Você está na página 1de 56

Relatório

Anual 2O16
DESTAQUES
Patrimônio e disponibilidade (R$ bilhões) 57,9
48,3
40,7 33,8
22,8
19,5

2014 2015 2016

Patrimônio Disponibilidade

SUPERAVIT DE 2016: R$ 9,6 BILHÕES VALOR TOTAL PAGO EM GARANTIAS:


PATRIMÔNIO EM 2016 R$ 57,9 BILHÕES R$ 31 MILHÕES NO EXERCÍCIO

99,7%
das pessoas físicas e empresas que
AVANÇOS INSTITUCIONAIS possuem depósitos elegíveis à garantia
ordinária estão cobertas integralmente
E DE GOVERNANÇA pelos limites atuais
 omplementação da estrutura de
C
governança, com a contratação de SEGURANÇA E EFICIÊNCIA
um novo diretor executivo
Além de conferir mais flexibilidade e segurança à operação,
Revisão das políticas institucionais a implantação do Sistema de Garantias e Operações (SGO)
P rocesso participativo de construção assegurou uma economia da ordem de R$ 7 milhões em
da missão, da visão e dos valores despesas com tecnologia e processamento de dados.
da entidade
Publicação do Código de Conduta Ética ACESSO À INFORMAÇÃO DE
QUALIDADE
O acervo do Centro de Documentação FGC – que reúne
textos técnicos de organismos internacionais e obras raras
NOVOS ACORDOS DE no Brasil sobre temas ligados à garantia de depósitos – foi
COOPERAÇÃO TÉCNICA aberto a consulta e visitas agendadas de pesquisadores e
profissionais interessados.
S eguro de Depósitos S.A., (Sedesa),
da Argentina
 orporación de Protección del Ahorro
C
EQUIPE PRÓPRIA
A internalização, em 2016, da equipe e dos serviços
Bancario, (Copab), do Uruguai
operacionais, de contabilidade e de processamento da folha
F undo Garantidor do Cooperativismo
de pagamentos visou a conferir mais autonomia e agilidade
de Crédito,(FGCoop), no início de 2017
aos processos.
ÍNDICE

2 P. DESTAQUES

4 P. MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO

6 P. QUEM SOMOS

1O P. GOVERNANÇA CORPORATIVA

14 P. CENÁRIO

2O
P. OPERAÇÃO

26
P. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

54
P. INFORMAÇÕES CORPORATIVAS
MENSAGEM DA
ADMINISTRAÇÃO

O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) chega aos 21 anos


executando a relevante missão de proteger depositantes e
investidores e contribuir para a manutenção da estabilidade do
Sistema Financeiro Nacional. Ao longo desse período, avançamos
AVANÇAMOS EM UMA em uma trajetória consistente de amadurecimento, que se reflete
TRAJETÓRIA CONSISTENTE em iniciativas de aperfeiçoamento interno, com ênfase na governança,
DE AMADURECIMENTO, na gestão de riscos e nos sistemas e controles. E, acima de tudo, o
QUE SE REFLETE EM FGC assumiu sua função de patrimônio do sistema financeiro e da
INICIATIVAS DE sociedade, desempenhando o papel que lhe é destinado nas
APERFEIÇOAMENTO dinâmicas de relacionamento que queremos construir com nossos
INTERNO, COM FOCO NA stakeholders, trabalhando com total transparência e integridade.
GOVERNANÇA, NA GESTÃO
DE RISCOS E NOS Este Relatório de Administração simboliza o momento de mudança
SISTEMAS E CONTROLES pelo qual estamos passando e visa inaugurar uma etapa de maior
proximidade e melhor comunicação com as nossas comunidades.
A adoção de um novo formato para a publicação, mais acessível e
de leitura mais fácil, ocorre em paralelo com a total reformulação de
nossa logomarca, de nosso site institucional e do conjunto de canais
de diálogo e mídias sociais que proporcionam o acesso rápido às
informações do FGC para todos. Nas próximas páginas, discorremos
sobre os principais avanços e desafios da entidade em 2016, a partir
de uma abordagem transparente e ampla, que envolve aspectos
econômicos, normativos, de governança e de posicionamento
perante nossos pares no mundo e a sociedade de forma geral.

No que se refere ao contexto de atuação e ao desempenho financeiro, o


último Censo divulgado pelo Banco Central, em dezembro de 2016,
mostra que a base de depósitos elegíveis à garantia do FGC atingiu R$ 1,9

4 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


19,9%
de crescimento
de patrimônio em
comparação com
2O15 e ultrapassou
R$ 57,8 bilhões

trilhão. Desse total, aplicadas as numa associação civil. O marco modelos para testes de estresse
regras da garantia prestada, pouco inicial nessa evolução foi a criação e simulações que asseguram
mais de R$ 1 trilhão corresponde do Conselho de Administração o monitoramento cada vez
aos depósitos cobertos por nós. A independente, minimizando mais preciso das informações
base de depositantes e investidores conflitos de interesse que e tendências.
no sistema totaliza 222,8 milhões poderiam surgir no relacionamento
de clientes, dos quais 99,67% do Fundo com suas instituições Por fim, a internalização de toda
contam com garantia de 100% financeiras associadas. Em seguida, a equipe de funcionários do FGC
do valor de seu depósito. avançamos com a formalização – que anteriormente estavam
de uma série de políticas e formalmente vinculados à Serasa
Em 2016, acompanhando a processos. O passo seguinte Experian – reforça as possibilidades
evolução do volume do sistema, foi a complementação de uma de treinamento e aprimoramento
as receitas de arrecadação diretoria por área, robusta e contínuo do grupo de profissionais
cresceram e atingiram a média experiente, com a contratação do Fundo.
mensal de R$ 238,8 milhões. de um novo diretor executivo.
A receita média total, considerando Apoiado pelos notáveis avanços
também as rendas de operações Recentemente, também dos últimos anos, o porvir nos
financeiras, foi de R$ 830 milhões publicamos nosso Código de reserva a intensificação de nosso
por mês. Nosso patrimônio cresceu Conduta Ética, construído a relacionamento com nosso
19,9% em comparação com partir de um extenso trabalho Regulador e com os órgãos
2015 e ultrapassou R$ 57,8 bilhões. de discussão de nossa missão internacionais garantidores de
Desse total, R$ 33,8 bilhões e valores, que envolveu a depósitos, buscando nos
correspondem às nossas participação ativa de todos aproximar cada vez mais das
disponibilidades em liquidez. os nossos colaboradores. melhores práticas e construir um
O superávit do período foi de sólido conhecimento de valor
R$ 9,6 bilhões, um aumento de No campo da estrutura, para o segmento e para a
27% em relação ao ano anterior. a implantação de sistemas estabilidade do sistema financeiro.
de gestão de garantias
Do ponto de vista da boa foi acompanhada do É o que desejamos para o nosso
governança, merece destaque aperfeiçoamento das futuro.
a consolidação do processo de ferramentas destinadas ao
profissionalização, iniciado em controle dos riscos de crédito Jairo Saddi
2013, que teve como parâmetros e mercado. De lá para cá, Presidente do Conselho de
as melhores práticas de gestão evoluímos na formatação de Administração - FGC

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 5


QUEM SOMOS
O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é uma entidade privada sem fins
lucrativos que integra a rede de proteção do Sistema Financeiro Nacional e
tem como função precípua a proteção dos depósitos de pequenos e médios
depositantes e investidores. Foi criado em 1995 com base nas resoluções
2.197 e 2.211 do Conselho Monetário Nacional (CMN) e, de lá para cá,
vem contribuindo para a estabilidade do Sistema Financeiro Nacional.
A atuação do FGC se dá por duas vertentes: uma voltada aos depositantes
e investidores, outra voltada às instituições financeiras associadas

Desde o início de sua operação, nos casos de intervenção ou liquidação


de uma instituição financeira pelo Banco Central do Brasil (BCB), o FGC
realiza o pagamento da garantia às pessoas físicas e jurídicas com
depósitos elegíveis (ver quadro) de até R$ 250 mil por CPF ou CNPJ
em cada instituição. O limite é definido pelo CMN e, nos moldes atuais,
engloba a totalidade dos depósitos elegíveis à garantia pertencentes
a 99,7% dos depositantes e investidores.

A partir de 2008, e de forma  roteção explícita e cobertura


p a dministração privada: por
mais ampla com a edição limitada: os critérios e limites lei, a entidade tem caráter
da resolução 4.087 do CMN de proteção são definidos privado com atuação
em 2012, a prevenção de claramente por meio de independente, mas integrada
crises sistêmicas passa a resolução do CMN; à Rede de Proteção do
integrar a missão do FGC. Sistema Financeiro Nacional.
Consequentemente, como ação a desão compulsória:
preventiva de situações de crise, nenhuma instituição A organização tem sede em São
o FGC também passa a poder financeira pode emitir Paulo e abrangência nacional. Por
prestar suporte financeiro às depósitos sujeitos à garantia lei, todas as instituições
instituições associadas, incluindo sem estar associada ao FGC; financeiras autorizadas pelo BCB
operações de liquidez. a funcionar no Brasil que emitirem
 nanciamento privado ex
fi depósitos garantidos precisam ser
As principais características ante: quem assegura os associadas ao FGC durante todo
do FGC são: recursos para o eventual o período de vigência das
pagamento das garantias é o aplicações. Atualmente, isso
próprio sistema bancário, por representa 186 instituições, entre
meio de contribuições fixas bancos múltiplos, comerciais, de
das associadas sobre os investimento ou desenvolvimento,
valores depositados; sociedades de crédito

6 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


A GARANTIA1
Quem está protegido: pessoas e empresas com depósitos elegíveis nas instituições
associadas.
Depósitos elegíveis: conta corrente, caderneta de poupança, depósitos a prazo, como
RDB (Recibo de Depósito Bancário) ou CDB (Certificado de Depósito Bancário), letras
de câmbio, letras imobiliárias, letras hipotecárias, letras de crédito imobiliário, letras
de crédito de agronegócio e operações compromissadas de títulos emitidos após
8 de março de 2012 por empresa do mesmo conglomerado financeiro.
Limites: R$ 250 mil por CPF/CNPJ em cada instituição. Isso corresponde a oito vezes
a renda per capita anual brasileira; nos Estados Unidos, a garantia é limitada a quatro
vezes a renda per capita nacional.

