Você está na página 1de 12

COLETÂNEA 3 - PROPOSTAS DE REDAÇÃO

PROPOSTA 1

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua
formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “OS
PROBLEMAS NO ACESSO À SAÚDE NO BRASIL”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos
humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto
de vista.

Texto 1:
Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à
redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua
promoção, proteção e recuperação.
Art. 197. São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao Poder Público dispor, nos termos da lei,
sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita diretamente ou através de terceiros
e, também, por pessoa física ou jurídica de direito privado.
Fonte: http://conselho.saude.gov.br/web_sus20anos/20anossus/legislacao/constituicaofederal.pd

Texto 2:
Em 2010, o Brasil gastou apenas 10,7% de seu orçamento público total com a saúde, quase 5% a menos que a média
mundial e cerca de 1,5% a menos que outros países emergentes. Nesse caso, o maior problema é que não há uma lei
determinando qual deve ser o investimento percentual do governo federal no SUS. Assim, em 1990 mais de 70% da
receita foi para a saúde, caindo vertiginosamente para os 10,7% já citados em 2010. E por mais que no ano seguinte
(em 2011) esse valor tenha aumentando, a redução é sistemática e preocupante.Além disso, com a transição
demográfica da população para uma faixa etária mais elevada e a incorporação de tecnologias ao sistema de saúde, a
expectativa é de que o sistema fique cada vez mais caro. Assim, embora o gasto per capita tenha aumentado de 170
dólares em 2000 para 466 dólares em 2010, o Brasil ainda se mantém abaixo da média mundial (que é de 571 dólares
per capita).
Fonte: http://www.mv.com.br/pt/blog/alguns-dados-sobre-a-saude-publica-brasileira-em-que-voce-precisa-
ficar-de-olho

Texto 3:

1
PROPOSTA 2

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua
formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema
“OS RELACIONAMENTOS FAMILIARES NA ERA DA TECNOLOGIA”, apresentando proposta de intervenção que
respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para
defesa de seu ponto de vista.

Texto 1:
De acordo com a especialista Maria Helena Marzabal Paulino, integrante da Associação Brasileira de Terapia Familiar
(ABRATEF), às vezes o afastamento dos familiares não é responsabilidade apenas da tecnologia, mas também uma
consequência do grau de união e intimidade que eles compartilhavam antes dela chegar: “Há uma pré-disposição”. Se
o afeto e o cultivo de outros bons sentimentos não forem bem valorizados, possivelmente a tecnologia favorecerá um
“distanciamento maior, propiciando um isolamento entre os membros da família. Ou seja, cada um fica circunscrito ao
seu espaço virtual”, explica.
Considerando a falta de se promover, no dia a dia, afeto e diálogo na relação entre os casais, por exemplo, a tecnologia
pode se tornar uma grande vilã. Para se ter ideia, no fim de 2014, a Associação Italiana de Advogados Matrimoniais
(AMI) constatou que, infelizmente, cerca de 40% dos divórcios por adultério na Itália envolviam mensagens no
WhatsApp como prova de infidelidade. A ferramenta acabava por se tornar um escape para que os cônjuges se
“livrassem” de problemas mal-resolvidos entre si e descambassem para ainda mais erros.
Fonte: http://www.boavontade.com/pt/tecnologia/relacionamento-familiar-internet-aproxima-ou-distancia-pessoas-
que-estao-na-nossa-casa
Texto 2:

Fonte: http://www.aratuonline.com.br/criatividadeeconectividade/tag/celular/
Texto 3:
A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua

PROPOSTA 3

formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema
“A CRISE DO SISTEMA CARCERÁRIO BRASILEIRO”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos
humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto
de vista.
Texto 1:

Fonte: Jornal O Tempo


Texto 2:
O ano de 2017 começou com o novo capítulo de uma antiga história. A morte de mais de 100 detentos chamou atenção
para a guerra de facções criminosas dentro de presídios brasileiros e expôs a fragilidade do sistema penitenciário
nacional. Diante da crise, o Ministério da Justiça anunciou a criação de um Grupo Nacional de Intervenção Penitenciária
para atuar dentro dos presídios, em conjunto com as forças policiais estaduais. A exemplo da Força Nacional de
Segurança Pública, o grupo conta com cerca de cem agentes penitenciários cedidos pelos estados e tem como objetivo
conter situações problemáticas do sistema carcerário.

