Você está na página 1de 6

CIANOBACTÉRIAS: IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

M A R I A HELENA PIMENTA PINOTTIa


ROSIMEIRE S E G A T O b

PINOTTI, M.H.P. & SEGATO, R. Cianobactérias: importância econômica. Semina, v. 12, n. 4, p.27S-280, dez. 1991.

RESUMO

O cultivo em massa de algas tem chamado muito a atenção devido à sua utilização na produção de alimentos para o
homem e animais, reciclagem de resíduos, tratamento de esgoto e suprimento de matéria-prima para alguns compostos na-
turais e agentes bioativos. Neste particular, as cianobactérias representam um importante papel, consistindo uma fonte rica em
proteínas, carboidratos, lipideos, vitaminas, enzimas e outros compostos. Outros usos correntes e potenciais incluem: a} ino-
culante para o solo; b) produção de energia pela produção do biogás metano e conversão da energia solar através da biofotó-
lise; c) fornecimento de produtos especiais como por exemplo: corantes para alimentos e indústrias de cosméticos, ácidos
graxos essenciais e agentes marcadores fluorescentes; d) tratamento de águas residuárias; e) remoção de metais pesados; e)
na piscicultura, como alimento para peixes, ostras, mariscos, etc. No entanto, podem representar elementos perigosos no meio
ambiente, através de suas cepas produtoras de toxinas, fato que deve ser levado em consideração quando de sua utilização
como biomassa e como produtoras de compostos bioativos, na purificação da água para uso humano e no estudo da degra-
dação do meio ambiente.

PALAVRAS CHAVES: Cianobactérias, Microalgas, Proteína unicelular, Biotecnologia de microalgas.

1 - INTRODUÇÃO bactéria em questão ( C O O D & B E L L , 1985; C A R M I -


C H A E L e t al., 1 9 8 6 ; G U A R A P I R A N G A , 1 9 9 1 ) .
As cianobactérias são microalgas. As microalgas O interesse pelo uso de microalgas em geral, c o m o
c o m p r e e n d e m uma série de organismos d i s t i n t o s de nature- uma f o n t e protêica não convencional ("Single Cell Pro-
za m i c r o b i a l e c o m capacidade de p r o d u z i r o x i g ê n i o atra- t e i n " , SCP), para alimentação humana e ração a n i m a l ,
vés da fotossfntese. São organismos unicelulares ou apresen- assim c o m o para o u t r o s o b j e t i v o s , t e m a u m e n t a d o , c o m o
tando f i l a m e n t o s ou colônias multicetulares c o m quase resultado das necessidades de um s u p r i m e n t o de a l i m e n t o
nenhuma diferenciação. D e n t r o da d e f i n i ç ã o de m i c r o - cada vez maior, problemas crescentes de c o n t r o l e de despe-
algas incluem-se t a n t o organismos p r o c a r i ó t i c o s {algas jos e deficiências cada vez maiores de recursos energéticos.
azuis-verdes, agora chamadas de cianobactérias) c o m o
organismos eucarióticos (algas verdes, vermelhas, d i a t o m á - Quando comparadas c o m o u t r o s microrganismos
ceas, dinoflagelados, e t c ) . c o m o bactérias, leveduras e fungos, observa-se u m a falta
As cianobactérias (ou algas cianoffceas) são um gru- de i n f o r m a ç ã o detalhada sobre o c u l t i v o de cianobactérias,
po de microrganismos considerados bactérias altamente assim c o m o de microalgas em geral, p r i n c i p a l m e n t e em
desenvolvidas e/ou plantas m u i t o simples, c o m p r e e n d e n d o conseqüência de seu c u l t i v o não convencional. Só m u i t o
uma linhagem m u i t o específica na evolução biológica. recentemente f o r a m incluídas em programas de m o n i t o -
Pertencem ao reino Monera, divisão C i a n o p h y t a , e t ê m r a m e n t o , para c u l t i v o i n d u s t r i a i em larga escala ( B E C K E R ,
papel m u i t o i m p o r t a n t e entre os microrganismos presen- 1 9 8 1 , B E N N E M A N , 1 9 9 0 ) . P o r t a n t o , representam uma
tes na água, p r i n c i p a l m e n t e c o m o p r o d u t o r e s primários f o n t e ainda p o u c o explorada para uso c o m o p r o t e í n a
de matéria orgânica { W E T Z E L , 1983) e c o m o fixadores unicelular, para a p r o d u ç ã o de agentes bioativos que pos-
de n i t r o g ê n i o ( W E T Z E L , 1 9 8 3 ; N E W T O N & B U R G E S S , sam ter aplicação médica, c o m p o s t o s b i o q u í m i c o s especí-
1983). P o r é m , q u a n d o em crescimento excessivo, p r e j u d i - ficos, além de o u t r o s p r o p ó s i t o s .
cam t o d o o sistema, chegando em certos casos a t o m a r Nesta revisão p r o c u r a m o s abordar os diversos aspec-
características t ó x i c a s , dependendo da linhagem da ciano- tos da utilização das cianobactérias bem c o m o os pro-