Considera a garantia ordinária, aplicável aos investidores considerados não institucionais. Os institucionais, como
1 

fundos de investimentos, seguradoras e fundos de pensão, contam com a garantia dos Depósitos a Prazo com
Garantia Especial (DPGE).

financiamento e investimento, o objetivo de reforçar o A medida está alinhada ao


sociedades de crédito imobiliário, alinhamento interno e conferir compromisso da entidade
companhias hipotecárias e mais eficiência e autonomia aos com a eficiência e a excelência
associações de poupança e processos, foram internalizados, operacional, que havia
empréstimo e a Caixa Econômica em 2016, a equipe e os serviços justificado, em 2015, a
Federal. Assim, as próprias operacionais ligados à implantação do Sistema de
instituições financeiras asseguram contabilidade e ao Garantias e Operações (SGO).
os recursos para o pagamento processamento da folha de Além de conferir mais
das garantias aos investidores pagamentos. As atividades eram flexibilidade e segurança à
por meio do pagamento de realizadas por meio de contrato operação, a adoção de um
contribuições mensais. de terceirização com a Serasa sistema próprio proporcionou
Experian. Além de contribuir benefícios financeiros: as
QUALIDADE para a motivação e o senso de despesas com tecnologia e
E EFICIÊNCIA pertencimento das equipes, a processamento de dados caíram
incorporação dos profissionais 70%, o que representou uma
A equipe do FGC é formada por ao quadro próprio deve gerar economia de mais de R$ 7
40 profissionais, que atuam nas benefícios financeiros a partir de milhões em 2016.
diretorias Operacional, Jurídica, 2017, com a redução dos custos
de Riscos e Administrativa e de de administração do contrato.
Tecnologia de Informação. Com

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 7


COOPERAÇÃO E TROCA
DE EXPERIÊNCIAS
O FGC participa ativamente dos América do Norte. Em 2017, O FGC também participou do
principais fóruns de discussão o FGC será sede da segunda Seminário Internacional de
sobre os diversos sistemas edição do evento e do Planejamento da Recuperação e
de garantia de depósitos no encontro dos três comitês da Resolução Bancária promovido
mundo e integra iniciativas de das Américas; pelo Banco Central do Brasil em
desenvolvimento conjunto e junho de 2016.
cooperação técnica do setor. S eminário Regional de Resolução
Em 2016, os principais eventos Bancária e Garantia de Com foco na consolidação de uma
promovidos pela Associação Depósitos, organizado pelo rede de cooperação técnica com
Internacional de Garantidores Centro Latino-Americano de organismos garantidores de outros
de Depósitos (IADI, na sigla em Estudos Monetários, no México; países, o FGC firmou acordo de
inglês) foram: cooperação com o Seguro de
 5ª Conferência Anual dos
1 Depósitos S.A. (Sedesa, da
 º Fórum dos Garantidores
1 Garantidores de Depósitos, Argentina) e com a Corporación
de Depósitos das Américas, realizada na Coreia; de Protección del Ahorro Bancario
realizado na Argentina, no (Copab, do Uruguai). No início de
âmbito da Conferência  onferência do Financial
C 2017, foi formalizado o memorando
Anual do Comitê de Stability Institute/Iadi sobre de entendimento para troca de
Instituições da América Resolução Bancária, informações com o Fundo Garantidor
Latina, que contou com a Gerenciamento de Crises e do Cooperativismo de Crédito
parceria dos Comitês de Garantia de Depósitos, que (FGCoop), responsável pelas
Instituições do Caribe e da foi realizada na Suíça. garantias de depósitos do segmento
cooperativista financeiro no Brasil.

INCENTIVO À PESQUISA
O Prêmio FGC para Projetos Acadêmicos, lançado em 2015, concede bolsas para projetos de mestrado
e doutorado sobre temas relevantes ao desenvolvimento da garantia de depósitos no Brasil. A seleção
é realizada por meio de editais e prevê uma bolsa de R$ 20 mil para projeto de mestrado e outra de
R$ 40 mil para projeto de doutorado. Podem concorrer pesquisadores matriculados em instituições de
pós-graduação reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).

Uma das pesquisas selecionadas na primeira edição do prêmio está em fase de conclusão. O trabalho se
aprofundou sobre a atuação de outras entidades que não o Banco Central do Brasil, como prestamistas
de última instância, como são chamadas as organizações que realizam operações de liquidez em situações
em que outros agentes se recusam a fazer isso. Foi analisado, especialmente, o período pós-crise
econômica de 2008, com o objetivo de identificar elementos para aumentar a resiliência das instituições
financeiras no Brasil.

8 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


COMPARTILHAR
CONHECIMENTO
Em 2016, o FGC abriu ao público seu
Centro de Documentação, que reúne obras
e textos técnicos não encontrados em outras
bibliotecas no Brasil, sobre temas relacionados
a serviços de garantia de depósitos,
regulação bancária, crises financeiras e
mercado de capitais.
Os pesquisadores interessados em consultar o
acervo devem agendar e confirmar a visita por
e-mail (centrodedocumentacao@fgc.org.br)
ou telefone (11 3543-7000).

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 9


GOVERNANÇA
CORPORATIVA
Na estrutura de tomada de decisão do FGC, o órgão máximo de deliberação é a Assembleia
Geral, integrada por todas as instituições financeiras associadas.

A Assembleia é responsável por analisar as contas e aprovar as demonstrações financeiras da


entidade em reunião ordinária realizada até o dia 30 de abril posterior ao encerramento do exercício.

2O16
Com foco na gestão de riscos, o FGC
ampliou o conjunto de ferramentas
de monitoramento das instituições
financeiras cobertas e das próprias
garantias recebidas.

1O Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


A administração do FGCe a execução das Diretor Executivo e quatro Diretores sem
atividades ficam a cargo do Conselho de designação específica, porém com atribuições
Administração e da Diretoria Executiva, definidas pelo Conselho de Administração (ver
compostas de profissionais independentes organograma), que representam a entidade e
das associadas, eleitos pela Assembleia Geral. colocam em prática sua estratégia.
Conselheiros e diretores estão sujeitos ao
compromisso de confidencialidade e à aprovação Para temas específicos de análise das
de seus nomes pelo Banco Central do Brasil (BCB) demonstrações financeiras e dos relatórios de
para o exercício de suas funções. prestações de contas e auditoria, o FGC possui
um Conselho Fiscal integrado por três titulares.
O Conselho de Administração conta com seis Complementam a estrutura o Conselho
membros e, dentre outras, tem como principais Consultivo, composto de até seis titulares e seis
funções estabelecer as diretrizes gerais de atuação suplentes, e a Auditoria Interna, que fiscaliza
do FGC e do relacionamento com as associadas, a aplicação das normas e dos controles.
avaliar ações recomendadas pela Diretoria
Executiva, indicar candidatos a membros da A descrição completa da estrutura de governança
Diretoria Executiva e do Conselho Consultivo. está disponível no site www.fgc.org.br.
A Diretoria Executiva tem cinco integrantes, o

ESTRUTURA DE GOVERNANÇA
Assembleia Geral
das Associadas

Conselho Fiscal

Conselho Conselho de
Consultivo Administração

Auditoria
Interna

Diretoria
Executiva

DIRETORIA EXECUTIVA

Diretoria
Executiva
Diretoria
Diretoria Administrativa Diretoria Diretoria
Operacional e TI de Riscos Jurídica

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 11


EVOLUÇÃO CONSTANTE MELHORES PRÁTICAS
Em 2016, o FGC deu passos importantes no aperfeiçoamento De olho nos melhores parâmetros
do sistema de governança. A estrutura foi complementada com mundiais, o FGC deu início à sua
a contratação de um diretor executivo para coordenar, de forma autoavaliação para verificação
integrada, as atividades de execução da estratégia da entidade. do cumprimento dos Princípios
A função havia sido prevista durante o processo de revisão da Essenciais para os garantidores
governança, iniciado em 2013, e visa a profissionalizar ainda de depósitos, definidos pela
mais a administração. Associação Internacional de
Seguradores e Garantidores de
Também avançou a revisão das políticas, normas e procedimentos internos Depósitos (IADI). O processo está
do FGC, com o objetivo de reforçar e aperfeiçoar o marco institucional e em andamento, com previsão de
incorporar novas tendências e boas práticas. A atualização do Estatuto conclusão no primeiro semestre
foi aprovada em fevereiro e incorporou a alteração definida pela de 2017, e contará com a
Resolução do CMN nº 4.469, que alterou as pessoas beneficiárias da validação final de uma equipe
garantia ordinária de até R$ 250 mil. internacional indicada pela IADI.
A associação é uma entidade
No final de 2016, estava em andamento a complementação das políticas privada, sem fins lucrativos, com
de administração, com a elaboração de documentos específicos para os sede junto do Banco Internacional
temas de recursos humanos, compliance e controles internos, que de Liquidações, na Basileia, Suíça,
devem ser aprovados no primeiro semestre de 2017. e é a principal referência internacional
do setor.
Com foco na gestão de riscos, o FGC ampliou o conjunto de
ferramentas de monitoramento das instituições financeiras cobertas
e das próprias garantias recebidas. As garantias são avaliadas sob os
aspectos de valorização, formalização e processamento interno das
instituições por meio de inspeções regulares. Para o monitoramento
do mercado, a entidade conta com o suporte de um banco de dados
que sistematiza os balanços das instituições associadas capturados
mensalmente do Sistema de Informações do BCB (Sisbacen).

Para reforçar a gestão, foram formatados modelos de teste de


estresse e simulações que colaboram com a análise de diferentes
tendências e cenários possíveis e orientam as ações de controle,
prevenção e mitigação.

FGC
ampliou o conjunto de ferramentas
de monitoramento das instituições
financeiras cobertas e das próprias
garantias recebidas

12 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


NOSSA IDENTIDADE
Em 2016 iniciamos o projeto
Inspiração: instituição privada de interesse público, Cultura FGC, que engajou todos
um patrimônio da sociedade brasileira os colaboradores no esforço de
identificar e definir os elementos
Propósito: contribuir para a confiança das pessoas no necessários à execução da missão
Sistema Financeiro Nacional institucional da entidade,
estabelecida em estatuto. A partir
Princípios de confiança de um diagnóstico prévio e com a
 igor técnico para preservar a imparcialidade
R orientação de uma consultoria
e a isenção especializada, as equipes construíram
Legitimidade para ser respeitado os enunciados que explicitam a razão
Tempestividade para ser eficiente e justo de existir da organização – seu
propósito – e os princípios e valores
Valores Missão institucional que orientam o trabalho. As discussões
Interesse público P roteger depositantes e investidores no âmbito também serviram de base para a
Excelência do Sistema Financeiro Nacional, até os limites elaboração do Código de Conduta
Integridade estabelecidos pela regulamentação Ética do FGC, aprovado no início
Respeito Contribuir para a manutenção da estabilidade de 2017.
Orgulho do Sistema Financeiro Nacional
Contribuir para a prevenção de crise bancária
sistêmica

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 13


CENÁRIO
Três eventos tiveram especial relevância
na atuação do FGC em 2016.

BANCO AZTECA RESOLUÇÃO CMN


No início do ano, em 8 de janeiro, No que se refere ao cenário normativo, a principal mudança foi a
o Banco Central do Brasil (BCB) publicação da Resolução 4.469 do CMN, que modificou algumas
decretou a liquidação extrajudicial regras do Estatuto e do Regulamento do FGC. A partir dessa
do Banco Azteca do Brasil S.A., resolução, respeitado o status quo ante, a garantia ordinária passa
por intermédio do ato do presidente a valer para as pessoas físicas e jurídicas em geral, excluindo-se
do BCB nº 1.319. Um mês após expressamente desse benefício os créditos de titularidade dos
a decretação do regime especial, chamados investidores institucionais - instituições financeiras e
o FGC iniciou o pagamento das demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central,
garantias ordinárias aos credores entidades de previdência complementar, sociedades seguradoras,
da instituição, após o envio das sociedades de capitalização, clubes de investimento e fundos de
informações pelo liquidante. As investimento, bem como créditos que representem quaisquer
garantias pagas no ano totalizaram participações nessas ou nos instrumentos financeiros de sua
R$ 29,6 milhões. titularidade, bem como cotas de fundos de investimento.

VOLUMES DO SISTEMA E COBERTURA DO FGC


Segundo o censo realizado pelo BCB os depósitos elegíveis à garantia totalizavam R$ 1,9 trilhão em
dezembro de 2016. Com a limitação da garantia ordinária em até R$ 250 mil, a cobertura do FGC
alcançava R$ 1 trilhão, o que representa 54,88% do total dos depósitos elegíveis à cobertura existentes
à época, suficiente para cobrir plenamente os depósitos de 99,67% dos depositantes e investidores.
Em números absolutos, são 222 milhões de clientes1, que se encontravam 100% cobertos em relação
ao valor depositado.

Os 0,33% dos clientes com saldo de depósitos superior a R$ 250 mil por instituição ou conglomerado, e que,
portanto, não se encontram totalmente cobertos pela garantia ordinária – inclusive institucionais –, contam com a
opção de Depósitos a Prazo com Garantia Especial (DPGE), modalidade que cobre até R$ 20 milhões por CNPJ ou
CPF por instituição ou conglomerado. Ao fim do período, o volume de DPGE do sistema era de R$ 9,3 bilhões.

