Você está na página 1de 6

Arquivos de Configuração - Parte II

Por: André Souza ( 20/06/2001 )

Introdução
Como dito no artigo anterior, o GNU/Linux separa um arquivo de configuração
para cada tarefa do sistema. Esta semana estaremos continuando a ver mais
alguns destes arquivos, mostrando como configurar o LILO (para carregar
mais de um sistema), profile, hosts, hostnames e isapnp.conf (como detectar
dispositivos ISA plug and play).
Começando pelos mais simples vejamos como configurar o nome de seu
computador na rede (hostname) e os computadores que o seu pode ver na
rede.
Hostname e Hosts

Para alterar o nome de seu computador na rede é muito simples. Basta colocá-
lo no arquivo hostname que se localiza no diretório /etc. Depois disto é
preciso alterar também o arquivo hosts que se encontra no diretório /etc
também.
Vejamos um exemplo do hosts:
$ cat /etc/hosts
127.0.0.1 localhost localhost

Este é o mais simples para computdores sem rede, e é como vêm os


GNU/Linux por default. O nome do computador neste caso é locahost. Para
mudar o nome basta alterar o primeiro "locahost". Se eu quiser chamar de
"olinux", por exemplo, ficaria assim:
127.0.0.1 olinux localhost

Agora, para computadores em rede, a primeira opção (127.0.0.1) indica o IP


do mesmo. Veja um exemplo de uma rede comfigurada usando IP
Masquerade:
$ cat /etc/hosts
123.456.78.90 olinux olinux
127.0.0.1 localhost
10.0.0.2 olinux_introducao
10.0.0.3 olinux_programacao
10.0.0.4 olinux_programas
10.0.0.5 olinux_jogos
10.0.0.6 olinux_seguranca

Ou seja, "olinux" sabe da existência de "olinux_introducao",


"olinux_programacao", "olinux_programas", "olinux_jogos" e
"olinux_seguranca" (juntamente com seus respectivos IPs).
Profile

O arquivo profile localiza-se no diretório /etc. Sua função é executar


comandos de shell que valem para todos os usuários do sistema na
inicialização do mesmo. Na maioria das vezes utilizamos este arquivo para
preparar a variável PATH (que indica onde o sistema deve procurar os
arquivos executáveis) e algumas outras variáveis de ambiente.
Vejam um exemplo do /etc/profile:
asouza@giga:~$ cat /etc/profile
#/etc/profile: system-wide .profile file for the Bourne shell
(sh(1))
#and Bourne compatible shells (bash(1), ksh(1), ash(1), ...).

PATH="/usr/local/bin:/usr/bin:/bin:/usr/bin/X11:/usr/games"

if [ "$BASH" ]; then
PS1='\u@\h:\w\$ '
else
if [ "`id -u`" -eq 0 ]; then
PS1='# '
else
PS1='$ '
fi
fi

LD_LIBRARY_PATH=/usr/X11R6/lib:$LD_LIBRARY_PATH

export PATH PS1 LD_LIBRARY_PATH

umask 022

Na primeira linha é definido o PATH . Depois vêm comandos de shell. A


seguir a variável LD_LIBRARY_PATH é definida. Então, exporta-se (faz-se
valer para o sistema) as definições das variáveis PATH e
LD_LIBRARY_PATH . Por fim, mais um comando de shell.
Você pode adicionar o que quiser a este arquivo (como root, claro), com
cautela, pois pode-se causar danos ao sistema. Coloque apenas o essencial
para todos, para cada usuário ainda existe outra opção.
Para quem usa o shell BASH , pode-se personalizar definições, como no
profile, no arquivo .bash_profile em seu HOME. Por exemplo, veja como
configurei no meu computador:
$ cat /home/asouza/.bash_profile
#~/.bash_profile: executed by bash(1) for login shells.
#export PS1='\h:\w\$ '
#umask 002

#export LANG=pt_BR

export JAZZ=/usr/local/jazz

#Ajeita volume automaticamente


aumix -L

#WindowMaker
alias wm='~/exec/roda wmaker; startx'
#E
alias enl='~/exec/roda enl; startx'
#kde
alias kde='~/exec/roda kde; startx'
#Sawmill
alias sm='~/exec/roda sm; startx'
alias bye='clear;logout'
#alias midi='playmidi -e $1'
alias midi='timidity $1'
#Monta,/Desmonta disquete
alias fd='if grep -c fd0 /etc/mtab
then umount /dev/fd0
else mount /dev/fd0
fi'
# Monta/ Desmonta CDROM
alias cdr='if grep -c hdb /etc/mtab
then umount /dev/hdb
else mount /dev/hdb
fi'

IsaPnp

Para configurar dispositivos ISA que são Plug and Play, utilizamos o
pnpdump como root. Fazendo:
#pnpdump >/etc/isapnp.conf

Criamos o arquivo isapnp.conf que fica no diretório /etc.


Vemos que ele encontrou um modem ISA Plug n Play:
#ANSI string -->Rockwell V.34 Plug & Play Modem<--

Cujo nome é "Rockwell V.34 Plug & Play Modem".


