Você está na página 1de 22

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLANDIA - UFU

FACULDADE DE ENGENHARIA ELETRICA - FEELT

DISCIPLINA DE INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL

PROF. JOSUÉ SILVA DE MORAIS

PROJETO DE UM MEDIDOR DE LUMINOSIDADE LDR

JOSÉ ROBERTO DE MOURA- 11321ETE015

UBERLANDIA, DEZEMBRO
17
Sumário
1. INTRODUÇÃO......................................................................................................... 3
2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA...................................................................................4
2.1. ARDUINO..........................................................................................................4
2.2. LDR – Light Dependent Resistor....................................................................... 5
2.3. LUXIMETRO.....................................................................................................6
3. OBJETIVOS............................................................................................................ 10
4. MATERIAS E METODOS...................................................................................... 11
5. RESULTADOS.........................................................................................................13
6. TESTES....................................................................................................................15
7. CONCLUSÃO..........................................................................................................16
8. BIBLIOGRAFIA.......................................................................................................17

2
1. INTRODUÇÃO
De acordo coma a NBR 5461 define que a iluminância como o limite da
razão do fluxo luminoso recebido pela superfície em torno de um ponto considerado,
para a área da superfície quando esta tende a zero. A NBR 5413 estabelece também a
iluminância desejada em diferentes ambientes de acordo com diversos fatores como, por
exemplo: áreas públicas ou ambiente de trabalho, características da tarefa e do
observador etc.
A norma contém a iluminância desejada em diversos ambientes como
escolas, indústrias, residências e salas de cirurgia. No caso da indústria química, podem-
se citar como exemplo a iluminância para fornos de operação manual, secadores
estacionários, caldeiras e tanques de cristalização. A iluminância para estas atividades
deve estar entre 150 a 300 lux. Para uma biblioteca, a iluminância da sala de leitura
deve estar entre 300 e 750 lux para garantir a qualidade da leitura sem trazer prejuízos à
visão. A leitura da iluminância também é feita por fotógrafos, na indústria
cinematográfica eteatro.

Para todos estes ambientes e atividades, o uso do luxímetro permite medir a


iluminância com facilidade. Neste relatório, iremos abordar os aspectos teóricos e
práticos de um luxímetro de baixo custo, sua calibração e teste.
2. REVISÃOBIBLIOGRÁFICA

2.1. ARDUINO
O Arduino é uma plataformaopen-source física baseada em um simples
micro controlador e um ambiente de desenvolvimento onde o software é escrito,
compilado e enviado para o hardware. O Arduino pode ser utilizado para a obtenção de
variáveis de entrada de sensores ou interruptores assim como controlar o funcionamento
de motores, lâmpadas e outras saídas físicas (ARDUINO.CC, 2013).

Figura 1 – Arduino Uno


Fonte: http://arduino.cc/en/Main/ArduinoBoardUno
2.2. LDR – Light DependentResistor
O LDR é um componente eletrônico cuja resistência elétrica diminui quando
sobre ele incide uma energia luminosa. Isto possibilita seu uso no desenvolvimento de
um sensor que é ativado (ou desativo) quando sobre ele incidir uma energia luminosa.
O comprimento de onda da luz incidente sobre o LDR influencia sua
resistência, é a chamada resposta espectral. O pico de sensibilidade do LDR ocorre
aproximadamente em 5100 angstrom. O LDR é mais sensível do que o olho humano no
que diz respeito ao espectro de luz, cobrindo uma faixa maior de comprimento de onda,
conseguindo detectar o espectro do infravermelho.
É composto de um material semicondutor podendo ser de sulfeto de cádmio
ou sulfeto de chumbo. O processo de construção de um LDR consiste na conexão do
material fotossensível com os terminais, sendo que uma fina camada é simplesmente
exposta à incidência luminosa externa.