Um cliente é contado mais de uma vez se possuir depósitos em mais de uma instituição ou conglomerado financeiro.
1 

14 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


R$ 9,3
BMD
O pagamentos aos credores das
empresas do Grupo BMD em
BILHÕES
o volume de DPGE
regime de liquidação ordinária: do sistema ao fim
Banco BMD S.A., BMD S.A. do período
Corretora de Câmbio e Valores
Mobiliários, BMD S.A.
Distribuidora de Títulos e Valores
Mobiliários, BMD Leasing S.A. e
BMD S.A. Serviços Técnicos e
Administrativos, conforme
Oferta Pública realizada em
2009 para aquisição de créditos
quirografários.

GARANTIA ORDINÁRIA – até R$ 250 mil dez/15 dez/16


Valor dos depósitos elegíveis (em R$ milhões) 1.828.052 1.893.199
Valor dos depósitos cobertos (em R$ milhões) 1.012.147 1.038.974
% Depósitos Cobertos 55,37% 54,88%
Quantidade total de clientes 221.295.662 222.828.472
Clientes com 100% de cobertura do valor depositado 220.584.547 222.085.339
% Clientes com 100% de cobertura 99,68% 99,67%

GARANTIA ESPECIAL (DPGE) – até R$ 20 milhões dez/15 dez/16

Quantidade de depósitos 6.165 4.549

Valor total dos depósitos (em R$ milhões) 14.786 9.333


Valor dos ativos emitidos sem garantia (DPGE I) 12.350 7.830
Valor dos ativos emitidos com garantia (DPGE II) 2.436 1.503
Valor total das garantias entregues ao FGC (em R$ Milhões) 4.920 4.564
Valor das garantias entregues ref. DPGE I 1.520 1.847
Valor das garantias entregues ref. DPGE II 3.400 2.717

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 15


CENSO SEMESTRAL

Garantia ordinária - comparativo de Dez/2015 e Dez/2016 por faixas

Faixas Dez/2015 Dez/2016

Número de % sobre Valores % sobre Número de % sobre o valores % sobre


(Valores em R$)
clientes o total (R$ milhões) o otal clientes total (R$ Milhões) o total

De a

0,01 5.000,00 194.672.693 87,97% 84.839 4,64% 195.700.844 87,83% 83.762 4,42%

5.000,01 10.000,00 9.084.582 4,11% 64.512 3,53% 9.163.274 4,11% 65.157 3,44%

10.000,01 15.000,00 4.341.210 1,96% 53.028 2,90% 4.416.642 1,98% 54.025 2,85%

15.000,01 20.000,00 2.554.908 1,15% 44.259 2,42% 2.617.282 1,17% 45.383 2,40%

20.000,01 25.000,00 1.784.714 0,81% 39.868 2,18% 1.828.610 0,82% 40.877 2,16%

25.000,01 30.000,00 1.251.702 0,57% 34.304 1,88% 1.289.341 0,58% 35.355 1,87%

30.000,01 35.000,00 1.006.201 0,45% 32.594 1,78% 1.021.746 0,46% 33.127 1,75%

35.000,01 40.000,00 762.230 0,34% 28.530 1,56% 779.594 0,35% 29.214 1,54%

40.000,01 45.000,00 633.978 0,29% 26.913 1,47% 648.158 0,29% 27.526 1,45%

45.000,01 50.000,00 503.755 0,23% 23.932 1,31% 519.767 0,23% 24.703 1,30%

50.000,01 60.000,00 825.010 0,37% 45.104 2,47% 844.594 0,38% 46.208 2,44%

60.000,01 70.000,00 581.830 0,26% 37.700 2,06% 596.771 0,27% 38.683 2,04%

70.000,01 80.000,00 437.903 0,20% 32.782 1,79% 450.473 0,20% 33.741 1,78%

80.000,01 90.000,00 342.887 0,15% 29.116 1,59% 353.070 0,16% 29.991 1,58%

90.000,01 100.000,00 273.143 0,12% 25.938 1,42% 282.103 0,13% 26.801 1,42%

100.000,01 150.000,00 872.602 0,39% 105.550 5,77% 894.373 0,40% 108.481 5,73%

150.000,01 200.000,00 407.590 0,18% 70.284 3,84% 420.634 0,19% 72.597 3,83%

200.000,01 250.000,00 247.609 0,11% 55.115 3,01% 258.063 0,12% 57.560 3,04%
Subtotal até
220.584.547 99,68% 834.368 45,64% 222.085.339 99,67% 853.191 45,07%
R$ 250.000,00
Subtotal acima
711.115 0,32% 993.684 54,36% 743.133 0,33% 1.040.008 54,93%
de R$ 250.000,00
Total elegível - garantia
221.295.662 100,00% 1.828.052 100,00% 222.828.472 100,00% 1.893.199 100,00%
ordinária
Variação 0,69% 3,56%
Valor sujeito à garantia
1.012.147 1.038.974
ordinária
Variação 2,65%

16 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Resolução do CMN nº 4.469 alterou
as pessoas beneficiárias da garantia
ordinária de até

R$ 25OMIL

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 17


Depósitos a Prazo com Garantia
Especial (DPGE), modalidade que
cobre até

R$ 2O
MILHÕES

Depósitos a Prazo com Garantia Especial do FGC - DPGE

Faixas Dez/2015 Dez/2016

Número % sobre Valores % sobre Número % sobre o Valores % sobre


(Valores em R$)
de ativos o total (R$ milhões) o total de ativos total (R$ milhões) o total
De a
1.000,00 1.000.000,00 2.160 35,04% 1.003 6,78% 1.718 37,77% 705 6,76%

1.000.000,01 5.000.000,00 3.123 50,66% 5.299 35,84% 2.385 52,43% 4.268 40,21%

5.000.000,01 10.000.000,00 541 8,78% 3.650 24,69% 263 5,78% 1.789 26,46%

10.000.000,01 15.000.000,00 205 3,33% 2.513 17,00% 104 2,29% 1.273 16,61%

15.000.000,01 20.000.000,00 125 2,03% 2.085 14,10% 78 1,71% 1.278 9,60%


Subtotal até
6.154 99,82% 14.550 98,40% 4.548 99,98% 9.313 99,64%
R$ 20 milhões
Subtotal acima
11 0,18% 236 1,60% 1 0,02% 20 0,36%
de R$ 20 milhões
Total elegível – garantia
6.165 100,00% 14.786 100,00% 4.549 100,00% 9.333 100,00%
especial
Valor sujeito à garantia
14.770 9.333
especial
Variação -36,81%
Total elegível às garantias
221.301.827 1.842.838 222.833.021 1.902.532
(ordinária e especial)
Total do valor sujeito às
garantias (ordinária e 1.026.917 1.048.307
especial)
Variação 1,49% 2,08%

18 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Comparativo por produto (R$ milhões)
% do % do (Dez-16/
Dez/2015 Dez/2016
total total Dez-15)

Poupança 651.263 35,34% 658.182 34,60% 1,06%

Depósitos a prazo 533.264 28,94% 619.569 32,57% 16,18%

Depósitos a vista 163.328 8,86% 169.437 8,91% 3,74%

Letras de crédito imobiliário 204.934 11,12% 202.732 10,66% -1,07%

Letras de crédito do agronegócio 191.526 10,39% 186.865 9,82% -2,43%

Operações compromissadas 73.427 3,98% 43.449 2,28% -40,83%

D.P.G.E. 14.786 0,80% 9.333 0,49% -36,88%

Letras de câmbio 5.215 0,28% 6.562 0,34% 25,83%

Depósitos não mov.p/cheque 4.044 0,22% 5.256 0,28% 29,97%

Letras hipotecárias 1.051 0,06% 1.147 0,06% 9,13%

1.842.838 100,00% 1.902.532 100,00% 3,24%

Fonte: DIFIS/DESIG/DIACI/CORAC (BCB) e CETIP.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 19


OPERAÇÃO
GARANTIAS PAGAS E RECUPERAÇÕES
Em 2016, o FGC realizou R$ 31,3 milhões de pagamentos de garantias.
O maior volume se refere às garantias pagas aos credores do Banco
Azteca do Brasil S.A., que teve a liquidação decretada em janeiro de 2016.

Valor de despesas com créditos sub-rogados (Valores em R$ mil)

Instituição Pagamento de Garantias

Banco Azteca do Brasil 29.598

Banco Rural 983

Banco BRJ 509

Banco BVA 147

Banco Cruzeiro do Sul 46

TOTAL 31.283

Quando paga a garantia e se sub-roga no direito contra a instituição,


o FGC acompanha o processo de resolução a fim de recuperar, no todo
ou em parte, o valor desembolsado para pagamento dos depositantes.
Em 2016, foram recuperados os seguintes valores:

Valor recuperado ref. a créditos sub-rogados (Valores em R$ mil)

Instituição TOTAL

Banco BMD 1.268

Banco Royal de Investimento 478

TOTAL 1.746

LIMITES OPERACIONAIS
Conforme mencionado, a partir do final de 2008 o papel do FGC
foi ampliado como medida macroprudencial de enfrentamento à
crise econômica internacional. Foram então criados dois tipos de
programas: assistência de liquidez e suporte com natureza estrutural
às instituições financeiras.

Face à demanda possivelmente ampliada sobre os recursos do FGC,


dado esse acréscimo de escopo de sua missão, o Estatuto Social
e o Regulamento do FGC preveem a definição de limites operacionais
que visam a assegurar o equilíbrio das contas e a manutenção das
disponibilidades para exercício de seu objeto. Por conta desses limites

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 21


operacionais, as operações do programa de liquidez obedecem ao limite global de 50% do patrimônio
líquido do FGC, acrescido das antecipações de contribuições das associadas. O montante das operações
do programa de assistência com natureza estrutural também deve respeitar esse limite de 50%.

Em caso de situação conjuntural adversa, reconhecida pelo BCB, e no intuito de preservar a higidez
e a estabilidade do Sistema Financeiro Nacional, os limites individuais de 50% podem ser estendidos
em caráter excepcional, desde que o conjunto dos dois programas não ultrapasse o limite de 75%
do patrimônio líquido do FGC, acrescido das antecipações.

Controle do Limite
54,2% Operacional Estatutário (Valores em R$ Milhões)
52,0% 51,1% 50,2% 46,9%
Patrimônio Social (100%) 57.879

24,1% 21,2% 75% do


Patrimônio
12,4%
1
Realizado
12,1% % utilizado do limite
8,0%
Limite para o conjunto de operações 43.409 15.913 36,7%

50% do
Dez.2015 Mar.2016 Patrimônio
Jun.2016 1 Realizado
Set.2016 % utilizado do limite
Dez.2016
Limite para cada tipo de operação 28.940
Operações do programa de liquidez
% Liquidez % Estrutural 2.327 8,0%
Operações do programa de assistência com
natureza estrutural 13.586 46,9%
1
A este valor deve-se somar 100% dos adiantamentos de contribuições, que atualmente é zero.

% UTILIZADO DO LIMITE PARA O CONJUNTO DE OPERAÇÕES


52,2% 48,8%
42,4% 41,5%
36,7%

Dez.2015 Mar.2016 Jun.2016 Set.2016 Dez.2016

% Utilizado

% UTILIZADO DO LIMITE PARA CADA TIPO DE OPERAÇÃO


54,2% 52,0% 51,1% 50,2% 46,9%

24,1% 21,2%
12,4% 12,1% 8,0%

Dez.2015 Mar.2016 Jun.2016 Set.2016 Dez.2016

% Liquidez % Estrutural

22 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Em relação às operações dos programas de assistência, a administração
deve observar duas limitações adicionais relacionadas ao conjunto de
operações firmadas – direta ou indiretamente – com determinada
instituição ou com instituições de um mesmo conglomerado:

a) o montante não pode exceder o valor existente dos produtos


de captação cobertos pela garantia do FGC, de cada associada
ou de associadas de um mesmo conglomerado; e

b) o valor não pode ser superior a 25% do patrimônio líquido do


FGC, acrescido das antecipações de contribuições das associadas.

As contribuições também são objeto de monitoramento e podem


sofrer limitações em função da disponibilidade do FGC. Segundo o
regulamento, quando as disponibilidades atingem 2% do total dos
saldos das contas cobertas pela garantia, no conjunto das instituições
associadas, a Administração pode propor ao BCB a suspensão
temporária das contribuições. A proposta depende de análise e
autorização do Conselho Monetário Nacional (CMN) e somente
é executada se aprovada pelo BCB.