Para configurá-lo, tiramos os símbolos # (jogo da velha) da frente das linhas
que desejamos (descomaentando a linha). Por exemplo, poderiamos deixá-lo
na porta 0x03f8 se descomentarmos a linha 49:
(IO 0 (SIZE 8) (BASE 0x03f8))

Podemos também deixá-lo utilizar a IRQ 4, decomentando a linha 52:


(INT 0 (IRQ 4 (MODE +L)))

Na verdade, podemos escolher quaisquer duas combinações demonstradas


neste arquivo. Ainda neste isapnp.conf, vemos outro dispositivo ISA Plug and
Play. Trata-se de uma placa de som. Veja na linha 151:
#ANSI string -->ESS ES1869 Plug and Play AudioDrive<--

Procedemos da mesma maneira que o modem para escolher porta, IRQ e DMA
desta placa. Cuidado, pois não pode-se escolher mesma porta ou IRQ pois irá
dar conflito.
Um meio fácil de garantir que não haverá conflito, é deixar o pnpdump
configurar tudo para você na hora da criação do isapnp.conf. Basta executar:
#pnpdump -c > /etc/isapnp.conf

A opção -c descomenta as linhas necessária para que não haja conflito.


Uma boa opção é comentar (com #) a linha que contém o READPORT, pois
assim, o pnpdump verificará em todas as portas procurando sua placa na
inicialização do sistema (se deixar o READPORT ele pode não encontrar).
Depois de tudo configurado, basta rodar o isapnp:
#isapnp /etc/isapnp.conf

Pronto, ele mostrará as portas, IRQs e DMAs habilitados. Agora, os


dispositivos ISA PNP podem ser configurados como se não fossem um. Ou
seja, no caso do modem utilizaria-se o setserial para configurá-lo na porta e
IRQ determinados. Já com a placa de som, basta compilar o módulo da mesma
(nesse caso seria SoundBlaster, pois é compatível) e na hora de carregar este
módulo, dizer base (porta), IRQ e DMA.

LILO

O LILO (Linux Loader) é o gerenciador de boot mais famoso do GNU/Linux.


Com ele podemos definir que sistemas podem ser inicializados no boot do
computador.
Seu arquivo de configuração é o lilo.conf e este localiza-se no diretório /etc.
Vejamos um exemplo simples de um computador recém instalado:
$ cat /etc/lilo.conf
boot=/dev/hda
root=/dev/hda2
install=/boot/boot.b
map=/boot/map
vga=normal
delay=100
prompt
image=/boot/vmlinuz-2.2.14
label=Linux
read-only

A opção boot diz qual o device que será dado boot (normalmente o primeiro
HD master, justamente /dev/hda).
A opção root diz qual o a partição é a raiz ( / ) do sistema (neste caso /
dev/hda2).
As 3 seguintes não precisa-se alterar. A opção image diz qual o kernel (e sua
localização) deve-se inicializar.
A opção delay faz demorar tantos décimos de segundo (neste caso 100) antes
de inicilizar o primeiro sistema definido no lilo.conf. Utilizado com a opção
prompt , que faz o LILO esperar uma entrada do teclado, pode-se fazer com
que o LILO espere tantos décimos de segundo para que aconteça uma entrada
do teclado antes de iniciar o primeiro sistema na lista do lilo.conf (neste caso
só tem o "Linux", veja mais adiante).
A opção label define um rótulo para identificar o kernel definido na última
opção image.
Neste exemplo, o label "Linux" está vinculado ao kernel vmlinuz-2.2.14 que
localiza-se em /boot. Na hora do boot,será apresentado:
LILO boot:

Isto deve-se à opção prompt que espera uma entrada durante 100 décimos de
segundo, definido na opção delay . Depois de 100 décimos de segundo ele
inicializará o primeiro (e único) da lista: "Linux".
Agora, colocaremos um kernel novo, compilado com make bzlilo como opção
e também a partição DOS/WIndows para que eu tenha a opção de entrar neste
na inicialização do computador:
boot=/dev/hda
root=/dev/hda2
install=/boot/boot.b
map=/boot/map
vga=normal
delay=100
prompt
image=/boot/vmlinuz-2.2.14
label=Linux-old
read-only
image=/vmlinuz
label=Linux
read-only
other=/dev/hda3
label=DOS
table=/dev/hda

Ou seja, criei duas opções de kernel: "Linux" e "Linux-old". O "Linux"


carregará o vmlinuz. Já o "Linux-old" carregará o vmlinuz-2.2.14. Já o "DOS"
irá inicializar a partição onde fica o C: do DOS/Windows, que neste caso é a
partição /dev/hda3.
Nota : Depois de alterar a configuração do lilo.conf, basta rodar o LILO (como
root) para que as configurações sejam atualizadas:
#lilo

Como dito anteriormente, no próximo boot irá aparecer:


LILO boot:

Apertando a tecla TAB aparecem as opções de boot: "Linux", "Linux-old" e


"DOS".
Se eu escrever "DOS" antes dos 100 décimos de segundo , e apertar a tecla
ENTER, o LILO inicializará o DOS/Windows. Caso se passem os 100 décimos
de segundo (ou apertar a tecla ENTER), ele inicializará o primeiro da lista:
"Linux-old".
Conclusão

Chegamos ao fim de mas um artigo. Espero que tenham aprendido algo.


Qualquer dúvida ou sugestão visitem nosso fórum ou enviem um e-mail.
Copyright (C) 1999-2000 Linux Solutions