a D e p a r t a m e n t o de B i o q u í m i c a — CCE/Universidade Estadual de L o n d r i n a , Caixa Postal 6 0 0 Í , CEP 8 6 0 5 1 - 9 7 0 , L o n d r i n a - Paraná - Brasil.


b A l u n a do Curso de Especialização em B i o q u í m i c a — CCE/Universidade Estadual de L o n d r i n a — Bolsista do programa R H A E ( C N P q ) .

275
blemas acarretados quando de seu crescimento excessivo
no fitoplâncton.

2 - USOS E PRODUTOS

1 - Valor n u t r i t i v o das cianofíceas e produção de


biomassa - As cianoffceas t ê m sido consideradas recente-
mente, uma f o n t e nutrictonal potencial para animais,
assim c o m o para o h o m e m .
Na república do Chad ( Á f r i c a Central) viceja em lagos
alcalinos, a Spirulina platensis, que é coletada e utilizada
pelos nativos c o m o uma espécie de t o r t a , chamada " D i h e "
para a preparação de molhos e sopas. A mesma alga pode
ser encontrada t a m b é m , em lagos alcalinos, na Ásia, A m é r i -
ca do N o r t e , América do Sul e A m é r i c a Central. Sabe-se
que f o i utilizada pelos Astecas, no M é x i c o , que a chama-
ram " T e c u i t l a t i " ( F A Y , 1 9 8 3 ) .
A Spirulina cresce bem em lagos alcalinos, e a uma
concentração de bicarbonato de 15g/1 irá d o m i n a r qual-
quer sistema de c u l t i v o . Dessa f o r m a , um dos problemas
cruciais no c u l t i v o de algas, que é o c o n t r o l e da espécie,
pode ser c o n t o r n a d o . A l é m disso, c o m o é filamentosa, a
de proteína, f o i estimado ser aproximadamente 50%
colheita torna-se facilitada, podendo ser colhida usando-se
(para comparação, o índice de proteína do amendoim
peneira de malha grossa.
é 50%, da farinha de soja, 7 5 % ; da carne, 8 3 % e ovos,
A Spirulina cresce naturalmente em um lago p r ó x i m o
100%). A Spirulina é ainda uma f o n t e rica em certas vita-
a cidade do M é x i c o , onde a Companhia Sosa T e x c o c o ,
minas, principalmente beta caroteno (Tabela 2), assim
estabelecida no início da década de 70 ( B E N E M A N N ,
1990), colhe em t o r n o de duas toneladas de alga (peso
seco) por dia, que são vendidas principalmente para os
Estados Unidos, Japão e Canadá ( B E C K E R , 1 9 8 1 ; K Y L E ,
1989). Em t o r n o de 1980, a Spirulina tornou-se um " p r o -
d u t o n a t u r a l " popular nos Estados Unidos e a partir d a í ,
em o u t r o s países, sendo encontrada aqui no Brasil não
somente em lojas de " p r o d u t o s naturais" mas t a m b é m na
grande maioria das farmácias, onde é vendida em f o r m a de
cápsula, principalmente.
O sucesso comercial da Spirulina fez c o m que houves-
se o desenvolvimento de empresas de produção adicio-
nais t a n t o no E x t r e m o Oriente, principalmente Tailândia e
T a i w a n , c o m o nos Estados Unidos. No i n í c i o da década c o m o em enzimas, aminas, esteróides, compostos aromáti-
de 8 0 , as "Earthríse F a r m s ' , fazendas localizadas p r ó x i m o cos, pigmentos, carboidratos e lipídeos.
a Salton Sea, criaram a primeira empresa de produção de A l é m da Spirulina, outras cianobactérias vêm sendo
Spirulina nos Estados Unidos c o m capital de risco dos testadas em laboratório, para produção de biomassa, tais
japoneses ( B E N E M A N N , 1990). Em t o r n o de 8 hectares de c o m o : Anabaena, Nostoc, Tolypotrix, Anacystis nidulans
lagos estão sob c u l t i v o nestas fazendas. O p r o d u t o é e x p o r - e cepas não tóxicas de Microcystis e Oscillatoria ( B E C K E R ,
tado primariamente para o Japão, onde, além de ser usado 1 9 8 1 ; P I O R R E C K & P O H L , 1984).
c o m o a l i m e n t o natural é sujeito à extração para obter o No Brasil, F A I N T U C H e colaboradores (1991) t ê m
pigmento ficocianina, usado c o m o corante em produtos realizado estudos com Spirulina maxima, Oscillatoria
derivados do leite ( K A T O , 1977), gomas de mascar agardhii e Oscillatoria limnetica, sobre diversos parâmetros
( L O T T E , 1980), sorvetes e bebidas ( S H O T E N & K O G Y O , relacionados c o m o c u l t i v o dessas algas.
Nos laboratórios do Departamento de B i o q u í m i c a da
1 9 8 1 ; K A T O , 1987). .
Análises químicas da proteína extraída da Spirulina Univrsidade Estadual de L o n d r i n a estamos realizando
estudos c o m cepas de Oscillatoria e Microcystis isoladas
t ê m demonstrado, quando comparada c o m a proteína
da Estação de Piscicultura dessa mesma Universidade,
padrão da F A O , que esta c o n t é m t o d o s os aminoácidos em
sobre as velocidades de crescimento dessas algas em dife-
concentrações adequadas para consumo humano ou por
rentes meios de c u l t u r a .
animais, c o m exceção dos aminoácidos que c o n t é m e n x o -
fre (cistefna e m e t i o n i n a ) , que estão em quantidades 2 - Proteção ambiental - Lagoas c o m microalgas
t ê m sido usadas extensivamente no t r a t a m e n t o de águas
relativamente baixas (Tabela 1). O valor n u t r i t i v o , índice