Figura 2 - LDR
Fonte: http://tutorial.cytron.com.my/
O LDR é um dispositivo cuja resistência varia linearmente com a
intensidade da luz incidente, obedecendo àequação:
Onde L é a luminosidade em Lux, C e a são constantes dependentes do processo de
fabricação e material utilizado. A energia luminosa desloca elétrons da camada de valência
para a de condução (mais distante do seu núcleo), aumentando o número destes e
diminuindo o valor da resistência.
Conforme a intensidade da luz incidente aumenta no LDR, um número
maior de elétrons na estrutura tem também seu nível de energia aumentado, devido à
aquisição de energia entregue pelos fótons. A consequência é o aumento de elétrons
livres e elétrons fracamente presos ao núcleo.
Com o LDR é possível construir um dispositivo de controle automático de
portas, alarmes residenciais, controle de iluminação em um cômodo residencial, etc. É
também amplamenteutilizado por fotógrafos e na indústria cinematográfica para obter-
se a iluminação adequada para o ambiente.

2.3.LUXIMETRO
É um instrumento utilizado para medir iluminância, sendo sua unidade o
lux. Iluminância é a relação entre a quantidade de fluxo luminoso (lúmen) que atinge
uma superfície pela sua área. A iluminância lida pelo luxímetro é diretamente
proporcional à intensidade luminosa emitida pela fonte de luz e inversamente
proporcional ao quadrado da distância que ele se encontra desta (PINTO,2010).
Figura 3 - Modelo de luxímetro
Fonte: https://www.1linha.com.br/luximetro-digital-minipa-mlm-1011-prod-
1120.html
Assim, se quisermos saber a intensidade luminosa emitida por uma
luminária em determinada direção, basta medirmos a iluminância e multiplicarmos pela
distância ao quadrado (PINTO,2010).
O luxímetro é utilizado na indústria pelos profissionais da área de higiene
ocupacional e engenharia, visa principalmente o conforto do funcionário, adequando sua
atividade ou função as exigências estabelecidas pelas normas da ABNT específicas à
medição de iluminância. O cálculo leva em consideração, além da função do
trabalhador, o nível de iluminação, tipo de lâmpada utilizada, cor do teto e paredes
(RODRIGUES,2012).
A qualidade de um luxímetro pode ser determinada através dos seguintes
fatores:
a) Respostaespectral
O sensor deve estar corrigido para apresentar uma sensibilidade espectral
próxima à curva de sensibilidade do olho humano. O olho humano não responde
igualmente a todos os comprimentos de onda da faixa visível do espectro luminoso.
Figura 4 - Curva de sensibilidade do olho humano
Fonte: (RODRIGUES, 2012)

b) Sensibilidade àtemperatura
É influenciada pela resistência do circuito associado às fotocélulas. Quando
a resistência é alta, as variações de temperatura podem causar erros nas medidas. Assim,
é recomendado que as fotocélulas fossem utilizadas em ambiente com temperatura em
torna de 25ºC.

c) Resposta ao efeitocosseno
É a resposta do medidor para a luz incidente na fotocélula em diferentes
ângulos. Desta forma, a iluminância é fornecida por uma fonte de luz incidente que
forma um ângulocoma normal h á fotocélula. Os medidores que eventualmente não
apresentam esta correção constituem uma fonte de erros quando usados para medir
iluminância produzida por um fluxo luminoso de várias direções. Para a luz incidente
em ângulosque se afastam muito da normal, a refletividade dos materiais tende a
aumentar, provocando distorção da leitura.

Figura 5 - Efeito cosseno


Fonte: (RODRIGUES, 2012)
d) Resposta àlinearidade
Quanto maior a resistência do circuito associado à fotocélula, maior será a
não linearidade de resposta para iluminância elevadas (RODRIGUES, 2012).