3
As medidas sucederam ao anúncio do lançamento do Plano Nacional de Segurança Pública, que começará a ser
implementado no dia 15 de fevereiro. O plano prevê ações conjuntas de segurança pública e inteligência por parte dos
governos federal e estaduais para tentar reduzir o número de homicídios dolosos, feminicídios e violência contra a
mulher em todo o país.
Fonte: http://www.ebc.com.br/especiais/entenda-crise-no-sistema-prisional-brasileiro
Texto 3:

Fonte: http://prisional.blogspot.com.br/2017/01/

PROPOSTA 4

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija
texto dissertativo-argumentativo em norma-padrão da língua portuguesa sobre o tema: “A QUESTÃO DA
APROPRIAÇÃO CULTURAL NO BRASIL CONTEMPORÂNEO”. Apresente experiência ou proposta de ação social
que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para
defesa de seu ponto de vista.

Texto 1:
A palavra “apropriar” significa tomar para si. O termo “apropriação cultural” é um conceito da antropologia e se refere
ao momento em que alguns elementos específicos de uma determinada cultura são adotados por pessoas ou um grupo
cultural diferente. Mas não é só isso. O conceito de apropriação cultural passa por uma reflexão política. Esse uso tem
uma conotação negativa, especialmente quando a cultura de um grupo que foi oprimido é adotada por um grupo de
uma cultura dominante. A cultura é um universo de símbolos e as imagens e as estéticas são fruto das experiências
humanas. Um turbante carrega significados mais complexos e profundos do que simplesmente ser uma vestimenta.
Por muito tempo o turbante foi visto de forma pejorativa como “coisa de macumbeiro”. Todo esse contexto faz com que
um negro, ao usar um turbante hoje, use-o não apenas como um item estético, mas também como um símbolo de
resistência, afirmação e orgulho da ancestralidade. E quando o turbante é usado por um não negro? A princípio não há
problema. A liberdade individual é uma premissa de uma sociedade democrática. A pessoa pode levar o modo de vida
que desejar e vestir o que quiser. Mas será que esse uso é ético? Será que ela não está refletindo uma relação de
poder? Recentemente, a moda se apropriou dos turbantes com estampas étnicas. Modelos e atrizes brancas posaram
para editoriais em revistas de moda. Adotado por uma determinada elite, o turbante se tornou estiloso. Por que os
modelos não eram negros? Como fica a cultura negra? […]
Fonte: https://vestibular.uol.com.br/resumo-das-disciplinas/atualidades/branco-pode-usar-turbante-saiba-o-que-e-
apropriaca
Texto 2:
Fonte: Folha de São Paulo
Texto 3:
Um turbante tornou-se o epicentro de um acalorado debate sobre apropriação cultural e racismo, viralizado pelas redes
sociais nos últimos dias. Identificado como um símbolo da população negra e da ancestralidade africana no Brasil, o
adereço ganhou, nos últimos anos, destaque em editoriais de moda e passou a ser encontrado com facilidade em lojas,
multiplicando seu uso por pessoas de diversas origens. A produção em massa do objeto e o uso motivado apenas por
interesses estéticos, inspira, porém, críticas e ressalvas feitas pela população negra, que aponta problemas com essa
prática, se feita sem reflexão, como a invisibilização de quem produziu aquela cultura.
Disponível em: http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/10/saiba-qual-e-rota-do-trafico-de-animais-silvestres-no-
brasil.html

PROPOSTA 5

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija
um texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “OS HÁBITOS
DE LEITURA DO BRASILEIRO”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione,
organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1:
Há um pouco mais de leitores no Brasil. Se em 2011 eles representavam 50% da população, em 2015 eles são 56%.
Mas ainda é pouco. O índice de leitura, apesar de ligeira melhora, indica que o brasileiro lê apenas 4,96 livros por ano
– desses, 0,94 são indicados pela escola e 2,88 lidos por vontade própria. Do total de livros lidos, 2,43 foram terminados
e 2,53 lidos em partes. A média anterior era de 4 livros lidos por ano. Os dados foram revelados na tarde desta quarta-
feira, 18, e integram a quarta edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil.
Realizada pelo Ibope por encomenda do Instituto Pró-Livro, entidade mantida pelo Sindicato Nacional dos Editores de
Livros (Snel), Câmara Brasileira do Livro (CBL) e Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares (Abrelivros), a
pesquisa ouviu 5.012 pessoas, alfabetizadas ou não, mesma amostra da pesquisa passada. Isso representa, segundo
o Ibope, 93% da população brasileira.
Para a pesquisa, é leitor quem leu, inteiro ou em partes, pelo menos 1 livro nos últimos 3 meses. Já o não leitor é
aquele que declarou não ter lido nenhum livro nos últimos 3 meses, mesmo que tenha lido nos últimos 12 meses.
Disponível em: http://cultura.estadao.com.br/blogs/babel/44-da-populacao-brasileira-nao-le-e-30-nunca-comprou-um-
livro-aponta-pesquisa-retratos-da-leitura/
Texto 2:

5
Texto 3:

Fonte: Quino. Toda Mafalda

PROPOSTA 6

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija
um texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “O
DESRESPEITO AOS IDOSOS NO BRASIL CONTEMPORÂNEO”, apresentando proposta de intervenção, que
respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para
defesa de seu ponto de vista
Texto 1:
Texto 2:
A questão do desrespeito ao idoso no Brasil deve ser considerada uma patologia cultural, social e política.
Lamentavelmente o cidadão brasileiro não tem o hábito de respeitar os idosos e por isso dizemos que a violação dos
direitos do idoso é uma questão cultural, que foi absorvida pelos entes públicos que em total demonstração de desprezo
colocam a política social da terceira idade em segundo plano.
Em uma tentativa de corrigir e coibir os desmandos sociais e políticos e dar dignidade à pessoa idosa foi instituído o
Estatuto do Idoso Lei 10.741, de 1º de outubro de 2.003. O estatuto define o idoso como “as pessoas com idade igual
ou superior a 60 (sessenta) anos” art. 1º, onde garante alguns direitos que deveriam ser uma obrigação moral acima
da legal.
O direito aqui tratado já é uma garantia constitucional e decorre do princípio da dignidade humana, e deveria ser tradado
com maior atenção cainho e respeito iniciando-se pela família, aliás, assim define o artigo 3º da Lei. “É obrigação da
família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do
direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade,
à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária”.
Fonte: https://portalplena.com/direitos/desrespeito-ao-idoso-no-brasil-e-uma-patologia-cultural-social-e-politica-diz-
advogado/
Texto 3:

7
PROPOSTA 7

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua
formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “AS
MANIFESTAÇÕES DE VIOLÊNCIA NOS ESTÁDIOS DE FUTEBOL BRASILEIROS”, apresentando proposta de
intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos
e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1
A violência nos estádios brasileiros vem chamando a atenção ano após ano. Apenas entre 2013 e 2015, o país registrou
53 mortes em brigas de torcidas. Um exemplo dessa brutalidade aconteceu em Recife, Pernambuco, onde um torcedor
morreu depois de ser atingido por um vaso sanitário no estádio do Santa Cruz.
O país lidera a lista de violência entre torcedores, seguido por Argentina e Itália. Essa realidade violenta, as mortes
ligadas ao futebol e as brigas estão, invariavelmente, relacionadas às torcidas organizadas. O governo vem trabalhando
para reduzir o índice de violência dentro e fora dos estádios, mas é preciso que sejam adotadas ações efetivas para
evitar confrontos entre as torcidas.
De uma forma geral, a violência no futebol é resultado da ineficácia dos planos de ação do estatuto do torcedor, que
não estabelece medidas de segurança, com procedimentos operacionais e conscientização de torcedores. É
fundamental educar as torcidas para que consigam conviver com respeito e tolerância.
Ações como o registro de todos os torcedores de organizadas e a punição de pessoas que se envolvem em brigas
seriam importantes para reduzir os casos de violência no futebol. Afinal, o esporte deve ser cercado apenas por alegria,
saúde e esportividade.
Disponível em http://www.grupoescolar.com/pesquisa/redacao--violencia-nos-estadios.html
Texto 2: Lei 10.671/03

https://njurid.wordpress.com/2010/07/27/lula-sanciona-lei-que-endurece-combate-a-violencia-nos-estadios/
Texto 3:
PROPOSTA 8

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua
formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “OS
DESAFIOS DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO”, apresentando proposta de intervenção que respeite os
direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu
ponto de vista.

Texto 1:
A taxa de desemprego no Brasil foi de 13% no segundo trimestre deste ano, de acordo com dados da Pesquisa Nacional
por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia
e Estatística (IBGE). O Brasil tinha 13,486 milhões de desempregados. O nível de desocupação foi menor do que
aquele registrado no primeiro trimestre, de 13,7%, mas ficou 1,7 ponto percentual acima da taxa apurada entre abril e
junho de 2016 (11,3%). "Foi o primeiro recuo estatisticamente significativo da taxa de desocupação desde o trimestre
outubro/dezembro de 2014", destacou o IBGE.
Disponível em: http://www.valor.com.br/brasil/5058060/brasil-soma-135-milhoes-de-desempregados-aponta-ibge
Texto 2:
A proporção de pessoas que trabalham por conta própria entre o total de ocupados aumentou de 17,9%, em janeiro de
2013, para 19,8% em novembro de 2015, segundo cálculos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com
base na Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
De acordo com o economista do Ipea, Miguel Foguel, provavelmente, esse fenômeno tem a ver com a reação defensiva
do trabalhador diante de um mercado de trabalho em crise, em que as empresas estão demitindo e deixando de
contratar. “Aí, a reação deles ante a dificuldade de encontrar emprego é buscar algum tipo de renda por meio de um
microempreendimento ou alguma atividade que se configura como por conta própria, e continuar contribuindo para a
Previdência Social, mas agora não mais como um empregado formal”.

Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2016-01/crise-eleva-trabalho-por-conta-propria-no-


brasil-indica-economista-do-ipe

9
Texto 3:

PROPOSTA 9

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua
formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A
CRISE HÍDRICA NO BRASIL”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione,
organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1:
O problema maior com a notícia falsa não é o óbvio fato de que ela é falsa, mas, sim, quem a consome. É um pessoal
que QUER acreditar. É fé, é quase religião. Por isso, é inquestionável. Não adianta mostrar o fato, porque eles vão
questionar o fato. Não adianta pedir provas, porque vão duvidar das provas. Antes das redes sociais, esse pessoal
mais conspiratório ficava quietinho num canto da mesa do bar e quando dizia que a CIA estava por trás do ET de
Varginha, tomava logo um “Cala a boca seu xarope!”. Todo mundo ria. Mas com o Twitter e o Facebook, todos os
malucos de canto de mesa de bar se encontraram e hoje são milhões. [...]

Fonte:http://gq.globo.com/Colunas/Tiago-Leifert/noticia/2017/02/nunca-se-compartilhou-tantas-noticias-falsas-com o-
atualmente.html

Texto 2:
O 13º salário será extinto pelo Governo brasileiro. Obama chuta porta em protesto contra Trump. Diabo aparece em
foto tirada no Maranhão. O que essas notícias têm em comum? Todas são falsas e se espalharam rapidamente pela
internet. Uma informação gera conhecimento, ajuda a pessoa a construir uma opinião sobre determinado assunto e
aprimora o debate público. Mas quantas informações falsas você já compartilhou nas redes sociais ou em grupos do
WhatsApp? Não é porque algo está publicado por amigos ou em formato de notícia que necessariamente é verdade.
Muitas vezes passamos para a frente algo que nem paramos para pensar de onde veio. É necessário cada vez mais
cuidado e racionalidade ao ler as notícias. Em novembro deste ano, o Facebook e o Google anunciaram que vão
combater sites que propagam notícias falsas, impedindo que estas plataformas utilizem seus serviços de publicidade.
Fonte: https://vestibular.uol.com.br/resumo-das-disciplinas/atualidades/desinformacao-na-era-da-informacao-
o-compartilhamento-de-mentiras-e-boatos-na-internet.htm

Texto 3:
PROPOSTA 10

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua
formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A
QUESTÃO DA IGUALDADE DE GÊNERO NO BRASIL”, apresentando proposta de intervenção que respeite os
direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu
ponto de vista.

TEXTO 1:

Texto 2:
Caso o ritmo recente de queda da desigualdade entre homens e mulheres no Brasil se mantivesse, elas ganhariam o
mesmo que eles em 2085.
Ocupariam 51% —a proporção pela qual respondem na população brasileira— dos cargos de diretoria executiva em
2126. E essa parcela dos cargos de alta gestão em geral em 2213.

11
Atingiriam essa cota das vagas do Senado em 2083. Nas Câmaras Municipais, em 2160. E na Câmara dos Deputados,
em 2254.
http://www1.folha.uol.com.br/asmais/2015/09/1675183-no-ritmo-atual-fim-da-desigualdade-entre-homens-e-mulheres-demoraria-240-anos.shtml

Texto 3:
Apesar do crescimento econômico e dos avanços sociais registrados na América Latina e no Caribe nos últimos 25
anos, a igualdade entre mulheres e homens continua sendo uma questão pendente, de acordo com um relatório da
ONU Mulheres apresentado nesta quarta-feira (5) em Santiago. Fechar estas brechas socioeconômicas e de gênero,
em um contexto "adverso de desaceleração econômica", é o principal desafio destacado no relatório "O progresso das
mulheres na América Latina e no Caribe 2017. Transformar as economias para realizar direitos".
Os autores do relatório fazem um diagnóstico da situação nos últimos 25 anos e formulam propostas para reduzir as
brechas, não apenas entre homens e mulheres, mas entre as próprias mulheres, em uma região onde "as profundas"
desigualdades socioeconômicas "se agravam com algumas dinâmicas familiares e com patrões patriarcais e violentos".
http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2017/07/para-onu-igualdade-de-genero-ainda-e-questao-pendente-na-america-latina-9833736.html