Semina, Ci. Exatas/Tecnol., v.12, n.4, p.275-280, dez. 1991


276
de despejo em t o r n o de 50 anos. A maior parte dos siste- Uma outra f o n t e de pesquisa nessa área é a conversão
mas não envolve um processo de c u l t i v o c o n t r o l a d o , O da energia solar através da biofotólise. As cianobactérias
processo de eutrofização natural em lagos abertas, não heterocfsticas possuem a capacidade excepcional de evoluir
aeradas, é e x p l o r a d o para a degradação dos resíduos. oxigênio durante a fotossíntese, em células vegetativas e,
Oswald et ai. ( 1 9 7 2 ) , citado por B E C K E R ( 1 9 8 1 ) , simultaneamente, evoluir H 2 pela transferência de elé-
f o r m u l a r a m um sistema de t r a t a m e n t o de águas residuá- t r o n s a fons H + , catalizada pela nitrogenase presente nos
rias substituindo os tanques convencionais por tanques heterocistos, na ausência de nitrogênio ou o u t r o s substra-
de altas vazões, i n t r o d u z i n d o um sistema de aeração e tos da nitrogenase. M u i t o s pesquisadores têm tentado
movimentação de água, em um tanque especial, t e n d o explorar este potencial para desenvolver um "sistema
múltiplas finalidades: t r a t a m e n t o de água, produção de b i o f o t o l f t i c o " para conversão de energia solar. Sistemas ao
bíomassa algal e recuperação de afluentes. Estes tanques ar livre f o r a m estabelecidos nos quais Anabaena cylindrica
de altas vazões t ê m sido o b j e t o de investigação extensiva f o i usada para p r o d u z i r hidrogênio e oxigênio, passando,
nos Estados Unidos, Israel e o u t r o s países, sendo que uns através destas, em presença da luz, uma mistura de gases
poucos sistemas comerciais f o r a m instalados ( B E N E M A N N , c o n t e n d o argônio e gás carbônico. A eficiência t e r m o d i n â -
1 9 9 0 ; S I L V A & M A R A , 1979). mica da ' c o l e t a " da energia luminosa e conversão a energia
Uma outra aplicação de microalgas na proteção q u í m i c a através da ação da fotossfntese e nitrogenase está
ambiental leva em consideração a capacidade que elas entre 0,35% e 0,85%. É um valor m u i t o baixo e melhorias
apresentam de adsorverem metais pesados, sendo utiliza- são necessárias antes que este sistema torne-se uma propos-
das então para remoção dos mesmos de corpos de água e t a viável ( B E C K E R 1 9 8 1 , F A Y , 1983).
ainda na mineração de vários metais ( B E N E M A N N , 1990). 5 - Outras aplicações - As algas cianofíceas t a m b é m
3 - Usos na agricultura - Está aparecendo no mer- são usadas c o m sucesso em piscicultura. O aumento do cus-
cado nos Estados Unidos, a microalga c o m o inoculante to da farinha de peixe é uma das razões para se tentar
para o solo, c o m a finalidade de melhorar a sua estrutura substituí-la por algas. Experimentos concluídos em Israel
em termos de fertilidade e, através dos seus polissacarí- c o m Cyprinus e Tilapia mostram que não há efeito nocivo
deos extracelulares, serem ligadas às partículas do mesmo, em se usar algas provenientes de culturas feitas a partir
prevenindo a sua erosão ( B E N E M A N N , 1990). A l é m disso, de resíduos, para c u l t i v o de peixes ( B E C K E R , 1981).
capas de cianobactérias fixadoras de n i t r o g ê n i o inoculadas Sao usadas t a m b é m no c u l t i v o de ostras, caranguejos e
no solo podem aumentar o seu c o n t e ú d o de n i t r o g ê n i o . mariscos.
O uso de microalgas fixadoras de n i t r o g ê n i o já t e m sido fei- Há um grande n ú m e r o de p r o d u t o s especiais que po-
