como tendo “transtorno desa-
um os outros superiores a si mesmo”. Uma fiador de oposição”. Fiquei surpreso ao saber
adolescente com “anorexia nervosa” não que o diagnóstico havia sido feito por um
considera seus pais nem qualquer outra coisa conselheiro cristão. Os critérios estabelecidos
como mais importante do que ela mesma. para este transtorno apoiam-se em rebeldia e
Privando-se de alimento, ela centra a atenção falta de controle, não em uma condição que
em si mesma com uma ambição egoísta e um seja objeto da ciência médica. Na verdade, o
pensamento fútil. transtorno é caracterizado como “um padrão
As Escrituras podem ter uma utilidade recorrente de comportamento negativista,
ampla no caso desta aconselhada que teme desafiador, desobediente e hostil para com
ganhar peso. Você pode levá-la a Provérbios figuras de autoridade, que persiste por
29.25: “Quem teme ao homem arma ciladas, pelo menos seis meses e se caracteriza pela
mas o que confia no SENHOR está segu- ocorrência frequente de pelo menos quatro
ro”. Mateus 10.28 ensina igualmente sobre dos seguintes comportamentos: perder a pa-
o temor apropriado: “Não temais os que ciência, discutir com adultos, desafiar ativa-
matam o corpo e não podem matar a alma; mente ou recusar-se a obedecer a solicitações
temei, antes, aquele que pode fazer perecer ou regras dos adultos, deliberadamente
no inferno tanto a alma como o corpo”. fazer coisas que aborrecem outras pessoas,
Geralmente, alguém que está lidando com responsabilizar outras pessoas por seus erros
anorexia e temores moldados pelo mundo ou mau comportamento, ser suscetível ou
não baseia a sua vida no temor a Deus. Na facilmente aborrecido pelos outros, mostrar-
verdade, o temor a Deus não se manifesta se enraivecido e ressentido, ou ser rancoroso
na sua vida porque as preocupações com ou vingativo”. Como a ciência qualificaria
as suas próprias opiniões e as opiniões de “suscetível”? Como irritabilidade, provoca-
outras pessoas a governam. Perceba que a ção, aborrecer outros e transferência de culpa
Bíblia não trata do assunto pelo nome de passam a ser “transtornos” médicos?
“anorexia nervosa”, mas ela fala sobre todos O DSM-IV, de maneira muito clara,
os comportamentos, atitudes, motivações desconsidera o pecado e acaba sendo um
e crenças que se somam no estilo de vida manual sobre como ser uma vítima de
classificado por este termo. síndromes e transtornos. Mas as Escrituras
têm algo diferente a dizer a alguém que fica
3. “Transtorno desafiador de irado com frequência. Olhe para o Salmo
oposição” 37.8: “Deixa a ira, abandona o furor; não te
O que dizer acerca de indivíduos in- impacientes; certamente, isso acabará mal”.
clinados a discussões, rebeldes e exaltados? A Bíblia não tolera uma mentalidade de
Eles “têm” o transtorno desafiador de opo- vítima, mas intima o iracundo ao arrepen-
sição. É divertido questionar esta categoria dimento, à mudança verdadeira de coração

130 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2


e comportamento. Em resposta àqueles ŠŠpreocupação com fantasias de sucesso
que discutem com adultos e desafiam suas ilimitado, poder, inteligência, beleza
solicitações, as Escrituras ordenam: “Filhos, ou amor ideal
em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo ŠŠcrença de ser “especial” e único e de
é grato diante do Senhor” (Cl. 3.20). De que somente pode ser compreendido
acordo com Hebreus 4.16, Deus dá graça ou deve associar-se a outras pessoas (ou
em Cristo para perdoar e ajudar tais pessoas instituições) especiais ou de condição
a mudar. Poderíamos continuar a citar textos elevada
bíblicos relevantes, mas creio que a questão ŠŠexigência de admiração excessiva
está clara. ŠŠsentimento de intitulação
ŠŠmanipulação nos relacionamentos
4. Transtorno da personalidade interpessoais
narcisista ŠŠausência de empatia
Por último, considere um proble- ŠŠinveja frequente de outras pessoas
ma mais profundo do que um eventual ŠŠcomportamentos e atitudes arrogantes
prejuízo no funcionamento por falta de e insolentes
atenção, privação alimentar autoimposta Não está evidente que Deus considera
ou hostilidade. Como o DSM-IV classifica cada um destes sintomas em Sua Palavra,
um indivíduo extremamente centrado e e lida com cada um deles pela Sua graça?
absorto em si mesmo? Para isso há uma Em Cristo, estes indivíduos orgulhosos e
categoria no Eixo II - um “transtorno da absortos em si mesmos podem nascer de
personalidade” cujo nome vem de Narciso, novo e ter uma vida nova. Nós não nos
o belo jovem grego que se enamorou de limitamos a codificar estas pessoas para que
si mesmo e não conseguiu parar de fitar o possam receber benefícios assistenciais. Não
próprio reflexo. De acordo com as teorias da oferecemos um curativo superficial, uma
psicologia, os transtornos da personalidade droga psicotrópica ou uma panacéia. O
são os mais difíceis de tratar. O transtorno assim chamado transtorno da personalidade
da personalidade narcisista é definido como narcisista é uma ilustração ambulante da
“um padrão invasivo de grandiosidade, ne- pecaminosidade básica do homem. É natural
cessidade de admiração e falta de empatia, que seja um dos problemas “mais difíceis de
que começa no início da idade adulta e está tratar”! O Filho de Deus precisou morrer por
presente em uma variedade de contextos”. estes pecados. O Espírito Santo precisa rege-
O egocentrismo acentuado é identificado nerar tais pessoas, conduzi-las à humilhação
por vários termos na Bíblia e nenhum deles e a tirar os olhos de sobre si mesmas. Deus
entrevê o problema como doença mental! O resiste ao soberbo, mas dá graça ao humilde
DSM-IV prossegue citando outros sintomas (Tg 4.6). Estes padrões de comportamento
que permitem diagnosticar um indivíduo e o tratamento para eles é exatamente aquilo
como portador deste transtorno. À medida de que a Bíblia trata.
que listamos alguns deles, reflita em como as Com frequência, quando as pessoas
Escrituras “classificam” ou “tratam” alguém que aconselho foram diagnosticadas como
com este problema: tendo um destes transtornos, elas chegam
ŠŠsentimento grandioso da própria im- com a crença de que a perspectiva do DSM-
portância IV está correta. Elas crêem que têm um

