Você está na página 1de 9

Revisão Final

Respostas para os 50 Exercícios:


1) Após as primeiras expedições, os enviados da Coroa portuguesa
perceberam que não seria possível obter aqui lucros fáceis e
imediatos, pois não encontraram de inícios, as desejadas jazidas de
ouro.
2) Portugal receava perder as terras brasileiras, portanto colonizou o
Brasil para ter o Monopólio do pau-brasil e eles queriam garantir o
direito do UTI possidetis que determinava que o primeiro
colonizador seria o dono das terras.
3) a) Portugal estava pouco disposto a investir na colonização do Brasil,
o governo português decidiu de início transferir essa tarefa para a
iniciativa privada.
b) Os terrenos eram divididos em faixas de terras que por sua vez
foram denominadas Capitânias Hereditárias, ou seja, de um parente
para o outro, e os donos eram chamados de capitães ou donatários.
c) Do ponto de vista econômico, o sistema de capitanias não
alcançou os resultados esperados pelo governo português. Entre as
poucas capitanias que progrediram e obtiveram lucros,
principalmente com a produção de açúcar, estavam a de Pernambuco
e a de São Vicente. As demais capitanias não prosperaram em
decorrência de várias condições, entre as quais podemos destacar:
♦ Falta de recursos dos donatários – as terras eram muito extensas, e
os donatários geralmente não tinham dinheiro suficiente para
explorá-las. Muitos perderam o interesse pelas capitanias,
acreditando que o retorno financeiro não compensaria o trabalho
empenhado e o capital investido na produção.
♦ Revoltas dos povos indígenas – os colonos também tinham de
enfrentar a hostilidade dos grupos indígenas que resistiam à
dominação portuguesa. Para muitos nativos do litoral, a luta era a
única maneira de se defender da perda de terras e da escravidão que
o conquistador queria impor.
♦ Isolamento das capitanias – havia também problemas de
comunicação entre as capitanias: separadas por grandes distâncias e
sob as precárias condições dos meios de transporte da época, elas
ficavam isoladas umas das outras e em relação a Portugal. Por
exemplo, uma viagem de navio da Bahia a Lisboa levava em média
dois meses.
♦ Dificuldades com a lavoura – nem todas as capitanias tinham o
solo propício ao cultivo de cana-de-açúcar, produção que mais
interessava aos objetivos da Coroa e dos comerciantes envolvidos no
comércio colonial. Restava aos donatários à exploração do pau-
brasil, porém a participação dos donatários nos lucros era muito
reduzida, portanto não compensava, mais uma contribuição para
diminuir o interesse deles pelas capitanias.
4) Pelos problemas e o pouco êxito das capitanias hereditárias, o
governo português precisava de uma maneira diferente para
administrar sua colônia na América. Foi assim que instituiu o
governo-geral, conduzido por um funcionário, denominado de
governador-geral. Este daria ajuda aos donatários e interferiria mais
diretamente no processo de colonização do Brasil.
5) O governador teria de se relacionar com os governadores das
capitanias e controlar os assuntos ligados às finanças.
6) Controladas pelos homens-bons, também organizavam expedições
contra os indígenas, determinavam a construção de povoados e
estabeleciam os preços das mercadorias.
7) Eles acabavam muitas vezes se opondo.
8) Portugal não conseguia evitar o contrabando do pau-brasil e a
solução que encontrou foi investir na colonização para garantir a
posse da terra.
9) Ter o monopólio da cana-de-açúcar.
10) Formação do Engenho:
a) Casa Grande
b) Senzala
c) Agricultura de Subsistência
d) Capela
e) Latifúndio
f) Galpões  máquinas: Moenda, fornalha, Casa de Pulgas. / Guardar
Ferramentas
g) Pecuária (força motriz, transporte e alimentação)
11) O solo propício, o clima e por ser mais perto de Portugal.
12) A criação do motor a vapor e a substituição dos meios de
produção por máquinas.
13) A tração animal.
14) A proibição da circulação do ouro em pó.
15) Portugal e Espanha estavam sobre a mesma Coroa do Rei
Filipe II.
16) Como Portugal foi tratado por Filipe II como nação “irmã”, a
administração colonial do Brasil pouco foi alterada: os funcionários
do governo lusitano foram mantidos, o idioma oficial continuou
sendo o português, e os costumes pouco mudaram. Porém no plano
internacional, alguns fatos relacionados com a política externa
espanhola repercutiram diretamente no Brasil, tais fatos trouxeram
sérias conseqüências territoriais e econômicas, tanto para os
portugueses como para os colonos brasileiros.
17) Como represália à independência das Províncias Unidas, Filipe
II proibiu os produtores e comerciantes de suas colônias de negociar
com os holandeses, pretendendo, assim, impor-lhes um bloqueio
econômico. Tal proibição ficou conhecida como Embargo Espanhol.