to na prática em campos de arroz alagados e t e m sido usado derão ser, e, em alguns casos já são, derivados de cianobac-
em várias partes do m u n d o m a n t e n d o grande p r o d u t i v i - térias. A ficocianina, além de ser usada, c o m o já vimos,
dade. A fertilidade dos solos de arroz é mantida pela ati- principalmente no Japão, na indústria de alimentos, t e m
vidade de cianobactérias heterocfsticas, que crescem espon- t a m b é m sido usada, j u n t a m e n t e c o m a f i c o e r i t r i n a , o u t r a
taneamente e abundantemente nesses campos. Elas fazem f i c o b i l i p r o t e i n a isolada de cianobactéria, c o m o agentes
a fixação do n i t r o g ê n i o atmosférico e secretam substâncias marcadores fluorescentes para reagentes de diagnósticos
nitrogenadas e, através de sua decomposição, aumentam o devido ao seu a l t o coeficiente de extinção e fluorescência.
c o n t e ú d o de substâncias orgânicas do solo ( B E C K E R , T ê m sido usados t a m b é m c o m o pigmentos na indústria
1981). d e cosméticos ( K Y L E , 1 9 8 9 ; B E N E M A N N , 1990).
O efeito benéfico da fixação do nitrogênio na p r o d u - A produção de lipídeos especiais, por e x e m p l o , os
ção de colheitas torna-se ainda mais visível em campos ácidos graxos omega 3, presentes em óleos de certos peixes,
alagados d e ' a r r o z que apresentam a Azolla, uma planta pode ser um mercado promissor f u t u r a m e n t e . Acredita-se
p t e r i d ó f i t a que t e m c o m o e n d o s i m b i o n t e a cianobactéria que estes ácidos graxos sejam responsáveis pela redução de
Anabaena, que se encarrega da fixação do nitrogênio. doenças coronarianas em populações que consomem
A aplicação da Azolla pode aumentar a produção de arroz grandes quantidades de peixe. Estes provavelmente obtém
em até 3 0 % na colheita ( F A Y , 1983). esses ácidos graxos do f i t o p l â n c t o n , através da cadeia ali-
4 - Produção de energia - O u t r a utilidade para bio- mentar. Estas espécies de f i t o p l â n c t o n são realmente ricas
massa algal, especialmente algas que crescem em águas em reservas de óleos, c o m o ácido eicosapentaenóico e ácido
residuárias, é na p r o d u ç ã o do bíogás, metano ( B E C K E R , docosahexaenóico. O sucesso desta idéia dependerá do
1 9 8 1 ; B E N E M A N N , 1990). Este processo de digestão m e l h o r a m e n t o genético do c o n t e ú d o de gordura e desses
anaeróbica é um sistema artificial que copia o processo ácidos graxos das algas, redução do custo de produção e
biológico natural para reciclagem de matéria orgânica. exploração do f a t o de serem p r o d u t o s derivados de um
Desde o i n í c i o de 1 9 7 0 , o Departamento de Energia dos processo c o n t r o l a d o , mais homogêneo c o m respeito à c o m -
Estados Unidos t e m financiado em t o r n o de U S $ 1 0 mi- posição do óleo que o óleo de peixe ( K Y L E , 1989).
lhões em pesquisa básica e aplicada sobre produção de Outra utilização é ha produção de substâncias b i o q u í -
microalgas, c o m o o b j e t i v o de desenvolver tecnologia de micas marcadas, pela substituição na c u l t u r a , da água
baixo custo para p r o d u ç ã o de c o m b u s t í v e l a partir destas. c o m u m p o r água t r i t i a d a o u C O 2 n o r m a l por 1 4 C 0 2 ,
Um programa similar está sendo desenvolvido na Europa resultando na produção de células marcadas radioativamen-
( B E N E M A N N , 1990). te que posteriormente são utilizadas para isolamento e