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2 131


transtorno mental objetivamente científico. são atribuídos como aqueles que querem
É comum que tenham assimilado a lógica ajudar. É de grande encorajamento per-
dupla destes diagnósticos. Inicialmente, os ceber que se as Escrituras tratam de cada
diagnósticos as liberam para que vejam a si critério individualmente, então a ideia de
mesmas como vítimas de um “transtorno” e um pretenso diagnóstico que abranja o
ganhem o direito legítimo de transferir para todo fica invalidada. Algumas pessoas são
uma doença emocional ou mental a culpa extremamente narcisistas, uma variante do
devida aos seus problemas essencialmente egocentrismo que caracteriza o pecado em
espirituais. Mas em seguida, os mesmos geral, mas ninguém “tem” um transtorno de
diagnósticos as condenam. Nas categorias personalidade narcisista - a não ser em um
diagnósticas do DSM-IV não há como en- sentido altamente metafórico (Ec 9.3; Mt
contrar esperança e nem mesmo a pessoa de 9.11-13). Em uma cultura em que domina
Cristo, que se compadece de nossas fraquezas uma mentalidade que leva a sério as catego-
e lutas, oferece perdão misericordioso e graça rias do DSM-IV, as metáforas com aparência
para nos ajudar e nos transformar. de ciência médica não são um método útil
Você tem a oportunidade de penetrar para identificarmos os problemas da vida.
na vida destas pessoas por meio de um rela-
cionamento de amor. Você pode identificar Conclusão
os problemas usando a nomenclatura que O DSM-IV tenta explicar as questões
Deus usa e aplicar as verdades das Escrituras mentais e comportamentais deixando em
para libertar estas pessoas. Mesmo que você aberto perguntas sobre a validade das con-
tenha poucos momentos de conversa, e dições fisiológicas que estão em sua base.
não possa desenvolver um relacionamento Se alguns problemas são comprovadamente
de discipulado, ainda pode recomendar ou físicos - a Síndrome de Tourette é um dos
entregar um livro, uma fita ou um artigo. poucos no DSM-IV que, possivelmente,
Você pode encorajar alguém para que vá a estão incluídos nesta categoria -, então a
uma igreja fiel à Palavra e praticante do amor medicação pode complementar o minis-
bíblico, e ali procure dar início a um rela- tério bíblico. Mas vimos que não há base
cionamento de discipulado. Você pode orar para reconhecer a grande maioria destes
a favor de e com esta pessoa, independente- transtornos como parte de uma ciência
mente do relacionamento entre vocês ser de médica objetiva. As Escrituras são o cam-
curta ou longa duração. Deus trabalha em po apropriado para o entendimento dos
vidas. Às vezes, Ele atua por seu intermédio; assim chamados transtornos mentais: eles
outras vezes, por intermédio de outros. consistem em comportamentos derivados
Estou convencido de que as Escrituras do pecado. Uma mudança verdadeira pode
falam a respeito de cada um dos critérios de acontecer a partir do momento em que o
diagnóstico dos transtornos de personalida- pecado é admitido e há arrependimento.
de. O todo - a nomenclatura adotada - não é Quando o problema consiste em um cora-
maior que a soma das partes, e serve apenas ção perdido, a Palavra de Deus é o remédio
para obscurecer as partes e induzir ao erro mais seguro porque o Espírito Santo nos
tanto os indivíduos a quem os diagnósticos conduz a Cristo.

132 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 2