Você está na página 1de 2

Interpretando Mateus 11.

28

Uma das palavras mais lindas e poderosas de Jesus está registrada em Mateus 11:28: “Vinde a mim, todos os que
estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei”. Mas quando lemos esse texto geralmente nos enganamos na
interpretação do que ele realmente quer dizer, do que realmente Jesus estava dizendo de fato ali. Hoje vamos
aprender o real significa dessas lindas e poderosas palavras ditas pelo Senhor Jesus para nos abençoar.

Vinde a mim

(1) A primeira coisa clara nesse texto é a clareza de Jesus, demonstrando que as pessoas deveriam ir até Ele (Vinde a
mim). Essa indicação de Jesus sobre esse caminho que esse grupo de pessoas para o qual Ele está falando deveria
seguir, demonstra aquilo que Jesus disse e que está registrado em João 14:6: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o
caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. Jesus sabe exatamente quem Ele é e o tipo de
mudanças que Ele tem poder de realizar na vida das pessoas. É por isso que Ele começa sua fala chamando as
pessoas para ir até Ele. Esse é o primeiro passo.

Todos que estais cansados e sobrecarregados

(2) Certamente Jesus não está falando aqui do cansaço físico que todos experimentamos depois de nossas tarefas
diárias. O cansaço do qual Jesus está se referindo é espiritual. À luz daquilo que estudaremos mais abaixo podemos
claramente concluir que Jesus está se referindo ao peso que os religiosos colocavam sobre aquelas pessoas (e que
muitos continuam colocando hoje em dia). A terrível opressão em que viviam, debaixo de proibições sem sentido, de
rituais vazios, de exigências que não os levavam à leveza de Deus, mas ao peso das doutrinas de homens. Essas
eram pessoas que estavam cansadas e sobrecarregadas pelos fardos que tinham de carregar que, de forma alguma,
aliviavam seus espíritos e as aproximavam de Deus. Jesus também disse sobre a atuação daqueles religiosos: “Atam
fardos pesados e difíceis de carregar e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o
dedo querem movê-los” (Mateus 23:4).

Tomais sobre vós o meu jugo e aprendei de mim

(3) Geralmente muitos interpretam a palavra “jugo” usada aqui como “peso” com um sentido positivo usado por Jesus.
O jugo era uma peça usada para unir dois animais quando puxavam uma carroça. Ele era colocado no pescoço e
representava um peso para o animal. Porém, o mais provável é que Jesus estivesse citando aqui uma metáfora
judaica, onde esse “jugo” era quando a pessoa se colocava debaixo da “disciplina e discipulado de alguém, de um
mestre”. Nesse sentido, aqueles líderes que estavam sobre aquelas pessoas apenas pesavam a vida delas, trazendo
sofrimento ao invés de bênçãos (Mateus 23:4). Nesse sentido, Jesus demonstra que Ele poderia oferecer a verdadeira
instrução, aquela que conectava as pessoas a Deus, que aliviava seus corações através do perdão, que era leve,
tirando a culpa e trazendo a pessoa a uma nova vida. Esse era o precioso aprendizado que Jesus queria passar para
as pessoas. Esse era o jugo de Cristo, bem diferente do jugo dos religiosos e líderes de sua época.

E achareis descanso para você alma

(4) Esse trecho em Mateus 11:29 mostra fortemente o que falamos anteriormente. Jesus não está falando do cansaço
físico, mas do cansaço espiritual trazido na vida das pessoas pelo pecado e pelas opressões dos religiosos e líderes da
época de Cristo (e de muitas outras épocas). Somente debaixo do jugo de Cristo, ou seja, de Suas orientações e na
Sua presença poderemos realmente andar no caminho melhor, de paz e de contentamento.

Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve

(5) Jesus não está falando aqui que a vida cristã é fácil. O que Ele está demonstrando é que todas as obrigações e
disciplinas exigidas por Deus são boas e abençoadoras para nós e que esse jugo, ou seja, esse caminho cristão que
cada um de nós deve seguir (o vinde a mim de Jesus), vem junto com toda a força de Deus para enfrentarmos os
desafios e vencê-los, sem qualquer peso que não possamos suportar. Bem diferentes das opressões desse mundo,
que nos levam a um sofrimento terrível e a total distância de Deus.