Comparadas as disponibilidades do FGC com o total do volume do


sistema em dezembro de 2016, as disponibilidades correspondiam
a 1,78% do total do volume.

DISPONIBILIDADES X VOLUME DO SISTEMA (VALORES EM R$ MILHÕES)


38.051
36.857
35.137
32.368
33.835
28.082

22.881
19.536
15.335
13.807
1,78%
0,98% 1,11% 1,24%
0,95%

2012 2013 2014 2015 2016


% das Disp. FGC em relação ao Total do Sistema 2% do Total do Sistema Disponibilidades do FGC

DESEMPENHO FINANCEIRO
A média mensal das contribuições para manutenção do FGC, que
constituem a receita de arrecadação, foi de R$ 238.841
227.010 mil em
234.920 2016.
238.841
218.427

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 23

12.770 8.572 3.723 3.259


2012 2013 2014 2015 2016
% das Disp. FGC em relação ao Total do Sistema 2% do Total do Sistema Disponibilidades do FGC

RECEITAS DE ARRECADAÇÃO – MÉDIA MENSAL (R$ MIL)


218.427 227.010 234.920 238.841

227.010 8.572 3.259


2016 12.770 8.572 3.723 3.259
218.427 12.770 3.723
2015
Contribuição Ordinária Contribuição Especial Recheque Total
204.087 (DPGE) 17.781 4.564
2014
178.201 19.467 5.282
2015 2016
2013
167.866 21.100 5.546
2012 A receita total do FGC compõe-se pelas receitas de A média mensal da arrecadação vem subindo ao
arrecadação e receitas financeiras. longo dos exercícios. Sua distribuição acompanha
Contribuição Ordinária Contribuição Especial DPGE a variação dos volumes do sistema.
Recheque

RECEITAS TOTAIS RECEITAS DE ARRECADAÇÃO


MÉDIA MENSAL (R$ MIL) MÉDIA MENSAL (R$ MIL)
238.841 591.337 227.010 8.572 3.259
2016 2016
234.920 491.577 218.427 12.770 3.723
2015 2015
226.432 325.642 204.087 17.781 4.564
2014 2014
202.950 201.109 178.201 19.467 5.282
2013 2013
194.512 239.151 167.866 21.100 5.546
2012 2012

Receitas de arrecadação Receitas Financeiras Contribuição Ordinária Contribuição Especial DPGE


Recheque

RECEITAS TOTAIS X DESPESAS – MÉDIA MENSAL (R$ MIL)

726.497 830.178 238.841 591.337


2016
234.920 491.577
2015
226.432 325.642
4.722 2014
3.791
1,61%
202.950 1,98%
201.109 0,52% 0,57%
2013
Total de Receitas Despesas % Despesas/ 239.151
194.512 % Despesas/
2012 Contribuições Total de Receitas
2015 2016
Receitas de arrecadação Receitas Financeiras

24 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


As receitas financeiras apresentaram crescimento principalmente por As despesas de consultorias e
conta da alta da taxa de juros observada entre 2013 e 2016. serviços advocatícios, incluídas
due diligences em carteiras
As despesas operacionais, que incluem despesas de pessoal, gerais e utilizadas como garantias em
administrativas, apresentaram uma média de R$ 4.722 mil no período, operações, novos serviços de
equivalendo a 1,98% das receitas com contribuições e 0,57% das consultores jurídicos para
receitas totais do FGC (contribuições e receitas financeiras). demandas relacionadas ao Banco
Cruzeiro do Sul – Massa Falida,
De 2015 para 2016, a média mensal das despesas aumentou cerca êxitos dos escritórios em
de 25%. A variação é reflexo das correções nos contratos vigentes processos, principalmente por
e, principalmente, de novos contratos de consultorias e serviços conta das ações dos fundos de
advocatícios, firmados no período para apoio em demandas nas pensão, e depósitos judiciais por
quais o FGC é parte, além de êxitos e condenações judiciais. condenações definitivas,
representaram em 2016 42% do
total das despesas operacionais.

Despesas – média mensal (R$ mil) A média mensal desse tipo de


despesa alcançou R$ 1.967 mil,
2015 2016 var. % um aumento de 217% em
Pessoal 899 1.493 66% relação a 2015, quando a média
mensal era de R$ 620 mil.
Serv. Terc. - Serasa Experian 806 510 -37%
A variação era esperada e as
Operacionais e Administrativas 430 323 -25%
contratações foram realizadas no
TI e processamento de dados 838 252 -70% âmbito dos projetos desenvolvidos
Consultorias e Serviços Adv. 620 1.967 217% pela administração.
Aluguel e contas de consumo 197 177 -10%
As variações nas despesas de
Despesas 3.791 4.722 25%
pessoal e serviços de terceiros -
Serasa Experian estão
relacionadas à rescisão do
As despesas de aluguel e contas de consumo, que representam 4% contrato com este fornecedor e
do total das despesas operacionais, tiveram média mensal de R$ 177 à internalização da equipe
mil em 2016, apresentando uma queda de aproximadamente 10% na operacional do FGC.
comparação com 2015. Colaborou para essa redução o encerramento
das atividades do escritório regional de Brasília, conforme decisão Em sua totalidade, as despesas
adotada em 2015 e ratificada em 2016 pela assembleia. operacionais recorrentes do FGC
estão dentro do orçamento
No período, como resultado dos investimentos realizados em tecnologia aprovado pela administração
da informação, com o desenvolvimento de um novo sistema para para o exercício de 2016.
atender à entrega de garantias ao DPGE I e ao DPGE II, não houve
despesa relacionada ao processamento de dados. O total de despesas,
incluídos os serviços de TI para manutenção da infraestrutura do FGC,
caiu aproximadamente 70%, o que representa uma economia de cerca
de R$ 7 milhões no ano.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 25


DEMONSTRAÇÕES
FINANCEIRAS
FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS - FGC
DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
Em 31 de dezembro de 2O16

Índice

Demonstrações financeiras auditadas

Balanços patrimoniais...........................................................................................................................28
Demonstrações do superávit e das mutações do patrimônio social..................................................3O
Demonstrações do superávit abrangente.............................................................................................31
Demonstrações dos fluxos de caixa - Método Indireto.......................................................................32
Notas explicativas às demonstrações financeiras................................................................................33

Relatório do auditor independente sobre as demonstrações financeiras.........................................49


Parecer do Conselho Fiscal ...................................................................................................................................................................... 53

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 27


Fundo Garantidor de Créditos - FGC

BALANÇOS PATRIMONIAIS
Em 31 de dezembro de 2016 e 2015
(em milhares de reais)

Nota 2016 2015


Ativo circulante
Bancos conta-movimento 1.345 317
Aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários 4 36.246.430 25.863.126
Instrumentos financeiros derivativos 5 - 432
Contribuições a receber 6 235.395 221.430
Outros títulos e créditos a receber 8 280.540 205.599
36.763.710 26.290.904

Ativo não circulante

Realizável a Longo Prazo


Aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários 4 13.944.507 15.762.804
Instrumentos financeiros derivativos 5 - 4.883
Títulos e créditos a receber - FCVS 7 636.493 452.345
Outros títulos e créditos a receber 8 7.043.015 6.289.008
21.624.015 22.509.040

Imobilizado 759 861


Intangível 2.263 1.983

Total do Ativo 58.390.747 48.802.788

28 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Nota 2016 2015
Passivo circulante
Fornecedores 1.287 4.188
Salários e encargos sociais 1.190 377
Obrigações Contratuais 10.e 6.745 -
Pagamentos por conta de terceiros 12.a 32.307 76.745
Outros credores 140 6.065
41.669 87.375

Passivo não circulante

Provisões para contingências 9 469.627 437.268


469.627 437.268

Total do Passivo 511.296 524.643

Patrimônio social
Superávit acumulado 57.879.451 48.278.145

Total do Passivo e Patrimônio Social 58.390.747 48.802.788

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 29


Fundo Garantidor de Créditos - FGC

DEMONSTRAÇÕES DO SUPERÁVIT E DAS MUTAÇÕES


DO PATRIMÔNIO SOCIAL
Exercícios findos em 31 de dezembro de 2016 e 2015
(em milhares de reais)

Nota 2016 2015


Demonstração das receitas e despesas

Receitas (despesas) de arrecadações


Contribuições mensais Ordinárias 2.724.121 2.621.129
Contribuições mensais DPGE 91.675 139.314
Contribuições mensais DPGE com alienação 11.184 13.926
Contribuições da RECHEQUE 39.110 44.670
Despesas com serviços de arrecadação (1.955) (2.233)

Receita líquida de arrecadação 2.864.135 2.816.806

Receitas (despesas) operacionais


Pagamento de garantias - créditos sub-rogados 10.a (31.283) (120.618)
Recuperação de garantias - créditos sub-rogados 10.a 1.746 1.923
Gerais e administrativas (38.747) (34.706)
Com pessoal (17.913) (10.782)
Outras receitas operacionais 18.264 169.797
Outras despesas operacionais 10.e (372.109) (7.200)
Aprovisionamentos e ajustes patrimoniais 10.b 131.569 (1.148.239)
Despesas financeiras 10.c (50.401) (21.588)
Receitas financeiras 10.d 7.096.045 5.898.927

Receitas Operacionais líquidas 6.737.171 4.727.514

Superávit do exercício 9.601.306 7.544.320

Demonstração das mutações do patrimônio social


Saldo no início do exercício 48.278.145 40.733.825
Superávit do exercício 9.601.306 7.544.320
Saldo no final do exercício 57.879.451 48.278.145

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

3O Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Fundo Garantidor de Créditos - FGC

DEMONSTRAÇÕES DO SUPERÁVIT ABRANGENTE


Exercícios findos em 31 de dezembro de 2016 e 2015
(em milhares de reais)

2016 2015

Superávit do exercício 9.601.306 7.544.320


Outros resultados abrangentes - -
Superávit abrangente total 9.601.306 7.544.320

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 31


Fundo Garantidor de Créditos - FGC

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA - MÉTODO INDIRETO


Exercícios findos em 31 de dezembro de 2016 e 2015
(em milhares de reais)

Nota 2016 2015


Fluxos de caixa das atividades operacionais
Superávit do exercício 9.601.306 7.544.320

Depreciação e amortização 255 270


Redução a valor de mercado de títulos e créditos a receber – FCVS e títulos CVS 10.b (100.979) 58.991
Efeito líquido das movimentações da provisão para créditos de liquidação
duvidosa – FCVS 10.b 46.193 293.562
Efeito líquido de ajuste dos contratos de FCVS na quitação de obrigações contratuais 10.b - 33.678
Provisão para perdas em operações com instituições e créditos adquiridos 10.b 73.035 478.392
Ajuste a valor de mercado de operações com instituições 10.b (182.177) 182.177
Provisões para contingências 10.b 32.359 101.439
Resultado no MTM dos instrumentos financeiros derivativos 10.c e d 4.767 (7.385)
Superávit ajustado 9.474.759 8.685.444

Variações nos ativos e passivos


(Aumento) em contribuição a receber (13.965) (3.571)
Redução/(Aumento) em aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários 2.388.093 (4.283.519)
(Aumento)/Redução em títulos e créditos a receber - FCVS (129.362) 25.572
(Aumento) em outros títulos e créditos a receber (719.806) (785.682)
Redução em instrumentos financeiros derivativos 5 548 (361)
(Redução)/Aumento em fornecedores (2.901) 1.557
Aumento em salários e encargos sociais 813 40
(Redução) em outros credores (5.925) (1.157)
Aumento/(Redução) em obrigações contratuais 6.745 (291.894)
(Redução) em pagamentos por conta de terceiros (44.438) (100)
Total das variações nos ativos e passivos 1.479.802 (5.339.115)

Disponibilidades líquidas geradas nas atividades operacionais 10.954.561 3.346.329