e) Acurácia
Caracteriza o erro total associado ao instrumento e deve ser de, no máximo,
10% conforme indicado na tabela (RODRIGUES, 2012).
Fator Erro
Resposta espectral 6%
Sensibilidade à 1%
temperatura
Resposta ao efeito 3%
cosseno
Resposta à linearidade 2%
Acurácia 10%
3. OBJETIVOS
Analisar a montagem e com os dados obtidos a partir dela comparar e
ver que esse projeto possui um baixo custo de montagem e pode se obter também
bons resultados com ele.
4.MATERIAS E METODOS
4.1 MATERIAIS
 Arduino Uno;
 Resistência 27KΩ.
 Protoboard.
 Fios de conexão(jumpers).
 LDR.
4.2 METODOS
4.2.1PROJETO
Seguindo a ideia proposta para o trabalho, foi construído um medidor de
luminosidade de baixo custo cuja leitura é feita em Lux. O medidor construído busca, além
de apresentar todas as características dos medidores disponíveis no mercado, proporcionar
novas funções ao usuário, como o monitoramento da luminosidade de um ambiente. Para
isso, este projeto utilizou a IDE desenvolvida para o Arduino.

4.2.1 MONTAGEM

O medidor de luminosidade foi montado como o esquema mostrado na Figura 6. Onde o LDR está
ligado ao pino analógico A0 do Arduino Uno, a resistência de 27 KΩ está ligada em paralelo ao LDR
e o potenciômetro é utilizado para ajustar o contraste do display.
4.2.2CALIBRAÇÃO

O medidor foi calibrado em uma sala, onde havia várias lâmpadas de diferentes intensidades de
luz. Foram utilizadas diferentes combinações de lâmpadas ligadas e posicionamento do medidor
e luxímetro no cômodo. O medidor e o luxímetro foram posicionados sobre uma mesa de forma
que a iluminação para ambos fosse igual, houve também o cuidado de evitar a sombra. O sinal
emitido pelo sensor foi medido pelo Arduino e comparado com o valor obtido pelo luxímetro.
Foi construída a curva-padrão e foi encontrada a equação que estabelece a relação entre os
valores.
4.2.3 TESTES

4.2.3.1 TESTE DE MEDIDOR

Para testar a eficiência do medidor utilizou-se a mesma sala e condições utilizadas para a
calibração, algumas medições foram feitas e os resultados comparados.

4.2.3.2 TESTE DO CÓDIGO EM SCILAB

Foi feito uma medição na tarde do dia 12 de outubro de 2013 para testar o comportamento do
código implementado em Scilab. O sensor foi mantido estático dentro de uma sala com
iluminação natural por 20 minutos das 16 horas 16 minutos e 14 segundo as 16 horas 16 minutos
e 14 segundos.

5. RESULTADOS

5.1CALIBRAÇÃO

De acordo com o método de calibração descrito, os resultados obtidos são mostrados na Tabela
1.

Os valores também podem ser observados através da Figura 8, onde é observado o


comportamento exponencial da curva.
Como os dados não se ajustaram à curva, a equação obtida não será utilizada. Para obter uma
equação onde os dados se ajustam, dividimos os dados da medição em três grupos para obter
diferentes equações.

As curvas obtidas para cada grupo são apresentadas na Figura 9.


Os valores de R² e a equação para cada grupo são apresentados na Tabela 3.

As equações são utilizadas dentro do código, respeitando os seus respectivos intervalos.

6 TESTES
6.1 TESTE DO MEDIDOR

Os dados obtidos neste teste são mostrados na Tabela 4.

Apesar de ser praticamente impossível submeter o medir às mesmas da calibração, os resultados


foram bem satisfatórios.

6.2 TESTE DO CÓDIGO EM SCILAB

Durante a medição proposta como teste, o gráfico comportou-se de acordo com o esperado, os
valores foram plotados instantaneamente, os valores também foram apresentados no janela
principal do Scilab. Ao final da medição, os valores de máxima e mínima encontrados foram de
respectivamente 68,05 e 46,02 Lux, estes valores estão de acordo com o gráfico mostrado na
Figura 10.
7.CONCLUSÃO

O medidor construído tem o preço inferior àqueles disponibilizados no mercado. Enquanto um


medidor portátil comum custa aproximadamente R$ 110,00, a aquisição de todos os
componentes utilizados no medidor construído custa em torno de R$ 30,00 para o modelo
utilizando o Arduino Nano.
O medidor construído tem como vantagem a capacidade de monitoramento da iluminação do
ambiente. O uso do software Scilab mostrou-se como uma ferramenta eficiente onde o usuário
pode observar os dados de forma mais eficiente.
O teste do medidor encontrou valores similares aos da calibração. O possível erro nesta etapa
pode estar associado a dificuldade de simular o mesmo ambiente da calibração ou a distribuição
dos dados nas equações.
8.BIBLIOGRAFIA

ABNT. NBR 5413 - Iluminância de interiores. Rio de Janeiro: [s.n.], 1992.

