Você está na página 1de 9

Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”

Universidade de São Paulo

Ensaios em Parcelas Subdivididas

Piracicaba
Novembro 2014

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 1/9


Introdução

Considere o seguinte experimento instalado de acordo com o delineamento


casualizado em blocos, sendo os fatores de tratamento variedades de soja,
com 4 nı́veis e formas de adubação, com 3 nı́veis.

Variedades:V1 , V2 , V3 , V4
2 fatores
Formas : F1 , F2 , F3

12 combinações ⇒ 12 tratamentos
V1 F1 V1 F2 V1 F3
V2 F1 V2 F2 V2 F3
V3 F1 V3 F2 V3 F3
V4 F1 V4 F2 V4 F3

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 2/9


Introdução

Ensaio Fatorial

Figura : Possı́vel croqui para um bloco: ensaio fatorial

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 3/9


Introdução

Ensaio em Parcelas Subdivididas

Figura : Possı́vel croqui para um bloco: ensaio em parcelas subdivididas

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 4/9


Introdução

Ensaio em Faixas

Figura : Possı́vel croqui para um bloco: ensaio em faixas

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 5/9


Introdução
Os ensaios em parcelas subdivididas...
podem ser instalados em qualquer delineamento experimental (DIC,
DBC, DQL);
assim como os fatoriais, também envolvem as combinações dos nı́veis
dos fatores de tratamento.

Fator primário: casualizado às


parcelas;
Fator secundário: casualizado às
subparcelas.

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 6/9


Introdução

Observações
Os nı́veis do fator secundário são mais sorteados ⇒ maior precisão;
Deve-se alocar os nı́veis do fator de maior interesse na subparcela m;
A ANOVA terá dois resı́duos, um para parcelas e outro para
subparcelas;
Teremos dois coeficientes de varição, uma ao nı́vel de parcela, e
outro ao nı́vel de subparcela.

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 7/9


Modelo

Supondo um experimento instalado de acordo com o delineamento


casualizado em blocos, sendo J o número de blocos, e esquema de
tratamento em parcelas subdivididas, com o fator primário A, com I nı́veis
e o fator secundário B, com K nı́veis.

O modelo:
yikj = µ + bj + Ai + eij + Bk + (AB)ik + eikj

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 8/9


ANOVA

Esquema da ANOVA
F.V. gl SQ QM F
Blocos J −1 SQ Blocos
Fator A I −1 SQ A QM A QM A
QM Res(a)
Resı́duo (a) (J − 1)(I − 1) SQ Res(a) QM Res(a)
(Parcelas) (IJ-1) (SQ Parcelas)
Fator B K −1 SQ B QM B QM B
QM Res(b)
QM Int A#B
Int A#B (I − 1)(K − 1) SQ Int A#B QM Int A#B
QM Res(b)
Resı́duo (b) I (J − 1)(K − 1) SQ Res(b) QM Res(b)
Total IKJ − 1 SQ Total

Estatı́stica Experimental 5 de Novembro de 2014 9/9