Semina, Ci. Exatas/Tecnol., v.12, n.4, p.275-280, dez. 1991


277
purificação de várias substâncias marcadas. Este mercado 3 ~ CIANOBACTÉRIAS TÓXICAS
está a u m e n t a n d o e as algas autotróficas são as fontes mais
ativas e c o n o m i c a m e n t e . As cianobactérias são encontradas na maior parte
O u t r a aplicação potencial de microalgas em gera! é dos ambientes, desde fontes termais até solos da A n t á r t i c a
no programa espacial, para regeneração da atmosfera e mas a maior parte das espécies que apresentam cepas
t r a t a m e n t o de despejos ( B E N E M A N N , 1990). tóxicas são, na sua maioria, planctônicas ( C A R M I C H A E L
6 - O f u t u r o - A c u l t u r a de cianobactérias, assim et ai., 1986, C A R M I C H A E L 1988). A toxicidade refere-
c o m o de microalgas em geral, está claramente caminhando se ao envenenamento agudo letal ou envenenamento
do laboratório e operações de planta p i l o t o para uma rea- subletal, p r o d u z i d o por certos gêneros de água doce, c o m o :
lidade comercial. B E N E M A N N (1990) cita que, de 1984 Anabaena, Aphanizomenon, Microcystis, Nodularía e Oscil-
a 1990, três sistemas de produção de microalgas f o r a m es- latoria, e à atividades c i t o t ó x i c a s ou antineopláscias de pro-
tabelecidos nos Estados Unidos, c o m m u i t o s hectares de dutos secundários de algumas cianobactérias terrestres
lagoas sendo cultivadas. Muitas outras companhias nos cultivadas e m laboratório ( C A R M I C H A E L , 1988).
Estados Unidos e o u t r o s pafses c u l t i v a m as microalgas em M u i t o s relatos i m p l i c a m cianobactérias no envene-
uma escala m e n o r para obtenção de p r o d u t o s c o m alto namento de animais domésticos e selvagens em muitas
valor comercial. Os p r o d u t o s e usos correntes de cianobac- regiões do m u n d o ( S C H W I M M E R & S C H W I M M E R , 1955;
térias, assim c o m o dos processos envolvidos, estão mostra- O L S O N , 1960; C A R M I C H A E L , 1 9 8 1 ; C A R M I C H A E L ,
dos na tabela 3. 1982; C A R M I C H A E L , 1988),.