Esse bloqueio afetou as relações comerciais entre Portugal e
Holanda, causando grandes prejuízos aos holandeses. No Brasil,
existia a participação holandesa no negócio açucareiro, controlando a
lucrativa operação de transporte, refino e distribuição comercial do
açúcar no mercado internacional. Detinham de parte do comércio de
produtos como pau-brasil, algodão e couro.
18) Pressão da Companhia das Índias Ocidentais senhores de
engenho, para que aumentassem a produção, pagassem mais
impostos e liquidassem suas dívidas atrasadas e a intensificação da
busca por lucros da Holanda.
19) Também conhecido como Tratado dos Panos e Vinhos, pelo
qual o rei de Portugal se comprometia a admitir em seu reino tecidos
de lã fabricados pela Inglaterra, que, em troca compraria os vinhos
portugueses.
20) Entradas eram expedições organizadas por colonos
portugueses e outros na busca do ouro. Bandeiras eram expedições
patrocinadas por particulares.
21) Determinaram a ocupação efetiva do interior do Brasil e deram
ao nosso país sua atual configuração geográfica.
22) ▪ Tratado de Utrecht – Portugal e França  estabelecia que o
rio Oiapoque seria o limite da fronteira entre o Brasil e a Guiana
Francesa.
▪ Tratado de Madri – Espanha e Portugal  determinava que
cada um desses países caberia a posse das terras que ocupavam. Além
disso, a Colônia do Sacramento pertenceria aos espanhóis, e a região dos
Sete Povos das Missões pertenceria aos portugueses. O tratado não pode
ser cumprido, jesuítas e indígenas guaranis que lá habitavam não aceitaram
o controle português.
▪ Tratado de Santo Ildefonso – Portugal e Espanha 
estabelecia que os espanhóis ficariam com a Colônia do Sacramento e a
região dos Sete Povos das Missões, mas devolveriam aos portugueses terras
que, nesse período, haviam ocupado no atual estado do Rio Grande do Sul.
▪ Tratado de Badajós – Finalmente, estabeleceu que a região
dos Sete Povos das Missões ficaria com os portugueses e a Colônia do
Sacramento com os espanhóis. Depois de muitas lutas, confirmavam-se as
fronteiras, que, basicamente, tinham sido definidas pelo Tratado de Madri.
23) Quando eles foram expulsos do Brasil, levaram algumas
mudas de cana-de-açúcar para as Antilhas e passaram a produzir, eles
próprios, o açúcar acabando com o monopólio brasileiro de sua
produção. Essa concorrência antilhana provocou queda de até 50%
nos preços do açúcar brasileiro, nos mercados internacionais, entre
1650 e 1700.
24) As principais causas da Inconfidência Mineira foram a
exploração colonial imposta por Portugal ao Brasil, a criação da
derrama, a vontade da elite brasileira de participar das decisões
políticas e a influência do liberalismo. As principais causas da
Conjuração Baiana foram a falta de alimentos e de produtos
importados da Europa.
25) A cobrança de todos os impostos atrasados.
26) Ocorreu a criação de dois órgãos:
▪ Intendência das Minas  Era responsável pela distribuição das terras
para a exploração do ouro, fiscalizar a atividade mineradora, julgar
questões referentes ao desenvolvimento dessa atividade, cobrar
impostos pela exploração das jazidas.
▪ Casas de Fundição  Serviam para fundir o ouro e transformá-lo em
barra, isso ocorreu por causa da proibição da circulação do ouro em pó.
27) Com a abdicação de Dom Pedro I, um grupo de parlamentares
que se encontrava na região reuniu-se no Rio de Janeiro e elegeu três
regentes interinos para governar provisoriamente o país, até a volta de
todos os deputados e a eleição regular de um conselho de regentes,
conforme determinava a Constituição. E as principais medidas adotadas
pela Regência Trina Provisória foram:
▪ a readmissão do Ministério dos Brasileiros (demitido pelo imperador no
dia 5 de Abril de 1831);
▪ a anistia aos presos políticos;
▪ a suspensão parcial do uso do Poder Moderador pelos regentes.
28) a) Como os paulistas foram os descobridores das jazidas de ouro, se
viram no direito de explorar essa riqueza com exclusividade, mas os
portugueses também queriam aproveitar-se das jazidas descobertas.
Ocorreram então entre paulistas e portugueses, conflitos violentos que
ficaram conhecidos como Guerra dos Emboabas.
b) Também chamada de Guerra dos Farrapos, entre suas principais
causas estavam os problemas econômicos dos produtores rurais
gaúchos.
c) O objetivo básico dessa rebelião era instituir uma república na
província enquanto o príncipe herdeiro fosse menor de idade.
d) A população mais pobre da província uniu-se na Balaiada com o
objetivo de lutar contra a miséria, a fome, a escravidão e os maus-tratos
a que estavam submetidos.
e) Os cabanos rebelaram-se contra a situação de miséria em que
viviam e contra os responsáveis por sua exploração. Para tentar pôr fim
à injustiça social de que eram vítimas, decidiram tomar o poder da
província.