ARDUINO.CC. What is Arduino. Arduino, 2013. Disponivel em:


<http://arduino.cc/en/Guide/Introduction>. Acesso em: 03 out. 2013.

CLÁUDIO, P. O fotoresistor LDR. Espectro Científico, 2013. Disponivel em:


<http://quartzodeplasma.wordpress.com/2013/05/20/o-fotoresistro-ldr/>. Acesso em: 30
setembro 2013.

FAMILIE KRIWANEK. Arduino-Luxmeter mit Fotowiderstand (LDR). Kriwanek.de,


2012. Disponivel em: <http://www.kriwanek.de/arduino/sensoren/301-arduino-
luxmeter-mit-fotowiderstand-ldr.html>. Acesso em: 2 outubro 2013.

FÓRUM ARDUINO. Convert LDR's resistance to lux, or another unit of light?, 2012.
Disponivel em: <http://forum.arduino.cc/index.php/topic,111104.0.html>. Acesso em:
19 setembro 2013.

GIRONI, D. Measure light (lux) with LDR on AVR Atmega using LDR library 01,
2012. Disponivel em: <http://davidegironi.blogspot.com.br/2012/12/measure-light-lux-
with-ldr-on-avr.html#.UllWp9K-qm0>. Acesso em: 30 setembro 2013.

GRUPO DE TELEINFORMÁTICA E AUTOMAÇÃO UFRJ. LDR - Light Depender


Resistor. Disponivel em: <http://www.gta.ufrj.br/grad/01_1/contador555/ldr.htm>.
Acesso em: 30 setembro 2013.

PINTO, R. C. Luminárias para interiores. Lume Arquitetura, São Paulo, p. 8, 2010.

RODRIGUES, E. O Luxímetro. [S.l.], p. 6. 2012.


Anexo 1 – Código Arduino

/*
Projeto de medidor de luminosidade de baixo custo

Andreia Axelrud Nunes, 44956


Jonathan William Vergani Dambros, 48069

12/10/2013
*/

//incluir biblioteca LiquidCrystal


#include <LiquidCrystal.h>

//atribuir pinos utilizados pelo display


LiquidCrystal lcd(12, 11, 5, 4, 3, 2);

//LDR conectado ao pino A0


int ldrPin=0;

//atribuir variveis
int val, i=0;
double lux, mlux=0;

void setup() {

//define o numero de linhas e colunas do display


lcd.begin(15, 2);

//escreve valores sempre apresentados no dispaly


lcd.setCursor(4,0);
lcd.print("Luximeter");
lcd.setCursor(13,1);
lcd.print("Lux");

//comeca conexao serial


Serial.begin(9600);
}

void loop() {

//loop para calculo da media de 10 medicoes (a cada 500 ms)


while (i<10){
//leitura analogica do sensor
val=analogRead(ldrPin);

//calculo do valor em lux (eqs. obtidas por calibracao)

if (val<280){
// y = 0,0001x2 + 0,0151x + 0,2695
lux=0.0001*val*val+0.0151*val+0.2695;
}
if (val>=280 && val<420){
//y = 0,1242x - 19,126
lux=0.1242*val-19.126;
}
if(val>=420){
// y = 133,81ln(x) - 775,56
lux=133.811*log(val)-775.56;
}

//calculo da media temporaria


mlux=(lux+i*mlux)/(i+1);

//envia valor lux pela porta serial


Serial.println(val,DEC);

//aguarda 50 ms para proxima medicao


delay(50);

//incrementa valor de i
i++;
}

//escreve valor em lux no display


lcd.setCursor(5,1);
lcd.print(mlux);

//zerar parametros para proxima calculo de


media i=0;
mlux=0;