Fluxos de caixa das atividades de investimentos e imobilização


Aquisição imobilizado e intangível (433) (1.301)
Disponibilidades líquidas aplicadas nas atividades de investimento
e imobilização (433) (1.301)

Aumento em caixa e equivalente de caixa 10.954.128 3.345.028

Modificações em caixa e equivalentes de caixa


Caixa e equivalente de caixa no início do exercício 22.881.139 19.536.111
Caixa e equivalente de caixa no final do exercício 4.c 33.835.267 22.881.139
Aumento em caixa e equivalente de caixa 10.954.128 3.345.028

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

32 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Fundo Garantidor de Créditos - FGC

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS


Em 31 de dezembro de 2016
(em milhares de reais)

1. Contexto operacional

O Fundo Garantidor de Créditos - FGC A garantia de créditos do FGC é prestada


é uma associação civil sem fins lucrativos, nas hipóteses de decretação de regime de
com personalidade jurídica de direito privado, intervenção ou liquidação extrajudicial, ou
regida pelos termos da Resolução nº 4.469 reconhecimento, pelo Banco Central do Brasil
do Conselho Monetário Nacional (CMN), de - BCB, do estado de insolvência de instituição
25 de fevereiro de 2016, e pelas disposições associada. Neste sentido, o FGC, por efetuar o
legais e regulamentares, isenta do imposto pagamento de dívidas de instituições associadas,
de renda e da contribuição social sobre o tem o direito de se sub-rogar do que pagou nos
superávit social, conforme disposto no art. 4º termos do art. 346, inciso III, do Código Civil.
da Lei nº 9.710/98, e do PIS e COFINS sobre
o faturamento, nos termos da legislação Também tem como objeto a contratação
em vigor. de operações de assistência e de suporte
financeiro, incluindo operações de liquidez
Possui como finalidade proteger os com as instituições associadas, diretamente ou
depositantes e investidores no âmbito do por intermédio de empresas por estas indicadas,
sistema financeiro, até os limites estabelecidos inclusive com seus acionistas controladores,
pela regulamentação, e contribuir para a respeitados os limites operacionais previstos
manutenção da estabilidade do Sistema em sua regulamentação.
Financeiro Nacional e para a prevenção de
crise bancária sistêmica. A associação ao FGC Ressalvadas as hipóteses previstas no seu
é compulsória por parte das instituições que Estatuto, é vedado ao FGC aplicar recursos
mantêm depósitos elegíveis à garantia que na aquisição de bens imóveis, ou em títulos
presta, conforme previsto na regulamentação. de renda variável, exceto quando recebidos
em liquidação de créditos de sua titularidade,
após o que devem ser alienados.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 33


Para sua manutenção e custeio da garantia Estimativas e premissas, consideradas prudentes
a ser prestada, suas receitas são provenientes pela Administração, foram utilizadas na
de contribuições de suas associadas, baseadas preparação dessas demonstrações, incluindo a
no saldo de depósitos elegíveis a garantia; mensuração do valor justo de títulos e créditos;
taxas de serviços decorrentes da emissão de a provisão para créditos de liquidação duvidosa
cheques sem provisão de fundos; recuperações dos créditos junto ao Fundo de Compensação
de direitos creditórios nos quais o FGC houver de Variações Salariais - FCVS e às instituições
se sub-rogado, em virtude de pagamento financeiras em regime de liquidação extrajudicial;
de dívidas de instituições associadas relativas e a provisão para contingências oriundas,
a créditos garantidos; resultado líquido dos principalmente, de contratos com coobrigação.
serviços prestados pelo FGC e rendimentos Essas premissas e estimativas são revistas
de aplicação de seus recursos; remuneração periodicamente pela Administração.
e encargos correspondentes a operações
firmadas com as instituições associadas; O FGC utiliza-se de investimentos em cotas de
além de receitas de outras origens, conforme Fundos de Investimentos Exclusivos como extensão
previsto em sua regulamentação. das suas operações, os quais são apresentados
detalhadamente na Nota Explicativa 4, item d.
O percentual de contribuição ordinária das Neste contexto, suas demonstrações apresentam
instituições associadas ao FGC é fixado pelo os valores consolidados.
Conselho de Administração, mediante solicitação
específica, devidamente fundamentada, As Demonstrações Financeiras foram
apresentada ao BCB, para exame e submissão aprovadas em 6 de abril de 2017 pelo
à prévia autorização do CMN. O CMN autorizou Conselho de Administração.
o Conselho de Administração do FGC a fixar a
contribuição mensal ordinária em 0,0125%, a 3. Principais práticas contábeis
contribuição especial em 0,0833% ao mês das
instituições associadas que optarem por captar As principais práticas contábeis aplicadas na
DPGE e a contribuição de 0,02497% ao mês para preparação destas Demonstrações Financeiras
as instituições que optarem pelo DPGE com estão descritas abaixo.
garantia de alienação fiduciária de recebíveis.
a) Apuração do superávit/(déficit)
2. A
 presentação das demonstrações
financeiras O superávit/(déficit) é apurado pelo regime
de competência, sendo as contribuições
As demonstrações financeiras foram elaboradas reconhecidas quando do conhecimento
de acordo com as práticas contábeis adotadas no de seus valores.
Brasil, incluindo os pronunciamentos do Comitê
de Pronunciamentos Contábeis - CPC, e são Os créditos sub-rogados, decorrentes
apresentadas em Real, que é a moeda funcional do pagamento de garantias, são baixados
do FGC. Os valores das demonstrações financeiras a prejuízo quando de seu pagamento e
estão apresentados em milhares de Reais. registrados em contas de compensação.
Quando ocorre negociação ou pagamento
que represente a recuperação desses
créditos, os valores voltam a ser registrados
em contas patrimoniais.

34 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Em resultado também são reconhecidos, (II) Empréstimos e Recebíveis
quando do efetivo recebimento e/ou da
homologação pela Caixa Econômica Federal, Incluem-se nesta categoria os recebíveis
os créditos junto ao FCVS recebidos em dação denominados como Contribuições a
de pagamento, além de multas e juros previstos Receber, Títulos e Créditos a Receber –
em contratos de operações ou decorrentes FVCS e Outros Títulos a Receber que são
de atrasos no pagamento de contribuições, ativos financeiros com pagamentos fixos
conforme previsto na regulamentação. ou determináveis, não cotados em um
mercado ativo. Estão incluídos no ativo
b) Caixa e equivalentes de caixa circulante e/ou não circulante, de acordo
com o prazo de vencimento de suas
Incluem disponibilidade de moeda, depósitos parcelas, sendo contabilizados pelo custo
bancários, aplicações financeiras compromissadas amortizado usando o método da taxa de
lastreadas em títulos públicos, com liquidez juros efetiva.
diária, e aplicações de curto prazo com alta
liquidez, com vencimento igual ou inferior a (III) Mantidos até o vencimento
noventa dias considerada a data de aquisição,
que são prontamente conversíveis em um Estes ativos financeiros são adquiridos
montante conhecido de caixa e que estão sujeitos com a intenção e capacidade financeira
a um insignificante risco de mudança de valor. para sua manutenção em carteira até o
vencimento. São avaliados pelo custo de
A composição das disponibilidades e aquisição, acrescidos dos rendimentos
das aplicações classificadas como caixa auferidos em contrapartida ao superávit/
e equivalentes de caixa está apresentada (déficit) do exercício.
na Nota Explicativa 4, item c.
(IV) Disponíveis para venda
c) Instrumentos financeiros
São designados nessa categoria
Classificação e mensuração os instrumentos financeiros que não
são classificados em nenhuma outra
As práticas contábeis adotadas no Brasil categoria, com contabilização pelo
permitem que instrumentos financeiros sejam valor justo. Os juros de títulos
classificados nas categorias a seguir, de acordo disponíveis para venda, calculados
com a origem dos instrumentos ou a finalidade com o uso do método da taxa de
para a qual são adquiridos, verificadas quando juros efetiva, são reconhecidos na
do reconhecimento inicial da operação. demonstração do superávit/(déficit)
como receitas financeiras. A parcela
(I) A valor justo por meio do resultado correspondente à variação no valor
justo é lançada contra patrimônio, na
Os instrumentos financeiros classificados conta ajustes de avaliação patrimonial,
ao valor justo por meio do resultado sendo realizada contra resultado
têm seu resultado, correspondente aos quando da sua liquidação ou por
ganhos ou às perdas decorrentes de perda considerada permanente.
variações no valor justo, reconhecido
como superávit/(déficit) do exercício.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 35


Valor justo operações de troca de índice de correção de
ativos financeiros existentes por meio de
Os valores justos dos instrumentos financeiros contratos de swap ou operações de proteção
com cotação pública são baseados nos preços de ativos e passivos em moeda estrangeira.
atuais de negociação. Para os ativos financeiros
sem mercado ativo ou cotação pública, o FGC Quando realizadas tais operações, o FGC
apura o valor justo por meio de técnicas de reconhece o valor de mercado das operações,
avaliação. Essas técnicas incluem: (a) o uso de com o registro de sua posição ativa ou passiva em
operações recentes contratadas com terceiros; relação à obrigação, reconhecidos diretamente
(b) a referência a outros instrumentos que são no resultado os ganhos e as perdas realizados. Os
substancialmente similares; e (c) a análise de valores de referência da operação são registrados
fluxos de caixa descontados; tais técnicas fazem em contas de compensação.
o maior uso possível de informações geradas
pelo mercado. As informações sobre instrumentos derivativos
estão na Nota Explicativa 5.
Os valores justos são classificados em
diferentes níveis em uma hierarquia baseada e) Provisão de créditos
nas informações (inputs) utilizadas nas técnicas
de avaliação da seguinte forma: Os créditos do FGC são objeto de provisão
sempre que se verifica alguma incerteza
(I) Nível 1 - Preços cotados (não em relação ao seu reconhecimento ou
ajustados) em mercados ativos realização. Neste sentido, são analisadas as
para ativos e passivos idênticos. informações disponíveis na data do balanço
e as provisões foram consideradas suficientes
(II) Nível 2 - Inputs, exceto os preços para cobrir as perdas prováveis e seguiram
cotados incluídos no Nível 1, que as seguintes diretrizes:
são observáveis para o ativo ou
passivo diretamente (preços) ou • Provisão para créditos junto ao FCVS
indiretamente (derivado de preços).
Constituída à razão de 100% (cem
(III) Nível 3 - Inputs, para o ativo ou por cento) do valor dos créditos junto
passivo, que não são baseados ao FCVS ainda não homologados pela
em dados observáveis de mercado Caixa Econômica Federal, administradora
(inputs não observáveis). do FCVS, já considerados os efeitos do
Decreto nº 97.222/88 combinado com
A classificação, composição e segmentação dos a Lei nº 10.150/00.
títulos e valores mobiliários estão apresentadas
na Nota Explicativa 4. • Provisão para perdas em cédulas
e contratos hipotecários
d) Instrumentos financeiros derivativos
Constituída com base em informações
O FGC, por sua finalidade e natureza, não obtidas dos Agentes, considerando,
opera produtos alavancados, operações em individualmente, o nível de atraso de
mercados futuros, termos ou opções, exceto parcelas e os saldos sem cobertura do FCVS.

36 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


• Provisão para redução a valor de mercado aqueles que têm perspectiva de êxito provável.
Nas demais situações, os ativos contingentes não
Constituída caso haja evidência objetiva de são objeto de notas explicativas.
que um ativo financeiro ou um grupo de
ativos financeiros está registrado por valor Os passivos contingentes, judiciais e legais,
superior ao seu valor recuperável, calculada são classificados pela administração, com base
com base no diferencial das taxas de juros dos nas informações de seus assessores jurídicos,
créditos e daquelas negociadas no mercado, em provável, possível ou remoto em relação
para ativos com características semelhantes à probabilidade de perda.
em relação aos seus riscos. Para os créditos
junto ao FCVS, utiliza-se o ajuste a valor As provisões são constituídas sobre aqueles que
presente tomando-se por base o valor líquido possam ser mensurados e estão classificados com
dos ativos na data do balanço, compreendido probabilidade de perda provável. Nos demais
pelo valor total dos créditos a receber menos casos, apenas os passivos contingentes, judiciais
as obrigações que poderão ser liquidadas e legais classificados com probabilidade de perda
mediante entrega destes instrumentos. possível são objeto de notas explicativas.

