Você está na página 1de 6

64 Práticas com o método Orff - Atividades

Você deve participar das propostas de atividades disponibilizadas nesta unidade.

N1_QT64 – Práticas com o método Orff

AO – Improvisação

AO – Solfejo melódico

AO – Percussão corporal

AO – Atividade integrada: preparação para gravação

Bom trabalho!

Musicalização

Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES.
Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010
12
64 Práticas com o método Orff - Atividades
N1_QT64 – Práticas com o método Orff

Após a exploração do conteúdo e dos materiais de apoio desta unidade de estudos, responda ao
questionário disponível na plataforma Moodle.

Lembre-se que o questionário é o integrante de sua avaliação N1 que determinará o percentual de


frequência e interação com as unidades de estudo. Se você obtiver frequência inferior a 75%, não
terá direito a receber certificado por este curso e ele não será válido como atividade
complementar.

Além disso, os questionários são uma maneira simples de você mesmo verificar o quanto
conseguiu aprender em um primeiro contato com a unidade, indicando a necessidade de ampliar
seus estudos.

Musicalização

Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES.
Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010
13
64 Práticas com o método Orff - Atividades
AO – Improvisação

Atenção, violonistas! Percam o medo do teclado e divirtam-se improvisando nas teclas pretas!
Atenção, tecladistas! Preparem-se para brincar com o instrumento, ampliando conteúdos já
aprendidos nas primeiras Unidades de Estudo, pois vamos improvisar tocando a escala pentatônica
que está pronta nas teclas pretas do teclado. Sigam alguns procedimentos:

Modalidade improvisação de melodias com acompanhamento rítmico:


•Colocar-se em duplas no teclado;
•Selecionar um estilo de ritmo pré-gravado, sem harmonias, entre os “Styles” do teclado e prepará-lo
para execução automática;
•Improvisar melodias que combinem adequadamente com o ritmo automático do teclado, alternando
com o colega na elaboração de frases de quatro compassos (podem combinar quantas frases
improvisarão. Lembrem-se que o grau 1 será Dó#);
•Propor uma frase improvisada e aguardar que seu colega a imite, dentro de estruturas de compasso
pré-combinadas. E vice-versa.
Modalidade improvisação de melodias com acompanhamento harmônico:
•Dividindo-se um grande grupo em dois, ou fazendo a tarefa em dupla, determinar quem fará o
acompanhamento e quem improvisará a melodia em cada vez;
•Ver aqui a partitura para o ostinato de acompanhamento; e utilize também as bases de
acompanhamento das UE_16 e 17 de Seminário Integrador Teclado, que utiliza a escala pentatônica
formada pelas teclas pretas do piano. Revise o material!
•Tocar com os colegas, alternando rodadas em que se executa o ostinato e/ou melodias.
Modalidade compor novos ostinatos que sustentem harmonicamente a improvisação melódica e
repetir procedimentos anteriores.
Musicalização

Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES.
Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010
14
64 Práticas com o método Orff - Atividades
AO – Solfejo melódico

Se você observou atentamente o último vídeo presente no Conteúdo desta unidade


(http://www.youtube.com/watch?v=GaLaifD0_Fw&), pode observar um rápido trecho em que o
grupo realiza exercícios de solfejo movimentando as mãos conforme os sons ficam mais graves
ou mais agudos. Esse procedimento se chama Manossolfa. Existem vários tipos de manossolfa,
como veremos em unidades futuras, mas essa é a possibilidade mais simples.

Inspirados na escala pentatônica, foram realizadas improvisações ao teclado. Nesta prática,


vamos cantar, realizando solfejos tonais disponíveis nas partituras a seguir. Página dos solfejos

A dinâmica de realização desses solfejos é a seguinte:


-Individualmente, fazer uma leitura prévia e silenciosa da partitura.
-Dividir o grupo em duas partes: uma parte marcará a pulsação com algum tipo de percussão
corporal e/ou instrumental, enquanto a outra parte canta o solfejo (pode-se ajudar a afinação com
o uso do teclado). Inverter e repetir o mesmo canto.
-Os alunos que estiverem cantando, deverão realizar movimentos ascendentes e descendentes
com as mãos, de acordo com os movimentos melódicos presentes no solfejo; os demais,
alternam-se na regência do grupo de cantores.
-O grupo inteiro canta o solfejo inteiro, marcando a pulsação e realizando os movimentos de
manossolfa ou de marcação de compassos, simultaneamente.
-Cada integrante do grupo solfeja um ou dois compassos, passando o compasso seguinte ao
próximo colega, sem perder a pulsação.

Musicalização

Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES.
Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010
15
64 Práticas com o método Orff - Atividades
AO – Percussão corporal

Depois que tiver dominado o solfejo, você pode criar ostinatos rítmicos que possam ser
executados simultaneamente à melodia cantada.

Utilize percussão corporal, como nos exemplos vistos nos vídeos disponíveis no Conteúdo. A
seguir, reflita sobre a constituição das células rítmicas que você construiu: quais as relações entre
as células rítmicas e a pulsação: contemplam tempos inteiros, subdivisões, divisões variadas
abaixo da subdivisão? Como você poderia escrever a partitura dessas células rítmicas?

Musicalização

Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES.
Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010
16
64 Práticas com o método Orff - Atividades
AO – Atividade integrada: preparação para gravação

Após desenvolver essas atividades, elabore, junto com seu grupo, uma sessão de estudos de
solfejo, improvisação e composição de ostinatos rítmicos para acompanhamento.

O desenvolvimento dessa sessão terá continuidade na unidade 65, quando será registrado em
vídeo. Não faça a filmagem agora, pois ainda serão acrescentadas informações na próxima
semana. A sessão desta semana deverá conter três atividades:

-A execução coletiva do solfejo, com manossolfa, mostrando todos os integrantes do grupo.


Observação: há duas possibilidades de realização desta atividade: ou o grupo de cantores lê a
partitura e a desenha no ar enquanto canta; ou apenas o regente a lê, desenhando-a no ar para
que o grupo a execute! Assim, o regente tanto poderá marcar compassos como poderá desenhar
a melodia. Com o tempo e a prática, talvez consiga coordenar um movimento com cada mão...
Divirtam-se tentando (neste caso, você poderá se valer do que aprendeu em Dalcroze)!
-Uma atividade de improvisação ao teclado, nos moldes da atividade “AO – Improvisação”;
-Uma atividade de acompanhamento de canção com percussão corporal: o grupo deverá escolher
uma canção que possa ser cantada por todos e apresente possibilidade de aproveitamento
pedagógico na escola. A partir da canção escolhida, elaborar ostinatos rítmicos em percussão
corporal e cantar a canção realizando o ostinato.

Importante: a realização das três atividades desta sessão resultará em três pequenas peças
musicais. Essas peças, executadas em sequência, não devem ultrapassar o tempo total de três
minutos, considerando que depois serão registradas em vídeo.
Musicalização

Material elaborado para o Curso de Licenciatura em Música da UFRGS e Universidades Parceiras, do Programa Pró-Licenciaturas II da CAPES.
Produzido pela equipe do CAEF. Porto Alegre, 2010
17