}
Anexo 2 – Código Scilab

//Parte complementar do projeto de montagem de medidor de luminosidade


//Andreia Axulrud Nunes, 44956
//Jônathan William Vergani Dambros, 48069
//12/10/2013

clc
clear

//tempo de medicao em segundos


tempo=1200

//parametros inicias
j=1
mlux=1000000 //luminosidade minima, atribuido valor alto para ser substituido logo na primeira
iteracao
Mlux=0 //luminosidademaxima
t(1)=0

//iniciar conexao serial


h=openserial(3,"9600,n,8,1")

//obter primeiro valor


while j==1

//ler string enviada por porta serial


a=readserial(h)
//transformar string em real
b=strtod(a)

//condicoes para salvar dado: diferente de 0, diferente de nan e maior que 100
//condicoes atribuidas para evitar bugs
if b~= 0 & ~isnan(b) & b>100 then

//calculo do valor em Lux


if b<280 then
lux=0.0001*b^2+0.0151*b+0.2695;
end
if b>=280 & b<420
then lux=0.1242*b-
19.126;
end
if b>=420 then
lux=133.811*log(b)-775.56;
end

//salva valor lido em variavel c


c(j)=lux
//tempo inicial de medicao
timeini=getdate()
timedata(j,:)=[getdate(),c(j)]
//tempo total de medicao
t(j)=(timedata(j,7)-timeini(7))*3600+(timedata(j,8)-timeini(8))*60+(timedata(j,9)-
timeini(9))+(timedata(j,10)-timeini(10))/1000
//print tempo total e valor em lux
mprintf('Tempo de medição: %fs; Luminosidade: %f\n',t(j), c(j))
//abrir janela de plot para mostrar valores instantaneamente
plot(t,c)
xtitle ('Medição de luminosidade','Tempo decorrido(s)','Luminosidade(Lux)');
//se menor valor obtido, salvar em mlux
if mlux>c(j) then
mlux=c(j)
mj=j
end

// se maior valor obtido, salvar em Mlux


if Mlux<c(j) then
Mlux=c(j)
Mj=j
end
j=j+1

end
end

//aguardas 50 ms para a proxima continuar


xpause(50000)

//com o valor de j-1 obtido, comeca-se o loop ate o tempo estipulado


while t(j-1)<tempo
a=readserial(h)
b=strtod(a)

if b~= 0 & ~isnan(b) & b>100 then


if b<280 then
lux=0.0001*b^2+0.0151*b+0.2695;
end
if b>=280 & b<420
then lux=0.1242*b-
19.126;
end
if b>=420 then
lux=133.811*log(b)-775.56;
end
c(j)=lux
timedata(j,:)=[getdate(),c(j)]

t(j)=(timedata(j,7)-timeini(7))*3600+(timedata(j,8)-timeini(8))*60+(timedata(j,9)-
timeini(9))+(timedata(j,10)-timeini(10))/1000
mprintf('Tempo de medição: %fs; Luminosidade: %f\n',t(j), c(j))
plot(t,c)

if mlux>c(j) then
mlux=c(j)
mj=j
end

if Mlux<c(j) then
Mlux=c(j)
Mj=j
end
j=j+1

end

xpause(50000)
end

closeserial(h);
//print valores
disp('--------------------------------------------------------------------------')
mprintf('Medição finalizada com sucesso!\n\n')
mprintf('Número de medições: %i\n', j-1)
mprintf('Medição realizada entre às %ih %im %is %ims e %ih %im %is
%ims\n',timeini(7),timeini(8),timeini(9),timeini(10),timedata(j-1,7),timedata(j-1,8),timedata(j-
1,9),timedata(j-1,10))
mprintf('Valor máximo obtido: %f Lux, às %ih %im %is %ims\n',
timedata(Mj,11),timedata(Mj,7),timedata(Mj,8),timedata(Mj,9),timedata(Mj,10))
mprintf('Valor mínimo obtido: %f Lux, às %ih %im %is %ims\n',
timedata(mj,11),timedata(mj,7),timedata(mj,8),timedata(mj,9),timedata(mj,10))

disp('--------------------------------------------------------------------------')