• Provisão para títulos de crédito adquiridos g) Imobilizado e intangível


junto às instituições financeiras
Demonstrados ao valor de custo. As depreciações
Constituída utilizando como referência os e amortizações são calculadas pelo método linear
parâmetros estabelecidos pela Resolução a taxas anuais, que levam em consideração a vida
nº 2.682/99 e respectiva classificação em útil/econômica dos bens, e ajustados por redução
nove níveis, sendo AA (risco mínimo) e ao valor recuperável (impairment), quando
H (risco máximo), bem como os produtos aplicável.
que deram origem ao crédito.
h) Ativos e passivos circulante e não circulante
• Provisão para perdas em operações
São demonstrados por valores conhecidos ou
Constituída com base no valor das operações calculáveis, de modo a expressar o valor líquido
firmadas, incluindo instituições associadas de realização, incluindo, quando aplicável, os
que tiveram o regime especial decretado encargos e as variações monetárias incorridos.
pelo Banco Central do Brasil - BCB, em razão
de potenciais perdas futuras. No circulante são registradas operações e valores
que serão ou se tenha a intenção de realizar,
f) Provisão para contingências estarão disponíveis ou possuem vencimento em
até 12 meses após a data do balanço. Quando o
Os ativos contingentes não são reconhecidos vencimento, disponibilidade ou realização esteja
contabilmente, sendo apenas divulgados em previsto para ocorrer em prazo superior
notas explicativas quando há evidências que a 12 meses, os ativos e passivos são registrados
propiciem garantia sobre sua realização e para os como não circulante.
quais não cabem mais recursos, assim entendidos

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 37


4. Aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários

a) Composição das aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários

As aplicações financeiras e os títulos e valores mobiliários são classificados como demonstrado a seguir:

2016 2015

Valor Valor Valor Valor


A valor justo por meio do resultado Contábil da Curva de Mercado de Mercado

Operações compromissadas
Banco do Brasil S.A. 17.695.594 17.695.594 17.695.594 10.048.591
Caixa Econômica Federal 16.107.201 16.107.201 16.107.201 12.482.337
Banco Bradesco S.A. (por conta de terceiros) 43.284 43.284 43.284 38.166
Banco Itaú S.A. (por conta de terceiros) 70.194 70.194 70.194 61.901
33.916.273 33.916.273 33.916.273 22.630.995

Títulos públicos federais


Letras Financeiras do Tesouro – LFT 4.174.112 4.181.766 4.174.112 1.796.093
CVS (I) 66.462 81.827 66.462 89.339
4.240.574 4.263.593 4.240.574 1.885.432

Certificado de Depósito Bancário - CDB


Certificado de Depósito Bancário - CDB 1.322.359 1.322.359 1.322.359 5.462.630
1.322.359 1.322.359 1.322.359 5.462.630

Ações para pagamentos de terceiros


Ações para pagamentos de terceiros (II) - - - 4.800
- - - 4.800

Cotas de fundos de investimentos


Fundos de investimento exclusivos 4.495.539 4.495.539 4.495.539 5.199.670
Fundos de investimento não exclusivos 271.036 271.036 271.036 607.315
4.766.575 4.766.575 4.766.575 5.806.985

44.245.781 35.790.842

Mantidos até o vencimento Valor Contábil Valor da Curva Valor de Custo Valor da Curva

Letras Financeiras Subordinadas - LFS


Letras Financeiras Subordinadas - LFS 5.945.156 5.945.156 4.158.809 5.835.088
5.945.156 5.945.156 4.158.809 5.835.088

5.945.156 5.835.088

Total 50.190.937 41.625.930

Ativo circulante 36.246.430 25.863.126


Ativo não circulante 13.944.507 15.762.804

(I) Títulos oriundos da conversão de créditos junto ao FCVS em títulos CVS.


(II) O FGC não possui mais ações para pagamentos de terceiros, conforme Nota Explicativa 12a.

38 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


As operações compromissadas lastreadas em títulos públicos são remuneradas por taxas
pós-fixadas idênticas à remuneração pela taxa média diária da SELIC. O valor de mercado
das operações compromissadas corresponde à curva desses ativos.

O valor de mercado dos títulos públicos federais é apresentado conforme cotação divulgada
pela ANBIMA - Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais; para
o CDB e LFS, corresponde ao fluxo de caixa descontado de cada título; para as cotas de fundos
de investimento, é considerado o preço de fechamento calculado pelo respectivo administrador
do fundo.

Os títulos públicos são classificados como de Nível 1, em relação ao cálculo de seu valor justo,
enquanto que os demais ativos e passivos financeiros estão classificados no Nível 2. Inexiste ativo
e passivo financeiro classificado no Nível 3.

Não ocorreu reclassificação de títulos durante o exercício.

b) Segregação das aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários por prazo de vencimento

Quando analisado o prazo de vencimento, as aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários


são distribuídos conforme segue:

Até De 3 a De 1 a De 3 a Acima Total das


A vista 3 meses 12 meses 3 anos 5 anos de 5 anos aplicações
Operações Compromissadas (I) 33.802.795 - - - - - 33.802.795
Letras Financeiras do Tesouro - LFT - - - - 2.044.547 2.129.565 4.174.112
CVS - 2.178 4.903 13.075 13.075 33.231 66.462
Op. Compromissadas por conta terceiros - 70.194 43.284 - - - 113.478
Certificado de Depósito Bancário - CDB - 810.673 93.958 417.728 - - 1.322.359
Letras Financeiras Subordinadas - LFS - - 1.387.318 2.632.104 1.925.734 - 5.945.156
Cotas de Fundos de Investimentos (II) 31.127 - - - - 4.735.448 4.766.575

Total em 2016 33.833.922 883.045 1.529.463 3.062.907 3.983.356 6.898.244 50.190.937

Total em 2015 22.880.822 610.229 2.372.075 4.370.201 3.200.086 8.192.517 41.625.930

(I) As operações compromissadas têm liquidez imediata. Se apresentadas pelo prazo de vencimento
contratado, estariam assim distribuídas:

Até 3 meses De 3 a 12 meses De 1 a 3 anos Total das aplicações


Operações Compromissadas 17.375.410 7.777.900 8.649.485 33.802.795

(II) As cotas dos fundos exclusivos e não exclusivos que possuem liquidez imediata foram apresentadas
como resgatáveis a vista (fundos com aplicações em títulos públicos ou operações compromissadas
lastreadas em títulos públicos). As demais cotas, por estarem relacionadas a operações de suporte
e assistência, foram demonstradas como tendo prazo de vencimento superior a 5 anos.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 39


c) Caixa e equivalente de caixa

A composição de caixa e equivalente de caixa para fins de disponibilidade imediata:


2016 2015

Bancos - Contas movimento 1.345 317


Aplicações financeiras - Operações compromissadas 33.802.795 22.530.928
Aplicações financeiras - Fundos de investimentos (I) 31.127 349.894

Total 33.835.267 22.881.139

(I) Aplicação corresponde a cota do fundo não exclusivo BEM FI Referenciado DI TPF, que possui
liquidez imediata (Os valores aqui apresentados representam os títulos das carteiras analíticas
dos fundos que atendem ao critério de caixa e equivalentes de caixa).

d) Composição das carteiras dos fundos de investimento

O FGC possui cotas de fundos de investimento que aplicam recursos em títulos públicos federais
e aplicações lastreadas em títulos públicos federais, cotas de Fundos de Investimentos em Direitos
Creditórios - FIDC, em Letras de Câmbio - LC e Certificados de Depósito Bancário - CDB, lastreados em
direitos creditórios. Ao final do período, essas carteiras apresentavam a composição a seguir apresentada:

2016 2015

FI - Fundo de Investimento Multimercado Crédito Privado Ativo/(Passivo) Ativo/(Passivo)

Disponibilidades 1 1
Operações compromissadas lastreadas em Títulos Públicos 1.324.869 1.137.542
Cotas de Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios - FIDC (I) 897.055 763.969
(-) Provisão para pagamentos a efetuar (7) (8)
(-) Valores a pagar à sociedade administradora (129) (161)

Total da carteira do Fundo 2.221.789 1.901.343

(I) C
 otas de fundos, incluindo a cota de R$ 731.455 do FIDC F ACB, para o qual se encontra pendente o repasse de valores
correspondentes aos recebimentos dos direitos creditórios, conforme Nota Explicativa 12d.

Ômega - Fundo de Investimento Multimercado Crédito Privado Ativo/(Passivo) Ativo/(Passivo)

Disponibilidades 1 1
Operações compromissadas lastreadas em Títulos Públicos 903.488 1.478.917
Certificados de Depósito Bancário 508.672 811.382
Letras de Câmbio - 59
(-) Provisão para pagamentos a efetuar (22) (19)
(-) Valores a pagar à sociedade administradora (123) (219)

Total da carteira do fundo 1.412.016 2.290.121

4O Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


2016 2015

Gama - Fundo de Investimento Multimercado Crédito Privado Ativo/(Passivo) Ativo/(Passivo)

Disponibilidades 1 1
Operações compromissadas lastreadas em Títulos Públicos 851.309 973.536
Certificados de Depósito Bancário 10.507 34.775
(-) Provisão para pagamentos a efetuar (8) (9)
(-) Valores a pagar à sociedade administradora (75) (97)

Total da carteira do Fundo 861.734 1.008.206

Total dos Fundos de Investimentos Exclusivos 4.495.539 5.199.670

Total dos Fundos de Investimentos não Exclusivos 271.036 607.315

Total das cotas de Fundos de Investimentos 4.766.575 5.806.985

e) Custódia dos títulos e valores mobiliários, 5. Instrumentos financeiros derivativos


das ações e das cotas de fundos de investimentos
O FGC possuía exposição com instrumentos
Os títulos públicos e operações compromissadas financeiros derivativos (swaps) apenas com
com lastro em títulos públicos encontram-se o objetivo de diminuir e neutralizar o risco
custodiados no Sistema Especial de Liquidação de oscilações do mercado decorrentes de
e Custódia - Selic, salvo os títulos CVS, títulos operações de títulos de créditos contratados
emitidos como forma de pagamento pela a taxa prefixada, formalizados por contratos
novação de dívidas de responsabilidade do devidamente registrados na CETIP S.A. Em
Fundo de Compensações de Variações Salariais 31 dezembro de 2015, os contratos existentes
- FCVS, que se encontram custodiados na CETIP tinham um saldo de R$ 5.315, tendo sido
S.A. Os títulos privados (CDBs e LFs), operações liquidados em março de 2016. No período foi
compromissadas com lastro em títulos privados verificado o resultado de R$ 4.767, conforme
também se encontram custodiados na CETIP S.A.; demonstrado na nota 10.c, tendo sido recebido
e as cotas de fundos de investimentos, nos seus pelo FGC o montante líquido de R$ 548.
respectivos administradores.
6. Contribuições a receber
f) Sensibilidade
As contribuições mensais ordinárias e as relativas
Considerando informações de mercado, bem aos Depósitos a Prazo com Garantia Especial -
como fatores macroeconômicos, entende-se DPGE das associadas do FGC, classificadas
que inexistem riscos significativos decorrentes como empréstimos e recebíveis, são informadas
de oscilações de taxas de juros e indexadores até o dia 15 do mês seguinte ao mês-base de
que possam impactar significativamente as apuração e recebidas no primeiro dia útil do
aplicações financeiras e títulos e valores mês subsequente ao recebimento da informação.
mobiliários registrados no FGC e, portanto, O saldo de contribuições a receber ao final do
não foi realizada avaliação da sensibilidade. período era de R$ 235.395 (2015 - R$ 221.430).