Existem m u i t o s problemas técnicos que devem ser Presentemente, é evidente que, a intoxicação por
solucionados antes que a biotecnologia baseada em microal- cianobactérias é um f e n ô m e n o que ocorre no m u n d o t o d o
ga possa fazer uma exploração t o t a l dos p r o d u t o s e proces- e, consequentemente, t e m recebido a atenção de cientistas
sos envolvidos na produção desses organismos fotossinté- e órgãos governamentais em m u i t o s pafses ( B O U R K E
ticos. No e n t a n t o , o progresso f e i t o na ú l t i m a década já & H A W E S , 1 9 8 3 ; C A R M I C H A E L & S C H W A R T Z , 1984;
possibilitou que m u i t o s desses p r o d u t o s e processos viessem S K U L B E R G e t al., 1 9 8 4 ; G U A R A P I R A N G A , 1991).
de e n c o n t r o às necessidades do h o m e m e, no f u t u r o , cer- Apesar de envenenamento agudo de seres humanos
t a m e n t e , o c u l t i v o de microalgas sofrerá um avanço m u i t o p o r estas toxinas não t e r e m sido relatados, há evidências
grande, c o m o desenvolvimento de sistemas economica- que a p o n t a m para as cianobactérias c o m o agentes causa-
mente c o m p e t i t i v o s . dores de surtos de gastroenterite em algumas localidades

Semina, Ci. Exatas/Tecnol., v.12, n.4, p.275-280, dez. 1991


278
( D I L L E N B E R G 8t D E H N E L , 1 9 6 0 ; LIPPY & E R B , 1 9 7 6 ; pode ciclopode C y c l o p s hyalinus, c o m u m no lago George,
K E L E T I et al., 1979; B I L L I N G S , 1 9 8 1 ; C A R M I C H A E L na Uganda, alimenta-se das cianobactérias do f i t o p l â n c t o n
et ai., 1 9 8 5 ) . A l é m disso, f o i descoberto que uma t o x i n a e f o i claramente d e m o n s t r a d o que cianobactérias não são
de Microcystis aeruginosa K u t z i n g p r o d u z a c ú m u l o de f l u i - somente ingeridas mas t a m b é m assimiladas e digeridas por
do em alças intestinais ligadas, em cobaias ( A Z I Z , 1974). esses organismos ( F A Y , 1 9 8 3 ) . No lago Severson, estado
Estas toxinas parecem t a m b é m estar relacionadas a de Minnesota, nos Estados Unidos, o copepode .Diaptomus
episódios alérgicos em certas águas recreacionais ( B I L L I N - utiliza a Anabaena presente no f i t o p l â n c t o n do lago e, em
GS, 1981) e, F A L C O N E R et ai. (1983) d o c u m e n t a r a m Londres, no parque St. James, o u t r o copepode, C y c l o p
um aumento em injúria no f í g a d o , mostrada por uma vemalis, alimenta-se de Oscillatoria, presente nos lagos
elevação significativa dos níveis de gama g l u t a m i l transpep- p o u c o p r o f u n d o s desse parque. O ostracode Cypris que
tidase, na população humana de A r m i d a l e (Austrália) habita campos de arroz inundados, provavelmente d i m i -
que o b t i n h a água potável de um reservatório c o m um cres- nuiria m u i t o as cianobactérias presentes se o uso de pestic-
cimento excessivo da cianobactéria M. aeruginosa. A l é m das não os mantivessem em baixo n ú m e r o ( F A Y , 1983).
disso, efeitos embrionários, teratogênicos e gonadotróficos Entre os peixes, f o i mostrado que a Tilapia nilotica e o
foram mostrados em ratas grávidas ( K I R P E N K O et al., Haplochromis nigripinnis, comuns no lago George, alimen-
1981). Cianobactérias são t a m b é m , capazes de p r o d u z i r tam-se principalmente de cianobactérias ( F A Y , 1983).
produtos q u í m i c o s que trazem problemas de o d o r desa- O u t r a maneira de c o n t r o l e é através da i n t r o d u ç ã o de m i -
gradável na água potável ( C A R M I C H A E L , 1981). crorganismos patógenos (fungos, bactérias e vírus) que pa-
O t r a t a m e n t o geralmente usado para evitar o cres- recem ter um papel m u i t o i m p o r t a n t e na regulação das
cimento de um n ú m e r o excessivo de algas indesejáveis é populações de cianobactérias em água doce. Patógenos
a aplicação de sulfato de cobre na concentração de 0,5 bacteriais pertencentes a vários gêneros são capazes de lisar
a 1,0mg/l ( F A Y , 1983). Nesta concentração o cobre não uma faixa grande de cianobactérias unicelulares e f i l a m e n -
apresenta t o x i d a d e a peixes ou o u t r o s animais aquáticos tosas. A bactéria ataca sempre por meio de c o n t a t o lado a
mas, c o m aplicações repetidas, a concentração de cobre lado c o m a célula hospedeira; desta maneira, ela progride
na água pode aumentar a um nível t ó x i c o . As cianobacté- de célula para célula através do t r i c o m a ( B U R N H A M I ,
rias planctônicas são mais sensíveis ao cobre do que diato- 1 9 8 1 ) . Vários patógenos virais que infectam cianobacté-
máceas ou algas verdes, p o r t a n t o , concentrações m u i t o rias (cianofagos) f o r a m t a m b é m isolados e e x i b e m algum
baixas deste sal p o d e m s u p r i m i r o crescimento das mes- grau de especificidade em relação ao hospedeiro. Os ví-
mas, sem afetar o crescimento das outras algas. O u t r o s rus aumentam em n ú m e r o no f i t o p l â n c t o n em resposta ao
algicidas que são usados em estações de t r a t a m e n t o de desenvolvimento sazonal das populações de cianobactérias
água compreendem compostos fenólicos, derivados a m í d i - e p o d e m ter um pape! i m p o r t a n t e no controle das mesmas
cos, compostos de a m ô n i o q u a t e r n á r i o e derivados de q u i - na natureza ( F A Y , 1 9 8 3 ) .
nona ( F A Y , 1983). C o m o famoso d i t a d o em mente "é m e l h o r prevenir
O controle b i o l ó g i c o é, em p r i n c í p i o , possível, ape- que r e m e d i a r " , a abordagem a longo t e r m o do c o n t r o l e
sar de não ser t ã o efetivo e tão p r á t i c o q u a n t o o c o n t r o l e de crescimento das cianobactérias em águas poluídas é,
q u í m i c o . Porém, t e m a vantagem de, sendo seletivo, não sem dúvida, a remoção sistemática dos principais n u t r i e n -
apresentar t o x i c i d a d e a o u t r o s organismos presentes. tes que são responsáveis pelo crescimento extensivo das
Uma das maneiras de se fazer o c o n t r o l e b i o l ó g i c o é populações planctônicas. A purificação das águas de esgoto
pela i n t r o d u ç ã o de organismos do z o o p l â n c t o n que usam está agora sendo realizada em m u i t o s países, evitando pelo
as cianobactérias c o m o alimentos. Por e x e m p l o , o cope- menos em parte a eutrofização artificial de rios e lagos

