Você está na página 1de 4

A Construção da estátua do Padre Cícero

Símbolo da fé do povo sertanejo, a estátua do Padre Cícero, edificada na


cidade de Juazeiro do Norte no Ceará, no ano de 1969, é a terceira maior estátua
de concreto do mundo, com 27 metros de altura. A mesma foi idealizada na
gestão de um dos líderes políticos mais carismáticos que a região do Cariri
cearense já viu, o então prefeito Mauro Sampaio. Foi esculpida pelo talentoso
artista plástico pernambucano Armando Lacerda e o engenheiro Rômulo Ayres
Montenegro foi o responsável pelos cálculos de engenharia da base da estátua.
Diferentemente da construção de um edifício qualquer, onde se dispõe de
desenhos em planta, cortes e detalhamentos (além da especificidade de cada
serviço a ser executado como a estrutura, hidráulica, elétrica, etc.) na construção
de uma estátua como a do Padre Cícero o que se dispõe é apenas uma réplica
em miniatura (1,2 metros de altura, feita em gesso), a qual foi usada como base
para retirada de todos os elementos tridimensionais para a realização do projeto.
A incumbência de fazer esse trabalho, ou seja, transferir do protótipo para a
estátua real foi do corretor de imóveis Jaime Magalhães, que apesar da falta de
experiência possuia grande talento e criatividade para a realização desse
trabalho. A figura a seguir mostra o mesmo trabalhando com as proporções da
maquete.
Maquete usada como base para a Estátua do Padre Cícero

Fonte: http://caririrevista.com.br/olha-la-no-alto-do-horto/

A estátua não foi pensada da forma como é hoje desde o início, foram
feitas várias idealizações durante sua construção, aumentando várias vezes de
tamanho.
Inicialmente a estátua foi projetada para uma altura de 7 metros, fora a
base. Porém, durante a confecção do protótipo o artista plástico optou por
aumentar a altura para 12 metros, com essa dimensão os moldes para a estátua
teriam que ser construídos separadamente, e foi o que ocorreu, os mesmos
foram confeccionados em partes separadas em um galpão, para posterior
montagem e concretagem no local definitivo, na serra do Horto.
Na etapa de construção da modelagem da estátua, Armando tomou ainda
a decisão de redimensiona-la para uma altura de 17 metros, fora a base. A partir
de então, surgiu a necessidade de se fazer um projeto de engenharia para a
base.
Não existia na época da construção tecnologia para o processo de
moldagem, sendo inteiramente artesanal, os moldes eram feitos em madeira e
agave, como mostra a figura a seguir.
Confecção dos moldes

Fonte: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/suplementos/cariri-regional/estatua-do-
padre-cicero-atraiu-mais-fieis-e-devotos-a-juazeiro-1.1411543

Durante sua construção os trabalhos eram intensos, alcançando turnos


com 24 horas. Grandes blocos de concreto eram fixados aos poucos,
acompanhando a formação da imagem. Usou-se grandes volumes de cimento
para a época, num período caracterizado por grande escassez de produção
devido a uma crise econômica, chegando a faltar nas regiões produtoras
brasileiras, e obrigando o prefeito a buscar a alternativa de trazer material da
Europa. A estátua terminou de ser construída com cimento russo e húngaro.
Hoje a imagem pode ser vista de várias localidades da região, sendo
considerada como o principal ponto turístico da cidade e local de uma das
romarias mais intensas do Brasil. Estima-se que cerca de 2,5 milhões de
pessoas visitam o monumento por ano. Tornando-se assim, o principal símbolo
da religiosidade do Cariri.
A seguir são mostradas mais algumas imagens históricas:

Cabeça da estátua sendo construída

Mauro Sampaio (a esquerda) e Armando Lacerda (a direita)

Montagem da estátua