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 41


7. Títulos e créditos a receber - FCVS

Os títulos e créditos a receber relacionados ao FCVS, classificados como empréstimos e recebíveis,


estão compostos conforme demonstrado a seguir:

Valor líquido em
Provisão
para Créditos
Valor em de liquidação Ajuste a
31/12/16 duvidosa valor justo 31/12/16 31/12/15

Cédulas e Contratos hipotecários 15.706 (9.797) - 5.909 6.397

Créditos junto ao FCVS


Pré-novados 124.121 - - 124.121 114.617
Homologados 713.424 - - 713.424 654.642
Habilitados (I) 526.881 (526.881) - - -
A Habilitar (I) 1.204 (1.204) - - -
A Caracterizar (I) 2.807 (2.807) - - -
Provisão para redução a valor de mercado (II) - - (206.983) (206.983) (323.327)

Títulos e créditos a receber 5.015 (4.993) - 22 16

Total em 2016 1.389.158 (545.682) (206.983) 636.493

Total em 2015 1.295.414 (519.742) (323.327) 452.345

(I) Consideradas as estimativas de perdas relacionadas aos créditos junto ao FCVS, os créditos habilitados,
a habilitar e a caracterizar são provisionados integralmente.

(II) Desde 2014 o FGC reavalia os créditos para redução a valor de mercado em relação às condições de
mercado e taxa de juros.

42 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


8. Outros títulos e créditos a receber

Referem-se a operações de assistência e suporte proporcionadas pelo FGC às instituições associadas,


remuneradas predominantemente pela TMS - Taxa Média Selic, a valores correspondentes a créditos
recuperados e a outros valores a receber, incluindo depósitos judiciais de ações em andamento.
Quando analisado o vencimento dessas operações, classificadas como empréstimos e recebíveis,
temos a seguinte composição:

Até De 1 De 3 Acima Valor Provisões Saldo Saldo


1 ano a 3 anos a 5 anos de 5 anos Total e Ajustes em 2016 em 2015

Operações de
suporte e assistência 118.088 116.688 136.838 7.370.987 7.742.601 (716.476) 7.026.125 6.043.734
Carteira de
Crédito adquirida 46.327 26.377 - - 72.704 (13.229) 59.475 143.423
Créditos
recuperados 115.845 116.314 1.827 403.958 637.944 (403.958) 233.986 307.417
Depósitos
Judiciais - - - 3.689 3.689 - 3.689 -
Adiantamento
de despesas 280 - - - 280 - 280 33

Total 280.540 259.379 138.665 7.778.634 8.457.218 (1.133.663) 7.323.555 6.494.607

9. Provisão, ativos e passivos contingentes

O FGC não possui ativos contingentes a serem divulgados.

As contingências passivas do FGC estão relacionadas a possível obrigação do extinto Fundo de Garantia
dos Depósitos e Letras Imobiliárias - FGDLI, existente à época da transferência do acervo ao FGC,
e às ações judiciais em que o FGC consta como parte, sendo assim detalhadas:

Saldo Constituição Reversão Atualização Saldo


Provisões para contingências em 2015 de Provisões de Provisões e correções em 2016

Ações judiciais - natureza cível 74.655 7.882 (11.517) 7.834 78.854


Potencial passivo do FGDLI 362.613 - - 28.160 390.773

Total 437.268 7.882 (11.517) 35.994 469.627

O valor provisionado no balanço do FGC, no montante de R$ 469.627, corresponde a valores


relacionados às ações judiciais em que o FGC consta como parte, cujo objeto versa sobre o valor
da garantia prestada, classificadas como tendo probabilidade de perda provável, e ao valor provável
de indenização a ser pago à Caixa Econômica Federal - CEF, na qualidade de gestora do FCVS,
por potencial passivo do FGDLI existente à época da transferência de seu patrimônio.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 43


As ações judiciais classificadas como tendo probabilidade de perda possível, não têm valor
reconhecido contabilmente. Ao final do exercício, apenas ações cíveis relacionadas a obrigações do
extinto FGDLI poderiam ser classificadas nesta modalidade e, para tais ações, estimou-se um risco
total de R$ 61.675.

Outras ações em que o FGC consta como parte são classificadas como tendo probabilidade
de perda remota e, assim, nada há a divulgar.

10. Receitas (despesas) operacionais e financeiras

a) Com garantias de créditos sub-rogados - movimentação no exercício

2016 2015
Pagamentos Recuperação Pagamentos Recuperação
Instituição efetuados de Garantias efetuados de Garantias

Banco Azteca do Brasil (29.598) - - -


Banco Rural (983) - (1.942) -
Banco BRJ (509) - (117.847) -
Banco BVA (147) - (608) -
Banco Cruzeiro do Sul (46) - (50) -
Banco Prosper - - (164) -
Banco Bamerindus do Brasil - - (7) -
Banco BMD - 1.268 - -
Banco Royal de Investimento - 478 - -
Banco Vega - - - 1.923

Total (31.283) 1.746 (120.618) 1.923

b) Aprovisionamentos e ajustes patrimoniais

2016 2015
Ajuste a valor de mercado de títulos e créditos a receber – FCVS e títulos de CVS 100.979 (58.991)
Efeito líquido das movimentações da provisão para créditos de liquidação duvidosa – FCVS (46.193) (293.562)
Efeito líquido de ajuste dos contratos de FCVS na quitação de obrigações contratuais - (33.678)
Provisão para perdas em operações com instituições e créditos adquiridos (i) (73.035) (478.392)
Ajuste a valor de mercado de operações com instituições (i) 182.177 (182.177)
Provisão para contingências (32.359) (101.439)

Total 131.569 (1.148.239)

(I) Constituição de provisões e ajustes para operações demonstradas na Nota Explicativa 8.

44 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


c) Despesas financeiras

2016 2015
Juros e atualização monetária - obrigações contratuais (879) (21.505)
Despesas e perdas em Fundos de Investimentos (44.572) 126
Resultado no MTM dos instrumentos financeiros derivativos (4.767) -
Outras (183) (209)

Total (50.401) (21.588)

d) Receitas financeiras

2016 2015
Aplicações financeiras - Títulos e Valores Mobiliários 5.977.237 4.672.560
Resultado no MTM dos instrumentos financeiros derivativos - 7.385
Atualização de créditos junto ao FCVS 102.455 126.374
Outros Títulos e Créditos a Receber 1.016.353 1.092.604
Encargos moratórios sobre contribuições em atraso - 4

Total 7.096.045 5.898.927

e) Outras despesas operacionais

No período, houve pagamento em valor líquido de R$ 360.000 decorrente de contrato de transação


irretratável, nos termos do artigo 840 do Código Civil, firmado entre o Banco BMG e o FGC, para
extinção da utilização do programa de liquidez.

O Banco BMG utilizou o programa de liquidez com garantias de direitos creditórios do Fundo
Garantidor de Créditos - FGC, via emissão de Certificados de Depósito Bancário - CDB de longo
prazo, contudo, em função da mudança do mix de ativos de crédito originados pelo BMG, vis-à-vis
a previsão contratual anteriormente acordada, deixou de ser possível de forma prospectiva a utilização
plena do referido programa. Referida transação foi liquidada antecipadamente em 31 de janeiro
de 2017, com o pagamento final de R$ 38.861.

11. Gerenciamento de risco

O gerenciamento de risco é de responsabilidade da diretoria executiva do FGC e envolve substancialmente


risco de crédito, risco de mercado e risco de liquidez.

Risco de crédito

O risco de crédito consiste na possibilidade de ocorrer perdas associadas ao não cumprimento,


pelo tomador ou contraparte, de suas respectivas obrigações financeiras nos termos pactuados, bem
como à desvalorização de contrato decorrente da deterioração na classificação de risco do tomador.
As políticas e regras para concessão de crédito estão estabelecidas no Estatuto e Política de Crédito

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 45


que contemplam normas e parâmetros que têm 12. Outras informações
por objetivo mitigar os riscos na concessão de
crédito. No âmbito do FGC, considerando as a) O FGC, na qualidade de comissário,
particularidades, sobretudo a essência do seu através de proposta específica feita em
papel no sentido de garantir liquidez ao sistema Oferta Pública de aquisição de créditos
financeiro, a formalização e o acompanhamento quirografários, conforme editais publicados
do crédito são gerenciados com rigor, observando em 29 de setembro de 2009 e audiência
as regras preestabelecidas, sobretudo no tocante pública realizada em 6 de outubro de 2009,
à constituição e formalização de garantias. ofereceu aos credores do Banco BMD S.A.,
da BMD S.A. Corretora de Câmbio e Valores
Risco de mercado Mobiliários, da BMD S.A. Distribuidora de
Títulos e Valores Mobiliários, da BMD
O risco de mercado é representado pela Leasing S.A. e da BMD S.A. Serviços Técnicos
possibilidade de perda financeira por oscilação e Administrativos, empresas do Grupo BMD
de preços e taxas de juros dos instrumentos em regime de liquidação ordinária, a
financeiros, uma vez que suas carteiras ativas oportunidade de cederem 100% dos seus
e passivas podem apresentar descasamentos direitos creditórios nas respectivas massas.
de prazos, moedas e indexadores. Fica sob
a responsabilidade da Diretoria Executiva Em 14 de dezembro de 2016, o FGC fez o
a avaliação destes riscos, considerando que a pagamento aos credores que aderiram pela
exposição a riscos inerentes ao negócio é baixa, modalidade a prazo. No final do período,
tendo em vista não haver descasamento de havia R$ 32.307 registrado em pagamentos
moedas, ou prazos, as operações serem realizadas por conta de terceiros, relacionado aos
com taxas pós-fixadas e a possibilidade de serem credores que não formalizaram a adesão
celebradas operações financeiras derivativas até a data final da oferta, sendo que o valor
(swaps), quando houver necessidade de se apurado foi devolvido ao Grupo BMD em
realizar operação com taxa prefixada. 3 de janeiro de 2017.

Risco de liquidez Além do valor mencionado acima, o FGC


recebeu, para pagamentos de terceiros,
O risco de liquidez representa a possibilidade ações da BM&FBOVESPA S.A. - Bolsa de
de descasamento entre os vencimentos de Valores, Mercadorias e Futuros, destinadas
ativos e passivos, o que pode resultar em ao pagamento dos credores da BMD S.A.
incapacidade de cumprir com as obrigações Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários
nos prazos estabelecidos. Em relação às na oportunidade de terem formalizado a
operações de assistência e suporte com a adesão a vista. Em 29 de dezembro de 2016,
finalidade de promover a liquidez, programa o FGC devolveu ao Grupo BMD as ações
no qual o FGC compra CDB’s dos tomadores, recebidas e não utilizadas para pagamento
para garantir e mitigar o risco de liquidez os de credores.
títulos são adquiridos tendo como garantia
a alienação de recebíveis pulverizados, com b) O FGC mantém registrados em contas
ratings previamente selecionados. de compensação os pagamentos referentes
às despesas com garantias de créditos
sub-rogados aos clientes de instituições

46 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


financeiras, cuja liquidação extrajudicial ou intervenção foi decretada, líquidos das recuperações
e a valores históricos. Também registrados em compensação, possui créditos de difícil realização
oriundos do extinto FGDLI, valorizados até a data da incorporação do FGDLI pelo FGC.