PINOTTI, M.H.P. & SEGATO, R. Cyanobacteria: economical importance. Semina, v. 12, n. 4, p.275-280, Dec. 1991.

ABSTRACT

The cultivation in large scale of algae has been called attention due to their utilization in the food production for
animais and even for man, residue recycling, waste-water treatment and raw-material for some natural compounds. Particularly,
cyanobacteria represent an important role, being a rich source of proteins, carbohydrates, lipids, vitamins, enzymes, and
other bioactive compounds. Other current and potential uses include: a) soil inoculant; b) energy production through
obtention of the biogas, methane, and solar energy conversion by biophotolysis; c) supply of specialty products such as:
food and cosmetic coloring agents, specialty lipids, fluorescent labels in diagnostic reagents, and isotopically enriched
compounds; d) waste-water treatment; e) heavy metal adsortion; f) food for fish, clams, oysters, etc. However, they may
represent dangerous elements in the environment, through their strains capable of producing toxins, this fact having to be
considered when they are used as biomass and source of bioactive compounds, when water is purified for domestic use, and
in the study of the environmental deterioration.

KEY-WORDS: Cyanobacteria, Algae biomass, Single cellprotein, Microalgae, Microalgae biothecnology.

Semina, Ci. Exatas/Tecnol., v.12, n.4, p.275-280, dez. 1991


279
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Semina, Ci. Exatas/Tecnol., v.12, n.4, p.275-280, dez. 1991


280

Você também pode gostar