29) Os habitantes da Cisplatina não aceitavam permanecer no Brasil,
pois tinham idioma e costumes diferentes.
30) Defendia a Liberdade Política, a Igualdade Social, a Tolerância
Religiosa e o Capitalismo (Liberalismo Econômico). Combatia o
Absolutismo Monárquico, a Desigualdade Social, o Poder da Igreja e o
Mercantilismo.
31) Era também interesse da burguesia acabar com o absolutismo
monárquico, a diversão social, poder da igreja, pois diminuíam seu
poder de influência sobre seu povo.
32) Foi nesse país que ocorreu a primeira revolução burguesa (a
Revolução Gloriosa). A burguesia inglesa tornou-se, então, um grupo
social bastante poderoso, que, aliado à nobreza rural, promoveu o
desenvolvimento econômico do país e lançou as bases para o avanço da
industrialização.
33) a) As pessoas do campo viram que estavam em desvantagem no
assunto tecnologia e começaram a se mudar para as cidades que
convivem com a tecnologia no dia-a-dia.
b) A criação das linhas de montagem acelerou o processo de
produção das empresas, pois cada funcionário desempenha uma função
e vários funcionários fazem o produto.
c) Isso se deu pelo fato dos funcionários serem trocados por
máquinas que faziam o trabalho de forma mais rápida.
34) Foi o 2º Congresso da Filadélfia que tinha como objetivo único e
principal conseguir a Independência das 13 Colônias Norte-Americanas.
35) a) Colônia (Norte e Centro)
Colônias de Povoamento  Mão de obra assalariado, Policultura,
desenvolvimento de Indústrias, Mercado Interno.
b) Colônias Sul
Colônias de Exploração  Mão de obra escrava, Monocultura,
Latifúndio, Mercado Externo (Plantation).
36) O Terror foi uma resposta drástica do governo, na tentativa de
controlar o país, matando quem se opunha.
37) Proibição das Nações Européias de comprarem produtos da
Inglaterra.
38) Napoleão acabou com o Diretório e formou o Consulado, tornou-se o
1º Cônsul.
39) Porque não aceitaram o Bloqueio Continental e sabendo que seriam
atacados pelas tropas de Napoleão, fugiram para o Brasil.
40) Internamente houve uma resistência por parte de militares e
comerciantes, do norte e nordeste, que controlavam o governo local e não
reconheciam a separação, decidiram lutar para manter os laços com
Portugal, obrigando assim, a contratação de mercenários pelo governo
brasileiro. Externamente houve a questão do reconhecimento dos países,
tendo como maior lucradora a Inglaterra. Os ingleses emprestaram-nos
dinheiro para pagar a indenização de Portugal (“acordo de
reconhecimento”). E mais tarde houve uma grande quantidade de
importações, devidos a baixa taxa alfandegária concedida às outras nações,
gerando maior endividamento brasileiro.
41) Procuravam equilibrar-se entre as diversas tendências políticas, umas
mais identificadas com a alta burguesia e outras mais próximas das
aspirações das camadas populares.
42) a) Teve esse apelido porque o projeto estabelecia que o eleitor
precisava ter renda mínima anual equivalente a 150 alqueires de mandioca.
Para ser eleito, o representante tinha de possuir renda elevada em alqueires.
b) Não, ele recusou o projeto de Constituição, que limitava seus
poderes. Com o apoio das tropas imperiais, decretou a dissolução da
Assembléia em 12 de novembro de 1823.
43) Por um Regência Trina Provisória, ou seja, um grupo de três regentes
interinos para governar provisoriamente o país.
44) Itamaracá, Santo Amaro e Santana.
45) A concessão da Capitania de Pernambuco a Duarte Coelho e também a
da Capitania de São Vicente a Martim Afonso de Sousa.
47) Lutavam pela volta de Dom Pedro I ao poder. Defendiam um regime
absolutista e centralizador.
49) Foi o Golpe aplicado para que Pedro de Alcântara, filho de Dom Pedro,
assumisse o poder sendo menor de idade. Pedro de Alcântara, com 15 anos
incompletos, foi oficialmente aclamado imperador, recebendo o título de
Dom Pedro II em 23 de Julho de 1840.
50) Determinava:
▪ que a regência deixava de ser trina para tornar-se una, isto é, seria
exercida por uma única pessoa, com mandato de quatro anos;
▪ extinguia-se o Conselho de Estado, órgão que havia reunido, até então, os
políticos mais conservadores do Império;
▪ criavam-se as Assembléias Legislativas provinciais, com poderes para
fazer leis referentes às questões locais.
OBS: Não fiz as
questões 46 e 48 que
são referentes aos
textos entregues pelo
fato de não possuí-
los.

Correção na Pergunta
41) Resuma a política
interna do governo
Jacobino (não
Joanino) no Brasil.
E mais uma vez
APROVEITEM!
;)
By Felipe
Faversani.