Data de
início do Créditos não
Pagto. da Saldo recuperáveis Saldo
Garantia Contábil em Recuperação e juros Contábil em
Ordinária 31.12.2015 Pagamentos de Créditos recebidos* 31.12.2016
Garantia Ordinária, Especial
e Projetos Especiais

Banco Dracma 15.04.1996 363 - - - 363


Banco Banorte 24.05.1996 257.162 - - - 257.162
Banco Universal 14.10.1996 325 - - - 325
Banco Progresso 21.03.1997 26.817 - - - 26.817
Banco Empresarial 27.06.1997 11.725 - - - 11.725
Banco Banfort 21.07.1997 5.228 - - - 5.228
Banco BBC 18.06.1998 37.060 - - - 37.060
Banco BMD 18.06.1998 42.753 - (1.268) (41.485) -
Banco Pontual 28.12.1998 3.585 - - - 3.585
Banco Crefisul 24.05.1999 57.812 - - - 57.812
Banco Lavra 10.12.1999 5.202 - - - 5.202
Banco BFI 20.12.1999 1.428 - - - 1.428
Banco Hexabanco 31.07.2000 220 - - - 220
Banco Interior de São Paulo 12.03.2001 1 - - (1) -
Banco Araucária 16.05.2001 1.609 - - - 1.609
Banco Interpart 16.07.2001 43 - - - 43
Banco Santos Neves 03.09.2001 3.452 - - - 3.452
Banco Royal de Investimento 28.07.2003 4.481 - (478) - 4.003
Banco Santos 27.12.2004 10.431 - - - 10.431
Banco Morada 03.05.2011 150.280 - - - 150.280
Oboé CFI 21.09.2011 160.119 - - - 160.119
Banco Cruzeiro do Sul 22.11.2012 1.960.102 46 - - 1.960.148
Banco Prosper 18.02.2013 133.849 - - (133.849) -
Banco BVA 04.03.2013 1.308.308 147 - - 1.308.455
Banco Rural 08.11.2013 972.082 983 - - 973.065
Banco BRJ 09.09.2015 117.847 509 - - 118.356
Banco Azteca do Brasil 24.02.2016 - 29.598 - - 29.598
5.272.284 31.283 (1.746) (175.335) 5.126.486
FGDLI (créditos remanescentes)

Banco Econômico 522.230 - - - 522.230


Terra Cia. de Crédito Imobiliário 55.347 - - - 55.347
Total de créditos remanescentes do FGDLI 577.577 - - - 577.577

Total Geral 5.849.861 31.283 (1.746) (175.335) 5.704.063

* O valor demonstrado como créditos não recuperáveis decorre de acordo para o encerramento
da liquidação da instituição.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 47


c) No encerramento do período, o valor sujeito à garantia do DPGE correspondia a R$ 9.332.832,
sendo R$ 1.502.738 referente ao DPGE emitido com garantias de recebíveis. O saldo dos recebíveis
entregues como garantia, registrados em conta de compensação, corresponde a R$ 2.716.864 (em
dezembro de 2015, o valor sujeito à garantia do DPGE era de R$ 14.785.750, sendo R$ 2.435.985
referente ao DPGE emitido com garantias de recebíveis. O saldo de recebíveis entregues correspondia
a R$ 3.400.292).

d) O Fundo FI - Fundo de Investimento Multimercado Crédito Privado é cotista sênior e não exclusivo
do Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios - FIDC F ACB Financeiro. Ao final de 2014, foi
proposta uma demanda judicial contra o FIDC F ACB, correspondente a mandado de segurança,
onde era solicitado o afastamento do enquadramento dos créditos desse como créditos de
recebimento por restituição, classificando-os como quirografários, bem como a revisão dos
referidos créditos, devolvendo-se à massa os valores já restituídos ao fundo. Também no curso desta
ação, foi concedida medida cautelar para suspensão dos novos repasses de valores a serem
feitos pelo liquidante ao fundo, correspondentes aos recebimentos dos direitos creditórios.
Com a aprovação, em agosto de 2015, do pedido de falência do Banco Cruzeiro do Sul, referido
mandado de segurança foi extinto, tendo-se mantido o efeito da cautelar até a apreciação do mérito
pelo juízo da falência. Neste caso, os assessores jurídicos do FIDC F ACB classificam o pedido como
tendo probabilidade de perda possível para o fundo.

48 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


RELATÓRIO DO AUDITOR INDEPENDENTE SOBRE
AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Aos Srs.
Administradores do
Fundo Garantidor de Créditos - FGC
São Paulo - SP

Opinião

Examinamos as demonstrações financeiras do Fundo Garantidor de Créditos – FGC (“FGC”), que


compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2016 e as respectivas demonstrações
do superávit e das mutações do patrimônio social, do superávit abrangente e dos fluxos de caixa
para o exercício findo nessa data, bem como as correspondentes notas explicativas, incluindo
o resumo das principais políticas contábeis.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em


todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do Fundo Garantidor de Créditos
em 31 de dezembro de 2016, o desempenho de suas operações e os seus respectivos fluxos de
caixa para o exercício findo nessa data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil.

Base para opinião Nossa auditoria foi conduzida de acordo com as normas brasileiras e
internacionais de auditoria. Nossas responsabilidades, em conformidade com tais normas,
estão descritas na seção a seguir intitulada “Responsabilidades do auditor pela auditoria das
demonstrações financeiras”. Somos independentes em relação ao FGC, de acordo com os
princípios éticos relevantes previstos no Código de Ética Profissional do Contador e nas normas
profissionais emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade, e cumprimos com as demais
responsabilidades éticas de acordo com essas normas. Acreditamos que a evidência de auditoria
obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 49


Outras informações que acompanham as demonstrações financeiras e o relatório do auditor

A administração do FGC é responsável por essas outras informações que compreendem


o Relatório da Administração.

Nossa opinião sobre as demonstrações financeiras não abrange o Relatório da Administração


e não expressamos qualquer forma de conclusão de auditoria sobre esse relatório.

Em conexão com a auditoria das demonstrações financeiras, nossa responsabilidade é a de ler


o Relatório da Administração e, ao fazê-lo, considerar se esse relatório está, de forma relevante,
inconsistente com as demonstrações financeiras ou com nosso conhecimento obtido na auditoria
ou, de outra forma, aparenta estar distorcido de forma relevante. Se, com base no trabalho realizado,
concluirmos que há distorção relevante no Relatório da Administração, somos requeridos a comunicar
esse fato. Não temos nada a relatar a este respeito.

Responsabilidade da Administração sobre as demonstrações financeiras

A administração é responsável pela elaboração e adequada apresentação das demonstrações


financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que
ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres
de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro.

Na elaboração das demonstrações financeiras, a administração é responsável pela avaliação da


capacidade do FGC de continuar operando, divulgando, quando aplicável, os assuntos relacionados
com a sua continuidade operacional e o uso dessa base contábil na elaboração das demonstrações
financeiras, a não ser que a administração pretenda liquidar o FGC ou cessar suas operações, ou
não tenha nenhuma alternativa realista para evitar o encerramento das operações.

Os responsáveis pela governança são aqueles com responsabilidade pela supervisão do processo
de elaboração das demonstrações financeiras.

5O Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


Responsabilidades do auditor pela auditoria das demonstrações financeiras

Nossos objetivos são obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras, tomadas em
conjunto, estão livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro, e
emitir relatório de auditoria contendo nossa opinião. Segurança razoável é um alto nível de segurança,
mas não uma garantia de que a auditoria realizada de acordo com as normas brasileiras e internacionais
de auditoria sempre detectam as eventuais distorções relevantes existentes. As distorções podem ser
decorrentes de fraude ou erro e são consideradas relevantes quando, individualmente ou em conjunto,
possam influenciar, dentro de uma perspectiva razoável, as decisões econômicas dos usuários tomadas
com base nas referidas demonstrações financeiras.

Como parte da auditoria realizada de acordo com as normas brasileiras e internacionais


de auditoria, exercemos julgamento profissional e mantemos ceticismo profissional ao longo
da auditoria. Além disso:

• Identificamos e avaliamos os riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras,


independentemente se causada por fraude ou erro, planejamos e executamos procedimentos
de auditoria em resposta a tais riscos, bem como obtemos evidência de auditoria apropriada
e suficiente para fundamentar nossa opinião. O risco de não detecção de distorção relevante
resultante de fraude é maior do que o proveniente de erro, já que a fraude pode envolver o ato
de burlar os controles internos, conluio, falsificação, omissão ou representações falsas intencionais.

• Obtemos entendimento dos controles internos relevantes para a auditoria para planejarmos
procedimentos de auditoria apropriados nas circunstâncias, mas, não, com o objetivo de
expressarmos opinião sobre a eficácia dos controles internos do FGC.

• Avaliamos a adequação das políticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas


contábeis e respectivas divulgações feitas pela administração.

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 51


• Concluímos sobre a adequação do uso, pela administração, da base contábil de continuidade
operacional e, com base nas evidências de auditoria obtidas, se existe uma incerteza relevante
em relação a eventos ou condições que possam levantar dúvida significativa em relação à
capacidade de continuidade operacional do FGC. Se concluirmos que existe uma incerteza
relevante, devemos chamar atenção em nosso relatório de auditoria para as respectivas
divulgações nas demonstrações financeiras ou incluir modificação em nossa opinião, se as
divulgações forem inadequadas. Nossas conclusões estão fundamentadas nas evidências de
auditoria obtidas até a data de nosso relatório. Todavia, eventos ou condições futuras podem
levar o FGC a não mais se manterem em continuidade operacional.

• Avaliamos a apresentação geral, a estrutura e o conteúdo das demonstrações financeiras,


inclusive as divulgações, e se as demonstrações financeiras representam as correspondentes
transações e os eventos de maneira compatível com o objetivo de apresentação adequada.

• Comunicamo-nos com os responsáveis pela governança a respeito, entre outros aspectos,


do alcance planejado, da época da auditoria e das constatações significativas de auditoria,
inclusive as eventuais deficiências significativas nos controles internos que identificamos
durante nossos trabalhos.

São Paulo, 06 de abril de 2017

ERNST & YOUNG


Auditores Independentes S.S.
CRC-2SP015199/O-6

Flávio Serpejante Peppe


Contador CRC-1SP172167/O-6

52 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


PARECER DO CONSELHO FISCAL

Os membros do Conselho Fiscal do Fundo Garantidor de Créditos – FGC, no exercício de suas


atribuições legais e estatutárias, examinaram o Relatório da Administração e as Demonstrações
Financeiras do FGC referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2016.

Com base nos exames efetuados, considerando, inclusive, o Relatório dos Auditores Independentes
(Ernst & Young Auditores Independentes), emitido sem ressalvas nesta data (6 de abril de 2017),
bem como suportados pelas informações e esclarecimentos recebidos no decorrer do exercício,
opinam favoravelmente pela aprovação dos referidos Relatório da Administração e Demonstrações
Financeiras, que estão, portanto, em condições de serem submetidos à apreciação da Assembleia
Geral das Associadas, em conformidade com as condições legais e estatutárias.

São Paulo, 6 de abril de 2017.

Conselho Fiscal
Antonio Carlos Rovai
Antonio Luiz Rios da Silva
Luis Gustavo da Matta Machado

Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC 53


INFORMAÇÕES
CORPORATIVAS
FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS – FGC
00.954.288/0001-33

SEDE:
Avenida Brigadeiro Faria Lima, n.º 201
12º andar – Pinheiros
São Paulo / SP – CEP: 05426-100

Relatório publicado no Diário Oficial da União - DOU

Versão completa disponível em: www.fgc.org.br


Mais informações: faleconosco@fgc.org.br

ADMINISTRAÇÃO
Conselho de Administração:
Jairo Sampaio Saddi - Presidente
Renê Sanda - Conselheiro
Afonso Sant´Anna Bevilaqua – Conselheiro
Ana Dolores Moura Carneiro de Novaes – Conselheira
Júlio de Siqueira Carvalho de Araújo - Conselheiro
Diretoria Executiva:
André Loes - Diretor Executivo
Fabio Mentone - Diretor
Aparecida do Céu Ferreira Arriaga Santana - Diretora
Caetano de Vasconcellos Neto - Diretor
Carlos Alfredo de Villemor Vianna - Diretor

Contador Responsável: Alexandre Luis dos Santos


CRC 1SP298277/O-5
Auditoria Externa: ERNST & YOUNG Auditores Independentes S.S.
CRC 2SP015199/O-6

CRÉDITOS
Redação: FSB Comunicação
Projeto gráfico e diagramação: fmcom

54 Relatório Anual 2016 Fundo Garantidor de Créditos - FGC


www.fgc.org.br

Você também pode gostar